N.º 00 o ideias março 96 ano ii

361 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
361
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

N.º 00 o ideias março 96 ano ii

  1. 1. O D E IA S Asso iaç c ãodeEstudante da Esc la s Supe deG stãodeSantaré rior e m o Di r ect or a : L uziaValentim R ed acçã o : Jo éL uísCa lho s rva Mo n t ag em: Rui Co taeIrinaVieira s EDIÇÃO DE MARÇO DE 1996 COPIMODEL Fotocópia - Modelismo Com a edição de Abril de 1996 o “O e Serviços, Lda. Ideias” irá comemorar um ano de existência. Para que esta comemoração possa ser a melhor possível convidamos todos os alunos, professores e funcionários desta Escola a FOT OCÓP IAS A P RET O E BRANCO elaborarem artigos, antopologias, rascunhos, FOT OCÓP IAS A CORES (LASER) poemas...FOT OCÓP IAS DE GRANDES FORMAT OS Queremos fazer em Abril uma edição FOT OCÓP IAS EM P AP EL ESP ECIAL especial . ENCADERNAÇÕES T ÉRMICAS Contamos com a colaboração de todos. ENCADERNAÇÕES COM ARGOLAS P LAST IFICAÇÕES IMP RESSÃO EM T -SHIRT S Sumário: Rua Pedro de Santarém, Lj. 120 Tel (043) 23401 - 2000 SANTARÉM Correspondência de Inglaterra Pág 2 Carta aberta ao Zé do Telhado Pág 3 Desporto Pág 5 Novo estatuto dos TOC’s Pág 6 Av . Madre Andaluz, N.º14 B - Telef.: (043) 23 415 2000 Santarém Residências do Politécnico Pág 9 Momentos de Poesia Pág 11
  2. 2. Pág. 2 O IDEIAS/////////////____________________________________________________________________________________________ Editorial A v ida de um ser humano é pautada por bons e obrigue a ir buscar forças e fraquesas de onde julgamosmaus momentos. não as ter, fazendo-nos descobrir um nov o Eu, numa Os bons, dev em ser recordados com um sorriso continuidade intermináv el, e por v ezes dolorosa, até quede felicidade tranquila, os maus, com um sorriso de v itória um dia o peso da ex periência domine o peso do mundo, emerecida, pelo facto de os conseguirmos rev iv er após o possamos adoptar uma atitude mais serena e estáv el paraperíodo de tensão e de angústia que os caracterizam. com a v ida. Esta será a grande recompensa que Tal como já alguém dizia, nada melhor que um recebemos por, no momento certo, termos sabido perantedia a seguir ao outro para se saber retiar de uma má uma dificuldade, que de nada nos v alerá fechar os olhosex periência uma lição para v ida, que nos permita subir ou procurar o refúgio dentro de uma carapaça com medomais um degrau na escala do nosso crescimento pessoal. de sermos atingidos pela dor do fracasso, porque se por Na realidade v amos crescendo a cada pequena um lado nos poupamos de um mau momento, por outrov itória sem nos apercebermos disso, e um dia, sem perdemos a oportunidade de nos sentirmos capazes demotiv o algum, acordamos para nós mesmos e não nos enfrentar algo que julgamos ser superior a nós, e até quemreconhecemos tal como éramos antes, o que nos lev a a sabe v encê-lo, porque nada é intransponív el uma v ezquestionar sobre o outro Eu que ainda julgáv amos que o que ao longe nos parece um muro se av ançarmospresente, e que de um momento para o outro se tornou tão mais uns passos poderá ser apenas uma porta, em quedistante que parece ter-nos abandonado, deix ando no seu para a ultrapassar apenas bastará bater e pedir licença, selugar um outro alguém, que não reconhecemos. Mas que necessário for.com o av ançar do tempo se tornará em nós mesmos... Luzia Valentimpelo menos até que algo de nov o e inesperado nos façasentir que já não somos suficientes para o suportar, e nos Dos Correspondentes em Inglaterra, Wales Descubram 7 diferenças entre Portugal e Inglaterra.1 - Em Inglaterra falam Inglês (Somos bons observ adores, não?)2 - Conduzem pela esquerda (Como são doidos estes Ingleses)3 - A comida é uma ! (Nem sequer sabem preparar um cafezinho, depois de almoço.)4 - Como não podia deix ar de ser, o clima é muito frio, nev e e chuv a são habituais, tal como anoitecer às 17:30H datarde; mas uma pessoa habitua-se.5 - Ex celente recepção aos alunos estrangeiros, incluindo v isita pela cidade, escola e residência.6 - Boas residências, com imensas instalações desportiv as e de lazer (entre as quais, piscina coberta, ginásio deculturismo, campos de futebol e de rugby ...). Faz-nos lembrar qualquer coisa ou talv ez não.7 - A escola está dotada de uma ex celente organização, principalmente ao nív el informático, equipada a rigor com todo omaterial necessário às aulas e alunos (incluindo computadores e redes a funcionar ex celentemente e Internet para quemquiser). NOTA: Não comparamos Cardiff com Santarém, porque não v ale a pena. Imaginem porquê. Dear “Ideias”, Primeiro, um abraço para todos v ós em Portugal. Ao contrário de v ocês, estamos em aulas há 3 semanas, mas tem sido óptimo. Ter aulas em Inglês, à primeira v istapode parecer complicado, mas os professores têm sido impecáv eis. Estamos bastantes satisfeitos com as condiçõesproporcionadas pela Univ ersidade Inglesa./////////////____________________________________________________________________________________________
  3. 3. Encontram-se connosco estudantes de toda a Europa, desde Gregos a Dinamarqueses, só é pena em Portugal nãoaderirem a este programa, nomeadamente na nossa escola, onde ficam v agas por preencher. Para o ano façam por nãoperderem esta grande oportunidade da v ossa v ida. Para finalizar, temos de salientar a facilidade com que se tem acesso á Internet e ao correio electrónico aqui naUniv ersidade. Se nos quiserem contactar podem falê-lo atrav és de st046722cihe.ac.uk (Célio Marques) est046732cihe.ac.uk (Paulo Pinto). Na próx ima edição iremos falar sobre “A Vida Nocturna em Cardiff ! como não se perder”. Yours faithfully
  4. 4. O IDEIAS Pág. 4____________________________________________________________________________________________////////////// Carta Aberta ao ZéMeu caro Zé do Telhado, Escrevo-te estas linhas porque andas desaparecido há algum tempo e nãodeves saber as últimas novidades. Nem sabes a falta que tens feito por cá.Olha, só queria que tu visses o novo Parque Infantil da Gestão. Está tão giro...as crianças nem querem sair de lá! Passo horas a observá-las tão divertidas. Só é pena que ainda não tenham sido instaladas todas as maquinetas paraelas brincarem... Por agora só há uma que se chama “ Fásdidiota” , masmesmo assim, as crianças andam radiantes. É vê-las a brincar ao“ fásdidiota” a toda a hora, para a frente e para trás, para trás e para a frente...Ai, são tão giras! Esta idade entre os dezoito e os vinte e poucos é das mais engraçadas.Só queria que tu visses o ar feliz e inteligente que fazem de cada vez quepassam no corredor e esticam os seus bracinhos para fazer trabalhar amaquineta. É lindo de se ver! Constou-me que ultimamente até já passam horas nos hipermercados eoutros locais onde há brinquedos semelhantes, a entrar e a sair, a esticar eencolher os braços. Compreende-se, não é? Elas nunca tinham visto nadaassim! Há algumas más línguas que dizem que os meninos já são grandesdemais para certas brincadeiras e que a maquineta do “ fásdidiota” afinal nãoé para o parque infantil mas sim uma simples porta automática para acesso àtesouraria e contabilidade, mas é tudo inveja... Vê lá tu que até já ouvi dizerque em vez de ensino superior, mais parece ensino de deficientes mentais! Eu cá não acho! Parece-me até bastante normal que crianças de 20 anosandem para trás e para a frente no corredor só para fazer abrir uma portaautomática e que achem imensa piada de cada vez que o fazem. Dignificamuito o ensino superior e até dá boa fama à escola e aos seus alunos! Bastaque chegue aos ouvidos dos empresários e aposto que eles vêm logo a correrpara contratar estes projectos de bacharéis gestores. Estas inteligências sãorascas (perdão) raras! Um abraço deste teu primo que te estima. João do Telhado NOTA DE REDACÇÃO A equipa de “O Ideias” agradece a todos os estudantes que colaboraram nesta edição as suas prestáv eiscolaborações. Gostaríamos também de apelar à participação de todos aqueles que ainda não tiv eram a coragem de publicar umaslinhas neste jornal, sabe-se lá porquê.____________________________________________________________________________________________//////////////
  5. 5. Note-se que nesta edição nem um professor se dignificou a escrev er uma linha para publicação.Finalmente achamos por bem esclarecer que o aumento do preço do jornal em 25% se dev e ao aumento do número depáginas do mesmo em mais de 30%. Esperamos que estes 5 paus não v enham a ser responsáv eis pela diminuição donív el de circulação do jornal.
