Informativo da secretaria de comércio e serviços 217

479 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Informativo da secretaria de comércio e serviços 217

  1. 1. Elaboração: Departamento de Políticas de Comércio e Serviços ‐ DECOS                      Coordenação Geral de Mercado Doméstico ‐ CGMD  1 Informativo SCS    Ano 4, nº 217  16 de novembro de 2010  Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio e Serviços Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio e Serviços
  2. 2. Elaboração: Departamento de Políticas de Comércio e Serviços ‐ DECOS                      Coordenação Geral de Mercado Doméstico ‐ CGMD  2 INFORMATIVO DA SECRETARIA DE COMÉRCIO E SERVIÇOS – SCS Nº 217 – ANO 04 – Brasília, 16 de novembro de 2010 ÍNDICE Páginas 1. CRÉDITO E FINANCIAMENTO Santander e Century 21 Brasil fazem parceria para crédito imobiliário ................. 03 2. MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL Começa a II Semana do Empreendedor Individual ............................................... 04 3. COMÉRCIO Maioria da classe D quer presentear com roupas no Natal ................................... 05 4. COMÉRCIO – VAREJO Vendas no varejo crescem pelo quinto mês seguido, mostra IBGE ...................... 06 5. SERVIÇOS Serviços são a bola da vez na economia, mas falta marco regulatório para o setor ....................................................................................................................... 07 6. SERVIÇOS – BANCOS Lucro do Banco do Brasil avança 32,7% no 3º trimestre ....................................... 09 Caixa quer reerguer PanAmericano ....................................................................... 10 7. SERVIÇOS – SEGUROS HSBC Seguros desenvolve seguro inédito de acidentes pessoais para transporte público ................................................................................................... 12 8. SERVIÇOS – TELECOMUNICAÇÕES Estrangeiras aumentam investimentos no Brasil ................................................... 13 9. SERVIÇOS – TRANSPORTE AÉREO Lucro da Tam cresce 224% e soma R$ 740 milhões no 3º tri ............................... 14 Lucro líquido da Gol avança 41,2%, com demanda maior .................................... 15 10. SERVIÇOS – TURISMO Hotéis comemoram ................................................................................................ 16 11. CURTAS 17 12. AGENDAS 18 13. FEIRAS 20
  3. 3. Elaboração: Departamento de Políticas de Comércio e Serviços ‐ DECOS                      Coordenação Geral de Mercado Doméstico ‐ CGMD  3 1. Crédito e Financiamento Santander e Century 21 Brasil fazem parceria para crédito imobiliário 12 de novembro de 2010 Fonte: Brasil Econômico O banco Santander e a Century 21 Brasil assinaram uma parceria no mercado imobiliário brasileiro. Nos próximos anos, com a criação do Credimob21, as duas empresas esperam se consolidar entre os maiores fornecedores de créditos imobiliários no país. A Century 21 está há dois anos no Brasil, com 64 contratos de franquia assinados. Nos próximos dez anos, a empresa espera contar com mais de mil agências em todo território nacional e ultrapassar o faturamento acumulado de R$ 5 bilhões. Para atender a demanda por financiamentos, o Santander terá uma equipe especializada de consultores e sistemas integrados para garantir a agilidade na concessão do crédito. Todo franqueado terá a oportunidade de oferecer seus imóveis no WebCasas, portal imobiliário do banco. http://www.brasileconomico.com.br/noticias/santander-e-century-21-brasil-fazem-parceria- para-credito-imobiliario_94257.html Voltar ao Índice
  4. 4. Elaboração: Departamento de Políticas de Comércio e Serviços ‐ DECOS                      Coordenação Geral de Mercado Doméstico ‐ CGMD  4 2. Microempreendedor Individual Começa a II Semana do Empreendedor Individual 15 de novembro de 2010 Fonte: Agência Sebrae Depois das capitais, a mobilização promovida pelo Sebrae será focada nos principais municípios do interior Começa nesta segunda-feira (15) e vai até sábado (20) a II Semana do Empreendedor Individual, promovida pelo Sebrae. A primeira foi realizada de 18 a 23 de outubro em todas as capitais do País. Agora a ação será focada nas principais cidades do interior de todos os estados e do Distrito Federal. Empreendedor Individual é a figura jurídica que possibilita a formalização de empreendedores por conta própria, da costureira ao pipoqueiro. Eles pagam uma taxa fixa mensal de 11% do salário mínimo mais R$ 1,00 de ICMS ou R$ 5 de ISS, garantem o CNPJ, demais benefícios da formalização e direito à cobertura da previdência social. A mobilização realizada pelo Sebrae é um reforço no incentivo à formalização visando contribuir com a meta nacional de um milhão de empreendedores individuais regurlarizados até o fim de dezembro. Até agora já estão formalizados 703.516 empreendedores, o que equivale a 70% dessa meta. Nessas mobilizações o Sebrae, com parceiros, instala tendas em pontos estratégicos das cidades para orientar e realizar os registros no momento do comparecimento do interessado. Na primeira semana de formalização, além do atendimento nos pontos convencionais, o Sebrae contou com 109 tendas, realizou 73.619 atendimentos e promoveu 46.593 formalizações. Antes dessa