Ead apostila-6-hh-economia-introduo-para-administrao-1192991746335363-1

626 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
626
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
45
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ead apostila-6-hh-economia-introduo-para-administrao-1192991746335363-1

  1. 1. Economia (Introdução) Professor Helio Henkin EA – Escola de Administração Curso de Administração
  2. 2. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administra2 Introdução à Economia Curso de Administração Disciplina: Economia (Introdução) Apostilas Baseadas no Livro: Introdução à Economia Autor: Gregory Mankiw Editora: Thomson – 3ª Edição
  3. 3. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administra3 Economia (Introdução) Apostila 6 O Papel das Elasticidades Elasticidade e sua Aplicação
  4. 4. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 4 Economia (Introdução) – Apostila 6 “Many people want the government to protect the consumer. A much more urgent problem is to protect the consumer from the government.” (Milton Friedman)
  5. 5. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 5 Economia (Introdução) – Apostila 6 A análise da oferta e da demanda mostra como os preços e quantidades modificam- se diante de alteração nas condições de mercado. Alterações nos preços dos insumos, na renda, no preço de produtos substitutos ou complementares, entre outros fatores, tendem a provocar mudanças nos preços e quantidades que tornam o mercado mais equilibrado em termos de oferta e demanda.
  6. 6. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 6 Economia (Introdução) – Apostila 6 No entanto, não são apenas condições de mercado que podem alterar os preços e as quantidades que resultam da interação entre oferta e demanda. Os governos podem também exercer interferência sobre os resultados desta interação.
  7. 7. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 7 Economia (Introdução) – Apostila 6 A interferência do governo pode, por vezes, ser benéfica em um mercado. As políticas governamentais, no entanto, nem sempre alcançam os resultados esperados.
  8. 8. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 8 Economia (Introdução) – Apostila 6 Dois tipos importantes de interferência: Controle direto de preços Impostos
  9. 9. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 9 Economia (Introdução) – Apostila 6 O Controle de Preços O governo tem a possibilidade de controlar os preços de um mercado ou de um determinado bem. Por meio de decretos ou leis, eles podem impor preços mínimos ou preços máximos a um bem. O preço mínimo é o limite mínimo legal do valor ao qual um bem pode ser comercializado. O preço máximo é o limite máximo legal do valor ao qual um bem pode ser comercializado.
  10. 10. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 10 Economia (Introdução) – Apostila 6 A Política do Preço Máximo A imposição de um preço máximo pode ser feita de tal forma que o preço determinado esteja acima do preço de mercado. Neste caso, a política não exerce influência sobre as condições do mercado. Por outro lado, se o preço máximo estiver abaixo do preço que vigoraria em condições normais de interação entre oferta e demanda, tenderá a o ocorrer um excesso de demanda (ou escassez de oferta). Curiosidade: Veja como o controle de preços é ainda utilizado no Brasil em alguns mercados. http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u301213.shtml
  11. 11. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 11 Economia (Introdução) – Apostila 6 Preço Máximo maior que o Preço de Equilíbrio Quantidade de Equilíbrio Com o preço máximo acima do preço de equilíbrio, o preço máximo não tem efeito sobre o mercado e o equilíbrio é satisfeito. Preço R$ Quantidade do bem Oferta Demanda Preço de Equilíbrio Preço Máximo Preço Máximo menor que o Preço de Equilíbrio Quantidad e Ofertada Com o preço máximo abaixo do preço de equilíbrio, o preço máximo tem efeito sobre o mercado. Assim, as quantidades ofertadas e demandadas mudam, criando um excesso de demanda, ou seja, uma escassez de oferta. Preço R$ Quantidade do bem Oferta Demanda Preço de Equilíbrio Preço Máximo Quantidade Demandada Escassez
  12. 12. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 12 Economia (Introdução) – Apostila 6 A Política do Preço Mínimo Analogamente à imposição de um preço máximo, o preço mínimo imposto pelo governo pode ser tal que não reflita o equilíbrio de mercado. Se o preço mínimo estiver abaixo do preço de equilíbrio, não se alteram as condições do mercado. Mas se o preço mínimo estiver acima do preço de equilíbrio, ocorrerá uma escassez de demanda (ou excesso de oferta). Curiosidade: Veja como o salário mínimo no Brasil está abaixo do preço de equilíbrio na maioria dos mercados de mão de obra. http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u116544.shtml
  13. 13. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 13 Economia (Introdução) – Apostila 6 Preço Mínimo maior que o Preço de Equilíbrio Com o preço mínimo acima do preço de equilíbrio, o preço mínimo tem efeito sobre o mercado. Assim, as quantidades ofertadas e demandadas mudam, criando um excedente de oferta, ou seja, uma escassez de demanda. Preço R$ Quantidade do bem Oferta Demanda Preço de Equilíbrio Preço Mínimo Quantidade Ofertada Quantidade Demandada Excedente Preço Máximo menor que o Preço de Equilíbrio Com o preço mínimo abaixo do preço de equilíbrio, o preço mínimo não tem efeito sobre o mercado e o equilíbrio é satisfeito. Preço R$ Quantidade do bem Oferta Demanda Preço de Equilíbrio Preço Máximo
  14. 14. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 14 Economia (Introdução) – Apostila 6 Entre os princípios de economia vistos na Apostila 1, dois estão ligados diretamente ao tema do controle de preços. Um deles: os mercados, geralmente, costumam ser um bom meio de organizar a atividade econômica. O outro: os governos podem melhorar os resultados dos mercados.
