SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 7
Baixar para ler offline
Internet e inclusão: otimismos exacerbados e lucidez pedagógica In: Educação e
Comunicação. O ideal de inclusão pelas Tecnologias de informação. Galli Soares São
Paulo, Cortez: 2006.


                                                        Lisliê Lúcia Lima Pereira Ribeiro



       Esse texto é parte de um estudo mais amplo realizado na leitura do livro
“Educação e Comunicação: O ideal de inclusão pelas tecnologias de informação:
Otimismo exacerbado e lucidez pedagógica”, da autora Suely Galli Soares,
especificamente do capítulo III que enfoca a internet e a inclusão, com o título: Internet
e inclusão: otimismos exacerbados e lucidez pedagógica. Texto estudado como parte da
disciplina “Comunicação e Tecnologia em Supervisão Pedagógica e Formação de
Formadores”, do curso de Pós-Graduação em Supervisão Pedagógica e Formação de
Formadores com acesso ao Mestrado Europeu em Ciências da Educação.
       Nos dias atuais, por conseqüência da globalização, o mudo se tornou um único
lugar, sem fronteiras geográficas e com livre acesso as diferentes culturas. O uso e
avanço da internet propiciaram a comunicação global, configurando, segundo
Biernatzki SJ (2001) dois modelos de telecomunicações: um idealista e um estratégico.
Para Mansell (2001) o modelo idealista abarca toda a sociedade, sendo considerado
“otimismo exacerbado”; já o modelo estratégico é direcionado a determinados usuários.
       O discurso sobre o livre acesso a internet revela uma sociedade digital, “[...]
aposta muito na cidadania pela inclusão digital, ou seja, há mais otimismo do que
pessimismo    nas   perspectivas   da   Internet   em    seu   potencial   de   inclusão.”
(SOARES,2006:100).
       É ilógico negar os benefícios que a tecnologia proporcionou e proporciona na
sociedade atual, como informação em tempo real, suporte pedagógico dentre outros
benefícios. Contudo, faz-se necessário indagar se esta tecnologia é de fato
democratizada e extensiva a todos, se as possibilidades da educação a distância
concretiza o ideal de inclusão.
       O que vemos é que o avanço tecnológico trouxe mudanças em toda a sociedade,
no âmbito educacional não foi diferente, a internet favoreceu o crescimento da
Educação a Distância (EaD).
       No Brasil, o Ministério da Educação e Cultura (MEC) tem incentivado a EaD
em todos os níveis de ensino, principalmente no ensino superior, para suprir o déficit na
formação de professores. A EaD é regulamentada pela Portaria nº 2253 de 18 de
outubro de 2001, a partir do artigo 81 da LBD 9394/96 e no artigo 1º do Decreto nº
2494 de 10 de fevereiro de 1998, onde prevê que um curso superior reconhecido pode
ofertar 20% de sua carga horária com o método não presencial, desde que a
universidade ou centro universitário reveja o projeto pedagógico do curso e especifique
o método não presencial.
       Apesar de a internet ser o recurso mais utilizado na EaD, ela não é o único
recurso, pois deve se considerar as diferentes realidades sócio culturais e favorecer
outros recursos como vídeos e textos impressos.
       As tecnologias de informação e comunicação (TICs) usada para a formação de
professores têm seu lado positivo e seu lado negativo. Pode ser positivo desde que os
envolvidos na EAD, ou seja, aluno e professor tenham acesso de qualidade aos recursos
tecnológicos e pode ser negativo se apesar de ter um acesso de qualidade aos recursos
tecnológicos, a tecnologia não conseguir promover a interação necessária para acontecer
a aprendizagem.
       As TICs também influenciam no modelo de ensino por alterar a relação ensino e
aprendizagem, uma vez que o docente tem a autonomia de pesquisa e o acadêmico tem
acesso ao ferramental. Isso requer uma mudança no docente, no sentido de conhecer as
TICs, visando orientar os discentes a melhor maneira de utilizar as TICs.
       As Tecnologias de Informação e Comunicação, tornaram-se um desafio na
formação e prática do professor
       Uma vez que ampliaram os níveis de exigências em sua capacitação que inclui
entre outros conhecer o site enquanto ferramental para auxiliar seu trabalho e
recomendar aos seus alunos.
       Hoje em dia não basta apenas recomendar os livros, os alunos tem o mesmo ou
mais acesso as informações que o professor. Por isso é de grande valia o professor
conhecer sites pertinentes a sua área de conhecimento e confiáveis, para poder indicar
aos seus alunos, contribuindo assim para a realização da pesquisa do aluno e evitando o
recorte e cole. Desse modo, o professor tem as tecnologias de informação e
comunicação a seu favor e não contra.
       Entretanto, para o professor conhecer ele precisa pesquisar, ou seja, é necessário
que haja uma formação de qualidade, que contemple as novas necessidades do mundo
atual. Aos professores que já estão atuando, pode-se pensar na formação continuada de
qualidade por meio do HTPC (horário de trabalho pedagógico coletivo), momentos que
deveriam ser de aprendizagem e pesquisa.
       Outra questão problematizadora é sobre a profissionalização dos formadores de
professores, que no sentido anglo-saxão designa a transformação de um ofício em
profissão e no sentido clássico francês designa a transformação de uma prática
desinteressada e ocasional em um ofício, com reconhecimento e formação específica.
Segundo a autora alguns professores brasileiros são adeptos a prática ocasional
comprometendo a qualidade com o ensino e a formação dos alunos.
       A imagem de professor propagada na sociedade contribui para a exposição das
condições de trabalho e as necessidades básicas da educação não atendidas. As
reflexões sobre profissionalização do professor é uma questão que se desdobra em
muitas outras, por isso é urgente que se realize políticas educacionais tendo em vista a
contextualização da formação do professor e da sociedade, buscando reduzir o
afastamento entre a formação e as exigências da sociedade.
       Para Castanho (2000) vivemos a chamada fase de transição de paradigmas em
educação. Galli Soares (2006) afirma:


       O paradigma educacional emergente da sociedade informatizada e das informações por ela
       desencadeadas direciona também o debate para os espaços pedagógicos escolares, envolvendo o
       professor e reconhecendo sua práxis, como forma de inovação por meio de novos ferramentais
       cuja aplicação com êxito na sala de aula, poderá elevar o conceito de educação e da qualidade da
       relação ensino e aprendizagem aproximando-a dos multimeios de comunicação e informação de
       forma didática, pedagógica, ampla e cidadã. (GALLI SOARES, 2006 p.109)


       Uma formação de professor de qualidade que abarque as tecnologias de
informação e comunicação, pode (re)significar a profissionalização do professor e
contribuir para melhorar a qualidade da educação oferecida a sociedade, bem como,
aproximar as tecnologias de informação e comunicação na formação do cidadão de
acordo com as novas exigências da sociedade.
       As tecnologias de informação e comunicação ampliaram todo o sistema de
comunicação existente na sociedade. Para Galli Soares (2006):


       Os sistemas de comunicação disponíveis socialmente não apenas mudaram o cenário urbano em
       suas relações virtuais, como tornou a sociedade mais inteligente e veloz nos processos que
       eliminam o dispêndio de tempo e a locomoção no ir e vir, entre outras tarefas que sobrecarregam
       e atrasam o cotidiano. (GALLI SOARES, 2006 p.110)
Os sistemas de comunicação já não se limitam a cartas, telefones ou fax. Hoje
com a internet as pessoas podem se comunicar de qualquer lugar e qualquer hora. Ela
favorece a comunicação além de facilitar a circulação de informação às pessoas que
podem usufruir desse sistema. Esse sistema oportunizou uma nova conduta que
inaugura o fazer a distância, o que exige um entendimento sobre esse fazer.