mobilização, a média era de três mil formalizações por dia. Durante a Semana essa média saltou para cinco mil e permaneceu com esse pico durante mais duas semanas, voltando depois para a média anterior. Agora serão 100 tendas, além dos tradicionais pontos de atendimento, e a expectativa é de que os números voltem a subir expressivamente. “O êxito conseguido constituiu-se em incentivo à realização da II Semana do Empreendedor Individual”, diz o diretor técnico do Sebrae, Carlos Alberto dos Santos. Ele também destaca a importância da iniciativa para ampliar oportunidades de informação e formalização para empreendedores do interior do País. Como 15 de novembro é feriado, o atendimento nessa segunda-feira fica a critério das unidades do Sebrae nos estados. Mas há locais em que o Sebrae atua nos feriados exatamente por serem estes os dias que mais há procura do público por informações sobre o Empreendedor Individual. Um dos exemplos é o Sebrae no Distrito Federal, que já confirmou atendimento na segunda-feira. A tenda estará montada na Praça do Mercado Norte (Taguacenter), pondo estratégico de Taguatinga, uma das regiões administrativas do Distrito Federal que são conhecidas como cidades-satélite de Brasília. A II Semana do Empreendedor Individual será promovida paralelamente à Semana Global do Empreendedorismo, promovida de segunda-feira (15) a domingo (21), sob coordenação da Endeavor e com patrocínio do Sebrae. http://www.agenciasebrae.com.br/noticia.kmf?canal=448&cod=10940291 Voltar ao Índice
  5. 5. Elaboração: Departamento de Políticas de Comércio e Serviços ‐ DECOS                      Coordenação Geral de Mercado Doméstico ‐ CGMD  5 3. Comércio Maioria da classe D quer presentear com roupas no Natal 12 de novembro de 2010 Fonte: Info Money O Natal da classe D vai ser repleto de compras e, na hora de presentear, o produto mais escolhido será uma peça de roupa, revelou o Data Popular nesta sexta-feira (12). Com quase 60 milhões de pessoas, essa classe social terá R$ 381 milhões no bolso para gastar. “Este será o Natal do 'Eu posso'”, afirmou o sócio-diretor do Data Popular, Renato Meirelles. Um total de 83% destas pessoas pretende comprar roupas para o Natal deste ano, a maior proporção encontrada na pesquisa. Outros itens – A pesquisa mostra que 36% destes consumidores pretendem comprar um aparelho celular para o Natal 2010, enquanto 29% têm a intenção de adquirir um computador ou acessórios. Intenção de compra - Classe D já responde por boa parte da intenção de compra total dos principais itens de consumo, como TV de plasma, computador e geladeira. No caso dos televisores, ela responde por 19% da intenção de compra, ante 58% da classe C e 23% da AB. Em relação ao computador, a classe D representa 29% das intenções de compra, enquanto a classe C representa 57% e a AB, 14%. Sobre as geladeiras, a intenção de compra da classe D é de 36%, contra 53% da classe C e 12% da AB. http://www.varejista.com.br/noticias/2083/maioria-da-classe-d-quer-presentear-com- roupas-no-natal Voltar ao Índice
  6. 6. Elaboração: Departamento de Políticas de Comércio e Serviços ‐ DECOS                      Coordenação Geral de Mercado Doméstico ‐ CGMD  6 4. Comércio – Varejo Vendas no varejo crescem pelo quinto mês seguido, mostra IBGE 12 de novembro de 2010 Fonte: G1 O volume de vendas do comércio varejista brasileiro cresceu em 0,4% em setembro na comparação com agosto, completando cinco meses seguidos de alta, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No mesmo mês, a receita do setor cresceu 0,9%, na nona alta mensal consecutiva, na série com ajuste sazonal. Sem ajuste, o volume de vendas do varejo cresceu 11,8% frente a setembro do ano passado, enquanto a receita nominal teve alta de 15,2% na mesma comparação. Setores – Entre os setores pesquisados, a maior alta na comparação entre meses de setembro foi registrada em equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação, com crescimento de 28,5% nas vendas. “A queda dos preços dos produtos do setor, principalmente os de microcomputadores (-6,6% nos últimos 12 meses, medido pelo IPCA), explica tais variações”, diz o IBGE em nota. Com alta de 9,7% nas vendas, o segmento de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo foi responsável pela principal contribuição para taxa global do varejo. Esse resultado, segundo o Instituto, se justifica pelo aumento do poder de compra da população. Também tiveram crescimento, ainda ante setembro de 2009, as vendas dos setores de móveis e eletrodomésticos (14,4%); outros artigos de uso pessoal e doméstico (15,8%); combustíveis e lubrificantes (10,3%); tecidos, vestuário e calçados (12,6%); artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria (11,6%) e livros, jornais, revistas e papelaria (9,7%). Regiões – O IBGE aponta que, na comparação com o mesmo mês do ano passado, houve alta nas vendas em todas as unidades da federação. As taxas mais significativas foram registradas no Tocantins (76,8%), Roraima (46,4%), Paraíba (28,5%), Rondônia (28,2%) e Maranhão (24,1%). http://www.varejista.com.br/noticias/2082/vendas-no-varejo-crescem-pelo-quinto-mes- seguido-mostra-ibge Voltar ao Índice
