8 envenenamento e intoxicações

19.548 visualizações

Publicada em

8 envenenamento e intoxicações

  1. 1. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES TÓXICO ou VENENOJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  2. 2. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES TÓXICO ou VENENO Toda e qualquer substância (animal, vegetal ou mineral) que ao ser posta em contacto com o organismo vai provocar alterações funcionais, podendo mesmo causar morte.Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  3. 3. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES TÓXICO ou VENENO Toda e qualquer substância (animal, vegetal ou mineral) que ao ser posta em contacto com o organismo vai provocar alterações funcionais, podendo mesmo causar morte. INTOXICAÇÃO ou ENVENENAMENTOJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  4. 4. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES INTOXICAÇÃO ou ENVENENAMENTO (em função dos sinais e sintomas)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  5. 5. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES INTOXICAÇÃO ou ENVENENAMENTO (em função dos sinais e sintomas) AGUDAS Quando se revelam num curto espaço de tempo após o contacto do tóxico com o organismo (ex. intoxicação com medicamentos)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  6. 6. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES INTOXICAÇÃO ou ENVENENAMENTO (em função dos sinais e sintomas) AGUDAS CRÓNICAS Quando se revelam num curto espaço de tempo Quando se revelam meses ou anos depois, após após o contacto do tóxico com o organismo (ex. contacto prolongado com um determinado tóxico intoxicação com medicamentos) (ex. intoxicação por óxido de chumbo nos portageiros de cabine)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  7. 7. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES INTOXICAÇÃO ou ENVENENAMENTO (em função da forma de contacto)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  8. 8. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES INTOXICAÇÃO ou ENVENENAMENTO (em função da forma de contacto) INALATÓRIASInalação de um gás tóxicoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  9. 9. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES INTOXICAÇÃO ou ENVENENAMENTO (em função da forma de contacto) INALATÓRIASInalação de um gás tóxico GASTRO-INTESTINAIS Ingestão de alimentos contaminadosJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  10. 10. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES INTOXICAÇÃO ou ENVENENAMENTO (em função da forma de contacto) INALATÓRIASInalação de um gás tóxico CUTÂNEAS Contacto com pesticidas GASTRO-INTESTINAIS Ingestão de alimentos contaminadosJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  11. 11. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES INTOXICAÇÃO ou ENVENENAMENTO (em função da forma de contacto) INALATÓRIASInalação de um gás tóxico CUTÂNEAS Contacto com pesticidas GASTRO-INTESTINAIS CIRCULATÓRIAS DIRECTAS Ingestão de alimentos contaminados Auto-Injecção com opiáceosJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  12. 12. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES INTOXICAÇÃO ou ENVENENAMENTO (em função da forma de contacto) OCULARES INALATÓRIAS Jacto de desodorizanteInalação de um gás tóxico CUTÂNEAS Contacto com pesticidas GASTRO-INTESTINAIS CIRCULATÓRIAS DIRECTAS Ingestão de alimentos contaminados Auto-Injecção com opiáceosJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  13. 13. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES TIPOS DE TÓXICOS MAIS CORRENTESJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  14. 14. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES PRODUTOS INDUSTRIAIS (ex. cloro, amoníaco) TIPOS DE TÓXICOS MAIS CORRENTESJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  15. 15. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES PRODUTOS INDUSTRIAIS (ex. cloro, amoníaco) PRODUTOS AGRÍCOLAS (ex. herbicidas, pesticidas) TIPOS DE TÓXICOS MAIS CORRENTESJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  16. 16. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES PRODUTOS INDUSTRIAIS (ex. cloro, amoníaco) PRODUTOS AGRÍCOLAS (ex. herbicidas, pesticidas) TIPOS DE TÓXICOS ALIMENTOS (ex. conservas, mariscos, ovos) MAIS CORRENTESJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  17. 17. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES PRODUTOS INDUSTRIAIS (ex. cloro, amoníaco) PRODUTOS AGRÍCOLAS (ex. herbicidas, pesticidas) TIPOS DE TÓXICOS ALIMENTOS (ex. conservas, mariscos, ovos) MAIS CORRENTES MEDICAMENTOS (ex. analgésicos, tranquilizantes)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  18. 18. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES PRODUTOS INDUSTRIAIS (ex. cloro, amoníaco) PRODUTOS AGRÍCOLAS (ex. herbicidas, pesticidas) TIPOS DE TÓXICOS ALIMENTOS (ex. conservas, mariscos, ovos) MAIS CORRENTES MEDICAMENTOS (ex. analgésicos, tranquilizantes) PRODUTOS USO DOMÉSTICO (ex. detergentes)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  19. 19. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES SINAIS E SINTOMASJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  20. 20. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES SINAIS E SINTOMAS O universo de produtos tóxicos provoca sintomatologias muito diversas. É fundamental não só o exame geral da vítima como uma atenta observação dos diversos cenários que se podem encontrar junto desta, tais como:Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  21. 21. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES SINAIS E SINTOMAS O universo de produtos tóxicos provoca sintomatologias muito diversas. É fundamental não só o exame geral da vítima como uma atenta observação dos diversos cenários que se podem encontrar junto desta, tais como: - Presença de animaisJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  22. 22. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES SINAIS E SINTOMAS O universo de produtos tóxicos provoca sintomatologias muito diversas. É fundamental não só o exame geral da vítima como uma atenta observação dos diversos cenários que se podem encontrar junto desta, tais como: - Presença de animais - Odor pouco habitual na atmosferaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  23. 23. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES SINAIS E SINTOMAS O universo de produtos tóxicos provoca sintomatologias muito diversas. É fundamental não só o exame geral da vítima como uma atenta observação dos diversos cenários que se podem encontrar junto desta, tais como: - Presença de animais - Odor pouco habitual na atmosfera - Locais fechados e sem ventilaçãoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  24. 24. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES SINAIS E SINTOMAS O universo de produtos tóxicos provoca sintomatologias muito diversas. É fundamental não só o exame geral da vítima como uma atenta observação dos diversos cenários que se podem encontrar junto desta, tais como: - Presença de animais - Odor pouco habitual na atmosfera - Locais fechados e sem ventilação - Seringas ou caixa de medicamentos vaziosJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  25. 25. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES SINAIS E SINTOMAS O universo de produtos tóxicos provoca sintomatologias muito diversas. É fundamental não só o exame geral da vítima como uma atenta observação dos diversos cenários que se podem encontrar junto desta, tais como: - Presença de animais - Odor pouco habitual na atmosfera - Locais fechados e sem ventilação - Seringas ou caixa de medicamentos vazios - Grupo de pessoas com sintomas idênticos após refeiçãoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  26. 26. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES SINAIS E SINTOMAS PRIMEIRO SOCORROJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  27. 27. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES SINAIS E SINTOMAS PRIMEIRO SOCORRO Não há um antídoto específico para todos os tóxicosJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  28. 28. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES SINAIS E SINTOMAS PRIMEIRO SOCORRO Não há um antídoto específico para todos os tóxicos É necessário proceder à correcta identificação do tóxico (animais, alimentos, embalagens vazias ou mesmo vómito)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  29. 29. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES SINAIS E SINTOMAS PRIMEIRO SOCORRO Não há um antídoto específico para todos os tóxicos É necessário proceder à correcta identificação do tóxico (animais, alimentos, embalagens vazias ou mesmo vómito) A actuação no local é sempre fundamentalJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  30. 30. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES SINAIS E SINTOMAS PRIMEIRO SOCORRO ACTUAÇÃO GERALJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  31. 31. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES SINAIS E SINTOMAS PRIMEIRO SOCORRO ACTUAÇÃO GERAL ACTUAÇÃO ESPECÍFICAJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  32. 32. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES SINAIS E SINTOMAS PRIMEIRO SOCORRO ACTUAÇÃO GERALJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  33. 33. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES SINAIS E SINTOMAS PRIMEIRO SOCORRO ACTUAÇÃO GERAL Exame Geral da VítimaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  34. 34. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES SINAIS E SINTOMAS PRIMEIRO SOCORRO ACTUAÇÃO GERAL Exame Geral da Vítima Recolha de informações, obtendo respostas às seguintes questões:Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  35. 35. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES SINAIS E SINTOMAS PRIMEIRO SOCORRO ACTUAÇÃO GERAL Exame Geral da Vítima Recolha de informações, obtendo respostas às seguintes questões: O quê? (qual o tóxico)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  36. 36. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES SINAIS E SINTOMAS PRIMEIRO SOCORRO ACTUAÇÃO GERAL Exame Geral da Vítima Recolha de informações, obtendo respostas às seguintes questões: O quê? (qual o tóxico) Como? (qual a via)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  37. 37. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES SINAIS E SINTOMAS PRIMEIRO SOCORRO ACTUAÇÃO GERAL Exame Geral da Vítima Recolha de informações, obtendo respostas às seguintes questões: O quê? (qual o tóxico) Como? (qual a via) Quanto? (qual a quantidade)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  38. 38. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES SINAIS E SINTOMAS PRIMEIRO SOCORRO ACTUAÇÃO GERAL Exame Geral da Vítima Recolha de informações, obtendo respostas às seguintes questões: O quê? (qual o tóxico) Como? (qual a via) Quanto? (qual a quantidade) Quando? (há quanto tempo)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  39. 39. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES SINAIS E SINTOMAS PRIMEIRO SOCORRO ACTUAÇÃO GERAL Exame Geral da Vítima Recolha de informações, obtendo respostas às seguintes questões: O quê? (qual o tóxico) Como? (qual a via) Quanto? (qual a quantidade) Quando? (há quanto tempo) Quem? (sexo, idade, peso, sintomatologia, factores agravantes da vítima)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  40. 40. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES SINAIS E SINTOMAS PRIMEIRO SOCORRO Contactar Centro de Informações Antivenenos (CIAV) – 808 250 143 ACTUAÇÃO GERAL Exame Geral da Vítima Recolha de informações, obtendo respostas às seguintes questões: O quê? (qual o tóxico) Como? (qual a via) Quanto? (qual a quantidade) Quando? (há quanto tempo) Quem? (sexo, idade, peso, sintomatologia, factores agravantes da vítima)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  41. 41. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES SINAIS E SINTOMAS ACTUAÇÃO GERAL PRIMEIRO SOCORRO ACTUAÇÃO ESPECÍFICAJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  42. 42. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES SINAIS E SINTOMAS ACTUAÇÃO GERAL PRIMEIRO SOCORRO ACTUAÇÃO ESPECÍFICA VIA CUTÂNEAJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  43. 43. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES SINAIS E SINTOMAS ACTUAÇÃO GERAL PRIMEIRO SOCORRO ACTUAÇÃO ESPECÍFICA - Lavar abundantemente com água corrente e sabão 20/30 minutos VIA CUTÂNEAJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  44. 44. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES SINAIS E SINTOMAS ACTUAÇÃO GERAL PRIMEIRO SOCORRO ACTUAÇÃO ESPECÍFICA - Lavar abundantemente com água corrente e sabão 20/30 minutos - Retirar roupas contaminadas VIA CUTÂNEAJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  45. 45. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES SINAIS E SINTOMAS ACTUAÇÃO GERAL PRIMEIRO SOCORRO ACTUAÇÃO ESPECÍFICA - Lavar abundantemente com água corrente e sabão 20/30 minutos - Retirar roupas contaminadas VIA CUTÂNEA - Socorrista deve usar luvas e, eventualmente, máscaraJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  46. 46. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES SINAIS E SINTOMAS ACTUAÇÃO GERAL PRIMEIRO SOCORRO ACTUAÇÃO ESPECÍFICA - Lavar abundantemente com água corrente e sabão 20/30 minutos - Retirar roupas contaminadas VIA CUTÂNEA - Socorrista deve usar luvas e, eventualmente, máscara VIA OCULARJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  47. 47. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES SINAIS E SINTOMAS ACTUAÇÃO GERAL PRIMEIRO SOCORRO ACTUAÇÃO ESPECÍFICA - Lavar abundantemente com água corrente e sabão 20/30 minutos - Retirar roupas contaminadas VIA CUTÂNEA - Socorrista deve usar luvas e, eventualmente, máscara - Lavar abundantemente com água corrente ou soro fisiológico, do canto VIA OCULAR lacrimal (interno) para o canto temporal (externo)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  48. 48. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES SINAIS E SINTOMAS ACTUAÇÃO GERAL PRIMEIRO SOCORRO ACTUAÇÃO ESPECÍFICA - Lavar abundantemente com água corrente e sabão 20/30 minutos - Retirar roupas contaminadas VIA CUTÂNEA - Socorrista deve usar luvas e, eventualmente, máscara - Lavar abundantemente com água corrente ou soro fisiológico, do canto VIA OCULAR lacrimal (interno) para o canto temporal (externo) VIA INALATÓRIAJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  49. 49. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES SINAIS E SINTOMAS ACTUAÇÃO GERAL PRIMEIRO SOCORRO ACTUAÇÃO ESPECÍFICA - Lavar abundantemente com água corrente e sabão 20/30 minutos - Retirar roupas contaminadas VIA CUTÂNEA - Socorrista deve usar luvas e, eventualmente, máscara - Lavar abundantemente com água corrente ou soro fisiológico, do canto VIA OCULAR lacrimal (interno) para o canto temporal (externo) - Eliminar a fonte do tóxico, arejando e retirando a vítima do local VIA INALATÓRIA contaminadoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  50. 50. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES SINAIS E SINTOMAS ACTUAÇÃO GERAL PRIMEIRO SOCORRO ACTUAÇÃO ESPECÍFICA - Lavar abundantemente com água corrente e sabão 20/30 minutos - Retirar roupas contaminadas VIA CUTÂNEA - Socorrista deve usar luvas e, eventualmente, máscara - Lavar abundantemente com água corrente ou soro fisiológico, do canto VIA OCULAR lacrimal (interno) para o canto temporal (externo) - Eliminar a fonte do tóxico, arejando e retirando a vítima do local VIA INALATÓRIA contaminado VIA CIRCULATÓRIA DIRECTAJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  51. 51. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES SINAIS E SINTOMAS ACTUAÇÃO GERAL PRIMEIRO SOCORRO ACTUAÇÃO ESPECÍFICA - Lavar abundantemente com água corrente e sabão 20/30 minutos - Retirar roupas contaminadas VIA CUTÂNEA - Socorrista deve usar luvas e, eventualmente, máscara - Lavar abundantemente com água corrente ou soro fisiológico, do canto VIA OCULAR lacrimal (interno) para o canto temporal (externo) - Eliminar a fonte do tóxico, arejando e retirando a vítima do local VIA INALATÓRIA contaminado - Arrefecer localmente VIA CIRCULATÓRIA DIRECTAJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  52. 52. 8. ENVENENAMENTO/INTOXICAÇÕES SINAIS E SINTOMAS ACTUAÇÃO GERAL PRIMEIRO SOCORRO ACTUAÇÃO ESPECÍFICA - Lavar abundantemente com água corrente e sabão 20/30 minutos - Retirar roupas contaminadas VIA CUTÂNEA - Socorrista deve usar luvas e, eventualmente, máscara - Lavar abundantemente com água corrente ou soro fisiológico, do canto VIA OCULAR lacrimal (interno) para o canto temporal (externo) - Eliminar a fonte do tóxico, arejando e retirando a vítima do local VIA INALATÓRIA contaminado - Arrefecer localmente VIA CIRCULATÓRIA DIRECTA - Manter imobilidade da vítimaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012

×