SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 42
Baixar para ler offline
A INVENÇÃO DE UM NOVO
BRASIL
FERNANDO ALCOFORADO
OBJETIVO DO LIVRO
• Oferecer respostas para a questão do crescimento e do
desenvolvimento econômico e social nas condições atuais do
Brasil, levando em conta:
1. a evolução da economia brasileira ao longo da história e, em
especial, no período recente;
2. a identificação dos principais fatores responsáveis pela crise
atual da economia brasileira; e,
3. a proposição de modelos de desenvolvimento que permitam
promover o progresso econômico e social do País, assegurar
sua soberania na quadra atual de globalização e elevar os
níveis de emprego e renda de sua população.
• Com este livro, propõe-se a invenção de um novo Brasil
diametralmente oposto ao atual.
SUMÁRIO
• Capítulo 1- Introdução
• Capítulo 2- Os modelos econômicos adotados no Brasil em
sua história
• Capítulo 3- Vulnerabilidades econômicas, sociais e
ambientais do Brasil durante os governos neoliberais de
1990 a 2014
• Capítulo 4- O desastroso governo Dilma Rousseff
• Capítulo 5- O frágil governo Michel Temer
• Capítulo 6- Síntese dos problemas econômicos, políticos e
sociais do Brasil na era contemporânea e como superá-los
• Capítulo 7- A invenção de um novo Brasil
OS MODELOS ECONÔMICOS ADOTADOS
NO BRASIL EM SUA HISTÓRIA
• O modelo agrário-exportador (1500-1930)
• O modelo nacional-desenvolvimentista
(1930-1954)
• O modelo de desenvolvimento capitalista
dependente (1955-1990)
• O modelo neoliberal(A partir de 1990)
ASPECTOS RELEVANTES DA HISTÓRIA DO
BRASIL
• Portugal transformou o Brasil em colônia de exploração ao invés de colônia de
povoamento como nos Estados Unidos
• Portugal dividiu o Brasil em capitanias hereditárias que são origem do latifúndio que
ainda perdura no Brasil
• Independência do Brasil em 1822 foi uma “revolução” sem revolução porque não foi
conquistada pelo povo e não houve mudanças estruturais
• O Brasil foi o último país do mundo a acabar com a escravidão por imposição britânica
• A República no Brasil resultou de um golpe de estado em 1889 e não houve mudanças
estruturais mantendo o modelo agrário exportador que vigorava desde o período
colonial
• A Revolução de 1930 resultou de outro golpe de estado, promoveu a ascensão da
burguesia ao poder sem romper com as oligarquias rurais e adotou o modelo nacional
desenvolvimentista
• A Revolução de 1930 abriu caminho para a industrialização no Brasil que foi tardia com
atraso de 200 anos em relação à 1ª Revolução Industrial na Inglaterra
• Os governos de JK, da ditadura militar e de José Sarney adotaram o modelo de
desenvolvimento capitalista dependente
• Os governos Collor, FHC, Lula, Dilma Rousseff e Michel Temer adotaram o modelo
neoliberal
CARACTERÍSTICAS DO MODELO
NEOLIBERAL
• O Consenso de Washington estabeleceu quatro passos a
serem dados na seguinte ordem:
1. Estado mínimo (redução do gasto e investimento
público, menos impostos e não intervenção no
mercado)
2. Estabilização da economia (combate à inflação);
3. Realização de reformas estruturais (privatizações,
desregulamentação de mercados, liberalização
financeira e comercial);
4. Retomada dos investimentos estrangeiros para
alavancar o desenvolvimento.
VULNERABILIDADES ECONÔMICAS, SOCIAIS E
AMBIENTAIS DO BRASIL DURANTE OS
GOVERNOS NEOLIBERAIS DE 1990 A 2014
• Análise da balança comercial do Brasil
• Análise do balanço de pagamentos em conta corrente do Brasil
• Análise do investimento estrangeiro direto no Brasil
• Análise da participação da indústria brasileira na formação do PIB do Brasil
• Análise da evolução das reservas internacionais do Brasil
• Análise do crescimento do PIB no Brasil
• Análise do índice de desemprego no Brasil
• Análise das taxas de poupança e investimento no Brasil
• Análise da taxa de investimento público no Brasil
• Análise da taxa de inflação no Brasil
• Análise da evolução da taxa Selic
• Análise da dívida pública interna do Brasil
• Análise do orçamento geral da União e da destinação dos gastos públicos
• Análise dos credores da dívida interna do Brasil
• Análise da dívida externa do Brasil
• Análise da crise de gestão do setor público no Brasil
• Análise das desigualdades regionais do Brasil
• Análise das desigualdades sociais do Brasil
• Análise dos problemas ambientais do Brasil
Evolução da balança comercial do Brasil
Evolução do balanço de pagamentos
em conta corrente do Brasil
-60000
-50000
-40000
-30000
-20000
-10000
0
10000
20000
1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012
Balanço de pagamentos em conta corrente do Brasil
(US milhões)
Investimento estrangeiro direto no
Brasil
-20000
-10000
0
10000
20000
30000
40000
50000
60000
70000
80000
1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012
Investimento estrangeiro direto no Brasil (US$ milhões)
Análise da participação da indústria
brasileira na formação do PIB do Brasil
Análise da evolução das reservas
internacionais do Brasil
Fonte:http://www.fgv.br/professor/rubens/HOMEPAGE/LIVROS_E_CAPITULOS/Contas%20Externas/Ilustra%C3%A7%C3%A3o%
201_7.html
Obs.: Em junho de 2013, as reservas internacionais alcançaram US$ 370 bilhões.
Análise do crescimento do PIB no
Brasil
Índice de desemprego no Brasil
Índice de desemprego no Brasil
• A metodologia do IBGE para estimativa do desemprego só
considera desempregada a pessoa que, tendo mais de dez anos,
procurou um emprego nos trinta dias anteriores à pesquisa e não
encontrou.
• Não entram no índice do IBGE: 1) Pessoas desalentadas; 2)
Pessoas desocupadas; 3) Pessoas com rendimento/hora menor que
o salário mínimo/hora; 4) Pessoas Marginalmente ligadas à PEA
(População Economicamente Ativa); e, 5) “Trabalhadores” não
remunerados.
• Com todos esses desempregados que ficaram de fora do índice o
resultado seria 20,8% de desempregados no país.
• O IBGE situou a taxa de desemprego no Brasil em apenas 5% em
outubro de 2013.
• O índice do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos
Socioeconômicos (DIEESE) situou a taxa de desemprego no Brasil
em 10,5%.
Análise das taxas de poupança e
investimento no Brasil
Análise da taxa de investimento
público no Brasil
Análise da taxa de inflação no
Brasil
Análise da evolução da taxa de
juros básica da economia (Selic)
Análise da dívida pública interna
do Brasil
Análise da dívida pública interna
do Brasil
Obs.: Durante o governo Dilma Rousseff, a dívida pública interna alcançou US 2,79 trilhões
Análise do orçamento geral da União
e da destinação dos gastos públicos
Fonte: http://candidoneto.blogspot.com.br/2012/07/nao-ao-terrorismo-contra-os-servidores.html
Análise do orçamento geral da União
e da destinação dos gastos públicos
Fonte: http://almocodashoras.blogspot.com.br/2013/02/divida-publica-consome-metade-do.html
Análise dos credores da dívida
interna do Brasil
Fonte: http://www.viomundo.com.br/denuncias/maria-lucia-fatorelli.html
Análise da dívida externa do Brasil
Fonte: http://pibloktok.blogspot.com.br/2011/03/divida-publica-o-tsunami-do-brasil.html
Análise da crise de gestão do setor
público no Brasil
• Ineficiência e ineficácia de suas estruturas
organizacionais que contribuem para a
geração de desperdícios de recursos públicos
de toda ordem.
• Falta de integração dos governos federal,
estadual e municipal na promoção do
desenvolvimento nacional, regional e local.
• Ação caótica do poder público no seu
conjunto, gerando, em consequência,
deseconomias de toda ordem.
Análise das desigualdades
regionais do Brasil
PIB
Arrecadação
de
impostos
estaduais
Consumo de
energia
elétrica
Malha
rodoviária
pavimentada
Domicílios
com telefone
Norte 2.305 0,541 5 4 5 10 34
Nordeste 1.512 0,587 13 14 16 11 21
Sudeste 4.734 0,537 59 60 58 11 45
Sul 3.608 0,543 16 15 16 6 42
Centro-Oeste 3.637 0,576 7 7 5 8 42
BRASIL 3.399 0,567 100 100 100 9 38
Região
Participação (%)
Renda per
capita
Índice de
Gini
Fonte: PATRI, 2000
Análise das desigualdades sociais
do Brasil
Análise das desigualdades sociais
do Brasil
Análise das desigualdades sociais
do Brasil
• IBGE informa que 1% dos mais ricos continuam a
ganhar cem vezes mais do que os 10% mais pobres.
• 20% da população mais rica do Brasil é detentora de
67% da renda nacional e 20% da mais pobre possui
apenas 2% da renda nacional.
• Brasil apresenta os maiores índices de criminalidade
em todo o mundo com uma taxa anual de
aproximadamente 22 homicídios a cada 100.000
habitantes. Apenas El Salvador, Venezuela e
Guatemala apresentam taxas de homicídio maiores
que a do Brasil .
