SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 20
Baixar para ler offline
Geral
Alunos desocupam IFSC
e aulas vão recomeçar
Novo delegado assume
comarca de Santa Rosa
Mais um barco encalha
na barra do Mampituba
Araranguá
Reforço
De Novo
9Página
17Página
ANO XXVI EDIÇÃO Nº 5.052
SEGUNDA-FEIRA, 28 DE NOVEMBRO DE 2016
R$ 2,00
www.grupocorreiodosul.com.br
28º 22º
Nublado e Pancadas de Chuva - Muitas nuvens
com curtos períodos de sol e pancadas de chuva
com trovoadas.
Previsão para hoje Extremo Sul Catarinense
Correio do Sul
3Página
Tragédia
7Página
Meninode13anosmorre
afogadoemvelhajazida
Fidel e a morte da inocência política
Muitas plantações de batata, na
serra gaúcha, em municípios como
Cambará do Sul e São José dos Au-
sentes, já estão acerca de cem metros
dos paredões da Serra Geral. Nestas
lavouras os agrotóxicos são usados de
forma absurda, o que, por si só, já é
uma sentença para a flora e a fauna
serrana. A cada chuva mais intensa
em nossa região, especialmente no
pé da serra, este agrotóxico acaba
escorrendo para nascentes de rios que
cortam especialmente os municípios
de Jacinto Machado, Timbé do Sul e
Morro Grande. Interessante notar
que as lavouras de batata vêm toman-
do conta de forma indiscriminada dos
cenários que compõem os Campos
de Cima da Serra, sem que haja
uma fiscalização condizente. Como
se não bastasse o veneno das nossas
plantações, agora temos também os
dos vizinhos gaúchos. Não é à toa
que nossa região não para de bater
recordes de casos de câncer.
Haja veneno Comunicação
AcordãoAcertando
ADVOCACIA EMPRESARIAL
FONE: (48) 3533-0145
“Não existem 7 bilhões de formas corretas de se viver. Isto
significa que nem todos os 7 bilhões de habitantes deste planeta
estão corretos em sua forma de pensar”.
Correio do Sul
Segunda-Feira,
28 de novembro de 2016
rolando_coelho@hotmail.com
(48) 9945.6787
Rainha Elizabeth II (1926)
Rainha da Inglaterra
PSD aqui do Extremo Sul vem
mantendoumaFanpagenoFacebook,
através da qual divulga todas as ati-
vidades do partido em nível regional.
A iniciativa é bastante interessante,
pois dá notoriedade às atividades da
sigla, informando a correligionários,
a população de um modo geral e tam-
bém à imprensa. Iniciativa deveria
ser copiada por outros partidos da
região, muitos dos quais parecem
fazer questão de aparecer somente
na véspera de eleições. Siglas como
o PMDB e o PP, por exemplo, que
têm uma ampla estrutura em todo o
Extremo Sul, não possuem quaisquer
mecanismos oficiais de comunicação
em nossa região. O primeiro parece
estar preso a assessoria de imprensa
do deputado Manoel Mota (PMDB) e
o segundo a do deputado José Milton
Scheffer (PP). Com isto, todos os que
pertencem a outras alas destes par-
tidos simplesmente não aparecem
como deveriam.
A
o tomarem o poder em
Cuba, em janeiro de 1959,
Fidel Castro, falecido na
última sexta-feira, e outros
líderes revolucionários, como seu irmão
Raul Castro e Ernesto Che Guevara,
carregavam consigo o sonho de um mun-
do melhor, baseado, principalmente,
na igualdade. Na visão deles nenhum
homem deveria ser inferior ao outro, e
todos deveriam ter as mesmas condições
de manutenção em meio a sociedade.
Basicamente, o que os revolucionários
queriam é que, mesmo que você optasse
por ser um médico, ou um arrumador
de bicicletas, ainda assim o seu prato de
comida deveria ser o mesmo, a sua roupa
a mesma, e o seu modo de vida o mesmo.
Ao optar por esta filosofia política,
chamada comumente de comunismo,
Fidel Castro tentou se impor ao próprio
movimento da evolução humana, que,
ao longo de milênios, andou justamente
na contramão desta lógica. Ao contrário
do preceito que era defendido por Fidel,
o que se observa no mundo todo é justa-
mente a imposição da lógica do indivi-
dualismo. Uma lógica em que as pessoas
valorizam, e muito, a competitividade
e a imposição de suas vontades sobre a
dos outros.
Ao contrário do que muitos teóricos
de esquerda defendem, esta compe-
titividade, que chamamos no mundo
Ocidental de livre iniciativa, não é nada
orquestrada por um olho que tudo vê,
ou por um sistema de manipulação glo-
balizada. Ela é simplesmente fruto da
biologia e da história do próprio homem.
Somos impulsionados, organicamente,
a querermos ser melhores do que os ou-
tros, a nos sobressairmos em relação aos
outros. E são estes impulsos orgânicos
que acabam por formatar nossa história
pessoal, que é a história da própria hu-
manidade. Isto não é uma primazia da
raça humana. Todo o ser vivo, por mais
simples que seja sua estrutura social, se
organiza por esta lógica. Basta lembrar
que até uma colmeia tem rainha, solda-
dos e operários.
Fidel quis quebrar este paradigma.
Talvez este tenha sido seu grande mérito.
O mérito de tentar provar que a huma-
nidade poderia ser diferente da própria
lógica do mundo. Em alguns aspectos
este objetivo talvez tenha sido alcança-
do. Ao contrário da grande maioria dos
povos latino-americanos, por exemplo, os
cubanos têm uma altivez impressionan-
te. Todo cubano tem um empoderamento
de si próprio que é impressionante. Eles
não se curvam a ninguém.Adoutrinação
a que foram submetidos lhes ensinou a
serem fortes, tais quais os mais fortes
inimigos externos. Todavia, esta mes-
ma doutrinação lhes contaminou com
o sentimento de culpa em relação ao
outro. Por esta lógica, se o outro não vai
bem, eu também não posso ir bem, pois
isto seria uma espécie de pecado. Reside
justamente neste ponto o grande conflito
existencial daquilo que era defendido
por Fidel Castro, afinal de contas, se
a biologia nos impulsiona a sermos di-
ferentes, e esta biologia é que formata
nossa sociedade, como é que a sociedade
vai consertar nossos impulsos. É mais ou
menos como dizer para um transexual
que ele tem que deixar de ter esta opção
de gênero, como se sua condição sexual
fosse uma opção consciente.
Não acredito que Fidel tenha agido
por maldade. Na verdade acredito que
ele tenha agido por inocência.Ainocência
de quem acredita que as pessoas podem
controlar sua volúpia em benefício do
próximo. O fato é que os seres humanos
não foram programados pela natureza
para isto, muito pelo contrário.
Reunião almoço que contou com
a presença de 13, dos 15 vereadores
eleitos de Araranguá, praticamente
sacramentou a composição da futura
Mesa Diretora do legislativo da Cida-
de dasAvenidas. Como já vinha sendo
articulado,ficou definido que o vere-
ador Daniel Viriato Afonso (PP) será
o presidente da Câmara Municipal
a partir de 1º de janeiro. A primeira
vice-presidência será ocupada por
JoãoAbílio Pereira (PRB) e a segunda
vice-presidência por José Paulo Rol-
dão (PSDB). Já a primeira secretaria
caberá a Cabo Loro (PSD) e a segunda
a Luciano Pires (PSB). Esta composi-
ção, que conta apenas com vereadores
que trabalharam pela eleição do fu-
turo prefeito Mariano Mazzuco Neto
(PP), tem o apoio de ex-opositores de
palanque, como os vereadores Neno
Fontoura (PPS) e Ronaldo Soares
(PMDB), que apoiaram a candidatura
deAnísio Prêmoli (PMDB) a prefeito,
e ainda dos vereadores JairAnastácio
e Diego Pires (PDT), que apoiaram
Chico Merêncio (PT).
Próxima legislatura da Câmara
Municipal de Vereadores de Sombrio
deverá ser marcada por, no mínimo,
sete presidências. Os três primeiros
anos deverão ser divididos em seis
presidências distintas, com cada um
dos seis vereadores da base aliada
ocupando seis meses frente à Mesa
Diretora da Câmara. Com isto fica
resolvida a queda de braços que vinha
causando incômodo aos articuladores
políticos do executivo municipal.
