Trabalho realizado por: Lorredana Oliveira Pereira
Trabalho de reposição
4C
Palácio Nacional de Mafra
O Palácio Nacional de Mafra é o mais internacional dos edifícios barrocos
portugueses e, no segu...
Palácio de Versailhes
Considerado um dos maiores do mundo, o Palácio de Versalhes possui 2.153 janelas, 67
escadas 352 cha...
A frontaria é marcada pela dicotomia entre palácio e igreja, convergindo as duas
salas na axial Sala das Bênçãos.
A igreja...
 Para cada um dos lados da igreja estendem-se os corpos retangulares e
tripartidos do palácio, terminando nos ângulos por...
O mais radiante período da história francesa tem suas páginas escritas nos luxuosos detalhes
de Versalhes. O palácio foi o...
 Museu Histórico
Em 1682, Versalhes tomou o lugar de paris como capital da França e por mais de 100 anos viveu seu moment...
PALÁCIO DE VERSALHES:
PALÁCIO DE MAFRA
FIM
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

palácio de mafra e palácio de versalhes

1.977 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

palácio de mafra e palácio de versalhes

  1. 1. Trabalho realizado por: Lorredana Oliveira Pereira Trabalho de reposição 4C
  2. 2. Palácio Nacional de Mafra O Palácio Nacional de Mafra é o mais internacional dos edifícios barrocos portugueses e, no seguimento da moda entre os monarcas europeus, reflecte a arquitectura absolutista, iniciada no Palácio de Versalhes em França. Constituído por um palácio real, uma basílica e um convento, resulta de uma promessa feita pelo rei em relação à sua sucessão. Com projecto de João Frederico Ludovice (Johann Friedrich Ludwig), arquitecto alemão estabelecido em Portugal, inicia as obras em 1717 e termina em 1730. É um edifício imenso, possui na fachada dois torreões, inspirados no desaparecido torreão do Paço da Ribeira, com a basílica ao centro e duas torres sineiras dominadas por uma imponente cúpula. Por trás fica o mosteiro de modo a que não seja visto da rua. O conjunto é visível do mar, funcionando como um marco territorial, e utilizado como residência de verão da corte. Sabe-se que o rei queria construir uma igreja ainda maior que o Vaticano, mas ao saber que foi necessário mais de um século mudou de ideias. No seu conjunto além da basílica destacam-se, ainda, a biblioteca os seis órgãos da igreja e os dois carrilhões.
  3. 3. Palácio de Versailhes Considerado um dos maiores do mundo, o Palácio de Versalhes possui 2.153 janelas, 67 escadas 352 chaminés, 700 quartos, 1.250 lareiras e 700 hectares de parque.1 É um dos pontos turísticos mais visitados de França, recebe em média oito milhões de turistas por ano e fica a três quarteirões da estação ferroviária. Construído pelo rei Luís XIV, o "Rei Sol", a partir de 1664, foi por mais de um século modelo de residência real na Europa, e por muitas vezes foi copiado.
  4. 4. A frontaria é marcada pela dicotomia entre palácio e igreja, convergindo as duas salas na axial Sala das Bênçãos. A igreja erguesse no centro da fachada, delimitada por duas altas e esbeltas torres sineiras de cobertura bolbosa linhas sinuosas. O seu acesso é feito por imponente escadaria e por diversas rampas. A fachada do templo dispõe-se em dois majestosos andares, um poderoso frontão triangular. O andar térreo afirma uma galilé de três portais, enquanto o piso superior é marcado por diversas janelas de frontão curvo e triangular. Estas aberturas são ladeadas por estátuas inseridas em nichos, ritmadas por altas colunas jónicas em mármore branco. A estatuária da entrada foi realizada por artistas italianos setecentistas, dos quais se podem destacar Monaldi, Baratta e Battista Maini. Palácio de Mafra