Análise dos problemas ambientais
do Brasil
Fonte: Revista Veja, Apocalipse Já, Edição 1961 de 21 de junho de 2006.
Análise dos problemas ambientais
do Brasil
Fonte: Larara, Dakir. Aquecimento Global e Mudanças Climáticas. Curso de Geografia ULBRA – Canoas. http://www.educacional.com.br.
O DESASTROSO GOVERNO DILMA ROUSSEFF
• Falência do modelo econômico neoliberal no Brasil que
apresentou baixíssimo crescimento econômico,
gargalos existentes na infraestrutura econômica e
social, desindustrialização da economia brasileira,
explosão da dívida pública interna e externa e
desnacionalização da economia brasileira.
• Descontrole do gasto público, má gestão na Petrobras e
corrupção desenfreada que levaram à bancarrota a
economia brasileira.
• Política econômica recessiva com o ajuste fiscal que se
traduziu na estagnação da economia, no aumento da
dívida pública, no desequilíbrio das contas externas e
também no aumento do desemprego.
O FRÁGIL GOVERNO MICHEL TEMER
• Ministério não transmite credibilidade junto à população
porque são todos integrantes do fracassado governo Dilma
Rousseff, inclusive o próprio presidente da República,
corresponsáveis pela bancarrota econômica do País, sendo
alguns deles investigados pela Operação Lava Jato.
• Michel Temer tem alta rejeição da população.
• O governo Michel Temer não surgiu de um pacto social para
dar sustentação a um governo de salvação nacional.
• Adoção de uma política econômica neoliberal, recessiva,
antissocial e antinacional.
• Insuficiente pacote econômico (PEC 241) do governo Michel
Temer para retomar o crescimento econômico do Brasil.
GLOBALIZAÇÃO E NEOLIBERALISMO
AMEAÇADOS DE COLAPSO NO MUNDO
• Ganham com a globalização o sistema financeiro
globalizado que aufere lucros astronômicos graças à
ausência de regulamentação econômica e financeira
global e poucos países periféricos como China, Índia,
Coreia do Sul e outros países asiáticos que conseguem
atrair investimentos estrangeiros graças à mão de obra
barata e legislação nacional favorável.
• Perdem com a globalização neoliberal os países
capitalistas centrais (Estados Unidos, União Europeia e
Japão) e outros países periféricos que enfrentam
problemas de desindustrialização, aumento do
desemprego, estagnação econômica e endividamento
público crescente, como o Brasil.
COMO ALCANÇAR O PROGRESSO
ECONÔMICO E SOCIAL
• O Sumário Executivo do Índice de Progresso Social 2014 da ONU define o progresso social
como a capacidade de uma sociedade atender às necessidades humanas básicas de seus
cidadãos, estabelecer os componentes básicos que permitam aos cidadãos e às
comunidades melhorarem e manterem a qualidade de vida e criarem as condições para
que todos os habitantes atinjam seu pleno potencial. O Sumário Executivo inferiu as três
dimensões do Modelo do Índice de Progresso Social: 1) Necessidades Humanas Básicas
(Nutrição e cuidados médicos básicos; Água e saneamento; Moradia; Segurança pessoal);
2) Fundamentos de Bem-Estar (Acesso ao conhecimento básico; Acesso à informação e
comunicação; Saúde e bem-estar; Sustentabilidade dos ecossistemas); e, 3)
Oportunidades (Direitos individuais; Liberdades e escolhas individuais; Tolerância e
inclusão; Acesso à educação superior).
• Os 10 países de maior Índice de Progresso Social em 2015 são os seguintes: 1) Noruega; 2)
Suécia; 3) Suíça; 4) Islândia; 5) Nova Zelândia; 6) Canadá; 7) Finlândia; 8) Dinamarca; 9)
Holanda; e, 10) Austrália. O Brasil, por exemplo, é o 42° país no Índice de Progresso Social
apesar de ter um PIB situado entre os 10 maiores do mundo. O Brasil é o 74° país quanto
às Necessidades Humanas Básicas, é o 30° em Fundamentos de Bem-estar e é o 32º na
dimensão Oportunidades. Percebe-se no ranking de progresso social que, entre os 10
países de maior progresso social, 5 deles são países da social democracia escandinava. Os
elevados índices de progresso social dos países nórdicos ou escandinavos (Suécia,
Dinamarca, Noruega, Islândia e Finlândia) resultam do fato de utilizarem um modelo de
social democracia exemplar.
COMO OS PAÍSES ASIÁTICOS PROMOVERAM
SEU DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO
• 3 países da Ásia (Japão, Coreia do Sul e China)
alcançaram elevado crescimento econômico,
respectivamente, nas décadas de 1970, 1980 e 1990.
• A política econômica dos governos do Japão, Coreia
do Sul e China tiveram no Estado papel primordial no
desenvolvimento desses países.
• Os fatores impulsionadores do desenvolvimento do
Japão, Coreia do Sul e China são: 1) O papel do
Estado; 2) O papel dos investidores privados; 3)
Acumulação de capital; 4) Progresso técnico e da
organização da produção; 5) Industrialização; e, 6)
Fatores de produção e mercado interno.
A INVENÇÃO DE UM NOVO BRASIL
• Para inventar um novo Brasil, é preciso
cumprir três etapas:
1. Recuperação da economia brasileira;
2. Adoção do modelo nacional
desenvolvimentista nos moldes do modelo de
desenvolvimento adotado pelos países da
Ásia (Japão, Coreia do Sul e China);
3. Adoção do modelo social democrata nos
moldes do praticado nos países escandinavos
com os necessários aperfeiçoamentos e
adaptação.
Estratégias para recuperação da
economia brasileira
• Redução drástica do gasto público de custeio
• Controle do fluxo de entrada e saída de capitais para evitar a evasão de divisas
e restringir o acesso de capitais especulativos no País
• Redução acentuada das taxas de juros para incentivar os investimentos nas
atividades produtivas
• Importação seletiva de matérias-primas e produtos essenciais do exterior para
reduzir os dispêndios em divisas do País
• Adoção da política de câmbio fixo em substituição à de câmbio flutuante em
vigor para proteger a indústria nacional e controlar a inflação
• Reintrodução da reserva de mercado em áreas consideradas estratégicas para
o desenvolvimento nacional
• Reestatização de empresas estatais privatizadas consideradas estratégicas
para o desenvolvimento nacional
• Adoção de uma política tributária capaz de assegurar os recursos de que o
Estado necessitaria para investir em educação, saúde, previdência social e nos
setores de infraestrutura, entre outros e onerar o mínimo possível a
população e os setores produtivos.
O modelo econômico nacional
desenvolvimentista nos moldes dos países
asiáticos
• Aumento da poupança pública e privada visando elevar as taxas de
investimento da economia brasileira
• Realização de investimentos estrangeiros preferencialmente nas áreas voltadas
para as exportações e naquelas em que as empresas nacionais não tiverem
condições de suprir o mercado interno
• Maximização das exportações brasileiras para expandir as receitas de divisas
do país e alavancar o crescimento da economia nacional
• Concessão de incentivos fiscais para a atração de investimentos privados em
regiões menos desenvolvidas do Brasil
• Incentivo e reforço das atividades de pesquisa e desenvolvimento e do sistema
educacional do País
• Redução das desigualdades sociais contemplando a adoção de medidas que
contribuam para o atendimento das necessidades básicas da população em
termos de alimentos, vestuário, habitação, serviços de saúde e emprego, e
uma melhor qualidade de vida.
O modelo de social democracia nos moldes
escandinavos
• A social democracia a ser implantada no Brasil deveria resultar do
aperfeiçoamento do modelo escandinavo atual que operaria com um tripé
estruturado com base em um Estado neutro, Sociedade Civil Organizada ativa
e Setor Produtivo (estatal e privado) eficiente e eficaz.
• O Estado neutro buscaria compatibilizar os interesses do Setor Produtivo
(estatal e privado) com os da Sociedade Civil mediando seus conflitos em
várias instâncias dos poderes executivo e legislativo que, quando não se
obtém o consenso, a decisão final ficaria a cargo da população que decidiria
democraticamente através de plebiscito e/ou referendo.
• O Estado deve cuidar das pessoas do berço à sepultura.
• Na nova social democracia, não deveria ser permitida a ação de grupos
monopolistas e cartéis privados na economia.
• Empresas privadas só atuariam em setores econômicos onde houvesse
competição.
• Empresas estatais ou de economia mista ocupariam os setores econômicos
onde não fosse possível haver competição.
• Este é o novo Brasil que precisaria ser inventado.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Como mudar os rumos da economia do brasil
Como mudar os rumos da economia do brasilComo mudar os rumos da economia do brasil
Como mudar os rumos da economia do brasilFernando Alcoforado
 
