Web radio escola_mundo_de_alice

1.685 visualizações

Publicada em

Escola Mundo de Alice
UFRGS - REGESD
Licenciatura em Artes Visuais - EAD

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.685
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
61
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Web radio escola_mundo_de_alice

  1. 1. Escola Mundo de Alice Porto Alegre – Rio Grande do Sul Setor de projetos interdisciplinares Projeto: Web-rádio1. Nome da proposta: Web-rádio/rádio-escola: integrando, informando e diminuindo distâncias através dacomunicação.2. Autoria: Docentes, discentes, equipe pedagógica e administrativa da Escola de AplicaçãoMundo de Alice.3. Público a ser envolvido: Educadores, educandos, comunidade escolar e equipe diretivo/administrativa dainstituição educacional. Dando enfoque inicial prioritariamente para os alunos dos anos finaisdo ensino fundamental e ensino médio politécnico, magistério e regular. O que se pretende éretirar a escola do isolamento e torná-la social através da criação de uma rádio-escola com aparticipação comunitária e, o lançamento desta rádio virtualmente, através da rede deinformação e comunicação www (internet).4. Mídias a serem utilizadas:  Rádio;  Computadores: hardware e software;  Software educativo: “Audacity”;  Rede internacional de conexão entre computadores: internet; 1
  2. 2.  Material impresso para pesquisa, leituras, registros e debates;  Caixa acústica e/ou amplificador;  Microfones;  Gravadores portáteis ou aparelho celular que possui o comando de gravar;  Comunicação escrita e radiofônica;  Pen drive;  Máquina fotográfica digital;  Impressora;  Mesa de som;  Sala acústica.5. Apresentação: A escola, considerando o espaço físico e a comunidade escolar composta porprofessores, funcionários, alunos, pais de alunos e equipe diretiva, tem valor fundamental naformação do cidadão, influenciando os participantes e seu entorno ao exercício da cidadaniade forma positiva, coerente com o que a sociedade espera em termos de atitudes frente aosmais variados aspectos exigidos para a construção de um mundo melhor. Tal instituição encontra-se em constante mudança assim como o planeta que não éestático, sendo o enfoque primordial o fato de estarmos inseridos na sociedade doconhecimento e da tecnologia, onde torna-se necessário analisar continuamente o papel daescola nas questões relacionadas ao ensino e a aprendizagem, pois o momento requer umanova forma de pensar e agir para lidar com a rapidez, abrangência de informações e com odinamismo do conhecimento. A utilização de mídias em sala de aula favorece a efetivação do aprendizado de formaatrativa e diversificada. O rádio, por ser uma mídia popularizada e de fácil acesso é mais umdos recursos que podem ser utilizados no processo ensino aprendizagem em diversas áreas doconhecimento, pois em sua programação contempla assuntos variados e de fácilentendimento. Tomando por base a facilidade de aceitação dessa mídia é que o presente projeto visaintroduzir na escola o universo radiofônico propiciando aos segmentos envolvidos umconhecimento específico sobre esse meio de comunicação, ou seja, fazendo com que acomunidade escolar participe ativamente do processo que se dá no interior da rádio e passe a 2
  3. 3. participar de todo o desenvolvimento desta mídia, não apenas ligar o botão e esperar a vozirradiar, saber de onde veio a voz, qual a programação, como se produziu determinadoprograma, etc. Em outros termos, auxiliar e esquematizar para que os envolvidos no projeto passem arealmente fazer parte do universo da rádio deixando de ser ouvinte passivo e passando a sercolaborador ativo e parte da engrenagem que movimenta essa mídia, através da criação deuma rádio-escola e web-rádio.6. Objetivos:  Promover o protagonismo infanto/juvenil por meio das tecnologias da informação e da comunicação contribuindo para o desenvolvimento de competências no uso destas tecnologias;  Potencializar o desenvolvimento da competência leitora e escritora e das expressões comunicativas dos alunos;  Contribuir para a integração entre professores, alunos e comunidade;  Capacitar os alunos para o uso da linguagem radiofônica e dos demais recursos da comunicação;  Estimular a criação, imaginação, capacidade de organizar eventos, pesquisas, documentários, entrevistas e trabalho comunitário;  Utilizar o sistema de rádio como um instrumento tecnológico e inovador para dirigir a socialização em grupo de jovens e crianças.  