ESCOLA BÍBLICA DE OBREIROS
ALMIRANTE TAMANDARÉ

PROFETAS
MENORES

Prof. Ms. Natalino das Neves
www.
natalinodasneves.
blogspot.com.br
Século VIII Século VII a. C. Século VI-V
a.C.
a. C.

Oseias
Amós
Miqueias

Naum
Habacuque
Sofonias

Data
incerta

Joel
Jon...
PROFETAS MENORES DO
SÉCULO VI e V

JOEL, OBADIAS, AGEU,
ZACARIAS E MALAQUIAS
O LIVRO
DO
PROFETA JOEL
Prof. Ms. Natalino das Neves
VERSÍCULOS-CHAVE

1:4; 2:12 ; 2:13; 2:25; 2:28.
CONTEXTO

• O cotidiano é um fenômeno dos profetas
(personagens da vida);
• O livro de Joel se origina de uma
experiência ...
CONTEXTO

• No imaginário dos camponeses a nuvem
de gafanhotos traz imagens impregnadas
de pobreza e calamidades;
• O coti...
PROFETA JOEL

• Não há unanimidade com relação à data da
escrita do livro. Entretanto, a tendência atual
é pela autoria pó...
A PRAGA DE GAFANHOTOS
• 1:3 - Os ouvintes do profeta precisavam
narrar aos seus descendentes o ocorrido;

• 1:4 – “O que f...
ESTÁGIOS
LAGARTA

PULGÃO

LOCUSTA

GAFANHOTO
FOTOS DE GAFANHOTOS
GAFANHOTOS EM AÇÃO
PROFETA JOEL
• O profeta Joel viu apenas uma explicação: era
o julgamento de Deus.
• Afastamento da presença de Deus – cha...
URGÊNCIA DA MENSAGEM – Joel 1
• As atitudes de Joel, poeta por excelência,
também demonstra a urgência por meio do
imperat...
PRAGA DE GAFANHOTOS

VÍDEO 1
ESTRUTURA DO LIVRO
TEXTO
Capítulo 1

Capítulo 2

Capítulo 3

TEMAS
•
•
•
•
•
•
•
•

1-3 – A chamada
4,5 – A advertência
6-...
TRABALHO DE GRUPO:

OS GAFANHOTOS DE JOEL SÃO
DEMÔNIOS?
GAFANHOTOS = DEMÔNIOS?
• Os 1:6 é fundamental para interpretarmos a
praga dos gafanhotos. Ver também Os 2:2.

• Uma profec...
CONSIDERAÇÕES FINAIS
• Contexto de um mundo agrícola – significado da
ameaça dos gafanhotos - extrema violência e
destruiç...
PROFETA OBADIAS
TEMA

Sugestão de tema para o livro:

“DEUS INTERVÉM CONTRA AQUELES QUE

OPRIMEM O SEU POVO”.
PROFETA OBADIAS

• Para situar o livro o leitor deve “trazer à mente
a situação de Judá, a partir de 587 a.C.”.
• É possív...
ESTRUTURA DO LIVRO
TEXTO

TEMAS

Capítulo

Maldição sobre Edom devido ao tratamento dado a
Judá:
• Uma visão e julgamento ...
CONTEXTO
• Na revolta de Judá em 597 a.C., após a
rendição
à
Nabucodonozor,
este
foi
condescendente.
• Entretanto, quando ...
CONTEXTO
• Os edomitas comemoraram as derrotas
de Judá, chegando a prestar ajuda aos
saqueadores.
• Eles detinham judeus q...
Uma visão e julgamento (1:1-7)
• Visão de Obadias: designa que trata de mensagem
profética (Is 1:1, Na 1:1, entre outros.
...
Uma visão e julgamento (1:1-7)

• Excesso de confiança: “Quem é que pode me
derrubar?” (Ver 2Sm 5:5-7).
• Figuras
de
ladrõ...
A violência traz consigo a desgraça
(1:8-11)
• Os implicados na ação direta de 1:8-10: sábios e os
guerreiros.

• Os edomi...
A sentença da felicidade de Edom com
a desgraça de Judá (1:12-14)
• Edom havia-se aliado a outras nações a fim de
despojar...
A condenação das nações e
principalmente de Edom (15-16)
• O verso 15 faz referência a “todas as nações” que
fizeram mal a...
Promessa de restauração futura para
Judá (17-21)
• O ódio e a sede pela vingança, a incapacidade para
esquecer antigos err...
CONSIDERAÇÕES FINAIS

• O livro de Obadias condena as atitudes de traição,
orgulho e materialismo.
• Demonstra como o ódio...
PROFETA AGEU
PROFETA AGEU
• Ageu significa 'festivo" ou "minha festa". É
provável que o profeta tenha nascido num
dia de festa – parale...
PROFETA AGEU