Subdesenvolvimento 7ª série
Subdesenvolvimento 7ª sérieSubdesenvolvimento 7ª série
Subdesenvolvimento 7ª sérieCasiana Macedo
 
Atps desenvolvimento economico
Atps desenvolvimento economicoAtps desenvolvimento economico
Atps desenvolvimento economicoEduardo3379
 
Aula envelhecimento da popu brasileira
Aula envelhecimento da popu brasileiraAula envelhecimento da popu brasileira
Aula envelhecimento da popu brasileiraSalageo Cristina
 
Atps desenvolvimento economico
Atps desenvolvimento economicoAtps desenvolvimento economico
Atps desenvolvimento economicoLiousMarths
 
124596543 geografia-9º-contrastes-desenvolvimento-indicadores-rp
124596543 geografia-9º-contrastes-desenvolvimento-indicadores-rp124596543 geografia-9º-contrastes-desenvolvimento-indicadores-rp
124596543 geografia-9º-contrastes-desenvolvimento-indicadores-rpMarlene Ricardo
 
IDH - Índice de Desenvolvimento Humano
IDH - Índice de Desenvolvimento HumanoIDH - Índice de Desenvolvimento Humano
IDH - Índice de Desenvolvimento HumanoIdalina Leite
 
Geografia - Regionalizações e IDH.
Geografia - Regionalizações e IDH.Geografia - Regionalizações e IDH.
Geografia - Regionalizações e IDH.hiagolopes11
 
CLASSIFICAÇÃO DOS PAÍSES EM RELAÇÃO AO GRAU DE DESENVOLVIMENTO
CLASSIFICAÇÃO DOS PAÍSES EM RELAÇÃO AO GRAU DE DESENVOLVIMENTOCLASSIFICAÇÃO DOS PAÍSES EM RELAÇÃO AO GRAU DE DESENVOLVIMENTO
CLASSIFICAÇÃO DOS PAÍSES EM RELAÇÃO AO GRAU DE DESENVOLVIMENTOConceição Fontolan
 
Economia brasileira: o papel do Brasil no cenário internacional
Economia brasileira: o papel do Brasil no cenário internacionalEconomia brasileira: o papel do Brasil no cenário internacional
Economia brasileira: o papel do Brasil no cenário internacionalJoão Mendonça
 
Diferenca entre paises ricos e pobres
Diferenca entre paises ricos e pobresDiferenca entre paises ricos e pobres
Diferenca entre paises ricos e pobresJ. C.
 
Contrastes de desenvolvimento: PD e PVD
Contrastes de desenvolvimento: PD e PVDContrastes de desenvolvimento: PD e PVD
Contrastes de desenvolvimento: PD e PVDIdalina Leite
 
O brasil atual e suas perspectivas
O brasil atual e suas perspectivasO brasil atual e suas perspectivas
O brasil atual e suas perspectivasFernando Alcoforado
 
Países Desenvolvidos, subdesenvolvidos e emergentes
Países Desenvolvidos, subdesenvolvidos e emergentesPaíses Desenvolvidos, subdesenvolvidos e emergentes
Países Desenvolvidos, subdesenvolvidos e emergentesCintia Cristina Souza Pereira
 

Mais procurados (20)

INDICADORES SOCIAIS
INDICADORES SOCIAISINDICADORES SOCIAIS
INDICADORES SOCIAIS
 
Como mudar os rumos da economia do brasil
Como mudar os rumos da economia do brasilComo mudar os rumos da economia do brasil
Como mudar os rumos da economia do brasil
 
Brasil país rico
Brasil país ricoBrasil país rico
Brasil país rico
 
PAÍSES EMERGENTES
PAÍSES EMERGENTESPAÍSES EMERGENTES
PAÍSES EMERGENTES
 
Subdesenvolvimento 7ª série
Subdesenvolvimento 7ª sérieSubdesenvolvimento 7ª série
Subdesenvolvimento 7ª série
 
Atps desenvolvimento economico
Atps desenvolvimento economicoAtps desenvolvimento economico
Atps desenvolvimento economico
 
Caderno de pauta 007
Caderno de pauta 007Caderno de pauta 007
Caderno de pauta 007
 
Aula envelhecimento da popu brasileira
Aula envelhecimento da popu brasileiraAula envelhecimento da popu brasileira
Aula envelhecimento da popu brasileira
 
Atps desenvolvimento economico
Atps desenvolvimento economicoAtps desenvolvimento economico
Atps desenvolvimento economico
 
O mundo subdesenvolvido
O mundo subdesenvolvidoO mundo subdesenvolvido
O mundo subdesenvolvido
 
124596543 geografia-9º-contrastes-desenvolvimento-indicadores-rp
124596543 geografia-9º-contrastes-desenvolvimento-indicadores-rp124596543 geografia-9º-contrastes-desenvolvimento-indicadores-rp
124596543 geografia-9º-contrastes-desenvolvimento-indicadores-rp
 
IDH - Índice de Desenvolvimento Humano
IDH - Índice de Desenvolvimento HumanoIDH - Índice de Desenvolvimento Humano
IDH - Índice de Desenvolvimento Humano
 
Fichas1 a 7 ca
Fichas1 a 7 caFichas1 a 7 ca
Fichas1 a 7 ca
 
Geografia - Regionalizações e IDH.
Geografia - Regionalizações e IDH.Geografia - Regionalizações e IDH.
Geografia - Regionalizações e IDH.
 
CLASSIFICAÇÃO DOS PAÍSES EM RELAÇÃO AO GRAU DE DESENVOLVIMENTO
CLASSIFICAÇÃO DOS PAÍSES EM RELAÇÃO AO GRAU DE DESENVOLVIMENTOCLASSIFICAÇÃO DOS PAÍSES EM RELAÇÃO AO GRAU DE DESENVOLVIMENTO
CLASSIFICAÇÃO DOS PAÍSES EM RELAÇÃO AO GRAU DE DESENVOLVIMENTO
 
Economia brasileira: o papel do Brasil no cenário internacional
Economia brasileira: o papel do Brasil no cenário internacionalEconomia brasileira: o papel do Brasil no cenário internacional
Economia brasileira: o papel do Brasil no cenário internacional
 
Diferenca entre paises ricos e pobres
Diferenca entre paises ricos e pobresDiferenca entre paises ricos e pobres
Diferenca entre paises ricos e pobres
 
Contrastes de desenvolvimento: PD e PVD
Contrastes de desenvolvimento: PD e PVDContrastes de desenvolvimento: PD e PVD
Contrastes de desenvolvimento: PD e PVD
 
O brasil atual e suas perspectivas
O brasil atual e suas perspectivasO brasil atual e suas perspectivas
O brasil atual e suas perspectivas
 
Países Desenvolvidos, subdesenvolvidos e emergentes
Países Desenvolvidos, subdesenvolvidos e emergentesPaíses Desenvolvidos, subdesenvolvidos e emergentes
Países Desenvolvidos, subdesenvolvidos e emergentes
 

Semelhante a Invenção de um novo Brasil após crise

1º Governo Lula - 2003-2006
1º Governo Lula - 2003-20061º Governo Lula - 2003-2006
1º Governo Lula - 2003-2006Thiago Yajima
 
O presidente que o brasil precisa
O presidente que o brasil precisaO presidente que o brasil precisa
O presidente que o brasil precisaFernando Alcoforado
 
Brasil industrialização e subdesenvolvimento
Brasil industrialização e subdesenvolvimentoBrasil industrialização e subdesenvolvimento
Brasil industrialização e subdesenvolvimentoCíntia Pancieri
 
