Senai ba-transmissoroberto-121119205750-phpapp02

628 visualizações

Publicada em

Apresentação sobre Transmissão - SENAI - BA

Publicada em: Indústria automotiva
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
628
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
35
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Senai ba-transmissoroberto-121119205750-phpapp02

  1. 1. TRANSMISSÃO
  2. 2. • Motor; • Embreagem; • Caixa de mudanças; • Árvores de transmissão; • Diferencial. Sua função é multiplicar a força do motor transferindo-a às rodas. COMPOSIÇÃO DO TREM DE FORÇA
  3. 3. TIPOS DE CAIXA  DE MUDANÇAS TIPOS DE CAIXA DE MUDANÇAS
  4. 4. MECÂNICA TIPOS DE CAIXA DE MUDANÇAS
  5. 5. MECÂNICA TIPOS DE CAIXA DE MUDANÇAS
  6. 6. Clique na imagem para abrir o vídeo Clique na imagem para abrir o vídeo MECÂNICA TIPOS DE CAIXA DE MUDANÇAS
  7. 7. AUTOMÁTICA TIPOS DE CAIXA DE MUDANÇAS
  8. 8. VANTAGEM DA TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA AUTOMÁTICA TIPOS DE CAIXA DE MUDANÇAS
  9. 9. VANTAGEM DA TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA AUTOMÁTICA TIPOS DE CAIXA DE MUDANÇAS
  10. 10. Todo conjunto propulsor está localizado na frente do veículo. COMPACTA APLICAÇÃO Conjunto Diferencial APLICAÇÃO DA  CAIXA DE  MUDANÇAS
  11. 11. KA Fiesta O diferencial junto com a coroa e o pinhão são partes da caixa. Conjunto Diferencial COMPACTA APLICAÇÃO
  12. 12. O trem de força transfere a força do motor as rodas de tração. FLUXO DE FORÇA COMPACTA APLICAÇÃO
  13. 13. Caixa de mudanças sem diferencial Motor localizado na frente do veículo e tração nas rodas traseiras. SIMPLES APLICAÇÃO
  14. 14. Ranger F-250 Caixa sem conjunto diferencial, pois encontra-se no eixo traseiro. SIMPLES APLICAÇÃO
  15. 15. FLUXO DE FORÇA 1 – Motor; 2 – Câmbio; 3 – Eixo Cardã; 4 – Diferencial traseiro; 5 – Semi-árvores; 6 – Cruzetas; 7 – Rodas; 8 – Volante do motor e embreagem O trem de força transfere a força do motor as rodas de tração. SIMPLES APLICAÇÃO
  16. 16. TRAÇÃO NAS RODAS DIANTEIRAS 1 – Motor 2 – Caixa de mudanças 3 – Diferencial 4 – Semi-árvores Quando a força do motor é transferida somente as rodas dianteiras. Tipos de Conjunto  de tração CONJUNTO DE TRAÇÃO
  17. 17. 1 – Motor 2 – Caixa de mudanças 3 – Ligação direta 4 – Eixo Cardã 5 – Diferencial Quando a força do motor é transferida somente as rodas traseiras. TRAÇÃO NAS RODAS TRASEIRAS CONJUNTO DE TRAÇÃO
  18. 18. 1 – Diferencial Dianteiro 2 – Motor 3 – Caixa de mudanças 4 – Caixa de Transferência 5 – Eixo Cardam 6 – Diferencial Traseiro Quando a força do motor é distribuída igualmente nas quatro rodas (4WD) 1 2 3 4 5 6 TRAÇÃO NAS QUATRO RODAS CONJUNTO DE TRAÇÃO
  19. 19. Diferencial Traseiro Diferencial Dianteiro Caixa de Transferência Caixa de Mudança Eixo Cardã TRAÇÃO NAS QUATRO RODAS CONJUNTO DE TRAÇÃO
  20. 20. Chave de controle para adequação da tração. CONTROLE DO SISTEMA 4X4 CONJUNTO DE TRAÇÃO
  21. 21. Controla o fluxo de força entre o motor a caixa de mudanças. COMPONENTES CONJUNTO DE EMBREAGEM COMPONENTES
  22. 22. Conjunto de árvores engrenadas que possibilitam vantagens mecânicas ao motor. CAIXA DE MUDANÇAS COMPONENTES
  23. 23. Sua função é possibilitar rotações diferentes as rodas durante uma curva. DIFERENCIAL – CAIXA E MUDANÇAS COMPACTA COMPONENTES