  6. 6. Pág. 6 O IDEIAS/////////////____________________________________________________________________________________________ Carta Aberta à Escola Superior de Gestão de Santarém Ex mos Senhores, resolv er a situação, mas se o fizeram então há aqui algo v enho aqui descrev er e criticar positiv a e de estranho pois eu até agora não v i resultados.negativ amente certos aspectos do funcionamento desta Seria bom ainda este ano poder alimentar-me noescola, da conv iv ência alunos/alunos e refeitório com alimentos dev idamente confeccionados ealunos/professores, Associação de Estudantes... com uma qualidade mínima, beber água por copos Vamos começar pelo “Departamento de Alunos” . dev idamente lav ados, não encontrar cabelos no prato... Constata-se que ex iste nesta escola uma enorme falta Seria bom que as ementas fossem cumpridas e que nade conv iv ência e solidariedade entre a maioria dos alunos. ESES não se v endessem senhas até às 12:00 horas e porAlunos que não se respeitam mutuamente, que não v ezes até mais tarde.respeitam nem tentam conhecer minimamente o trabalho Quando é que o Gabinete de Apoio à Informáticada AE, que sabem aprov eitar, ou não querem, quando têm deix a de funcionar a meio gás ? É notória a deficientebons professores... assistência ao equipamento pelo menos a nív el de Gostav a de saber quando é que certos alunos se softw are. Também tudo funcionaria melhor se os alunoscomeçam a dirigir à AE para saber quais as activ idades respeitassem o equipamento que lhes é posto àem que esta os pode englobar, e começam a fazer disposição.sugestões e a participar em v ez de simplesmente atirarem Continua a faltar nesta escola uma sala de trabalhos,para o ar críticas na maioria das v ezes ocas e sem é em minha opinião v ergonhoso v er os alunos saírem daqualquer fundamento. escola para um café que seja minimamente sossegado Por outro lado também gostav a de saber quando é porque aí podem realizar trabalhos de grupo muito melhorque a AE começa a funcionar eficientemente. É v erdade do que na escola. Todos nós sabemos que esta escolaque a associação melhorou um pouco em certos não nada em dinheiro, mas urge resolv er este caso com aaspectos, mas e o resto ? Onde estão as tão desejadas maior brev idade. A biblioteca, embora não funcione malfestas ? Onde está o famoso departamento cultural, o que de todo, continua com algumas lacunas. Os alunos defez até agora ? O que é que se passa com a Rádio, GE, GA e Marketing queix am-se da falta de liv ros emarranca de v ez ou não ? Conv enhamos que nem sempre geral enquanto os alunos de IG afirmam que dev ido àa AE tem funcionado dev idamente, quem necessitar de se constante ev olução da Informática uma boa parte dosdirigir à respectiv a reprografia frequentemente, liv ros que encontram na biblioteca estão jádepressa constatará que os elementos da AE desactualizados hav endo mesmo algumasali presentes são quase inv ariav elmente os faltas grav es no que respeita ao softw are maismesmos e que alguns não são ali v istos nem moderno.achados. Que tal uma conv ersa com os professores A Tuna parece que finalmente v ai andar, e a AE para se v erificar quais os liv ros em faltae em boa hora, porque depois das críticas e analisar quais as possibilidades de sefeitas a um certo artigo neste jornal já muitas adquirirem esses liv ros ?pessoas perguntav am: ”Mas afinal queriam o quê se Uma crítica também ao ginásio da escola queandav am desde o início do ano para realizar um ensaio funciona apenas algumas horas por semana. Aqui osque fosse digno desse nome ?”. meus parabéns à AE pelo aprov eitamento que está a ser Consideremos agora o funcionamento da Escola. feito dessas escassas horas e que ainda será melhorado Diariamente os alunos se queix am da qualidade dos com o início da realização dos torneios.alimentos, e da sua confecção, do refeitório. Há uns Departamento de Professores.tempos atrás o nosso amigo Zé do Telhado conv idav a É sabido que nesta escola ex istem péssimosdeterminadas pessoas a utilizar o refeitório assiduamente professores, mas felizmente também ex istem óptimospara v erificarem realmente o estado das coisas. Não sei professores. O ambiente que se v iv e nesta escola entrese essas pessoas, Instituto Politécnico, já tentaram professores e alunos resulta não só de professores que dão aulas e realizam av aliações sem qualquer pedagogia/////////////____________________________________________________________________________________________
  7. 7. e/ou possuem um demasiado baix o nív el de mantenham afastada a monotonia que são as aulasconhecimentos mas também de alunos que ainda não puramente teóricas.compreenderam que estão no Ensino Superior. Não se Até ao final deste ano ainda muito pode ser feito porev olui nada além das “reles” aulas teóricas porque parte dos Alunos, Associação de Estudantes, Docentes eex istem professores sem qualquer iniciativ a, porque Orgãos Administrativ os. O pior de tudo é a ESGSquando a têm na maioria das v ezes faltam os meios continuar a passo de caracol com tem acontecido até hoje.técnicos e/ou monetários ou porque que os alunos É uma opção que apenas obtém má fama para estesimplesmente não estão receptiv os a qualquer tipo de estabelecimento e que prejudica ev identemente quem aquiactiv idade que env olv a esforço suplementar. Peço aqui estuda ou estudou até há pouco tempo.aos professores que tomem estas iniciativ as, ex istiram O Críticosempre alguns alunos desejosos de aderirem aactiv idades que melhorem a sua preparação e que
