O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

10 queimaduras

7.997 visualizações

Publicada em

10 queimaduras

  1. 1. 10. QUEIMADURAS São lesões corporais provocadas por calor ou por outros agentes físicos ou químicos, tais como:Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  2. 2. 10. QUEIMADURAS São lesões corporais provocadas por calor ou por outros agentes físicos ou químicos, tais como: - fogoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  3. 3. 10. QUEIMADURAS São lesões corporais provocadas por calor ou por outros agentes físicos ou químicos, tais como: - fogo - atritoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  4. 4. 10. QUEIMADURAS São lesões corporais provocadas por calor ou por outros agentes físicos ou químicos, tais como: - fogo - atrito - fricçãoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  5. 5. 10. QUEIMADURAS São lesões corporais provocadas por calor ou por outros agentes físicos ou químicos, tais como: - fogo - atrito - fricção - Líquidos ferventesJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  6. 6. 10. QUEIMADURAS São lesões corporais provocadas por calor ou por outros agentes físicos ou químicos, tais como: - fogo - atrito - fricção - Líquidos ferventes - vaporesJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  7. 7. 10. QUEIMADURAS São lesões corporais provocadas por calor ou por outros agentes físicos ou químicos, tais como: - fogo - atrito - fricção - Líquidos ferventes - vapores - electricidadeJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  8. 8. 10. QUEIMADURAS São lesões corporais provocadas por calor ou por outros agentes físicos ou químicos, tais como: - fogo - atrito - fricção - Líquidos ferventes - vapores - electricidade - radiações solaresJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  9. 9. 10. QUEIMADURAS São lesões corporais provocadas por calor ou por outros agentes físicos ou químicos, tais como: - fogo - atrito - fricção - Líquidos ferventes - vapores - electricidade - radiações solares - frioJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  10. 10. 10. QUEIMADURAS São lesões corporais provocadas por calor ou por outros agentes físicos ou químicos, tais como: - fogo - atrito - fricção - Líquidos ferventes - vapores - electricidade - radiações solares - frio - produtos químicos (ácidos e substâncias alcalinasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  11. 11. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de QueimadurasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  12. 12. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  13. 13. 10. QUEIMADURAS Epiderme Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 1º GrauJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  14. 14. 10. QUEIMADURAS Epiderme Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 1º Grau Sinais e SintomasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  15. 15. 10. QUEIMADURAS Epiderme Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 1º Grau - Dor leve a moderada Sinais e SintomasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  16. 16. 10. QUEIMADURAS Epiderme Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 1º Grau - Dor leve a moderada Sinais e Sintomas - Sensação de formigueiroJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  17. 17. 10. QUEIMADURAS Epiderme Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 1º Grau - Dor leve a moderada Sinais e Sintomas - Sensação de formigueiro - HiperestesiaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  18. 18. 10. QUEIMADURAS Epiderme Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 1º Grau - Dor leve a moderada Sinais e Sintomas - Sensação de formigueiro - Hiperestesia Aumento da sensibilidade à dor ou a estímulosJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  19. 19. 10. QUEIMADURAS Epiderme Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 1º Grau - Dor leve a moderada Sinais e Sintomas - Sensação de formigueiro - Hiperestesia - EritemaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  20. 20. 10. QUEIMADURAS Epiderme Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 1º Grau - Dor leve a moderada Sinais e Sintomas - Sensação de formigueiro - Hiperestesia - Eritema Congestão cutânea que provoca vermelhidão na peleJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  21. 21. 10. QUEIMADURAS Epiderme Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 1º Grau - Dor leve a moderada Sinais e Sintomas - Sensação de formigueiro - Hiperestesia - Eritema - Discreto ou nenhum edemaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  22. 22. 10. QUEIMADURAS Epiderme Derme Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 2º Grau Sinais e SintomasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  23. 23. 10. QUEIMADURAS Epiderme Derme Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 2º Grau - Dor moderada a severa Sinais e SintomasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  24. 24. 10. QUEIMADURAS Epiderme Derme Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 2º Grau - Dor moderada a severa Sinais e Sintomas - HiperestesiaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  25. 25. 