  24. 24. JUNTA HOMOCINÉTICA Transmite força e torque mesmo com inclinações e distâncias variáveis. COMPONENTES
  25. 25. Ligação entre a caixa de mudança e as rodas motrizes. SEMI-ÁRVORE COMPONENTES
  26. 26. COMPONENTES
  27. 27. Aplicado junto com caixas de mudanças do tipo simples. CARDÃ COMPONENTES
  28. 28. Transmite a rotação para a rodas dianteiras DIFERENCIAL DIANTEIRO COMPONENTES
  29. 29. Transmite a rotação para a rodas traseiras DIFERENCIAL TRASEIRO COMPONENTES
  30. 30. Permite que a rotação da caixa de mudanças passe para os diferenciais. CAIXA DE TRANSFERÊNCIA COMPONENTES Clique na imagem para abrir o vídeo Clique na imagem para abrir o vídeo
  31. 31. EMBREAGEM Permite o acoplamento e desacoplamento da relação motor x transmissão COMPONENTES
  32. 32. Responsável em acionar o platô Colar acionado hidraulicamente Clique na imagem para abrir o vídeo COMPONENTES COLAR
  33. 33. Permite o afastamento ou acoplamento do disco ao volante do motor COMPONENTES PLATÔ
  34. 34. Permite a transferência da rotação do motor para a caixa de mudanças COMPONENTES DISCO
  35. 35. Clique na imagem para abrir o vídeo FUNCIONAMENTO
  36. 36. COMPONENTES SISTEMA HIDRÁULICO
  37. 37. 1. Cubo da Embreagem 2. Anel de Aperto 3. Disco de Encosto 4. Discos de Frição 5. Discos de Aço 6. Anel de Aperto 7. Suporte e Molas de Retorno do Pistão 8. Pistão 9. Retentor Exterior do Pistão 10. Retentor Interior do Pistão 11. Alojamento da Embreagem 1. Turbina 2. Estator 3. Impulsor ESQUEMA DO SISTEMA DE EMBREAGEM PARA TRANSMISSÕES AUTOMÁTICAS COMPONENTES CONVERSOR DE TORQUE
  38. 38. CAIXA DE  MUDANÇAS COMPONENTES
  39. 39. Responsável em permitir o acoplamento suave da marchas selecionadas COMPONENTES CONJUNTO SINCRONIZADOR
  40. 40. A luva sincronizadora desliza-se acoplando aos dentes laterais da engrenagem. LUVA MARCHAS 1 1ª e 2ª 2 3ª e 4ª 3 5ª e Ré 123 COMPONENTES LUVAS SINCRONIZADORAS
  41. 41. FLUXO DE FORÇA DA 1ª MARCHA Luva da 1ª e 2ª desliza-se acoplando aos dentes laterais da engrenagem de 1ª Acoplamento da 1ª Marcha COMPONENTES LUVAS SINCRONIZADORAS
  42. 42. FLUXO DE FORÇA DA 2ª MARCHA A luva da 1ª e 2ª desliza-se acoplando aos dentes laterais da engrenagem da 2ª Acoplamento da 2ª Marcha COMPONENTES LUVAS SINCRONIZADORAS
  43. 43. FLUXO DE FORÇA DA 3ª MARCHA A luva da 3ª e 4ª desliza-se acoplando aos dentes laterais da engrenagem da 3ª Acoplamento da 3ª Marcha COMPONENTES LUVAS SINCRONIZADORAS
  44. 44. FLUXO DE FORÇA DA 4ª MARCHA A luva da 3ª e 4ª desliza-se acoplando aos dentes laterais da engrenagem da 4ª Acoplamento da 4ª Marcha COMPONENTES LUVAS SINCRONIZADORAS
  45. 45. FLUXO DE FORÇA DA 5ª MARCHA A luva da 5ª desliza-se acoplando aos dentes laterais da engrenagem da 5ª marcha. Acoplamento da 5ª Marcha COMPONENTES LUVAS SINCRONIZADORAS
  46. 46. A engrenagem reversora acopla-se as fixas dos eixos primário e secundário Acoplamento da Marcha Ré COMPONENTES LUVAS SINCRONIZADORAS
  47. 47. Dentes HelicoidaisDentes Helicoidais Para acoplamento em outra engrenagem. Dentes RetosDentes Retos Para acoplamento da luva sincronizadora. COMPONENTES ENGRENAGEM