Como desenvolver a economia do brasil em novas bases
Como desenvolver a economia do brasil em novas basesComo desenvolver a economia do brasil em novas bases
Como desenvolver a economia do brasil em novas basesRoberto Rabat Chame
 
Como desenvolver a economia do brasil em novas bases
Como desenvolver a economia do brasil em novas basesComo desenvolver a economia do brasil em novas bases
Como desenvolver a economia do brasil em novas basesFernando Alcoforado
 
Lista de atividades - globalização
Lista de atividades - globalizaçãoLista de atividades - globalização
Lista de atividades - globalizaçãomatheuslw
 
Livro a invenção de um novo brasil2
Livro a invenção de um novo brasil2Livro a invenção de um novo brasil2
Livro a invenção de um novo brasil2Fernando Alcoforado
 
Os nefastos efeitos do neoliberalismo sobre o brasil e como superá los
Os nefastos efeitos do neoliberalismo sobre o brasil e como superá losOs nefastos efeitos do neoliberalismo sobre o brasil e como superá los
Os nefastos efeitos do neoliberalismo sobre o brasil e como superá losFernando Alcoforado
 
Brasil rumo à depressão em 2015
Brasil rumo à depressão em 2015Brasil rumo à depressão em 2015
Brasil rumo à depressão em 2015Fernando Alcoforado
 
Em defesa de um novo modelo econômico nacional desenvolvimentista para supera...
Em defesa de um novo modelo econômico nacional desenvolvimentista para supera...Em defesa de um novo modelo econômico nacional desenvolvimentista para supera...
Em defesa de um novo modelo econômico nacional desenvolvimentista para supera...Fernando Alcoforado
 
Vulnerabilidades econômicas externas e internas da economia brasileira e como...
Vulnerabilidades econômicas externas e internas da economia brasileira e como...Vulnerabilidades econômicas externas e internas da economia brasileira e como...
Vulnerabilidades econômicas externas e internas da economia brasileira e como...Fernando Alcoforado
 
O Período Militar - Geografia
O Período Militar - GeografiaO Período Militar - Geografia
O Período Militar - GeografiaLucas Castro
 
Neoliberalismo e agravamento dos problemas sociais no brasil
Neoliberalismo e agravamento dos problemas sociais no brasilNeoliberalismo e agravamento dos problemas sociais no brasil
Neoliberalismo e agravamento dos problemas sociais no brasilFernando Alcoforado
 
O brasil rumo à depressão econômica
O brasil rumo à depressão econômicaO brasil rumo à depressão econômica
O brasil rumo à depressão econômicaFernando Alcoforado
 
O MODELO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL DE QUE O BRASIL PRECISA
O MODELO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL DE QUE O BRASIL PRECISA O MODELO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL DE QUE O BRASIL PRECISA
O MODELO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL DE QUE O BRASIL PRECISA Fernando Alcoforado
 
COMO ELIMINAR O DESEMPREGO NO BRASIL.pdf
COMO ELIMINAR O DESEMPREGO NO BRASIL.pdfCOMO ELIMINAR O DESEMPREGO NO BRASIL.pdf
COMO ELIMINAR O DESEMPREGO NO BRASIL.pdfFaga1939
 

Semelhante a Invenção de um novo Brasil após crise (20)

1º Governo Lula - 2003-2006
1º Governo Lula - 2003-20061º Governo Lula - 2003-2006
1º Governo Lula - 2003-2006
 
O presidente que o brasil precisa
O presidente que o brasil precisaO presidente que o brasil precisa
O presidente que o brasil precisa
 
Brasil industrialização e subdesenvolvimento
Brasil industrialização e subdesenvolvimentoBrasil industrialização e subdesenvolvimento
Brasil industrialização e subdesenvolvimento
 
Como desenvolver a economia do brasil em novas bases
Como desenvolver a economia do brasil em novas basesComo desenvolver a economia do brasil em novas bases
Como desenvolver a economia do brasil em novas bases
 
Como desenvolver a economia do brasil em novas bases
Como desenvolver a economia do brasil em novas basesComo desenvolver a economia do brasil em novas bases
Como desenvolver a economia do brasil em novas bases
 
Lista de atividades - globalização
Lista de atividades - globalizaçãoLista de atividades - globalização
Lista de atividades - globalização
 
Livro a invenção de um novo brasil2
Livro a invenção de um novo brasil2Livro a invenção de um novo brasil2
Livro a invenção de um novo brasil2
 
Os nefastos efeitos do neoliberalismo sobre o brasil e como superá los
Os nefastos efeitos do neoliberalismo sobre o brasil e como superá losOs nefastos efeitos do neoliberalismo sobre o brasil e como superá los
Os nefastos efeitos do neoliberalismo sobre o brasil e como superá los
 
O medo venceu a esperança
O medo venceu a esperançaO medo venceu a esperança
O medo venceu a esperança
 
Futuro em debate- CREA BAHIA
Futuro em debate- CREA BAHIAFuturo em debate- CREA BAHIA
Futuro em debate- CREA BAHIA
 
Brasil rumo a depressao em 2015
Brasil rumo a depressao em 2015Brasil rumo a depressao em 2015
Brasil rumo a depressao em 2015
 
Brasil rumo à depressão em 2015
Brasil rumo à depressão em 2015Brasil rumo à depressão em 2015
Brasil rumo à depressão em 2015
 
Em defesa de um novo modelo econômico nacional desenvolvimentista para supera...
Em defesa de um novo modelo econômico nacional desenvolvimentista para supera...Em defesa de um novo modelo econômico nacional desenvolvimentista para supera...
Em defesa de um novo modelo econômico nacional desenvolvimentista para supera...
 
Vulnerabilidades econômicas externas e internas da economia brasileira e como...
Vulnerabilidades econômicas externas e internas da economia brasileira e como...Vulnerabilidades econômicas externas e internas da economia brasileira e como...
Vulnerabilidades econômicas externas e internas da economia brasileira e como...
 
O Período Militar - Geografia
O Período Militar - GeografiaO Período Militar - Geografia
O Período Militar - Geografia
 
Neoliberalismo e agravamento dos problemas sociais no brasil
Neoliberalismo e agravamento dos problemas sociais no brasilNeoliberalismo e agravamento dos problemas sociais no brasil
Neoliberalismo e agravamento dos problemas sociais no brasil
 
O brasil rumo à depressão econômica
O brasil rumo à depressão econômicaO brasil rumo à depressão econômica
O brasil rumo à depressão econômica
 
O MODELO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL DE QUE O BRASIL PRECISA
O MODELO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL DE QUE O BRASIL PRECISA O MODELO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL DE QUE O BRASIL PRECISA
O MODELO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL DE QUE O BRASIL PRECISA
 
COMO ELIMINAR O DESEMPREGO NO BRASIL.pdf
COMO ELIMINAR O DESEMPREGO NO BRASIL.pdfCOMO ELIMINAR O DESEMPREGO NO BRASIL.pdf
COMO ELIMINAR O DESEMPREGO NO BRASIL.pdf
 
O brasil tem futuro sombrio
O brasil tem futuro sombrioO brasil tem futuro sombrio
O brasil tem futuro sombrio
 

Mais de Fernando Alcoforado

O INFERNO DAS CATÁSTROFES SOFRIDAS PELO POVO BRASILEIRO
O INFERNO DAS CATÁSTROFES SOFRIDAS PELO POVO BRASILEIRO   O INFERNO DAS CATÁSTROFES SOFRIDAS PELO POVO BRASILEIRO
O INFERNO DAS CATÁSTROFES SOFRIDAS PELO POVO BRASILEIRO Fernando Alcoforado
 
L'ENFER DES CATASTROPHES SUBIS PAR LE PEUPLE BRÉSILIEN
L'ENFER DES CATASTROPHES SUBIS PAR LE PEUPLE BRÉSILIENL'ENFER DES CATASTROPHES SUBIS PAR LE PEUPLE BRÉSILIEN
L'ENFER DES CATASTROPHES SUBIS PAR LE PEUPLE BRÉSILIENFernando Alcoforado
 
LE MONDE VERS UNE CATASTROPHE CLIMATIQUE?
LE MONDE VERS UNE CATASTROPHE CLIMATIQUE?LE MONDE VERS UNE CATASTROPHE CLIMATIQUE?
LE MONDE VERS UNE CATASTROPHE CLIMATIQUE?Fernando Alcoforado
 
