10 queimaduras

7.851 visualizações

Publicada em

2 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.851
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
512
Comentários
2
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

10 queimaduras

  1. 1. 10. QUEIMADURAS São lesões corporais provocadas por calor ou por outros agentes físicos ou químicos, tais como:Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  2. 2. 10. QUEIMADURAS São lesões corporais provocadas por calor ou por outros agentes físicos ou químicos, tais como: - fogoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  3. 3. 10. QUEIMADURAS São lesões corporais provocadas por calor ou por outros agentes físicos ou químicos, tais como: - fogo - atritoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  4. 4. 10. QUEIMADURAS São lesões corporais provocadas por calor ou por outros agentes físicos ou químicos, tais como: - fogo - atrito - fricçãoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  5. 5. 10. QUEIMADURAS São lesões corporais provocadas por calor ou por outros agentes físicos ou químicos, tais como: - fogo - atrito - fricção - Líquidos ferventesJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  6. 6. 10. QUEIMADURAS São lesões corporais provocadas por calor ou por outros agentes físicos ou químicos, tais como: - fogo - atrito - fricção - Líquidos ferventes - vaporesJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  7. 7. 10. QUEIMADURAS São lesões corporais provocadas por calor ou por outros agentes físicos ou químicos, tais como: - fogo - atrito - fricção - Líquidos ferventes - vapores - electricidadeJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  8. 8. 10. QUEIMADURAS São lesões corporais provocadas por calor ou por outros agentes físicos ou químicos, tais como: - fogo - atrito - fricção - Líquidos ferventes - vapores - electricidade - radiações solaresJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  9. 9. 10. QUEIMADURAS São lesões corporais provocadas por calor ou por outros agentes físicos ou químicos, tais como: - fogo - atrito - fricção - Líquidos ferventes - vapores - electricidade - radiações solares - frioJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  10. 10. 10. QUEIMADURAS São lesões corporais provocadas por calor ou por outros agentes físicos ou químicos, tais como: - fogo - atrito - fricção - Líquidos ferventes - vapores - electricidade - radiações solares - frio - produtos químicos (ácidos e substâncias alcalinasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  11. 11. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de QueimadurasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  12. 12. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  13. 13. 10. QUEIMADURAS Epiderme Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 1º GrauJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  14. 14. 10. QUEIMADURAS Epiderme Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 1º Grau Sinais e SintomasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  15. 15. 10. QUEIMADURAS Epiderme Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 1º Grau - Dor leve a moderada Sinais e SintomasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  16. 16. 10. QUEIMADURAS Epiderme Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 1º Grau - Dor leve a moderada Sinais e Sintomas - Sensação de formigueiroJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  17. 17. 10. QUEIMADURAS Epiderme Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 1º Grau - Dor leve a moderada Sinais e Sintomas - Sensação de formigueiro - HiperestesiaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  18. 18. 10. QUEIMADURAS Epiderme Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 1º Grau - Dor leve a moderada Sinais e Sintomas - Sensação de formigueiro - Hiperestesia Aumento da sensibilidade à dor ou a estímulosJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  19. 19. 10. QUEIMADURAS Epiderme Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 1º Grau - Dor leve a moderada Sinais e Sintomas - Sensação de formigueiro - Hiperestesia - EritemaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  20. 20. 10. QUEIMADURAS Epiderme Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 1º Grau - Dor leve a moderada Sinais e Sintomas - Sensação de formigueiro - Hiperestesia - Eritema Congestão cutânea que provoca vermelhidão na peleJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  21. 21. 10. QUEIMADURAS Epiderme Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 1º Grau - Dor leve a moderada Sinais e Sintomas - Sensação de formigueiro - Hiperestesia - Eritema - Discreto ou nenhum edemaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  22. 22. 10. QUEIMADURAS Epiderme Derme Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 2º Grau Sinais e SintomasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  23. 23. 10. QUEIMADURAS Epiderme Derme Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 2º Grau - Dor moderada a severa Sinais e SintomasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  24. 24. 10. QUEIMADURAS Epiderme Derme Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 2º Grau - Dor moderada a severa Sinais e Sintomas - HiperestesiaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  25. 