SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 4
Baixar para ler offline
Organização dos cursos segundo o modelo de competências
Uma das estratégias para vencer o conteudismo e a ênfase apenas no
desenvolvimento cognitivo é a organização dos currículos segundo as competências
exigidas na atuação profissional futura.
Entendemos competência como
a capacidade de agir, em situações previstas e não previstas, com
rapidez e eficiência, articulando conhecimentos tácitos e científicos a
experiências de vida e laborais vivenciadas ao longo das histórias de
vida... vinculada à ideia de solucionar problemas, mobilizando
conhecimentos de forma transdisciplinar a comportamentos e
habilidades psicofísicas, e transferindo-os para novas situações;
supõe, portanto, a capacidade de atuar mobilizando conhecimentos.
(KUENZER, 2003, s/p).
Segundo Deluiz (2001) a adoção do modelo de competências atribui grande
ênfase aos esquemas operatórios mentais e a domínios cognitivos superiores, que
são defendidos pelo Centro Universitário Internacional – Uninter como essenciais
para a atuação profissional e cidadã na atualidade.
Ainda segundo Deluiz (2001, p. 10) esta forma de pensar o currículo engloba
não só a dimensão individual, de caráter cognitivo, relativa aos
processos de aquisição e construção de conhecimentos produzidos
pelos sujeitos diante das demandas das situações concretas de
trabalho, mas envolve uma outra dimensão: a de ser uma construção
balizada por parâmetros socioculturais e históricos.
Numa prática pedagógica assumidamente interdisciplinar e
contextualizada, busca-se que a “aprendizagem dos saberes disciplinares [seja]
acompanhada da aprendizagem dos saberes gerados nas atividades de trabalho:
conhecimentos, valores, histórias e saberes da experiência”. (DELUIZ, 2001, p. 10).
Tem-se como pressuposto, também, que o processo seja centrado na aprendizagem
do aluno, buscando a construção significativa do conhecimento, o que se dá,
prioritariamente, por meio da problematização.
A organização dos cursos superiores segundo esta lógica pressupõe a
investigação dos processos de trabalho para a identificação de perfis profissionais de
conclusão. A partir do perfil do egresso, definido com base nos documentos legais e
nas avaliações externas às quais o ensino superior é submetido, mas também na
consulta aos órgãos de classe e outras instituições de referência em cada área, são
definidas as competências profissionais básicas, gerais e específicas relacionados
aos perfis identificados. Após estas consultas o Núcleo Docente Estruturante (NDE)
de cada curso define as competências que se pretende desenvolver nos acadêmicos
no decorrer do curso.
Estas definições – e não a lógica interna de cada componente curricular –
é que orientarão as definições posteriores: quais os conteúdos, as estratégias de
aprendizagem, a forma de avaliação, os recursos e materiais de estudo mais
adequados. Importa ressaltarque não setrata de mera preparação para as demandas
do mercado de trabalho, mas sim, o desenvolvimento da possibilidade de ação
autônoma, nos espaços produtivos assim como em todos os outros âmbitos da vida
cidadã. Pretende-se uma formação mais ampla, integral, por meio da qual os
egressos se comprometam com a transformação da sociedade de modo a diminuir as
desigualdades sociais e contribuindo para a sustentabilidade do planeta.
Para se aproximar deste ideal os cursos do Centro Universitário
Internacional – Uninter estão organizados em UTAs (Unidades Temáticas de
Aprendizagem).
A lógica das UTAs visa
romper com a linearidade e a segmentação do currículo e favorecer a
intersecção entre o conteúdo trabalhado no decorrer do curso e as
demandas do mundo do trabalho. Cada UTA reúne disciplinas a partir de
eixos comuns, de modo que o objeto de estudos de cada semestre seja
abordado de diversos pontos de vista, o que pretende favorecer a sua
compreensão ampliada pelos estudantes. Tem por objetivo propiciar uma
compreensão mais significativados conteúdos esuas interfaces,estabelecer
uma relação mais orgânica entre os conteúdos de sala e a prática social, o
que se dá, principalmente por meio da interdisciplinaridade que ela
promove. Assim, cada semestre letivo passou a compor uma UTA. Não se
pretendeu eliminar a especificidadede cada disciplina já quenão é possível
promover a interdisciplinaridade sem um sólido conhecimento advindo de
cada uma delas. Mas, por meio desta “nova” estrutura curricular favorecer
o estabelecimento de relações entre as disciplinasedestas com o objeto da
realidadeem estudo, que é o ponto de partida ede chegada da abordagem
interdisciplinar. (SUHR, I; SOARES, K., 2011, pg.198)
Os currículos foram pensados e construídos de modo a desenvolver, em
cada uma das UTAs, um grupo de competências e habilidades demandas para a
formação de cidadãos-profissionais capazes de fazer frente aos desafios da
atualidade.
A estruturação de cada UTA deve favorecer o desenvolvimento de
competências em duas categorias:
a) As de caráter geral: presentes em todos os cursos, mais relacionadas
aos aspectos do aprender a ser do aprender a conviver. Perpassam os
cursos e por isso podem também ser denominadas competências
transversais.
b) As específicas por curso: focam os conhecimentos, habilidades e
modos de ser da atuação profissional de cada curso. Estão, portanto,
mais relacionadas às dimensões do saber conhecer e do saber fazer.
As competências de caráter geral assumidas pela IES para todos os cursos são:
 Atuar de forma crítica e proativa, fazendo uso dos fundamentos científicos,
promovendo valores e práticas socioambientais responsáveis na resolução de
problemas concretos.
 Integrar e sintetizar conhecimentos interdisciplinares na análise e resolução
de problemas da realidade.
 Possuir capacidade de comunicação e liderança no trabalho em equipes
multidisciplinares.
 Inserir as novas tecnologias, inovar e empreender, com criatividade, soluções
alternativas em prol do bem comum.
 Compreender o contexto local e global em suas dimensões social, econômica,
ambiental, política e cultural com vistas a nele agir de maneira crítica.
 Buscar o autodesenvolvimento e a educação continuada, integrando teoria e
prática.
 Investigar as práticas de atuação profissional na área de formação articulando
teoria e prática, considerando análise de casos da prática, análise protótipos
e modelos, visitas técnicas, entrevistas com profissionais da área, resolução
de problemas, entre outros.
É a partir das competências transversais e especificas que serão definidas as
disciplinas que comporão cada UTA, bem como os conteúdos que serão abordados
em cada uma delas. Mais uma vez, é importante ressaltar que os conteúdos
(atitudinais, conceituais e procedimentais) serão analisados a partir da lógica que
dirige a UTA. Dito de outro modo, deixa-se de seguir a lógica interna de cada área do
conhecimento para buscar em cada disciplina os aportes teórico-metodológicos para
a compreensão dos fenômenos estudados no decorrer da UTA. Os conteúdos deixam
de ser fim em si mesmos e passam a ter valor por trazerem contribuições relevantes
para o desenvolvimento das competências almejadas.
REFERÊNCIAS
DELUIZ, N. O Modelo das Competências Profissionais no Mundo do Trabalho e na
Educação: Implicações para o Currículo. Boletim Técnico do SENAC – vol 27. N. 3
set/dez 2001
KUENZER, A. Ensino médio: construindo uma proposta para os que vivem o
trabalho. 4ed. São Paulo: Cortez, 2005.
SUHR, I. SOARES, K. Os desafios da interdisciplinaridade: a busca da construção de
uma proposta de organização curricular no contexto do ensino superior. In: Revista
Intersaberes, Curitiba, ano 6, n. 12, p.187-203, jul/dez 2011