É que havia vereador que estava
querendo um ano de presidência,
dificultando a matemática para que
todos os eleitos pelo grupo do prefei-
to Zênio Cardoso (PMDB) viessem a
comandar a Câmara. O último ano da
próxima legislatura ficará em aberto,
quando o assunto é a presidência que
o ocupará. A medida e estratégica, e
provavelmente tem como foco o verea-
dor MarcelloAreão (PT), que foi eleito
pela oposição. É muito provável que o
grupo de Zênio ofereça a presidência
em 2020 para o petista, de modo a ten-
tar trazer o partido para a situação.
Segurança 3Correio do Sul
Segunda-Feira,
28 de novembro de 2016
Tragédia
Sentada no chão abraçada a um filho, mãe do menino acompanha a busca
Eduardo Moreira fala sobre reforço na segurança pública com a vinda da aeronave
Garoto de 13 anos morre afogado
> ARARANGUÁ
U
ma tarde de
diversão en-
tre anigos ter-
minou de forma trágica no
sábado, em Araranguá.
O dia quente levou João
Vitor Castanha Rodri-
gues, de 13 anos, e dois
amigos, com idades de
12 e 13 anos, a pescar
em um lago, formado em
uma antiga jazida, loca-
lizada na Estrada Geral
Caverazinho. Os meninos
foram entrando na água e
João Vítor, que não sabia
nadar, acabou caindo na
parte funda. Os colegas
ainda tentaram puxá-lo,
mas não conseguiram e
ele não voltou à super-
fície.
Por volta das 17 ho-
ras, o Corpo de Bombeiros
deAraranguá foi acionado
para fazer o resgate no
lago que chega a 20 me-
tros de profundidade.
Os três garotos são
moradores do bairro La-
goão, próximo ao local
onde ocorreu a tragédia.
Bombeiros deAraranguá,
Criciúma e Içara traba-
lharam na ocorrência,
entre eles, três mergu-
lhadores e um homem
de apoio dentro da água,
parte da guarnição de
praia, de Arroio do Silva
também se deslocou, com
um Jet Sky, para ajudar,
assim como o Auto Socor-
> MELEIRO
Nos primeiros minu-
tos da madrugada deste
domingo, por volta de
0h40min, na rodovia SC-
108, no bairro Zanette,
um homem conduzindo
uma motocicleta com
placas de Criciúma, não
venceu o trevo de acesso
a Meleiro, colidiu e caiu
em uma granja de arroz.
Gislaine Fontoura
Gislaine Fontoura
ro de Urgência (ASU) de
Araranguá e a guarnição
do oficial de dia, todos
comandados pelo tenente
Samuel. Os militares var-
reram as proximidades
da área onde João Vítor
submergiu e por volta
das 19h40min, o corpo
foi localizado, nas proxi-
midades de onde havia
desaparecido, há uma
profundidade de pouco
mais de dois metros.
Familiares e amigos,
além de curiosos, acom-
panharam o trabalho dos
bombeiros. Uma vizinha
contou que a mãe de João
O Corpo de Bombeiros
foi acionado e encontrou
a vítima perambulando
pelo local, com ferimen-
tos no braço direito e nas
costas.
A Polícia Militar se
encontrava no local e a
moto já havia sido retira-
da da cena por populares.
O homem foi encaminha-
do ao hospital de Meleiro.
Mais tarde, por volta
de 4 horas, na rodovia
SC-447, em Limeira, o
motorista de um Fiat Sie-
na, de cor marrom, saiu
Vítor estava trabalhando
em um frigorífico quando
o filho se afogou. Ela foi
avisada e chegou para
acompanhar o resgate ao
lado de outros dois filhos,
João Vítor era o caçula
da família. No momento
em que o corpo foi retira-
do da água, o desespero
tomou conta dos familia-
res e a mãe teve que ser
socorrida e encaminhada
ao Hospital Regional de
Araranguá.
Conforme a vizinha,
aquela foi a primeira vez
que João Vítor entrou
naquele lago. Ele tem
da pista e caiu em uma
granja de arroz, ficando
em parte submerso. Com
o motorista ainda havia
mais três caroneiros e
todos os ocupantes do
veículo estavam no meio
da estrada quando os
bombeiros chegaram.
Segundo os socor-
ristas, todas as vítimas
estavam conscientes e
orientadas, três foram
conduzidas para o hos-
pital de Meleiro e uma
para o Hospital Regional
de Araranguá.
> REGIÃO
Aregião Sul conta des-
de quinta-feira com o Ser-
viço Aeropolicial da Polícia
Civil (Saer), inaugurado
pelo vice-governador Edu-
ardo Pinho Moreira. O ser-
viço atenderá de Imbituba
até Passo de Torres.Abase
fica localiza na rodovia
de acesso a Nova Veneza,
no bairro Vila Macarini,
em Criciúma. Indiscuti-
velmente, é uma grande
conquista. Agora, todo o
Sulganhahelicópteropolicial
Veículoscaememgranjadearroz
Estado poderá contar com
apoio aeropolicial, não só
em ocorrências policiais,
mas também em trans-
plante de órgãos, resgate,
atendimentos de emergên-
cia e para a Defesa Civil”,
destacou Moreira.
Estado passa a contar
com duas bases do Saer,
em Chapecó e Criciúma;
da Polícia Militar nos mu-
nicípios de Lages, Joinville
e Florianópolis; e outras
duas unidades do Corpo de
Bombeiros em Blumenau
e Florianópolis. “O Sul era
a única região que ainda
não contava com cobertura
aeropolicial, e isso entrou
nas prioridades do Governo
do Estado. Entregamos um
serviço especializado e um
grupamento qualificado”,
enfatizou o secretário de
Estado de Segurança Públi-
ca, César Augusto Grubba.
O helicóptero ficará
sediado no município. O
serviço funcionará 24 ho-
ras, com uma equipe de
21 policiais civis, sendo
quatro pilotos, quatro co-
pilotos e 13 tripulantes
operacionais, em plantões
revezados.
três irmãos, os pais são
separados e a mãe mora
sozinha com os filhos.
A vizinha contou que a
mãe trabalha muito, que
a família toda é muito
querida pela vizinhança,
pois são pessoas honestas
e de bom convívio. Um
dos irmãos de João Vítor
também estava traba-
lhando na tarde de sábado
e ficou muito nervoso para
dirigir, por isso colegas de
trabalho o seguraram por
um tempo e ele não conse-
guiu acompanhar o resga-
te. Igualmente, o pai do
menino estava bastante
nervoso e já havia conver-
sado com os familiares por
telefone, ele também não
conseguiu acompanhar o
resgate do corpo do filho.
Instituto Geral de
Perícias, Polícia Civil e
Polícia Militar também
trabalharam na ocorrên-
cia. No local, que é cer-
cado, há placas avisando
que a área é restrita e
que é proibida a entrada
e o banho.
Crédito:JefersonBaldo/GVG
Publicidade4 Correio do Sul
Segunda-Feira,
28 de novembro de 2016
JABSON MULLER
Correio do Sul
Segunda-Feira,
28 de novembro de 2016
jabsonmuller@grupocorreiodosul.com.br
(48) 9955.5313
O mais votado do PMDB sem surpresa
PAC Turismo Arrecadando em leilão
Últimas
realizações
P
oucos votos afastaram, em 2012, Carlos Roberto
Gomes, o Carlinhos, de uma cadeira na Câmara de
Vereadores de Sombrio. Este ano, porém, os votos não
somente foram suficientes como fizeram com que fosse
o candidato mais votado do PMDB, com 610 votos.
Carlinhos não chega ao legislativo sem experiência com o poder
público, apesar de ser sua primeira eleição. Foi secretário de Obras
da prefeitura de Sombrio e como suplente assumiu uma vaga de
vereador durante um ano.As duas situações o ajudaram na eleição
deste ano, avalia. “Não me surpreendi com a boa votação porque
comecei um trabalho antecipado e não esqueci quem sempre esteve
ao meu lado.Apassagem pela secretaria também ajudou bastante,
porque conheci melhor os problemas do
município e ao mesmo tempo conhecia
muita gente, isso foi importante”, diz.
Antes mesmo da posse, que aconte-
ce em janeiro, o peemedebista já está
trabalhando como eleito. Entre outras
coisas, esteve em Florianópolis em bus-
ca de recursos para Sombrio.