25. 10. QUEIMADURAS Epiderme Derme Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 2º Grau - Dor moderada a severa Sinais e Sintomas - Hiperestesia - HiperemiaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  26. 26. 10. QUEIMADURAS Epiderme Derme Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 2º Grau - Dor moderada a severa Sinais e Sintomas - Hiperestesia - Hiperemia Aumento de abundância de sangue em determinado localJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  27. 27. 10. QUEIMADURAS Epiderme Derme Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 2º Grau Sinais e Sintomas - FlictenaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  28. 28. 10. QUEIMADURAS Epiderme Derme Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 2º Grau Sinais e Sintomas - Flictena Cavidade da pele que contém líquidoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  29. 29. 10. QUEIMADURAS Epiderme Derme Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 2º Grau - Dor moderada a severa Sinais e Sintomas - Hiperestesia - Hiperemia - Flictena - Pele húmidaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  30. 30. 10. QUEIMADURAS Epiderme Derme Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 2º Grau - Dor moderada a severa Sinais e Sintomas - Hiperestesia - Hiperemia - Flictena - Pele húmida - Aparência rósea ou esbranquiçadaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  31. 31. 10. QUEIMADURAS Epiderme Derme Hipoderme Critérios de Avaliação de Queimaduras Tecidos adjacentes 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 3º GrauJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  32. 32. 10. QUEIMADURAS Epiderme Derme Hipoderme Critérios de Avaliação de Queimaduras Tecidos adjacentes 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 3º Grau Sinais e SintomasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  33. 33. 10. QUEIMADURAS Epiderme Derme Hipoderme Critérios de Avaliação de Queimaduras Tecidos adjacentes 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 3º Grau Sinais e Sintomas - Dor severa ou ausência de dorJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  34. 34. 10. QUEIMADURAS Epiderme Derme Hipoderme Critérios de Avaliação de Queimaduras Tecidos adjacentes 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 3º Grau Sinais e Sintomas - Dor severa ou ausência de dor - Aparência esbranquiçada e carbonizadaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  35. 35. 10. QUEIMADURAS Epiderme Derme Hipoderme Critérios de Avaliação de Queimaduras Tecidos adjacentes 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 3º Grau Sinais e Sintomas - Dor severa ou ausência de dor - Aparência esbranquiçada e carbonizada - Vasos trombosadosJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  36. 36. 10. QUEIMADURAS Epiderme Derme Hipoderme Critérios de Avaliação de Queimaduras Tecidos adjacentes 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 3º Grau Sinais e Sintomas - Dor severa ou ausência de dor - Aparência esbranquiçada e carbonizada - Vasos trombosados - HipotermiaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  37. 37. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de QueimadurasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  38. 38. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  39. 39. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) 2. ExtensãoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  40. 40. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) 2. Extensão Regra dos 9 de WallaceJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  41. 41. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) 2. Extensão Regra dos 9 de WallaceJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  42. 42. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) 2. Extensão 9% Regra dos 9 de WallaceJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  43. 43. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) 2. Extensão 9% Regra dos 9 de Wallace 9%+9%Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  44. 44. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) 2. Extensão 9% Regra dos 9 de Wallace 9%+9% 9%Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  45. 45. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) 2. Extensão 9% Regra dos 9 de Wallace 9%+9% 9% 9%Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  46. 46. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) 2. Extensão 9% Regra dos 9 de Wallace 9%+9% 9% 9% 18%+18%Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  47. 47. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) 2. Extensão 9% Regra dos 9 de Wallace 9%+9% 9% 9% 1% 18%+18%Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  48. 48. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) 2. Extensão 9% Regra dos 9 de Wallace 9%+9% 9% Totalidade: 100 % 9% Áreas mais pequenas: palma da mão 1% 1% 18%+18%Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  49. 49. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) 2. Extensão 9% Regra dos 9 de Wallace 9%+9% 9% Totalidade: 100 % 9% Áreas mais pequenas: palma da mão 1% 1% 18%+18%Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  50. 50. 