Promover a comunicação no âmbito escolar de forma aberta e transparente;  Constituir educacionalmente sujeitos conscientes do papel da comunicação e da liberdade de expressão;  Implementar uma Rádio Escola para divulgar os propósitos pedagógicos da instituição, divertir, informar, conhecer a história local e regional, qualificar o nível de ensino-aprendizagem, autorizando os sujeitos a fala;  Fazer do rádio um instrumento para a consolidação de escolas cidadãs, potencializando a criação de uma web-rádio;  Contribuir para a compreensão de que o rádio é um veículo de comunicação eficiente para tornar público o trabalho educacional efetivamente realizado em cada unidade escolar; 3
  4. 4.  Desenvolver habilidades e tendências comunicacionais dos participantes;  Assessorar os profissionais envolvidos no projeto para que se utilizem do rádio como um instrumento eficaz de ensino;  Reconhecer crianças e adolescentes como produtores de cultura, integrando-os aos meios de comunicação, em geral ocupados por adultos;  Exercitar a comunicação oral, aperfeiçoando a objetividade e clareza de exposição do pensamento;  Discutir o uso da rádio como um canal para construção do conhecimento, ressignificando o processo de ensinar-aprender;  Favorecer a convivência e trabalho em grupo, respeitando diferenças, níveis de conhecimento e ritmos de aprendizagem de cada integrante da equipe.7. Justificativa: Falar em educação é comprometer-se, é estar inserido num contexto social permeadopelas diferenças, sejam elas ideológicas, culturais, étnicas e morais. Na qual cada sujeitoconstitui-se por um metabolismo orgânico em constate processo e mutação, nada é estático,sólido e imutável. Desta forma, propor um projeto que respeite as diferenças e não somente astolere, incluindo-as dentro dos afazeres educativos é ousar no pensamento, na ação e nocurrículo permeado pelos temas transversais. Tornar este uma prática cotidiana é maiscomplexo do que teoricamente parece, por isto lançamos mão das mídias e novas tecnologias,questionando seu processo massificador e envolvendo a produção midiática realizada peloseducandos como uma forma de tomada de consciência. Aqui nos deparamos com a história do surgimento da comunicação de massa ocorridano Brasil no ano de 1922 com a implementação da rádio. Sendo este considerado um meio decomunicação de massa por ter um código de fácil acesso para a população: a fala. O intentodeste projeto é unir o primeiro meio de comunicação de massa presente no Brasil (há indíciosde que o jornal teve sua origem anos antes, mas com poucos adeptos em virtude o alto nívelde analfabetismo), com as novas tecnologias da comunicação e informação através da criaçãode um blog da web-rádio Escola Mundo de Alice onde a aprendizagem se dá através dametamorfose de acontecimentos, possibilidades e transformações, valorizando a cultura daimagem tão presente em nossa sociedade pós-estruturalista. 4
  5. 5. A rádio-escola procura trazer ao dia-a-dia dos alunos temas antes só abordados emreuniões pedagógicas ou por alguns professores em suas aulas mantendo-os, assim,informados de todos os acontecimentos pertinentes ao âmbito escolar, trazendo a este espaçoseus questionamentos, dúvidas e curiosidades cotidianas. Principalmente por tratar-se de umcolégio de aplicação, onde cada sala constituir-se-á por um laboratório de aprendizagemsensorial e colaborativa. É necessário destacar que a rádio é um dos meios de comunicação mais importantes evalorizados ainda na atualidade, apesar de existir inúmeros meandros comunicacionais a rádiomantém seu valor, principalmente por ser um meio acessível financeiramente e com aabrangência tecnológica pode ser transmitida via computacional. Vale lembrar que a aquisição da leitura e escrita de forma diversificada colabora paraque o educando seja questionador, participante, apto a emitir opiniões e produzir reflexõessobre diversos assuntos. Bakhtin, destaca com propriedade a importância das palavras na formação dacomunicação, sendo este um meio efetivo de nos relacionarmos socialmente, além de atentarque as imagens também encontram-se repleta de signos e ideologias. Segundo ele: As palavras são tecidas a partir de uma multidão de fios ideológicos e servem de trama a todas as relações sociais em todos os domínios. [...] A palavra constitui o meio no