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Níveis de raciocínio segundo bloom
Níveis de raciocínio segundo bloomNíveis de raciocínio segundo bloom
Níveis de raciocínio segundo bloomInge Suhr
 
Auditing a Wireless Network and Planning for a Secure WLAN Implementation
Auditing a Wireless Network and Planning for a Secure WLAN ImplementationAuditing a Wireless Network and Planning for a Secure WLAN Implementation
Auditing a Wireless Network and Planning for a Secure WLAN ImplementationCARMEN ALCIVAR
 
3 o valor de ser educador
3 o valor de ser educador3 o valor de ser educador
3 o valor de ser educadorSilvana Marques
 
Livros de Ulisses Jacoby Fernandes do escritório Jacoby Advogados
Livros de Ulisses Jacoby Fernandes do escritório Jacoby AdvogadosLivros de Ulisses Jacoby Fernandes do escritório Jacoby Advogados
Livros de Ulisses Jacoby Fernandes do escritório Jacoby AdvogadosJacoby Advogados
 
Equilibrio oxidação e redução
Equilibrio oxidação e  reduçãoEquilibrio oxidação e  redução
Equilibrio oxidação e reduçãoAdrianne Mendonça
 
Systemisch denken handelen in org Eelco d Geus juli 02
Systemisch denken handelen in org Eelco d Geus juli 02Systemisch denken handelen in org Eelco d Geus juli 02
Systemisch denken handelen in org Eelco d Geus juli 02Angelie Pikaar
 