Ação a distancia: entendimento e explicações


         O desenvolvimento dos meios de comunicação culminou em novos tipos de
ações: a ação a distancia, que no presente estudo interessa a Educação a Distancia
(EAD), até recentemente propagada em rádios, cadernos via correios e televisão por
tele-aula. Esta última proporcionou a transmissão dos conteúdos mais próximos do
aluno.
         A EAD ganhou destaque com as tecnologias de informação e comunicação, que
permite interação entre professor e aluno, aluno e outros estudantes, professor e
conteúdo, e ferramentais educacionais que auxiliam no processo ensino aprendizagem.
         O ensino a distancia pode acontecer de modo síncrono, ou seja, em tempo real,
quando todos envolvidos estão on-line. E pode acontecer de modo assíncrono, ou seja,
em tempo diferido, quando há uma demora para responder a mensagem.
         O público da EAD é advindo de diferentes realidades que podem ser: moradores
de regiões distantes; profissionais cobrados por atualização; profissional com tempo
indisponível; pessoas interessadas a continuar sua formação e se atualizarem.
         O MEC por meio das Resoluções e Pareceres regulamenta a EAD, que pode ser
oferecida pelo Sistema Educacional, Instituições e Empresas, visando objetivo
comercial ou social. Para Galli Soares (2006): A Educação a distancia, de caráter social,
visa elevar a qualidade de vida e das relações das pessoas, na atual sociedade
competitiva e de caráter transitório, em seus processos produtivos e de comunicação.
(GALLI SOARES, 2006 p.121)
         Pensar a EAD como um meio para elevar a qualidade de vida é lógico e real,
uma vez que a EAD favorece o uso das tecnologias de informação e comunicação sem
minimizar a interatividade, no entanto, há que considerar a preocupação da autora sobre
os otimismos exacerbados do uso da tecnologia e a produção e apropriação de
conhecimento
A construção de novos conhecimentos ocorre quando há elaboração cognitiva,
ou seja, quando se reflete e questiona hipóteses e duvidas. Essa construção de
aprendizagens que resulta em conhecimento conta com as tecnologias de informação e
comunicação, sintetizado na internet com sites e home sites carregados de informações.
       Para o usuário apreender as informações, o conteúdo precisa ter uma linguagem
clara e de fácil compreensão, para favorecer a auto-aprendizagem. Para tanto é
necessário o letramento.
       O letramento ultrapassa a codificação e decodificação da leitura e escrita, ser
letrado significa apropriar-se da leitura e da escrita fazendo uso social da mesma, ou
seja, além de saber ler e escrever é saber utilizar a leitura e a escrita relacionando-as e
produzindo conhecimento, independentemente do contexto social.
       No ambiente tecnológico existe o letramento digital, que é de suma importância
para uso e compreensão dos hipertextos que permite o acesso a novas informações
ampliando o exercício de interpretar e estabelecer relações com outros conteúdos. Para
Galli Soares (2006):


       O ciberespaço constituído de informações acessíveis pela rede Internet é composto de tecnologia
       e de gente. É um sistema que possui, como o sistema educacional, um currículo que se mostra,
       na vitrine virtual, e se oculta na comunicação e no produto dela. (GALLI SOARES, 2006 p.128)



       Do mesmo modo que a educação escolar, a internet deixa exposta o seu
currículo maquiando a intencionalidade de valores, cabe ao usuário discernir os sites e
links a utilizar para não desviar do foco principal, cabe também conhecer o sistema de
comunicação e suas possibilidades;
       O sistema de comunicação existente nos diferentes setores da sociedade
ressignificou as relações urbanas e virtuais, tornando a sociedade mais dinâmica e
rápida no que se refere ao tempo, espaço e a locomoção de ir e vir diariamente. A
ampliação dos multimeios que ultrapassa a telefonia e o fax modificou a comunicação e
organização de todas as pessoas, incluindo as pessoas envelhecidas, que buscam nos
softwares e sites de relacionamento ou troca de e-mail na internet, suprir a solidão e
isolamento comum a essas pessoas, surgindo uma nova cultura social e comunicacional.
       Pesquisadores como Moran, segundo Galli Soares (2006, p.110) explicam esta
mudança na comunicação pelo “processamento multimidiático”, ou seja, as diferentes
formas de veicular a informação.
Neste contexto, surge o paradigma educacional do ciberespaço, exigindo um
novo profissional construtor da comunicação da web, que consiga agregar a
multiplicidade das áreas relacionadas no processo de criação e gestão da comunicação,
visando à sociabilidade. Para suprir esta demanda multidisciplinar faz-se necessário
profissionais de diversas áreas como: Pedagogo, Artes Plásticas, Arquitetos, Analista de
Sistemas e de Telecomunicações, entre outros.
       Contudo, mesmo tendo uma equipe de profissionais multidisciplinar não garante
o sucesso do site. O grupo de profissionais precisa realizar estudos e planejamento,
refletindo sobre o conteúdo, os objetivos, aplicação e resultados, bem como, identificar
o público, ter claro a metodologia adotada, o ferramental didático e a avaliação. A
clareza dos objetivos permite estabelecer um roteiro metodológico da comunicação
desejada, como também prever os possíveis resultados e sinalizar para uma avaliação
que demonstre sua eficácia.
Esse conhecimento e domínio passa também pela formação continuada de professores e
de gestores educacionais, como profissionais a frente do uso e da administração de
sistemas de comunicação.
       A questão da formação continuada de professores tem sido um dos temas mais
debatidos atualmente em função da tão desejada e necessária obtenção de melhorias no
processo de ensino e aprendizagem. Assim tanto em programas de formação inicial
como nos de formação continuada, esse desafio se renova.
       A sociedade moderna com a ampliação das tecnologias de informação e
comunicação interferiu significativamente na escola e consequentemente nos sujeitos
envolvidos nela. Para Galli Soares (2006):


       O conhecimento técnico ferramental da informática torna-se, como outros, exigência e parte do
       cotidiano e das relações sociais como componente curricular da formação. [...] para operar
       tecnologias e fazer uso do acervo informativo da Internet na sua prática educativa, formação que
       deve ser revisitada oportunizando-se ao profissional de ensino o rito de passagem inadiável das
       posturas tradicionais para as novas midiatizadas pelas tecnologias. (GALLI SOARES, 2006,
       p.111)