Quanto a presidência da Câmara,
como os colegas, Carlinhos não nega que
tem interesse no cargo. “Todo vereador
quer ser presidente, claro, mas estamos
conversando bastante e buscando o
consenso”, diz.
O Ministério do Turismo anunciou a
liberação de R$ 16, 5 milhões para 13 obras
de infraestrutura turística que integram
o Programa deAceleração do Crescimento
(PAC), em sete estados brasileiros: Goiás,
Minas Gerais, Rio Grande do Norte, Rio
Grande do Sul, Santa Catarina, Sergipe
e São Paulo. Elas fazem parte das 1.600
obras do PAC nacional que tiveram sua re-
tomada anunciada pelo governo federal no
início do mês. Aqui no estado o município
beneficiado é Florianópolis.
A prefeitura de Araranguá realizou
na manhã de sexta-feira, leilão de ve-
ículos da frota oficial do município. Os
lances foram feitos presencialmente e
também via internet, no site da empre-
sa Êxito Leilões, de Criciúma.
Ao todo, 14 veículos foram a leilão
e quatro retornam à frota municipal.
“Destes 14 automóveis, quatro não
foram arrematados. Com isso, eles vol-
tam à frota oficial do município e como
estamos em fase de troca de comando
do Executivo, a equipe de transição
deverá avaliar a necessidade ou não de
realizar um novo leilão a partir do ano
que vem”, relata a diretora municipal
do Departamento de Licitação, Liliane
de Souza.
O total arrecadado pelo município
foi de R$ 78.800,00. O secretário mu-
nicipal de Administração e Finanças,
Fernando Marcelino, afirma que os recursos são destinados para uma conta específica. “Os valores arrecadados em
leilão são depositados em uma conta própria de alienação de bens. E estes recursos são exclusivos para a compra de
novos bens alienados que o município venha a realizar”, explica o secretário ao lembrar que os depósitos são feitos
no mesmo dia do leilão.
Após comprovação do pagamento, os arrematadores têm 30 dias para a retirada dos veículos.
A Comissão Estadual de Leilão do Detran/SC também
encerrou o calendário de leilões de 2016. O último leilão deste
ano, realizado na semana passada, garantiu uma arrecadação
de R$ 1.113.900,00.
Superando os números dos anos anteriores, em 2016 foram
leiloados 19.086 veículos, sendo 4.039 circuláveis e 15.047
sucatas, totalizando uma arrecadação de R$ 18.224.165,00,
referentes apenas aos leilões por medidas ad-
ministrativas.
Para 2017, estão previstos 24 certames, de
março a novembro, com início no dia 7, em São
José. O calendário, sujeito a alterações, está
disponível no site do Detran/SC.
A administração de Jacinto Machado,
até o final do ano entrega suas últimas
obras. Uma delas será a pavimentação com
lajota sextavada e colocação de meio-fio na
praça central da comunidade de Cotovelo.
“É um pedido e uma necessidade dos mo-
radores daquela localidade e que, diante
da possibilidade, não poderíamos deixar
de executar”, declarou o prefeito Antônio
de Fáveri (PT).
Com os trâmites legais já realizados, a
entrega da ordem de serviço nos próximos
dias permitirá o início dos trabalhos. O in-
vestimento na obra será de R$ 136.921,86.
10X R$
66,90
Cartão de crédito ou R$ 669,00 à vista
MOTOCOMPRESSOR MON.
MOTOMIL 7,4” 1,5HP 120LBS
Geral6 Correio do Sul
Segunda-Feira,
28 de novembro de 2016
Publicações legais:
tomaz@grupocorreiodosul.com.br
Financeiro
financeiro@grupocorreiodosul.com.br
Comercial:
l48l 3533.0870
comercial@grupocorreiodosul.com.br
Diretor Geral
Jabson Muller
l48l 9955.5313
diretor@grupocorreiodosul.com.br
Diagramação/Arte:
correiodosul@grupocorreiodosul.com.br
Sul Gráfica
sulgrafica@grupocorreiodosul.com.br
Redação:
editor@grupocorreiodosul.com.br
Radio 93FM
radio93fm@grupocorreiodosul.com.br
Circulação/Assinatura
l48l 3533.0870
assinaturas@grupocorreiodosul.com.br
Geral 7Correio do Sul
Segunda-Feira,
28 de novembro de 2016
Gislaine Fontoura
> ARARANGUÁ
N
a tarde de
sexta-feira,
os alunos que
ocupavam o Instituto Fe-
deral de Santa Catarina
(IFSC) de Araranguá rea-
lizaram a desocupação do
prédio de forma pacífica.
A ocupação durou 27 dias,
com cerca de 50 estudan-
tes, em forma de reveza-
mento. No início o grupo
não impediu o acesso de
outros alunos ao local,
porém, desde o dia 15 o
portão foi fechado e apenas
os estudantes dos quartos
anos puderam assistir às
aulas, o restante estava
impedido de entrar no
prédio público.
Os invasores estavam
protestando contra a Pro-
posta de Emenda à Cons-
tituição (PEC) 241, agora
tramitando no Senado
como PEC 55, que limita
os gastos do poder público,
e contra a MP 746, Medida
Provisória que trata da
reformulação do Ensino
Médio.
Um dos ativistas, Le-
onardo Vicente Duarte,
estudante da segunda fase
de Licenciatura em Física
do IFSC, contou que as
principais atividades do
campus continuaram fun-
cionando durante a ocupa-
ção, dentre elas, algumas
da área administrativa, o
vestibular da instituição,
AlunosdesocupamprédiodoIFSC
Volta as Aulas
que ocorreu no dia 20 deste
mês e as aulas dos quartos
anos. “A gente começou
com uma ocupação pací-
fica. A ocupação iniciou
há 27 dias e desde o dia
15 de novembro vimos à
necessidade do fechamen-
to dos portões”, justifica
Leonardo. Depois o grupo
ficou durante uma sema-
na em negociação com o
Ministério Público (MP),
com a Advocacia Geral
da União (AGU) e com a
direção do campus para
sair do local. “Mesmo com
o campus fechado, as ativi-
dades principais continu-
avam funcionando, nossa
intenção não é prejudicar
e sim buscar melhorias
para a educação, por este
motivo, os quartos anos
continuaram tendo aula”,
declarou o rapaz.
O acordo entre estu-
dantes, direção do Cam-
pus, MP eAGU previa que
a desocupação acontecesse
até a tarde de sábado,
porém os manifestantes
optaram por sair na tarde
Alunos que estavam acampados saem mostrando que tinham chaves do prédio
Dentistas foram as escolas fazer avaliação dos alunos
Reservatório é construído em material mais resistente
> ARARANGUÁ
U m a r e s i d ê n c i a
abandonada situada na
rua Tinho Réus, antes da
passarela doAçude Mané
Angélica, no sentido Cen-
tro - bairro Jardim Cibeli,
está preocupando a vizi-
nhança. Os moradores
pedem que a prefeitura
providencie a fiscalização
e reivindique junto ao
> ARARANGUÁ
Mais uma obra com
mais de um milhão de re-
ais de investimentos será
inaugurada pelo Samae
de Araranguá. Trata-se
do reservatório de aço vi-
trificado (aço fundido com
vidro) que tem capacidade
de armazenamento de um
milhão e quinhentos mil
litros de água e deve me-
lhorar o abastecimento em
alguns bairros, inclusive o
Centro da cidade.
A fase de testes foi
positiva e não houve va-
zamentos. “Este reser-
vatório é muito moderno
e seguro. Não precisa de
reparos constantes e é
muito resistente”, explica
o diretor geral do Samae,
Everson Casagrande.
> ARROIO DO SILVA
Neste mês de novem-
bro profissionais estive-
ram nas escolas de Balne-
ário Arroio do Silva para
fazer a avaliação odonto-
lógica nos alunos acima
dos 12 anos de idade. A
ação é feita periodicamen-
te e tem como objetivo
identificar e encaminhar
para consulta os jovens
que precisam de atendi-
mento odontológico.
A avaliação serve
também como estudo, já
que um relatório é enca-
minhado para o Ministé-
rio da Saúde. Os dentis-
tas fazem uma avaliação
completa para identificar
o grau de dentes perdidos
Casaabandonadagerapreocupação
Samae inaugura reservatório
Alunosfazemavaliaçãoodontológica
proprietário a recupera-
ção do cercado do terreno.