  7. 7. Elaboração: Departamento de Políticas de Comércio e Serviços ‐ DECOS                      Coordenação Geral de Mercado Doméstico ‐ CGMD  7 5. Serviços Serviços são a bola da vez na economia, mas falta marco regulatório para o setor 15 de novembro de 2010 Fonte: Agência Sebrae Mais de 40% dos empregos formais no Brasil já são gerados por empresas de serviços; expansão do setor é tendência mundial O setor de serviços assumiu importância capital para o desenvolvimento econômico brasileiro. Nos últimos anos, em decorrência do bom momento do mercado interno, as empresas e empreendimentos de serviços tiveram crescimento acentuado e passaram a liderar a geração de empregos formais no País, desbancando a indústria. De acordo com dados do Ministério do Trabalho, dos 247 mil novos empregos com carteira assinada criados em setembro passado, 94 mil (40%) eram do setor de serviços. “O setor é fundamental para o desenvolvimento brasileiro porque é grande gerador de ocupação e renda. Nas últimas crises mundiais, manteve a economia nacional e mundial funcionando”, afirma Ricardo Guedes, gerente da Unidade de Atendimento Coletivo Comércio e Serviços (Uacs) do Sebrae. “A especialização do trabalho é tendência mundial e, agora, está mostrando toda a sua força e potencial para gerar mais riqueza, empregos e impostos no Brasil”, afirma Vander Morales, membro do Conselho Deliberativo da Central Brasileira do Setor de Serviços (Cebrasse). “O setor tem tudo para crescer ainda mais”, acrescenta Vander, que é também presidente do Sindicato das Empresas de Serviços Terceirizáveis e de Trabalho Temporário (Sindesprestem). Arrecadação – Outros indicadores refletem o crescimento acentuado dos serviços. Segundo o jornal Valor Econômico (edição de 25/10/10), entre janeiro e agosto deste ano dez das catorze maiores capitais brasileiras viram a arrecadação tributária aumentar mais do que o caixa dos respectivos governos estaduais. A receita do Município de São Paulo, por exemplo, aumentou 27,3%, enquanto a arrecadação do governo do estado cresceu 20,9%, em comparação ao mesmo período de 2008. O principal tributo arrecadado pelas prefeituras é o Imposto Sobre Serviços (ISS). “Esse dado reflete a realidade do nosso setor. As empresas de serviços vão predominar nas capitais, enquanto o setor industrial está indo para o interior e cidades médias. Essa tendência já começa a se refletir na arrecadação”, analisa Vander. Apoio – O Sebrae apoia o setor há muitos anos por intermédio de suas unidades nos estados e no Distrito Federal. Em 2007, implantou a carteira nacional de projetos da cadeia produtiva de serviços, quando foi realizada a primeira chamada pública de projetos, com recursos superiores a R$ 25 milhões. Quarenta e quatro deles foram aprovados e estão sendo desenvolvidos em praticamente todas as unidades da Federação. No próximo triênio (2011-2013), a instituição vai investir R$ 148 milhões em projetos destinados a apoiar o desenvolvimento das MPE do setor. “Nosso objetivo será impulsionar especialmente a área de serviços voltados a pessoas jurídicas, tais como logística, processos, manutenção, tecnologia da informação, consultorias, entre outros”, informa Guedes. Marco regulatório – Na avaliação dos dirigentes empresariais, a falta de um marco regulatório, é um obstáculo ao crescimento do setor. “Estamos esperançosos de que o novo governo aprove uma Política Nacional para o Setor de Serviços”, afirma Vander Morales.
  8. 8. Elaboração: Departamento de Políticas de Comércio e Serviços ‐ DECOS                      Coordenação Geral de Mercado Doméstico ‐ CGMD  8 De acordo com o dirigente, a falta de crédito e financiamentos para as empresas de serviços é um problema decorrente da falta de regulamentação e definições das atividades do ramo. “O BNDES, por exemplo, só financia a indústria”, explica Vander. “É fundamental financiar os serviços para o seu desenvolvimento e consolidação”, enfatiza. De todo jeito, com crédito ou sem crédito, os serviços vão continuar crescendo, diz ele. “Só vai retardar um pouco mais o crescimento, especialmente nas grandes cidades”, argumenta. Otimismo – A Cebrasse realizou pesquisa para avaliar o desempenho das empresas em todo o País no primeiro semestre, seus maiores problemas e expectativas para o fechamento de 2010. De acordo com o levantamento, 72% dos empreendedores se disseram confiantes no crescimento das atividades e 18% se afirmaram totalmente confiantes. Em relação ao primeiro semestre, 74% dos entrevistados informaram ter tido aumento no faturamento na comparação com o mesmo período de 2009, sendo que para aproximadamente 28% a elevação foi de 10% ou mais. Nessa faixa superior, tiveram destaque segmentos como prestadores de serviços de telemarketing e call center, administração de restaurantes e vigilância e segurança. Vinte e um por cento não apontaram faturamento maior nos primeiros seis meses de 2010, sendo que 13% dos entrevistados disseram que faturaram menos do que em 2009 e 8%, registraram os mesmos índices. http://www.agenciasebrae.com.br/noticia.kmf?cod=10940140&canal=214 Voltar ao Índice