Golden Oldies Charity pitch
Golden Oldies Charity pitchGolden Oldies Charity pitch
Golden Oldies Charity pitchHannah Thorpe
 
Final SEA of CTMCMMP (April 10, 2016)
Final SEA of CTMCMMP (April 10, 2016)Final SEA of CTMCMMP (April 10, 2016)
Final SEA of CTMCMMP (April 10, 2016)Ram Khadka
 
Czechitas - školení PHP/Symfony MicroKernel
Czechitas - školení PHP/Symfony MicroKernelCzechitas - školení PHP/Symfony MicroKernel
Czechitas - školení PHP/Symfony MicroKernelDennis Fridrich
 
Nanotencología ¿Daño o beneficio?
Nanotencología ¿Daño o beneficio?Nanotencología ¿Daño o beneficio?
Nanotencología ¿Daño o beneficio?Michelle Segura
 
Support Services Outsourcing_final
Support Services Outsourcing_finalSupport Services Outsourcing_final
Support Services Outsourcing_finalBecca Maher
 
Bellevue en Transition - journée du 31 mars
Bellevue en Transition - journée du 31 marsBellevue en Transition - journée du 31 mars
Bellevue en Transition - journée du 31 marsOpenOdyssey
 
Gundem Trend Raporu - Mart 2016
Gundem Trend Raporu - Mart 2016Gundem Trend Raporu - Mart 2016
Gundem Trend Raporu - Mart 2016Manifesto
 
Resumen antimicrobianos
Resumen antimicrobianosResumen antimicrobianos
Resumen antimicrobianosrube modi
 
Divisão de acesso 2016 - artilharia
Divisão de acesso   2016 - artilhariaDivisão de acesso   2016 - artilharia
Divisão de acesso 2016 - artilhariaRafael Passos
 
Ammatti vaatii ammattitaitoa - SuPerin jäsenten näkemyksiä lähihoitajakoulutu...
Ammatti vaatii ammattitaitoa - SuPerin jäsenten näkemyksiä lähihoitajakoulutu...Ammatti vaatii ammattitaitoa - SuPerin jäsenten näkemyksiä lähihoitajakoulutu...
Ammatti vaatii ammattitaitoa - SuPerin jäsenten näkemyksiä lähihoitajakoulutu...Suomen lähi- ja perushoitajaliitto
 
A framework for materials writing
A framework for materials writingA framework for materials writing
A framework for materials writingMohammed Mallah
 
RJM-AB-CFD-Final-Project-Dec-18-2015
RJM-AB-CFD-Final-Project-Dec-18-2015RJM-AB-CFD-Final-Project-Dec-18-2015
RJM-AB-CFD-Final-Project-Dec-18-2015Rob Morien
 

Destaque (20)

Níveis de raciocínio segundo bloom
Níveis de raciocínio segundo bloomNíveis de raciocínio segundo bloom
Níveis de raciocínio segundo bloom
 
Auditing a Wireless Network and Planning for a Secure WLAN Implementation
Auditing a Wireless Network and Planning for a Secure WLAN ImplementationAuditing a Wireless Network and Planning for a Secure WLAN Implementation
Auditing a Wireless Network and Planning for a Secure WLAN Implementation
 
3 o valor de ser educador
3 o valor de ser educador3 o valor de ser educador
3 o valor de ser educador
 
Livros de Ulisses Jacoby Fernandes do escritório Jacoby Advogados
Livros de Ulisses Jacoby Fernandes do escritório Jacoby AdvogadosLivros de Ulisses Jacoby Fernandes do escritório Jacoby Advogados
Livros de Ulisses Jacoby Fernandes do escritório Jacoby Advogados
 
Equilibrio oxidação e redução
Equilibrio oxidação e  reduçãoEquilibrio oxidação e  redução
Equilibrio oxidação e redução
 
Systemisch denken handelen in org Eelco d Geus juli 02
Systemisch denken handelen in org Eelco d Geus juli 02Systemisch denken handelen in org Eelco d Geus juli 02
Systemisch denken handelen in org Eelco d Geus juli 02
 
Golden Oldies Charity pitch
Golden Oldies Charity pitchGolden Oldies Charity pitch
Golden Oldies Charity pitch
 
Final SEA of CTMCMMP (April 10, 2016)
Final SEA of CTMCMMP (April 10, 2016)Final SEA of CTMCMMP (April 10, 2016)
Final SEA of CTMCMMP (April 10, 2016)
 
Represa de quimbo
Represa de quimboRepresa de quimbo
Represa de quimbo
 
Czechitas - školení PHP/Symfony MicroKernel
Czechitas - školení PHP/Symfony MicroKernelCzechitas - školení PHP/Symfony MicroKernel
Czechitas - školení PHP/Symfony MicroKernel
 
Nanotencología ¿Daño o beneficio?
Nanotencología ¿Daño o beneficio?Nanotencología ¿Daño o beneficio?
Nanotencología ¿Daño o beneficio?
 