  15. 15. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 15 Economia (Introdução) – Apostila 6 Quando os governos buscam melhorar os resultados de mercado via controle de preços, entretanto, nem sempre resulta aquilo que se esperava atingir, porque há efeitos dinâmicos de mudança no comportamento dos agentes econômicos, que alteram as condições de mercado em um sentido que afeta negativamente as condições de vida dos beneficiários da medida inicial dos governos.
  16. 16. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 16 Economia (Introdução) – Apostila 6 Um exemplo é o estabelecimento de preço máximo para produtos da cesta básica. No curto prazo, é possível que haja benefícios para a população de baixa renda, mas alguns consumidores começarão a encontrar dificuldades para encontrar as mercadorias desejadas.
  17. 17. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 17 Economia (Introdução) – Apostila 6 Ao longo do tempo, o controle dos preços tende a reduzir os investimentos dos produtores, em função da queda de rentabilidade da atividade. O resultado é uma redução da oferta (graficamente, há um deslocamento da curva de oferta para a esquerda e para cima, ampliando a escassez de oferta nos mercados dos produtos da cesta básica).
  18. 18. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 18 Economia (Introdução) – Apostila 6 No caso do controle de aluguéis, por exemplo, o efeito dinâmico é a redução dos investimentos e da manutenção de imóveis, que reduz a oferta ao longo do tempo, gerando dificuldades de obtenção de moradias.
  19. 19. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 19 Economia (Introdução) – Apostila 6 O objetivo de melhorar o nível de renda e as condições de vida de determinados segmentos da população pode ser obtido por outros tipos de políticas que não geram efeitos dinâmicos tão negativos e limitantes.
  20. 20. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 20 Economia (Introdução) – Apostila 6 Exemplos: Transferência de renda (imposto de renda negativo) Subsídios aos salários Bônus para aquisição de produtos da cesta básica
  21. 21. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 21 Economia (Introdução) – Apostila 6 Impostos Ao longo da história, os governos estabelecidos em diferentes instâncias – municipal, estadual ou nacional – foram incumbidos de forma crescente a financiar diferentes serviços ou distintas políticas públicas, dos gastos em educação, defesa e estradas a programas de transferência de renda a determinados segmentos da população. Curiosidade: Veja como o governo brasileiro vem gastando parte de sua receita com projetos de distribuição de renda diretos e indiretos. http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u86600.shtml
  22. 22. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 22 Economia (Introdução) – Apostila 6 Impostos Para fazer frente a tais gastos, os governos passaram a utilizar crescentemente o instrumento básico da sua fonte de receitas, que é o imposto.
  23. 23. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 23 Economia (Introdução) – Apostila 6 Impostos Como os impostos podem interferir diretamente sobre as condições de mercado, é possível avaliar os seus efeitos com base nos esquemas das curvas de oferta e demanda.
  24. 24. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 24 Economia (Introdução) – Apostila 6 Impostos Um dos aspectos importantes associados aos impostos é a questão de como se distribui a carga de tributos nos diferentes segmentos da sociedade.
