ReflexãO For.Rbe

371 visualizações

Publicada em

Publicada em: Negócios, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
371
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

ReflexãO For.Rbe

  1. 1. Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares<br />REFLEXÃO FINAL<br />Identificação: Isabel Maria Rosado Costa Flosa<br />Local de Trabalho: Agrupamento Vertical de Escolas das Naus<br />1 – ACÇÃO DE FORMAÇÃO<br />– Razões da Inscrição<br /> A razão por que me inscrevi na acção de formação foi essencialmente pela oportunidade de contactar com o Modelo de Auto-Avaliação das BE e, ao mesmo tempo, uma forma de o entender e trabalhar. Encarei como um desafio, apesar de sentir que seria uma sobrecarga de trabalho e que a altura do ano não seria a mais oportuna. <br />-Expectativas<br />-Como seria participar numa formação online, pois nunca tive esta experiência.<br /> - Conhecer e trabalhar com modelo da Auto-avaliação<br />- Partilhar experiências<br />– VIVÊNCIAS DA ACÇÃO<br />– Partilha de saberes <br />A partilha dos trabalhos na plataforma foi positiva. Permitiu visualizar o trabalho dos colegas e ver as diferentes abordagens às tarefas propostas. Foi, sem dúvida, um aspecto positivo e enriquecedor, pois apesar das dificuldades sentidas (falo por mim) todos conseguiram produzir bons trabalhos. <br />Desta forma, construímos novos saberes e reforçamos ideias já existentes e experienciadas. <br />– Sentimentos<br />Ao longo desta acção senti-me envolvida e ao mesmo tempo angustiada pela pressão do tempo, pois os trabalhos requeriam leituras, reflexões, análise, comparações para além da sua organização e publicação. <br />Como sentimentos (sensações): desafio; curiosidade; cansaço; partilha; recusa; custo (sacrifício); empenho; expectativa,… <br />2.3 – Envolvimento Pessoal<br />Inicialmente tive receio e alguma resistência, por sentir que iria ser uma acção trabalhosa e a metodologia utilizada adivinhava-se, como muito exigente. <br />No entanto, empenhei-me na realização das tarefas e participei em todas as actividades propostas, com muito esforço e tentando não comprometer o ambiente familiar.<br />– Aspectos positivos/negativos<br />Aspectos positivos: Partilha de experiências<br /> Formação online<br /> Conhecer o modelo <br /> Desmontagem do modelo <br />Aspectos negativos: Contacto directo com os colegas (relação com o outro)<br /> Volume de trabalhos<br /> Grau de exigência<br /> Tempo muito curto para a realização dos trabalhos<br />4- REPERCUSSÕES (esperadas)<br />4.1- Algo de novo para a actividade profissional?<br /> Esta formação permitiu conhecer e trabalhar o modelo de forma a valorizar o papel das bibliotecas escolares e a imagem destas no contexto educativo. <br />O modelo apresenta um conjunto de indicadores, que nos permite definir o caminho e as metas que se pretende atingir em colaboração com toda a comunidade educativa, de forma organizada e focalizada<br />Este modelo de auto-avaliação é, sem dúvida, uma inovação e uma referência para a melhoria continua do trabalho da biblioteca e tendo impacto qualitativo na mudança de atitudes, valores e nas aprendizagens dos alunos.<br />Lagos, 16 de Dezembro de 2009 <br /> Isabel Flosa<br />ANEXO<br />Fotos <br /> <br /> <br /> <br /> <br /> <br /> <br />

×