Support Services Outsourcing_final
Support Services Outsourcing_finalSupport Services Outsourcing_final
Support Services Outsourcing_final
 
Bellevue en Transition - journée du 31 mars
Bellevue en Transition - journée du 31 marsBellevue en Transition - journée du 31 mars
Bellevue en Transition - journée du 31 mars
 
Gundem Trend Raporu - Mart 2016
Gundem Trend Raporu - Mart 2016Gundem Trend Raporu - Mart 2016
Gundem Trend Raporu - Mart 2016
 
Concevoir un discours
Concevoir un discoursConcevoir un discours
Concevoir un discours
 
Resumen antimicrobianos
Resumen antimicrobianosResumen antimicrobianos
Resumen antimicrobianos
 
Divisão de acesso 2016 - artilharia
Divisão de acesso   2016 - artilhariaDivisão de acesso   2016 - artilharia
Divisão de acesso 2016 - artilharia
 
Ammatti vaatii ammattitaitoa - SuPerin jäsenten näkemyksiä lähihoitajakoulutu...
Ammatti vaatii ammattitaitoa - SuPerin jäsenten näkemyksiä lähihoitajakoulutu...Ammatti vaatii ammattitaitoa - SuPerin jäsenten näkemyksiä lähihoitajakoulutu...
Ammatti vaatii ammattitaitoa - SuPerin jäsenten näkemyksiä lähihoitajakoulutu...
 
A framework for materials writing
A framework for materials writingA framework for materials writing
A framework for materials writing
 
RJM-AB-CFD-Final-Project-Dec-18-2015
RJM-AB-CFD-Final-Project-Dec-18-2015RJM-AB-CFD-Final-Project-Dec-18-2015
RJM-AB-CFD-Final-Project-Dec-18-2015
 

Semelhante a Organização dos cursos segundo o modelo de competências

Programa psicologia cursos profissionais
Programa psicologia cursos profissionaisPrograma psicologia cursos profissionais
Programa psicologia cursos profissionaisIsabel Moura
 
ITINERARIOS FORMATIVOS.pdf
ITINERARIOS FORMATIVOS.pdfITINERARIOS FORMATIVOS.pdf
ITINERARIOS FORMATIVOS.pdfOsBunitos
 
O currículo no ensino superior estruturado em
O currículo no ensino superior estruturado emO currículo no ensino superior estruturado em
O currículo no ensino superior estruturado emInge Suhr
 
Programa psicologia (cursos profissionais)
Programa psicologia (cursos profissionais)Programa psicologia (cursos profissionais)
Programa psicologia (cursos profissionais)Tiago Couto
 
Programa psicologia (cursos profissionais)
Programa psicologia (cursos profissionais)Programa psicologia (cursos profissionais)
Programa psicologia (cursos profissionais)Jéssica Santos
 
Programa Psicologia (cursos profissionais)
Programa Psicologia (cursos profissionais)Programa Psicologia (cursos profissionais)
Programa Psicologia (cursos profissionais)EricaCipriano
 
O currículo no ensino superior estruturado em
O currículo no ensino superior estruturado emO currículo no ensino superior estruturado em
O currículo no ensino superior estruturado emInge Suhr
 
Concurso Para Docentes Da See Sp Geografia E Historia
Concurso Para Docentes Da See Sp Geografia E HistoriaConcurso Para Docentes Da See Sp Geografia E Historia
Concurso Para Docentes Da See Sp Geografia E HistoriaFabio Santos
 
Educação integral otp
Educação integral   otpEducação integral   otp
Educação integral otpJorci Ponce
 
PORTARIA 1432/2018 - NOVO ENSINO MÉDIO
PORTARIA 1432/2018 - NOVO ENSINO MÉDIOPORTARIA 1432/2018 - NOVO ENSINO MÉDIO
PORTARIA 1432/2018 - NOVO ENSINO MÉDIOPaulo Alexandre
 
A Supervisão Escolar na Rede Municipal
A Supervisão Escolar na Rede MunicipalA Supervisão Escolar na Rede Municipal
A Supervisão Escolar na Rede MunicipalUlisses Vakirtzis
 
crep_educacao_fisica_2021_anosfinais.pdf
crep_educacao_fisica_2021_anosfinais.pdfcrep_educacao_fisica_2021_anosfinais.pdf
crep_educacao_fisica_2021_anosfinais.pdfedivirgesribeiro1
 