  25. 25. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 25 Economia (Introdução) – Apostila 6 A Incidência Tributária Existem várias formas de cobrança de impostos sobre os diferentes mercados. A análise da incidência tributária corresponde ao esforço dos economistas de analisar como o ônus dos impostos é distribuído. No caso de impostos cobrados sobre a venda de bens e serviços, pode-se utilizar as curvas de demanda e oferta e a análise de elasticidades para analisar a incidência tributária. Incidência Tributária: distribuição do ônus do imposto entre os participantes de um mercado
  26. 26. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 26 Economia (Introdução) – Apostila 6 Como um Imposto Afeta um Mercado? A análise de como a cobrança de impostos afeta determinado mercado de bens deve responder às seguintes questões:  O imposto introduzido afeta a curva de demanda ou de oferta do bem ou serviço?  Em caso positivo na questão anterior, qual o sentido do efeito? Deslocamento da oferta? Deslocamento da demanda? Em qual direção?  No novo ponto de equilíbrio, quais os novos preços que serão pagos pelos consumidores e pelos produtores e qual a nova quantidade vendida?
  27. 27. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 27 Economia (Introdução) – Apostila 6 Quando um imposto é estabelecido sobre o consumo de um bem, o efeito é um deslocamento da demanda para baixo. Ao preço recebido pelos produtores, os consumidores comprarão menos do que na situação sem imposto, pois terão que desembolsar um valor adicional correspondente ao imposto. p³: preço pago pelos consumidores p²: preço sem imposto p¹: preço recebido pelos vendedores q¹: quantidade de equilíbrio sem imposto q²: quantidade de equilíbrio com imposto Preço Quantidade P³ P² P¹ q² q¹ Valor do Imposto Equilíbrio Sem Imposto Equilíbrio Com Imposto Imposto sobre Consumo Equilíbrio Sem Imposto Preço Quantidade P³ P² P¹ q² q¹ Valor do Imposto Equilíbrio Com Imposto Imposto sobre Venda
  28. 28. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 28 Economia (Introdução) – Apostila 6 Quando um imposto é estabelecido sobre a venda do bem, o efeito é um deslocamento da oferta para cima. Ao preço pago pelos consumidores, os produtores ofertarão menos do (quantidade) do que na situação sem imposto, pois terão que desembolsar um valor adicional correspondente ao imposto. p³: preço pago pelos consumidores p²: preço sem imposto p¹: preço recebido pelos vendedores q¹: quantidade de equilíbrio sem imposto q²: quantidade de equilíbrio com imposto Preço Quantidade P³ P² P¹ q² q¹ Valor do Imposto Equilíbrio Sem Imposto Equilíbrio Com Imposto Imposto sobre Consumo Equilíbrio Sem Imposto Preço Quantidade P³ P² P¹ q² q¹ Valor do Imposto Equilíbrio Com Imposto Imposto sobre Venda
  29. 29. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 29 Economia (Introdução) – Apostila 6 Os deslocamentos das curvas de oferta e demanda se dão de forma que o ônus do imposto é dividido entre os vendedores e compradores. Os consumidores pagam mais e consomem menos. Os produtores recebem menos e produzem menos. p³: preço pago pelos consumidores p²: preço sem imposto p¹: preço recebido pelos vendedores q¹: quantidade de equilíbrio sem imposto q²: quantidade de equilíbrio com imposto Preço Quantidade P³ P² P¹ q² q¹ Valor do Imposto Equilíbrio Sem Imposto Equilíbrio Com Imposto Imposto sobre Consumo Equilíbrio Sem Imposto Preço Quantidade P³ P² P¹ q² q¹ Valor do Imposto Equilíbrio Com Imposto Imposto sobre Venda
  30. 30. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 30 Economia (Introdução) – Apostila 6 Um imposto cobrado sobre o consumo gera resultado equivalente ao da situação em que o imposto é cobrado sobre a venda. p³: preço pago pelos consumidores p²: preço sem imposto p¹: preço recebido pelos vendedores q¹: quantidade de equilíbrio sem imposto q²: quantidade de equilíbrio com imposto Preço Quantidade P³ P² P¹ q² q¹ Valor do Imposto Equilíbrio Sem Imposto Equilíbrio Com Imposto Imposto sobre Consumo Equilíbrio Sem Imposto Preço Quantidade P³ P² P¹ q² q¹ Valor do Imposto Equilíbrio Com Imposto Imposto sobre Venda
  31. 31. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 31 Economia (Introdução) – Apostila 6 Com relação à incidência tributária, o peso do imposto sobre produtores e consumidores dependerá das características da curva de demanda e oferta. O princípio geral é: a incidência tributária será maior no lado do mercado que apresentar menor elasticidade.