  9. 9. Elaboração: Departamento de Políticas de Comércio e Serviços ‐ DECOS                      Coordenação Geral de Mercado Doméstico ‐ CGMD  9 6. Serviços – Bancos Lucro do Banco do Brasil avança 32,7% no 3º trimestre 16 de novembro de 2010 Fonte: Brasil Econômico O Banco do Brasil (BB) reportou lucro líquido de R$ 2,625 bilhões no terceiro trimestre, alta de 32,7% frente ao mesmo período de 2009. O resultado refletiu o aumento na qualidade dos empréstimos. A receita bruta de intermediação financeira totalizou R$ 6,7 bilhões, alta de 39,8% na mesma base de comparação. A carteira de crédito da instituição atingiu R$ 339,8 bilhões, avanço de 19% ante o registrado em setembro do ano anterior. A alta foi puxada pelo desempenho dos empréstimos a pessoa física, que avançaram 25,3% para R$ 107,4 bilhões, com aumento de 31,4% nos financiamentos de veículos. De acordo com o BB, a participação do mercado atingiu 20% no trimestre. O banco também obteve melhora na qualidade do crédito. O índice de inadimplência, contando atrasos superiores a 90 dias, ficou em 2,7% da carteira de crédito, recuo de 0,7 ponto percentual. Com a melhora na carteira de crédito, as despesas com provisões para perdas com crédito caíram 9,5%, totalizando R$ 2,6 bilhões. A rentabilidade do banco ficou estável em relação ao terceiro trimestre de 2009, em 26,2%. No ano, o banco acumula lucro de R$ 7,7 bilhões, alta de 28,5% ante o período de janeiro a setembro do ano passado. R$ 1 bi em proventos – O BB informou que fará o pagamento de R$ 1,05 bilhão em proventos, referente ao resultado trimestral. A distribuição será no valor bruto de R$ 375,97 milhões em dividendos e R$ 673,94 milhões em juros sobre o capital próprio. No total, o pagamento será de R$ 0,3670062 por ação. http://www.brasileconomico.com.br/noticias/lucro-do-banco-do-brasil-avanca-327-no-3- trimestre_94286.html
  10. 10. Elaboração: Departamento de Políticas de Comércio e Serviços ‐ DECOS                      Coordenação Geral de Mercado Doméstico ‐ CGMD  10 Caixa quer reerguer PanAmericano 16 de novembro de 2010 Fonte: Correio Braziliense Banco público pensou em desistir do negócio ao saber dos problemas no balanço Com o PanAmericano saneado, o principal objetivo da Caixa Econômica Federal, que presidirá o novo conselho de administração, será restabelecer a credibilidade do banco para que a fatia que pertence ao Grupo Silvio Santos esteja pronta para ser vendida pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC) em até quatro meses. A Caixa acredita que esse prazo seja suficiente para colocar o banco "rodando de novo", segundo fonte ouvida pelo Valor. A Caixa chegou a pensar em desfazer o negócio com o PanAmericano entre meses de setembro e novembro, quando foi informada de que havia problemas no balanço da instituição. Em julho, o Banco Central (BC) fez uma manifestação favorável à entrada da Caixa no PanAmericano, mas ainda faltava a formalização do negócio por parte das duas instituições, como o acordo de acionistas (colocação de uma cláusula para que a Caixa fizesse parte do grupo de controle) e a troca de ações. Isso feito, a Caixa aguardava apenas a autorização final do BC quando, em setembro, foi informada pela própria autoridade monetária dos problemas no balanço, mas sem nenhum detalhe. Sem muita informação sobre o que poderia acontecer com o PanAmericano, a Caixa já estava com tudo engatilhado para entrar na Justiça pedindo o cancelamento do negócio. Aguardava uma posição formal sobre o problema, que veio apenas no dia 4 de novembro, quando o BC voltou a chamar a Caixa para assinatura de termo de anuência. Foi então que tomou conhecimento da extensão do problema, já com toda a operação de salvamento definida, segundo uma pessoa a par do negócio. A Caixa acredita que tudo está resolvido, mas, caso haja mais perdas escondidas, a instituição pretende entrar na Justiça baseada em uma cláusula no contrato de compra e venda que dá ao banco público o direito de ser restituído em até metade do valor do pagamento feito. Isso dá margem da ordem de R$ 400 milhões, caso aparece ainda alguma nova situação de perda. Os empréstimos continuam sendo concedidos pelo PanAmericano e a carteira já voltou a crescer. A captação caminha para se tornar positiva novamente, após fortes saques. No primeiro dia após o anúncio dos problemas no balanço da instituição, as retiradas de aplicações como Certificados de Depósitos Bancários (CDBs) superaram centenas de milhares de reais, em meio às dúvidas sobre a real situação do banco. Agora, com o caso um pouco mais esclarecido, as retiradas diminuíram e começam a retomar o fluxo normal. Com o banco operando normalmente, a Caixa acredita que não faltará oferta pela participação do Grupo Silvio Santos, até pelo peso de uma parceria com a própria instituição federal. Somente à Caixa, sete bancos de investimentos se ofereceram para intermediar o negócio, disse essa mesma fonte. A Caixa não pensa em ampliar a participação no capital do banco, hoje de 36% do total, sendo 49% do capital votante, sob pena de estatizar o PanAmericano e perder a agilidade tanto de contratação quanto de investimento. O FGC também não quer ficar à frente do PanAmericano por muito tempo, já que seu negócio não é administrar banco. Quem definirá o perfil do sócio será o novo Conselho de Administração do PanAmericano, que será comandado pela presidente da Caixa, Maria Fernanda Ramos Coelho, e tomará posse no dia 26 de novembro, quando acontece uma reunião extraordinária. Evidentemente, o novo acionista deverá estar alinhado com a estratégia da Caixa, de crescimento e aproximação com o cliente.
