SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 26
Baixar para ler offline
Carla Batista
Profª Me. em Design
AULA 02
A necessidade do design
A
LGUMAS
DEFINIÇÕES
“… desde os primórdios do homem, o design não
nasce, mas, se faz. Toda ação do design tem sido e é
premeditada, provocada, comprada ou perdida por
alguém, às vezes pelo próprio designer”. (FUENTES,
2009, p. 23)
Arte e design se vinculam, mas não são iguais.
A arte é expressa o modo de vida da civilização e da
cultura.
A
LGUMAS
DEFINIÇÕES
O design gráfico é um processo técnico e criativo que utiliza
imagens e textos para comunicar mensagens, ideias e
conceitos, com objetivos comerciais ou de fundo social.
(Disponível em: <http://www.adg.org.br/adgbrasil.php> Acesso
em: 13/11/2013)
Segundo Denis (2000), as definições tendem para a junção
deles, em que o profissional atribui formas materiais a conceitos
intelectuais. “Trata-se, portanto, de uma atividade que gera
projetos, no sentido objetivo de planos, esboços ou modelos”.
(DENIS, 2000, p. 15)
A
LGUMAS
DEFINIÇÕES
Design gráfico é a atividade profissional e a consequente área
do conhecimento cujo objeto é a elaboração de projetos para
reprodução por meio gráfico de peças expressamente
comunicativas. Essas peças – cartazes, páginas de revista,
capas de livros e de produtos fonográficos, folhetos etc. – têm
como suporte geralmente o papel e como processo de produção
a impressão. (VILLAS-BOAS, 2007, p. 30)
Segundo Hollis (2010), o design gráfico pode criar ou escolher
marcas gráficas combinando em uma superfície qualquer a fim
de transmitir uma ideia.
A
LGUMAS
DEFINIÇÕES
De maneira geral, o design gráfico combina os elementos
visuais – textuais e não-textuais – para gerar uma peça gráfica
com a devida mensagem visual.
O Design é veículo da informação.
Informação é sinônimo de notícia para Fuentes.
A
LGUMAS
DEFINIÇÕES
“A informação é o conteúdo útil da mensagem (...), ponto de
partida, e não um fim em si mesmo”. (FUENTES, 2009, p. 24)
“O que diferencia o ato artístico do ato de desenhar é que esse
é demandado sempre por uma necessidade de comunicação
científica”. (FUENTES, 2009, p. 24)
O design é uma atividade projetual de duplo sentido:
projeta-se internamente sobre a obra a partir de sistemas
semióticos que lhes são próprios e, nessa ação, projeta um tipo
de relação social.”
I
DENTIFICAÇÃO
DA
NECESSIDADE
“Urgências conjunturais, a reestruturação de uma empresa, um
evento em especial, um novo plano de marketing, um impulso
de imitação, ou até mesmo um capricho, podem ser os desen-
cadeadores dessa necessidade de um processo de design, quais
são as expectativas, e se elas realmente são compatíveis com o
projetado” (FUENTES, 2009, p. 25).
I
DENTIFICAÇÃO
DA
NECESSIDADE
O que cabe ao processão de identificação?
Expectativas do cliente
Características técnicas
Vínculo com a empresa
Briefing/Pauta
Contrato comercial
I
DENTIFICAÇÃO
DA
NECESSIDADE
Algumas palavras faladas por clientes:
Bom gosto
Moderno
Impactante
Moda
I
DENTIFICAÇÃO
DA
NECESSIDADE
Subjetividades que se tornam uma
generalização um tanto superficial para
definir as reais necessidades de um projeto.
Muitas vezes as pessoas com poder de
decisão não estão conscientes de sua própria
subjetividade.
Isso significa que as palavras faladas
estavam relacionadas a imagem corporativa e
gestão de imagem.
Definição
do projeto
D
EFINIÇÃO
DO
PROJETO
Design gráfico é a atividade profissional e a consequente área