Semelhante a Organização dos cursos segundo o modelo de competências (20)

Psicologia (1)
Psicologia (1)Psicologia (1)
Psicologia (1)
 
Programa psicologia cursos profissionais
Programa psicologia cursos profissionaisPrograma psicologia cursos profissionais
Programa psicologia cursos profissionais
 
Projeto do conecs 2012
Projeto do conecs 2012Projeto do conecs 2012
Projeto do conecs 2012
 
DCEIF (2).pdf
DCEIF (2).pdfDCEIF (2).pdf
DCEIF (2).pdf
 
ITINERARIOS FORMATIVOS.pdf
ITINERARIOS FORMATIVOS.pdfITINERARIOS FORMATIVOS.pdf
ITINERARIOS FORMATIVOS.pdf
 
O currículo no ensino superior estruturado em
O currículo no ensino superior estruturado emO currículo no ensino superior estruturado em
O currículo no ensino superior estruturado em
 
Programa psicologia (cursos profissionais)
Programa psicologia (cursos profissionais)Programa psicologia (cursos profissionais)
Programa psicologia (cursos profissionais)
 
Programa psicologia (cursos profissionais)
Programa psicologia (cursos profissionais)Programa psicologia (cursos profissionais)
Programa psicologia (cursos profissionais)
 
Programa Psicologia (cursos profissionais)
Programa Psicologia (cursos profissionais)Programa Psicologia (cursos profissionais)
Programa Psicologia (cursos profissionais)
 
Proposta curricular
Proposta curricularProposta curricular
Proposta curricular
 
Proposta curricular
Proposta curricularProposta curricular
Proposta curricular
 
O currículo no ensino superior estruturado em
O currículo no ensino superior estruturado emO currículo no ensino superior estruturado em
O currículo no ensino superior estruturado em
 
Concurso Para Docentes Da See Sp Geografia E Historia
Concurso Para Docentes Da See Sp Geografia E HistoriaConcurso Para Docentes Da See Sp Geografia E Historia
Concurso Para Docentes Da See Sp Geografia E Historia
 
Bncc1
Bncc1Bncc1
Bncc1
 
Educação integral otp
Educação integral   otpEducação integral   otp
Educação integral otp
 
PORTARIA 1432/2018 - NOVO ENSINO MÉDIO
PORTARIA 1432/2018 - NOVO ENSINO MÉDIOPORTARIA 1432/2018 - NOVO ENSINO MÉDIO
PORTARIA 1432/2018 - NOVO ENSINO MÉDIO
 
A Supervisão Escolar na Rede Municipal
A Supervisão Escolar na Rede MunicipalA Supervisão Escolar na Rede Municipal
A Supervisão Escolar na Rede Municipal
 
Planejamento
PlanejamentoPlanejamento
Planejamento
 
crep_educacao_fisica_2021_anosfinais.pdf
crep_educacao_fisica_2021_anosfinais.pdfcrep_educacao_fisica_2021_anosfinais.pdf
crep_educacao_fisica_2021_anosfinais.pdf
 
ação supervisora
 ação supervisora ação supervisora
ação supervisora
 

Mais de Inge Suhr

A formação continuada do professor que atua nos cursos superiores no formato ...
A formação continuada do professor que atua nos cursos superiores no formato ...A formação continuada do professor que atua nos cursos superiores no formato ...
A formação continuada do professor que atua nos cursos superiores no formato ...Inge Suhr
 
A CONSTITUIÇÃO DE GRUPOS DE ESTUDO COMO ESTRATÉGIA DE FORMAÇÃO CONTINUADA CE...
A CONSTITUIÇÃO DE GRUPOS DE ESTUDO COMO ESTRATÉGIA  DE FORMAÇÃO CONTINUADA CE...A CONSTITUIÇÃO DE GRUPOS DE ESTUDO COMO ESTRATÉGIA  DE FORMAÇÃO CONTINUADA CE...
A CONSTITUIÇÃO DE GRUPOS DE ESTUDO COMO ESTRATÉGIA DE FORMAÇÃO CONTINUADA CE...Inge Suhr
 
Conselho de classe no ensino médio: elementos a favor da ampliação da qualida...
Conselho de classe no ensino médio: elementos a favor da ampliação da qualida...Conselho de classe no ensino médio: elementos a favor da ampliação da qualida...
Conselho de classe no ensino médio: elementos a favor da ampliação da qualida...Inge Suhr
 