Neste endereço, em
2014, a prefeitura provi-
denciou à limpeza e reti-
rada de 110 pneus velhos.
Desta, vez no entanto,
outra situação tem pre-
ocupado a comunidade:
a utilização da antiga
moradia como ponto de
encontro de usuários de
drogas e atos libidino-
sos. “Vários incidentes
O valor da obra é de
aproximadamente R$
1.377.000,00. A inaugura-
ção será na quarta-feira,
às 8h30, no reservatório
que fica localizado no Mor-
ro do Centenário, bairro
e cariados. ”Os alunos
que levaram a escova de
dente orientamos sobre a
escovação e aplicamos o
flúor também”, explicou a
dentistaAndreia Collodel.
já ocorreram, especial-
mente à noite, quando
estudantes e trabalha-
dores passam em frente
à casa abandonada. O
problema tem prejudica-
do a segurança e causado
preocupação entre os
moradores”, adverte o
vereador Alexandre Re-
zende Pereira, que deve
tratar do tema na sessão
desta segunda-feira na
Câmara.
Urussanguinha. “Esta
é uma grande obra, que
merece ser vista de perto”,
convida Casagrande.
Até o final deste ano
outras obras serão finali-
zadas.
A ação foi realizada pela
equipe de saúde munici-
pal e pelo Sesc, através da
ação do Odonto Sesc. Mais
de 600 alunos passaram
pela avaliação bucal.
de sexta-feira, às 18 horas.
A saída foi acompanhada
pela diretora do Instituto,
Mirtes Lia Pereira Barbo-
sa, por alguns professores,
pelos vereadores do PT
Ozair da Silva e Chico Me-
rêncio, por alguns líderes
sindicais e por membros
da Defensoria Pública da
União de Criciúma, entre
eles os defensores Ale-
xandro Melo Correia e
Mariana Carraro, que vis-
toriaram as dependências
do prédio para confirmar
se não havia depredação.
“Percebemos que não há
dano alguns, os alunos se
manifestaram e protege-
ram o patrimônio público,
enquanto estiveram aqui”,
contou Alexandro.
Cerca de 850 alunos
estudam no IFSC campus
de Araranguá e apenas 70
tiveram aulas durante os
dias ocupados. A diretora
informou que fará uma
reunião com os servidores
para definir como será o
processo de recuperação
dos dias parados.
Entretenimento Novelas-Horóscopo-Diversão
Novelas
Sol Nascente -18h
Rock Story -19h
A Lei do Amor -21h
A
lice não acredita quando Mario diz que César é o culpa-
do pelas explosões. Mano esconde Massao em seu bar.
MarioconvidaVittorioparafazercomprasparaoenxoval
juntocomeleeCarol.CésarordenaqueMassaosejaeliminado.
João Amaro usa Mano para resgatar o celular de Massao que
está com Damasceno. César ouve Alice dizer que continuará
ainvestigaçãosobreaexplosãonatraineira.Dorasentefortes
dores eTiago a socorre.
D
iana é atacada por uma fã de Léo. Edith, Nelson e os
filhos conversam sobre a situação da Som Discos. Júlia
ouve a conversa entre Beatriz e Alex. Gui se embriaga
em um bar. Lázaro tenta conter a raiva quando Léo fala sobre
a noite que passou com Diana. Gordo lamenta ter que demitir
músicos antigos da gravadora. Néia não gosta de saber que
LéoconvidouDianaparajantaremsuacasa.ZacencontraGui
e dá um ultimato no pai.
Rapidinhas
Correio do Sul Segunda-feira, 28 de novembro de 2016
Áries 21/03a20/04
21/04a20/05
21/05a20/06
21/06a20/07
21/07a20/08
21/08a20/09
21/09a20/10
21/10a20/11
21/11a20/12
21/12a20/01
21/01a20/02
21/02a20/03
A amplitude de coisas para se fazer neste dia, irá te ajudar
a tomar melhores decisões. Os números que se referem a
marte te ajudarão bastante. Usará a sua intuição de forma
acertada durante este dia.
Leão
Sagitário
Suapropensãoparanovasideiasserábloqueada.Procure
uma filosofia mais amena que de mais sentido aos seus
objetivos. O fogo só irá te ajudar no processo de novas
ideias.Porémacrediteedesistadaquiloquevocêquer.
Gêmeos
Aduplicidadevoltaráaincomodá-loduranteodia.Precisará
usar mais sua inteligência para superar. Tente evitar um
contato muito próximo com pessoas de leão. Porém não
será um dia tão ruim, pois Marte e Mercúrio trarão alguns
benefícios.
Libra
Manteráatranquilidadenamaiorpartedodia.Algunsacon-
tecimentospodemmexerumpoucocomvocê.Comtudo
apaztendeaprevalecer.Noquepodeserentendidocomo
umacontinuidadedasatividadesemsaturno.
Aquário
Touro
Sua garganta estará com um pouco de pigarro. Isso pode
indicarquesuateimosiaestáatrapalhando.Tudoindicaqueé
afaltadeatividadedemercúrioemrelaçãoasuaconstelação.
Deve mudar um pouco sua personalidade.
Virgem
Irá identificar muito bem determinados padrões nas
pessoas. Isso será causado provavelmente pelo que se
passaemUrano.Tendeafazermaisusodasuapraticida-
deelevandoumpoucomaisaorganizaçãodoambiente.
Capricórnio
A sua forma simples de viver será motivo de orgulho.
Algumas pessoas que conhece reconhecerão esta sua
qualidade. Dificilmente sofrerá revés hoje. Júpiter te
beneficiará neste aspecto tão realista de sua parte. Siga
emfrente.
Câncer
Nestevocêtendeadiminuirasensibilidadeeproblemasfortes
deemoção.Marteirágerarumagrandeinfluênciaparavocê
serecuperar.Porémaindahaveráalgumasindisposições.Deve
passar bem, mas seja mais prudente.
Escorpião
Suascolocaçõesserãofeitasdeformamuitomaisprofunda.
Issopodetetornarmaischatoentreosseusamigos.Porém
Uranopodevirlheajudarnestaquestãodespertandooseu
espíritotransformador.Paradevemudaralgumasopiniões.
Peixes
O seu estado de espírito estará mais elevado neste período.
ComasatividadespositivasdeNetunoemrelaçãoaoseusig-
no tende a ser mais condescendente com os que o rodeiam.
Também irá se apresentar mais amável.
Cosmicamente fluíra tudo muito bem. Poucas interven-
çõesacontecerãonoseudia.Procuremanteressafluidez
exaltandoseuspontosfortesepositivos.Suarelaçãocom
Áriestendeaserreciprocamentedecordialidades.
Para encontrar o equilíbrio emocional, dependerá muito
da relação com os signos Gêmeos e Libra do elemento
Ar. Por outro lado você mostrará de certa forma muito
quietosemmuitasreações.Envolva-seematividadesmais
apaixonantes.
ArianeVenâncio saiu rouca do último
jogo do Palmeiras de tanto gritar na torcida
pelo time. Atual musa do clube, ela já está
ansiosa pela partida decisiva do Brasileirão
neste domingo, 27, quando o time enfrenta
o Chapecoense no Allianz Parque, em São
Paulo. Sua aposta?“Dois a zero. Creio muito
que vai dar tudo certo. E já deu”.
Formada em Gestão Ambiental, Ariane,
de 26 anos, largou a carreira para se dedicar
aos trabalhos como modelo. A moça, que
também atua como professora de inglês
e é destaque de chão na escola de samba
ManchaVerde, promete uma surpresa para
os torcedores, caso o“Verdão”leve o título
para casa.
Sasha está arrasando na sua já bada-
lada carreira de modelo. Depois de arre-
batar todos os flashes durante sessão de
fotos pelas ruas deTóquio, no Japão para
a campanha da coleção que assina para
a marca Coca-Cola Jeans, a estudante de
moda ganhou declaração toda orgulhosa
da mãe. Xuxa Meneghel compartilhou uma
foto da filhota nos bastidores e se derreteu
em elogios.
Z
elito alerta Jéssica para o perigo de seu envolvimento
com Tião. Helô percebe que foi usada por Letícia para
agradar Tiago. Zelito jura vingança contra Tião a Wesley.