• Eles começaram com dedicação e firmeza,
entretanto com o tempo a priorização
passou a ser seus próprios in...
PROFETA AGEU

• Após 14 anos de abandono da reconstrução
do templo, Deus mandou seca e má colheita.
• Em seguida Deus envi...
PROFETA AGEU

• Ageu influencia, por meu de seus oráculos, o
povo
para
que
se
reanimassem
e
completassem a tarefa da const...
ESTRUTURA DO LIVRO
TEXTO

Capítulo 1

Capítulo 2

Capítulo 3

TEMAS
A primeira mensagem do Senhor:
• Aplicai o vosso coraç...
CONSIDERAÇÕES FINAIS

• A priorização dos interesses pessoais em detrimento
da obra de Deus conduz as pessoas ao indiferen...
PROFETA ZACARIAS
XII – PROFETA ZACARIAS
• O ministério de Zacarias começou no mesmo
ano de Ageu, porém dois meses após Ageu
haver completad...
PROFETA ZACARIAS
• Zacarias significa "O Senhor lembra".
• Como Ageu foi chamado para despertar os
judeus a retomarem a ta...
PROFETA ZACARIAS
• Considerado por alguns teólogos, como um
dos mais messiânicos de todos os profetas
do AT.

• Ele profet...
PROFETA ZACARIAS
• Ele dá um expressivo testemunho sobre:
1. A traição de Cristo por trinta moedas de prata (
11.12-13),
2...
ESTRUTURA DO LIVRO
TEXTO
Zc 1:1-6

Zc 1:7-6:15

TEMAS
O chamado ao arrependimento

As oito visões:
1. O homem e os cavalos...
CONSIDERAÇÕES FINAIS

• A atuação de Zacarias serve para complementar ao de
seu contemporâneo, Ageu.
• Característica pecu...
PROFETA MALAQUIAS
PROFETA MALAQUIAS
• Malaquias não é mencionado em mais
nenhum lugar na Bíblia, entretanto o
conteúdo demonstra que o autor...
PROFETA MALAQUIAS
• Fala com autoridade contra os líderes
religiosos do povo (sacerdotes) que não
eram exemplos de fidelid...
PROFETA MALAQUIAS

• Malaquias é o profeta que anuncia a vinda
do Messias e do seu precursor, Elias (João
Batista).
• Prof...
ESTRUTURA DO LIVRO
TEXTO
Ml 1:1
Ml 1:2-5
Ml 1:6-2:9
Ml 2:10-16
Ml 2:17-3:5
Ml 3:6-12
Ml 3:13-4:3
Ml 4:4-6

TEMAS
Título do...
CONSIDERAÇÕES FINAIS

• Malaquias direciona a mensagem de advertência para
os sacerdotes.
• Após mudança de atitude concla...
DATA INCERTA

JONAS
O LIVRO
DO
PROFETA JONAS

Prof. Ms. Natalino das Neves
PROPÓSITO

“Mostrar a extensão da graça de Deus – a

mensagem da salvação é para toda a
humanidade”

(Bíblia de Estudo Apl...
VI – PROFETA JONAS

• Um dos personagens mais conhecidos do
Antigo Testamento.
• O livro de Jonas é considerado profético
...
VI – PROFETA JONAS

• Enquanto os profetas ameaçam as nações
pagãs,
o
livro
de
Jonas
relata
o
arrependimento dos ninivitas...
ESTRUTURA DO LIVRO
TEXTO

Capítulo 1

Capítulo 2

Capítulo 3

Capítulo 4

TEMAS
• A fuga de Jonas (1:1-3)
• A confissão de...
VI – PROFETA JONAS

• Uma das polêmicas do livro é sobre as
possíveis formas de interpretações do livro:
•

Histórica;

•
...
PRINCIPAIS LIÇÕES

• Deus é O governante universal, tem o domínio
sobre todas as pessoas e nações;
• Deus O juiz universal...
PRINCIPAIS LIÇÕES
• O exclusivismo não é aprovado por Deus.

• Devemos nos preocupar mais com a pregação
do evangelho do q...
PRINCIPAIS LIÇÕES

• A obediência deve ser exercida mesmo quanto
não gostamos da ação solicitada por Deus. Na
obediência h...
CONSIDERAÇÕES FINAIS
DA DISCIPLINA
PROFETAS MENORES
CONSIDERAÇÕES FINAIS

• O estudo dos livros dos profetas é fascinante,
independente do tamanho do livro a ser
estudado.
• ...
CONSIDERAÇÕES FINAIS

• A mensagem dos profetas um incentivo para
uma vida que se promova o respeito ao ser
humano indepen...
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
BAKER, David W.; ALEXANDER, T. Desmond; STURZ,
Richard J. Obadias, Jonas, Miquéias, Naum, Habac...
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
RENDTORFF, Rolf. Antigo Testamento: uma introdução.
Santo André-SP: Academia Cristã, 2009.
ROSS...
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
SHREINER, J. Palavra e mensagem
Testamento. São Paulo: Teológica, 2004.