AQUECIMENTO GLOBAL, MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL E SEUS IMPACTOS SOBRE A SAÚDE HU...
AQUECIMENTO GLOBAL, MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL E SEUS IMPACTOS SOBRE A SAÚDE HU...AQUECIMENTO GLOBAL, MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL E SEUS IMPACTOS SOBRE A SAÚDE HU...
AQUECIMENTO GLOBAL, MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL E SEUS IMPACTOS SOBRE A SAÚDE HU...Fernando Alcoforado
 
GLOBAL WARMING, GLOBAL CLIMATE CHANGE AND ITS IMPACTS ON HUMAN HEALTH
GLOBAL WARMING, GLOBAL CLIMATE CHANGE AND ITS IMPACTS ON HUMAN HEALTHGLOBAL WARMING, GLOBAL CLIMATE CHANGE AND ITS IMPACTS ON HUMAN HEALTH
GLOBAL WARMING, GLOBAL CLIMATE CHANGE AND ITS IMPACTS ON HUMAN HEALTHFernando Alcoforado
 
LE RÉCHAUFFEMENT CLIMATIQUE, LE CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL ET SES IMPACTS ...
LE RÉCHAUFFEMENT CLIMATIQUE, LE CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL ET SES IMPACTS ...LE RÉCHAUFFEMENT CLIMATIQUE, LE CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL ET SES IMPACTS ...
LE RÉCHAUFFEMENT CLIMATIQUE, LE CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL ET SES IMPACTS ...Fernando Alcoforado
 
INONDATIONS DES VILLES ET CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL
INONDATIONS DES VILLES ET CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIALINONDATIONS DES VILLES ET CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL
INONDATIONS DES VILLES ET CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIALFernando Alcoforado
 
CITY FLOODS AND GLOBAL CLIMATE CHANGE
CITY FLOODS AND GLOBAL CLIMATE CHANGECITY FLOODS AND GLOBAL CLIMATE CHANGE
CITY FLOODS AND GLOBAL CLIMATE CHANGEFernando Alcoforado
 
INUNDAÇÕES DAS CIDADES E MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL
INUNDAÇÕES DAS CIDADES E MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBALINUNDAÇÕES DAS CIDADES E MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL
INUNDAÇÕES DAS CIDADES E MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBALFernando Alcoforado
 
CIVILIZAÇÃO OU BARBÁRIE SÃO AS ESCOLHAS DO POVO BRASILEIRO NAS ELEIÇÕES DE 2022
CIVILIZAÇÃO OU BARBÁRIE SÃO AS ESCOLHAS DO POVO BRASILEIRO NAS ELEIÇÕES DE 2022 CIVILIZAÇÃO OU BARBÁRIE SÃO AS ESCOLHAS DO POVO BRASILEIRO NAS ELEIÇÕES DE 2022
CIVILIZAÇÃO OU BARBÁRIE SÃO AS ESCOLHAS DO POVO BRASILEIRO NAS ELEIÇÕES DE 2022 Fernando Alcoforado
 
CIVILISATION OU BARBARIE SONT LES CHOIX DU PEUPLE BRÉSILIEN AUX ÉLECTIONS DE ...
CIVILISATION OU BARBARIE SONT LES CHOIX DU PEUPLE BRÉSILIEN AUX ÉLECTIONS DE ...CIVILISATION OU BARBARIE SONT LES CHOIX DU PEUPLE BRÉSILIEN AUX ÉLECTIONS DE ...
CIVILISATION OU BARBARIE SONT LES CHOIX DU PEUPLE BRÉSILIEN AUX ÉLECTIONS DE ...Fernando Alcoforado
 
CIVILIZATION OR BARBARISM ARE THE CHOICES OF THE BRAZILIAN PEOPLE IN THE 2022...
CIVILIZATION OR BARBARISM ARE THE CHOICES OF THE BRAZILIAN PEOPLE IN THE 2022...CIVILIZATION OR BARBARISM ARE THE CHOICES OF THE BRAZILIAN PEOPLE IN THE 2022...
CIVILIZATION OR BARBARISM ARE THE CHOICES OF THE BRAZILIAN PEOPLE IN THE 2022...Fernando Alcoforado
 
COMO EVITAR A PREVISÃO DE STEPHEN HAWKING DE QUE A HUMANIDADE SÓ TEM MAIS 100...
COMO EVITAR A PREVISÃO DE STEPHEN HAWKING DE QUE A HUMANIDADE SÓ TEM MAIS 100...COMO EVITAR A PREVISÃO DE STEPHEN HAWKING DE QUE A HUMANIDADE SÓ TEM MAIS 100...
COMO EVITAR A PREVISÃO DE STEPHEN HAWKING DE QUE A HUMANIDADE SÓ TEM MAIS 100...Fernando Alcoforado
 
COMMENT ÉVITER LA PRÉVISION DE STEPHEN HAWKING QUE L'HUMANITÉ N'A QUE 100 ANS...
COMMENT ÉVITER LA PRÉVISION DE STEPHEN HAWKING QUE L'HUMANITÉ N'A QUE 100 ANS...COMMENT ÉVITER LA PRÉVISION DE STEPHEN HAWKING QUE L'HUMANITÉ N'A QUE 100 ANS...
COMMENT ÉVITER LA PRÉVISION DE STEPHEN HAWKING QUE L'HUMANITÉ N'A QUE 100 ANS...Fernando Alcoforado
 
THE GREAT FRENCH REVOLUTION THAT CHANGED THE WORLD
THE GREAT FRENCH REVOLUTION THAT CHANGED THE WORLDTHE GREAT FRENCH REVOLUTION THAT CHANGED THE WORLD
THE GREAT FRENCH REVOLUTION THAT CHANGED THE WORLDFernando Alcoforado
 
LA GRANDE RÉVOLUTION FRANÇAISE QUI A CHANGÉ LE MONDE
LA GRANDE RÉVOLUTION FRANÇAISE QUI A CHANGÉ LE MONDE LA GRANDE RÉVOLUTION FRANÇAISE QUI A CHANGÉ LE MONDE
LA GRANDE RÉVOLUTION FRANÇAISE QUI A CHANGÉ LE MONDE Fernando Alcoforado
 
A GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDO
A GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDOA GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDO
A GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDOFernando Alcoforado
 
O TARIFAÇO DE ENERGIA É SINAL DE INCOMPETÊNCIA DO GOVERNO FEDERAL NO PLANEJAM...
O TARIFAÇO DE ENERGIA É SINAL DE INCOMPETÊNCIA DO GOVERNO FEDERAL NO PLANEJAM...O TARIFAÇO DE ENERGIA É SINAL DE INCOMPETÊNCIA DO GOVERNO FEDERAL NO PLANEJAM...
O TARIFAÇO DE ENERGIA É SINAL DE INCOMPETÊNCIA DO GOVERNO FEDERAL NO PLANEJAM...Fernando Alcoforado
 
LES RÉVOLUTIONS SOCIALES, LEURS FACTEURS DÉCLENCHEURS ET LE BRÉSIL ACTUEL
LES RÉVOLUTIONS SOCIALES, LEURS FACTEURS DÉCLENCHEURS ET LE BRÉSIL ACTUELLES RÉVOLUTIONS SOCIALES, LEURS FACTEURS DÉCLENCHEURS ET LE BRÉSIL ACTUEL
LES RÉVOLUTIONS SOCIALES, LEURS FACTEURS DÉCLENCHEURS ET LE BRÉSIL ACTUELFernando Alcoforado
 
SOCIAL REVOLUTIONS, THEIR TRIGGERS FACTORS AND CURRENT BRAZIL
SOCIAL REVOLUTIONS, THEIR TRIGGERS FACTORS AND CURRENT BRAZILSOCIAL REVOLUTIONS, THEIR TRIGGERS FACTORS AND CURRENT BRAZIL
SOCIAL REVOLUTIONS, THEIR TRIGGERS FACTORS AND CURRENT BRAZILFernando Alcoforado
 

Mais de Fernando Alcoforado (20)

O INFERNO DAS CATÁSTROFES SOFRIDAS PELO POVO BRASILEIRO
O INFERNO DAS CATÁSTROFES SOFRIDAS PELO POVO BRASILEIRO   O INFERNO DAS CATÁSTROFES SOFRIDAS PELO POVO BRASILEIRO
O INFERNO DAS CATÁSTROFES SOFRIDAS PELO POVO BRASILEIRO
 
L'ENFER DES CATASTROPHES SUBIS PAR LE PEUPLE BRÉSILIEN
L'ENFER DES CATASTROPHES SUBIS PAR LE PEUPLE BRÉSILIENL'ENFER DES CATASTROPHES SUBIS PAR LE PEUPLE BRÉSILIEN
L'ENFER DES CATASTROPHES SUBIS PAR LE PEUPLE BRÉSILIEN
 
LE MONDE VERS UNE CATASTROPHE CLIMATIQUE?
LE MONDE VERS UNE CATASTROPHE CLIMATIQUE?LE MONDE VERS UNE CATASTROPHE CLIMATIQUE?
LE MONDE VERS UNE CATASTROPHE CLIMATIQUE?
 
