Duplo Etérico

2.174 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.174
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
35
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Duplo Etérico

  1. 1. DUPLO ETÉRICO a) DEFINIÇÃO, FUNÇÕES E NOMENCLATURAS egundo Wagner Borges, em seu livro VIAGEM ESPIRITUAL II, DUPLO ETÉRICO “é um campo energético bastante densificado, através do qual o psicossoma se une ao corpo físico. É uma zona intermediária, pela qual passam as correntesenergéticas que mantêm o corpo humano vivo. Sem essa zona intermediária, aconsciência não poderia utilizar as células de seu cérebro físico, pois as emanaçõesemocionais, oriundas do seu psicossoma, não teriam acesso à matéria física”. Já segundo Ricardo Di Bernardi, em sua coluna, “duplo etérico é um invólucroenergético, vibratório, luminoso, vaporoso e provisório que coexiste,estruturalmente, com o corpo físico e o circunvolve. Está ligado à doação ouexteriorização de energias, pois no DUPLO ETÉRICO é que se situam os chakras oucentros de força. O DUPLO ETÉRICO tem importante papel nas terapias energéticas eé muito confundido com o perispírito ou corpo astral. É o veículo e a reserva danossa energia vital, absorve o fluido vital e o distribui pelo corpo humano, além detransformá‐lo em fluidos sutis enviando‐os ao corpo astral (perispírito). É também oprincipal responsável pela elaboração do ectoplasma nos processos de irradiação,passes magnéticos e similares, em que há projeção de energia vital do corpo etéricoem direção ao paciente. Magos, médiuns, paranormais, feiticeiros, etc., usam(conscientemente ou não), a projeção de seu corpo etérico com finalidadeterapêutica ou criminosa”. O DUPLO é uma camada energética, que varia entre 1 e 5 cm de espessura,mais sutil que o corpo físico e mais densa que o perispírito, composta de fluido vital,uma modificação do fluido cósmico universal (energia cósmica), a qual tem a funçãode servir de "combustível vibracional" para o corpo físico e elemento de ligaçãoentre o perispírito (ou psicossoma) e o corpo físico durante a encarnação, já queesses dois corpos têm densidades energéticas e padrões vibratórios bastantediferentes. Para se ter uma ideia (bem grosseira), vamos imaginar um aparelho deultrassom: para que haja a perfeita integração entre as ondas que o aparelho emite(muito sutis) e o corpo físico do paciente (muito denso em relação às ondas), omédico usa um gel de contato, garantindo que não haverá falhas na transmissão dasondas, que as mesmas chegarão inteiras ao corpo do paciente e serão captadas devolta com perfeição pelo aparelho. Bem, o DUPLO ETÉRICO seria o gel de contatoentre o perispírito (muito sutil) e o corpo físico (muito denso em relação aoperispírito), funcionando como uma zona de contato perfeito entre os dois,garantindo perfeita transmissão de energias. Muita gente considera o DUPLO como um corpo, outros preferem dizer que éapenas a camada energética que emana do corpo físico, e por aí vai. Pessoalmente,pelo que tenho estudado e visto, não considero o DUPLO ETÉRICO um corpopropriamente, mas apenas um elo energético (em FORMATO vaporoso‐energético decorpo humano), entre o corpo físico e o perispírito durante a encarnação,funcionando também como uma "bateria", de onde o corpo físico tira as energiasmais sutis para o seu funcionamento e onde estão também os chacras ou centros deforça de que tanto se fala.
  2. 2. É isso também o que diz Dr. Di Bernardi quando afirma que “o DUPLOETÉRICO traz, em si, a programação do tempo de vida física do indivíduo e possui um“quantum” de energia vital. O corpo etérico não atua como veículo separado,individual, para a manifestação da consciência, nem está apto a captar informações,por não ter paracérebro (ao contrário do corpo astral = perispírito)”. De acordo com a linha de pensamento, o DUPLO ETÉRICO pode tambémreceber vários outros nomes como corpo vital, corpo bioplasmático, duploenergético, corpo etérico, corpo energético, holochacra, duplo vital, etc. b) CARACTERÍSTICAS Em seu livro VIAGEM ESPIRITUAL II, Wagner Borges diz que “o DUPLOETÉRICO é observado pelos clarividentes como uma distinta massa de neblinacinza‐violeta, debilmente luminosa, que interpenetra a parte densa do corpo físico ese estende um pouco mais além deste.