do

Antigo

SICRE, Jos...
CONTATOS:
www.natalinodasneves.blogspot.com.br

natalino6612@gmail.com
natalino.neves@ig.com.br
(41) 8409 8094 / 3076 3589
ANEXOS
JONAS
DIVERSIDADE DE INTERPRETAÇÕES
DIVERSIDADE DE INTERPRETAÇÕES
ABORDAGEM HISTÓRICA:
• Defende que o livro seja um relato histórico da
vida de Jonas, como p...
DIVERSIDADE DE INTERPRETAÇÕES
INTERPRETAÇÃO ALEGÓRICA:
• O livro é tratado como uma alegoria, uma história
simbólica das e...
DIVERSIDADE DE INTERPRETAÇÕES

INTERPRETAÇÃO PARABÓLICA:
• Sentido simbólico do nome Jonas relacionado à Os
11:11 (exilado...
DIVERSIDADE DE INTERPRETAÇÕES

INTERPRETAÇÃO MITOLÓGICA:

• Baseada em estória mitológica da antiguidade,
que fala da luta...
DIVERSIDADE DE INTERPRETAÇÕES

NOVELA HISTÓRICA:
• Como forma de contestar os ensinos de Esdras
(Ed 9-10) e Neemias (Ne 13...
DIVERSIDADE DE INTERPRETAÇÕES
NOVELA HISTÓRICA:

• Justificativas:
• Preserva o aspecto histórico a respeito de Jonas;
• M...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Profetas menores - parte 3 natalino das neves

2.335 visualizações

Publicada em

Aula ministrada pelo Ev. Natalino das Neves
Na 6ª Escola Bíblica de Obreiros da Igreja Evangélica Assembleia de Deus de Almirante Tamandaré, presidida pelo Pr. Samuel Moreira - 29 a 31 de janeiro de 2014.

Veja também as partes 1 e 2 também, para concluir os estudos.

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Profetas menores - parte 3 natalino das neves

