Sistema de progresso formação

12.328 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Diversão e humor
2 comentários
10 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
12.328
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.315
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
422
Comentários
2
Gostaram
10
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Permite adquirir conhecimentos, competências e atitudes (“CCA”), sendo um factor de motivação para a criança (ser e fazer melhor).
  • Devem ser adaptadas e “negociadas” com os lobitos, para acolher novas propostas de oportunidades educativas, potenciando a participação das crianças no processo.
  • Contribuem para alcançar objectivos educativos de forma indirecta e progressiva.
  • Arranjar folha BEM MAIOR para formadores e formandos
  • Sistema de progresso formação

    1. 1. Papel activo do jovem na construção do seu percurso Dar relevância ao desenvolvimento de competências, ao longo do percurso Entender competências: SER | SABER | SABER FAZER Aprender a prender O que se aprende (conteúdo) e como se aprende (processo)
    2. 2. Colecção sistemática feita pelos jovens e formadores Serve de base para examinar esforço | melhoria | Processos | rendimentos Promover reflexão Trabalhar em conjunto para compreender as forças | necessidades | processos
    3. 3.  No portfólio o formando dá-se conta das reflexões que faz, dos esforços que desenvolve, define, para si, objectivos, determina estratégias a seguir, lança a si mesmo desafios  Possibilita um olhar crítico ao que se faz e como se faz. Não importa só o resultado, mas sobretudo o processo (não estático)  Conhecimento individualizado  Trabalho cooperativo (abandonar o conceito bancário da aprendizagem)
    4. 4. formando formadorgrupo
    5. 5.  Conduzir a uma progressiva AUTONOMIA  Em situações novas, encontrar soluções diversificadas. Pertinência da existência de im portfólio por cada escuteiro, onde se regista o diagnóstico inicial, se regista a negociação e estratégias, o processo, a avaliação contínua, pareceres do escuteiro, da equipa, dirigente (outros). Permite ao chefe de agrupamento acompanhar e ao futuro chefe conhecer o processo na aquisição dos CCA.
    6. 6. Objectivo: ajudar cada criança a envolver-se activamente e de forma consciente no seu próprio desenvolvimento. Principais características: • está centrado no indivíduo • considera as capacidades de cada um • é baseado em objectivos educativos
    7. 7. COMPETÊNCIAS capacidade para operacionalizar um conjunto de conhecimentos, atitudes e habilidades numa situação concreta, de modo a ser bem sucedido. 3 niveis de aprendizagem: Saber – saber Saber – ser Saber - fazer
    8. 8. •ConhecimentosC •CompetênciasC •AtitudesA Permite adquirir:
    9. 9.  Factor de motivação para o jovem (ser e fazer melhor) Guia a criança no seu desenvolvimento, sendo uma oportunidade de aprofundamento de habilidades próprias, valorização pessoal ou de descoberta vocacional. Impulsiona a criança/jovem a adquirir “rotinas” de análise e planeamento da sua vida.
    10. 10. Diagnóstico inicial valorizado Negociação entre elemento e dirigente sobre caminho a percorrer e metas a atingir Oportunidades educativas como programa-guia que orienta para um determinado objectivo Potencia a relação entre diversos intervenientes e entre pares na fase de diagnóstico e avaliação Reconhecimento envolve outros organismos que não apenas o agrupamento ou a unidade.
    11. 11. CCA Inicial Objectivos Objectivos Objectivos Diagnóstico
    12. 12. Vivência diária dentro /fora da alcateia, grupo, equipa Avaliação: Elemento Eq. Animação Pais Outros Objectivos Objectivos Objectivos
    13. 13. Etapas Observar conhecimentos, competências e atitudes: Diagnóstico Progredir = objectivos 3 etapas de progresso: Avaliação
    14. 14. Etapas - oficialmente A • 6 áreas de desenvolvimento: afectivo, carácter, espiritual, físico, intelectual e social T • 3 trilhos educativos em cada área de desenvolvimento O • Cada trilho contém 1 ou mais objectivos educativos • Cada criança constrói a sua etapa de progresso, seleccionando 1 trilho de cada uma das diferentes áreas de desenvolvimento I
    15. 15. Transição entre sistemas de progresso ? Diagnóstico com base no conhecimento adquirido SimNão; é aspirante Idade igual à de entrada na secção? Sem diagnóstico inicial formal. Adesão Sim Diagnóstico formal junto dos pais. Adesão. Observação directa ao longo da adesão. Não Pelo menos 1 trilho de cada área? Sim Não Etapa 1 Pelo menos 2 trilhos de cada área? Não Etapa 2 Etapa 3 Sim Aspirante tem 9 anos e tem 18 trilhos? Fica na Alcateia Passa para os exploradores Sim Não Pata-Tenra (Adesão) Lobo Valente Lobo Cortês Lobo Amigo encarar o desconhecido. exemplo para os outros. ajudar os mais novos