do conhecimento cujo objeto é a elaboração de projetos para
reprodução por meio gráfico de peças expressamente
comunicativas. Essas peças – cartazes, páginas de revista,
capas de livros e de produtos fonográficos, folhetos etc. – têm
como suporte geralmente o papel e como processo de produção
a impressão. (VILLAS-BOAS, 2007, p. 30)
Segundo Hollis (2010), o design gráfico pode criar ou escolher
marcas gráficas combinando em uma superfície qualquer a fim
de transmitir uma ideia.
D
EFINIÇÃO
DO
PROJETO
“Cada marca que o designer faz modifica o mundo de alguma
forma. Pode fazer com que a comunicação funcione melhor ou
pior. Isto não depende de fatores aleatórios; depende, sem
dúvida, do designer, que tanto com orgulho como com
humildade profissional entende seu papel claramente; depende
do estudante de design desenvolver ao máximo suas
habilidades intelectuais e técnicas; e depende também do
público em geral e de sua transformação em usuários críticos,
mais informados e mais exigentes”
(apud FUENTES, 2009, p. 31).
A
NÁLISE
DA
NECESSIDADE
Momento de análise das:
- ações anteriores na área de comunicação;
Coleta de informações relacionadas direta ou
indiretamente, para evitar a superficialidade.
A
NÁLISE
DA
NECESSIDADE
- pautas de marketing;
Estabelece-se os objetivos da comunicação, o
público-alvo ao qual nos dirigimos e os resultados
que se deseja alcançar.
“se a comunicação a se implementada busca fins
que se podem chamar institucionais ou de
persuasão” (FUENTES, 2009, p. 33).
A
NÁLISE
DA
NECESSIDADE
Exemplo notável de síntese expressiva pode-se verificar nestes
símbolos rúnicos. Homem, mulher, procriação, gestação, família,
amizade, disputa, morte do homem, morte da mulher. (MUNARI,
Bruno. O triângulo.)
A
NÁLISE
DA
NECESSIDADE
- condições orçamentárias e prazos;
É bom que sejam acertadas no começo do projeto.
Valores e cronograma das atividades.
É recomendável ter 30% do valor total orçado para
iniciar o projeto.
A
NÁLISE
DA
NECESSIDADE
- implicações ético-morais;
“Todo programa de design, no momento em que
passa a integrar um determinado ambiente
sociocultural, gera inúmeras reações. Essas reações,
dependendo de suas incidências, terão sempre
implicações éticas, ambientais, ideológicas e morais”
(FUENTES, 2009, p. 36).
A
NÁLISE
DA
NECESSIDADE
Exemplo: Design de Campanha - Barak Obama 2008
Foi criado pelos designers da Change the thought:
Christopher Cox
Aaron Ray
Matt W. Moore
Adam Lorber
Kris Fry
A
NÁLISE
DA
NECESSIDADE
- codificações culturais
No processo de design é necessário considerar os
fatores culturais, defini-los, estudá-los e para obter
códigos adequados para realizar nossa tarefa.
Inclusive, é de bom grado ouvir uma segunda ou
terceira opinião a respeito.
C
ONCLUSÕES
“Vale lembrar que a profissão do
designer baseia-se precisamente
em conhecer a fundo os componen-
tes estruturais das mensagens e
trabalhar com eles. No design nada
é casual ou fruto de mágica”
(FUENTES, 2009, p. 44).
Referências
FUENTES, Rodolfo. Prática do design gráfico: uma metodologia
criativa. São Paulo: Rosari, 2009.
Disponível em:
<http://publitica.blogspot.com.br/search/label/Barack%20Obama>
Carla Batista
Profª Me. em Design
Estudo independente
Fazer leitura do texto "Design de
notícias: uma questão holística"
de Marielle Sandalovski Santos e
comentar os aspectos mais
relevantes para próxima aula.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a 02_NecessidaDoDesign.pdf