AQUECIMENTO GLOBAL, MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL E SEUS IMPACTOS SOBRE A SAÚDE HU...
AQUECIMENTO GLOBAL, MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL E SEUS IMPACTOS SOBRE A SAÚDE HU...AQUECIMENTO GLOBAL, MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL E SEUS IMPACTOS SOBRE A SAÚDE HU...
AQUECIMENTO GLOBAL, MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL E SEUS IMPACTOS SOBRE A SAÚDE HU...
 
GLOBAL WARMING, GLOBAL CLIMATE CHANGE AND ITS IMPACTS ON HUMAN HEALTH
GLOBAL WARMING, GLOBAL CLIMATE CHANGE AND ITS IMPACTS ON HUMAN HEALTHGLOBAL WARMING, GLOBAL CLIMATE CHANGE AND ITS IMPACTS ON HUMAN HEALTH
GLOBAL WARMING, GLOBAL CLIMATE CHANGE AND ITS IMPACTS ON HUMAN HEALTH
 
LE RÉCHAUFFEMENT CLIMATIQUE, LE CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL ET SES IMPACTS ...
LE RÉCHAUFFEMENT CLIMATIQUE, LE CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL ET SES IMPACTS ...LE RÉCHAUFFEMENT CLIMATIQUE, LE CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL ET SES IMPACTS ...
LE RÉCHAUFFEMENT CLIMATIQUE, LE CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL ET SES IMPACTS ...
 
INONDATIONS DES VILLES ET CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL
INONDATIONS DES VILLES ET CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIALINONDATIONS DES VILLES ET CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL
INONDATIONS DES VILLES ET CHANGEMENT CLIMATIQUE MONDIAL
 
CITY FLOODS AND GLOBAL CLIMATE CHANGE
CITY FLOODS AND GLOBAL CLIMATE CHANGECITY FLOODS AND GLOBAL CLIMATE CHANGE
CITY FLOODS AND GLOBAL CLIMATE CHANGE
 
INUNDAÇÕES DAS CIDADES E MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL
INUNDAÇÕES DAS CIDADES E MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBALINUNDAÇÕES DAS CIDADES E MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL
INUNDAÇÕES DAS CIDADES E MUDANÇA CLIMÁTICA GLOBAL
 
CIVILIZAÇÃO OU BARBÁRIE SÃO AS ESCOLHAS DO POVO BRASILEIRO NAS ELEIÇÕES DE 2022
CIVILIZAÇÃO OU BARBÁRIE SÃO AS ESCOLHAS DO POVO BRASILEIRO NAS ELEIÇÕES DE 2022 CIVILIZAÇÃO OU BARBÁRIE SÃO AS ESCOLHAS DO POVO BRASILEIRO NAS ELEIÇÕES DE 2022
CIVILIZAÇÃO OU BARBÁRIE SÃO AS ESCOLHAS DO POVO BRASILEIRO NAS ELEIÇÕES DE 2022
 
CIVILISATION OU BARBARIE SONT LES CHOIX DU PEUPLE BRÉSILIEN AUX ÉLECTIONS DE ...
CIVILISATION OU BARBARIE SONT LES CHOIX DU PEUPLE BRÉSILIEN AUX ÉLECTIONS DE ...CIVILISATION OU BARBARIE SONT LES CHOIX DU PEUPLE BRÉSILIEN AUX ÉLECTIONS DE ...
CIVILISATION OU BARBARIE SONT LES CHOIX DU PEUPLE BRÉSILIEN AUX ÉLECTIONS DE ...
 
CIVILIZATION OR BARBARISM ARE THE CHOICES OF THE BRAZILIAN PEOPLE IN THE 2022...
CIVILIZATION OR BARBARISM ARE THE CHOICES OF THE BRAZILIAN PEOPLE IN THE 2022...CIVILIZATION OR BARBARISM ARE THE CHOICES OF THE BRAZILIAN PEOPLE IN THE 2022...
CIVILIZATION OR BARBARISM ARE THE CHOICES OF THE BRAZILIAN PEOPLE IN THE 2022...
 
COMO EVITAR A PREVISÃO DE STEPHEN HAWKING DE QUE A HUMANIDADE SÓ TEM MAIS 100...
COMO EVITAR A PREVISÃO DE STEPHEN HAWKING DE QUE A HUMANIDADE SÓ TEM MAIS 100...COMO EVITAR A PREVISÃO DE STEPHEN HAWKING DE QUE A HUMANIDADE SÓ TEM MAIS 100...
COMO EVITAR A PREVISÃO DE STEPHEN HAWKING DE QUE A HUMANIDADE SÓ TEM MAIS 100...
 
COMMENT ÉVITER LA PRÉVISION DE STEPHEN HAWKING QUE L'HUMANITÉ N'A QUE 100 ANS...
COMMENT ÉVITER LA PRÉVISION DE STEPHEN HAWKING QUE L'HUMANITÉ N'A QUE 100 ANS...COMMENT ÉVITER LA PRÉVISION DE STEPHEN HAWKING QUE L'HUMANITÉ N'A QUE 100 ANS...
COMMENT ÉVITER LA PRÉVISION DE STEPHEN HAWKING QUE L'HUMANITÉ N'A QUE 100 ANS...
 
THE GREAT FRENCH REVOLUTION THAT CHANGED THE WORLD
THE GREAT FRENCH REVOLUTION THAT CHANGED THE WORLDTHE GREAT FRENCH REVOLUTION THAT CHANGED THE WORLD
THE GREAT FRENCH REVOLUTION THAT CHANGED THE WORLD
 
LA GRANDE RÉVOLUTION FRANÇAISE QUI A CHANGÉ LE MONDE
LA GRANDE RÉVOLUTION FRANÇAISE QUI A CHANGÉ LE MONDE LA GRANDE RÉVOLUTION FRANÇAISE QUI A CHANGÉ LE MONDE
LA GRANDE RÉVOLUTION FRANÇAISE QUI A CHANGÉ LE MONDE
 
A GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDO
A GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDOA GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDO
A GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDO
 
O TARIFAÇO DE ENERGIA É SINAL DE INCOMPETÊNCIA DO GOVERNO FEDERAL NO PLANEJAM...
O TARIFAÇO DE ENERGIA É SINAL DE INCOMPETÊNCIA DO GOVERNO FEDERAL NO PLANEJAM...O TARIFAÇO DE ENERGIA É SINAL DE INCOMPETÊNCIA DO GOVERNO FEDERAL NO PLANEJAM...
O TARIFAÇO DE ENERGIA É SINAL DE INCOMPETÊNCIA DO GOVERNO FEDERAL NO PLANEJAM...
 
LES RÉVOLUTIONS SOCIALES, LEURS FACTEURS DÉCLENCHEURS ET LE BRÉSIL ACTUEL
LES RÉVOLUTIONS SOCIALES, LEURS FACTEURS DÉCLENCHEURS ET LE BRÉSIL ACTUELLES RÉVOLUTIONS SOCIALES, LEURS FACTEURS DÉCLENCHEURS ET LE BRÉSIL ACTUEL
LES RÉVOLUTIONS SOCIALES, LEURS FACTEURS DÉCLENCHEURS ET LE BRÉSIL ACTUEL
 
SOCIAL REVOLUTIONS, THEIR TRIGGERS FACTORS AND CURRENT BRAZIL
SOCIAL REVOLUTIONS, THEIR TRIGGERS FACTORS AND CURRENT BRAZILSOCIAL REVOLUTIONS, THEIR TRIGGERS FACTORS AND CURRENT BRAZIL
SOCIAL REVOLUTIONS, THEIR TRIGGERS FACTORS AND CURRENT BRAZIL
 