  8. 8. O IDEIAS Pág. 8____________________________________________________________________________________________////////////// ÉPOCA DE FUTEBOL 1995/1996 Com o Campeonato Nacional de Futebol da 1ª como Peter Lipscei ou Edmilson. O resultado está à v ista:Div isão já decidido a fav or do F.C.Porto, torna-se mais de dez (!) pontos de v antagem sobre o segundonecessário fazer uma reflex ão sobre o que esta época classificado.95/96 nos mostrou até agora. Aos “três grandes” junta-se o União de Leiria, que Olhando para a tabela classificativ a observ a-se com eles irá disputar as meias-finais da Taça de Portugal,que os clubes nortenhos se superiorizaram nitidamente última hipótese para tanto Sporting como Benfica salv aremaos do sul, com F.C.Porto e Boav ista nos dois primeiros a época. Realce para a boa carreira da equipa de Leirialugares; Vitória de Guimarães, Sp.Braga e Salgueiros a na Taça.lutarem por um lugar que lhes permita ir à Taça UEFA; e De realçar também as ex celentes épocas denos dois últimos lugares, Campomaiorense e Sp.Farense Boav ista, comandado por um dos melhores treinadoreslutam para não descer à Div isão de Honra. A lutar pela portugueses, Manuel José, e um presidente forte,Europa estão também Belenenses e Marítimo, embora os Valentim Loureiro; e Belenenses, talv ez de todos osmadeirenses, muito irregulares, não dev am ter grandes clubes do Sul e suas possibilidades, aquele que está aaspirações. A esta superioridade do Norte não é alheia a fazer a melhor época, também com um ex celente técnico,profunda crise que os “grandes” da capital, Benfica e João Alv es.Sporting, atrav essam. Em destaque estiv eram também o Vitória de O Benfica, com grav es problemas financeiros Guimarães de Pimenta Machado, com ex celentestornados públicos em 93 fez, pelas mãos do anterior contratações mas com um campeonato algo inconstante;técnico Artur Jorge, contratações em grande quantidade o Felgueiras, com um magnífico início de época para umamas com qualidade duv idosa para um clube como o da equipa recém chegada à primeira div isão; e Marítimo,águia, notando-se sobretudo falta de classe na maior parte Sp.Braga e Salgueiros por fazerem um campeonatodos seus jogadores. A classe dos jogadores, num clube tranquilo.que é dos maiores da Europa, não só em historial como Pela negativ a, temos os ex emplos do Farense,em instalações, é simplesmente imprescindív el. que já nos tinha habituado a grandes épocas, do Leça e O Sporting, com uma nov a direcção presidida pelo do Estrela da Amadora, todos eles no fundo da tabela, a“rev olucionário” Pedro Santana Lopes, mas também a que não será alheio o facto de se debaterem com crisesdebater-se com problemas nos seus cofres, fez uma financeiras.época muito semelhante à do seu riv al da Luz, senão Como reflex o deste desequilíbrio nos lugaresv ejamos: muitas contratações (foi o clube que mais cimeiros da classificação e consequente falta decontratações fez), talv ez em ex cesso para um clube com competitiv idade está a medíocre participação dos clubesfalta de dinheiro, apostando sobretudo em jov ens portugueses nas Taças Europeias, com destaque para ospromissores como Dominguez ou Afonso Martins; o “três grandes”, ao contrário do que v em sendo habitual.técnico Carlos Queirós foi despedido, tal como Artur E ainda está por v er se este desequilíbrio tambémJorge, a meio da época; em termos de resultados, notou- se reflectirá (esperemos que não) na tão ansiadase a já habitual incapacidade para v encer o F.C.Porto, participação da Selecção Nacional Portuguesa no Europeunão só nas Antas como em Alv alade, o que aliado a uma deste ano em Inglaterra.frágil estrutura organizativ a, tem impedido os leões de Por isso é necessário, para bem do futebolganharem o título. português, que os clubes do Sul (em especial Sporting e O F.C.Porto, com uma ex celente organização Benfica) equilibrem as suas finanças e plantéis, para queencabeçada por Pinto da Costa, embora também com na próx ima época possam riv alizar com os do Norte,problemas financeiros, soube construir um plantel como v em acontecendo desde sempre.equilibrado e muito bem orientado pelo inglês Bobby Hugo MatosRobson, reforçando-se com jogadores pouco conhecidos____________________________________________________________________________________________//////////////
  9. 9. Greetins to all A.S.A. members. May the Sensos be with you!
  10. 10. Pág. 10 O IDEIAS/////////////____________________________________________________________________________________________ TÉCNICOS DE CONTAS JÁ TÊM ESTATUTO Em 17 de Outubro passado foi publicado o decreto-lei interesse público que constituam crimes públicos, talnº 265/95 que é precisamente o diploma que aprov a o como referencia o art.º 25.º.estatuto dos Técnicos Oficiais de Contas (TOC’s) e cria a Assim e em primeiro lugar seria bom que serespectiv a Associação. esclarecesse o que é que são crimes públicos; e em Depois de ter lido o referido decreto-lei creio que há segundo lugar que se mencionassem v ários crimesalguns aspectos que merecem ser focados neste jornal, públicos e que se ensinassem os TOC’s a procurá-los naaté como pistas de reflex ão para os colegas de Gestão de legislação. Mas se em relação à primeira questãoEmpresas. qualquer indiv íduo licenciado em Direito nos pode Em primeiro lugar é preciso ter em linha de conta que esclarecer, já em relação à segunda não é bem assimos nov os direitos dos TOC’s trazem pela simples razão de que a legislaçãoconsigo nov os dev eres. Entre os direitos actual não apresenta propriamente umaestá nomeadamente consagrado o direito Estatutos enumeração de crimes a considerarà informação e o direito de ex igir por destinados a públicos. Podemos com algum esforço eescrito a confirmação de qualquer com a ajuda dum leigo em Direito retirarinstrução quando o achar necessário; acabar com a da lei penal que são os mais grav es,isto além dos direitos que passam a confusão aqueles que, ocorridos, impõem aex istir por força da criação da acusação do Ministério Público, semAssociação e que estão mencionados no geram queix a ou acusação particular. Mas an.º2 do artigo 18.º do referido decreto-lei. alguma essência da questão permanece em Entre os dev eres contam-se o de confusão !!! dúv ida porque um especialista emcontribuir para o prestígio da função, pelo contabilidade com licenciatura ouque penso que dev erá ultrapassar-se a fase do bacharelato em gestão ou contabilidade não temindiv idualismo no seio da classe. A maior ex igência e conhecimentos suficientes para, detectada qualquerdignidade no ex ercício da profissão assim o requerem, anomalia contabilística classificá-la de crime público oupois dorav ante só será técnico de contas quem estiv er não. Para nós (de gestão) é muito difícil estabelecer umaapto a sê-lo, ou seja, quem se esforçar pelo fronteira entre crimes públicos e crimes particulares, poisaperfeiçoamento diário do seu saber, tarefa nada fácil não somos leigos em Direito.dev ido à tradição de implementação de leis fiscais em Preste-se agora uma atenção redobrada na redacçãoPortugal. Mas este decreto-lei v em também corporizar a do artigo 25.