  5. 5.  Para cada um dos lados da igreja estendem-se os corpos retangulares e tripartidos do palácio, terminando nos ângulos por dois torreões de cobertura bolbosa, inspirados na antiga Casa da Índia do Terreiro do Paço lisboeta, destruída no terramoto de 1755.O interior da igreja é grandioso e equilibrado, dividido em três naves e seis capelas laterais comunicantes, com transepto bem saliente. Harmoniosamente decorada, nela se pode observar um jogo colorido de mármores italianos e portugueses, em articulação com a pedra do monumento.  As pinturas dos altares deterioraram-se em meados do século XVIII, sendo substituídas por composições marmóreas relevadas, obra de escultores italianos dirigidos por Alessandro Giusti. Este escultor romano introduziu a gramática decorativa rocaille e deixou uma operosa escola de discípulos portugueses, entre os quais se destacam os escultores Joaquim Machado de Castro e José de Almeida.A igreja é bem iluminada, sendo magistral a cúpula que se ergue no cruzeiro do transepto. Elevado pelo alto tambor, o zimbório forma uma cúpula perfeita rasgada por amplas janelas. Também a capela- mor e as colaterais são profusamente iluminadas, realçando o encanto dos seus mármores policromos. De grandes dimensões, o altar-mor apresenta uma enorme tela pintada, encimada por um Cristo crucificado.
  6. 6. O mais radiante período da história francesa tem suas páginas escritas nos luxuosos detalhes de Versalhes. O palácio foi o espelho da imagem de Luiís XIV, o Rei-Sol, que não economizou recursos para refletir o esplendor de uma era de requinte. Em um modesto vilarejo em Versalhes, perto da cidade de Paris, o rei francês Luís XII decidiu erguer, em 1624, um pequeno castelo para o encontro de caça da nobreza francesa. mal imaginava que seu filho, já com o título de Luís XV, transformaria a acanhada construção na mais exuberante obra dos anos dourados da França. durante o reinado do Rei-Sol, o Palácio de Versalhes foi o símbolo de um período marcado pelo auge do poder real, pela força política da França sobre os demais países da Europa e pela era de glória nas artes e na literatura. Tudo no palácio é magnífico. Por dentro, os aposentos são sinuosamente decorados com dourado, exibindo a riqueza da nobreza que ali residiu. Por for a, a paisagem foi cuidadosamente projetada a pedido do Rei-Sol. Os jardins foram desenhados seguindo formas simétricas. Espécies de flores e árvore foram levadas de outras regiões para Versalhes. Palácio de Versailhes
  7. 7.  Museu Histórico Em 1682, Versalhes tomou o lugar de paris como capital da França e por mais de 100 anos viveu seu momento de glória. Ali, a nobreza desfrutava de intermináveis festas - um contraste em relação à vida miserável da maioria da população francesa. o fim dos tempos de esplendor ocorreu em 1789, quando Versalhes foi invadido durante a Revolução Francesa. O palácio foi saqueado e despojado de diversas obras de arte. Restaurado em 1837, por Luís Felipe, ultimo rei francês, Versalhes tornou-se um museu que guarda a história áurea da França. Fonte de Apolo Em uma das esculturas dos Jardins de Versalhes, Apolo, o deus sol da mitologia grega, parece conduzindo uma carruagem. Salão dos Espelhos Com 75 metros de extensão e 10 metros de largura, é inundado de luz a partir das altas janelas e das centenas de espelhos. Luís XIV (1638 - 1715) Em maio de 1664, o Rei-Sol, montado em seu cavalo, desfilou pelos jardins do palácio na festa de inauguração de Versalhes. Localização O Palácio de Versalhes fica na cidade de Versalhes, na França. Projeto Arquitetônico Le Vau, Hardouin-Mansart e Le Nôtre Residência Cerca de 20 mil nobres chegaram a residir em Versalhes.
  8. 8. PALÁCIO DE VERSALHES:
  9. 9. PALÁCIO DE MAFRA
  10. 10. FIM

×