Evento uel7 11

281 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Evento uel7 11

  1. 1. Mary Grace P. Andrioli maryg@usp.br Orientadora: Profa. Dra. Rosangela Gavioli Prieto
  2. 2. Objetivo: discutir o acesso às tecnologias pelos alunos com deficiência, possibilitado por meio de tecnologia assistiva e da articulação entre saberes e práticas de profissionais de diferentes áreas dentro da educação. A análise é feita a partir de uma pesquisa realizada em um município paulista, que investigou as condições de acessibilidade às tecnologias de informação e comunicação oferecidas aos alunos com deficiência visual e física, como forma de garantir seu acesso e participação nas atividades curriculares no ensino regular.
  3. 3. Tecnologia assistiva É uma área do conhecimento, de característica interdisciplinar, que engloba produtos, recursos, metodologias, estratégias, práticas e serviços que objetivam promover a funcionalidade, relacionada à atividade e participação, de pessoas com deficiência, incapacidades ou mobilidade reduzida, visando sua autonomia, independência, qualidade de vida e inclusão social (CORDE, SEDH, 2007)
  4. 4. Adaptações físicas ou órteses Pulseira de pesos para facilitar o acesso ao teclado é uma adaptação física para que o aluno possa utilizar o teclado, por meio de uma outra adaptação também que é a colméia. Fonte: Tecnologia Assistiva nas escolas (GALVÃO FILHO E DAMASCENO, 2008, p. 30)
  5. 5. Adaptações de hardware Máscara de teclado com poucas teclas expostas Fonte: Tecnologia Assistiva nas escolas (GALVÃO FILHO E DAMASCENO, 2008, p. 30)
  6. 6. Softwares de acessibilidade Opções de acessibilidade do Windows 7 e Windows Vista Fonte: reprodução de tela do Windows Software gratutito HeadDev da Vodafone para interação com o computador por meio de movimentos da cabeça por meio de uma Webcam Fonte: Vodafone
  7. 7.  Relevância das TIC no contexto educacional em geral e especialmente no caso dos alunos com deficiência  Para alguns as TIC podem ser a única forma de acesso ao currículo e participação nas atividades escolares.  Inclusão escolar - benéfica a todos os alunos e a sociedade em geral
  8. 8. Importância das TIC Na atual “era da informação”, as TIC têm fundamental importância a “qualquer sujeito” (SONZA & SANTAROSA, 2004, p. 14), por isso não cabe mais discutir se as escolas devem ou não desenvolver projetos utilizando essas tecnologias com os alunos, mas sim prover formas para que os alunos possam beneficiar-se cada vez mais desses recursos e usufruir de melhores condições aprendizagem.
  9. 9. Aspectos norteadores      Acessibilidade às TIC podem ser parte do conjunto de serviços e estratégias oferecidos pela educação especial Necessidade de diagnóstico das necessidades dos alunos, e avaliação permanente, considerando-se: colaboração entre profissionais das diferentes áreas que atendem alunos com deficiência As TIC devem ser utilizadas com todos os alunos como mais uma estratégia para promover a aprendizagem e o desenvolvimento das potencialidades dos educandos. O uso das TIC não deve se pautar em estratégias exclusivamente focadas na reabilitação, mas sim no desenvolvimento das atividades curriculares, autonomia dos alunos, participação e desenvolvimento cognitivo e social; É preciso reconhecer a oferta de recursos e serviços de acessibilidade como forma de equiparação de oportunidades
  10. 10. Vantagens das TIC Integração em um mesmo equipamento de diferentes mídias: áudio, vídeo, imagens e textos  A facilidade de criar adaptações que podem ser modificadas e reaproveitadas em outros contextos  Comunicação com um maior número de pessoas utilizando diferentes linguagens e ainda a possibilidade de integrar voz, vídeo e texto em programas de videoconferência  Possibilidade de produzir e socializar idéias, utilizando as diferentes linguagens  Romper limitações de tempo e espaço 
  11. 11. Investigou as condições de acessibilidade às TIC alunos com deficiência visual e física, da rede municipal de ensino de São Paulo como forma de garantir seu acesso e participação nas atividades curriculares.
  12. 12. Articulação entre Educação Especial Informática Educativa Ensino Regular
  13. 13. Abordagem qualitativa • análise da legislação • documentos produzidos pelas equipes responsáveis pela Educação Especial e Informática Educativa, • Observações de campo • Entrevistas com os gestores destas áreas na SME-SP
  14. 14. • Recomendações internacionais, das quais o Brasil é signatário • Garantias legais nacionais e do município de São Paulo • Direito à educação • Referencial teórico • Educação inclusiva • Relevância das TIC na escolarização de alunos com deficiência.
  15. 15. Necessidade de maior investimento em formação continuada Necessidade de articulação entre as equipes para elaboração de uma proposta de acessibilidade às TIC Tiveram pouca ou nenhuma formação que abordasse acessibilidade às TIC Uso das TIC pelos alunos com deficiência predominantemente no laboratório de informática
  16. 16. Mary Grace maryg@usp.br Twitter @educmary (11) 98989-6509

×