Implantação de cursos semipresenciais utilizando a metodologia da sala de aul...
Implantação de cursos semipresenciais utilizando a metodologia da sala de aul...Implantação de cursos semipresenciais utilizando a metodologia da sala de aul...
Implantação de cursos semipresenciais utilizando a metodologia da sala de aul...Inge Suhr
 
Percepções acerca da implantação de cursos superiores semipresenciais usando ...
Percepções acerca da implantação de cursos superiores semipresenciais usando ...Percepções acerca da implantação de cursos superiores semipresenciais usando ...
Percepções acerca da implantação de cursos superiores semipresenciais usando ...Inge Suhr
 
Blended learning caminho natural para as ies
Blended learning caminho natural para as iesBlended learning caminho natural para as ies
Blended learning caminho natural para as iesInge Suhr
 
Avaliaçao da aprendizagem em cursos blended learning
Avaliaçao da aprendizagem em cursos blended learningAvaliaçao da aprendizagem em cursos blended learning
Avaliaçao da aprendizagem em cursos blended learningInge Suhr
 
Elaboração de questões objetivas
Elaboração de questões objetivasElaboração de questões objetivas
Elaboração de questões objetivasInge Suhr
 
O papel da educação básica na inserção do trabalhador na indústria o olhar de...
O papel da educação básica na inserção do trabalhador na indústria o olhar de...O papel da educação básica na inserção do trabalhador na indústria o olhar de...
O papel da educação básica na inserção do trabalhador na indústria o olhar de...Inge Suhr
 
Elaboração de questões discursivas
Elaboração de questões discursivasElaboração de questões discursivas
Elaboração de questões discursivasInge Suhr
 
Os critérios de empregabilidade na indústria e o papel do ensino médio na ins...
Os critérios de empregabilidade na indústria e o papel do ensino médio na ins...Os critérios de empregabilidade na indústria e o papel do ensino médio na ins...
Os critérios de empregabilidade na indústria e o papel do ensino médio na ins...Inge Suhr
 
Sobre plágio
Sobre plágioSobre plágio
Sobre plágioInge Suhr
 
Os desafios da interdisciplinaridade: a busca da organização de uma proposta ...
Os desafios da interdisciplinaridade: a busca da organização de uma proposta ...Os desafios da interdisciplinaridade: a busca da organização de uma proposta ...
Os desafios da interdisciplinaridade: a busca da organização de uma proposta ...Inge Suhr
 

Mais de Inge Suhr (13)

A formação continuada do professor que atua nos cursos superiores no formato ...
A formação continuada do professor que atua nos cursos superiores no formato ...A formação continuada do professor que atua nos cursos superiores no formato ...
A formação continuada do professor que atua nos cursos superiores no formato ...
 
A CONSTITUIÇÃO DE GRUPOS DE ESTUDO COMO ESTRATÉGIA DE FORMAÇÃO CONTINUADA CE...
A CONSTITUIÇÃO DE GRUPOS DE ESTUDO COMO ESTRATÉGIA  DE FORMAÇÃO CONTINUADA CE...A CONSTITUIÇÃO DE GRUPOS DE ESTUDO COMO ESTRATÉGIA  DE FORMAÇÃO CONTINUADA CE...
A CONSTITUIÇÃO DE GRUPOS DE ESTUDO COMO ESTRATÉGIA DE FORMAÇÃO CONTINUADA CE...
 
Conselho de classe no ensino médio: elementos a favor da ampliação da qualida...
Conselho de classe no ensino médio: elementos a favor da ampliação da qualida...Conselho de classe no ensino médio: elementos a favor da ampliação da qualida...
Conselho de classe no ensino médio: elementos a favor da ampliação da qualida...
 
Implantação de cursos semipresenciais utilizando a metodologia da sala de aul...
Implantação de cursos semipresenciais utilizando a metodologia da sala de aul...Implantação de cursos semipresenciais utilizando a metodologia da sala de aul...
Implantação de cursos semipresenciais utilizando a metodologia da sala de aul...
 
Percepções acerca da implantação de cursos superiores semipresenciais usando ...
Percepções acerca da implantação de cursos superiores semipresenciais usando ...Percepções acerca da implantação de cursos superiores semipresenciais usando ...
Percepções acerca da implantação de cursos superiores semipresenciais usando ...
 