       O professor como qualquer outro profissional comprometido em desempenhar
sua função com excelência, precisa estar constantemente investindo em sua formação,
visto que vivemos em uma sociedade mutável, onde os desafios para a prática
pedagógica se intensificam com a chegada das tecnologias de informação e
comunicação no meio educacional. Segundo Galli Soares (2006):
Dentre os desafios para a revisão da prática pedagógica, utilizando tecnologias de informação e
       comunicação, destacam-se a mudança de paradigma didático que carregam latente os professores
       e a crença na formação continuada necessária para realizar a mudança de postura com as novas
       perspectivas projetadas pelos recursos e ambientes educacionais. (GALLI SOARES, 2006,
       p.104)



       A formação continuada de professores contribui para melhorar a prática
pedagógica e qualidade de ensino, no entanto, não é recomendável depositar nela toda a
expectativa na mudança de postura dos professores, uma vez que estes profissionais da
educação em sua maioria estão enraizados nas posturas tradicionais. Por isso, faz-se
necessário uma formação inicial e continuada que contemple os desafios da sociedade
moderna.
       Longe da pretensão de esgotar essa discussão, mas de desencadear o debate
ampliando as perspectivas da construção do conhecimento sobre o uso de tecnologias na
educação sobretudo na formação do professor tema que nos motiva como pesquisadora.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Unifei d3 ferramentas_interativas
Unifei d3 ferramentas_interativasUnifei d3 ferramentas_interativas
Unifei d3 ferramentas_interativasAdriano Vinício
 
Tecnologias na educação
Tecnologias na educaçãoTecnologias na educação
Tecnologias na educaçãodaianemariab
 
Apresentação novas tecnologias da informação e comunicação (ntic)
Apresentação  novas tecnologias da informação e comunicação (ntic)Apresentação  novas tecnologias da informação e comunicação (ntic)
Apresentação novas tecnologias da informação e comunicação (ntic)renatobj755
 
Uso das novas tecnologias da informação e comunicação na educação
Uso das novas tecnologias da informação e comunicação na educaçãoUso das novas tecnologias da informação e comunicação na educação
Uso das novas tecnologias da informação e comunicação na educaçãoleandrotravassos
 
A importância da tecnologia para educação
A importância da tecnologia para educaçãoA importância da tecnologia para educação
A importância da tecnologia para educaçãoFernanda Damasio
 
Fundamentos Tecnologia Educacional
Fundamentos  Tecnologia EducacionalFundamentos  Tecnologia Educacional
Fundamentos Tecnologia EducacionalSimone Torres
 
As Novas Tecnologias da Informação e Comunicação (NTIC) contribuindo para o a...
As Novas Tecnologias da Informação e Comunicação (NTIC) contribuindo para o a...As Novas Tecnologias da Informação e Comunicação (NTIC) contribuindo para o a...
As Novas Tecnologias da Informação e Comunicação (NTIC) contribuindo para o a...quezinhaneves
 
DOS RECURSOS EDUCATIVOS DIGITAIS AOS OBJECTOS DE APRENDIZAGEM EM CONTEXTO E...
DOS RECURSOS EDUCATIVOS DIGITAIS  AOS OBJECTOS DE APRENDIZAGEM  EM CONTEXTO E...DOS RECURSOS EDUCATIVOS DIGITAIS  AOS OBJECTOS DE APRENDIZAGEM  EM CONTEXTO E...
DOS RECURSOS EDUCATIVOS DIGITAIS AOS OBJECTOS DE APRENDIZAGEM EM CONTEXTO E...Fernando Rui Campos
 
Slide sobre Tecnologia na Educação
Slide sobre Tecnologia na EducaçãoSlide sobre Tecnologia na Educação
Slide sobre Tecnologia na Educaçãoauxiliadora974
 
A construção de práticas pedagógicas a partir apresentaçao
A construção de práticas pedagógicas a partir  apresentaçaoA construção de práticas pedagógicas a partir  apresentaçao
A construção de práticas pedagógicas a partir apresentaçaoLILIANE OLIVEIRA
 
Gestão de EAD: Educação a Distância na Web 2.0.
Gestão de EAD: Educação a Distância na Web 2.0.Gestão de EAD: Educação a Distância na Web 2.0.
Gestão de EAD: Educação a Distância na Web 2.0.EAD Amazon
 
Tecnologias na educação
Tecnologias na educaçãoTecnologias na educação
Tecnologias na educaçãoSimoneMarcele
 
O ensino a distância e as novas tecnologias - por Liliane Câmara
O ensino a distância e as novas tecnologias - por Liliane CâmaraO ensino a distância e as novas tecnologias - por Liliane Câmara
O ensino a distância e as novas tecnologias - por Liliane CâmaraLiliane Câmara
 
A tecnologia na educação municipal de uberaba
A tecnologia na educação municipal de uberabaA tecnologia na educação municipal de uberaba
A tecnologia na educação municipal de uberabaGiovanna Mendes
 
Tecnologias também servem para fazer educação
Tecnologias também servem para fazer educação Tecnologias também servem para fazer educação
Tecnologias também servem para fazer educação Pedro Henrique
 
O processo educativo e o uso das novas tecnologias da informação e comunicaçã...
O processo educativo e o uso das novas tecnologias da informação e comunicaçã...O processo educativo e o uso das novas tecnologias da informação e comunicaçã...
O processo educativo e o uso das novas tecnologias da informação e comunicaçã...Tereza Carneiro
 
Atividade uso das novas tecnologias
Atividade uso das novas tecnologiasAtividade uso das novas tecnologias
Atividade uso das novas tecnologiasAlison Batista
 

Mais procurados (20)

Unifei d3 ferramentas_interativas
Unifei d3 ferramentas_interativasUnifei d3 ferramentas_interativas
Unifei d3 ferramentas_interativas
 
Tecnologias na educação
Tecnologias na educaçãoTecnologias na educação
Tecnologias na educação
 
Apresentação novas tecnologias da informação e comunicação (ntic)
Apresentação  novas tecnologias da informação e comunicação (ntic)Apresentação  novas tecnologias da informação e comunicação (ntic)
Apresentação novas tecnologias da informação e comunicação (ntic)
 
Uso das novas tecnologias da informação e comunicação na educação
Uso das novas tecnologias da informação e comunicação na educaçãoUso das novas tecnologias da informação e comunicação na educação
Uso das novas tecnologias da informação e comunicação na educação
 
A importância da tecnologia para educação
A importância da tecnologia para educaçãoA importância da tecnologia para educação
A importância da tecnologia para educação
 
Fundamentos Tecnologia Educacional
Fundamentos  Tecnologia EducacionalFundamentos  Tecnologia Educacional
Fundamentos Tecnologia Educacional
 
As Novas Tecnologias da Informação e Comunicação (NTIC) contribuindo para o a...
As Novas Tecnologias da Informação e Comunicação (NTIC) contribuindo para o a...As Novas Tecnologias da Informação e Comunicação (NTIC) contribuindo para o a...
As Novas Tecnologias da Informação e Comunicação (NTIC) contribuindo para o a...
 
DOS RECURSOS EDUCATIVOS DIGITAIS AOS OBJECTOS DE APRENDIZAGEM EM CONTEXTO E...
DOS RECURSOS EDUCATIVOS DIGITAIS  AOS OBJECTOS DE APRENDIZAGEM  EM CONTEXTO E...DOS RECURSOS EDUCATIVOS DIGITAIS  AOS OBJECTOS DE APRENDIZAGEM  EM CONTEXTO E...
DOS RECURSOS EDUCATIVOS DIGITAIS AOS OBJECTOS DE APRENDIZAGEM EM CONTEXTO E...
 