10. QUEIMADURAS 1. Profundidade (Grau) Critérios de Avaliação de Queimaduras 2.9Extensão 9 9 9 9 9 9 9 14 1 9 9 18 18 9 14 9 9 9 9 9 18 16 16 16 16 14 9 Anterior 18 % Posterior 18 %Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  51. 51. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) 2. Extensão 3. LocalizaçãoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  52. 52. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) 2. Extensão 3. Localização QueimadurasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  53. 53. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) 2. Extensão 3. Localização Face QueimadurasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  54. 54. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) 2. Extensão 3. Localização Face Pescoço QueimadurasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  55. 55. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) 2. Extensão 3. Localização Face Pescoço Queimaduras TóraxJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  56. 56. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) 2. Extensão 3. Localização Face Pescoço Queimaduras Tórax Órgãos GenitaisJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  57. 57. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) 2. Extensão 3. Localização Face Pescoço Queimaduras Tórax Órgãos Genitais ArticulaçõesJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  58. 58. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) 2. Extensão 3. Localização Face Pescoço Queimaduras Tórax Sempre Graves Órgãos Genitais ArticulaçõesJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  59. 59. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) 2. Extensão 3. Localização 4. Idade Mais graves em idades extremas – Crianças e IdososJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  60. 60. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Choque Devido a dor violenta e perda de plasma (quando se verifica). Frequente em grandes queimadosJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  61. 61. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Choque Devido a dor violenta e perda de plasma (quando se verifica). Frequente em grandes queimados Infecção Frequente nas queimaduras d0 2º e 3º grau pela destruição da pele (perda da defesa contra as infecções).Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  62. 62. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras muito extensasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  63. 63. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro - Não despir, nem arrancar a roupa. Para vítimas com queimaduras muito extensasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  64. 64. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro - Não despir, nem arrancar a roupa. - Arrefecer imediatamente para aliviar a dor e parar processo da queimadura Para vítimas com queimaduras muito extensasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  65. 65. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro - Não despir, nem arrancar a roupa. - Arrefecer imediatamente para aliviar a dor e parar processo da queimadura Para vítimas com - Cobrir a zona ou toda a vítima com um lençol sem pelos, levemente queimaduras muito humedecido e depois tapá-lo com um cobertor extensasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  66. 66. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro - Não despir, nem arrancar a roupa. - Arrefecer imediatamente para aliviar a dor e parar processo da queimadura Para vítimas com - Cobrir a zona ou toda a vítima com um lençol sem pelos, levemente queimaduras muito humedecido e depois tapá-lo com um cobertor extensas - Prevenir o choque e a hipotermiaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  67. 67. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro - Não despir, nem arrancar a roupa. - Arrefecer imediatamente para aliviar a dor e parar processo da queimadura Para vítimas com - Cobrir a zona ou toda a vítima com um lençol sem pelos, levemente queimaduras muito humedecido e depois tapá-lo com um cobertor extensas - Prevenir o choque e a hipotermia - Promover o transporte para o hospitalJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  68. 68. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras pouco extensas queimaduras de 1º , 2º e 3º grausJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  69. 69. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras pouco extensas queimaduras de 1º , 2º e 3º graus  Arrefecero mais possível a lesão (água corrente durante 10 minutos; compressas ou panos limpos sem pelos)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  70. 70. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras pouco extensas queimaduras de 1º , 2º e 3º graus  Arrefecero mais possível a lesão (água corrente durante 10 minutos; compressas ou panos limpos sem pelos)  Retirar jóias e adereços (se possível sem arrancar pele)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  71. 71. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras pouco extensas queimaduras de 1º , 2º e 3º graus  Arrefecero mais possível a lesão (água corrente durante 10 minutos; compressas ou panos limpos sem pelos)  Retirar jóias e adereços (se possível sem arrancar pele)  Após arrefecimento, colocar creme hidratante neutro e sem corantes (ex. creme nívea) (não colocar gorduras)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  72. 72. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras pouco extensas queimaduras de 1º , 2º e 3º graus  Arrefecero mais possível a lesão (água corrente durante 10 minutos; compressas ou panos limpos sem pelos)  Retirar jóias e adereços (se possível sem arrancar pele)  Após arrefecimento, colocar creme hidratante neutro e sem corantes (ex. creme nívea) (não colocar gorduras)  Não retirar roupas queimadas aderida à pele da vítima.Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  73. 73. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por insolação/golpe de calorJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  74. 74. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por insolação/golpe de calor  Remover a vítima para lugar fresco e arejado;Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  75. 75. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por insolação/golpe de calor  Remover a vítima para lugar fresco e arejado;  Mantê-la deitada;Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  76. 76. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por insolação/golpe de calor  Remover a vítima para lugar fresco e arejado;  Mantê-la deitada;  Baixar a temperatura do corpo de modo progressivo, envolvendo-a com toalhas humedecidas;Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  77. 77. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por insolação/golpe de calor  Remover a vítima para lugar fresco e arejado;  Mantê-la deitada;  Baixar a temperatura do corpo de modo progressivo, envolvendo-a com toalhas humedecidas;  Oferecer líquidos em pequenas quantidades e de forma frequente;Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  78. 78. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por insolação/golpe de calor  Remover a vítima para lugar fresco e arejado;  Mantê-la deitada;  Baixar a temperatura do corpo de modo progressivo, envolvendo-a com toalhas humedecidas;  Oferecer líquidos em pequenas quantidades e de forma frequente;  Avaliar nível de consciência, pulso e respiração;Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  79. 79. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por insolação/golpe de calor  Remover a vítima para lugar fresco e arejado;  Mantê-la deitada;  Baixar a temperatura do corpo de modo progressivo, envolvendo-a com toalhas humedecidas;  Oferecer líquidos em pequenas quantidades e de forma frequente;  Avaliar nível de consciência, pulso e respiração;  Providenciar transporte adequado para atendimento hospitalar;Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  80. 80. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por produtos químicosJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  81. 81. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por produtos químicos A exposição da pele e/ou mucosas a produtos químicos (ácidos e álcalis) pode causar queimaduras graves.Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  82. 82. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por produtos químicos A exposição da pele e/ou mucosas a produtos químicos (ácidos e álcalis) pode causar queimaduras graves. A gravidade das lesões dependeráJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  83. 83. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por produtos químicos A exposição da pele e/ou mucosas a produtos químicos (ácidos e álcalis) pode causar queimaduras graves. A gravidade das lesões dependerá da concentração e da quantidade do produto,Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  84. 84. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por produtos químicos A exposição da pele e/ou mucosas a produtos químicos (ácidos e álcalis) pode causar queimaduras graves. A gravidade das lesões dependerá da concentração e da quantidade do produto, duração e modo de contato com a pele,Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  85. 85. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por produtos químicos A exposição da pele e/ou mucosas a produtos químicos (ácidos e álcalis) pode causar queimaduras graves. A gravidade das lesões dependerá da concentração e da quantidade do produto, duração e modo de contato com a pele, extensão corporal exposta ao agenteJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  86. 86. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por produtos químicos A exposição da pele e/ou mucosas a produtos químicos (ácidos e álcalis) pode causar queimaduras graves. A gravidade das lesões dependerá da concentração e da quantidade do produto, duração e modo de contato com a pele, extensão corporal exposta ao agente e do mecanismo de ação da substância.Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  87. 87. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por produtos químicosJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  88. 88. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por produtos químicos  Despir a vítima (apenas o necessário e se possível debaixo de chuveiro)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  89. 89. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por produtos químicos  Despir a vítima (apenas o necessário e se possível debaixo de chuveiro)  Remover a substância diluindo-a com água corrente em abundânciaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  90. 90. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por produtos químicos  Despir a vítima (apenas o necessário e se possível debaixo de chuveiro)  Remover a substância diluindo-a com água corrente em abundância  Evite que a água misturada ao produto se espalhe afetando outras áreas do corpo da vítimaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  91. 91. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por produtos químicos  Despir a vítima (apenas o necessário e se possível debaixo de chuveiro)  Remover a substância diluindo-a com água corrente em abundância  Evite que a água misturada ao produto se espalhe afetando outras áreas do corpo da vítima  Utilize EPI (dependendo do mecanismo de ação da substância as luvas de borracha podem ser corroídas)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  92. 92. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por produtos químicos  Despir a vítima (apenas o necessário e se possível debaixo de chuveiro)  Remover a substância diluindo-a com água corrente em abundância  Evite que a água misturada ao produto se espalhe afetando outras áreas do corpo da vítima  Utilize EPI (dependendo do mecanismo de ação da substância as luvas de borracha podem ser corroídas)  Quando possível, fornecer informação do produto (guardar rótulo)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  93. 93. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por produtos químicos  Despir a vítima (apenas o necessário e se possível debaixo de chuveiro)  Remover a substância diluindo-a com água corrente em abundância  Evite que a água misturada ao produto se espalhe afetando outras áreas do corpo da vítima  Utilize EPI (dependendo do mecanismo de ação da substância as luvas de borracha podem ser corroídas)  Quando possível, fornecer informação do produto (guardar rótulo)  Providenciar transporte para hospitalJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  94. 94. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras eléctricasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  95. 95. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras eléctricas O choque elétrico pode provocar desde um leve formigueiro, podendo chegar à fibrilhação, PCR, e queimaduras graves.Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  96. 96. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras eléctrica  Interromper o fluxo da corrente elétrica antes de tocar na vítimaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  97. 97. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras eléctrica  Interromper o fluxo da corrente elétrica antes de tocar na vítima  Pedir para contactar a companhia de energia elétrica nos acidentes em via públicaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  98. 98. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras eléctrica  Interromper o fluxo da corrente elétrica antes de tocar na vítima  Pedir para contactar a companhia de energia elétrica nos acidentes em via pública  Tentar descobrir porta de entrada e de saída (estabelecer trajecto da corrente eléctrica)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  99. 99. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras eléctrica  Interromper o fluxo da corrente elétrica antes de tocar na vítima  Pedir para contactar a companhia de energia elétrica nos acidentes em via pública  Tentar descobrir porta de entrada e de saída (estabelecer trajecto da corrente eléctrica)  Garantir permeabilidade das vias aéreas com controle da coluna cervical;Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  100. 100. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras eléctrica  Interromper o fluxo da corrente elétrica antes de tocar na vítima  Pedir para contactar a companhia de energia elétrica nos acidentes em via pública  Tentar descobrir porta de entrada e de saída (estabelecer trajecto da corrente eléctrica)  Garantir permeabilidade das vias aéreas com controle da coluna cervical;  Realizar RCP, se for constatada PCR;Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  101. 101. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras eléctrica  Interromper o fluxo da corrente elétrica antes de tocar na vítima  Pedir para contactar a companhia de energia elétrica nos acidentes em via pública  Tentar descobrir porta de entrada e de saída (estabelecer trajecto da corrente eléctrica)  Garantir permeabilidade das vias aéreas com controle da coluna cervical;  Realizar RCP, se for constatada PCR;  Realizar cobertura e imobilizações nas lesões existentes;Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  102. 102. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras eléctrica  Interromper o fluxo da corrente elétrica antes de tocar na vítima  Pedir para contactar a companhia de energia elétrica nos acidentes em via pública  Tentar descobrir porta de entrada e de saída (estabelecer trajecto da corrente eléctrica)  Garantir permeabilidade das vias aéreas com controle da coluna cervical;  Realizar RCP, se for constatada PCR;  Realizar cobertura e imobilizações nas lesões existentes;  Vigiar parâmetros vitais enquanto aguarda o Suporte Avançado de Vida.Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012

×