º : “Os técnicos oficiais de contas dev em ...”função dos TOC’s na regularidade fiscal da contabilidade Mas qual o sentido desta palav ra? - Dev er corporativ o? -das empresas. Assim, e do meu ponto de v ista estes já que a participação dev e dirigir-se à Associação. Dev erprofissionais passam a desempenhar uma tarefa de moral? Dev er ético? - já que uma anomalia contabilísticainteresse público, pelo que não consigo compreender está normalmente subjacente a falsificações, omissões,muito bem que tenham que ser as entidades priv adas fuga de impostos... Ou dev er legal?obrigadas a disporem de TOC nos termos deste decreto a Outra questão e que me apanhou de surpresa é apagar o salário do referido profissional, ainda para mais dos limites de activ idade e pontuação. De facto os TOC’squando este está munido de poderes de fiscalização. só podem prestar serv iço a um número limitado de Num país como o nosso onde se v aloriza o alcance empresas, consoante os respectiv os v olumes dedos objectiv os independentemente dos meios e onde a negócios. Por ex emplo um técnico de contas não podefuga aos impostos é até bem v ista isto pode trazer alguns ex ercer as suas funções num mesmo ano económico emproblemas, tal como já foi referenciado em rev istas da mais de 4 empresas com um v olume de negóciosárea da gestão. De facto o TOC tem o dev er de participar superior a 3 milhões de contos cada. Isto quer dizer queao Ministério Público, atrav és da Associação, os factos em determinadas ocasiões basta que aumente o v olumedetectados no ex ercício das respectiv as funções de de negócios de uma empresa na qual o técnico ex erça/////////////____________________________________________________________________________________________
  11. 11. funções para que tenha que deix ar de ex ercer essasmesmas funções em pelo menos uma dessas empresas. Desta forma já se chegou inclusiv é a admitir e arecear o aparecimento dum mercado de “pontos” ondetécnicos que ex cedam os limites fix ados com base nov olume de negócios das “suas” empresas passariam av ender os pontos ex cedentários a técnicos que ainda nãotenham atingido aqueles limites. Além desta situação já sechegou também a admitir o não respeito pelos limites, aalteração dos mesmos ou a sua supressão. Finalmente e no que diz respeito à composição doConselho Disciplinar da Associação dos Técnicos Oficiaisde Contas creio que há também uma objecção justa quese pode fazer. Os Estatutos prev êem que este órgão sejaconstituído por um presidente e dois v ogais, sendo oprimeiro eleito em assembleia geral e estes nomeadospelo Ministro das Finanças, um em representação daInspecção Geral de Finanças e o outro da Direcção Geralde Contribuições e Impostos. Não obstante o legislador não ressalv ouex pressamente que os dois v ogais dev em ser tambémespecialistas nas matérias que env olv em a função deTOC; espero contudo que este requisito seja tido emconta, até por uma questão de respeito e de dignidadepara uma classe que esperou mais de trinta anos por estalegislação. José Luís Carvalho
  12. 12. O IDEIAS Pág. 12____________________________________________________________________________________________////////////// A Informática Contínua Não se surpreendam, com o mundo da informática, para aplicações profissionais. Se esta for a sua escolha,especialmente com os preços. O mesmo sistema que eu pessoalmente inclino-me nov amente para a Creativ eaconselhei na última edição (Pentium 100Mhz 8Mb, S3- Labs, mas agora para a Sound Blaster AWE 32 PnP.Mpeg, Cd-Rom 4x , Placa som 16-Bits e disco 1,6 GB), Esta placa está no mercado há cerca de 2 anos, mascustav a 245 000$00 + IVA, pois bem, agora está na casa surgiu há cerca de 3 meses com a nov a v ersãodos 200 000$00 + IVA. PnP(Plug and Play ). Esta norma PnP, aplica-se a Houv e uma grande queda no preço dos componentes de Hardw are, (tal como esta placa de som),componentes nas últimas 2 semanas, principalmente na que têm configuração automática, ev itando por issoRAM(memória), CD-ROM’s e Processadores, que conflitos com outro hardw are ex istente. O nome AWE 32,chegaram a ter descidas na ordem dos 50%. pode enganar, lev ando a pensar que será uma placa de Por isso, neste momento aconselho prudência, o 32 Bits, mas não, é uma placa de 16 Bits com umamercado está instáv el e tudo lev a a querer que este mês, polifonia de 32 v ozes(instrumentos).os preços continuem a descer. Depois sim, será sensata As capacidades desta placa não ficam por aqui masa compra de computador ou componentes(RAM, CD- o espaço é curto para tanta coisa. Outras placasROM, Processadores, etc...). Nesse momento, será melhores de outras marcas, poderão sair ainda este ano,melhor optar já por um Pentium 133Mhz e CD-Rom 6x . mas atenção à compatibilidade destas. Na última edição prometi falar um pouco de placas Em relação a CD-Rom’s, ex iste agora umade som. Pois bem, a escolha de uma placa de som v ariedade incrív el de marcas, mas nestes o que interessaincide em dois pontos importantes: no preço e na realmente é a sua v elocidade. Para medir a v elocidadecompatibilidade. de um Cd-Rom foi utilizado o padrão relacionado com os Poder-se-ão encontrar no mercado, placas de som Leitores de CD’s áudio, e por isso se diz ser um Cd-Romde 8 Bits( - Qualidade) ou de 16 Bits(+ qualidade). As de v elocidade tripla quando trabalha 3 v ezes maisplacas standard(não Sound Blaster) de 16 Bits, oferecem depressa, do que um Leitor de Cd-Audio.compatibilidade com o padrão de som nos computadores, O Cd-Rom, além de permitir a leitura de Cd’s compadrão este, liderado pela Creativ e Labs(Sound Blaster). softw are(programas), permite ainda ler Cd’s Placas de som são denominadas por mim Audio(Música), o que representa um inv estimento com“standard”, pois têm marcas quase sempre esquisitas, e dois prov eitos. Neste momento estão lançados nonormalmente tentam “imitar” o padrão Sound Blaster. mercado Cd-Rom’s de Simples v elocidade(x 1) a OitoAlgumas delas conseguem-no na perfeição, outras ficam v elocidades(x 8), estes últimos estão bastante caros, aomuito atrás, e escolhê-las é o mesmo que preencher o contrário dos de x 4 que se encontram na casa dos 15totoloto. O preço destas ronda os 10 000$00, e se o 000$00. O meu conselho recai em Cd-Rom’s de 4x ouobjectiv o for apenas jogar, são aconselhadas. superior. A escolha de uma placa Sound Blaster 16 Bits Marcas aconselhadas para Cd-Rom’s: Mitsumi,stéreo, tem a v antagem da total compatibilidade/qualidade Goldstar, Philips e Creativ e Labs.em todos os programas e jogos ex istentes, o seu único Quem pensar comprar placa de som e cd-rom,contra é o preço, que dependerá também da escolha e do dev erá pensar seriamente na possibilidade dos Kithardw are incluído na placa. A escolha mínima neste Multimédia da Creativ e Labs que trazem as nov asmomento, recai na Sound Blaster 16 Stéreo, na qual o v ersões PnP, tanto no Cd-Rom como na Placa de Som.preço não ex cederá os 17 000$00. Fica à escolha um Kit Cd-Rom 4x e Sound Blaster 16, ou Poderá, optar por uma placa de som profissional com Kit Cd-Rom 6x e Sound Blaster AWE 32.Wav eTable, isto é, instrumentos digitalizados já incluídosna memória da placa, os quais poderão ser utilizados Sérgio Crespo____________________________________________________________________________________________//////////////