qual se produzem lentas acumulações quantitativas de mudanças que ainda não tiveram tempo de adquirir uma nova qualidade ideológica, que ainda não tiveram tempo de engendrar uma forma ideológica nova e acabada. A palavra é capaz de registrar as fases transitórias mais íntimas, mais efêmeras das mudanças sociais. [...] Cada época e cada grupo social têm seu repertório de formas de discurso na comunicação sócio-ideológica. [...] A língua vive e evolui historicamente na comunicação verbal concreta, não no sistema linguístico abstrato das formas da língua nem no psiquismo individual dos falantes (BAKHTIN, pp. 41, 43, 44 e 124, 1981). A partir das idéias de Bakhtin que destaca que a língua vive, modifica-se, transforma,articula o contexto, ressignificando-o, justifica-se a intenção de criar uma rádio-escola em trêsmomentos distintos que se complementam: estudo teórico e bibliográfico que respaldamsignificativamente a inserção de uma rádio-escola junto à equipe pedagógica, administrativa,discente, docentes e comunidade educacional, registrando apontamentos, sugestões, interessese possibilidades de angariar verbas para melhorar a estruturação do projeto; elaboração,pesquisa, edição impressa e gravação auditiva de alguns programas que deverão ir ao ar numperíodo de seis meses, com duração de quinze minutos no intervalo entre as aulas, sendoeditados semanalmente (haverá apenas um programa por semana); avaliação dos benefíciosou não apresentados pela implementação da rádio-escola, ampliação da proposta e elaboraçãodo blog com um ícone específico para a www.rádio-escola/educomunicação, e se possível, 5
  6. 6. buscar patrocínios junto à iniciativa privada para ampliar as bases da rádio tornando-acomunitária (isto, num momento posterior, se houver uma avaliação positiva dos trêsmomentos previstos para o projeto). Vale lembrar que trabalhar apenas com o som acarreta desvantagens que requeremmaior envolvimento, os sujeitos que se propõem a participar necessitam aprimorar suaoralidade e desenvolver clareza em sua fala, sendo esta simples e direta. Para o desenvolvimento do projeto, serão esclarecidos alguns pontos estruturantes deuma rádio, trabalhar-se-á com a elaboração de roteiro e a importância deste, os gêneros detransmissão radiofônicos, destacando o estilo que é enfatizado em uma rádio-escola. É importante lembrar que na produção de uma rádio-escola modifica-se o perfil deconsumidor para produtor de mídia, trata-se da possibilidade de desenvolver projetoseducacionais onde estudantes e professores aperfeiçoam o senso crítico em relação aosconteúdos veiculados pelos meios de comunicação e informação, através deste espaço taisestudantes tornam-se co-autores de sua aprendizagem sendo autônomos e protagonistas emseu fazer educativo. Podemos recorrer ao que diz Freire: A comunicação, compreendida como troca de conhecimentos, possui uma dimensão educativa que deve ser levada em conta já que educação é comunicação, é diálogo, na medida em que não é transferência de saber, mas um encontro de sujeitos interlocutores que buscam a significação dos significados (FREIRE; 1992, p. 69). Não se almeja criar radialistas e sim, potencializar aos estudantes momentos deaprendizagem e entretenimento, bem como lazer e ações recreativas, tocando músicas, dandorecados, contando piadas, divertindo e informando. Além deste ponto, tem o intuito deampliar o conceito de cidadania na prática, construindo projetos de colaboração social erelacionamento intrapessoal, debater sobre assuntos ligados à sexualidade, saúde, meioambiente, ao combate a todas as formas de discriminação e preconceito, entre outras.8. Metodologia: Nesta ação vislumbra-se um trabalho voltado para a Educomunicação, ou seja, a uniãoda educação com o ato comunicativo, sendo este visto de forma a dar o direito à fala de todosos sujeitos, pode ser entendida como toda a ação comunicativa no espaço educativo, realizadacom o objetivo de produzir e desenvolver ecossistemas comunicacionais em espaços educativospresenciais ou virtuais, com o objetivo de melhorar as ações educativas, incluindo as relacionadascom o uso dos recursos da informação no processo de aprendizagem (SOARES, 2002). 6