  48. 48. Bastante utilizadas na marcha à Ré. • Projeto mais simples, usadas em transmissões manuais e eixos de tração; • Dentes são cortados retos e podem deslizar em contato com outras engrenagens; • São ruidosas durante a operação; COMPONENTES DENTES RETOS
  49. 49. Tipo mais comum usadas em transmissões e eixos de tração; • Cortadas em ângulo em relação ao eixo de rotação; • Dois ou mais dentes sempre em contato durante engrenamento; • Operação mais silenciosa; • Não podem deslizar, entrando e saindo de contato com a engrenagem mais próxima; • Usadas para todas as marchas à frente, e em alguns casos também para a marcha-ré. COMPONENTES DENTES HELICOIDAIS
  50. 50. • Permitem que girem sobre um eixo que esteja a 90 graus da engrenagem com a qual está em contato; Usadas como pinhão ou engrenagens laterais no conjunto do diferencial. COMPONENTES DENTES RETOS CHANFRADOS
  51. 51. 1 – Engrenagem girando no sentido horário. 2 – Engrenagem girando no sentido anti- horário Relação Direta – Marchas a Frente RELAÇÃO DE TRANSMISSÃO
  52. 52. 1 – Engrenagem de entrada girando no sentido horário. 2 – Engrenagem livre girando no sentido anti-horário. 3 – Engrenagem de saída girando no sentido horário. Relação Direta – Marcha Ré RELAÇÃO DE TRANSMISSÃO
  53. 53. A Motora sempre transmite força e torque e a Movida só recebe. Relação de Redução R = nº dentes movida nº dentes motora R = 18 / 9 = 2:1 R > 1 Somente quando a motora tiver número menor de dentes que a movida. RELAÇÃO DE TRANSMISSÃO
  54. 54. A Motora sempre transmite força e torque e a Movida só recebe. Relação de Multiplicação R = nº dentes movida nº dentes motora R = 8 / 16 = 0,5:1 R < 1 Somente quando a motora tiver número maior de dentes que a movida. RELAÇÃO DE TRANSMISSÃO
  55. 55. A Motora sempre transmite força e torque e a Movida só recebe. Relação de Igualdade R = nº dentes movida nº dentes motora R = 24 / 24 = 1:1 R = 1 MOTORA E MOVIDA 24 Dentes Quando a rotação que entra é a mesma na saída. RELAÇÃO DE TRANSMISSÃO
  56. 56. 50 rpm X RELAÇÃO DE REDUÇÃO RELAÇÃO DE TRANSMISSÃO
  57. 57. Anel SincronizadorAnel Sincronizador Permite o sincronismo ente a luva e a engrenagem. COMPONENTES ANEL SINCRONIZADOR
  58. 58. Luva SincronizadoraLuva Sincronizadora Através do Garfo de seleção sincroniza a marcha selecionada. CuboCubo Transmite a relação de transmissão para o eixo da árvore. COMPONENTES CUBO & LUVA
  59. 59. Garfo de MudançasGarfo de Mudanças Desloca a luva sincronizadora para engrenagem selecionada. COMPONENTES GARFO DE MUDANÇAS
  60. 60. Alavanca de mudançasAlavanca de mudanças Seleciona manualmente a relação de transmissão selecionada. Mecanismo de seleção (trambulador)Mecanismo de seleção (trambulador) Ligação entre a alavanca e a haste De acionamento dos garfos. COMPONENTES ALAVANCA DE MUDANÇAS
  61. 61. CoroaCoroa Transforma a relação de transmissão das marchas selecionadas e transfere para as rodas motrizes PinhãoPinhão Transmite a rotação vinda da caixa de mudanças para o diferencial COMPONENTES DIFERENCIAL
  62. 62. COMPONENTES DIFERENCIAL
  63. 63. PlanetáriaPlanetária Permite a transferência Independente da rotação do diferencial para as rodas motrizes. SatéliteSatélite Permite que as planetárias girem em torno das mesmas. Clique na imagem para abrir o vídeo COMPONENTES DIFERENCIAL
  64. 64. FUNCIONAMENTO

×