  11. 11. Elaboração: Departamento de Políticas de Comércio e Serviços ‐ DECOS                      Coordenação Geral de Mercado Doméstico ‐ CGMD  11 O banco público deve reforçar o trabalho interno no PanAmericano. Indicou cinco diretores, todos de nível de superintendência, para os departamentos de crédito, rede, cartões, risco e financeiro, considerados os mais importantes do ponto de vista operacional. Os outros três nomes que compõem a diretoria foram levados pelo FGC. "O controlador não indica mais nada", diz a mesma fonte. A Caixa sempre deixou claro que fez a parceria com o PanAmericano porque acreditava no negócio e nas sinergias que poderiam sair do acordo. Mesmo depois dos problemas, a instituição se mantém otimista e acredita que o banco está até "melhor do que estava antes, com R$ 3 bilhões em caixa, sem os problemas no balanço e com uma governança corporativa mais sólida". A PWC foi contratada para fazer uma auditoria interna e identificar se ainda há problemas. A Caixa deve entrar ainda com interpelação extrajudicial contra a KPMG e o Banco Fator, empresas contratadas para avaliar o Panamericano no processo de compra de participação. Mas a própria Caixa entende que nenhuma das duas teria obrigação de fazer a chamada "circularização das cessões de carteira" (checagem das informações com os bancos que compraram essas operações), que seria necessária para pegar o rombo nas contas do PanAmericano. http://www.fazenda.gov.br/resenhaeletronica/MostraMateria.asp?page=&cod=681884 Voltar ao Índice
  12. 12. Elaboração: Departamento de Políticas de Comércio e Serviços ‐ DECOS                      Coordenação Geral de Mercado Doméstico ‐ CGMD  12 7. Serviços – Seguros HSBC Seguros desenvolve seguro inédito de acidentes pessoais para transporte público 15 de novembro de 2010 Fonte: Portal Segs A HSBC Seguros é a seguradora oficial do “Segbus”, serviço oferecido pela SETRANSP (Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros de curitiba e Região Metropolitana) aos usuários do transporte coletivo urbano da capital paranaense e Região Metropolitana. O serviço oferecido compreende a cobertura de seguro de Acidentes Pessoais, ocorridos com os passageiros do transporte coletivo quando estiverem no interior dos ônibus pertencentes à frota regular, no interior de terminais fechados ou em estações fechadas de embarque e desembarque. “Curitiba é a primeira cidade a ofertar um serviço como este, e nós desenhamos um seguro especial para atender esta demanda e proporcionar um benefício aos passageiros do transporte público de curitiba”, explica Fernando Moreira, CEO da HSBC Seguros. O seguro prevê atendimentos hospitalares nos casos de acidente pessoal, morte acidental ou invalidez permanente por acidente. O serviço já está à disposição dos usuários do sistema de transporte coletivo de curitiba. http://www.segs.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=24082:hsbc- seguros-desenvolve-seguro-inedito-de-acidentes-pessoais-para-transporte- publico&catid=45:cat-seguros&Itemid=324 Voltar ao Índice
  13. 13. Elaboração: Departamento de Políticas de Comércio e Serviços ‐ DECOS                      Coordenação Geral de Mercado Doméstico ‐ CGMD  13 8. Serviços – Telecomunicações Estrangeiras aumentam investimentos no Brasil 16 de novembro de 2010 Fonte: DCI A participação de empresas estrangeiras no setor de telecomunicações brasileiro não para de crescer. Depois da compra de 50% da Brasilcel (controladora da Vivo) pela espanhola Telefónica, a recente a entrada da Portugal Telecom na Oi e da expansão da francesa da Vivendi com a aquisição da GVT no País, mais uma estrangeira anuncia interesse no segmento, a Guyacom, empresa de banda larga da Guiana Francesa que anuncia a construção de um backbone [(sistemas internos de elevado desempenho para comutar fluxos de dados (voz, imagem, texto)] no Norte do Brasil. Segundo o engenheiro comercial da Guyacom, Filip Van Den Bossche, o empreendimento deve levar um ano e empregará recursos da ordem de até 4 milhões de euros. O projeto é financiado pelos governos da França e Guiana Francesa e da Comunidade Europeia e está em fase de negociação com os parceiros brasileiros. "O tempo para começar a construção depende da administração dos dois países, porque para o projeto ser iniciado são necessárias licenças de ambos os lados", conta. Do lado brasileiro o projeto deve ser apresentado a Anatel, Funai, Incra e Telebrás. O objetivo é oferecer infraestrutura de banda larga ao estado vizinho brasileiro, Amapá, que hoje realiza a conexão de internet via satélite. De acordo com Van Den Bossche, a estimativa é atingir um público de aproximadamente 680 mil lares. A estrutura será disponibilizada para as operadoras brasileiras que tiverem interesse em oferecer o serviço na região. Na semana passada os executivos da empresa estiveram em Brasília para buscar as autorizações necessárias para começar o empreendimento. Para o diretor da Ubifrance Brasil (agência pública francesa para o desenvolvimento das