  7. 7. Vivemos a geração da web 2.0 nossos alunos estão conectados com tudo que há ao seuredor, se não possuem computadores, estão a zapear na televisão, trocar de estações de rádioem segundos, enviar SMS, filmar com seu celular, tirar fotografias, até montar pequenosfilmes, por outro lado, os menos abastados financeiramente estão cortando madeiras,construindo carrinhos de lomba, casas nas árvores, elaborando mirabolantes pratos culinários,enfim sempre conectados em uma frequência não prevista pela escola. A prática educativa visa levar em consideração o aluno como sujeito de sua própriaaprendizagem, consolidando um ato educativo que respeite o ritmo de cada um, levando-o aquestionar, propor situações de trocas e experiências a partir da narração de sua própria vida,este é um projeto piloto como uma tentativa de inserção das novas tecnologias na sala de aulae respeitando a diversidade, principalmente por estarmos começando uma escola nova, comuma proposta dinâmica e inovadora, todos os projetos serão iniciados de forma calculada earquitetada, para serem analisados e finalmente inseridos como linhas de ação contínua. A abordagem metodológica do processo de ensino-aprendizagem embasa-se na linhamontessoriana que assegura que crianças e jovens, sejam preparados para participarativamente da sociedade, sendo críticos, responsáveis, competentes e independentes.Compreendendo que a aprendizagem é um processo ativo e construtivo efetivado pela relaçãoestabelecida entre todos os sujeitos participantes deste processo. Educação e comunicação devem estar caminhando lado a lado, potencializando ainserção social e a fala de todos os sujeitos, o trabalho que se pretende desenvolver, demaneira sintética e objetiva, nas três etapas previstas, depreende-se da seguinte forma: Primeira etapa:* Elaboração do projeto da rádio-escola;* Apresentação da proposta da criação de uma rádio-escola e constituição subsequente destano formato da web-rádio, em sessões que reúnem de forma organizada corpo docente,discentes, comunidade escolar e setor público e/ou privado que possa assumir os custos destaimplementação;* Diagnosticar a necessidade de equipamentos básicos e levantar o orçamento, levando emconsideração os já disponíveis na escola;* Efetuar promoções para angariar fundos que visem à aquisição dos materiais previstos nodiagnóstico das necessidades, realizado coletivamente; 7
  8. 8. * Promover aulas expositivas e demonstrativas sobre a importância da rádio como veículo decomunicação de massa, sua história (surgimento no Brasil), presença na vida cotidiana dacomunidade. Este movimento será realizado juntamente ao corpo docente e discente, com aação e participação interativa de todos;* Visita a rádios AM e FM com o intuito de conhecer o funcionamento de uma rádio,visualizando os principais instrumentos que são utilizados para noticiar os eventos ocorridosno município e entorno;* Promover encontros mensais para discussão, avaliação e planejamento junto à comunidadeescolar em sua íntegra, com a intenção de averiguar os valores necessários para equipar aescola, debatendo sobre a importância de valorizar a cultura local através do uso da rádio;* Definir os grupos envolvidos no projeto (professores, alunos e coordenação pedagógica),que serão responsáveis pela organização do espaço, cuidado, manutenção dos recursos,definição dos programas, pesquisas e delegação de funções, neste momento será formada umaequipe coordenadora, da qual farão parte representantes de cada seguimento;* Organizar cronograma de funcionamento da rádio que será implementada no horário dointervalo e coordenada pelos alunos, com a supervisão de professores.* Definir local para a instalação da rádio, autos-falantes e mesa de som;* Promover momentos de orientação e estudo sobre como manejar os equipamentos, comogravar os programas, etc;* Montar vinhetas com fundo musical e gravar.* Selecionar músicas com musicalidade e letra condizentes ao ambiente educacional.* Recolher informações, pedidos musicais, fazer entrevistas, enquetes, pesquisa de opinião,entre outras ações, com todos os setores da escola para divulgar em dias e horáriosprogramados;* Organizar programas de entrevistas temáticas;* Leituras dramáticas de autores literários em estudo;* Hora do conto;* Elaborar uma programação que atenda os desejos da clientela e alcance os objetivosprevistos. Segunda etapa: Para dar continuidade ao projeto num viés prático, onde haverá a ação dos alunosprotagonistas, a segunda etapa constitui os seis meses das transmissões radiofônicas internas 8