Edu critica a maneira como Tião administra a casa. Tião tenta
seduzir Magnólia. Tiago desaponta Letícia ao deixar claro que
não quer sua companhia. Rodney identifica Gustavo como o
homem que rondava o posto. Salete admite Gustavo como
frentista do posto.
Geral 9Correio do Sul
Segunda-Feira,
28 de novembro de 2016
> STA ROSA DO SUL
O
novo delegado
da Polícia Ci-
vil da comarca
de Santa Rosa do Sul,
Bruno Fernandes, já está
na região e deve assumir
sua função ainda esta
semana. Ele substitui
o colega Luiz Vanderlei
Salla, que se aposentou,
e passa a ser responsável
pelo município sede da
comarca e também Passo
de Torres, São João do Sul
e Praia Grande.
Bruno tem 26 anos,
é de Tubarão e se diz
“muito feliz” por voltar
a polícia, depois de um
período trabalhando na
Defensoria Pública. Ele
também já foi policial
militar.
Novodelegadoassumeestasemana
Santa Rosa
O Correio do Sul con-
versou com o novo delega-
do. Acompanhe:
CS: O Senhor já bus-
cou algumas informa-
ções sobre a comarca
de Santa Rosa do Sul.
Qual sua expectativa ao
assumir a delegacia nos
próximos dias?
Bruno: As melhores
possíveis. Ouvi muitos
elogios em relação aos
policiais da comarca de
Santa Rosa do Sul e de
suas delegacias agrega-
das, de Passo de Torres,
São João do Sul e Praia
Grande. Como já adiantei
para alguns deles, estou
entrando para somar com
a equipe desses valorosos
policiais. E, bem para
isso, também conto com a
colaboração da população
Delegado Bruno chega com disposição para trabalhar
Grupos atendidos pelo social fizeram apresentação
> PRAIA GRANDE
O secretário de esta-
do de Assistência Social,
Trabalho e Habitação,
Geraldo Althoff, acom-
panhado do secretário
executivo da Agência de
Desenvolvimento Regio-
nal (ADR) deAraranguá,
Ivan Ávila, e do prefeito
Valcir Darós, inaugurou
na manhã de sexta-fei-
ra, em Praia Grande, o
Centro de Referência de
Assistência Social (Cras)
localizado no bairro Har-
monia, evento prestigia-
do por demais lideranças
e comunidade.
O prédio foi cons-
truído pelo governo do
estado, por meio do Pac-
to pela Proteção Social,
com investimento supe-
rior a R$ R$ 320 mil na
construção do espaço e
aquisição de mobília. O
terreno foi cedido pela
prefeitura, que também
será responsável pela
gestão do Centro.
Hoje, cerca de 300
famílias são atendidas
mensalmente pelo Cras
de Praia Grande, prin-
cipalmente através do
Programa de Atendi-
mento Integral à Família
(PAIF). “Nossa equipe
realiza um belo trabalho,
que nos enche de orgu-
lho. Muitas crianças que
estão no coral do serviço
de convivência e fortale-
cimento de vínculos do
Peti, por exemplo, tam-
Secretário inaugura Crasbém integram a Orques-
tra Municipal”, destacou
o prefeito.
GeraldoAlthoff infor-
mou que 44 obras como
esta foram inauguradas
no estado, e outras 44 se-
rão entregues no próximo
ano, além de 28 Centros
Especializados (Creas),
totalizando 117 novas
unidades de assistência
social para suporte ao
atendimento oferecido
pelos municípios. “Esta
estrutura dá a oportuni-
dade para que as pesso-
as que mais necessitam
sejam bem recebidas e
acolhidas de maneira
digna. É uma pequena
obra, mas que possui
um grande significado”,
disse.
O secretário execu-
tivo da ADR enalteceu
a parceria que resultou
na construção e entrega
da unidade de proteção
social básica do Siste-
ma Único de Assistência
Social.
O Cras tem por obje-
tivo prevenir ocorrências
de situação de vulnerabi-
lidade social decorrente
da pobreza ou privação
como ausência de renda
ou fragilização de vín-
culos afetivos ou relacio-
nados a discriminações
etárias, étnicas, de gê-
nero ou por deficiências,
entre outras.
Também participa-
ram da solenidade de
inauguração o deputado
estadual Manoel Mota,
vice-prefeito Nereu Sche-
ffer, vice-prefeito eleito
Mack Citadin, presidente
da câmara de vereadores
Sérgio Boeira,gerentes
regionais da ADR Ara-
ranguá, coordenadora do
Cras Celi Pereira Lima,
assessora de governo
Gisela Steiner Scaini,
primeira-dama Angela
Darós, secretários e di-
retores municipais, entre
outras lideranças.
destes municípios. Polícia
Civil e a comunidade de-
vem ser parceiras, devem
trabalhar juntas, lado a
lado. Só assim se atingi-
rá um elevado nível de
resolubilidade de crimes,
de modo a trazer uma
maior tranquilidade à
população.
CS: Como suas ex-
periências profissionais
anteriores, na PM e na
Defensoria, podem aju-
dar em sua nova função?
Bruno: É sempre im-
portante termos experi-
ência teórica e prática
para o exercício de qual-
quer função. Em relação à
Polícia Militar e à Defen-
soria Pública, essa baga-
gem se mostrou extrema-
mente útil, já que são dois
atores essencialmente
importantes no âmbito
da persecução criminal.
Sem dúvida alguma, ao
entender e compreender
um pouco das dificulda-
des e os desafios de cada
Instituição, torna-se mais
fácil visualizar cada órgão
público como engrenagem
de um mesmo sistema.
Numa última análise,
enquanto a Polícia Militar
me muniu de uma experi-
ência operacional muito
grande, já que é a primei-
ra a encarar os desafios de
uma ocorrência policial,
a Defensoria Pública me
muniu com uma baga-
gem jurídica necessária
ao exercício da função de
Delegado de Polícia.
CS: Quais serão suas
primeiras ações ao assu-
mir a comarca?
Bruno: Em termos
práticos, pretendo conver-
sar com os representantes
de cada instituição públi-
ca. Como já adiantado, a
Polícia Civil deve traba-
lhar de forma harmônica
com cada uma delas. E
só estreitando esses laços
institucionais é que se
chegará a bons resulta-
dos. Após isso, também
conversar com os policiais
que lá se encontram. Nin-
guém melhor que o pró-
prio policial – seja civil
ou militar, rodoviário ou
federal – para mencionar
as dificuldades e neces-
sidades da localidade.
Traçado esse perfil, dar
ênfase às investigações
criminais já iniciadas e
que ainda estão em curso.
Por fim, dar uma especial
atenção ao município de
Passo de Torres. Como faz
divisa com o Rio Grande
do Sul, é natural que se
torne rota de fuga de di-
versos criminosos, sejam
gaúchos ou catarinenses.
Para isso, também con-
tamos com o auxílio da
Polícia do Rio Grande
do Sul.
Publicidade10 Correio do Sul
Segunda-Feira,
28 de novembro de 2016
Publicidade 15Correio do Sul
Segunda-Feira,
28 de novembro de 2016
Publicidade16 Correio do Sul
Segunda-Feira,
28 de novembro de 2016
Geral 17Correio do Sul
Segunda-Feira,
28 de novembro de 2016
Pescadoresfazemapeloaoministro
Menos Burocracia
Lideranças de toda a região participaram do encontro sobre pesca com o ministro Maggi
Barco encalhado chamou a atenção dos moradores locais
> PASSO DE TORRES
Na manhã da última
sexta feira, o barco Eclip-
se V encalhou ao tentar
entrar, vindo do mar, na
barra do rio Mampituba,
em Passo de Torres. A
embarcação voltava de
uma pescaria com dez
tripulantes a bordo. Acos-
tumados com a água, o
grupo manteve a calma
até a chegada do socorro.
Eles pediram auxílio ao
Corpo de Bombeiros, ex-
plicando que o barco ficou
encalhado em um banco
de areia que se formou no
foz do rio.
Os bombeiros foram
até o local usando mo-
tos aquáticas (Jet-ski) e
iniciaram a operação de
salvamento retirando os
pescadores e amarrando
o Eclipse nas margens
do rio, de onde posterior-
mente ele foi rebocado e
desencalhou.
Segundo os bombei-
> SOMBRIO
Nesta segunda-feira,
às 19 horas, acontece a
formarura do curso de
Bombeiros da Melhor Ida-
de, em Sombrio. Como
parte das atividades que
estão se encerrando, na
última quinta-feira os
alunos realizaram uma
viagem de estudos para
Florianópolis.