empresas do país), Eric Fajole, a parceria tem um aspecto político importante, porque pode ajudar a solucionar um problema de comunicação do norte brasileiro: a falta de estruturas de rede de transmissão por cabo. Além disso, irá contribuir para a integração comercial entre o Brasil e Guiana Francesa. A participação de estrangeiras nas telecomunicações brasileiras deve crescer no ano que vem com a entrada da Portugal Telecom no bloco de controle da Oi, que deve acontecer até 31 de março de 2011. Segundo o diretor de Finanças e Relações com Investidores da Oi, Alex Zornig, a conclusão do processo deve significar um aumento de R$ 7 bilhões no caixa da empresa. Isso significa que a tele portuguesa continua com presença forte no mercado brasileiro mesmo depois da venda dos 30% da participação que possuía na Vivo. Em julho a PT anunciou a venda para a espanhola Telefônica para adquirir 22,4% da Oi. Os grupos espanhol e português dividiam o controle da Vivo por meio da joint venture Brasilcel. Na ocasião do negócio, o presidente da PT, Zeinal Bava, declarou que a venda da Vivo "não foi uma decisão fácil", mas que a Portugal Telecom, por meio da Oi, terá a oportunidade de entrar em outros países da América do Sul. Em conferência para investidores realizada em Portugal, Zeinal Bava se mostrou confiante na possibilidade de a compra ser realizada antes do prazo previsto. "Comunicamos ao mercado que o acordo deveria estar fechado até ao fim do primeiro trimestre de 2011, mas estou convencido de que poderá ser antes. As negociações com a Oi estão muito melhor do que eu próprio esperava", afirmou. http://www.dci.com.br/noticia.asp?id_editoria=7&id_noticia=350385&editoria Voltar ao Índice
  14. 14. Elaboração: Departamento de Políticas de Comércio e Serviços ‐ DECOS                      Coordenação Geral de Mercado Doméstico ‐ CGMD  14 9. Serviços – Transporte Aéreo Lucro da Tam cresce 224% e soma R$ 740 milhões no 3º tri 16 de novembro de 2010 Fonte: Brasil Econômico A Tam reportou nesta terça-feira (16/11) lucro líquido de R$ 740 milhões no terceiro trimestre deste ano, valor 224% superior ao ganho de R$ 228,4 milhões apurado um ano a antes. O resultado teve influência da isenção, em caráter definitivo, do pagamento do Adicional Tarifário, no valor de R$ 585,9 milhões constituída no período de junho de 2001 a agosto de 2010. A receita líquida subiu 23,4% entre julho e setembro, em relação ao mesmo período do ano passado, para R$ 2,938 bilhões. A receita doméstica de passageiros avançou 12,1%, atingindo R$ 1,465 bilhão devido ao crescimento da demanda em RPKs (quantidade de quilômetros voados por passageiro pagante) de 24,9%. Já a receita internacional de passageiros cresceu 36,2%, para R$ 903,4 milhões. "Continuamos observando forte demanda de brasileiros indo para o exterior, estimulados pela apreciação do real. A demanda de estrangeiros vindo para o Brasil também continua forte, impulsionada pela retomada na economia mundial", destacou a Tam em comunicado. Diante disso, foi registrado no terceiro trimestre a maior taxa de ocupação histórica em um trimestre. A geração operacional de caixa totalizou R$ 857,5 milhões, o que corresponde a um aumento de 292,1% frente ao terceiro trimestre de 2009. As despesas da empresa com combustíveis - maior gasto das companhias aéreas - aumentaram 24,8% no período em análise, passando de R$ 701,3 milhões para R$ 875,1 milhões. Nos nove primeiros meses, o lucro líquido da Tam soma R$ 527,4 milhões, caracterizando um recuo de 33% ante igual época de 2009. Expectativa – Em virtude de um crescimento da demanda mais forte do que o previsto, a Tam revisou as estimativas de uma expansão entre 14% e 18% para 22% a 25%. Em relação à oferta, a companhia afirma estar abaixo das projeções, porém no terceiro trimestre houve certa melhora. Negócios – A Tam assinou no dia 13 de agosto um memorando de entendimento com Lan Airlines, sinalizando a intenção de união das holdings em uma única entidade controladora com o nome de Latam Airlines Group. A expectativa é que a fusão seja finalizada no segundo trimestre de 2011. http://www.brasileconomico.com.br/noticias/lucro-da-tam-cresce-224-e-soma-r-740- milhoes-no-3-tri_94284.html
  15. 15. Elaboração: Departamento de Políticas de Comércio e Serviços ‐ DECOS                      Coordenação Geral de Mercado Doméstico ‐ CGMD  15 Lucro líquido da Gol avança 41,2%, com demanda maior 12 de novembro de 2010 Fonte: Brasil Econômico A Gol registrou alta de 41,2% no lucro líquido do terceiro trimestre, frente ao mesmo período de 2009. A cifra atingiu R$ 109,97 milhões, impulsionada pela alta da demanda na malha aérea da empresa. A receita líquida totalizou R$ 1,8 bilhão no trimestre, avanço de 19,5% na mesma base de comparação. O faturamento ainda foi 12,5% acima do obtido no segundo trimestre. No trimestre, a demanda na malha aérea da companhia cresceu 23,3%, atingindo 8,3 milhões de passageiros por quilômetro transportados. Com isso, a taxa de ocupação ficou em 71,3%, ante 65,7% no terceiro trimestre de 2009. Além do forte aumento no tráfego, a empresa também viu um incremento nos yields, valor médio que cada passageiro paga por quilômetro voado. O dado registra avanço de 2,4% ante o mesmo trimestre do ano passado. O Ebitda avançou 71,2% no trimestre, atingindo R$ 250,5 milhões. Investimentos – A companhia investiu R$ 146,8 milhões no trimestre, com seu plano de aquisição de aeronaves. A empresa firmou acordo de compra de até 30 aeronaves da Boeing, visando a renovação da frota. A compra de aviões respondeu por mais da metade dos investimentos no trimestre. http://www.brasileconomico.com.br/noticias/lucro-liquido-da-gol-avanca-412-com- demanda-maior_94211.html Voltar ao Índice