  9. 9. ao ambiente escolar, na qual todos os agentes constituintes da escola farão uso da palavra.Ter-se-á clareza do que significa gestão democrática, para que a ação interativa sejaefetivamente um ato de educomunicação: [...] todo processo articulado e orgânico voltado, a partir de dada intencionalidade educativa, para planejamento, execução e avaliação de atividades destinadas a criar e manter ecossistemas comunicacionais, entendidos como ambientes regidos pelo princípio da ação e do diálogo comunicativos. (SOARES, 1999). Assim, na formulação e efetivação destes ecossistemas comunicacionais, a instituiçãoeducacional através de seu corpo vivo, irá delegar funções, definir temáticas e organizar umcronograma das edições radiofônicas. O período de seis meses compreende cerca de vintesemanas, desta forma, serão veiculados vinte programas com duração de quinze minutos nohorário do intervalo entre as aulas. A elaboração de cada programa será delegada para equipes, separadas por turmas,tendo um professor responsável para cada emissão, como previsto na etapa anterior serácomposta uma equipe que coordenará este trabalho. Procedimentos a serem adotados, para a execução coerente desta proposta:* Reunião geral com toda a esfera educacional, para combinar sobre o padrão adotado emcada transmissão radiofônica, sendo que nesta etapa, as transmissões serão gravadas, editadase levadas ao ar semanalmente.* Elaboração do cronograma e calendário prévio das vinte edições da rádio, selecionandotemáticas a serem abordadas, equipe/turma responsável para cada semana;* Definição de uma equipe técnica que estará à disposição das demais equipes para auxiliar naedição, além de serem os responsáveis para “rodar” as gravações nos dias e horáriodeterminado previamente;* A equipe técnica irá rever junto a cada grupo como se dá a elaboração de um roteiro, osprincípios que devem ser atendidos em uma transmissão radiofônica, destacando a forma dalinguagem:  dizer de modo direto (objetividade)  com a maior nitidez possível (clareza)  curto espaço de tempo (brevidade)* Mãos a obra, com posse do cronograma, dos princípios radiofônicos, da estrutura de umroteiro, cada equipe editará sua transmissão radiofônica.* Avaliação coletiva realizada ao final de cada mês, através de seminários internos, reunindoa equipe técnica com cada grupo responsável, averiguando os benefícios ou não, obtidos apartir deste trabalho. 9
  10. 10.  Terceira etapa* Averiguação dos efeitos positivos da rádio-escola, através de enquetes e pesquisa de opiniãojunto aos sujeitos envolvidos. Ação coordenada por um professor juntamente com a equipetécnica;* Levantamento dos dados obtidos e socialização junto à comunicada educacional;* Reunião coletiva esclarecendo o que é uma web-rádio e a importância desta para adivulgação do trabalho educacional;* Reunião registrada em ata, onde irá constar a autorização dos pais para a publicação dotrabalho realizado por seu filho na rádio-escola, permitindo a veiculação via web. Valereiterar que todas as reuniões serão registradas em ata (específica para o projeto), para ter umacompanhamento contínuo das mudanças, opiniões e críticas ao projeto proposto;* Reedição de cada transmissão radiofônica. Cada equipe será responsável pela reedição deseu trabalho, através da transcrição da apresentação para ser postada no blog da escola, omesmo servirá para mostrar ao mundo o que a escola realiza, incluindo fotos, vídeos, pesquisade opinião, entrevista com a comunidade e um link específico para as vinte transmissões darádio-escola realizadas no primeiro semestre do ano, cada transmissão estará disponibilizadaem áudio e texto;* Elaboração coletiva de um portfólio, registrando todos os passos percorridos até aconsumação do projeto através da criação de uma web-rádio e um blog escolar, publicaçãoonline deste material;* Reunião final, fechamento desta etapa do projeto, avaliação e previsão futura para acontinuidade ou não do trabalho;* No segundo semestre, onde será dedicado maior tempo a criação do blog e da web-rádio, osalunos poderão reeditar suas transmissões, complementando, substituindo músicas, ou seja,alterando o que for necessário (se assim acharem) e transmitindo novamente no horário dosintervalos, porém em espaços mais longos, ao invés de semanalmente (quinzenalmente oumensalmente), tal ação será proposta e debatida coletivamente.9. Período de realização: Sendo um projeto piloto, a rádio-escola terá a duração de três semestres, sendo seismeses em canal aberto nos intervalos entre as aulas. No âmbito virtual, pretende-se a partir dacriação de um blog para a web-rádio da escola, postar edições de gravações radiofônicas 10