Slide sobre Tecnologia na Educação
Slide sobre Tecnologia na EducaçãoSlide sobre Tecnologia na Educação
Slide sobre Tecnologia na Educação
 
Educação e tecnologia
Educação e tecnologiaEducação e tecnologia
Educação e tecnologia
 
A construção de práticas pedagógicas a partir apresentaçao
A construção de práticas pedagógicas a partir  apresentaçaoA construção de práticas pedagógicas a partir  apresentaçao
A construção de práticas pedagógicas a partir apresentaçao
 
Educação pelo Prazer: as tecnologias emergentes e a construção de um recreio ...
Educação pelo Prazer: as tecnologias emergentes e a construção de um recreio ...Educação pelo Prazer: as tecnologias emergentes e a construção de um recreio ...
Educação pelo Prazer: as tecnologias emergentes e a construção de um recreio ...
 
Gestão de EAD: Educação a Distância na Web 2.0.
Gestão de EAD: Educação a Distância na Web 2.0.Gestão de EAD: Educação a Distância na Web 2.0.
Gestão de EAD: Educação a Distância na Web 2.0.
 
Tecnologias na educação
Tecnologias na educaçãoTecnologias na educação
Tecnologias na educação
 
O ensino a distância e as novas tecnologias - por Liliane Câmara
O ensino a distância e as novas tecnologias - por Liliane CâmaraO ensino a distância e as novas tecnologias - por Liliane Câmara
O ensino a distância e as novas tecnologias - por Liliane Câmara
 
Trabalho mul. hiper
Trabalho mul. hiperTrabalho mul. hiper
Trabalho mul. hiper
 
A tecnologia na educação municipal de uberaba
A tecnologia na educação municipal de uberabaA tecnologia na educação municipal de uberaba
A tecnologia na educação municipal de uberaba
 
Tecnologias também servem para fazer educação
Tecnologias também servem para fazer educação Tecnologias também servem para fazer educação
Tecnologias também servem para fazer educação
 
O processo educativo e o uso das novas tecnologias da informação e comunicaçã...
O processo educativo e o uso das novas tecnologias da informação e comunicaçã...O processo educativo e o uso das novas tecnologias da informação e comunicaçã...
O processo educativo e o uso das novas tecnologias da informação e comunicaçã...
 
Atividade uso das novas tecnologias
Atividade uso das novas tecnologiasAtividade uso das novas tecnologias
Atividade uso das novas tecnologias
 

Destaque

Tecnologias computacionais aplicadas na educação: experiências com robótica e...
Tecnologias computacionais aplicadas na educação: experiências com robótica e...Tecnologias computacionais aplicadas na educação: experiências com robótica e...
Tecnologias computacionais aplicadas na educação: experiências com robótica e...Eliane Pozzebon
 
O que é e para que serve as tic
O que é e para que serve as ticO que é e para que serve as tic
O que é e para que serve as ticmarie1961
 
Capacitacao java aula-01-01-conceitos
Capacitacao java aula-01-01-conceitosCapacitacao java aula-01-01-conceitos
Capacitacao java aula-01-01-conceitosEliete Regina Souza
 
Arquivos digitais formação
Arquivos digitais   formaçãoArquivos digitais   formação
Arquivos digitais formaçãoMarta Antunes
 
Ferramentas virtuais de comunicação
Ferramentas virtuais de comunicaçãoFerramentas virtuais de comunicação
Ferramentas virtuais de comunicaçãoValdenir Soares
 
Plano de sessão 0754 1
Plano de sessão 0754   1Plano de sessão 0754   1
Plano de sessão 0754 1Vanda Godinho
 
Projeto de formação profissional dos docentes para uso das TIC's
Projeto de formação profissional dos docentes para uso das TIC'sProjeto de formação profissional dos docentes para uso das TIC's
Projeto de formação profissional dos docentes para uso das TIC'sNeilda Costa
 
Ferramentas de comunicação tic
Ferramentas de comunicação  ticFerramentas de comunicação  tic
Ferramentas de comunicação ticdiogo_lopes
 

Destaque (11)

Apresenta Curso
Apresenta CursoApresenta Curso
Apresenta Curso
 
Tecnologias computacionais aplicadas na educação: experiências com robótica e...
Tecnologias computacionais aplicadas na educação: experiências com robótica e...Tecnologias computacionais aplicadas na educação: experiências com robótica e...
Tecnologias computacionais aplicadas na educação: experiências com robótica e...
 
O que é e para que serve as tic
O que é e para que serve as ticO que é e para que serve as tic
O que é e para que serve as tic
 
Capacitacao java aula-01-01-conceitos
Capacitacao java aula-01-01-conceitosCapacitacao java aula-01-01-conceitos
Capacitacao java aula-01-01-conceitos
 
Arquivos digitais formação
Arquivos digitais   formaçãoArquivos digitais   formação
Arquivos digitais formação
 
Ferramentas virtuais de comunicação
Ferramentas virtuais de comunicaçãoFerramentas virtuais de comunicação
Ferramentas virtuais de comunicação
 
Plano de sessão 0754 1
Plano de sessão 0754   1Plano de sessão 0754   1
Plano de sessão 0754 1
 
Plano de sessão
Plano de sessãoPlano de sessão
Plano de sessão
 
História da TIC
História da TICHistória da TIC
História da TIC
 
Projeto de formação profissional dos docentes para uso das TIC's
Projeto de formação profissional dos docentes para uso das TIC'sProjeto de formação profissional dos docentes para uso das TIC's
Projeto de formação profissional dos docentes para uso das TIC's
 
Ferramentas de comunicação tic
Ferramentas de comunicação  ticFerramentas de comunicação  tic
Ferramentas de comunicação tic
 

Semelhante a Internet, inclusão e formação de professores

Comunicação e tecnologia
Comunicação e tecnologia   Comunicação e tecnologia
Comunicação e tecnologia helenasamelo
 
ARTIGO 5 TECNOLOGIA EDUCAÇÃO E INCLUSÃO DÁ PARA INOVAR EM UM CENÁRIO EDUCACIO...
ARTIGO 5 TECNOLOGIA EDUCAÇÃO E INCLUSÃO DÁ PARA INOVAR EM UM CENÁRIO EDUCACIO...ARTIGO 5 TECNOLOGIA EDUCAÇÃO E INCLUSÃO DÁ PARA INOVAR EM UM CENÁRIO EDUCACIO...
ARTIGO 5 TECNOLOGIA EDUCAÇÃO E INCLUSÃO DÁ PARA INOVAR EM UM CENÁRIO EDUCACIO...SimoneHelenDrumond
 
18 ARTIGO TECNOLOGIA EDUCAÇÃO E INCLUSÃO DÁ PARA INOVAR EM UM CENÁRIO EDUCAC...
18 ARTIGO  TECNOLOGIA EDUCAÇÃO E INCLUSÃO DÁ PARA INOVAR EM UM CENÁRIO EDUCAC...18 ARTIGO  TECNOLOGIA EDUCAÇÃO E INCLUSÃO DÁ PARA INOVAR EM UM CENÁRIO EDUCAC...
18 ARTIGO TECNOLOGIA EDUCAÇÃO E INCLUSÃO DÁ PARA INOVAR EM UM CENÁRIO EDUCAC...SimoneHelenDrumond
 