  32. 32. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 32 Economia (Introdução) – Apostila 6 Se a curva de demanda for significativamente menos elástica do que a curva de oferta, o ônus do imposto (em termos da parcela de aumento do preço a ser pago em relação ao preço anterior) será arcado predominantemente pelos consumidores. A razão está no fato de que uma elasticidade menor está associada à existência de menos alternativas de substituição ao consumo daquele bem. Neste sentido, os consumidores respondem ao aumento do imposto com menor redução da quantidade consumida, mesmo tendo o ônus de pagar um preço mais elevado.
  33. 33. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 33 Economia (Introdução) – Apostila 6 No raciocínio inverso, se a curva de oferta for significativamente menos elástica do que a curva de demanda, o ônus do imposto (em termos da parcela de redução do preço a ser recebido em relação ao preço anterior) será arcado predominantemente pelos produtores. A razão está no fato de que uma elasticidade menor está associada à existência de menos alternativas de produzir outros produtos. Neste sentido, os produtores respondem ao aumento do imposto com menor redução da quantidade produzida, mesmo tendo o ônus de receber um preço significativamente mais baixo.
  34. 34. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 34 Economia (Introdução) – Apostila 6 Preço Quantidade P³ P² P¹ p³: preço pago pelos consumidores p²: preço sem imposto p¹: preço recebido pelos vendedores Quando a oferta é mais elástica do que a demanda ... A incidência tributária é maior para os consumidores... ... do que para os produtores. Preço Quantidade P³ P² P¹ p³: preço pago pelos consumidores p²: preço sem imposto p¹: preço recebido pelos vendedores Quando a demanda é mais elástica do que a oferta ... A incidência tributária é maior para os produtores... ... do que para os consumidores.
  35. 35. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 35 Economia (Introdução) – Apostila 6 Exercícios e Aplicações: 1. Por que os governos estaduais – quando necessitam reduzir o déficit das finanças públicas – propõem freqüentemente o aumento de impostos de bens e serviços tais como distribuição de energia elétrica, gás liquefeito de petróleo, gasolina e telefonia? 2. Se no Brasil não houvesse o vínculo de determinados gastos governamentais ao nível do salário mínimo, você defenderia um aumento mais vigoroso do salário mínimo?
  36. 36. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 36 Economia (Introdução) – Apostila 6 Exercícios e Aplicações: 3. Suponha que o governo federal exija que os consumidores de cerveja paguem um imposto de R$ 2,00 por caixa de cerveja comprada. a) Represente graficamente a oferta e a demanda do mercado de cerveja sem o imposto. Mostre o preço pago pelos consumidores, o preço recebido pelos produtores e a quantidade de cerveja vendida. Qual a diferença entre o preço pago pelos consumidores e o recebido pelos produtores? b) Agora represente graficamente a oferta e a demanda do mercado com o imposto. Mostre o preço do recebido pelos produtores, o preço pago pelos consumidores e a quantidade de cerveja vendida. Qual a diferença entre o preço pago pelos consumidores e o preço recebido pelos produtores? A quantidade de cerveja vendida aumentou ou diminuiu? (Mankiw, G – Introdução à Economia – capítulo 6 – com adaptações)
  37. 37. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 37 Economia (Introdução) – Apostila 6 Exercícios e Aplicações: 4. Explique porque os economistas normalmente se opõem aos controles de preços. Utiliza um exemplo da vida real para justificar sua resposta e represente-o graficamente. 5. Considere as seguintes políticas, todas almejando a diminuição do uso de armas de fogo. Ilustre graficamente cada uma delas em um hipotético mercado de armas: a) Um imposto sobre os compradores de armas. b) Um imposto sobre os vendedores de armas. c) Um preço mínimo para as armas. d) Um imposto sobre a munição. (Mankiw, G., Introdução à Economia – Capítulo 6 – com adaptações)

×