  11. 11. mensalmente, sendo aberto espaço para a participação coletiva e colaborativa de todos ossujeitos ativos da escola, neste ínterim incluem-se pais, alunos, professores, setoradministrativo e pedagógico. Caso o projeto obtenha uma aceitação positiva, tornar-se-á parteintegrante do Projeto Político Pedagógico como projeto permanente da instituiçãoeducacional. A proposta apresentada será articulada em três etapas: Primeira etapa: debate do projeto com o corpo administrativo, pedagógico, discentes,docentes, funcionários escolares, iniciativa pública e;ou privada. Levantamento daspossibilidades de inserção do projeto, das necessidades materiais e humanas, disponibilidadede espaço físico (diagnóstico coletivo), aquisição dos equipamentos através de eventos epromoções escolares. Neste movimento será elaborado um cronograma dos assuntos queserão tratados na escola e se tal modalidade de trabalho disponibiliza uma ampliaçãoqualitativa da aprendizagem. Este movimento de sondagem, aquisição de materiais eenvolvimento da comunidade terá a duração de um semestre, neste período serão realizadas asprimeiras entrevistas, gravações e edições de áudio com algumas amostragens em reuniãocom os pais ou intervalo das aulas para os alunos, para se ter uma noção de como estrutura-seuma rádio. Neste período será constituída uma equipe radiofônica, que vai estudar sobre aelaboração do roteiro, exercitando esta aprendizagem, formarão equipes para elaborar roteirossobre temas diversos escolhidos através das reuniões que envolvem toda a comunidadeeducacional. Segunda etapa: compreende o primeiro semestre do ano seguinte, entre os meses defevereiro a julho, neste período funcionará a rádio-escolar com uma edição semanal, tendo aduração de quinze minutos apresentada no intervalo entre as aulas; este material será editado eposteriormente, disponibilizado via web no blog da escola, que constitui a próxima etapa.Aqui haverá uma equipe semanal para a elaboração do roteiro, gravação, edição de áudio emusicalidade, sendo auxiliados por um profissional da educação e ampliando o convite a umapessoa da comunidade local. Terceira etapa: avaliação coletiva do processo percorrido até o presente momento,averiguação da possibilidade de manter ou não o funcionamento da rádio-escola e elaboraçãodo blog/rádio onde será disponibilizada a todas as pessoas que possuem acesso a internet oconhecimento do trabalho realizado na instituição escolar e a possibilidade de ouvirem asedições veiculadas internamente na rádio-escola, tendo a duração de um semestre,compreendido entre os meses de agosto a dezembro. 11
  12. 12. O projeto encontra-se estruturado com a duração de três semestres, divididos emetapas isoladas que se complementam, dispondo desta maneira a existência de uma gestãodemocrática e participativa, estando aberta a mudança, reformulação e crítica na busca dequalificar o processo de ensino-aprendizagem, valorizando a escola como o lugar aexperimentação de novos saberes e descobertas.10. Cronograma: Primeira etapa – meses de agosto a dezembro: Proposta de ação: Novembro Dezembro Fevereiro Setembro Outubro Janeiro Agosto Março Junho Julho AbrilElaboração do projeto da rádio-escola Maio XApresentação da proposta a comunidade XescolarDiagnosticar as necessidades humanas e XmateriaisEfetuar promoções para angariar fundos XAulas expositivas e demonstrativas sobre a Ximportância da rádio como veículo decomunicação de massa, sua história(surgimento no Brasil), presença na vidacotidiana da comunidadeVisita a rádio AM e FM do município XEncontros para discussão, avaliação e X X X X Xplanejamento junto à comunidade escolarDefinir os grupos envolvidos no projeto X(professores, alunos e coordenaçãopedagógica), que serão responsáveis pelaorganização do espaço, cuidado,manutenção dos recursos, definição dosprogramas, pesquisas e delegação defunçõesOrganizar cronograma de funcionamento da Xrádio que será implementada no horário dointervalo e coordenada pelos alunos, com asupervisão de professoresDefinir local para a instalação da rádio XPromover momentos de orientação e estudo Xsobre como manejar os equipamentos, comogravar os programas, etc. Montar vinhetascom fundo musical e gravar. Selecionarmúsicas com musicalidade e letracondizentes ao ambiente educacionalRecolher informações, pedidos musicais, Xfazer entrevistas, enquetes, pesquisa de 12