  1. 1. ESCOLA BÍBLICA DE OBREIROS ALMIRANTE TAMANDARÉ PROFETAS MENORES Prof. Ms. Natalino das Neves
  2. 2. www. natalinodasneves. blogspot.com.br
  3. 3. Século VIII Século VII a. C. Século VI-V a.C. a. C. Oseias Amós Miqueias Naum Habacuque Sofonias Data incerta Joel Jonas Obadias Ageu Zacarias Malaquias Fonte: ZUCK, Roy B. Teologia do Antigo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2009, p. 429430).
  4. 4. PROFETAS MENORES DO SÉCULO VI e V JOEL, OBADIAS, AGEU, ZACARIAS E MALAQUIAS
  5. 5. O LIVRO DO PROFETA JOEL Prof. Ms. Natalino das Neves
  6. 6. VERSÍCULOS-CHAVE 1:4; 2:12 ; 2:13; 2:25; 2:28.
  7. 7. CONTEXTO • O cotidiano é um fenômeno dos profetas (personagens da vida); • O livro de Joel se origina de uma experiência do cotidiano (uma praga de gafanhotos); • Mundo agrícola – época de Joel - ameaça dos gafanhotos tem contornos e imagens de extrema violência e destruição;
  8. 8. CONTEXTO • No imaginário dos camponeses a nuvem de gafanhotos traz imagens impregnadas de pobreza e calamidades; • O cotidiano está ameaçado e gera crise no meio do povo; • Sem presente não há futuro. Sem campo não há sobrevivência;
  9. 9. PROFETA JOEL • Não há unanimidade com relação à data da escrita do livro. Entretanto, a tendência atual é pela autoria pós-exílica; • Pouco se sabe a respeito de Joel. • Provavelmente era morador de Jerusalém, pois seu destinatário era o povo de Judá. • O cotidiano é um fenômeno dos profetas (personagens da vida).
  10. 10. A PRAGA DE GAFANHOTOS • 1:3 - Os ouvintes do profeta precisavam narrar aos seus descendentes o ocorrido; • 1:4 – “O que ficou da lagarta, o gafanhoto o comeu, e o que ficou do gafanhoto, a locusta o comeu, e o que ficou da locusta, o pulgão o comeu.”
  11. 11. ESTÁGIOS LAGARTA PULGÃO LOCUSTA GAFANHOTO
  12. 12. FOTOS DE GAFANHOTOS
  13. 13. GAFANHOTOS EM AÇÃO
  14. 14. PROFETA JOEL • O profeta Joel viu apenas uma explicação: era o julgamento de Deus. • Afastamento da presença de Deus – chamada ao arrependimento e a restauração. • A região da palestina foi gafanhotos em 1915 e 1928. atacada por • Apesar do desenvolvimento tecnológico e dos poderosos pesticidas, invasões de gafanhotos continuam a ocorrer pelo mundo.
  15. 15. URGÊNCIA DA MENSAGEM – Joel 1 • As atitudes de Joel, poeta por excelência, também demonstra a urgência por meio do imperativos utilizados: • Ouçam, prestem atenção, contem (v. 2 e 3) • Acordem, chorem, gemam (v. 5-7) • Fiquem tristes (v. 8-12) • Vistam-se, venham (v. 13) • Proclamem, convoquem, reúnam, gritem (v. 1418)
  16. 16. PRAGA DE GAFANHOTOS VÍDEO 1
  17. 17. ESTRUTURA DO LIVRO TEXTO Capítulo 1 Capítulo 2 Capítulo 3 TEMAS • • • • • • • • 1-3 – A chamada 4,5 – A advertência 6-12 – A assolação 13-20 – A lamentação 1-11 – A invasão 12-17 – Chamada ao perdão; 18-27 – A promessa 28-32 – A efusão do Espírito • 1-17 – A visão do Juízo final; • 18-21 – A visão da Salvação dos remidos
  18. 18. TRABALHO DE GRUPO: OS GAFANHOTOS DE JOEL SÃO DEMÔNIOS?
  19. 19. GAFANHOTOS = DEMÔNIOS? • Os 1:6 é fundamental para interpretarmos a praga dos gafanhotos. Ver também Os 2:2. • Uma profecia de alerta que anuncia uma guerra iminente desencadeada por invasão inimiga. • É apresenta uma característica peculiar à nação que subiu contra o seu povo: “Os seus dentes são dentes de leão, e têm queixadas de um leão velho”. • Ele não faz um comparativo entre a nação e ‘os dentes de leão’, antes diz que os dentes da nação são dentes de leão. Babilônia?
  20. 20. CONSIDERAÇÕES FINAIS • Contexto de um mundo agrícola – significado da ameaça dos gafanhotos - extrema violência e destruição. • Três coisas essenciais da nação foram destruídas: trigo (sustento), mosto (alegria) e azeite (culto). • Joel usa a calamidade para conduzir o povo à conversão. ensinar, visando • Joel parte doe uma calamidade, prevê catástrofe maior. • Num momento de angústia, dá um salto do presente para o futuro, anunciando o projeto principal de Deus para com seu povo.
  21. 21. PROFETA OBADIAS
  22. 22. TEMA Sugestão de tema para o livro: “DEUS INTERVÉM CONTRA AQUELES QUE OPRIMEM O SEU POVO”.
  23. 23. PROFETA OBADIAS • Para situar o livro o leitor deve “trazer à mente a situação de Judá, a partir de 587 a.C.”. • É possível perceber um forte desejo de retribuição, guardado em cada linha do texto, como fruto dessa situação”.