O que é o design parte 1
O que é o design  parte 1O que é o design  parte 1
O que é o design parte 1
Luis Vieira
 
Aula 1 - Minicurso sobre Design Centrado no Usuário
Aula 1 - Minicurso sobre Design Centrado no UsuárioAula 1 - Minicurso sobre Design Centrado no Usuário
Aula 1 - Minicurso sobre Design Centrado no Usuário
Erico Fileno
 
Diseño interacción en Brasil
Diseño interacción en BrasilDiseño interacción en Brasil
Diseño interacción en Brasil
Erico Fileno
 

Semelhante a 02_NecessidaDoDesign.pdf (20)

O que é o design parte 1
O que é o design  parte 1O que é o design  parte 1
O que é o design parte 1
 
O que é o design
O que é o designO que é o design
O que é o design
 
Introdução design thinking
Introdução design thinkingIntrodução design thinking
Introdução design thinking
 
Interfaces Convergentes - da Bauhaus ao design multimidia
Interfaces Convergentes - da Bauhaus ao design multimidiaInterfaces Convergentes - da Bauhaus ao design multimidia
Interfaces Convergentes - da Bauhaus ao design multimidia
 
O papel da criatividade no método projectual do design por Nuno Sá Leal
O papel da criatividade no método projectual do design por Nuno Sá LealO papel da criatividade no método projectual do design por Nuno Sá Leal
O papel da criatividade no método projectual do design por Nuno Sá Leal
 
Apostila metodologia
Apostila metodologiaApostila metodologia
Apostila metodologia
 
Aula 1 - Minicurso sobre Design Centrado no Usuário
Aula 1 - Minicurso sobre Design Centrado no UsuárioAula 1 - Minicurso sobre Design Centrado no Usuário
Aula 1 - Minicurso sobre Design Centrado no Usuário
 
ASPECTOS DA CRIAÇÃO PUBLICITÁRIA
ASPECTOS DA CRIAÇÃO PUBLICITÁRIAASPECTOS DA CRIAÇÃO PUBLICITÁRIA
ASPECTOS DA CRIAÇÃO PUBLICITÁRIA
 
Design para Inovação Social
Design para Inovação SocialDesign para Inovação Social
Design para Inovação Social
 
Movimentos da Consciência Crítica na Educação em Design
Movimentos da Consciência Crítica na Educação em DesignMovimentos da Consciência Crítica na Educação em Design
Movimentos da Consciência Crítica na Educação em Design
 
Pensando (e fazendo) software com design thinking
Pensando (e fazendo) software com design thinkingPensando (e fazendo) software com design thinking
Pensando (e fazendo) software com design thinking
 
MONTREAL DESIGN DECLARATION – Portuguese version
MONTREAL DESIGN DECLARATION – Portuguese versionMONTREAL DESIGN DECLARATION – Portuguese version
MONTREAL DESIGN DECLARATION – Portuguese version
 
Design Thinking - Aula 01
Design Thinking - Aula 01Design Thinking - Aula 01
Design Thinking - Aula 01
 
Diseño interacción en Brasil
Diseño interacción en BrasilDiseño interacción en Brasil
Diseño interacción en Brasil
 
01 o que eh design
01 o que eh design01 o que eh design
01 o que eh design
 
DN(3d)As
DN(3d)As DN(3d)As
DN(3d)As
 
326
326326
326
 
Design Criativo - Técnicas de desbloqueio Criativo e princípios do Design
Design Criativo - Técnicas de desbloqueio Criativo e princípios do DesignDesign Criativo - Técnicas de desbloqueio Criativo e princípios do Design
Design Criativo - Técnicas de desbloqueio Criativo e princípios do Design
 
Carolina costa nº2
Carolina costa nº2Carolina costa nº2
Carolina costa nº2
 
Profissão: Designer de Interação
Profissão: Designer de InteraçãoProfissão: Designer de Interação
Profissão: Designer de Interação
 

Mais de DeVry University

Mais de DeVry University (6)

02 Semiótica e Comunicação
02 Semiótica e Comunicação02 Semiótica e Comunicação
02 Semiótica e Comunicação
 
01 Introdução a semiótica
01 Introdução a semiótica01 Introdução a semiótica
01 Introdução a semiótica
 
O design gráfico na revista Illustração Paranaense: uma aproximação coerente
O design gráfico na revista Illustração Paranaense: uma aproximação coerenteO design gráfico na revista Illustração Paranaense: uma aproximação coerente
O design gráfico na revista Illustração Paranaense: uma aproximação coerente
 