  13. 13. opinião, entre outras ações, com todos ossetores da escola para divulgar em dias ehorários programadosElaborar uma programação padrão que Xatenda os desejos da clientela e alcance osobjetivos previstos Segunda e terceira etapas: meses de fevereiro a dezembro: Proposta de ação: Novembro Dezembro Fevereiro Setembro Outubro Janeiro Agosto Março Junho Julho Abril MaioReunião geral XElaboração do cronograma e calendário Xprévio das vinte edições da rádioDefinição de uma equipe técnica que Xestará (lembrar somente dos nomes jáelencados na etapa anterior)Estudo teórico sobre a elaboração de um X Xroteiro e os princípios que devem seratendidos em uma transmissãoradiofônicaEdição e transmissão radiofônica X X X X X X(semanal)Avaliação coletiva X X X X XAveriguação dos efeitos positivos da Xrádio-escola, através de enquetes epesquisa de opinião junto aos sujeitosenvolvidos. Levantamento dos dadosobtidos e socialização junto àcomunicada educacionalReunião coletiva esclarecendo o que é Xuma web-rádio e a importância destapara a divulgação do trabalhoeducacional, registrada em ata, onde iráconstar a autorização dos pais para apublicação do trabalho realizado por seufilho na rádio-escola, permitindo aveiculação via web.Reedição de cada transmissão X XradiofônicaElaboração do portfólio e criação do X Xblog e web-rádioReunião final, fechamento desta etapa Xdo projeto, avaliação e previsão futurapara a continuidade ou não do trabalho 13
  14. 14. 11. Resultados esperados: Entre o formar cidadãos e o transmitir informações que podem ou não constituir-se emconhecimentos, encontra-se o dilema primordial da escola, engessada por uma ótica unilateralna qual o saber era hegemônico e a educação significava ensinar conteúdos a seremcompreendidos momentaneamente para a aprovação no final do ano letivo. Com as mudançascontemporâneas e o hibridismo cultural presente em nossas relações sociais, a escola, antesdetentora do saber universal, perde suas bases, e o vendaval dos meios de comunicação demassa fazem tremer sua estrutura gerando rachaduras em sua “intransponível” barreira dosaber. Através destas fissuras o externo torna-se interno e o interno constitui-se peloemaranhado de relações exteriores. Assim o mais coerente é tratar a escola como organismo vivo, social e influenciadopelas novas mídias, a partir deste projeto intenciona-se valer-se destas rachaduras metafóricaspara tornar os conceitos curriculares vivências significativas, na qual os educadores possamutilizar estes recursos como ferramenta para o processo de ensino-aprendizagem, contribuindopara a ação reflexiva e dialógica sobre a importância da leitura e da escrita no cotidiano,despertando para o prazer de ler, escrever, ouvir e interagir, num mundo pautado pelaindividualidade e o egoísmo configurando um novo olhar sobre a diversidade humana. Almeja-se aproximar a escola da comunidade, através da valorização da cultura local eregional, trabalhando com um instrumento de grande valor social: a fala. Além de aprimorar acapacidade de pesquisa, síntese e interlocução de todos os sujeitos escolares, valorizando aação interdisciplinar e promovendo o trabalho em equipe, ultrapassando a ótica deconsumidores da informação para produtores, assegurando que esta é uma responsabilidadegrande que assumimos aos criar uma rádio-escola e transformando-a, posteriormente, em umaweb-rádio. De maneira objetiva, espera-se potencializar:* interação entre a escola e seu entorno;* tornar a educação um ato de comunicação reflexiva;* desfragmentar o processo de ensino, tornando-o contextual e vivencial;* envolver todos os sujeitos escolares, responsabilizando-os pela ação verídica ecompromissada com a educação;* aproximar escola, família e aprendizagem numa ação síncrona;* valer-se significativamente dos recursos mediáticos e tecnológicos em prol da educação. 14