  13. 13. Pág. 13 O IDEIAS/////////////____________________________________________________________________________________________ FOI NOTÍCIA: É NOTÍCIA:/ - Após dois dias de permanência na Bósnia, doisSoldados Portugueses morreram na Bósnia, v ítimas do LAZER: • A colecção “ OS Amantes” de Mimi Fogt, v ai passar arebentamento de uma bomba transportada para o decorar as paredes do Nâ-C Bar. A inauguração estáacampamento por um dos militares. marcada para as 21:30h de hoje e poderá ser v isitada / - Cerca de duas dezenas de pessoas morreram no até ao dia 17 de Junho deste ano.centro de Londres, na sequência da ex plosão de um • José Quaresma ex põe a sua pintura no Fórum doautocarro armadilhado com uma bomba. Este atentado foi Centro Regional de Santarém a partir do dia 14,atribuído ao IRA. patente até ao dia 30 deste mês.22/02 - A polícia de choque v olta a ex ercer a sua força • MODELISMO no CNEMA no próx imo dia 16 pelas 9sobre os trabalhadores da fábrica Abel Alv es Figueiredo horas, com a presença de alguns campeões nacionaisque lutav am pelos seus postos de trabalho, com o intuito desta activ idade.de repor a ordem pública.24/02 - 24 horas após obterem o perdão de Sadam • A Orquestra Filarmónica Scalabitana organiza uma ex posição na sequência da comemoração do seu 50ºHussain os seus dois genros sofreram um atentado que aniv ersário.os v itimou.28/02 - Benfica e Sporting em Zurich com um "pux ão deorelhas" da FIFA apertaram finalmente as mãos. CINEMA:29/02 - O Primeiro Ministro António Guterres propôs a Agora o cinema é ainda maisSuharto, numa reunião informal em Banguecoque, a barato às Terças-Feiras para osabertura de embaix adas amigas em ambos os países em estudantes do IPS, que mediante atroca da libertação de Xanana Gusmão. apresentação dos Nov os Cartões da01/03 - Faleceu Vergílio Ferreira, considerado um dos AE (v er artigo Associação emmelhores escritores Portugueses do nosso século. Do seu Activ idade), beneficiam de umv asto leque de obras destacam-se: "Manhã Submersa", desconto suplementar acordado"Na tua Face" e "Para Sempre"... entre a Associação de Estudantes02/03 - Na Espanha, José Maria Aznar do partido da nossa escola e ospopular, v ence as eleições para Presidente do Conselho responsáv eis pela ex ploraçãode Ministros. comercial do cinema "Rosa04/03 - Jerusalém (Israel) sofre o quarto atentado no Damasceno", passando a pagarespaço de uma semana, reiv indicado pelo grupo pela Plateia 250$00 e Balcão 300$00.fundamentalista Islâmico, Hamas. Atrasando deste modo oprocesso de paz no Médio Oriente. Luzia Valentim06/03 - A Assembleia da República aprov ou oOrçamento Geral do Estado com a abstenção do PartidoPopular.10/03 - Jorge Sampaio toma posse da Presidência daRepública Portuguesa tendo como primeiro acto oficial acondecoração do seu antecessor com a Ordem daLiberdade.11/03 - Em Israel são presos três líderes do braçoarmado Hamas. Procura-se Zé do Telhado Recompensa: oferta de uma assinatura grátis d’O Ideias, por um ano./////////////____________________________________________________________________________________________
  14. 14. Em virtude do recente desaparecimento de um dos nossos melhores colaboradores, Zé do Telhado, aequipa d’O Ideias, preocupada com a sua ausência, vem por este meio pedir a todos os colegas quesaibam do seu paradeiro, ou informações a seu respeito, que nos contactem com a maior urgênciapossível. Gratos pela atenção O IDEIAS
  15. 15. O IDEIAS Pág. 15____________________________________________________________________________________________////////////// Residências do IPS Após algumas polémicas acerca das candidaturas aquecimento, pois a residência está munido comaos alojamentos do complexo andaluz,(polémicas estas aquecedores, logo nãp sendo necessãria a utilização deque atingiam o regulamento provisório que logo foi outros suplementares. Também é certo que o Verão estásubstituido por outro que poucas diferenças apresentava, à porta e estes não serão necessários como o seriam nosendo este último um pouco menos rigido) foi somente no primeiro semestre. Sendo assim estará esclarecida ainicio do segundo do semestre que a residencia viu dúvida que muitos alunos teriam acerca da não utilizaçãoiniciado o seu funcionamento. de televisões, computadores, vídeos ou secadores de Em conversa com um nosso colega Helder Santos cabelo.do 3º ano de Gestão Autarquica, retiramos algumas Muito também se falou acerca das proibições, masinformações acerca do que era viver numa residência. qualquer um terá que ter em conta que para que tudoContou-nos como era e como funcionava tendo sempre a funcione eficazmente, teram que se seguir certas regras,cautela de mencionar que era uma experiância muito daí que existeam proibições.interessante. Todo o homem estará proibido de frequentar a ala Com uma lotação de cerca de 150 pessoas, neste feminina e vice-versa, regra esta que visa diminuir amomento ela atende apenas um quarto da sua promiscuidade entre alunos. Mas como todos sabemos,capacidade. os jovens têm uma grande capacidade imaginativa e logo Com o objectivo de proporcionar alojamento a alguns conseguiram se o quiserem tornear regulamentos ealunos, o complexo andaluz compreende duas alas enganar os porteiros.separadas que compreendem quartos duplos, triplos e Sim, porque os há. Durante o dia e durante a noite.individuais, bem como casas de banho, cozinhas de Estes controlam as entradas e saidas dos alunos bemserviço e uma sala de convivio. Com mobilias, roupa de como se certificam que os alunos que frequentam acama, prontas a estrear, televisão e video em breve este residência têm autorização para tal. E isto não quer dizerlocal torna-se uma alternativa agradavel aqueles que, por que os alunos não possam sair à noite ou não decidammotivos diversos, optaram por este género de alojamento. dormir fora de casa. Cada um deve a sua cabeça Como em qualquer construção recente, surgiram somente a ele próprio.alguns problemas de inicio, que logo foram superados, Assim sendo esperemos que os nossos colegas quetais como um problema na canalização que afinal se aí habitam aproveitem esta oportunidade e façam com querevelou ser uma garrafa de cerveja esquecida ou o surto valha a pena, para que no ano que possam repetir e dar ade baratas que assutou algumas pessoas. experimentar a outros e esperemos que a mais estasTudo isto pode ser considerado normal e não deveram instalações.ser imputadas culpas a quem quer que seja. Irina Vieira No que diz respeito à proibição de aparelhoseléctricos esta apenas se aplica aos aparelhos de____________________________________________________________________________________________//////////////
