Geologia 11 rochas sedimentares - meteorização mecânica

749 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Geologia 11 rochas sedimentares - meteorização mecânica

  1. 1. Geologia 11 Meteorização Mecânica
  2. 2. Nuno Correia 2012-13 2
  3. 3. Meteorização mecânicaOs vértices desaparecem, as arestas suavizam-se, e os blocos tornam-se arredondados.A forma mantém-se, porque a energia de ataque fica uniformemente distribuída por toda a superfície. Nuno Correia 2012-13 3
  4. 4. Nuno Correia 2012-13 4
  5. 5. Nuno Correia 2012-13 5
  6. 6. Nuno Correia 2012-13 6
  7. 7. Efeito da temperatura Nuno Correia 2012-13 7
  8. 8. Os minerais sofrem dilatações e contrações sucessivas.Este processo termina com a fratura das rochas que ,comoconsequência, perdem a coerência e sofrem desagregação,facilitando a meteorização química dos fragmentosresultantes. Nuno Correia 2012-13 8
  9. 9. Nuno Correia 2012-13 9
  10. 10. Em torno das rochas sujeitas a importantes variações de temperatura formam-se auréolas decascalhos, que por ação gravítica se depositam nas imediações das rochas. Nuno Correia 2012-13 10
  11. 11. Nuno Correia 2012-13 11
  12. 12. Nuno Correia 2012-13 12
  13. 13. Efeitos do gelo Nuno Correia 2012-13 13
  14. 14. Nuno Correia 2012-13 14
  15. 15. Nuno Correia 2012-13 15
  16. 16. A água que penetra nas fraturas, poros e fendas, por diminuição da temperaturapode congelar. O aumento de volume pode provocar o alargamento (fraturas) e posterior desagregação das rochas Nuno Correia 2012-13 16
  17. 17. HaloclastiaA água que circula nas fraturas e nos interstícios das rochaspossui sais dissolvidos. Os sais podem precipitar e originarcristais.O crescimento destes cristais, no interior de fraturas e dosinterstícios das rochas, provoca o seu alargamento e posteriordesagregação. Nuno Correia 2012-13 17
  18. 18. Nuno Correia 2012-13 18
  19. 19. Nuno Correia 2012-13 19
  20. 20. Ação dos seres vivos Nuno Correia 2012-13 20
  21. 21. O crescimento das raízes de árvores e arbustos, a atividadede certos animais (escavação) e a atividade do homem(pedreiras, minas, construção e poluição), contribuemlargamente para o alargamento de fraturas e para adesagregação das rochas. Nuno Correia 2012-13 21
  22. 22. Nuno Correia 2012-13 22
  23. 23. Ação dos seres vivos - Homem Nuno Correia 2012-13 23
  24. 24. Ação mecânica das ondas Nuno Correia 2012-13 24
  25. 25. O embate das ondas nas costas rochosas e o choque de materiais (calhaus eareias) por elas transportados contribuem para o aumento da fraturação efragmentação das rochas do litoral. Nuno Correia 2012-13 25
  26. 26. Nuno Correia 2012-13 26
  27. 27. O embate das ondas nas costas rochosas e o choque de materiais (calhaus e areias) por elas transportados contribuem para o aumento da fraturação e fragmentação das rochas do litoral. Nuno Correia 2012-13 27
  28. 28. Ação mecânica do vento Nuno Correia 2012-13 28
  29. 29. As correntes fluviais e marítimas, o vento e as torrentesque se formam após uma forte chuvada, transportamdetritos de várias dimensões que, ao chocarem com asrochas, provocam desgaste e fragmentação. Nuno Correia 2012-13 29
  30. 30. Nuno Correia 2012-13 30
  31. 31. Nuno Correia 2012-13 31
  32. 32. Nuno Correia 2012-13 32
  33. 33. Ação mecânica da água e do ventoSerra da Freita Tafoni Nuno Correia 2012-13 33
  34. 34. Nuno Correia 2012-13 34
  35. 35. TafoniNuno Correia 2012-13 35
  36. 36. Tafoni – AlpalhãoNuno Correia 2012-13 36
  37. 37. Descompressão dos maciços rochososNuno Correia 2012-13 37
  38. 38. Nuno Correia 2012-13 38
  39. 39. Nuno Correia 2012-13 39
  40. 40. Nuno Correia 2012-13 40
  41. 41. Nuno Correia 2012-13 41
  42. 42. Disjunção esferoidal Nuno Correia 2012-13 42
  43. 43. Disjunção prismática Nuno Correia 2012-13 43
  44. 44. No caso do magma, o arrefecimento brusco tende a formar juntas com padrões regulares, normalmente prismáticos. Nos basaltos estas diáclases dão origem à formação de disjunção colunar ou prismática, mundialmente conhecidas através de imagens da Calçada dos Gigantes, em Antrim, na Irlanda do Norte, ou na Gruta de Fingal, na Escócia.Nuno Correia 2012-13 44
  45. 45. Portela de Teira (RIO MAIOR).Nuno Correia 2012-13 45

×