15 alterações do estado de consciência

3.643 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.643
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
141
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

15 alterações do estado de consciência

  1. 1. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIAJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  2. 2. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Situação que pode comprometer a relação entre o socorrista e a vítimaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  3. 3. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Situação que pode comprometer a relação entre o socorrista e a vítima Responde à chamada?Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  4. 4. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Situação que pode comprometer a relação entre o socorrista e a vítima Responde à chamada? SIM Determinar o nível de consciênciaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  5. 5. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Situação que pode comprometer a relação entre o socorrista e a vítima Responde à chamada? SIM NÃO Determinar o nível Avaliar as funções vitais de consciência - Função ventilatória - Função circulatóriaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  6. 6. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Situação que pode comprometer a relação entre o socorrista e a vítima Responde à chamada? SIM NÃO Determinar o nível Avaliar as funções vitais de consciência - Função ventilatória - Função circulatória Alcoolismo agudoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  7. 7. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Situação que pode comprometer a relação entre o socorrista e a vítima Responde à chamada? SIM NÂO Determinar o nível Avaliar as funções vitais de consciência - Função ventilatória - Função circulatória Alcoolismo agudo Dor pré-cordialJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  8. 8. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Situação que pode comprometer a relação entre o socorrista e a vítima Responde à chamada? SIM NÂO Determinar o nível Avaliar as funções vitais de consciência - Função ventilatória - Função circulatória Alcoolismo agudo Dor pré-cordial EpilepsiaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  9. 9. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Situação que pode comprometer a relação entre o socorrista e a vítima Responde à chamada? SIM NÂO Determinar o nível Avaliar as funções vitais de consciência - Função ventilatória - Função circulatória Alcoolismo agudo Dor pré-cordial Acidente vascular cerebral EpilepsiaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  10. 10. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Situação que pode comprometer a relação entre o socorrista e a vítima Responde à chamada? SIM NÂO Determinar o nível Avaliar as funções vitais de consciência - Função ventilatória - Função circulatória Alcoolismo agudo Diabetes Dor pré-cordial Acidente vascular cerebral EpilepsiaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  11. 11. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Alcoolismo agudo - Etanol é depressor do sistema nervoso central (SNC)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  12. 12. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Alcoolismo agudo - Etanol é depressor do sistema nervoso central (SNC) - Alcoolismo agudo resulta da ingestão de bebidas alcoólicas acima da tolerância do organismoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  13. 13. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Alcoolismo agudo - Etanol é depressor do sistema nervoso central (SNC) - Alcoolismo agudo resulta da ingestão de bebidas alcoólicas acima da tolerância do organismoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  14. 14. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Alcoolismo agudo - Etanol é depressor do sistema nervoso central (SNC) - Alcoolismo agudo resulta da ingestão de bebidas alcoólicas acima da tolerância do organismoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  15. 15. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Alcoolismo agudo - Etanol é depressor do sistema nervoso central (SNC) - Alcoolismo agudo resulta da ingestão de bebidas alcoólicas acima da tolerância do organismoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  16. 16. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Alcoolismo agudo - Etanol é depressor do sistema nervoso central (SNC) - Alcoolismo agudo resulta da ingestão de bebidas alcoólicas acima da tolerância do organismo - Cada pessoa reage de forma diferente (tolerância) ao álcoolJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  17. 17. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Alcoolismo agudo - Etanol é depressor do sistema nervoso central (SNC) - Alcoolismo agudo resulta da ingestão de bebidas alcoólicas acima da tolerância do organismo - Cada pessoa reage de forma diferente (tolerância) ao álcoolJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  18. 18. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Alcoolismo agudo - Etanol é depressor do sistema nervoso central (SNC) - Alcoolismo agudo resulta da ingestão de bebidas alcoólicas acima da tolerância do organismo - Cada pessoa reage de forma diferente (tolerância) ao álcool - Mitos das bebidas alcoólicasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  19. 19. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Alcoolismo agudo - Etanol é depressor do sistema nervoso central (SNC) - Alcoolismo agudo resulta da ingestão de bebidas alcoólicas acima da tolerância do organismo - Cada pessoa reage de forma diferente (tolerância) ao álcool - Álcool aquece - Mitos das bebidas alcoólicasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  20. 20. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Alcoolismo agudo - Etanol é depressor do sistema nervoso central (SNC) - Alcoolismo agudo resulta da ingestão de bebidas alcoólicas acima da tolerância do organismo - Cada pessoa reage de forma diferente (tolerância) ao álcool - Álcool aquece - Álcool mata a sede - Mitos das bebidas alcoólicasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  21. 21. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Alcoolismo agudo - Etanol é depressor do sistema nervoso central (SNC) - Alcoolismo agudo resulta da ingestão de bebidas alcoólicas acima da tolerância do organismo - Cada pessoa reage de forma diferente (tolerância) ao álcool - Álcool aquece - Álcool mata a sede - Mitos das bebidas alcoólicas - Álcool dá forçaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  22. 22. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Alcoolismo agudo - Etanol é depressor do sistema nervoso central (SNC) - Alcoolismo agudo resulta da ingestão de bebidas alcoólicas acima da tolerância do organismo - Cada pessoa reage de forma diferente (tolerância) ao álcool - Álcool aquece - Álcool mata a sede - Mitos das bebidas alcoólicas - Álcool dá força - Álcool é remédioJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  23. 23. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Alcoolismo agudo - Etanol é depressor do sistema nervoso central (SNC) - Alcoolismo agudo resulta da ingestão de bebidas alcoólicas acima da tolerância do organismo - Cada pessoa reage de forma diferente (tolerância) ao álcool - Álcool aquece - Álcool mata a sede - Mitos das bebidas alcoólicas - Álcool dá força - Álcool é remédio - Álcool é digestivoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  24. 24. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Alcoolismo agudo ComplicaçõesJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  25. 25. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Alcoolismo agudo Complicações HIPOGLICÉMIA Baixa de concentração de açúcar no sangue que pode provocar um quadro convulsivoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  26. 26. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Alcoolismo agudo Complicações HIPOGLICÉMIA Baixa de concentração de açúcar no sangue que pode provocar um quadro convulsivo Baixa da temperatura corporal a valores inferiores a 35º C, provocando alterações das HIPOTERMIA funções vitaisJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  27. 27. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Alcoolismo agudo SINAIS E SINTOMASJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  28. 28. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Alcoolismo agudo SINAIS E SINTOMAS - Hálito característico a álcoolJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  29. 29. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Alcoolismo agudo SINAIS E SINTOMAS - Hálito característico a álcool - Falta de coordenação de movimentosJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  30. 30. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Alcoolismo agudo SINAIS E SINTOMAS - Hálito característico a álcool - Falta de coordenação de movimentos - Dificuldade na articulação de palavrasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  31. 31. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Alcoolismo agudo SINAIS E SINTOMAS - Hálito característico a álcool - Falta de coordenação de movimentos - Dificuldade na articulação de palavras - Alegria e exuberância das palavrasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  32. 32. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Alcoolismo agudo SINAIS E SINTOMAS - Hálito característico a álcool - Falta de coordenação de movimentos - Dificuldade na articulação de palavras - Alegria e exuberância das palavras - ConflitualidadeJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  33. 33. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Alcoolismo agudo SINAIS E SINTOMAS - Hálito característico a álcool - Falta de coordenação de movimentos - Dificuldade na articulação de palavras - Alegria e exuberância das palavras - Conflitualidade - Ventilação irregular e aceleradaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  34. 34. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Alcoolismo agudo SINAIS E SINTOMAS - Hálito característico a álcool - Falta de coordenação de movimentos - Dificuldade na articulação de palavras - Alegria e exuberância das palavras - Conflitualidade - Ventilação irregular e acelerada - Congestionamento facial (fase inicial), seguido de palidezJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  35. 35. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Alcoolismo agudo SINAIS E SINTOMAS - Hálito característico a álcool - Falta de coordenação de movimentos - Dificuldade na articulação de palavras - Alegria e exuberância das palavras - Conflitualidade - Ventilação irregular e acelerada - Congestionamento facial (fase inicial), seguido de palidez - Sudorese abundante com arrefecimento generalizadoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  36. 36. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Alcoolismo agudo SINAIS E SINTOMAS - Hálito característico a álcool - Falta de coordenação de movimentos - Dificuldade na articulação de palavras - Alegria e exuberância das palavras - Conflitualidade - Ventilação irregular e acelerada - Congestionamento facial (fase inicial), seguido de palidez - Sudorese abundante com arrefecimento generalizado - Contracção de pequenos grupos muscularesJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  37. 37. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Alcoolismo agudo SINAIS E SINTOMAS - Hálito característico a álcool - Falta de coordenação de movimentos - Dificuldade na articulação de palavras - Alegria e exuberância das palavras - Conflitualidade - Ventilação irregular e acelerada - Congestionamento facial (fase inicial), seguido de palidez - Sudorese abundante com arrefecimento generalizado - Contracção de pequenos grupos musculares - Alterações da lucidez, do equilíbrio, da força e da consciênciaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  38. 38. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Alcoolismo agudo SINAIS E SINTOMAS - Hálito característico a álcool - Falta de coordenação de movimentos - Dificuldade na articulação de palavras - Alegria e exuberância das palavras - Conflitualidade - Ventilação irregular e acelerada - Congestionamento facial (fase inicial), seguido de palidez - Sudorese abundante com arrefecimento generalizado - Contracção de pequenos grupos musculares - Alterações da lucidez, do equilíbrio, da força e da consciência - Casos mais graves estado de comaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  39. 39. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Alcoolismo agudo PRIMEIRO SOCORRO Se vítima estiver conscienteJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  40. 40. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Alcoolismo agudo PRIMEIRO SOCORRO Se vítima estiver consciente - Eliminar o conteúdo gástrico provocando o vómitoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  41. 41. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Alcoolismo agudo PRIMEIRO SOCORRO Se vítima estiver consciente - Eliminar o conteúdo gástrico provocando o vómito - Dar bebidas fortemente açucaradasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  42. 42. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Alcoolismo agudo PRIMEIRO SOCORRO Se vítima estiver consciente - Eliminar o conteúdo gástrico provocando o vómito - Dar bebidas fortemente açucaradas - Manter temperatura corporalJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  43. 43. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Alcoolismo agudo PRIMEIRO SOCORRO Se vítima estiver consciente - Eliminar o conteúdo gástrico provocando o vómito - Dar bebidas fortemente açucaradas - Manter temperatura corporal - Vigiar funções vitaisJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  44. 44. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Alcoolismo agudo PRIMEIRO SOCORRO Se vítima estiver consciente - Eliminar o conteúdo gástrico provocando o vómito - Dar bebidas fortemente açucaradas - Manter temperatura corporal - Vigiar funções vitais Se vítima estiver inconscienteJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  45. 45. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Alcoolismo agudo PRIMEIRO SOCORRO Se vítima estiver consciente - Eliminar o conteúdo gástrico provocando o vómito - Dar bebidas fortemente açucaradas - Manter temperatura corporal - Vigiar funções vitais Se vítima estiver inconsciente - Manter a via aérea permeávelJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  46. 46. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Alcoolismo agudo PRIMEIRO SOCORRO Se vítima estiver consciente - Eliminar o conteúdo gástrico provocando o vómito - Dar bebidas fortemente açucaradas - Manter temperatura corporal - Vigiar funções vitais Se vítima estiver inconsciente - Manter a via aérea permeável - Colocar a vítima em PLSJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  47. 47. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Alcoolismo agudo PRIMEIRO SOCORRO Se vítima estiver consciente - Eliminar o conteúdo gástrico provocando o vómito - Dar bebidas fortemente açucaradas - Manter temperatura corporal - Vigiar funções vitais Se vítima estiver inconsciente - Manter a via aérea permeável - Colocar a vítima em PLS - Manter a temperatura corporalJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  48. 48. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Alcoolismo agudo PRIMEIRO SOCORRO Se vítima estiver consciente - Eliminar o conteúdo gástrico provocando o vómito - Dar bebidas fortemente açucaradas - Manter temperatura corporal - Vigiar funções vitais Se vítima estiver inconsciente - Manter a via aérea permeável - Colocar a vítima em PLS - Manter a temperatura corporal - Colocar açúcar debaixo da línguaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  49. 49. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Alcoolismo agudo PRIMEIRO SOCORRO Se vítima estiver consciente - Eliminar o conteúdo gástrico provocando o vómito - Dar bebidas fortemente açucaradas - Manter temperatura corporal - Vigiar funções vitais Se vítima estiver inconsciente - Manter a via aérea permeável - Colocar a vítima em PLS - Manter a temperatura corporal - Colocar açúcar debaixo da língua - Vigiar as funções vitaisJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  50. 50. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Alcoolismo agudo PRIMEIRO SOCORRO Se vítima estiver consciente - Eliminar o conteúdo gástrico provocando o vómito - Dar bebidas fortemente açucaradas - Manter temperatura corporal - Vigiar funções vitais Se vítima estiver inconsciente - Manter a via aérea permeável - Colocar a vítima em PLS - Manter a temperatura corporal - Colocar açúcar debaixo da língua - Vigiar as funções vitais - Promover o transporte ao hospitalJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  51. 51. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Dor Pré-Cordial O músculo cardíaco – MIOCÁRDIO – é irrigado por artérias e veias coronáriasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  52. 52. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Dor Pré-Cordial O músculo cardíaco – MIOCÁRDIO – é irrigado por artérias e veias coronárias Se houver interrupção ou diminuição súbita de sangueJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  53. 53. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Dor Pré-Cordial O músculo cardíaco – MIOCÁRDIO – é irrigado por artérias e veias coronárias Se houver interrupção ou diminuição súbita de sangue - Angina de peito Diminuição do fluxo de sangue oxigenadoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  54. 54. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Dor Pré-Cordial O músculo cardíaco – MIOCÁRDIO – é irrigado por artérias e veias coronárias Se houver interrupção ou diminuição súbita de sangue - Angina de peito Diminuição do fluxo de sangue oxigenado - Enfarte Agudo do MiocárdioObstrução brusca e total de uma artéria coronária ou das suas ramificaçõespodendo provocar rompimento e hemorragiaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  55. 55. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Dor Pré-Cordial SINAIS E SINTOMASJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  56. 56. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Dor Pré-Cordial SINAIS E SINTOMAS - Sensação de desconforto torácicoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  57. 57. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Dor Pré-Cordial SINAIS E SINTOMAS - Sensação de desconforto torácico - Dor pré-cordial de localização retro-esternal e de carácter opressivoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  58. 58. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Dor Pré-Cordial SINAIS E SINTOMAS - Sensação de desconforto torácico - Dor pré-cordial de localização retro-esternal e de carácter opressivo - Irradiação da dor para o pescoço e membro superior esquerdoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  59. 59. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Dor Pré-Cordial SINAIS E SINTOMAS - Sensação de desconforto torácico - Dor pré-cordial de localização retro-esternal e de carácter opressivo - Irradiação da dor para o pescoço e membro superior esquerdo - Angústia, ansiedade e agitaçãoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  60. 60. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Dor Pré-Cordial SINAIS E SINTOMAS - Sensação de desconforto torácico - Dor pré-cordial de localização retro-esternal e de carácter opressivo - Irradiação da dor para o pescoço e membro superior esquerdo - Angústia, ansiedade e agitação - Náuseas e vómitosJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  61. 61. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Dor Pré-Cordial SINAIS E SINTOMAS - Sensação de desconforto torácico - Dor pré-cordial de localização retro-esternal e de carácter opressivo - Irradiação da dor para o pescoço e membro superior esquerdo - Angústia, ansiedade e agitação - Náuseas e vómitos - SudoreseJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  62. 62. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Dor Pré-Cordial SINAIS E SINTOMAS - Sensação de desconforto torácico - Dor pré-cordial de localização retro-esternal e de carácter opressivo - Irradiação da dor para o pescoço e membro superior esquerdo - Angústia, ansiedade e agitação - Náuseas e vómitos - Sudorese - Meteorismo abdominal (gases)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  63. 63. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Dor Pré-Cordial SINAIS E SINTOMAS - Sensação de desconforto torácico - Dor pré-cordial de localização retro-esternal e de carácter opressivo - Irradiação da dor para o pescoço e membro superior esquerdo - Angústia, ansiedade e agitação - Náuseas e vómitos - Sudorese - Meteorismo abdominal (gases) - Ventilação difícilJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  64. 64. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Dor Pré-Cordial SINAIS E SINTOMAS - Sensação de desconforto torácico - Dor pré-cordial de localização retro-esternal e de carácter opressivo - Irradiação da dor para o pescoço e membro superior esquerdo - Angústia, ansiedade e agitação - Náuseas e vómitos - Sudorese - Meteorismo abdominal (gases) - Ventilação difícil - Pulso rápido, fraco e irregularJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  65. 65. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Dor Pré-Cordial SINAIS E SINTOMAS - Sensação de desconforto torácico - Dor pré-cordial de localização retro-esternal e de carácter opressivo - Irradiação da dor para o pescoço e membro superior esquerdo - Angústia, ansiedade e agitação - Náuseas e vómitos - Sudorese - Meteorismo abdominal (gases) - Ventilação difícil - Pulso rápido, fraco e irregular - HipotensãoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  66. 66. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Dor Pré-Cordial SINAIS E SINTOMAS - Sensação de desconforto torácico - Dor pré-cordial de localização retro-esternal e de carácter opressivo - Irradiação da dor para o pescoço e membro superior esquerdo - Angústia, ansiedade e agitação - Náuseas e vómitos - Sudorese - Meteorismo abdominal (gases) - Ventilação difícil - Pulso rápido, fraco e irregular - Hipotensão - Possível inconsciênciaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  67. 67. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Dor Pré-Cordial PRIMEIRO SOCORROJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  68. 68. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Dor Pré-Cordial PRIMEIRO SOCORRO - Promover um ambiente tranquilo junto da vítimaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  69. 69. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Dor Pré-Cordial PRIMEIRO SOCORRO - Promover um ambiente tranquilo junto da vítima - Evitar qualquer tipo de movimentoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  70. 70. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Dor Pré-Cordial PRIMEIRO SOCORRO - Promover um ambiente tranquilo junto da vítima - Evitar qualquer tipo de movimento - Reforço da confiança e alentoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  71. 71. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Dor Pré-Cordial PRIMEIRO SOCORRO - Promover um ambiente tranquilo junto da vítima - Evitar qualquer tipo de movimento - Reforço da confiança e alento - Se consciente, colocar a vítima numa posição confortávelJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  72. 72. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Dor Pré-Cordial PRIMEIRO SOCORRO - Promover um ambiente tranquilo junto da vítima - Evitar qualquer tipo de movimento - Reforço da confiança e alento - Se consciente, colocar a vítima numa posição confortável - O tronco deve estar ligeiramente elevadoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  73. 73. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Dor Pré-Cordial PRIMEIRO SOCORRO - Promover um ambiente tranquilo junto da vítima - Evitar qualquer tipo de movimento - Reforço da confiança e alento - Se consciente, colocar a vítima numa posição confortável - O tronco deve estar ligeiramente elevado - Se inconsciente, colocá-lo em PLSJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  74. 74. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Dor Pré-Cordial PRIMEIRO SOCORRO - Promover um ambiente tranquilo junto da vítima - Evitar qualquer tipo de movimento - Reforço da confiança e alento - Se consciente, colocar a vítima numa posição confortável - O tronco deve estar ligeiramente elevado - Se inconsciente, colocá-lo em PLS - Manter a temperatura corporalJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  75. 75. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Dor Pré-Cordial PRIMEIRO SOCORRO - Promover um ambiente tranquilo junto da vítima - Evitar qualquer tipo de movimento - Reforço da confiança e alento - Se consciente, colocar a vítima numa posição confortável - O tronco deve estar ligeiramente elevado - Se inconsciente, colocá-lo em PLS - Manter a temperatura corporal - Vigiar as funções vitaisJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  76. 76. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Dor Pré-Cordial PRIMEIRO SOCORRO - Promover um ambiente tranquilo junto da vítima - Evitar qualquer tipo de movimento - Reforço da confiança e alento - Se consciente, colocar a vítima numa posição confortável - O tronco deve estar ligeiramente elevado - Se inconsciente, colocá-lo em PLS - Manter a temperatura corporal - Vigiar as funções vitais - Averiguar se toma medicação específicaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  77. 77. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA EpilepsiaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  78. 78. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Epilepsia Doença neurológica de causa variada (GENÉTICA, TRAUMÁTICA OU TUMORAL) relacionada com uma alteração de condução dos estímulos/impulsos nervososJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  79. 79. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Epilepsia Doença neurológica de causa variada (GENÉTICA, TRAUMÁTICA OU TUMORAL) relacionada com uma alteração de condução dos estímulos/impulsos nervosos PEQUENO MAL EPILÉPTICO GRANDE MAL EPILÉPTICOJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  80. 80. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Epilepsia Doença neurológica de causa variada (GENÉTICA, TRAUMÁTICA OU TUMORAL) relacionada com uma alteração de condução dos estímulos/impulsos nervosos PEQUENO MAL EPILÉPTICO - Alterações do comportamento - Ausências ou alheamentoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  81. 81. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Epilepsia Doença neurológica de causa variada (GENÉTICA, TRAUMÁTICA OU TUMORAL) relacionada com uma alteração de condução dos estímulos/impulsos nervosos GRANDE MAL EPILÉPTICO PEQUENO MAL EPILÉPTICO 1 FASE AURA Alucinação sensorial (auditiva, visual, gustativa e/ou olfactiva) com sensação de ataque iminenteJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  82. 82. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Epilepsia Doença neurológica de causa variada (GENÉTICA, TRAUMÁTICA OU TUMORAL) relacionada com uma alteração de condução dos estímulos/impulsos nervosos GRANDE MAL EPILÉPTICO PEQUENO MAL EPILÉPTICO 1 2 FASE AURA FASE TÓNICA Alucinação sensorial (auditiva, visual, Em que há perda da consciência, gustativa e/ou olfactiva) com sensação aumento do tónus muscular e apneia de ataque iminenteJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  83. 83. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Epilepsia Doença neurológica de causa variada (GENÉTICA, TRAUMÁTICA OU TUMORAL) relacionada com uma alteração de condução dos estímulos/impulsos nervosos GRANDE MAL EPILÉPTICO PEQUENO MAL EPILÉPTICO 1 2 FASE AURA FASE TÓNICA Alucinação sensorial (auditiva, visual, Em que há perda da consciência, gustativa e/ou olfactiva) com sensação aumento do tónus muscular e apneia de ataque iminente FASE CLÓNICA3 Movimentos de contracção-relaxamento de grupos alternados de músculos, acompanhada de ventilação ruidosa, salivação abundante e perda de controle dos esfíncteresJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  84. 84. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Epilepsia Doença neurológica de causa variada (GENÉTICA, TRAUMÁTICA OU TUMORAL) relacionada com uma alteração de condução dos estímulos/impulsos nervosos GRANDE MAL EPILÉPTICO PEQUENO MAL EPILÉPTICO 1 2 FASE AURA FASE TÓNICA Alucinação sensorial (auditiva, visual, Em que há perda da consciência, gustativa e/ou olfactiva) com sensação aumento do tónus muscular e apneia de ataque iminente FASE CLÓNICA3 Movimentos de contracção-relaxamento de grupos alternados de músculos, acompanhada de ventilação ruidosa, salivação abundante e perda de controle dos esfíncteresJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  85. 85. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Epilepsia Doença neurológica de causa variada (GENÉTICA, TRAUMÁTICA OU TUMORAL) relacionada com uma alteração de condução dos estímulos/impulsos nervosos GRANDE MAL EPILÉPTICO PEQUENO MAL EPILÉPTICO 1 2 FASE AURA FASE TÓNICA Alucinação sensorial (auditiva, visual, Em que há perda da consciência, gustativa e/ou olfactiva) com sensação aumento do tónus muscular e apneia de ataque iminente FASE CLÓNICA FASE PÓS-CRÍTICA3 Movimentos de contracção-relaxamento de grupos alternados de músculos, acompanhada de ventilação ruidosa, salivação abundante e perda de controle 4 Fase de recuperação em que se dá o relaxamento total dos músculos e a recuperação progressiva da consciência dos esfíncteresJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  86. 86. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Epilepsia PRIMEIRO SOCORROJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  87. 87. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Epilepsia PRIMEIRO SOCORRO Pequeno Mal Epiléptico - Acalmar e colocar a vítima em posição confortávelJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  88. 88. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Epilepsia PRIMEIRO SOCORRO Pequeno Mal Epiléptico - Acalmar e colocar a vítima em posição confortável - Se necessário promover transporte para hospitalJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  89. 89. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Epilepsia PRIMEIRO SOCORRO Pequeno Mal Epiléptico - Acalmar e colocar a vítima em posição confortável - Se necessário promover transporte para hospital Grande Mal Epiléptico - Impedir a auto mutilaçãoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  90. 90. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Epilepsia PRIMEIRO SOCORRO Pequeno Mal Epiléptico - Acalmar e colocar a vítima em posição confortável - Se necessário promover transporte para hospital Grande Mal Epiléptico - Impedir a auto mutilação - Afastar objectos e protegendo/amparando a cabeça e membros superioresJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  91. 91. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Epilepsia PRIMEIRO SOCORRO Pequeno Mal Epiléptico - Acalmar e colocar a vítima em posição confortável - Se necessário promover transporte para hospital Grande Mal Epiléptico - Impedir a auto mutilação - Afastar objectos e protegendo/amparando a cabeça e membros superiores - Prevenir a alteração da função cardio-respiratória mantendo a via aérea permeávelJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  92. 92. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Epilepsia PRIMEIRO SOCORRO Pequeno Mal Epiléptico - Acalmar e colocar a vítima em posição confortável - Se necessário promover transporte para hospital Grande Mal Epiléptico - Impedir a auto mutilação - Afastar objectos e protegendo/amparando a cabeça e membros superiores - Prevenir a alteração da função cardio-respiratória mantendo a via aérea permeável - Colocar a vítima de acordo com o seu grau de consciência na fase de recuperaçãoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  93. 93. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Epilepsia PRIMEIRO SOCORRO Pequeno Mal Epiléptico - Acalmar e colocar a vítima em posição confortável - Se necessário promover transporte para hospital Grande Mal Epiléptico - Impedir a auto mutilação - Afastar objectos e protegendo/amparando a cabeça e membros superiores - Prevenir a alteração da função cardio-respiratória mantendo a via aérea permeável - Colocar a vítima de acordo com o seu grau de consciência na fase de recuperação - Vigiar as funções vitaisJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  94. 94. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Epilepsia PRIMEIRO SOCORRO Pequeno Mal Epiléptico - Acalmar e colocar a vítima em posição confortável - Se necessário promover transporte para hospital Grande Mal Epiléptico - Impedir a auto mutilação - Afastar objectos e protegendo/amparando a cabeça e membros superiores - Prevenir a alteração da função cardio-respiratória mantendo a via aérea permeável - Colocar a vítima de acordo com o seu grau de consciência na fase de recuperação - Vigiar as funções vitais - Promover o transporte imediato para o hospitalJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  95. 95. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Acidente Vascular CerebralJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  96. 96. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Acidente Vascular Cerebral Resulta da diminuição ou ausência do fluxo de sangue e, consequentemente, de oxigénio a nível dos tecidos das estruturas encefálicasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  97. 97. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Acidente Vascular Cerebral Resulta da diminuição ou ausência do fluxo de sangue e, consequentemente, de oxigénio a nível dos tecidos das estruturas encefálicas ISQUÉMICOS Acidente Isquémico Transitório (AIT)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  98. 98. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Acidente Vascular Cerebral Resulta da diminuição ou ausência do fluxo de sangue e, consequentemente, de oxigénio a nível dos tecidos das estruturas encefálicas ISQUÉMICOS Acidente Isquémico Transitório (AIT) TromboseJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  99. 99. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Acidente Vascular Cerebral Resulta da diminuição ou ausência do fluxo de sangue e, consequentemente, de oxigénio a nível dos tecidos das estruturas encefálicas ISQUÉMICOS Acidente Isquémico Transitório (AIT) Trombose EmboliaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  100. 100. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Acidente Vascular Cerebral Resulta da diminuição ou ausência do fluxo de sangue e, consequentemente, de oxigénio a nível dos tecidos das estruturas encefálicas ISQUÉMICOS Acidente Isquémico Transitório (AIT) Trombose Embolia HEMORRÁGICOSJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  101. 101. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Acidente Vascular Cerebral Resulta da diminuição ou ausência do fluxo de sangue e, consequentemente, de oxigénio a nível dos tecidos das estruturas encefálicas ISQUÉMICOS Acidente Isquémico Transitório (AIT)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  102. 102. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Acidente Vascular Cerebral Resulta da diminuição ou ausência do fluxo de sangue e, consequentemente, de oxigénio a nível dos tecidos das estruturas encefálicas ISQUÉMICOS Acidente Isquémico Transitório (AIT) Diminuição transitória de fluxo sanguíneo dos tecidos encefálicos devido à formação de placas de ateroma (aterosclerose)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  103. 103. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Acidente Vascular Cerebral Resulta da diminuição ou ausência do fluxo de sangue e, consequentemente, de oxigénio a nível dos tecidos das estruturas encefálicas ISQUÉMICOS Acidente Isquémico Transitório (AIT) Diminuição transitória de fluxo sanguíneo dos tecidos encefálicos devido à formação de placas de ateroma (aterosclerose)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  104. 104. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Acidente Vascular Cerebral Resulta da diminuição ou ausência do fluxo de sangue e, consequentemente, de oxigénio a nível dos tecidos das estruturas encefálicas ISQUÉMICOS TromboseJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  105. 105. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Acidente Vascular Cerebral Resulta da diminuição ou ausência do fluxo de sangue e, consequentemente, de oxigénio a nível dos tecidos das estruturas encefálicas ISQUÉMICOS Trombose Diminuição progressiva da diminuição de fluxo de sangue numa determinada região encefálica, até à interrupção completa.Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  106. 106. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Acidente Vascular Cerebral Resulta da diminuição ou ausência do fluxo de sangue e, consequentemente, de oxigénio a nível dos tecidos das estruturas encefálicas ISQUÉMICOS EmboliaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  107. 107. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Acidente Vascular Cerebral Resulta da diminuição ou ausência do fluxo de sangue e, consequentemente, de oxigénio a nível dos tecidos das estruturas encefálicas ISQUÉMICOS Embolia Interrupção do fluxo de sangue numa determinada região do encéfalo devido à obstrução de um vaso por um êmboloJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  108. 108. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Acidente Vascular Cerebral Resulta da diminuição ou ausência do fluxo de sangue e, consequentemente, de oxigénio a nível dos tecidos das estruturas encefálicas HEMORRÁGICO Hemorragia CerebralJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  109. 109. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Acidente Vascular Cerebral Resulta da diminuição ou ausência do fluxo de sangue e, consequentemente, de oxigénio a nível dos tecidos das estruturas encefálicas HEMORRÁGICO Hemorragia Cerebral Interrupção do fluxo de sangue numa determinada região do encéfalo devido à ruptura de um vaso sanguíneo, com consequente acumulação de sangue no tecido cerebral ou nos espaços ventricularesJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  110. 110. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Acidente Vascular Cerebral SINAIS E SINTOMASJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  111. 111. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Acidente Vascular Cerebral SINAIS E SINTOMAS - Perda brusca do conhecimentoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  112. 112. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Acidente Vascular Cerebral SINAIS E SINTOMAS - Perda brusca do conhecimento - Compromisso motor traduzido na descoordenação, no descontrolo ou mesmo na incapacidade de realização de movimentos (marcha)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  113. 113. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Acidente Vascular Cerebral SINAIS E SINTOMAS - Perda brusca do conhecimento - Compromisso motor traduzido na descoordenação, no descontrolo ou mesmo na incapacidade de realização de movimentos (marcha) - Cefaleias fortes (característico da hemorragia cerebral)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  114. 114. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Acidente Vascular Cerebral SINAIS E SINTOMAS - Perda brusca do conhecimento - Compromisso motor traduzido na descoordenação, no descontrolo ou mesmo na incapacidade de realização de movimentos (marcha) - Cefaleias fortes (característico da hemorragia cerebral) - Agitação e ansiedadeJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  115. 115. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Acidente Vascular Cerebral SINAIS E SINTOMAS - Perda brusca do conhecimento - Compromisso motor traduzido na descoordenação, no descontrolo ou mesmo na incapacidade de realização de movimentos (marcha) - Cefaleias fortes (característico da hemorragia cerebral) - Agitação e ansiedade - Dificuldade na articulação das palavrasJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  116. 116. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Acidente Vascular Cerebral SINAIS E SINTOMAS - Perda brusca do conhecimento - Compromisso motor traduzido na descoordenação, no descontrolo ou mesmo na incapacidade de realização de movimentos (marcha) - Cefaleias fortes (característico da hemorragia cerebral) - Agitação e ansiedade - Dificuldade na articulação das palavras - Anisocória (a mais dilatada do lado da lesão)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  117. 117. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Acidente Vascular Cerebral SINAIS E SINTOMAS - Perda brusca do conhecimento - Compromisso motor traduzido na descoordenação, no descontrolo ou mesmo na incapacidade de realização de movimentos (marcha) - Cefaleias fortes (característico da hemorragia cerebral) - Agitação e ansiedade - Dificuldade na articulação das palavras - Anisocória (a mais dilatada do lado da lesão) - Paralisia facial (repuxamento da comissura labial)Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  118. 118. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Acidente Vascular Cerebral SINAIS E SINTOMAS - Perda brusca do conhecimento - Compromisso motor traduzido na descoordenação, no descontrolo ou mesmo na incapacidade de realização de movimentos (marcha) - Cefaleias fortes (característico da hemorragia cerebral) - Agitação e ansiedade - Dificuldade na articulação das palavras - Anisocória (a mais dilatada do lado da lesão) - Paralisia facial (repuxamento da comissura labial) - Incontinência dos esfíncteresJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  119. 119. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Acidente Vascular Cerebral SINAIS E SINTOMAS - Perda brusca do conhecimento - Compromisso motor traduzido na descoordenação, no descontrolo ou mesmo na incapacidade de realização de movimentos (marcha) - Cefaleias fortes (característico da hemorragia cerebral) - Agitação e ansiedade - Dificuldade na articulação das palavras - Anisocória (a mais dilatada do lado da lesão) - Paralisia facial (repuxamento da comissura labial) - Incontinência dos esfíncteres - Insensibilidade aos estímulos tácteisJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  120. 120. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Acidente Vascular Cerebral SINAIS E SINTOMAS - Perda brusca do conhecimento - Compromisso motor traduzido na descoordenação, no descontrolo ou mesmo na incapacidade de realização de movimentos (marcha) - Cefaleias fortes (característico da hemorragia cerebral) - Agitação e ansiedade - Dificuldade na articulação das palavras - Anisocória (a mais dilatada do lado da lesão) - Paralisia facial (repuxamento da comissura labial) - Incontinência dos esfíncteres - Insensibilidade aos estímulos tácteis - PalidezJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  121. 121. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Acidente Vascular Cerebral SINAIS E SINTOMAS - Perda brusca do conhecimento - Compromisso motor traduzido na descoordenação, no descontrolo ou mesmo na incapacidade de realização de movimentos (marcha) - Cefaleias fortes (característico da hemorragia cerebral) - Agitação e ansiedade - Dificuldade na articulação das palavras - Anisocória (a mais dilatada do lado da lesão) - Paralisia facial (repuxamento da comissura labial) - Incontinência dos esfíncteres - Insensibilidade aos estímulos tácteis - Palidez - SudoreseJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  122. 122. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Acidente Vascular Cerebral PRIMEIRO SOCORROJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  123. 123. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Acidente Vascular Cerebral PRIMEIRO SOCORRO - Reduzir a tensão emocionalJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  124. 124. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Acidente Vascular Cerebral PRIMEIRO SOCORRO - Reduzir a tensão emocional - Manter um ambiente tranquiloJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  125. 125. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Acidente Vascular Cerebral PRIMEIRO SOCORRO - Reduzir a tensão emocional - Manter um ambiente tranquilo - Afastar os familiaresJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  126. 126. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Acidente Vascular Cerebral PRIMEIRO SOCORRO - Reduzir a tensão emocional - Manter um ambiente tranquilo - Afastar os familiares - Promover o estímulo verbalJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  127. 127. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Acidente Vascular Cerebral PRIMEIRO SOCORRO - Reduzir a tensão emocional - Manter um ambiente tranquilo - Afastar os familiares - Promover o estímulo verbal - Manter a via aérea permeávelJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  128. 128. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Acidente Vascular Cerebral PRIMEIRO SOCORRO - Reduzir a tensão emocional - Manter um ambiente tranquilo - Afastar os familiares - Promover o estímulo verbal - Manter a via aérea permeável - Desapertar as roupas a nível do pescoço, tórax e abdómenJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  129. 129. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Acidente Vascular Cerebral PRIMEIRO SOCORRO - Reduzir a tensão emocional - Manter um ambiente tranquilo - Afastar os familiares - Promover o estímulo verbal - Manter a via aérea permeável - Desapertar as roupas a nível do pescoço, tórax e abdómen - Colocar a vítima de acordo com o seu grau de consciência na fase de recuperaçãoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  130. 130. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Acidente Vascular Cerebral PRIMEIRO SOCORRO - Reduzir a tensão emocional - Manter um ambiente tranquilo - Afastar os familiares - Promover o estímulo verbal - Manter a via aérea permeável - Desapertar as roupas a nível do pescoço, tórax e abdómen - Colocar a vítima de acordo com o seu grau de consciência na fase de recuperação - Manter a temperatura corporalJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  131. 131. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Acidente Vascular Cerebral PRIMEIRO SOCORRO - Reduzir a tensão emocional - Manter um ambiente tranquilo - Afastar os familiares - Promover o estímulo verbal - Manter a via aérea permeável - Desapertar as roupas a nível do pescoço, tórax e abdómen - Colocar a vítima de acordo com o seu grau de consciência na fase de recuperação - Manter a temperatura corporal - Vigiar as funções vitaisJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  132. 132. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Acidente Vascular Cerebral PRIMEIRO SOCORRO - Reduzir a tensão emocional - Manter um ambiente tranquilo - Afastar os familiares - Promover o estímulo verbal - Manter a via aérea permeável - Desapertar as roupas a nível do pescoço, tórax e abdómen - Colocar a vítima de acordo com o seu grau de consciência na fase de recuperação - Manter a temperatura corporal - Vigiar as funções vitais - Promover o transporte imediato para o hospitalJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  133. 133. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA DiabetesJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  134. 134. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Diabetes São desequilíbrios que resultam do excesso ou do defeito de glicose ou insulinaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  135. 135. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Diabetes São desequilíbrios que resultam do excesso ou do defeito de glicose ou insulina HIPOGLICÉMIA Hipo = menos; glicémia = açúcarJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  136. 136. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Diabetes São desequilíbrios que resultam do excesso ou do defeito de glicose ou insulina HIPOGLICÉMIA Hipo = menos; glicémia = açúcar HIPERGLICÉMIA Hiper = mais; glicémia = açúcarJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  137. 137. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Diabetes São desequilíbrios que resultam do excesso ou do defeito de glicose ou insulina HIPOGLICÉMIA Fornecimento insuficiente de substrato calórico (glicose) devido a:Jorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  138. 138. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Diabetes São desequilíbrios que resultam do excesso ou do defeito de glicose ou insulina HIPOGLICÉMIA Fornecimento insuficiente de substrato calórico (glicose) devido a: - Jejum prolongadoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  139. 139. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Diabetes São desequilíbrios que resultam do excesso ou do defeito de glicose ou insulina HIPOGLICÉMIA Fornecimento insuficiente de substrato calórico (glicose) devido a: - Jejum prolongado - Esforços físicos incomuns e em condições climatéricas desfavoráveis que aumentam os consumos energéticos do organismoJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  140. 140. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Diabetes São desequilíbrios que resultam do excesso ou do defeito de glicose ou insulina HIPOGLICÉMIA Fornecimento insuficiente de substrato calórico (glicose) devido a: - Jejum prolongado - Esforços físicos incomuns e em condições climatéricas desfavoráveis que aumentam os consumos energéticos do organismo - Dose excessiva de insulina exógena em doente que seja diabético e insulinodependenteJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  141. 141. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Diabetes SINAIS E SINTOMAS HIPOGLICÉMIAJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  142. 142. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Diabetes SINAIS E SINTOMAS - Sensação de fraqueza/fome HIPOGLICÉMIAJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  143. 143. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Diabetes SINAIS E SINTOMAS - Sensação de fraqueza/fome - Palidez acentuada HIPOGLICÉMIAJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  144. 144. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Diabetes SINAIS E SINTOMAS - Sensação de fraqueza/fome - Palidez acentuada HIPOGLICÉMIA - Sudorese abundante e friaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  145. 145. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Diabetes SINAIS E SINTOMAS - Sensação de fraqueza/fome - Palidez acentuada HIPOGLICÉMIA - Sudorese abundante e fria - Pele pegajosaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  146. 146. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Diabetes SINAIS E SINTOMAS - Sensação de fraqueza/fome - Palidez acentuada HIPOGLICÉMIA - Sudorese abundante e fria - Pele pegajosa - Pulso rápido e cheioJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  147. 147. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Diabetes SINAIS E SINTOMAS - Sensação de fraqueza/fome - Palidez acentuada HIPOGLICÉMIA - Sudorese abundante e fria - Pele pegajosa - Pulso rápido e cheio - Ventilação superficial e tendencionalmente deprimidaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  148. 148. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Diabetes SINAIS E SINTOMAS - Sensação de fraqueza/fome - Palidez acentuada HIPOGLICÉMIA - Sudorese abundante e fria - Pele pegajosa - Pulso rápido e cheio - Ventilação superficial e tendencionalmente deprimida - Parestesias no rosto e nas mãosJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  149. 149. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Diabetes SINAIS E SINTOMAS - Sensação de fraqueza/fome - Palidez acentuada HIPOGLICÉMIA - Sudorese abundante e fria - Pele pegajosa - Pulso rápido e cheio - Ventilação superficial e tendencionalmente deprimida - Parestesias no rosto e nas mãos - ConvulsõesJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  150. 150. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Diabetes SINAIS E SINTOMAS - Sensação de fraqueza/fome - Palidez acentuada HIPOGLICÉMIA - Sudorese abundante e fria - Pele pegajosa - Pulso rápido e cheio - Ventilação superficial e tendencionalmente deprimida - Parestesias no rosto e nas mãos - Convulsões - Caso extremo - comaJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012
  151. 151. 15. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA Diabetes PRIMEIRO SOCORRO - Se a vítima estiver consciente e conseguir deglutir, dar água com açúcar HIPOGLICÉMIAJorge Almeida, Prof. Adj. - ESALD UC Primeiros Socorros – CET Protecção Civil - 2012

×