  24. 24. ESTRUTURA DO LIVRO TEXTO TEMAS Capítulo Maldição sobre Edom devido ao tratamento dado a Judá: • Uma visão e julgamento (1-7) • A violência traz consigo a desgraça (8-10) • A sentença da felicidade de Edom com a desgraça de Judá (12-14) 1:1-14 Capítulo 1:15-21 A destruição de Edom e a restauração final de Jerusalém: • A condenação das nações e principalmente de Edom (15-16) • Promessa de restauração futura para Judá (17-21)
  25. 25. CONTEXTO • Na revolta de Judá em 597 a.C., após a rendição à Nabucodonozor, este foi condescendente. • Entretanto, quando a revolta se repetiu em 587 a.C., não houve condescendência: • Muros foram destruídos; • Templo, palácio real e os principais residenciais foram incendiados; • Soldados tiveram permissão para saquear a cidade. (ver 2 Rs 25:8-27). bairros
  26. 26. CONTEXTO • Os edomitas comemoraram as derrotas de Judá, chegando a prestar ajuda aos saqueadores. • Eles detinham judeus que fugiam maltratavam, ou mesmo vendiam escravos. • Todavia, Obadias os adverte para comemorar, pois Deus agiria com justiça: e os como não • A nação de Judá seria restaurada e a nação de Edom seria aniquilada. • Expectativa da justa retribuição associada ao “Dia de Iahweh” (v. 15).
  27. 27. Uma visão e julgamento (1:1-7) • Visão de Obadias: designa que trata de mensagem profética (Is 1:1, Na 1:1, entre outros. • A visão estabelece o alvo: Edom, que não teve solidariedade com o povo irmão. • A pior violência é a que ocorre entre irmãos, entre os pequenos e oprimidos. • Edom se achava intocável devido sua localização geográfica (zona montanhosa e cortada por vales estreitos e profundos) – (v. 2-4).
  28. 28. Uma visão e julgamento (1:1-7) • Excesso de confiança: “Quem é que pode me derrubar?” (Ver 2Sm 5:5-7). • Figuras de ladrões/assaltantes (sem tempo, quantidade limitada) e vindimadores (Lv 19:9ss orientava deixar cachos para os pobres) – (1:5-7). • Contraste: em Edom a destruição será completa.
  29. 29. A violência traz consigo a desgraça (1:8-11) • Os implicados na ação direta de 1:8-10: sábios e os guerreiros. • Os edomitas eram reconhecidos como sábios. • “Sabedoria e coragem militar não são utilizadas para a construção da solidariedade entre os pequenos. [...[ É nos conselhos dos grandes que se acha a destruição dos pequenos!” (Rossi, 2006, p. 21). • A violência e o morticínio são as causas da derrota perpétua de Edom. • Edom não socorreu os fugitivos de Judá, pelo contrário, denunciou-os e participaram das partilhas de seus bens e das pessoas aprisionadas.
  30. 30. A sentença da felicidade de Edom com a desgraça de Judá (1:12-14) • Edom havia-se aliado a outras nações a fim de despojar Judá e os versos 12 a 14 apresenta o que alguns teólogos chamam de “teologia do não” para demonstrar que os edomitas não tinham o que comemorar (ver também Ec 7-9 e Pv 24:17). • É no tempo da calamidade e da desgraça que se manifesta o momento ideal para o exercício da compaixão e da solidariedade. • Os edomitas ficavam escondidos nas esquinas e encruzilhada para aprisionar os fugitivos do cerco babilônico.
  31. 31. A condenação das nações e principalmente de Edom (15-16) • O verso 15 faz referência a “todas as nações” que fizeram mal a Judá, depois afunila até Edom, o alvo principal para a vingança. • O profeta Jeremias escreveu aos exilados estimulando-os a ficar na terra, construir e ter filhos. Entretanto, após o cativeiro existia entre os Judeus um ódio grande pelos babilônicos e uma crença de que rapidamente Deus os livraria (ROSSI, 2006, p. 26).
  32. 32. Promessa de restauração futura para Judá (17-21) • O ódio e a sede pela vingança, a incapacidade para esquecer antigos erros (Edom/Judá), corrói as pessoas por dentro. • A vitória do “fogo” (Jacó=Judá) e da “labareda” (José/Israel) sobre a “palha” (Edom) – v 17-18. • Esperança e restauração após a calamidade
  33. 33. CONSIDERAÇÕES FINAIS • O livro de Obadias condena as atitudes de traição, orgulho e materialismo. • Demonstra como o ódio e a incapacidade para perdoar erros passados podem conduzir a desgraças coletivas ou pessoais. • Deus está atento ao sofrimento dos justos.
  34. 34. PROFETA AGEU
  35. 35. PROFETA AGEU • Ageu significa 'festivo" ou "minha festa". É provável que o profeta tenha nascido num dia de festa – paralelo com sua missão. • A tradição judaica sustenta que ele nasceu em Babilônia, e que estudou sobre orientação de Ezequiel, retornando para Jerusalém com o primeiro grupo de exilados em 537 a.C. • Ageu foi contemporâneo de Zacarias, seu ministério cobriu um período de um pouco menos de quatro meses, durante o segundo reinado do rei Dario (Pérsia 522 a 486 a.C).