Blended learning caminho natural para as ies
Blended learning caminho natural para as iesBlended learning caminho natural para as ies
Blended learning caminho natural para as ies
 
Avaliaçao da aprendizagem em cursos blended learning
Avaliaçao da aprendizagem em cursos blended learningAvaliaçao da aprendizagem em cursos blended learning
Avaliaçao da aprendizagem em cursos blended learning
 
Elaboração de questões objetivas
Elaboração de questões objetivasElaboração de questões objetivas
Elaboração de questões objetivas
 
O papel da educação básica na inserção do trabalhador na indústria o olhar de...
O papel da educação básica na inserção do trabalhador na indústria o olhar de...O papel da educação básica na inserção do trabalhador na indústria o olhar de...
O papel da educação básica na inserção do trabalhador na indústria o olhar de...
 
Elaboração de questões discursivas
Elaboração de questões discursivasElaboração de questões discursivas
Elaboração de questões discursivas
 
Os critérios de empregabilidade na indústria e o papel do ensino médio na ins...
Os critérios de empregabilidade na indústria e o papel do ensino médio na ins...Os critérios de empregabilidade na indústria e o papel do ensino médio na ins...
Os critérios de empregabilidade na indústria e o papel do ensino médio na ins...
 
Sobre plágio
Sobre plágioSobre plágio
Sobre plágio
 
Os desafios da interdisciplinaridade: a busca da organização de uma proposta ...
Os desafios da interdisciplinaridade: a busca da organização de uma proposta ...Os desafios da interdisciplinaridade: a busca da organização de uma proposta ...
Os desafios da interdisciplinaridade: a busca da organização de uma proposta ...
 

Último

Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...DominiqueFaria2
 
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOSUM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOSdjgsantos1981
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Mary Alvarenga
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...MANUELJESUSVENTURASA
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.azulassessoria9
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º BimestreProfaCintiaDosSantos
 
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfPARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfceajajacu
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 

Último (20)

Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
 
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...
 
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOSUM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
 
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
 
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfPARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 