Invenção de um novo Brasil após crise

  • 1. A INVENÇÃO DE UM NOVO BRASIL FERNANDO ALCOFORADO
  • 2.
  • 3. OBJETIVO DO LIVRO • Oferecer respostas para a questão do crescimento e do desenvolvimento econômico e social nas condições atuais do Brasil, levando em conta: 1. a evolução da economia brasileira ao longo da história e, em especial, no período recente; 2. a identificação dos principais fatores responsáveis pela crise atual da economia brasileira; e, 3. a proposição de modelos de desenvolvimento que permitam promover o progresso econômico e social do País, assegurar sua soberania na quadra atual de globalização e elevar os níveis de emprego e renda de sua população. • Com este livro, propõe-se a invenção de um novo Brasil diametralmente oposto ao atual.
  • 4. SUMÁRIO • Capítulo 1- Introdução • Capítulo 2- Os modelos econômicos adotados no Brasil em sua história • Capítulo 3- Vulnerabilidades econômicas, sociais e ambientais do Brasil durante os governos neoliberais de 1990 a 2014 • Capítulo 4- O desastroso governo Dilma Rousseff • Capítulo 5- O frágil governo Michel Temer • Capítulo 6- Síntese dos problemas econômicos, políticos e sociais do Brasil na era contemporânea e como superá-los • Capítulo 7- A invenção de um novo Brasil
  • 5. OS MODELOS ECONÔMICOS ADOTADOS NO BRASIL EM SUA HISTÓRIA • O modelo agrário-exportador (1500-1930) • O modelo nacional-desenvolvimentista (1930-1954) • O modelo de desenvolvimento capitalista dependente (1955-1990) • O modelo neoliberal(A partir de 1990)
  • 6. ASPECTOS RELEVANTES DA HISTÓRIA DO BRASIL • Portugal transformou o Brasil em colônia de exploração ao invés de colônia de povoamento como nos Estados Unidos • Portugal dividiu o Brasil em capitanias hereditárias que são origem do latifúndio que ainda perdura no Brasil • Independência do Brasil em 1822 foi uma “revolução” sem revolução porque não foi conquistada pelo povo e não houve mudanças estruturais • O Brasil foi o último país do mundo a acabar com a escravidão por imposição britânica • A República no Brasil resultou de um golpe de estado em 1889 e não houve mudanças estruturais mantendo o modelo agrário exportador que vigorava desde o período colonial • A Revolução de 1930 resultou de outro golpe de estado, promoveu a ascensão da burguesia ao poder sem romper com as oligarquias rurais e adotou o modelo nacional desenvolvimentista • A Revolução de 1930 abriu caminho para a industrialização no Brasil que foi tardia com atraso de 200 anos em relação à 1ª Revolução Industrial na Inglaterra • Os governos de JK, da ditadura militar e de José Sarney adotaram o modelo de desenvolvimento capitalista dependente • Os governos Collor, FHC, Lula, Dilma Rousseff e Michel Temer adotaram o modelo neoliberal
  • 7. CARACTERÍSTICAS DO MODELO NEOLIBERAL • O Consenso de Washington estabeleceu quatro passos a serem dados na seguinte ordem: 1. Estado mínimo (redução do gasto e investimento público, menos impostos e não intervenção no mercado) 2. Estabilização da economia (combate à inflação); 3. Realização de reformas estruturais (privatizações, desregulamentação de mercados, liberalização financeira e comercial); 4. Retomada dos investimentos estrangeiros para alavancar o desenvolvimento.
  • 8. VULNERABILIDADES ECONÔMICAS, SOCIAIS E AMBIENTAIS DO BRASIL DURANTE OS GOVERNOS NEOLIBERAIS DE 1990 A 2014 • Análise da balança comercial do Brasil • Análise do balanço de pagamentos em conta corrente do Brasil • Análise do investimento estrangeiro direto no Brasil • Análise da participação da indústria brasileira na formação do PIB do Brasil • Análise da evolução das reservas internacionais do Brasil • Análise do crescimento do PIB no Brasil • Análise do índice de desemprego no Brasil • Análise das taxas de poupança e investimento no Brasil • Análise da taxa de investimento público no Brasil • Análise da taxa de inflação no Brasil • Análise da evolução da taxa Selic • Análise da dívida pública interna do Brasil • Análise do orçamento geral da União e da destinação dos gastos públicos • Análise dos credores da dívida interna do Brasil • Análise da dívida externa do Brasil • Análise da crise de gestão do setor público no Brasil • Análise das desigualdades regionais do Brasil • Análise das desigualdades sociais do Brasil • Análise dos problemas ambientais do Brasil
  • 9. Evolução da balança comercial do Brasil
  • 10. Evolução do balanço de pagamentos em conta corrente do Brasil -60000 -50000 -40000 -30000 -20000 -10000 0 10000 20000 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Balanço de pagamentos em conta corrente do Brasil (US milhões)
  • 11. Investimento estrangeiro direto no Brasil -20000 -10000 0 10000 20000 30000 40000 50000 60000 70000 80000 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Investimento estrangeiro direto no Brasil (US$ milhões)
  • 12. Análise da participação da indústria brasileira na formação do PIB do Brasil
  • 13. Análise da evolução das reservas internacionais do Brasil Fonte:http://www.fgv.br/professor/rubens/HOMEPAGE/LIVROS_E_CAPITULOS/Contas%20Externas/Ilustra%C3%A7%C3%A3o% 201_7.html Obs.: Em junho de 2013, as reservas internacionais alcançaram US$ 370 bilhões.
  • 14. Análise do crescimento do PIB no Brasil
  • 16. Índice de desemprego no Brasil • A metodologia do IBGE para estimativa do desemprego só considera desempregada a pessoa que, tendo mais de dez anos, procurou um emprego nos trinta dias anteriores à pesquisa e não encontrou. • Não entram no índice do IBGE: 1) Pessoas desalentadas; 2) Pessoas desocupadas; 3) Pessoas com rendimento/hora menor que o salário mínimo/hora; 4) Pessoas Marginalmente ligadas à PEA (População Economicamente Ativa); e, 5) “Trabalhadores” não remunerados. • Com todos esses desempregados que ficaram de fora do índice o resultado seria 20,8% de desempregados no país. • O IBGE situou a taxa de desemprego no Brasil em apenas 5% em outubro de 2013. • O índice do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE) situou a taxa de desemprego no Brasil em 10,5%.
  • 17. Análise das taxas de poupança e investimento no Brasil
  • 18. Análise da taxa de investimento público no Brasil
  • 19. Análise da taxa de inflação no Brasil
  • 20. Análise da evolução da taxa de juros básica da economia (Selic)
  • 21. Análise da dívida pública interna do Brasil
  • 22. Análise da dívida pública interna do Brasil Obs.: Durante o governo Dilma Rousseff, a dívida pública interna alcançou US 2,79 trilhões
  • 23. Análise do orçamento geral da União e da destinação dos gastos públicos Fonte: http://candidoneto.blogspot.com.br/2012/07/nao-ao-terrorismo-contra-os-servidores.html
  • 24. Análise do orçamento geral da União e da destinação dos gastos públicos Fonte: http://almocodashoras.blogspot.com.br/2013/02/divida-publica-consome-metade-do.html
  • 25. Análise dos credores da dívida interna do Brasil Fonte: http://www.viomundo.com.br/denuncias/maria-lucia-fatorelli.html
  • 26. Análise da dívida externa do Brasil Fonte: http://pibloktok.blogspot.com.br/2011/03/divida-publica-o-tsunami-do-brasil.html
  • 27. Análise da crise de gestão do setor público no Brasil • Ineficiência e ineficácia de suas estruturas organizacionais que contribuem para a geração de desperdícios de recursos públicos de toda ordem. • Falta de integração dos governos federal, estadual e municipal na promoção do desenvolvimento nacional, regional e local. • Ação caótica do poder público no seu conjunto, gerando, em consequência, deseconomias de toda ordem.
  • 28. Análise das desigualdades regionais do Brasil PIB Arrecadação de impostos estaduais Consumo de energia elétrica Malha rodoviária pavimentada Domicílios com telefone Norte 2.305 0,541 5 4 5 10 34 Nordeste 1.512 0,587 13 14 16 11 21 Sudeste 4.734 0,537 59 60 58 11 45 Sul 3.608 0,543 16 15 16 6 42 Centro-Oeste 3.637 0,576 7 7 5 8 42 BRASIL 3.399 0,567 100 100 100 9 38 Região Participação (%) Renda per capita Índice de Gini Fonte: PATRI, 2000
  • 29. Análise das desigualdades sociais do Brasil
  • 30. Análise das desigualdades sociais do Brasil
  • 31. Análise das desigualdades sociais do Brasil • IBGE informa que 1% dos mais ricos continuam a ganhar cem vezes mais do que os 10% mais pobres. • 20% da população mais rica do Brasil é detentora de 67% da renda nacional e 20% da mais pobre possui apenas 2% da renda nacional. • Brasil apresenta os maiores índices de criminalidade em todo o mundo com uma taxa anual de aproximadamente 22 homicídios a cada 100.000 habitantes. Apenas El Salvador, Venezuela e Guatemala apresentam taxas de homicídio maiores que a do Brasil .