  16. 16. Pág. 16 O IDEIAS/////////////____________________________________________________________________________________________ UMA QUESTÃO DE RÁDIO Julgo que seja da máx ima urgência falar sobre um assunto que precisa de ser tomado em consideração que é o casoda RÁDIO. Tiv e ocasião de reparar que com o nov o ano, houv e a preocupação em fazer certas melhorias no que diz respeito àscondições da RADIO GEST. Verifiquei que puseram o tal armário, tão pedido (pelo menos da minha parte) onde sepudessem guardar os CD´s que diariamente são utilizados pelas pessoas que lá trabalham. Houv e também umapreocupação em controlar a mesa de mistura para que o som pudesse sair o mais perfeito possív el. Mas, como eu jáesperav a, e decerto não me enganei, continuaram os problemas relacionados com o som que sai das colunas do bar e noresto da escola. Tal como o problema do som, penso que também dev eriam ser afix ados os horários das programações e dev eria serproibida a entrada de pessoas no estúdio enquanto houv esse programas “no ar”. Estou certa de que se estes problemas não forem resolv idos a RÁDIO GEST não v ai a lado nenhum e cada v ez v aiperdendo o interesse da parte dos ouv intes e o prestígio que merecia (assim como as pessoas que dedicam grande partedo seu tempo a tentar dar um bom ambiente a toda a escola e que por v ezes estão uma ou duas horas a passar música equando saem do estúdio reparam que o som está desligado ou super baix o). Deix o assim aqui este meu “pequeno” reparo em relação à RÁDIO GEST porque penso que poderia ir muito maislonge (para fora da escola, inclusiv é), se houv esse alguma força de v ontade e espírito académico. Uma Amiga da RÁDIO GEST, Ana Isabel Rodrigues (Radiomania) LIBERDADE DE IMPRENSA A Liberdade de imprensa em Portugal é um direito que já foi adquirido há muito tempo, mas de v ez em quandoutilizado abusiv amente por parte dos jornalistas em Portugal . Jornais como “O Independente“ e “O Diabo” estão constantemente a remex er as v idas priv adas das personagensmais importantes do nosso país dando uma imagem de jornais quezilentos e oportunistas por não respeitarem a v idapriv ada das pessoas que mais se destacam na sociedade portuguesa. A liberdade de imprensa, o direito de informar temos seus limites, já que quando se passa do âmbito do direito à informação para o capítulo do crime de difamação e decalúnia v iolam-se os próprios limites da liberdade de imprensa. Mas tirando estes pequenos grandes escolhos, podemos dar - nos por felizes pela liberdade de informação que nósdispomos no nosso país, já que em outros países como a Indonésia, Cuba e Coreia do Norte a liberdade de informaçãonão ex iste, já que a censura tira quase toda a v erdade à informação que é dada nesses países, coisa que em Portugaldeix ou de ex istir ( teoricamente ... ) a partir do dia 25 de Abril de 1974. Os orgãos de informação sem restrições seriam um poder demasiado grande para qualquer país do mundo, masdesde que sejam uniformes e coerentes com a v erdade dos factos dev erão ser um poder intermédio entre os orgãos desoberania nacional e os comuns cidadãos deste país. Alexandre Silva 27 de Março ? O que é? Perguntas tu./////////////____________________________________________________________________________________________
  17. 17. Desfile de Moda SantaFashion, no CNEMA pelas 21:30 horas Entrada ? São só 300 escudos Fim de Festa na Horta
  18. 18. O IDEIAS Pág. 18____________________________________________________________________________________________////////////// Momentos de Poesia Momentos de Dedicado a mim Àqueles que não têm Poesia Não penses tempo para viver: no que podia ter acontecido O pensamento fugiu e não chegou a acontecer Olhar o mar, A estrada acabou Não penses Olhar a lua, Não há mais v olta no que podias ter feito Contar as estrelas, Já tudo mudou e não fizeste Perder-me a olhar Não penses Uma chama de fogueira É um mundo de cão no que podias ter dito São coisas que me dão prazer Uma v ida enlatada E não disseste E no entanto Já não há saída Não penses há tanta gente E perdeu-se a entrada no que já passou Que goza comigo e me diz e não v olta atrás que tem mais que fazer... A caminho do céu Porque o tempo Essas são as pessoas Viajando com a mente que gastas a pensar no passado que pensam ter tudo Transportado pelas nuv ens É tempo que perdes para v iv er o presente E não têm nada. Vou em rota ascendente E não te esqueças que o teu presente, São aqueles que morrem amanhã será o teu passado Sem nunca terem v iv ido! Desafio os limites e no futuro continuarás a pensar Discuto a v erdade naquilo que não aconteceu, Se frente à derrota Agarro-me aos sentidos naquilo que não fizeste, Souberes sorrir Para encontrar liberdade naquilo que não disseste... lutando sem medo porque estav as demasiado ocupada Sempre a prosseguir Fujo do medo a pensar no passado! Nunca recordando Pux o a emoção o que fica para trás Largo a v ergonha Viv e! Serás feliz Entro na ficção Viv e intensamente Porque v encerás! cada segundo da tua v ida. Nana O fim não ex iste Dá o teu melhor A v ida é um não E a tua consciência O mundo persiste ficará tranquila, E ninguém tem razão! ainda que o teu melhor não satisfaça muita gente. Alexandre Calado Viv e! Sê feliz! Porque desta v ida medíocre Não se lev a nada a não ser recordações sejam boas para que v alha a pena v iv er! Nana____________________________________________________________________________________________//////////////
  19. 19. Se queres vender ou publicitar algo, fazer uma declaração aalguém muito especial, publicar rabiscos puxa pela imaginação eaproveita estes espaços que estarão à tua disposição.