> ESTADO
O
ministro da
Agricultura,
P e c u á r i a e
Abastecimento, Blairo Ma-
ggi, participou de reunião
com o setor da pesca na
Assembleia Legislativa de
Santa Catarina, na sexta-
-feira, a convite do Fórum
Parlamentar Catarinense.
Durante o encontro, auto-
ridades e representantes
do setor apresentaram as
principais demandas do
estado. A falta de pessoal
no ministério, a renovação
de licenças e de carteiras de
trabalho, a pesca com rede
anilhada e as datas para
a pesca da tainha foram
assunto de algumas rei-
vindicações apresentadas.
Referência nacional
na produção de pescados,
Santa Catarina conta com
aproximadamente 25 mil
pescadores artesanais e
seis mil pescadores in-
dustriais que dependem
da legislação federal para
continuarem trabalhando.
O secretário de Estado
da Agricultura e da Pesca
Moacir Sopelsa destaca
que o principal entrave
para o setor pesqueiro é o
Barcoencalhanaentradadorio
BombeirosdaMelhorIdadeseformam
ros, como já era de se pre-
ver a embarcação sofreu
algumas rachaduras no
casco fazendo com que a
água entrasse no porão,
necessitando então de
uma bomba para retirar
a água. O barco foi levado
até o estaleiro de Passo
para os reparos. Nenhum
O grupo teve a oportu-
nidade de visitar o Bata-
lhão de OperaçõesAéreas,
onde conheceram as ae-
ronaves disponíveis para
atendimento a população
bem como os equipamen-
tosutilizadosnosresgates.
Após deslocaram-se até o
Centro de Ensino Bom-
beiro Militar, e puderam
ver as instalações onde
os bombeiros catarinense
são formados e também
dos tripulantes sofreu feri-
mentos, somente o susto e
o prejuízo.
O barco encalhado
chamou atenção da popu-
lação, e dezenas de pes-
soas de Passo de Torres
e Torres foram para os
molhes para ver o trabalho
de resgate.
conhecer a rotina dos alu-
nos. Por fim, foram recep-
cionados pela guarnição
de serviço do quartel do
Grupo de Busca e Salva-
mento, onde viram todos
os equipamentos, viaturas
e embarcações utilizadas
no serviço operacional.
A turma que se forma
na noite de hoje tem 39
alunos, todos acreditando
que nunca é tarde para
novos aprendizados.
Fábio Queiroz/ Agência AL
Reivindicações
excesso de burocracia que,
muitas vezes, inviabiliza o
trabalho dos pescadores.
“Temos pendências nos
licenciamentos, tanto para
os barcos artesanais quan-
to para os comerciais, e
também perdemos o subsí-
dio do óleo diesel. Com isso,
o custo em Santa Catarina
ficou muito mais caro para
os pescadores”, disse.
Blairo Maggi reconhe-
ceu as dificuldades. “A bu-
rocracia interna atrapalha
muito, e muitas vezes, o go-
verno não consegue ajudar.
Precisamos entender quais
são os problemas, onde eles
estão e, numa escala de um
a dez, quais são as priorida-
des.” O ministro destacou
que a pesca possui ações
compartilhadas com o Mi-
nistério do MeioAmbiente.
“A definição das espécies
que podem ser pescadas e
os períodos em que podem
ser pescadas são questões
que não dependem do Mi-
nistério da Agricultura.
Mas a gente deve facilitar e
criar as condições para que
os pescadores possam tra-
balhar”, comprometeu-se.
Para o secretário adjunto
da Agricultura de Santa
Catarina, Airton Spies,
a gestão compartilhada
entre os Ministérios da
Agricultura e do Meio Am-
biente acaba tornando o
processo burocrático ainda
mais complexo. “Ao longo
dos anos, se acumulou um
entulho burocrático repre-
sentado por leis, decretos,
portarias, instruções nor-
mativas e resoluções que
criaram muita insegurança
jurídica e dificuldades para
o setor trabalhar”, ressalta.
A falta de pessoal para
o atendimento do setor no
Ministério daAgricultura é
um fator crítico, conforme
apontaram os dirigentes
de entidades. Ivo Silva,
presidente da Federação
dos Pescadores de Santa
Catarina, cobrou que o
ministério disponibilize
técnicos para melhorar a
estrutura de atendimento
e agilizar a renovação das
carteiras dos pescadores.
Também pediu a liberação
de cotas para pesca com
rede anilhada, tal como
existe em outros países, e
a criação de uma licença de
pesca única, e não por espé-
cie. “O maior problema das
colônias de pescadores é a
manutenção das carteiras
de trabalho. Com poucos
técnicos para o atendimen-
to, o ministério não tem
estrutura para dar o visto
e fazer a renovação das
carteiras.As colônias estão
sendo prejudicadas, com
carteiras suspensas, que
podem vir a ser cancela-
das. Os pescadores podem
ser prejudicados nos pro-
jetos sociais do governo,
como seguro-desemprego,
aposentadoria, Pronaf e
outros benefícios”, expli-
cou. “Nós temos que olhar
para as prateleiras das
nossas legislações e ver o
que não serve mais,” com-
prometeu-se Blairo Maggi.
O ministro também anun-
ciou que O governo federal
fará um recadastramento
nacional dos pescadores,
informou o ministro. “Va-
mos manter no Registro
Geral da Atividade Pes-
queira quem realmente
for pescador. Quem não
for, será excluído”, avisou.
Publicidade18 Correio do Sul
Segunda-Feira,
28 de novembro de 2016
Pelo Estado 19Correio do Sul
Segunda-Feira,
28 de novembro de 2016
[PeloEstado] - Qual é o papel da
Apesc?
Gerson Berti - A Apesc surgiu
há cerca de oito anos decorrente
da necessidade de organização
dos empreendedores que atuam
no segmento de energia elétrica.
Havia uma série de dificuldades
de ordem burocrática, institu-
cional e regulatória que inibiam
os investimentos no setor. Santa
Catarina tem potencial a ser ex-
plorado e que estava sem a priori-
zação necessária, seja em geração
hídrica, eólica, solar ou biomassa,
fontes consideradas sustentáveis
e alternativas. Enquanto a inicia-
tiva privada sempre quis investir,
e investiu mesmo com os grandes
riscos, a parte pública não enxer-
gava esse potencial com clareza.
[PE] - O estado é competitivo
nessas fontes alternativas?
Berti - O potencial é grande em
todas as fontes, mas não conse-
guimos competitividade em eóli-
ca e solar. Nossos ventos não são
constantes, como ocorre no Nor-
deste ou em áreas do Rio Grande
do Sul, e os parques solares são
empreendimentos que têm como
perfil ideal terra barata e Sol
forte ao longo do maior período
possível do ano, condições que se
encontram no semiárido brasi-
leiro, também no Nordeste. Em
contrapartida, em geração hídri-
ca nós temos o estado da arte em
Santa Catarina.
[PE] - O que isso significa?
Berti - Temos toda a indústria
verticalizada no estado. Não fal-
ta nada! Projetos, estudos am-
bientais, engenheiros e emprei-
teiros especializados, indústria
voltada a motores, eletromecâ-
nica, sistemas de automação e
monitoramento. Mesmo assim,
estávamos tendo dificuldades de
PeloEstado Entrevista GERSON PEDRO BERTI
Graduado em Administração e em Direito, tem especialização em Auditoria.