  • 32. Análise dos problemas ambientais do Brasil Fonte: Revista Veja, Apocalipse Já, Edição 1961 de 21 de junho de 2006.
  • 33. Análise dos problemas ambientais do Brasil Fonte: Larara, Dakir. Aquecimento Global e Mudanças Climáticas. Curso de Geografia ULBRA – Canoas. http://www.educacional.com.br.
  • 34. O DESASTROSO GOVERNO DILMA ROUSSEFF • Falência do modelo econômico neoliberal no Brasil que apresentou baixíssimo crescimento econômico, gargalos existentes na infraestrutura econômica e social, desindustrialização da economia brasileira, explosão da dívida pública interna e externa e desnacionalização da economia brasileira. • Descontrole do gasto público, má gestão na Petrobras e corrupção desenfreada que levaram à bancarrota a economia brasileira. • Política econômica recessiva com o ajuste fiscal que se traduziu na estagnação da economia, no aumento da dívida pública, no desequilíbrio das contas externas e também no aumento do desemprego.
  • 35. O FRÁGIL GOVERNO MICHEL TEMER • Ministério não transmite credibilidade junto à população porque são todos integrantes do fracassado governo Dilma Rousseff, inclusive o próprio presidente da República, corresponsáveis pela bancarrota econômica do País, sendo alguns deles investigados pela Operação Lava Jato. • Michel Temer tem alta rejeição da população. • O governo Michel Temer não surgiu de um pacto social para dar sustentação a um governo de salvação nacional. • Adoção de uma política econômica neoliberal, recessiva, antissocial e antinacional. • Insuficiente pacote econômico (PEC 241) do governo Michel Temer para retomar o crescimento econômico do Brasil.
  • 36. GLOBALIZAÇÃO E NEOLIBERALISMO AMEAÇADOS DE COLAPSO NO MUNDO • Ganham com a globalização o sistema financeiro globalizado que aufere lucros astronômicos graças à ausência de regulamentação econômica e financeira global e poucos países periféricos como China, Índia, Coreia do Sul e outros países asiáticos que conseguem atrair investimentos estrangeiros graças à mão de obra barata e legislação nacional favorável. • Perdem com a globalização neoliberal os países capitalistas centrais (Estados Unidos, União Europeia e Japão) e outros países periféricos que enfrentam problemas de desindustrialização, aumento do desemprego, estagnação econômica e endividamento público crescente, como o Brasil.
  • 37. COMO ALCANÇAR O PROGRESSO ECONÔMICO E SOCIAL • O Sumário Executivo do Índice de Progresso Social 2014 da ONU define o progresso social como a capacidade de uma sociedade atender às necessidades humanas básicas de seus cidadãos, estabelecer os componentes básicos que permitam aos cidadãos e às comunidades melhorarem e manterem a qualidade de vida e criarem as condições para que todos os habitantes atinjam seu pleno potencial. O Sumário Executivo inferiu as três dimensões do Modelo do Índice de Progresso Social: 1) Necessidades Humanas Básicas (Nutrição e cuidados médicos básicos; Água e saneamento; Moradia; Segurança pessoal); 2) Fundamentos de Bem-Estar (Acesso ao conhecimento básico; Acesso à informação e comunicação; Saúde e bem-estar; Sustentabilidade dos ecossistemas); e, 3) Oportunidades (Direitos individuais; Liberdades e escolhas individuais; Tolerância e inclusão; Acesso à educação superior). • Os 10 países de maior Índice de Progresso Social em 2015 são os seguintes: 1) Noruega; 2) Suécia; 3) Suíça; 4) Islândia; 5) Nova Zelândia; 6) Canadá; 7) Finlândia; 8) Dinamarca; 9) Holanda; e, 10) Austrália. O Brasil, por exemplo, é o 42° país no Índice de Progresso Social apesar de ter um PIB situado entre os 10 maiores do mundo. O Brasil é o 74° país quanto às Necessidades Humanas Básicas, é o 30° em Fundamentos de Bem-estar e é o 32º na dimensão Oportunidades. Percebe-se no ranking de progresso social que, entre os 10 países de maior progresso social, 5 deles são países da social democracia escandinava. Os elevados índices de progresso social dos países nórdicos ou escandinavos (Suécia, Dinamarca, Noruega, Islândia e Finlândia) resultam do fato de utilizarem um modelo de social democracia exemplar.
  • 38. COMO OS PAÍSES ASIÁTICOS PROMOVERAM SEU DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO • 3 países da Ásia (Japão, Coreia do Sul e China) alcançaram elevado crescimento econômico, respectivamente, nas décadas de 1970, 1980 e 1990. • A política econômica dos governos do Japão, Coreia do Sul e China tiveram no Estado papel primordial no desenvolvimento desses países. • Os fatores impulsionadores do desenvolvimento do Japão, Coreia do Sul e China são: 1) O papel do Estado; 2) O papel dos investidores privados; 3) Acumulação de capital; 4) Progresso técnico e da organização da produção; 5) Industrialização; e, 6) Fatores de produção e mercado interno.
  • 39. A INVENÇÃO DE UM NOVO BRASIL • Para inventar um novo Brasil, é preciso cumprir três etapas: 1. Recuperação da economia brasileira; 2. Adoção do modelo nacional desenvolvimentista nos moldes do modelo de desenvolvimento adotado pelos países da Ásia (Japão, Coreia do Sul e China); 3. Adoção do modelo social democrata nos moldes do praticado nos países escandinavos com os necessários aperfeiçoamentos e adaptação.
  • 40. Estratégias para recuperação da economia brasileira • Redução drástica do gasto público de custeio • Controle do fluxo de entrada e saída de capitais para evitar a evasão de divisas e restringir o acesso de capitais especulativos no País • Redução acentuada das taxas de juros para incentivar os investimentos nas atividades produtivas • Importação seletiva de matérias-primas e produtos essenciais do exterior para reduzir os dispêndios em divisas do País • Adoção da política de câmbio fixo em substituição à de câmbio flutuante em vigor para proteger a indústria nacional e controlar a inflação • Reintrodução da reserva de mercado em áreas consideradas estratégicas para o desenvolvimento nacional • Reestatização de empresas estatais privatizadas consideradas estratégicas para o desenvolvimento nacional • Adoção de uma política tributária capaz de assegurar os recursos de que o Estado necessitaria para investir em educação, saúde, previdência social e nos setores de infraestrutura, entre outros e onerar o mínimo possível a população e os setores produtivos.
  • 41. O modelo econômico nacional desenvolvimentista nos moldes dos países asiáticos • Aumento da poupança pública e privada visando elevar as taxas de investimento da economia brasileira • Realização de investimentos estrangeiros preferencialmente nas áreas voltadas para as exportações e naquelas em que as empresas nacionais não tiverem condições de suprir o mercado interno • Maximização das exportações brasileiras para expandir as receitas de divisas do país e alavancar o crescimento da economia nacional • Concessão de incentivos fiscais para a atração de investimentos privados em regiões menos desenvolvidas do Brasil • Incentivo e reforço das atividades de pesquisa e desenvolvimento e do sistema educacional do País • Redução das desigualdades sociais contemplando a adoção de medidas que contribuam para o atendimento das necessidades básicas da população em termos de alimentos, vestuário, habitação, serviços de saúde e emprego, e uma melhor qualidade de vida.
  • 42. O modelo de social democracia nos moldes escandinavos • A social democracia a ser implantada no Brasil deveria resultar do aperfeiçoamento do modelo escandinavo atual que operaria com um tripé estruturado com base em um Estado neutro, Sociedade Civil Organizada ativa e Setor Produtivo (estatal e privado) eficiente e eficaz. • O Estado neutro buscaria compatibilizar os interesses do Setor Produtivo (estatal e privado) com os da Sociedade Civil mediando seus conflitos em várias instâncias dos poderes executivo e legislativo que, quando não se obtém o consenso, a decisão final ficaria a cargo da população que decidiria democraticamente através de plebiscito e/ou referendo. • O Estado deve cuidar das pessoas do berço à sepultura. • Na nova social democracia, não deveria ser permitida a ação de grupos monopolistas e cartéis privados na economia. • Empresas privadas só atuariam em setores econômicos onde houvesse competição. • Empresas estatais ou de economia mista ocupariam os setores econômicos onde não fosse possível haver competição. • Este é o novo Brasil que precisaria ser inventado.