  36. 36. PROFETA AGEU • Eles começaram com dedicação e firmeza, entretanto com o tempo a priorização passou a ser seus próprios interesses e passaram a negligenciar a vontade de Deus para a coletividade. • A construção acaba sendo abandonada, enquanto os inimigos zombavam dos esforços dos construtores. • A obra ficou parada por 16 anos (1:4).
  37. 37. PROFETA AGEU • Após 14 anos de abandono da reconstrução do templo, Deus mandou seca e má colheita. • Em seguida Deus envia Ageu e Zacarias para mostrar ao povo a causa do problema econômico. • Líderes da época: Zorobabel, governador de Judá – filho de Salatiel - e a Josué, o sumo sacerdote – filho de Jozadaque.
  38. 38. PROFETA AGEU • Ageu influencia, por meu de seus oráculos, o povo para que se reanimassem e completassem a tarefa da construção em cinco anos. • O templo reconstruído foi dedicado em 515 a.C. • Data da escrita - segundo ano do rei Dario Histaspes (521-486), rei da Pérsia.
  39. 39. ESTRUTURA DO LIVRO TEXTO Capítulo 1 Capítulo 2 Capítulo 3 TEMAS A primeira mensagem do Senhor: • Aplicai o vosso coração aos vossos caminhos (1.1-15) • Considerai o que tendes feito: negligenciastes a Casa de Deus (1.16) • Considerai o que devíeis fazer: edificar a Casa de Deus (1.7-11) • Os resultados de considerar vossos caminhos (1.12-15) A segunda mensagem do Senhor: • Esforçai-vos e trabalhai (2.1-9) • A comparação do novo Templo com o templo de Salomão (2.1-3) • Chamado para esforçar (2.4-5) • A glória vindoura do novo templo (2.6-9) A terceira mensagem do Senhor: • Eu vos abençoarei (2.10-23) • Um pergunta aos sacerdotes (2.10-19) • Uma promessa para Zorobabel (2.20-23)
  40. 40. CONSIDERAÇÕES FINAIS • A priorização dos interesses pessoais em detrimento da obra de Deus conduz as pessoas ao indiferentismo. • O projeta Ageu obtém êxito em sua mensagem, reanimando o povo a se envolver na obra de Deus. • O templo, que era tão importante para aquele povo é reconstruído.
  41. 41. PROFETA ZACARIAS
  42. 42. XII – PROFETA ZACARIAS • O ministério de Zacarias começou no mesmo ano de Ageu, porém dois meses após Ageu haver completado sua profecia. • A visão dos primeiros capítulos foi dada, aparentemente, enquanto o profeta ainda era um jovem (Zc 2:4). • Os capítulos sete e oito ocorrem dois anos mais tarde. • Referência para defesa da datação: referência à Grécia em Zc 9:13 (Zc 9-14). a
  43. 43. PROFETA ZACARIAS • Zacarias significa "O Senhor lembra". • Como Ageu foi chamado para despertar os judeus a retomarem a tarefa de reconstruir o templo (ver detalhes - Esdras 6). • Zacarias era filho de Baraquias, filhos de Ido, ele era de umas das famílias sacerdotais da tribo de Levi. • Zacarias é o único profeta identificado como sacerdote. menor
  44. 44. PROFETA ZACARIAS • Considerado por alguns teólogos, como um dos mais messiânicos de todos os profetas do AT. • Ele profetizou que o Messias virá: 1. Como o Servo do Senhor, o Renovo (3.8), 2. Como o homem cujo nome é Renovo (6.12); 3. Tanto como Rei como sacerdote 96;13), e 4. Como o verdadeiro Pastor (11.4-11).
  45. 45. PROFETA ZACARIAS • Ele dá um expressivo testemunho sobre: 1. A traição de Cristo por trinta moedas de prata ( 11.12-13), 2. sua crucifixão (12.10), 3. seus sofrimentos (13.7) e 4. sua segunda vinda (14.4). • No apocalipse, com exceção de Zacarias é o profeta mais citado. Ezequiel,
  46. 46. ESTRUTURA DO LIVRO TEXTO Zc 1:1-6 Zc 1:7-6:15 TEMAS O chamado ao arrependimento As oito visões: 1. O homem e os cavalos 1:7-17 2. Os quatro chifres e o ferreiro 1:18-21 3. O homem com um cordel de medir 2:1-13 4. O sumo sacerdote 3:1-10 5. O castiçal e o vaso de Azeite 4:1-14 6. O rolo voante 5:1-4 7. A mulher no meio do efa 5:5-11 8. Os quatro carros 6:1-8 Zc 6:9-15 A coroação do sumo sacerdote Zc 7:1-14 Ritual religioso e o arrependimento verdadeiro Zc 8:1-23 A restauração de Sião Zc 9:1-14:21 O triunfo de Sião: • A primeira profecia: O Messias rejeitado 9:1-11:17 • A Segunda profecia: O Messias Reina 12:1-14:21
  47. 47. CONSIDERAÇÕES FINAIS • A atuação de Zacarias serve para complementar ao de seu contemporâneo, Ageu. • Característica peculiar: referência messiânica. • Ageu e Zacarias foram chamado para despertar os judeus que retornaram, para completar a tarefa de reconstruir o templo (ver Ed 6.14). • Na versão Septuaginta (muitos salmos são atribuídos a Zacarias e a Ageu).