“Segundo o parapsicólogo brasileiro Hernani Guimarães Andrade, o DUPLO ETÉRICOparece ser mais uma matriz energética do que propriamente um corpo. É um campo de força vital que permeia cada parte do corpo físico. Ele é o pano de fundo, averdadeira substância de base para a matéria física. É constituído de uma trama, ourede, de nádis de energia, os quais, em suas dezenas de milhares, são entrelaçados eformam, em certas localizações, vários pontos focais, dos quais os mais importantes receberam dos hindus o nome de CHACRAS“. Já Barbara Ann Brennan, em seu livro MÃOS DE LUZ, diz que: “O corpo etérico (a palavra vem de éter, estado intermediário entre a energia e a matéria), se compõe de minúsculas linhas de energia, qual teia fulgurante de luz, parecidas com as linhas numa tela de televisão. Tem a mesma estrutura do corpo físico e inclui todas as partes anatômicas e todos os órgãos. “O corpo etérico consiste numa estrutura definida de linhas de força, ou matriz de energia, sobre a qual se modela e firma a matéria física dos tecidos do corpo.“A estrutura do corpo etérico, semelhante a uma teia, está em constante movimento. Para a visão clarividente, faíscas de luz branco‐azulada se movem ao longo das linhas de energia por todo o denso corpo físico. O corpo etérico se estende de um quarto de polegada (6,34 mm) a duas polegadas (50,78 mm) além do corpo físico e pulsa num ritmo aproximadamente entre 15 a 20 ciclos por minuto. “A cor do corpo etérico varia do azul‐claro ao cinzento. O azul‐claro foi ligado a uma forma mais fina que o cinzento. Ou seja, uma pessoa mais sensível, com um corposensível, tenderá a ter uma primeira camada azulada, ao passo que um tipo robusto, mais atlético, tenderá a ter um corpo etérico mais acinzentado.” c) CORDÃO DE PRATA Também chamado de cordão astral, cordão fluídico, fio de prata, teia deprata, cordão luminoso, cordão vital, cordão energético, cabo astral, laço aeriforme,etc., O CORDÃO DE PRATA é uma extensão do DUPLO ETÉRICO, formando umconduto energético que liga o conjunto composto de corpo físico e DUPLO ETÉRICO
  3. 3. ao psicossoma, quando este está projetado, e espelha o grau de desenvolvimento doEspírito. Há muitas versões sobre onde o cordão de prata estaria ligado ao corpo físicoe ao perispírito. No entanto, como diz Ricardo Di Bernardi, “na realidade, a ligação écom todo o organismo, de todas as células físicas com todas as células do corpoastral (perispírito). Estes minicordões se unem em cordões maiores, regionais, que seunem em um cordão ainda maior. Visto de longe, parece sair do peito ou de outraregião, mas é ilusão, pois se você unir trilhões de cordões, que formam outrosmaiores, até formar um único quando o corpo astral estiver desdobrado (projetado),terá a impressão de que sai de um ponto só“. Sua cor pode variar do prateado brilhante para o cinza chumbo, passando porgraus intermediários. Assim como a densidade que varia proporcionalmente aodesenvolvimento do Espírito, ou seja, de acordo com o seu grau de amor, sabedoriae elevação. Sendo de natureza energética, não pode ser cortado, embaraçado, torcido,enroscado, confundido, trocado, amarrado, arrebentado, etc., como temem alguns, esó será rompido quando o corpo físico, deixando de funcionar, ou seja, deixando deter vitalidade, ejetar o psicossoma definitivamente, no processo que chamamos,inadequadamente, de morte. Ou seja, não é o rompimento do cordão astral quecausa a morte física, mas a morte física que causa o rompimento do cordão astral. d) DUPLO ETÉRICO E MEDIUNIDADE Nos médiuns, o DUPLO ETÉRICO apresenta ainda uma condição especial:soltura ou predisposição à descoincidência espontânea e a relativa liberdade emrelação aos outros corpos. É como se o duplo dos médiuns não estivesse bemaderido ou preso ao seu corpo físico, soltando‐se facilmente e, com isso, provocandouma série de sensações, que podem ser agradáveis ou não. Essa soltura, em geral, é natural e planejada antes do reencarne do médium,para facilitar o seu trabalho de comunicação com o plano espiritual. Ou seja, o duplodos médiuns é propositadamente deixado meio solto, para facilitar o transemediúnico, que ocorre justamente quando há uma folga entre o DUPLO ETÉRICO e ocorpo físico do médium. É nesta folga, nesta brecha, que o Espírito comunicanteintervém, dando a sua comunicação, no fenômeno popular e erroneamentechamado de incorporação, já que, na verdade, o Espírito comunicante não entra nemse apossa do corpo do médium. Entre as sensações mais comuns, provocadas pela soltura espontânea doDUPLO ETÉRICO, vamos encontrar:- Tontura,- Enjôo,- Arrepios e, ou choques ao longo do corpo,- Sensação de estufamento (ballonement),- Sensação de caminhar no ar,- Alterações visuais (que não têm causa física conhecida). POR MAÍSA INTELISANO

×