    16. 16. Transição entre sistemas de progresso ? Diagnóstico com base no conhecimento adquirido e com participação do explorador SimNão; é aspirante ou noviço Idade é superior a 10 anos? Diagnóstico em conjunto com o aspirante e observação informal com dinâmicas específicas. Adesão. Sim Diagnóstico inicial mais formal com os pais, observação informal e dinâmicas com o noviço/aspirante. Noviços: pode haver uma conversa entre chefes de unidade para “passar testemunho”. Adesão. Algum trilho alcançado é avaliado mais tarde. Primeiro grupo de trilhos não deve repetir os últimos trilhos atingidos nos lobitos. Não Pelo menos 1 trilho de cada área? SimNão Etapa 1 Pelo menos 2 trilhos de cada área? Não Etapa 2 Etapa 3 Sim Aspirante tem 13 anos e tem 18 trilhos? Fica nos Exploradores Passa para os Pioneiros Sim Não Adesão Informal Apelo (Adesão) Aliança Rumo Descoberta com Deus à Aventura da Terra Prometida
    17. 17. Adesão Informal Desprendimento (Adesão) Conhecimento Vontade Construção Transição entre sistemas de progresso ? Diagnóstico com base no conhecimento adquirido e com participação do pioneiro. Ele é incentivado a concretizar com acções práticas os objectivos que se incluem nos trilhos seleccionados. SimNão; é aspirante ou noviço Idade é superior a 14 anos? Sim Diagnóstico inicial mais formal com observação informal e dinâmicas com o noviço/aspirante. Noviços: pode haver uma conversa entre chefes de unidade para “passar testemunho”. Adesão. Ele é incentivado a concretizar com acções práticas os objectivos que se incluem nos trilhos seleccionados. Algum trilho alcançado é avaliado mais tarde. Primeiro grupo de trilhos não deve repetir os últimos trilhos atingidos nos exploradores. Não Pelo menos 1 trilho de cada área? SimNão Etapa 1 Pelo menos 2 trilhos de cada área? Não Etapa 2 Etapa 3 Sim Aspirante tem 17 anos e tem 18 trilhos? Fica nos Pioneiros Passa para os Caminheiros Sim Não Diagnóstico com base no conhecimento adquirido e com participação do pioneiro. Adesão para os aspirantes. Ele é incentivado a concretizar com acções práticas os objectivos que se incluem nos trilhos seleccionados. Profundo do mundo De mudar o mundo “nova cidade”.
    18. 18. Adesão Informal Caminho (Adesão) Comunidade Serviço Partida que formamos ao outro, ao próximo rumo ao horizonte Transição entre sistemas de progresso ? Diagnóstico com base no conhecimento adquirido e com participação do caminheiro. Ele é incentivado a incluir no seu PPV as acções concretas para atingir os objectivos que escolhe, apoiando-se do seu chefe de clã, e que apresenta ao clã. PPV tem uma parte aberta e uma parte reservada. SimNão; é aspirante ou noviço Idade é superior a 18 anos? Sim Diagnóstico inicial formal do noviço/aspirante com apoio do chefe de clã e de um caminheiro mais experiente por ele escolhido, com recurso a dinâmicas específicas. Noviços: pode haver uma conversa entre chefes de unidade para “passar testemunho”. Adesão. Algum objectivo dado como alcançado é fechado. Escolha é baseada em objectivos (2 a 3 de cada área) e não necessariamente em trilhos. Noviço/aspirante é incentivado a concretizar os objectivos que vão ser trabalhados com acções práticas (oportunidades), que insere no seu PPV. PPV tem uma parte aberta e uma parte reservada. Não Pelo menos 2 objectivos de cada área? SimNão Etapa 1 Pelo menos 4 objectivos de cada área? Não Etapa 2 Etapa 3. Nesta última etapa, o caminheiro continua a sua progressão e inicia ao desafio. Sim Diagnóstico com base no conhecimento adquirido e com participação do caminheiro. Adesão. Ele é incentivado a incluir no seu PPV as acções concretas para atingir os objectivos que escolhe, apoiando-se do seu chefe de clã, e que apresenta ao clã. PPV tem uma parte aberta e uma parte reservada.
    19. 19. A liberdade de escolha compete em primeiro lugar ao escuteiro. Papel do Dirigente: Apoio no diagnóstico e na selecção dos trilhos educativos que irão constituir as suas etapas; ORIENTADOR Observação da evolução dos CCA que contribuem para validar os objectivos educativos como atingidos. Auxiliar na avaliação
    20. 20. Etapas É a Criança que constrói o seu caminho de progressão Os mesmos objectivos podem pertencer a etapas diferentes para diferentes pessoas Nomes das etapas ligados com a mística e simbologia da Unidade.
    21. 21. o Caminheiro vive cristãmente em todas as dimensões do seu ser o Pioneiro assume o seu papel na construção da Igreja de Cristo o Explorador aceita a Aliança que o conduz à descoberta da Terra Prometida o Lobito louva Deus-Criador, descobrindo-O no que o rodeia; O louvor ao Criador A descoberta da Terra Prometida A Igreja em construção A Vida no Homem Novo
    22. 22. 1 Nunca 2 Raramente 3 Algumas vezes 4 Frequentemente 5 Quase sempre *Desempenho *Auto- conhecimento *Bem-estar físico *Relacionamento e sensibilidade *Equilíbiro emocional *Auto-estima *Descoberta *Aprofundamento *Serviço Chefe Escuteiro Equipe? Apenas no processo de validação Aliança 26/11/2010 (possibilidade de acrescentar outras áreas, ao longo da etapa, quando se constatar que se atingiu alguma de forma consistente.) Apenas 1 trilho

    ×