  15. 15. 12. Avaliação: O projeto será avaliado constantemente pelos responsáveis, através da observação daparticipação e interesse dos alunos, bem como da repercussão dos programas veiculados eseus efeitos sobre o comportamento dos ouvintes, sendo estas impressões registradas emplanilhas ou atas específicas periodicamente, possivelmente através da elaboração de umportfólio/diário de bordo, com registros das reuniões, fotografias, sons e entrevistas antes daedição, sugestões e ideias. A avaliação tem a intenção de rever as ações realizadas e garantir o plenodesenvolvimento do projeto. A comunidade escolar também fará uma avaliação através deenquete. Constitui-se, por análise sistemática com registros das impressões e compreensõespor parte dos alunos e professores envolvidos, momentos de avaliação coletiva, onde serãotrabalhados em mesa redonda, o valor que a rádio está proporcionando ao ato educativo e deque forma os docentes e discentes estão percebendo este trabalho. Pesquisa de opinião elevantamento qualitativo e quantificativo dos dados referentes ao trabalho radiofônico. Combase nestes dados, serão propostas alterações ou continuidade das atividades. Atendendo à natureza interdisciplinar do projeto contamos com a participação dasvárias disciplinas que compõem a estrutura curricular, assim algumas exibições irão abordarconteúdos explorados no contexto de sala de aula. No final de cada emissão radiofônica será realizada uma reflexão coletiva em que aequipe produtora avaliará o trabalho realizado, auscultará o feedback obtido junto dacomunidade educativa e, a partir daí, inicia-se um novo ciclo de ação – nova emissão – que sepretendia melhor do que a anterior. Ação realizada durante a reedição prevista para a terceiraetapa. Análise dos comentários postados no blog da escola e, em especial, da web-rádio.13. Socialização do projeto: Falar em educomunicação e propor a instalação efetiva de uma rádio-escola e torná-laposteriormente web-rádio é potencializar a ação educativa de forma a propiciar a todos oseducandos serem co-autores de sua aprendizagem, tendo a expectativa de fomentar acuriosidade e interação entre os sujeitos, retornando a eles a humanidade perdida em nossasrelações individualistas e egoístas perpetuadas pela sociedade contemporânea. 15
  16. 16. A web-rádio e a rádio-escola, inserida no processo educativo pode tornar-se umexcelente recurso para abordar conteúdos e conceitos que devem ser estudadoscurricularmente, assim como um veículo que fomente a aprendizagem contínua e processual,desde que seus intervenientes (professores, alunos, comunidade escolar) saibam como utilizá-la e façam o uso adequado desta ferramenta. Neste ínterim, torna-se um recurso palpável eviável como o livro didático, porém num formato mais interativo e dinâmico. A produção de conteúdos de áudio em formato digital permite apoiar as atividadesdocentes, qualificando a fala, a escrita, a interpretação e o estudo sistemático, este ecossistemaencontra-se repleto de ferramentas que possibilitam a aprendizagem dentro e fora da escola,ao lançar na web seus estudos, pesquisas e opiniões, promovendo e divulgando outro espaçode aprendizagem. Hoje, mais do que nunca, torna-se imprescindível lançar mão destes recursos,promovendo novas experiências e alterando a cara da educação, ultrapassando os muros daescola e construindo um contexto universal, que estimule a opinião crítica, interesse eparticipação de todos.14. Referências do material pesquisado:BAKHTIN, Mikhail. Marxismo e filosofia de linguagem. Trad. Michel Lahud e YaraFrateschi Vieira, 2ª ed. Editora Hucitec: São Paulo, 1981.FILHO, Carlos Helder da Ponte; PATROCÍNIO, Kátia Regina Azevedo. O rádio na escolacomo instrumento educativo: estudo de caso do programa “Antenados”. Material de apoioao módulo Rádio do Curso de Mídias na Educação.FREIRE, Paulo. Extensão ou comunicação. São Paulo; Paz e Terra, 1992.GONÇALVES, Elizabeth Moraes; AZEVEDO, Adriana Barroso. A rádio na escola comoinstrumento de cidadania: análise do discurso da criança envolvida no processo. SãoBernardo. Revista acadêmica do Grupo Comunicacional de São Bernardo. Ano 1 – nº 02(julho/dezembro de 2004).SANTAROSA, Lucila Maria Costi (org.). Tecnologias digitais acessíveis. Porto Alegre: JSMComunicação Ltda, 2010.SAVIANI, Demerval. Brasil: educação para a elite e exclusão para a maioria. São Paulo:CCA-ECA-USP; Moderna, 1997. 16
  17. 17. SOARES, Ismar de Oliveira. Comunicação/Educação: a emergência de um novo campo e operfil de seus profissionais. Contato: Revista Brasileira de Comunicação e Arte, Brasília, v.02, ano 1, 1999.SOARES, I. Gestão Comunicativa e Educação: Caminhos da Educomunicação, inComunicação & Educação, n 23, Jan./Abril 2002, pp. 16-125. 17

×