Design e Território: Uma discussão de valor
Design e Território: Uma discussão de valorDesign e Território: Uma discussão de valor
Design e Território: Uma discussão de valor
 
Pesquisa ação
Pesquisa açãoPesquisa ação
Pesquisa ação
 
Design numa perspectiva cultural
Design numa perspectiva culturalDesign numa perspectiva cultural
Design numa perspectiva cultural
 

02_NecessidaDoDesign.pdf

  • 1. Carla Batista Profª Me. em Design AULA 02 A necessidade do design
  • 2. A LGUMAS DEFINIÇÕES “… desde os primórdios do homem, o design não nasce, mas, se faz. Toda ação do design tem sido e é premeditada, provocada, comprada ou perdida por alguém, às vezes pelo próprio designer”. (FUENTES, 2009, p. 23) Arte e design se vinculam, mas não são iguais. A arte é expressa o modo de vida da civilização e da cultura.
  • 3. A LGUMAS DEFINIÇÕES O design gráfico é um processo técnico e criativo que utiliza imagens e textos para comunicar mensagens, ideias e conceitos, com objetivos comerciais ou de fundo social. (Disponível em: <http://www.adg.org.br/adgbrasil.php> Acesso em: 13/11/2013) Segundo Denis (2000), as definições tendem para a junção deles, em que o profissional atribui formas materiais a conceitos intelectuais. “Trata-se, portanto, de uma atividade que gera projetos, no sentido objetivo de planos, esboços ou modelos”. (DENIS, 2000, p. 15)
  • 4. A LGUMAS DEFINIÇÕES Design gráfico é a atividade profissional e a consequente área do conhecimento cujo objeto é a elaboração de projetos para reprodução por meio gráfico de peças expressamente comunicativas. Essas peças – cartazes, páginas de revista, capas de livros e de produtos fonográficos, folhetos etc. – têm como suporte geralmente o papel e como processo de produção a impressão. (VILLAS-BOAS, 2007, p. 30) Segundo Hollis (2010), o design gráfico pode criar ou escolher marcas gráficas combinando em uma superfície qualquer a fim de transmitir uma ideia.
  • 5. A LGUMAS DEFINIÇÕES De maneira geral, o design gráfico combina os elementos visuais – textuais e não-textuais – para gerar uma peça gráfica com a devida mensagem visual. O Design é veículo da informação. Informação é sinônimo de notícia para Fuentes.
  • 6. A LGUMAS DEFINIÇÕES “A informação é o conteúdo útil da mensagem (...), ponto de partida, e não um fim em si mesmo”. (FUENTES, 2009, p. 24) “O que diferencia o ato artístico do ato de desenhar é que esse é demandado sempre por uma necessidade de comunicação científica”. (FUENTES, 2009, p. 24)
  • 7. O design é uma atividade projetual de duplo sentido: projeta-se internamente sobre a obra a partir de sistemas semióticos que lhes são próprios e, nessa ação, projeta um tipo de relação social.”
  • 8. I DENTIFICAÇÃO DA NECESSIDADE “Urgências conjunturais, a reestruturação de uma empresa, um evento em especial, um novo plano de marketing, um impulso de imitação, ou até mesmo um capricho, podem ser os desen- cadeadores dessa necessidade de um processo de design, quais são as expectativas, e se elas realmente são compatíveis com o projetado” (FUENTES, 2009, p. 25).
  • 9. I DENTIFICAÇÃO DA NECESSIDADE O que cabe ao processão de identificação? Expectativas do cliente Características técnicas Vínculo com a empresa Briefing/Pauta Contrato comercial
  • 10. I DENTIFICAÇÃO DA NECESSIDADE Algumas palavras faladas por clientes: Bom gosto Moderno Impactante Moda
  • 11. I DENTIFICAÇÃO DA NECESSIDADE Subjetividades que se tornam uma generalização um tanto superficial para definir as reais necessidades de um projeto. Muitas vezes as pessoas com poder de decisão não estão conscientes de sua própria subjetividade. Isso significa que as palavras faladas estavam relacionadas a imagem corporativa e gestão de imagem.