10. QUEIMADURAS Epiderme Derme Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 2º Grau - Dor moderada a severa Sinais e Sintomas - Hiperestesia - HiperemiaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  26. 26. 10. QUEIMADURAS Epiderme Derme Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 2º Grau - Dor moderada a severa Sinais e Sintomas - Hiperestesia - Hiperemia Aumento de abundância de sangue em determinado localJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  27. 27. 10. QUEIMADURAS Epiderme Derme Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 2º Grau Sinais e Sintomas - FlictenaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  28. 28. 10. QUEIMADURAS Epiderme Derme Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 2º Grau Sinais e Sintomas - Flictena Cavidade da pele que contém líquidoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  29. 29. 10. QUEIMADURAS Epiderme Derme Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 2º Grau - Dor moderada a severa Sinais e Sintomas - Hiperestesia - Hiperemia - Flictena - Pele húmidaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  30. 30. 10. QUEIMADURAS Epiderme Derme Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 2º Grau - Dor moderada a severa Sinais e Sintomas - Hiperestesia - Hiperemia - Flictena - Pele húmida - Aparência rósea ou esbranquiçadaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  31. 31. 10. QUEIMADURAS Epiderme Derme Hipoderme Critérios de Avaliação de Queimaduras Tecidos adjacentes 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 3º GrauJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  32. 32. 10. QUEIMADURAS Epiderme Derme Hipoderme Critérios de Avaliação de Queimaduras Tecidos adjacentes 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 3º Grau Sinais e SintomasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  33. 33. 10. QUEIMADURAS Epiderme Derme Hipoderme Critérios de Avaliação de Queimaduras Tecidos adjacentes 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 3º Grau Sinais e Sintomas - Dor severa ou ausência de dorJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  34. 34. 10. QUEIMADURAS Epiderme Derme Hipoderme Critérios de Avaliação de Queimaduras Tecidos adjacentes 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 3º Grau Sinais e Sintomas - Dor severa ou ausência de dor - Aparência esbranquiçada e carbonizadaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  35. 35. 10. QUEIMADURAS Epiderme Derme Hipoderme Critérios de Avaliação de Queimaduras Tecidos adjacentes 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 3º Grau Sinais e Sintomas - Dor severa ou ausência de dor - Aparência esbranquiçada e carbonizada - Vasos trombosadosJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  36. 36. 10. QUEIMADURAS Epiderme Derme Hipoderme Critérios de Avaliação de Queimaduras Tecidos adjacentes 1. Profundidade (Grau) Queimadura de 3º Grau Sinais e Sintomas - Dor severa ou ausência de dor - Aparência esbranquiçada e carbonizada - Vasos trombosados - HipotermiaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  37. 37. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de QueimadurasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  38. 38. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  39. 39. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) 2. ExtensãoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  40. 40. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) 2. Extensão Regra dos 9 de WallaceJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  41. 41. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) 2. Extensão Regra dos 9 de WallaceJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  42. 42. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) 2. Extensão 9% Regra dos 9 de WallaceJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  43. 43. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) 2. Extensão 9% Regra dos 9 de Wallace 9%+9%Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  44. 44. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) 2. Extensão 9% Regra dos 9 de Wallace 9%+9% 9%Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  45. 45. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) 2. Extensão 9% Regra dos 9 de Wallace 9%+9% 9% 9%Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  46. 46. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) 2. Extensão 9% Regra dos 9 de Wallace 9%+9% 9% 9% 18%+18%Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  47. 47. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) 2. Extensão 9% Regra dos 9 de Wallace 9%+9% 9% 9% 1% 18%+18%Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  48. 48. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) 2. Extensão 9% Regra dos 9 de Wallace 9%+9% 9% Totalidade: 100 % 9% Áreas mais pequenas: palma da mão 1% 1% 18%+18%Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  49. 49. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) 2. Extensão 9% Regra dos 9 de Wallace 9%+9% 9% Totalidade: 100 % 9% Áreas mais pequenas: palma da mão 1% 1% 18%+18%Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  50. 50. 10. QUEIMADURAS 1. Profundidade (Grau) Critérios de Avaliação de Queimaduras 2.9Extensão 9 9 9 9 9 9 9 14 1 9 9 18 18 9 14 9 9 9 9 9 18 16 16 16 16 14 9 Anterior 18 % Posterior 18 %Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  51. 51. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) 2. Extensão 3. LocalizaçãoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  52. 52. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) 2. Extensão 3. Localização QueimadurasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  53. 53. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) 2. Extensão 3. Localização Face QueimadurasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  54. 54. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) 2. Extensão 3. Localização Face Pescoço QueimadurasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  55. 55. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) 2. Extensão 3. Localização Face Pescoço Queimaduras TóraxJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  56. 56. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) 2. Extensão 3. Localização Face Pescoço Queimaduras Tórax Órgãos GenitaisJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  57. 57. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) 2. Extensão 3. Localização Face Pescoço Queimaduras Tórax Órgãos Genitais ArticulaçõesJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  58. 58. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) 2. Extensão 3. Localização Face Pescoço Queimaduras Tórax Sempre Graves Órgãos Genitais ArticulaçõesJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  59. 59. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras 1. Profundidade (Grau) 2. Extensão 3. Localização 4. Idade Mais graves em idades extremas – Crianças e IdososJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  60. 60. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Choque Devido a dor violenta e perda de plasma (quando se verifica). Frequente em grandes queimadosJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  61. 61. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Choque Devido a dor violenta e perda de plasma (quando se verifica). Frequente em grandes queimados Infecção Frequente nas queimaduras d0 2º e 3º grau pela destruição da pele (perda da defesa contra as infecções).Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  62. 62. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras muito extensasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  63. 63. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro - Não despir, nem arrancar a roupa. Para vítimas com queimaduras muito extensasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  64. 64. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro - Não despir, nem arrancar a roupa. - Arrefecer imediatamente para aliviar a dor e parar processo da queimadura Para vítimas com queimaduras muito extensasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  65. 65. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro - Não despir, nem arrancar a roupa. - Arrefecer imediatamente para aliviar a dor e parar processo da queimadura Para vítimas com - Cobrir a zona ou toda a vítima com um lençol sem pelos, levemente queimaduras muito humedecido e depois tapá-lo com um cobertor extensasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  66. 66. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro - Não despir, nem arrancar a roupa. - Arrefecer imediatamente para aliviar a dor e parar processo da queimadura Para vítimas com - Cobrir a zona ou toda a vítima com um lençol sem pelos, levemente queimaduras muito humedecido e depois tapá-lo com um cobertor extensas - Prevenir o choque e a hipotermiaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  67. 67. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro - Não despir, nem arrancar a roupa. - Arrefecer imediatamente para aliviar a dor e parar processo da queimadura Para vítimas com - Cobrir a zona ou toda a vítima com um lençol sem pelos, levemente queimaduras muito humedecido e depois tapá-lo com um cobertor extensas - Prevenir o choque e a hipotermia - Promover o transporte para o hospitalJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  68. 68. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras pouco extensas queimaduras de 1º , 2º e 3º grausJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  69. 69. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras pouco extensas queimaduras de 1º , 2º e 3º graus  Arrefecero mais possível a lesão (água corrente durante 10 minutos; compressas ou panos limpos sem pelos)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  70. 70. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras pouco extensas queimaduras de 1º , 2º e 3º graus  Arrefecero mais possível a lesão (água corrente durante 10 minutos; compressas ou panos limpos sem pelos)  Retirar jóias e adereços (se possível sem arrancar pele)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  71. 71. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras pouco extensas queimaduras de 1º , 2º e 3º graus  Arrefecero mais possível a lesão (água corrente durante 10 minutos; compressas ou panos limpos sem pelos)  Retirar jóias e adereços (se possível sem arrancar pele)  Após arrefecimento, colocar creme hidratante neutro e sem corantes (ex. creme nívea) (não colocar gorduras)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  72. 72. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras pouco extensas queimaduras de 1º , 2º e 3º graus  Arrefecero mais possível a lesão (água corrente durante 10 minutos; compressas ou panos limpos sem pelos)  Retirar jóias e adereços (se possível sem arrancar pele)  Após arrefecimento, colocar creme hidratante neutro e sem corantes (ex. creme nívea) (não colocar gorduras)  Não retirar roupas queimadas aderida à pele da vítima.Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  73. 73. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por insolação/golpe de calorJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  74. 74. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por insolação/golpe de calor  Remover a vítima para lugar fresco e arejado;Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  75. 75. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por insolação/golpe de calor  Remover a vítima para lugar fresco e arejado;  Mantê-la deitada;Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  76. 76. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por insolação/golpe de calor  Remover a vítima para lugar fresco e arejado;  Mantê-la deitada;  Baixar a temperatura do corpo de modo progressivo, envolvendo-a com toalhas humedecidas;Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  77. 77. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por insolação/golpe de calor  Remover a vítima para lugar fresco e arejado;  Mantê-la deitada;  Baixar a temperatura do corpo de modo progressivo, envolvendo-a com toalhas humedecidas;  Oferecer líquidos em pequenas quantidades e de forma frequente;Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  78. 78. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por insolação/golpe de calor  Remover a vítima para lugar fresco e arejado;  Mantê-la deitada;  Baixar a temperatura do corpo de modo progressivo, envolvendo-a com toalhas humedecidas;  Oferecer líquidos em pequenas quantidades e de forma frequente;  Avaliar nível de consciência, pulso e respiração;Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  79. 79. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por insolação/golpe de calor  Remover a vítima para lugar fresco e arejado;  Mantê-la deitada;  Baixar a temperatura do corpo de modo progressivo, envolvendo-a com toalhas humedecidas;  Oferecer líquidos em pequenas quantidades e de forma frequente;  Avaliar nível de consciência, pulso e respiração;  Providenciar transporte adequado para atendimento hospitalar;Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  80. 80. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por produtos químicosJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  81. 81. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por produtos químicos A exposição da pele e/ou mucosas a produtos químicos (ácidos e álcalis) pode causar queimaduras graves.Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  82. 82. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por produtos químicos A exposição da pele e/ou mucosas a produtos químicos (ácidos e álcalis) pode causar queimaduras graves. A gravidade das lesões dependeráJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  83. 83. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por produtos químicos A exposição da pele e/ou mucosas a produtos químicos (ácidos e álcalis) pode causar queimaduras graves. A gravidade das lesões dependerá da concentração e da quantidade do produto,Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  84. 84. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por produtos químicos A exposição da pele e/ou mucosas a produtos químicos (ácidos e álcalis) pode causar queimaduras graves. A gravidade das lesões dependerá da concentração e da quantidade do produto, duração e modo de contato com a pele,Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  85. 85. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por produtos químicos A exposição da pele e/ou mucosas a produtos químicos (ácidos e álcalis) pode causar queimaduras graves. A gravidade das lesões dependerá da concentração e da quantidade do produto, duração e modo de contato com a pele, extensão corporal exposta ao agenteJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  86. 86. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por produtos químicos A exposição da pele e/ou mucosas a produtos químicos (ácidos e álcalis) pode causar queimaduras graves. A gravidade das lesões dependerá da concentração e da quantidade do produto, duração e modo de contato com a pele, extensão corporal exposta ao agente e do mecanismo de ação da substância.Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  87. 87. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por produtos químicosJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  88. 88. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por produtos químicos  Despir a vítima (apenas o necessário e se possível debaixo de chuveiro)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  89. 89. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por produtos químicos  Despir a vítima (apenas o necessário e se possível debaixo de chuveiro)  Remover a substância diluindo-a com água corrente em abundânciaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  90. 90. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por produtos químicos  Despir a vítima (apenas o necessário e se possível debaixo de chuveiro)  Remover a substância diluindo-a com água corrente em abundância  Evite que a água misturada ao produto se espalhe afetando outras áreas do corpo da vítimaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  91. 91. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por produtos químicos  Despir a vítima (apenas o necessário e se possível debaixo de chuveiro)  Remover a substância diluindo-a com água corrente em abundância  Evite que a água misturada ao produto se espalhe afetando outras áreas do corpo da vítima  Utilize EPI (dependendo do mecanismo de ação da substância as luvas de borracha podem ser corroídas)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  92. 92. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por produtos químicos  Despir a vítima (apenas o necessário e se possível debaixo de chuveiro)  Remover a substância diluindo-a com água corrente em abundância  Evite que a água misturada ao produto se espalhe afetando outras áreas do corpo da vítima  Utilize EPI (dependendo do mecanismo de ação da substância as luvas de borracha podem ser corroídas)  Quando possível, fornecer informação do produto (guardar rótulo)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  93. 93. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras por produtos químicos  Despir a vítima (apenas o necessário e se possível debaixo de chuveiro)  Remover a substância diluindo-a com água corrente em abundância  Evite que a água misturada ao produto se espalhe afetando outras áreas do corpo da vítima  Utilize EPI (dependendo do mecanismo de ação da substância as luvas de borracha podem ser corroídas)  Quando possível, fornecer informação do produto (guardar rótulo)  Providenciar transporte para hospitalJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  94. 94. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras eléctricasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  95. 95. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras eléctricas O choque elétrico pode provocar desde um leve formigueiro, podendo chegar à fibrilhação, PCR, e queimaduras graves.Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  96. 96. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras eléctrica  Interromper o fluxo da corrente elétrica antes de tocar na vítimaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  97. 97. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras eléctrica  Interromper o fluxo da corrente elétrica antes de tocar na vítima  Pedir para contactar a companhia de energia elétrica nos acidentes em via públicaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  98. 98. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras eléctrica  Interromper o fluxo da corrente elétrica antes de tocar na vítima  Pedir para contactar a companhia de energia elétrica nos acidentes em via pública  Tentar descobrir porta de entrada e de saída (estabelecer trajecto da corrente eléctrica)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  99. 99. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras eléctrica  Interromper o fluxo da corrente elétrica antes de tocar na vítima  Pedir para contactar a companhia de energia elétrica nos acidentes em via pública  Tentar descobrir porta de entrada e de saída (estabelecer trajecto da corrente eléctrica)  Garantir permeabilidade das vias aéreas com controle da coluna cervical;Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  100. 100. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras eléctrica  Interromper o fluxo da corrente elétrica antes de tocar na vítima  Pedir para contactar a companhia de energia elétrica nos acidentes em via pública  Tentar descobrir porta de entrada e de saída (estabelecer trajecto da corrente eléctrica)  Garantir permeabilidade das vias aéreas com controle da coluna cervical;  Realizar RCP, se for constatada PCR;Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  101. 101. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras eléctrica  Interromper o fluxo da corrente elétrica antes de tocar na vítima  Pedir para contactar a companhia de energia elétrica nos acidentes em via pública  Tentar descobrir porta de entrada e de saída (estabelecer trajecto da corrente eléctrica)  Garantir permeabilidade das vias aéreas com controle da coluna cervical;  Realizar RCP, se for constatada PCR;  Realizar cobertura e imobilizações nas lesões existentes;Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  102. 102. 10. QUEIMADURAS Critérios de Avaliação de Queimaduras Complicações Primeiro Socorro Para vítimas com queimaduras eléctrica  Interromper o fluxo da corrente elétrica antes de tocar na vítima  Pedir para contactar a companhia de energia elétrica nos acidentes em via pública  Tentar descobrir porta de entrada e de saída (estabelecer trajecto da corrente eléctrica)  Garantir permeabilidade das vias aéreas com controle da coluna cervical;  Realizar RCP, se for constatada PCR;  Realizar cobertura e imobilizações nas lesões existentes;  Vigiar parâmetros vitais enquanto aguarda o Suporte Avançado de Vida.Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012

×