É auditor fiscal de Tributos Estaduais, da secretara de Estado da Fazenda,
aonde chegou a atuar como diretor da Dívida Pública. Foi conselheiro no BESC
(Fiscal) e na Casan (Administração), diretor Econômico-Financeiro e de
Relações com Investidores da Celesc, diretor-presidente da SC Parcerias e diretor
de Desenvolvimento Sustentável da Secretaria de Estado do Desenvolvimento
Econômico e Sustentável (SDS). Na SDS, idealizou o Programa SC+Energia e
foi diretor responsável pelo Programa de Incentivo e Atração de Indústrias para o
Estado (Prodec). Foi chefe de gabinete da presidência da Eletrosul e atualmente é
assessor da presidência do Instituto de Previdência (Iprev-SC) para Fundos de
Investimentos. No dia 23 de junho, tomou posse como presidente da Associação dos
produtores de Energia do Estado de Santa Catarina (Apesc) e foi nesta condição
que Gerson Berti concedeu entrevista exclusiva à Coluna Pelo Estado. Ele fala
sobre o momento do setor e ressalta a importância do potencial de geração de energia
que existe em Santa Catarina, principalmente hidroeletricidade, na qual o estado é
competitivo. Você poderá ler a íntegra da entrevista em www.centraldediarios.com.br
ter esses projetos aptos a partici-
par dos leilões da Aneel (Agência
Nacional de Energia Elétrica). A
Apesc tratou de trabalhar para
desobstruir esses gargalos, jun-
tando todos os agentes interes-
sados no processo de desenvolvi-
mento do setor. E aí chegaram
os investidores, porque enquanto
os agentes produtores de mer-
cado estavam atuando, era algo
que não se via. Mas, no período
de 2000, com a crise do setor elé-
trico, com os apagões, a atenção
voltou-se muito à pequena gera-
ção. O país tem uma capacidade
limitada de fazer os grandes em-
preendimentos, que demandam
uma capacidade financeira muito
alta. Já a PCH (Pequena Central
Hidrelétrica) geralmente é feita
com a soma das poupanças de
um advogado, um dentista, um
médico, um engenheiro... de pes-
soas do local, que enxergaram a
oportunidade. É uma alternativa
de investimento até para o pe-
queno poupador. Existem PCHs
ou CGHs (Central Geradora Hi-
drelétrica) com 30, 40, 50 sócios.
Enquanto a PCH produz de 5 a
30 megawatts (MW), a CGH pro-
duz somente até 5 (MW) e a UHE
(Usina Hidrelétrica) produz aci-
ma de 30 MW.
[PE] - Isso explica o sucesso re-
cente no leilão da Aneel?
Berti - Sim. Das nove usinas cata-
rinenses vencedoras no Leilão de
Reserva da Aneel, realizado em
setembro, oito estão cadastradas
no Programa SC+Energia, num
total de mais de R$ 164 milhões
em investimentos. No total, con-
correram 16 projetos de PCHs
e 18 de CGHs, totalizando 137
megawatts (MW). Há dois anos,
Santa Catarina praticamente não
tinha projetos nos leilões do go-
verno federal. Agora, devemos
crescer em geração hídrica. Nos-
sa condição para avançar é tra-
zer mais e mais associados para
sermos percebidos como uma
entidade representativa forte.
Para isso, precisamos ter conosco
também as grandes geradoras. E
vamos conversar com todas.
[PE] - O senhor sabe estimar
quantas pessoas estão envolvidas
com esse mercado no estado?
Berti - Eu presumo que esse setor
da economia catarinense empre-
gue e aglutine algo entre 200 mil
a 300 mil pessoas, direta ou indi-
retamente, em uma cadeia com-
plexa e ampla. E a tendência é de
crescimento, por conta do progra-
ma SC+Energia, sobre o qual fa-
lei, de incentivo a fontes limpas de
geração de energia. O programa
estima um potencial de mil me-
gawatts, lembrando que cada me-
gawatt tem um custo de implan-
tação variando de R$ 5 milhões
a R$ 6 milhões. Ou seja, temos aí
uma projeção perto de R$ 6 bi-
lhões de investimentos no setor.
E tudo isso dinamiza a economia,
desde o período de planejamento e
projetos, até a operação, passando
pela execução do projeto.
[PE] - Hoje a Apesc tem quantos
associados?
Berti - São 79 associados ativos,
sendo que 40 são geradores de
energia e 39 são prestadores de
serviços, indústrias, empresas
de engenharia e pessoas físicas.
Há ainda uma quantidade que
queremos atrair e nossa meta
inicial é chegar a 100 associados.
Queremos associar também os
simpatizantes desse movimento,
mas o foco principal é o gerador.
É aquele que precisa de uma re-
presentatividade política forte,
porque os debates são muito fre-
quentes, assim como as mudan-
ças na legislação. Recentemente,
junto com a Associação Brasi-
leira de PCHs, tivemos algumas
vitórias importantes, com várias
modificações na lei que benefi-
ciam nossos associados. Mas isso
só foi possível pela força do asso-
ciativismo...
[PE] - Também no setor de ener-
gia.
Berti - Também. O debate só é
colocado em pauta pela força
de uma associação. Você é mais
respeitado quando é recebido
na Aneel, na EPE (Empresa de
Pesquisa Energética), na Assem-
bleia, no Congresso. O que se faz
é uma espécie de catequese, por-
que a ignorância é uma arma.
Ignorar as coisas como são é
uma posição confortável. É bom
quando nos dão oportunidade de
explicar o que é energia e de onde
ela vem, as consequências para o
país ou para o estado quando se
pretere um empreendimento de
geração. Às vezes se faz uma for-
ça tremenda para trazer uma em-
presa lá do outro lado do mundo
para se instalar aqui e não se dá
atenção a esses pequenos investi-
dores, que são nossos vizinhos e
que, em última análise, garantem
a instalação da empresa que vem
lá do outro lado do mundo.
[PE] - Como está, em Santa Cata-
rina, a geração distribuída?
Berti - Em termos relativos, San-
ta Catarina é o segundo estado do
país em investimentos nessa solu-
ção. Tínhamos 32 em 2014 e hoje
são cerca de 200. E para onde se
olha tem um telhado que pode
receber sistema de geração solar.
A meta é chegar a mil telhados
para ganhar escala. A microgera-
ção distribuída, aquela que não é
concentrada em um grande em-
preendimento, mas pode se dar a
partir de sua casa, está muito em
voga. E está sendo incentivada
com benefícios fiscais e normati-
vas que permitem que você gere
sua energia, utilize o que precisar
e o excedente segue para a rede
de distribuição, para o sistema.
Ainda existem dificuldades técni-
cas e de regulação que precisam
ser transpostas, mas estamos
avançando bem. É um mercado
a ser consolidado porque o cami-
nho é a autossuficiência energéti-
ca. Estimo que em uma década
ou pouco mais o mundo terá duas
ou três vezes mais necessidade de
energia do que tem hoje. Mesmo
que os equipamentos sejam cada
vez mais eficientes. Concomitan-
temente, as tecnologias para pro-
dução de energias limpas estão
evoluindo e barateando.
[PE] - Como estimular mudanças
nesse sentido?
Berti - Aí está um debate impor-
tante. As pessoas com mais sen-
sibilidade ao aquecimento global,
que já aquece a água de casa com
o calor do sol e captam água da
chuva, fazem investimentos por
sua conta e risco, sem incentivos.
Hoje, esse investimento pode va-
riar de R$ 30 mil a R$ 50 mil.
Precisamos oferecer linhas de
crédito para essas pessoas, e mui-
tas mais, substituírem suas fatu-
ras de energia por uma conta de
financiamento de três ou quatro
anos para pagarem seus sistemas
de microgeração. E terá 20 ou 30
anos de geração própria e gratui-
ta. A geração distribuída é uma
garantia para o sistema, pois não
exige grandes linhas de transmis-
são. E é uma garantia para o con-
sumidor, pois terá energia mesmo
se o sistema de distribuição da ci-
dade inteira cair. O BRDE já tem
linhas de financiamento. Agora é
preciso disseminar a ideia.
Berti: em uma década o mundo vai precisar de
três vezes mais energia
Por Andréa Leonora
redacao@peloestado.com.br
Publicidade20 Correio do Sul
Segunda-Feira,
28 de novembro de 2016
Publicidade 21Correio do Sul
Segunda-Feira,
28 de novembro de 2016
SãoLuizécampeãosub11
Segunda-feira, 28 de novembro 2016
> RECIFE
Com um apagão nos
cinco minutos finais, o
Grêmio acabou goleado
por 5 a 1 para o Santa
Cruz na noite deste do-
mingo, em Recife, pela 37ª
rodada do Brasileirão. E
tudo aconteceu na etapa fi-
nal. O time até empatou o
jogo, mas logo em seguida
levou o segundo. Porém,
entre os 40 e os 45 minu-
tos, os reservas tricolores
sofreram mais três gols
AtletasdizemqueGrêmio
"desligou"etiramlições
degoleadaparafinal
> ARARANGUÁ
S
ombrio mais
uma vez mos-
tra o fruto do
trabalho e talento de
professores e alunos das
escolinhas. Desta vez o
reconhecimento vai para
a escolinha do bairro
São Luiz, que venceu o
campeonato da LAVM
(Liga Amadora do Vale
Mampituba)categoria
sub 11 2016, no último
sábado.