Texto comunicação e tecnologia em supervisão pedagógica ...
Texto  comunicação e tecnologia em supervisão pedagógica ...Texto  comunicação e tecnologia em supervisão pedagógica ...
Texto comunicação e tecnologia em supervisão pedagógica ...adrianafrancisca
 
Texto comunicação e tecnologia em supervisão pedagógica ...
Texto  comunicação e tecnologia em supervisão pedagógica ...Texto  comunicação e tecnologia em supervisão pedagógica ...
Texto comunicação e tecnologia em supervisão pedagógica ...adrianafrancisca
 
Texto comunicação e tecnologia em supervisão pedagógica ...
Texto  comunicação e tecnologia em supervisão pedagógica ...Texto  comunicação e tecnologia em supervisão pedagógica ...
Texto comunicação e tecnologia em supervisão pedagógica ...adrianafrancisca
 
Comunicação e tecnologias
Comunicação e tecnologiasComunicação e tecnologias
Comunicação e tecnologiasviviprof
 
05 11 2011 atividade de leitura analise e producao escrita internet e inclusão
05 11 2011 atividade de leitura analise e producao escrita internet e inclusão05 11 2011 atividade de leitura analise e producao escrita internet e inclusão
05 11 2011 atividade de leitura analise e producao escrita internet e inclusãobetejorgino
 
Curso ead atividade_4
Curso ead atividade_4Curso ead atividade_4
Curso ead atividade_4201192
 
Artigo/ensaio, Internet e inclusão: otimismos exacerbados e lucidez pedagógica
 Artigo/ensaio,  Internet e inclusão: otimismos exacerbados e lucidez pedagógica Artigo/ensaio,  Internet e inclusão: otimismos exacerbados e lucidez pedagógica
Artigo/ensaio, Internet e inclusão: otimismos exacerbados e lucidez pedagógicaAlan Ciriaco
 
Projeto TIC Escola Justa Barbosa de Sales
Projeto TIC Escola Justa Barbosa de SalesProjeto TIC Escola Justa Barbosa de Sales
Projeto TIC Escola Justa Barbosa de Salesbibliotecaeinternet
 
A formação de professores com os usos potenciais das tecnologias digitais.
A formação de professores com os usos potenciais das tecnologias digitais.  A formação de professores com os usos potenciais das tecnologias digitais.
A formação de professores com os usos potenciais das tecnologias digitais. Ana Carolina Castro
 
Curso ead atividade_4
Curso ead atividade_4Curso ead atividade_4
Curso ead atividade_4201192
 
Internet e inclusão: otimismos exarcebados e lucidez pedagógica
Internet e inclusão: otimismos exarcebados e lucidez pedagógicaInternet e inclusão: otimismos exarcebados e lucidez pedagógica
Internet e inclusão: otimismos exarcebados e lucidez pedagógicaeduviecorr
 
O uso da tecnologia na escola. grupo estudo cecierj 2015
O uso da tecnologia na escola. grupo estudo cecierj 2015O uso da tecnologia na escola. grupo estudo cecierj 2015
O uso da tecnologia na escola. grupo estudo cecierj 2015UFRGS
 
Ead ad1 danielle_monica_simone
Ead ad1 danielle_monica_simoneEad ad1 danielle_monica_simone
Ead ad1 danielle_monica_simonedanielle213
 
EAD - AD1 - Danielle Chaves, Monica Barros e Simone Oliveira
EAD - AD1 - Danielle Chaves, Monica Barros e Simone OliveiraEAD - AD1 - Danielle Chaves, Monica Barros e Simone Oliveira
EAD - AD1 - Danielle Chaves, Monica Barros e Simone Oliveiradanielle213
 
Ead ad1 danielle_monica_simone
Ead ad1 danielle_monica_simoneEad ad1 danielle_monica_simone
Ead ad1 danielle_monica_simonedani213
 
Curso ead atividade-4-2
Curso ead atividade-4-2Curso ead atividade-4-2
Curso ead atividade-4-220405060
 

Semelhante a Internet, inclusão e formação de professores (20)

Comunicação e tecnologia
Comunicação e tecnologia   Comunicação e tecnologia
Comunicação e tecnologia
 
ARTIGO 5 TECNOLOGIA EDUCAÇÃO E INCLUSÃO DÁ PARA INOVAR EM UM CENÁRIO EDUCACIO...
ARTIGO 5 TECNOLOGIA EDUCAÇÃO E INCLUSÃO DÁ PARA INOVAR EM UM CENÁRIO EDUCACIO...ARTIGO 5 TECNOLOGIA EDUCAÇÃO E INCLUSÃO DÁ PARA INOVAR EM UM CENÁRIO EDUCACIO...
ARTIGO 5 TECNOLOGIA EDUCAÇÃO E INCLUSÃO DÁ PARA INOVAR EM UM CENÁRIO EDUCACIO...
 
18 ARTIGO TECNOLOGIA EDUCAÇÃO E INCLUSÃO DÁ PARA INOVAR EM UM CENÁRIO EDUCAC...
18 ARTIGO  TECNOLOGIA EDUCAÇÃO E INCLUSÃO DÁ PARA INOVAR EM UM CENÁRIO EDUCAC...18 ARTIGO  TECNOLOGIA EDUCAÇÃO E INCLUSÃO DÁ PARA INOVAR EM UM CENÁRIO EDUCAC...
18 ARTIGO TECNOLOGIA EDUCAÇÃO E INCLUSÃO DÁ PARA INOVAR EM UM CENÁRIO EDUCAC...
 
Texto comunicação e tecnologia em supervisão pedagógica ...
Texto  comunicação e tecnologia em supervisão pedagógica ...Texto  comunicação e tecnologia em supervisão pedagógica ...
Texto comunicação e tecnologia em supervisão pedagógica ...
 
Texto comunicação e tecnologia em supervisão pedagógica ...
Texto  comunicação e tecnologia em supervisão pedagógica ...Texto  comunicação e tecnologia em supervisão pedagógica ...
Texto comunicação e tecnologia em supervisão pedagógica ...
 
Texto comunicação e tecnologia em supervisão pedagógica ...
Texto  comunicação e tecnologia em supervisão pedagógica ...Texto  comunicação e tecnologia em supervisão pedagógica ...
Texto comunicação e tecnologia em supervisão pedagógica ...
 