  20. 20. Pág. 20 O IDEIAS/////////////____________________________________________________________________________________________ Associação em Actividade A associação continua a desenv olv er a sua activ idade nas div ersas áreas de interesse dos seus associados.Apresentamos em seguida um brev e sumário dos projectos que estão em curso, dos problemas com que se debatem, edos concursos que promov em, facultados por dois dos seus elementos componentes: Marta Graça e Bruno Ribeiro. NOVOS CARTÕES de SÓCIO da AE: A associação pede a todos os seus sócios que se dirijam às suas instalações para se proceder à substituição(gratuita) dos cartões de sócios. Para tal apenas precisam de lev ar uma fotografia tipo passe (serv e a do cartão v elho). Osnov os cartões são plastificados e têm um nov o formato, na parte da frente é colocada a identificação do sócio e na parte detrás está um calendário com todas as terças-feiras até Dezembro, que será marcado sempre que o aluno for ao cinema esolicitar o desconto a que tem direito por ser sócio da AE, é de referir portanto que o desconto de cinema só seráconcedido a quem tiv er o nov o cartão de sócio. Programa CONTACTO: O grupo empresarial SONAE dirige um conv ite a todos os alunos finalistas para uma v isita às suas empresas. Asinscrições estão abertas até ao dia 24 de Março e podes fazê-lo por carta dirigida ao programa CONTACTO 96, Rua JoãoMendonça, 505 - 4460 Senhora da Hora ou v ia Internet para (w w w .sonae.pt/sonae) mencionando Nome e Idade, Nome doEstabelecimento de Ensino Superior, Curso e Média Geral Prev ista, Morada Escolar e Domiciliária. Inscrev e-te e podeser que sejas um dos 100 seleccionados. Concurso RABISCOS: O Núcleo de Artes Plásticas da Univ ersidade de Av eiro organiza o I Concurso Nacional de Rabiscos. Este concursoconsiste em premiar estudantes e professores do ensino superior; para concorrer basta destacar qualquer folha deapontamentos, em que repouse um boneco, uma “boca”, uma caricatura, enfim um dev aneio destinado a preencheraqueles momentos de tédio que nos ensombram a v ida. As informações sobre o regulamento deste concurso encontram-se afix adas na sala de conv ív io junto ao bar, nãohesites, participa aprov eitando a tua imaginação. DESPORTO: As aulas de aeróbica iniciaram-se no passado dia 6 no ginásio da nossa escola. Em v irtude da forte afluência depessoas interessadas (110 inscritas para uma professora) nas aulas de aeróbica a AE v iu-se forçada a cobrar uma quotamensal para fazer face ás despesas. As quotas são de 500$00 para alunos sócios, 1000$00 para alunos não sócios e de2000$00 para professores e funcionários. Brev emente v ão iniciar-se na nossa escola os torneios de futebol, snooker e ping-pong. A AE aprov eita para div ulgarque todos os alunos interessados em outros desportos que não constem do programa habitual organizado pela AE que sepodem dirigir a esta e pedir inscrições para desportos como esgrima, remos, ténis, natação, etc. CICLOS de CONFERÊNCIAS: Os três ciclos de conferências já têm datas definidas para a sua realização: 30 de Abril Gestão Autárquica, 8 de MaioInformática de Gestão e 9 de Maio Gestão de Empresas. A organização destes dois últimos ciclos encontra-se ainda nafase inicial de angariar patrocínios e de proceder aos contactos com os oradores. No próx imo mês contamos terinformações mais detalhadas sobre este assunto. Em fase mais av ançada encontra-se o ciclo de Conferências de Gestão Autárquica que este ano será sobre o tema“Regionalização, Como e Porquê?”, uma v ez que já está estabelecido o programa prov isório, que é composto por duaspartes. A primeira parte consiste numa introdução ao debate a realizar, na segunda fase já estão confirmadas asparticipações do Dr. Paulo Portas pelo PP, do Dr. Jorge Lacão pelo PS, do Dr. Luís Sá pelo PCP e por confirmar o Dr.Pacheco Pereira do PSD./////////////____________________________________________________________________________________________
  21. 21. Ainda relativ amente ao ciclo de conferências de Gestão Autárquica está prev ista para brev e uma conferência deapresentação à comunicação social no salão nobre do Gov erno Civ il onde participarão representantes da organização dociclo, da nossa AE e do Gov erno Civ il, para promoção do referido ciclo. FAS - Federação Académica de Santarém: A tomada de posse dos nov os membros da FAS ocorreu no passado dia 4 nas instalações da AE da nossa escola. Atomada de posse hav ia sido precedida por uma reunião informal com os nov os membros que decorreu no auditório do IPJno dia 28 de Fev ereiro pelas 20:30h, onde ficou estabelecido que para além das activ idades que a federação tem v indo apromov er em anos anteriores, como é o caso do desfile de moda Santafashion e da Semana Académica, este ano tambémse
  22. 22. O IDEIAS Pág. 22____________________________________________________________________________________________//////////////v ão realizar activ idades culturais (concertos, etc...) em outras cidades do distrito, nomeadamente em Abrantes e Cartax o. Aprov eitamos também para div ulgar que recentemente a FAS env iou uma aluna da nossa escola para participarnocampeonato nacional univ ersitário, que decorreu nas Açoteias (Cross das Amendoeiras), onde conquistou um honradosegundo lugar. Desde já O IDEIAS felicita a nossa colega do 1º Gestão Autárquica Angela Reis, pela sua magnificaprestação na prov a. ESCOLA EM ACTIVIDADE Em v irtude das importantes alterações que se têm v indo a proceder nos orgãos do IPS mov idas pelo facto deestarmos a v iv er um momento de transição entre o regime de instalação que impera desde 1981 para o regime deautonomia, achamos conv eniente apresentar uma brev e súmula do que de mais importante ocorreu para que o "salto" paraa autonomia seja dado. 8/02 - Decorreram as eleições para a Assembleia do Politécnico, orgão composto por professores, alunos,funcionários e pessoas da comunidade. Na nossa escola apenas se candidatou uma lista para cada categoria. 08/02 - O Dr. Fé de Pinho, na qualidade de candidato a presidente do IPS reuniu-se com os elementos da nossaassociação de estudantes e com os alunos pertencentes à Assembleia do Politécnico para discutir a sua política deorientação do IPS caso v enha a ser eleito. 01/03 - Decorreu no auditório da ESAS pelas 15:00h a primeira Assembleia do politécnico, que serv iu para seproceder á regularização da assembleia geral. 01/03 - Abertura da residências do IPS. 11/03 - A segunda reunião da Assembleia do Politécnico tev e lugar no auditório da ESAS pelas 15:00. Luzia Valentim Conferência sobre o Mercado de Derivados na Figueira da Foz A Associação Académica da Univ ersidade Internacional da Figueira da Foz, com a colaboração da Futop, está aorganizar uma conferência sobre “O mercado de Deriv ados”, que terá lugar nos dias 19 e 20 de Março. A referidaconferência terá v ários oradores, e decorrerá no casino da Figueira da Foz. Todos os interessados dev em dirigir-se à nossa AE ou telefonar para o 033-23404 ou 033- 22094. O preço é de3.000$00 para estudantes e 10.000$00 para as empresas e inclui acesso aos painéis, documentação, coffee breaks eimprensa diária. ESCLARECIMENTO Pelo facto de alguns alunos e professores terem mostrado interesse em tomar conhecimento da real situação danossa TINTUNA, v imos por este meio informar que a TUNA da ESGS irá ter o seu primeiro ensaio do segundo semestre,no dia 12 de Março. Aqueles que não participaram na última reunião da TUNA, poderão perguntar, porquê, só agora? Pois bem, é sabidoque a TUNA não poderia continuar sem as mínimas condições, e o mínimo que se poderia pedir seria um ESPAÇO que foirealmente o que tentámos conseguir reunindo todos os nosso esforços. Depois de muitas tentativ as frustadas eburocracias a mais só no passado dia 19 de Janeiro obtiv emos a confirmação do Presidente da Comissão Instaladora daEscola Superior de Educação para podermos ensaiar no antigo ginásio da mesma escola. Visto esta autorização estar dependente dos horários das v árias activ idades dos mesmos alunos, só agora chegámosa um consenso e podemos prosseguir as nossas activ idades.____________________________________________________________________________________________//////////////