Organização dos cursos segundo o modelo de competências

  • 1. Organização dos cursos segundo o modelo de competências Uma das estratégias para vencer o conteudismo e a ênfase apenas no desenvolvimento cognitivo é a organização dos currículos segundo as competências exigidas na atuação profissional futura. Entendemos competência como a capacidade de agir, em situações previstas e não previstas, com rapidez e eficiência, articulando conhecimentos tácitos e científicos a experiências de vida e laborais vivenciadas ao longo das histórias de vida... vinculada à ideia de solucionar problemas, mobilizando conhecimentos de forma transdisciplinar a comportamentos e habilidades psicofísicas, e transferindo-os para novas situações; supõe, portanto, a capacidade de atuar mobilizando conhecimentos. (KUENZER, 2003, s/p). Segundo Deluiz (2001) a adoção do modelo de competências atribui grande ênfase aos esquemas operatórios mentais e a domínios cognitivos superiores, que são defendidos pelo Centro Universitário Internacional – Uninter como essenciais para a atuação profissional e cidadã na atualidade. Ainda segundo Deluiz (2001, p. 10) esta forma de pensar o currículo engloba não só a dimensão individual, de caráter cognitivo, relativa aos processos de aquisição e construção de conhecimentos produzidos pelos sujeitos diante das demandas das situações concretas de trabalho, mas envolve uma outra dimensão: a de ser uma construção balizada por parâmetros socioculturais e históricos. Numa prática pedagógica assumidamente interdisciplinar e contextualizada, busca-se que a “aprendizagem dos saberes disciplinares [seja] acompanhada da aprendizagem dos saberes gerados nas atividades de trabalho: conhecimentos, valores, histórias e saberes da experiência”. (DELUIZ, 2001, p. 10). Tem-se como pressuposto, também, que o processo seja centrado na aprendizagem do aluno, buscando a construção significativa do conhecimento, o que se dá, prioritariamente, por meio da problematização. A organização dos cursos superiores segundo esta lógica pressupõe a investigação dos processos de trabalho para a identificação de perfis profissionais de conclusão. A partir do perfil do egresso, definido com base nos documentos legais e nas avaliações externas às quais o ensino superior é submetido, mas também na consulta aos órgãos de classe e outras instituições de referência em cada área, são definidas as competências profissionais básicas, gerais e específicas relacionados aos perfis identificados. Após estas consultas o Núcleo Docente Estruturante (NDE)
  • 2. de cada curso define as competências que se pretende desenvolver nos acadêmicos no decorrer do curso. Estas definições – e não a lógica interna de cada componente curricular – é que orientarão as definições posteriores: quais os conteúdos, as estratégias de aprendizagem, a forma de avaliação, os recursos e materiais de estudo mais adequados. Importa ressaltarque não setrata de mera preparação para as demandas do mercado de trabalho, mas sim, o desenvolvimento da possibilidade de ação autônoma, nos espaços produtivos assim como em todos os outros âmbitos da vida cidadã. Pretende-se uma formação mais ampla, integral, por meio da qual os egressos se comprometam com a transformação da sociedade de modo a diminuir as desigualdades sociais e contribuindo para a sustentabilidade do planeta. Para se aproximar deste ideal os cursos do Centro Universitário Internacional – Uninter estão organizados em UTAs (Unidades Temáticas de Aprendizagem). A lógica das UTAs visa romper com a linearidade e a segmentação do currículo e favorecer a intersecção entre o conteúdo trabalhado no decorrer do curso e as demandas do mundo do trabalho. Cada UTA reúne disciplinas a partir de eixos comuns, de modo que o objeto de estudos de cada semestre seja abordado de diversos pontos de vista, o que pretende favorecer a sua compreensão ampliada pelos estudantes. Tem por objetivo propiciar uma compreensão mais significativados conteúdos esuas interfaces,estabelecer uma relação mais orgânica entre os conteúdos de sala e a prática social, o que se dá, principalmente por meio da interdisciplinaridade que ela promove. Assim, cada semestre letivo passou a compor uma UTA. Não se pretendeu eliminar a especificidadede cada disciplina já quenão é possível promover a interdisciplinaridade sem um sólido conhecimento advindo de cada uma delas. Mas, por meio desta “nova” estrutura curricular favorecer o estabelecimento de relações entre as disciplinasedestas com o objeto da realidadeem estudo, que é o ponto de partida ede chegada da abordagem interdisciplinar. (SUHR, I; SOARES, K., 2011, pg.198) Os currículos foram pensados e construídos de modo a desenvolver, em cada uma das UTAs, um grupo de competências e habilidades demandas para a formação de cidadãos-profissionais capazes de fazer frente aos desafios da atualidade. A estruturação de cada UTA deve favorecer o desenvolvimento de competências em duas categorias:
  • 3. a) As de caráter geral: presentes em todos os cursos, mais relacionadas aos aspectos do aprender a ser do aprender a conviver. Perpassam os cursos e por isso podem também ser denominadas competências transversais. b) As específicas por curso: focam os conhecimentos, habilidades e modos de ser da atuação profissional de cada curso. Estão, portanto, mais relacionadas às dimensões do saber conhecer e do saber fazer. As competências de caráter geral assumidas pela IES para todos os cursos são:  Atuar de forma crítica e proativa, fazendo uso dos fundamentos científicos, promovendo valores e práticas socioambientais responsáveis na resolução de problemas concretos.  Integrar e sintetizar conhecimentos interdisciplinares na análise e resolução de problemas da realidade.  Possuir capacidade de comunicação e liderança no trabalho em equipes multidisciplinares.  Inserir as novas tecnologias, inovar e empreender, com criatividade, soluções alternativas em prol do bem comum.  Compreender o contexto local e global em suas dimensões social, econômica, ambiental, política e cultural com vistas a nele agir de maneira crítica.  Buscar o autodesenvolvimento e a educação continuada, integrando teoria e prática.  Investigar as práticas de atuação profissional na área de formação articulando teoria e prática, considerando análise de casos da prática, análise protótipos e modelos, visitas técnicas, entrevistas com profissionais da área, resolução de problemas, entre outros. É a partir das competências transversais e especificas que serão definidas as disciplinas que comporão cada UTA, bem como os conteúdos que serão abordados em cada uma delas. Mais uma vez, é importante ressaltar que os conteúdos (atitudinais, conceituais e procedimentais) serão analisados a partir da lógica que dirige a UTA. Dito de outro modo, deixa-se de seguir a lógica interna de cada área do conhecimento para buscar em cada disciplina os aportes teórico-metodológicos para a compreensão dos fenômenos estudados no decorrer da UTA. Os conteúdos deixam de ser fim em si mesmos e passam a ter valor por trazerem contribuições relevantes para o desenvolvimento das competências almejadas.
  • 4. REFERÊNCIAS DELUIZ, N. O Modelo das Competências Profissionais no Mundo do Trabalho e na Educação: Implicações para o Currículo. Boletim Técnico do SENAC – vol 27. N. 3 set/dez 2001 KUENZER, A. Ensino médio: construindo uma proposta para os que vivem o trabalho. 4ed. São Paulo: Cortez, 2005. SUHR, I. SOARES, K. Os desafios da interdisciplinaridade: a busca da construção de uma proposta de organização curricular no contexto do ensino superior. In: Revista Intersaberes, Curitiba, ano 6, n. 12, p.187-203, jul/dez 2011