  48. 48. PROFETA MALAQUIAS
  49. 49. PROFETA MALAQUIAS • Malaquias não é mencionado em mais nenhum lugar na Bíblia, entretanto o conteúdo demonstra que o autor era nacionalista e defensor das cerimônias que eram realizadas no templo. • Ele foi contemporâneo de Neemias (palavras persas e referência ao templo reconstruído). • Em sua mensagem explica com detalhes o pecado do povo e adverte sobre o justo julgamento de Deus.
  50. 50. PROFETA MALAQUIAS • Fala com autoridade contra os líderes religiosos do povo (sacerdotes) que não eram exemplos de fidelidade e influenciavam negativamente o povo, induzindo-o ao pecado. • Adverte aos sacerdotes, que sem arrependimento e mudança de atitude seriam julgados e condenados pelo Justo Juiz. • Critica o não pagamento dos dízimos (ver contexto de Neemias 10).
  51. 51. PROFETA MALAQUIAS • Malaquias é o profeta que anuncia a vinda do Messias e do seu precursor, Elias (João Batista). • Profecia ideal para encerrar o AT e fazer a interação às boas novas do NT.
  52. 52. ESTRUTURA DO LIVRO TEXTO Ml 1:1 Ml 1:2-5 Ml 1:6-2:9 Ml 2:10-16 Ml 2:17-3:5 Ml 3:6-12 Ml 3:13-4:3 Ml 4:4-6 TEMAS Título do livro O amor imutável de Deus por Israel O fracasso dos sacerdotes A infidelidade do povo O dia do Julgamento A benção advinda da doação A justiça no julgamento de Deus para o ímpio e para o injusto Exortações e promessas
  53. 53. CONSIDERAÇÕES FINAIS • Malaquias direciona a mensagem de advertência para os sacerdotes. • Após mudança de atitude conclama o povo para retomar a prática de devolução do dízimo. • Profeta que anuncia a vinda do precursor do Messias.
  54. 54. DATA INCERTA JONAS
  55. 55. O LIVRO DO PROFETA JONAS Prof. Ms. Natalino das Neves
  56. 56. PROPÓSITO “Mostrar a extensão da graça de Deus – a mensagem da salvação é para toda a humanidade” (Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal).
  57. 57. VI – PROFETA JONAS • Um dos personagens mais conhecidos do Antigo Testamento. • O livro de Jonas é considerado profético unicamente porque em 2 Rs 14:25 se menciona um profeta com o mesmo nome. • Poucas palavras para identificá-lo como profeta: “Dentro de quarenta dias Nínive será destruída”.
  58. 58. VI – PROFETA JONAS • Enquanto os profetas ameaçam as nações pagãs, o livro de Jonas relata o arrependimento dos ninivitas, um dos povos mais odiados por Israel. • Diferente dos demais profetas que geralmente estão bem envolvidos na situação políticosocial; Jonas parece “desligado”.
  59. 59. ESTRUTURA DO LIVRO TEXTO Capítulo 1 Capítulo 2 Capítulo 3 Capítulo 4 TEMAS • A fuga de Jonas (1:1-3) • A confissão de Jonas (1:8-12) • Jonas engolido pelo grande peixe (1:13-17) • A oração de Jonas • Jonas em Nínive (3:1-4) • Os ninivitas se arrependem (3:5-9) • A cidade de Nínive é poupada (3:10) • A indignação de Jonas (4:1-4) • A história da trepadeira/aboboreira (4:6-10) • O amor de Deus é universal (4:11)
  60. 60. VI – PROFETA JONAS • Uma das polêmicas do livro é sobre as possíveis formas de interpretações do livro: • Histórica; • Alegórica; • Parabólica; • Mitológica. • Entre outras. Obs.: Ver detalhas nos anexos.
  61. 61. PRINCIPAIS LIÇÕES • Deus é O governante universal, tem o domínio sobre todas as pessoas e nações; • Deus O juiz universal e todas as pessoas têm que prestar contas a Ele (3:4). • Deus é O Salvador universal e concede misericórdia a quem quiser e não precisa prestar contas a ninguém (4:10,11);
  62. 62. PRINCIPAIS LIÇÕES • O exclusivismo não é aprovado por Deus. • Devemos nos preocupar mais com a pregação do evangelho do que com nossos próprios interesses e desejos. • A obediência deve ser exercida mesmo quanto não gostamos da ação solicitada por Deus. Precisamos conhecer a Deus tanto na teoria como na prática. Jonas mesmo com a correção de Deus (peixe), continuou duro de coração.
  63. 63. PRINCIPAIS LIÇÕES • A obediência deve ser exercida mesmo quanto não gostamos da ação solicitada por Deus. Na obediência há segurança; • Precisamos conhecer a Deus tanto na teoria como na prática. Jonas mesmo com a correção de Deus (peixe), continuou duro de coração.
  64. 64. CONSIDERAÇÕES FINAIS DA DISCIPLINA PROFETAS MENORES
  65. 65. CONSIDERAÇÕES FINAIS • O estudo dos livros dos profetas é fascinante, independente do tamanho do livro a ser estudado. • Os profetas bíblicos foram pessoas que viveram suas mensagens e propagaram a fidelidade à Palavra de Deus e uma vida pauta na justiça de Deus.