Comunicação e tecnologias
Comunicação e tecnologiasComunicação e tecnologias
Comunicação e tecnologias
 
05 11 2011 atividade de leitura analise e producao escrita internet e inclusão
05 11 2011 atividade de leitura analise e producao escrita internet e inclusão05 11 2011 atividade de leitura analise e producao escrita internet e inclusão
05 11 2011 atividade de leitura analise e producao escrita internet e inclusão
 
Curso ead atividade_4
Curso ead atividade_4Curso ead atividade_4
Curso ead atividade_4
 
Artigo/ensaio, Internet e inclusão: otimismos exacerbados e lucidez pedagógica
 Artigo/ensaio,  Internet e inclusão: otimismos exacerbados e lucidez pedagógica Artigo/ensaio,  Internet e inclusão: otimismos exacerbados e lucidez pedagógica
Artigo/ensaio, Internet e inclusão: otimismos exacerbados e lucidez pedagógica
 
Projeto TIC Escola Justa Barbosa de Sales
Projeto TIC Escola Justa Barbosa de SalesProjeto TIC Escola Justa Barbosa de Sales
Projeto TIC Escola Justa Barbosa de Sales
 
A formação de professores com os usos potenciais das tecnologias digitais.
A formação de professores com os usos potenciais das tecnologias digitais.  A formação de professores com os usos potenciais das tecnologias digitais.
A formação de professores com os usos potenciais das tecnologias digitais.
 
Curso ead atividade_4
Curso ead atividade_4Curso ead atividade_4
Curso ead atividade_4
 
Internet e inclusão: otimismos exarcebados e lucidez pedagógica
Internet e inclusão: otimismos exarcebados e lucidez pedagógicaInternet e inclusão: otimismos exarcebados e lucidez pedagógica
Internet e inclusão: otimismos exarcebados e lucidez pedagógica
 
O uso da tecnologia na escola. grupo estudo cecierj 2015
O uso da tecnologia na escola. grupo estudo cecierj 2015O uso da tecnologia na escola. grupo estudo cecierj 2015
O uso da tecnologia na escola. grupo estudo cecierj 2015
 
Ead ad1 danielle_monica_simone
Ead ad1 danielle_monica_simoneEad ad1 danielle_monica_simone
Ead ad1 danielle_monica_simone
 
EAD - AD1 - Danielle Chaves, Monica Barros e Simone Oliveira
EAD - AD1 - Danielle Chaves, Monica Barros e Simone OliveiraEAD - AD1 - Danielle Chaves, Monica Barros e Simone Oliveira
EAD - AD1 - Danielle Chaves, Monica Barros e Simone Oliveira
 
Ead ad1 danielle_monica_simone
Ead ad1 danielle_monica_simoneEad ad1 danielle_monica_simone
Ead ad1 danielle_monica_simone
 
Curso ead atividade-4-2
Curso ead atividade-4-2Curso ead atividade-4-2
Curso ead atividade-4-2
 
Tecnologia de informação e comunicação aplicada à educação
Tecnologia de informação e comunicação aplicada à educaçãoTecnologia de informação e comunicação aplicada à educação
Tecnologia de informação e comunicação aplicada à educação
 

Mais de lislieribeiro

Hipertexto apresentação
Hipertexto apresentaçãoHipertexto apresentação
Hipertexto apresentaçãolislieribeiro
 
Hipertexto apresentação
Hipertexto apresentaçãoHipertexto apresentação
Hipertexto apresentaçãolislieribeiro
 
M.s. mod. e prática de form. de profs. - avaliação - aula 3
M.s.   mod. e prática de form. de profs. - avaliação - aula 3M.s.   mod. e prática de form. de profs. - avaliação - aula 3
M.s. mod. e prática de form. de profs. - avaliação - aula 3lislieribeiro
 
Avaliação unidade curricular
Avaliação unidade curricularAvaliação unidade curricular
Avaliação unidade curricularlislieribeiro
 
Apresentação lisliê
Apresentação lisliêApresentação lisliê
Apresentação lisliêlislieribeiro
 
Caso problema supervisor
Caso problema  supervisorCaso problema  supervisor
Caso problema supervisorlislieribeiro
 
éTica e moral versão ampliada
éTica e moral  versão ampliadaéTica e moral  versão ampliada
éTica e moral versão ampliadalislieribeiro
 
Teorias e mod. de superv. aula 2
Teorias e mod. de superv.   aula 2Teorias e mod. de superv.   aula 2
Teorias e mod. de superv. aula 2lislieribeiro
 
Análise do artigo_científico
Análise do artigo_científicoAnálise do artigo_científico
Análise do artigo_científicolislieribeiro
 

Mais de lislieribeiro (19)

Hipertexto apresentação
Hipertexto apresentaçãoHipertexto apresentação
Hipertexto apresentação
 
Hipertexto apresentação
Hipertexto apresentaçãoHipertexto apresentação
Hipertexto apresentação
 
M.s. mod. e prática de form. de profs. - avaliação - aula 3
M.s.   mod. e prática de form. de profs. - avaliação - aula 3M.s.   mod. e prática de form. de profs. - avaliação - aula 3
M.s. mod. e prática de form. de profs. - avaliação - aula 3
 
Relação Família
Relação FamíliaRelação Família
Relação Família
 
Avaliação unidade curricular
Avaliação unidade curricularAvaliação unidade curricular
Avaliação unidade curricular
 
Avaliação docente
Avaliação docenteAvaliação docente
Avaliação docente
 
Estudo de caso
Estudo de casoEstudo de caso
Estudo de caso
 
Resenha
ResenhaResenha
Resenha
 
Apresentação lisliê
Apresentação lisliêApresentação lisliê
Apresentação lisliê
 
Aula1arquivoalunos
Aula1arquivoalunosAula1arquivoalunos
Aula1arquivoalunos
 
Cidadão quem
Cidadão quemCidadão quem
Cidadão quem
 
Caso problema supervisor
Caso problema  supervisorCaso problema  supervisor
Caso problema supervisor
 
éTica e moral versão ampliada
éTica e moral  versão ampliadaéTica e moral  versão ampliada
éTica e moral versão ampliada
 
Teorias e mod. de superv. aula 2
Teorias e mod. de superv.   aula 2Teorias e mod. de superv.   aula 2
Teorias e mod. de superv. aula 2
 
Addtm
AddtmAddtm
Addtm
 
Análise do artigo_científico
Análise do artigo_científicoAnálise do artigo_científico
Análise do artigo_científico
 
Portifolio
PortifolioPortifolio
Portifolio
 
Pré projeto
Pré projetoPré projeto
Pré projeto
 
Suê
SuêSuê
Suê
 

Último

activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADOactivIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADOcarolinacespedes23
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologiaAula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologiaaulasgege
 
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdfJorge Andrade
 
Bullying - Texto e cruzadinha
Bullying        -     Texto e cruzadinhaBullying        -     Texto e cruzadinha
Bullying - Texto e cruzadinhaMary Alvarenga
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxfabiolalopesmartins1
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresLilianPiola
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasRosalina Simão Nunes
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 

Último (20)

activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADOactivIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologiaAula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
 
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
 
Bullying - Texto e cruzadinha
Bullying        -     Texto e cruzadinhaBullying        -     Texto e cruzadinha
Bullying - Texto e cruzadinha
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 