  • 14. Design gráfico é a atividade profissional e a consequente área do conhecimento cujo objeto é a elaboração de projetos para reprodução por meio gráfico de peças expressamente comunicativas. Essas peças – cartazes, páginas de revista, capas de livros e de produtos fonográficos, folhetos etc. – têm como suporte geralmente o papel e como processo de produção a impressão. (VILLAS-BOAS, 2007, p. 30) Segundo Hollis (2010), o design gráfico pode criar ou escolher marcas gráficas combinando em uma superfície qualquer a fim de transmitir uma ideia. D EFINIÇÃO DO PROJETO “Cada marca que o designer faz modifica o mundo de alguma forma. Pode fazer com que a comunicação funcione melhor ou pior. Isto não depende de fatores aleatórios; depende, sem dúvida, do designer, que tanto com orgulho como com humildade profissional entende seu papel claramente; depende do estudante de design desenvolver ao máximo suas habilidades intelectuais e técnicas; e depende também do público em geral e de sua transformação em usuários críticos, mais informados e mais exigentes” (apud FUENTES, 2009, p. 31).
  • 15. A NÁLISE DA NECESSIDADE Momento de análise das: - ações anteriores na área de comunicação; Coleta de informações relacionadas direta ou indiretamente, para evitar a superficialidade.
  • 16. A NÁLISE DA NECESSIDADE - pautas de marketing; Estabelece-se os objetivos da comunicação, o público-alvo ao qual nos dirigimos e os resultados que se deseja alcançar. “se a comunicação a se implementada busca fins que se podem chamar institucionais ou de persuasão” (FUENTES, 2009, p. 33).
  • 17. A NÁLISE DA NECESSIDADE Exemplo notável de síntese expressiva pode-se verificar nestes símbolos rúnicos. Homem, mulher, procriação, gestação, família, amizade, disputa, morte do homem, morte da mulher. (MUNARI, Bruno. O triângulo.)
  • 18. A NÁLISE DA NECESSIDADE - condições orçamentárias e prazos; É bom que sejam acertadas no começo do projeto. Valores e cronograma das atividades. É recomendável ter 30% do valor total orçado para iniciar o projeto.
  • 19. A NÁLISE DA NECESSIDADE - implicações ético-morais; “Todo programa de design, no momento em que passa a integrar um determinado ambiente sociocultural, gera inúmeras reações. Essas reações, dependendo de suas incidências, terão sempre implicações éticas, ambientais, ideológicas e morais” (FUENTES, 2009, p. 36).
  • 20. A NÁLISE DA NECESSIDADE Exemplo: Design de Campanha - Barak Obama 2008 Foi criado pelos designers da Change the thought: Christopher Cox Aaron Ray Matt W. Moore Adam Lorber Kris Fry
  • 21.
  • 22.
  • 23. A NÁLISE DA NECESSIDADE - codificações culturais No processo de design é necessário considerar os fatores culturais, defini-los, estudá-los e para obter códigos adequados para realizar nossa tarefa. Inclusive, é de bom grado ouvir uma segunda ou terceira opinião a respeito.
  • 24. C ONCLUSÕES “Vale lembrar que a profissão do designer baseia-se precisamente em conhecer a fundo os componen- tes estruturais das mensagens e trabalhar com eles. No design nada é casual ou fruto de mágica” (FUENTES, 2009, p. 44).
  • 25. Referências FUENTES, Rodolfo. Prática do design gráfico: uma metodologia criativa. São Paulo: Rosari, 2009. Disponível em: <http://publitica.blogspot.com.br/search/label/Barack%20Obama> Carla Batista Profª Me. em Design
  • 26. Estudo independente Fazer leitura do texto "Design de notícias: uma questão holística" de Marielle Sandalovski Santos e comentar os aspectos mais relevantes para próxima aula.