  23. 23. Aprov eitamos esta ocasião para conv idar todos os alunos da ESGS que tenham disponibilidade, força de v ontade ealgum conhecimento musical, a comparecer no próx imo ensaio, pelas 20 horas. Ana João Bernardo Carmen Pereira
  24. 24. Pág. 24 O IDEIAS/////////////____________________________________________________________________________________________ VOZ DO SILÊNCIO Raças... Ex istem por esse mundo histórias pousou-lhe no ombro, mas nem assim deix ou de correrrepetidas na conjunção dos seres. Verdades assumidas. ou gritar. Tev e de ser agarrada por dois dos bombeirosGémeos, jamais serão seres iguais... que já se encontrav am no local. Começou a pontapear e 10 anos. Idade de rebeldia, de v iv acidade, de a gritar ainda mais alto pela sua irmã Bia.energia, de poder tudo. Inocência. Veio então a Madre . Começou a olhá-la com olhos de Bia, criança rebelde, traquina, a pestinha do orfanato, gatinho assustado, continuando a repetir, já quase sema luz, a v ida, o v ento sempre sorridente. v oz o nome da irmã. Enquanto a Madre falav a e lhe dizia Daniela, pelo contrário, era um espírito calmo. A que não hav ia mais nada a fazer, que a irmã não tinhacontradição de personalidade contrastav a com a sobrev iv ido às chamas, Daniela, como que numsemelhança física. murmúrio, continuav a a repetir incansáv el o nome da Vamos encontrar as nossas personagens a dormir, irmã. Quando a fecharam no quarto ouv iu-se um uiv o denuma amena noite de fim de Verão. Bia, para v ariar dor que estremeceu os pilares do antigo orfanato:estav a de castigo. -Bia!! Embora a sempre impressionante palav ra castigo, Não podia deix ar de pensar: “Ela não morreu. Elasimbolize uma punição, neste caso nem por isso! Para não morreu!”. Hav ia dentro dela esta v oz que lhe dav aBia era uma redenção. Ela adorav a estar completamente toda a certeza. Jurou, por tudo o que considerav asozinha. Isolada na casa da árv ore onde tinha de dormir sagrado que jamais diria coisa alguma . O nome de suasobre as tábuas, tendo como companhia os rugidos da irmã estaria intacto nos sons do tempo como a últimanoite. O seu espírito de av entura encontrav a o seu palav ra que hav ia dito, até que o destino as juntasse deauge!... nov o... Começa a cheirar a fumo. Ao princípio é um cheiro Durante 7 anos não disse uma única palav ra. Ossuav e..., que começa a intox icar, de repente o clarão das seus pais adoptiv os, que a tiraram do inferno em que achamas não deix a lugar para dúv idas: é Fogo! sua v ida se tinha transformado, acreditav am que ela não O orfanato acorda em alv oroço. Dentro em pouco a falav a porque não queria. Empreenderam todos osmata era uma gigantesca fogueira e toda a gente da aldeia esforços possív eis mas Daniela estav a firme e segura datornou-se pouca para tentar combater as chamas que sua decisão.dev orav am as folhas e os troncos das árv ores com uma Porém, Daniela era hoje uma adolescente de acçãofome dev astadora. com seus 17 anos, e aos 17 anos ninguém deix a o Os olhos gentios de Daniela estão perdidos num mundo passar-lhe ao lado. Vamos encontrá-la na Escola,canto, enrolados com ela, a assistir impotentes a tudo. perto dos seus colegas que sempre ficaram fascinadosEstá trancada no quarto. com a magia da linguagem gestual e por curiosidade, O seu espírito de alerta foi o primeiro do orfanato a decerto, sempre fizeram de tudo para aprendê-la...dar com o cheiro do fumo. Quando acordou e foi à janela As aulas acabaram. No alv oroço normal da saídaencontrou já as chamas dev orando as árv ores perto da ninguém reparou que Daniela ficou parada no meio da rua.casa da árv ore. Começou a gritar pela irmã, com toda a Rente a ela passou em grande v elocidade um carro queforça do seu débil ser. Desceu as geladas escadas de quase a atropelou, porém, não foi isso que a fez parar...mármore, v oando... Não se importou com as pedras e -Bia!! - grita Daniela surpreendendo tudo e todos comgrav ilhas que lhe cortav am os pés descalços. a dor que aquele profundo e sonoro grito traduzia. - Bia! Bia! - gritav a ainda a plenos pulmões. Correu Sílvia Ináciocomo nunca para a casa da árv ore. Uma mão pesada Antologia de Letras/////////////____________________________________________________________________________________________
  25. 25. Pensa nisto! Se gostas de escrev er, de fotografar, de fazer desenhos, contar pequenos contos, atrev e-te. Falacomigo ou com a tua A. E. . Sílvia Inácio 1ºano I. G.
  26. 26. O IDEIAS Pág. 26____________________________________________________________________________________________////////////// H raPerigosa s de CHARLOT Promoções / MARÇO 96 BARsedução diasQuando ela o v iuTão jov em,Tão indefeso, Est 16 e 17 ICEBERG II ....................... 18 GINGA .................................. 19 GIN ....................................... 400 150 300 doTão inseguro, 20 SUPER BOCK (Imperial) ...... 100 21 VODKA ................................ 300Tão saudáv el 22 CAIPIROSKA ....................... 400Nunca mais deix ou de o tentar; 23 E 24 SOL NASCENT E .......... 400todos os dias 25 T UBORG .............................. 150A todas as horas ESTE ESPAÇO 26 RUM ..................................... 300Ela o hipnotizav acom um místico ESTÁ 27 T EQUILA ............................ 300 28 SUPER BOCK (Imperial) ...... 100de sedução e mistério. RESERVADO A 29 CAIPIRINHA ....................... 400Num dia cinzento PARTIR DESTA 30 e 31 CARLSBERG SPECIAL . 400ela pediu aos amigos ABRIL 96que a apresentassem a ele. EDIÇÃO PARA OS 1 AMÊNDOA AMARGA ......... 150Ele v acilou... ALUNOS QUE 2 SUPER BOCK (Imperial) ...... 100Por fim aceitou; 3 GIN ....................................... 300Quem sabe QUEIRAM 4 WHISKY .............................. 300ela não iria encher de sol APRESENTAR 5 CAIPIROSKA ....................... 400Aquele dia cinzento e chuv oso ANEDOTAS, 6 e 7 PINA COLADA ................ 400do seu coração... 8 SUPER BOCK (Imperial) ...... 100O inev itáv el aconteceu! PASSATEMPOS... 9 RUM ..................................... 300Mas qualquer coisa correu mal... 10 T EQUILA ............................ 300Quando ele quis partir liv re 11 CREME DE WHISKY ........... 300 12 CAIPIRINHA ....................... 400Ela não deix ou, prendeu-o. 13 e 14 GREEN COCONNUT .... 400E arrastou-o para um buraco 15 GINGA .................................. 150cada v ez mais fundo, Procura-se desesperadamente senhora com os pés para a cova, podre de rica, sem herdeiros directos ou inderectos, para compromisso sério com duração máxima de dois dias. Contactar Jornal O Ideias.____________________________________________________________________________________________//////////////
  27. 27. Pág. 27 O IDEIAS/////////////____________________________________________________________________________________________ Devido a problemas técnicos, a publicidade aqui apresentada não é totalmente idêntica ao originala nós entregue pela empresa MicroMineiro. Pelo facto apresento desde já as minhas desculpas ficandoa promessa de resolver esta situação na edição de Abril./////////////____________________________________________________________________________________________
  28. 28. Rui Costa

×