  66. 66. CONSIDERAÇÕES FINAIS • A mensagem dos profetas um incentivo para uma vida que se promova o respeito ao ser humano independente da nacionalidade, credo, status social, entre outros. • Por isso, Jesus é considerado o maior de todos os profetas, pois viveu uma vida de promoção da justiça de Deus e deu sua vida para sermos justificados diante de Deus, mesmo que não fossemos merecedores.
  67. 67. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BAKER, David W.; ALEXANDER, T. Desmond; STURZ, Richard J. Obadias, Jonas, Miquéias, Naum, Habacuque e Sofonias: introdução e comentário. São Paulo: Vida Nova, 2008. BALANCIN, Euclides M.; STORNIOLO, Ivo. Como ler o livro de Sofonias. 3ª Edição. São Paulo: Paulus, 2011. CROATTO, J. S. Isaías. Vol I: 1-39. O profeta da justiça e da fidelidade. Petrópolis: Vozes, 1989. FEINBERG, Charles L. Os profetas menores. São Paulo: Vida, 1988. LIVERANI, M. Para além da Bíblia: História antiga de Israel. São Paulo: Loyola/Paulus, 2008.
  68. 68. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS RENDTORFF, Rolf. Antigo Testamento: uma introdução. Santo André-SP: Academia Cristã, 2009. ROSSI, Luiz Alexandre Solano. Como ler o livro de Abdias. 2ª Edição. São Paulo: Paulus, 2006. ROSSI, Luiz Alexandre Solano. Como ler o livro de Naum. 2ª Edição. São Paulo: Paulus, 2007. SCHOKEL, Alonso Luís; SICRE. José Luís. Os profetas. São Paulo: Paulus, 2004. SCHWANTES, M. A terra não pode suportar suas palavras (Am 7,10): reflexão e estudo sobre Amós. São Paulo: Paulinas, 2004.
  69. 69. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS SHREINER, J. Palavra e mensagem Testamento. São Paulo: Teológica, 2004. do Antigo SICRE, José Luís. Profetismo em Israel. 3ª Edição. Petrópolis: Vozes, 2008. SILVA, Airton José. A voz necessária: encontro com os profetas do século VIII a.C. São Paulo: Paulus, 1998. ZABATIERO, Júlio Paulo Tavares. Miquéias: voz dos semterra. Petrópolis-RJ: Vozes, 1996. ZENGER, E. et al. Introdução ao Antigo Testamento. São Paulo: Loyola, 2003.
  70. 70. CONTATOS: www.natalinodasneves.blogspot.com.br natalino6612@gmail.com natalino.neves@ig.com.br (41) 8409 8094 / 3076 3589
  71. 71. ANEXOS
  72. 72. JONAS DIVERSIDADE DE INTERPRETAÇÕES
  73. 73. DIVERSIDADE DE INTERPRETAÇÕES ABORDAGEM HISTÓRICA: • Defende que o livro seja um relato histórico da vida de Jonas, como personagem literal; • Dentre as justificativas para essa abordagem se destaca: • Citação de um profeta chamado Jonas em 2 Rs 14:25; • Jesus cita Jonas como sinal de sua ressurreição (Mt 12:39-42; 16:4; Lc 11:29-32).
  74. 74. DIVERSIDADE DE INTERPRETAÇÕES INTERPRETAÇÃO ALEGÓRICA: • O livro é tratado como uma alegoria, uma história simbólica das experiências de Israel, sendo Jonas um símbolo da missão salvadora de Israel em relação ao mundo gentílico (Ex 19:5-6); • O exílio babilônico = grande peixe; • A volta do exílio = vomito de Jonas pelo peixe; • Jonas de volta à terra seca = segunda chance para Israel; • Justificativa da simbologia do peixe com base em Jr 51:34;44-45;
  75. 75. DIVERSIDADE DE INTERPRETAÇÕES INTERPRETAÇÃO PARABÓLICA: • Sentido simbólico do nome Jonas relacionado à Os 11:11 (exilados voltando sob a figura de uma pomba); • A história seria uma espécie de parábola, baseada ou não em uma experiência de Jonas; • Semelhante às parábolas citadas por Jesus, criadas para ensinar uma lição principal.
  76. 76. DIVERSIDADE DE INTERPRETAÇÕES INTERPRETAÇÃO MITOLÓGICA: • Baseada em estória mitológica da antiguidade, que fala da luta entre o ser humano e aspectos da natureza personificados como seres divinos. • Havia nesta linguagem um monstro marinho, o Leviatã, vestígios deste espelhados em trechos como Jó 41.1 e Isaías 27.1, o qual representa uma força hostil.
  77. 77. DIVERSIDADE DE INTERPRETAÇÕES NOVELA HISTÓRICA: • Como forma de contestar os ensinos de Esdras (Ed 9-10) e Neemias (Ne 13:23-31); • Composição por um profeta no século V a.C., com base de autênticos registros a respeito do profeta anterior chamado Jonas; • Objetivo: conscientizar Israel que sua missão é universalista; e não exclusivista.
  78. 78. DIVERSIDADE DE INTERPRETAÇÕES NOVELA HISTÓRICA: • Justificativas: • Preserva o aspecto histórico a respeito de Jonas; • Mantém o conceito da inspiração (livro do profeta); • Aplicação missionária para os judeus de qualquer época; • Narração na 3ª pessoa = distanciamento entre o autor e o evento ocorrido no passado.

×