  16. 16. Elaboração: Departamento de Políticas de Comércio e Serviços ‐ DECOS                      Coordenação Geral de Mercado Doméstico ‐ CGMD  16 10. Serviços – Turismo Hotéis comemoram 16 de novembro de 2010 Fonte: Correio Braziliense Mas não é só. A expansão do emprego e da renda tem deixado a população mais confortável para viajar e a taxa média de ocupação dos hotéis do país está em cerca de 70%. Os grandes grupos passaram a construir empreendimentos com quartos e serviços mais enxutos, que se encaixam no orçamento da nova classe média. O presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH), Álvaro Brito Bezerra de Mello, revela que, com o reforço da classe média — mais de 30 milhões de pessoas engrossaram esse contigente nos últimos cinco anos —, o setor vem crescendo a uma taxa média de 7% desde 2008. O executivo conta que o grupo Accor deve construir, nos próximos três anos, cinco hotéis somente no Rio de Janeiro, nos padrões duas e três estrelas. “As classes C e D são uma realidade. As pessoas estão empregadas e o dinheiro está circulando. Os hotéis em todo o país estão lotados”, assegura. A crescente demanda por hospedagens menos luxuosas também chamou a atenção do Brazil Hospitality Group (BHG), que administra 5.704 quartos, em 32 edifícios. Segundo o diretor de Vendas e Marketing, André Lameiro, o grupo deve construir mais quatro mil quartos nos próximos anos, sem grandes mordomias, que se enquadram no orçamento da classe econômica. http://www.fazenda.gov.br/resenhaeletronica/MostraMateria.asp?page=&cod=681889 Voltar ao Índice
  17. 17. Elaboração: Departamento de Políticas de Comércio e Serviços ‐ DECOS                      Coordenação Geral de Mercado Doméstico ‐ CGMD  17 11. Curtas 16 de novembro de 2010 Fonte: GS&MD – Gouvêa de Souza Iguatemi tem salto na receita e lucros A Iguatemi, uma das maiores empresas de shopping centers do país, disse que no terceiro trimestre deste ano sua receita líquida teve um incremento de 29,8% na comparação com o mesmo período de 2009, chegando a R$ 67,6 milhões. Os lucros antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (Ebitda) saltaram 59,8%, para R$ 55,3 milhões. O resultado líquido da companhia foi de R$ 39,4 milhões, 101,9% mais que no terceiro trimestre do ano passado. As vendas nos shoppings da companhia subiram 18,9% na comparação anual, com alta de 114% em mesmas áreas. Os aluguéis em mesmas lojas subiram 7,9% na comparação anual. Drogasil amplia vendas e lucros no trimestre A Drogasil, uma das maiores redes de farmácias do país, disse que no terceiro trimestre do ano seus lucros líquidos cresceram 10% na comparação com o mesmo período de 2009, chegando a R$ 21 milhões. As vendas brutas, por sua vez, subiram 13,2% em relação ao terceiro trimestre do ano passado, para R$ 536,8 milhões. Desse total, 71,1% foram originados pela venda de medicamentos e 28,9% por não- medicamentos. As vendas em mesmas lojas subiram 8,6%, impulsionadas pelo crescimento de 27,9% nas unidades entre um e três anos de funcionamento. O tíquete médio das vendas cresceu 4,6% na comparação anual, enquanto o número de clientes teve alta de 8,1%. Yázigi Internexus projeta expansão em SP A Yázigi Internexus, primeira franquia de idiomas do país, busca novos franqueados para prosseguir seu plano de expansão em São Paulo. Com 132 unidades em São Paulo e um faturamento anual de R$ 270 milhões, o Yázigi é hoje a quinta maior rede de idiomas do mercado nacional e se prepara para subir no ranking nos próximos anos. Para isso, aposta em uma expansão especialmente em São Paulo, onde já conta com 85 mil alunos por ano. Gamers influenciam mais compras online Um estudo realizado pelo instituto americano Interpret diz que os gamers são líderes em comércio eletrônico. Além de consumir mais, influenciam mais fortemente outros internautas, por liderar discussões e fóruns de opinião. Pelo estudo, eles têm 20% mais possibilidade de comprar produtos online que os não gamers, e influenciam 50% mais pessoas. Voltar ao Índice