Internet, inclusão e formação de professores

  • 1. Internet e inclusão: otimismos exacerbados e lucidez pedagógica In: Educação e Comunicação. O ideal de inclusão pelas Tecnologias de informação. Galli Soares São Paulo, Cortez: 2006. Lisliê Lúcia Lima Pereira Ribeiro Esse texto é parte de um estudo mais amplo realizado na leitura do livro “Educação e Comunicação: O ideal de inclusão pelas tecnologias de informação: Otimismo exacerbado e lucidez pedagógica”, da autora Suely Galli Soares, especificamente do capítulo III que enfoca a internet e a inclusão, com o título: Internet e inclusão: otimismos exacerbados e lucidez pedagógica. Texto estudado como parte da disciplina “Comunicação e Tecnologia em Supervisão Pedagógica e Formação de Formadores”, do curso de Pós-Graduação em Supervisão Pedagógica e Formação de Formadores com acesso ao Mestrado Europeu em Ciências da Educação. Nos dias atuais, por conseqüência da globalização, o mudo se tornou um único lugar, sem fronteiras geográficas e com livre acesso as diferentes culturas. O uso e avanço da internet propiciaram a comunicação global, configurando, segundo Biernatzki SJ (2001) dois modelos de telecomunicações: um idealista e um estratégico. Para Mansell (2001) o modelo idealista abarca toda a sociedade, sendo considerado “otimismo exacerbado”; já o modelo estratégico é direcionado a determinados usuários. O discurso sobre o livre acesso a internet revela uma sociedade digital, “[...] aposta muito na cidadania pela inclusão digital, ou seja, há mais otimismo do que pessimismo nas perspectivas da Internet em seu potencial de inclusão.” (SOARES,2006:100). É ilógico negar os benefícios que a tecnologia proporcionou e proporciona na sociedade atual, como informação em tempo real, suporte pedagógico dentre outros benefícios. Contudo, faz-se necessário indagar se esta tecnologia é de fato democratizada e extensiva a todos, se as possibilidades da educação a distância concretiza o ideal de inclusão. O que vemos é que o avanço tecnológico trouxe mudanças em toda a sociedade, no âmbito educacional não foi diferente, a internet favoreceu o crescimento da Educação a Distância (EaD). No Brasil, o Ministério da Educação e Cultura (MEC) tem incentivado a EaD em todos os níveis de ensino, principalmente no ensino superior, para suprir o déficit na
  • 2. formação de professores. A EaD é regulamentada pela Portaria nº 2253 de 18 de outubro de 2001, a partir do artigo 81 da LBD 9394/96 e no artigo 1º do Decreto nº 2494 de 10 de fevereiro de 1998, onde prevê que um curso superior reconhecido pode ofertar 20% de sua carga horária com o método não presencial, desde que a universidade ou centro universitário reveja o projeto pedagógico do curso e especifique o método não presencial. Apesar de a internet ser o recurso mais utilizado na EaD, ela não é o único recurso, pois deve se considerar as diferentes realidades sócio culturais e favorecer outros recursos como vídeos e textos impressos. As tecnologias de informação e comunicação (TICs) usada para a formação de professores têm seu lado positivo e seu lado negativo. Pode ser positivo desde que os envolvidos na EAD, ou seja, aluno e professor tenham acesso de qualidade aos recursos tecnológicos e pode ser negativo se apesar de ter um acesso de qualidade aos recursos tecnológicos, a tecnologia não conseguir promover a interação necessária para acontecer a aprendizagem. As TICs também influenciam no modelo de ensino por alterar a relação ensino e aprendizagem, uma vez que o docente tem a autonomia de pesquisa e o acadêmico tem acesso ao ferramental. Isso requer uma mudança no docente, no sentido de conhecer as TICs, visando orientar os discentes a melhor maneira de utilizar as TICs. As Tecnologias de Informação e Comunicação, tornaram-se um desafio na formação e prática do professor Uma vez que ampliaram os níveis de exigências em sua capacitação que inclui entre outros conhecer o site enquanto ferramental para auxiliar seu trabalho e recomendar aos seus alunos. Hoje em dia não basta apenas recomendar os livros, os alunos tem o mesmo ou mais acesso as informações que o professor. Por isso é de grande valia o professor conhecer sites pertinentes a sua área de conhecimento e confiáveis, para poder indicar aos seus alunos, contribuindo assim para a realização da pesquisa do aluno e evitando o recorte e cole. Desse modo, o professor tem as tecnologias de informação e comunicação a seu favor e não contra. Entretanto, para o professor conhecer ele precisa pesquisar, ou seja, é necessário que haja uma formação de qualidade, que contemple as novas necessidades do mundo atual. Aos professores que já estão atuando, pode-se pensar na formação continuada de
  • 3. qualidade por meio do HTPC (horário de trabalho pedagógico coletivo), momentos que deveriam ser de aprendizagem e pesquisa. Outra questão problematizadora é sobre a profissionalização dos formadores de professores, que no sentido anglo-saxão designa a transformação de um ofício em profissão e no sentido clássico francês designa a transformação de uma prática desinteressada e ocasional em um ofício, com reconhecimento e formação específica. Segundo a autora alguns professores brasileiros são adeptos a prática ocasional comprometendo a qualidade com o ensino e a formação dos alunos. A imagem de professor propagada na sociedade contribui para a exposição das condições de trabalho e as necessidades básicas da educação não atendidas. As reflexões sobre profissionalização do professor é uma questão que se desdobra em muitas outras, por isso é urgente que se realize políticas educacionais tendo em vista a contextualização da formação do professor e da sociedade, buscando reduzir o afastamento entre a formação e as exigências da sociedade. Para Castanho (2000) vivemos a chamada fase de transição de paradigmas em educação. Galli Soares (2006) afirma: O paradigma educacional emergente da sociedade informatizada e das informações por ela desencadeadas direciona também o debate para os espaços pedagógicos escolares, envolvendo o professor e reconhecendo sua práxis, como forma de inovação por meio de novos ferramentais cuja aplicação com êxito na sala de aula, poderá elevar o conceito de educação e da qualidade da relação ensino e aprendizagem aproximando-a dos multimeios de comunicação e informação de forma didática, pedagógica, ampla e cidadã. (GALLI SOARES, 2006 p.109) Uma formação de professor de qualidade que abarque as tecnologias de informação e comunicação, pode (re)significar a profissionalização do professor e contribuir para melhorar a qualidade da educação oferecida a sociedade, bem como, aproximar as tecnologias de informação e comunicação na formação do cidadão de acordo com as novas exigências da sociedade. As tecnologias de informação e comunicação ampliaram todo o sistema de comunicação existente na sociedade. Para Galli Soares (2006): Os sistemas de comunicação disponíveis socialmente não apenas mudaram o cenário urbano em suas relações virtuais, como tornou a sociedade mais inteligente e veloz nos processos que eliminam o dispêndio de tempo e a locomoção no ir e vir, entre outras tarefas que sobrecarregam e atrasam o cotidiano. (GALLI SOARES, 2006 p.110)