  18. 18. Elaboração: Departamento de Políticas de Comércio e Serviços ‐ DECOS                      Coordenação Geral de Mercado Doméstico ‐ CGMD  18 12. Agendas SECRETARIA DE COMÉRCIO E SERVIÇOS 17 de novembro de 2010 Reunião com Sr. José Augusto da AEB. 14:00 – Reunião com o Sr. Deputado Vignatti e Deputados Melles e Haully 18:00 – Abertura do 1º Seminário Conseplan de Planejamento Governamental. Local: Hotel Royal Tulip Brasília Alvorada 18 de novembro de 2010 14:30 – Reunião com Sr. Soares, sobre contrato da V3 Portal do Empreendedor 16:00 – Reunião com Diretores e Coordenadores da SCS. Assunto: Balanço das Ações de 2010 e Planejamento Estratégico 2011. Local: MDIC 19 de novembro de 2010 Despacho Interno. DEPARTAMENTO DE POLÍTICAS DE COMÉRCIO E SERVIÇOS 17 de novembro de 2010 Convenção Nacional do Franchising Local: Praia do Forte - BA 16:00 – Videoconferência MDIC-DOC/EUA Assunto: Estatísticas de Serviços 18 de novembro de 2010 Convenção Nacional do Franchising Local: Praia do Forte - BA Workshop sobre Indústria e Varejo Têxtil e de Confecções Local: São Paulo - SP 19 de novembro de 2010 09:00 – Seminário CONSEPLAN de Planejamento Governamental Local: Royal Tulip Alvorada Brasília 15:00 – Reunião do Programa de Complexo de Serviços da PDP. Local: MDIC
  19. 19. Elaboração: Departamento de Políticas de Comércio e Serviços ‐ DECOS                      Coordenação Geral de Mercado Doméstico ‐ CGMD  19 DEPARTAMENTO DE MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS 17 de novembro de 2010 Reunião do 03/2010 do SGT7 Local: MDIC 10:00 – Reunião c/ Sr. Bruno Quick Assunto: Oficina Fóruns Regionais Local: MDIC 13:00 – II Fórum Banco Central sobre Inclusão financeira. 14:00 – Reunião com o Dep. Vignatti. Local: MDIC 18 de novembro de 2010 Reunião do 03/2010 do SGT7 Local: MDIC 08:00 – II Fórum Banco Central sobre Inclusão financeira 10:00 – Solenidade de entrega dos Certificados do PAB aos Artesãos e Multiplicadores do DF, BA E MT. Local: UNB/CDT 19 de novembro de 2010 Reunião do 03/2010 do SGT7 Local: MDIC 39º ENCONAMPE – Encontro Nacional das Micro e Pequenas Empresas. Local:Rio do Sul - SC 08:30 – II Fórum Banco Central sobre Inclusão financeira. Voltar ao Índice
  20. 20. Elaboração: Departamento de Políticas de Comércio e Serviços ‐ DECOS                      Coordenação Geral de Mercado Doméstico ‐ CGMD  20 13. Feiras 11/11/2010 a 30/11/2010 – 5º Salão de Negócios Imobiliários da Bahia Setor: Construção Civil e Arquitetura Local: Centro de Convenções da Bahia Cidade: Salvador - BA 12/11/2010 a 17/12/2010 – 4ª Feira Natalina do Artesanato de Mato Grosso do Sul Setor: Artesanato, Artes e Coleções Local: Mezanino do Memorial da Cultura e Cidadania - FCMS Cidade: Campo Grande - MS 13/11/2010 a 21/11/2010 – NATAL ARTESANAL Setor: Artesanato, Artes e Coleções Local: Complexo Cultural da Urca Cidade: Poços de Caldas - MG 17/11/2010 a 20/11/2010 – FESTIVAL DE TURISMO DE GRAMADO Setor: Turismo Local: Centro de Feiras Serra Park Cidade: Gramado - RS 17/11/2010 a 19/11/2010 – AVISULAT 2010 Setor: Agronegócio Local: Centro de Exposições Fundaparque Cidade: Bento Gonçalves - RS 17/11/2010 a 19/11/2010 – BIJÓIAS SP Setor: Jóias, Bijuterias, Pedras e Metais Preciosas Local: Centro de Convenções Frei Caneca Cidade: São Paulo - SP 18/11/2010 a 21/11/2010 – 22º Festival de Turismo de Gramado Setor: Turismo Local: Centro de Feiras Serra Park Cidade: Gramado - RS 23/11/2010 a 28/11/2010 – 21ª Feira Nacional de Artesanato Setor: Artesanato, Artes e Coleções Local: Expominas Cidade: Belo Horizonte - MG 24/11/2010 a 16/03/2011 – 4ª Coletiva do Artesanato de Mato Grosso do Sul Setor: Artesanato, Artes e Coleções Local: Casa do Artesão de Campo Grande Cidade: Campo Grande - MS
  21. 21. Elaboração: Departamento de Políticas de Comércio e Serviços ‐ DECOS                      Coordenação Geral de Mercado Doméstico ‐ CGMD  21 29/11/2010 a 30/11/2010 – ATENDIMENTO VIP DE BH Setor: Jóias, Bijuterias, Pedras e Metais Preciosas Local: Max Savassi Apart Service Cidade: Belo Horizonte - MG 01/12/2010 a 03/12/2010 – EXPOSYSTEMS Setor: Comunicação, Divulgação e Publicidade Local: Palácio das Convenções do Anhembi Cidade: São Paulo - SP 03/12/2010 a 12/12/2010 – FAMI Setor: Diversos Local: Centro de Convenções do Ceará Cidade: Fortaleza - CE 10/12/2010 a 19/12/2010 – 4ª Multifeira Shopping da Moda Setor: Textil, Confecção e Vestuário Local: Centro de Convenções de Maceió Cidade: Maceió - AL 14/01/2011 a 30/01/2011 – FEIRA DOS ESTADOS E NAÇÕES - Edição João Pessoa Setor: Artesanato, Artes e Coleções Local: Jangada Clube Cidade: João Pessoa - PB 17/01/2011 a 20/01/2011 – COUROMODA Setor: Coureiro / Calçadista - Calçados e Artefatos, Máquinas e Componentes Local: Pavilhão de Exposições do Parque Anhembi Cidade: São Paulo - SP 18/01/2011 a 21/01/2011 – FIT 0/16 - Edição Outono/Inverno Setor: Textil, Confecção e Vestuário Local: Expo Center Norte - Pavilhão Azul Cidade: São Paulo - SP 19/01/2011 a 20/01/2011 – PREMIÈRE BRASIL Setor: Textil, Confecção e Vestuário Local: Transamerica Expo Center Cidade: São Paulo - SP 21/01/2011 a 30/01/2011 – FIART Setor: Artesanato, Artes e Coleções Local: Pavilhão das Dunas do Centro de Convenções Cidade: Natal - RN O Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras está disponível no site Voltar ao Índice

×