  • 4. Os sistemas de comunicação já não se limitam a cartas, telefones ou fax. Hoje com a internet as pessoas podem se comunicar de qualquer lugar e qualquer hora. Ela favorece a comunicação além de facilitar a circulação de informação às pessoas que podem usufruir desse sistema. Esse sistema oportunizou uma nova conduta que inaugura o fazer a distância, o que exige um entendimento sobre esse fazer. Ação a distancia: entendimento e explicações O desenvolvimento dos meios de comunicação culminou em novos tipos de ações: a ação a distancia, que no presente estudo interessa a Educação a Distancia (EAD), até recentemente propagada em rádios, cadernos via correios e televisão por tele-aula. Esta última proporcionou a transmissão dos conteúdos mais próximos do aluno. A EAD ganhou destaque com as tecnologias de informação e comunicação, que permite interação entre professor e aluno, aluno e outros estudantes, professor e conteúdo, e ferramentais educacionais que auxiliam no processo ensino aprendizagem. O ensino a distancia pode acontecer de modo síncrono, ou seja, em tempo real, quando todos envolvidos estão on-line. E pode acontecer de modo assíncrono, ou seja, em tempo diferido, quando há uma demora para responder a mensagem. O público da EAD é advindo de diferentes realidades que podem ser: moradores de regiões distantes; profissionais cobrados por atualização; profissional com tempo indisponível; pessoas interessadas a continuar sua formação e se atualizarem. O MEC por meio das Resoluções e Pareceres regulamenta a EAD, que pode ser oferecida pelo Sistema Educacional, Instituições e Empresas, visando objetivo comercial ou social. Para Galli Soares (2006): A Educação a distancia, de caráter social, visa elevar a qualidade de vida e das relações das pessoas, na atual sociedade competitiva e de caráter transitório, em seus processos produtivos e de comunicação. (GALLI SOARES, 2006 p.121) Pensar a EAD como um meio para elevar a qualidade de vida é lógico e real, uma vez que a EAD favorece o uso das tecnologias de informação e comunicação sem minimizar a interatividade, no entanto, há que considerar a preocupação da autora sobre os otimismos exacerbados do uso da tecnologia e a produção e apropriação de conhecimento
  • 5. A construção de novos conhecimentos ocorre quando há elaboração cognitiva, ou seja, quando se reflete e questiona hipóteses e duvidas. Essa construção de aprendizagens que resulta em conhecimento conta com as tecnologias de informação e comunicação, sintetizado na internet com sites e home sites carregados de informações. Para o usuário apreender as informações, o conteúdo precisa ter uma linguagem clara e de fácil compreensão, para favorecer a auto-aprendizagem. Para tanto é necessário o letramento. O letramento ultrapassa a codificação e decodificação da leitura e escrita, ser letrado significa apropriar-se da leitura e da escrita fazendo uso social da mesma, ou seja, além de saber ler e escrever é saber utilizar a leitura e a escrita relacionando-as e produzindo conhecimento, independentemente do contexto social. No ambiente tecnológico existe o letramento digital, que é de suma importância para uso e compreensão dos hipertextos que permite o acesso a novas informações ampliando o exercício de interpretar e estabelecer relações com outros conteúdos. Para Galli Soares (2006): O ciberespaço constituído de informações acessíveis pela rede Internet é composto de tecnologia e de gente. É um sistema que possui, como o sistema educacional, um currículo que se mostra, na vitrine virtual, e se oculta na comunicação e no produto dela. (GALLI SOARES, 2006 p.128) Do mesmo modo que a educação escolar, a internet deixa exposta o seu currículo maquiando a intencionalidade de valores, cabe ao usuário discernir os sites e links a utilizar para não desviar do foco principal, cabe também conhecer o sistema de comunicação e suas possibilidades; O sistema de comunicação existente nos diferentes setores da sociedade ressignificou as relações urbanas e virtuais, tornando a sociedade mais dinâmica e rápida no que se refere ao tempo, espaço e a locomoção de ir e vir diariamente. A ampliação dos multimeios que ultrapassa a telefonia e o fax modificou a comunicação e organização de todas as pessoas, incluindo as pessoas envelhecidas, que buscam nos softwares e sites de relacionamento ou troca de e-mail na internet, suprir a solidão e isolamento comum a essas pessoas, surgindo uma nova cultura social e comunicacional. Pesquisadores como Moran, segundo Galli Soares (2006, p.110) explicam esta mudança na comunicação pelo “processamento multimidiático”, ou seja, as diferentes formas de veicular a informação.
  • 6. Neste contexto, surge o paradigma educacional do ciberespaço, exigindo um novo profissional construtor da comunicação da web, que consiga agregar a multiplicidade das áreas relacionadas no processo de criação e gestão da comunicação, visando à sociabilidade. Para suprir esta demanda multidisciplinar faz-se necessário profissionais de diversas áreas como: Pedagogo, Artes Plásticas, Arquitetos, Analista de Sistemas e de Telecomunicações, entre outros. Contudo, mesmo tendo uma equipe de profissionais multidisciplinar não garante o sucesso do site. O grupo de profissionais precisa realizar estudos e planejamento, refletindo sobre o conteúdo, os objetivos, aplicação e resultados, bem como, identificar o público, ter claro a metodologia adotada, o ferramental didático e a avaliação. A clareza dos objetivos permite estabelecer um roteiro metodológico da comunicação desejada, como também prever os possíveis resultados e sinalizar para uma avaliação que demonstre sua eficácia. Esse conhecimento e domínio passa também pela formação continuada de professores e de gestores educacionais, como profissionais a frente do uso e da administração de sistemas de comunicação. A questão da formação continuada de professores tem sido um dos temas mais debatidos atualmente em função da tão desejada e necessária obtenção de melhorias no processo de ensino e aprendizagem. Assim tanto em programas de formação inicial como nos de formação continuada, esse desafio se renova. A sociedade moderna com a ampliação das tecnologias de informação e comunicação interferiu significativamente na escola e consequentemente nos sujeitos envolvidos nela. Para Galli Soares (2006): O conhecimento técnico ferramental da informática torna-se, como outros, exigência e parte do cotidiano e das relações sociais como componente curricular da formação. [...] para operar tecnologias e fazer uso do acervo informativo da Internet na sua prática educativa, formação que deve ser revisitada oportunizando-se ao profissional de ensino o rito de passagem inadiável das posturas tradicionais para as novas midiatizadas pelas tecnologias. (GALLI SOARES, 2006, p.111) O professor como qualquer outro profissional comprometido em desempenhar sua função com excelência, precisa estar constantemente investindo em sua formação, visto que vivemos em uma sociedade mutável, onde os desafios para a prática pedagógica se intensificam com a chegada das tecnologias de informação e comunicação no meio educacional. Segundo Galli Soares (2006):
  • 7. Dentre os desafios para a revisão da prática pedagógica, utilizando tecnologias de informação e comunicação, destacam-se a mudança de paradigma didático que carregam latente os professores e a crença na formação continuada necessária para realizar a mudança de postura com as novas perspectivas projetadas pelos recursos e ambientes educacionais. (GALLI SOARES, 2006, p.104) A formação continuada de professores contribui para melhorar a prática pedagógica e qualidade de ensino, no entanto, não é recomendável depositar nela toda a expectativa na mudança de postura dos professores, uma vez que estes profissionais da educação em sua maioria estão enraizados nas posturas tradicionais. Por isso, faz-se necessário uma formação inicial e continuada que contemple os desafios da sociedade moderna. Longe da pretensão de esgotar essa discussão, mas de desencadear o debate ampliando as perspectivas da construção do conhecimento sobre o uso de tecnologias na educação sobretudo na formação do professor tema que nos motiva como pesquisadora.