Sob o comando dos
professores Rodrigo,
Norton e Matheus Ro-
cha, os jogadores do time
sub 11 tiveram uma
jornada muito boa no
regional.
"Hoje foi um dia
muito importante para
minha vida como pro-
fessor/treinador, pois
foi um dia da conquista
de um dos títulos mais
importantes", disse Ma-
theus. Ele agradece aos
pais e responsáveis que
estão sempre apoiando
e torcendo pelos seus
filhos, ao Departamento
de Esportes de Sombrio
pelo suporte, aos orga-
nizadores da competição
e aos colegas Rodrigo e
Norton.
que decretaram o placar.
Único jogador titu-
lar na partida devido à
suspensão na final da
Copa do Brasil, o atacan-
te Pedro Rocha afirmou
que a equipe "desligou"
depois do gol de empate
e ressaltou a qualidade
do adversário, que já está
rebaixado.
– A gente desligou no
jogo, não pode fazer isso.
O Santa Cruz tem um
time de qualidade, mas
isso não pode acontecer –
disse Pedro.
14-19-32-37-70CONCURSO
4.243
QUINA 26/11
04-08-10-14-42-43
13-16-19-23-25-40 CONCURSO
1.574
DUPLA SENA
26/11
05-16-19-37-51-56
CONCURSO
1.880
MEGA SENA
26/11
Confira os resultados:
Jogo 1: Escolinha São Luiz 3 x2 Meleiro
Gols: Kauan Rosa, Pedro, Arthur
Local: Estádio Antônio Sant Helena
Jogo 2: Turvo 0 x 3 Escolinha São Luiz
Gols: Domingos, Lucas e kauan Rosa
Local: Turvo
Jogo 3: Escolinha São Luiz 1 x 0 Amja
Vencedor por W.O
Jogo 4: Escolinha São Luiz 2x 0 Guarani
Gols:Luan e Gavilan
Local: Guarita
Semi final: Escolinha São Luiz 2x1 São João do Sul
Gols: Luan e Kauan Rosa
Local: Guarita
Final : Escolinha São Luiz 3x1 Guarani
Gols:Kuan Rosa, Antony e Gavilan
Local: Estádio Antônio Sant Helena
Leandro Rodrigues
23Correio do Sul
Segunda-Feira,
28 de novembro de 2016
Brasileirão
Série B
Brasileirão
Série A
EDITAL DE INTIMAÇÃO
ARLINDO EDÍLIO DA ROSA, Titular do TABELIONATO DE NOTAS E PROTESTOS DE TÍTULOS desta Comarca de Sombrio, situado na
Av. Nereu Ramos, 1300 - Fone (48) 3533-0318 - CEP 88960-000, atendimento das 08:00h - 12:00h e 14:00h - 18:00h, faz saber na forma
da Lei aos que o presente EDITAL virem, que se encontram nesse tabelionato para serem protestados, decorrido o prazo legal de 03
(três) dias úteis, por não terem sido encontrados nos endereços fornecidos, ou por se recusarem a tomar conhecimento, os títulos cujos
responsáveis estão abaixo discriminados. Ficam esclarecidos, também, de que nesse mesmo prazo poderão apresentar resposta escrita,
que não impedirá a lavratura do protesto.
PROT. APRESENTANTE / CNPJ DEVEDOR / CNPJ
Prot: 152386; Devedor(es): AUTO POSTO J.B.C. LTDA. - 05.763.710/0001-97, End: Av. Papa João XXIII, 1009, SOMBRIO; Tip: Normal;
Mot: Falta de pagamento; Ced: Procuradoria Geral da Fazenda Nacional; Sac: Procuradoria Geral da Fazenda Nacional; Tit: 39.201.430-
0 ; Apr: 1ª VARA DA COMARCA DE SOMBRIO-SC; VEN: 06/01/2012; Esp: Certidão de Dívida Ativa; Val: R$ 2.008,31 + Juros Legais
(1% a.m.); Emol.: R$ 51,86. Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 30,00 - Condução R$ 6,86 -
Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 51,86.
Prot: 152387; Devedor(es): AUTO POSTO J.B.C. LTDA. - 05.763.710/0001-97, End: Av. Papa João XXIII, 1009, SOMBRIO; Tip: Normal;
Mot: Falta de pagamento; Ced: Procuradoria Geral da Fazenda Nacional; Sac: Procuradoria Geral da Fazenda Nacional; Tit: 39.004.371-
0 ; Apr: 1ª VARA DA COMARCA DE SOMBRIO-SC; VEN: 06/01/2012; Esp: Certidão de Dívida Ativa; Val: R$ 18.428,34 + Juros Legais
(1% a.m.); Emol.: R$ 51,86. Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 30,00 - Condução R$ 6,86 -
Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 51,86.
Prot: 152388; Devedor(es): AUTO POSTO J.B.C. LTDA. - 05.763.710/0001-97, End: Av. Papa João XXIII, 1009, SOMBRIO; Tip: Normal;
Mot: Falta de pagamento; Ced: Procuradoria Geral da Fazenda Nacional; Sac: Procuradoria Geral da Fazenda Nacional; Tit: 39.004.370-
2 ; Apr: 1ª VARA DA COMARCA DE SOMBRIO-SC; VEN: 06/01/2012; Esp: Certidão de Dívida Ativa; Val: R$ 6.696,73 + Juros Legais
(1% a.m.); Emol.: R$ 51,86. Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 30,00 - Condução R$ 6,86 -
Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 51,86.
Prot: 152389; Devedor(es): AUTO POSTO J.B.C. LTDA. - 05.763.710/0001-97, End: Av. Papa João XXIII, 1009, SOMBRIO; Tip: Normal;
Mot: Falta de pagamento; Ced: Procuradoria Geral da Fazenda Nacional; Sac: Procuradoria Geral da Fazenda Nacional; Tit: 36.837.892-
6 ; Apr: 1ª VARA DA COMARCA DE SOMBRIO-SC; VEN: 06/01/2012; Esp: Certidão de Dívida Ativa; Val: R$ 4.595,05 + Juros Legais
(1% a.m.); Emol.: R$ 51,86. Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 30,00 - Condução R$ 6,86 -
Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 51,86.
Prot: 152390; Devedor(es): AUTO POSTO J.B.C. LTDA. - 05.763.710/0001-97, End: Av. Papa João XXIII, 1009, SOMBRIO; Tip: Normal;
Mot: Falta de pagamento; Ced: Procuradoria Geral da Fazenda Nacional; Sac: Procuradoria Geral da Fazenda Nacional; Tit: 39.201.431-
9 ; Apr: 1ª VARA DA COMARCA DE SOMBRIO-SC; VEN: 06/01/2012; Esp: Certidão de Dívida Ativa; Val: R$ 8.413,64 + Juros Legais
(1% a.m.); Emol.: R$ 51,86. Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 30,00 - Condução R$ 6,86 -
Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 51,86.
Prot: 152273; Devedor(es): CLEUSA SILVA PADILHA - 828.555.010-91, End: Av. Irere, 1236, Balneário Gaivota; Tip: Normal; Mot: Falta
de pagamento; Ced: LEOPOLDO CARDOSO PADILHA; Sac: LEOPOLDO CARDOSO PADILHA; Tit: 000000004 ; Apr: COOPERATIVA
DE CREDITO DE LIVRE ADMISSAO; VEN: 10/11/2016; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: R$ 179,16 + Juros Legais
(1% a.m.); Emol.: R$ 87,29. Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 46,00 - Condução R$ 26,29 -
Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 87,29.
Prot: 152418; Devedor(es): LUCIANO DE ASSIS ROSA - 093.209.229-26, End: Av. Getulio Vargas, S/N, Sombrio; Tip: Normal; Mot:
Falta de pagamento; Ced: NIQUELE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO; Sac: NIQUELE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO; Tit: 833-2/010 ;
Apr: CAIXA ECONÔMICA FEDERAL; VEN: 10/11/2016; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: R$ 180,00 + Juros Legais
(1% a.m.); Emol.: R$ 51,86. Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 30,00 - Condução R$ 6,86 -
Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 51,86.
Prot: 152400; Devedor(es): ROSELI MARIANO DAMASIO ROCHA - 006.451.059-02, End: Rua M, 958, Balneario Gaivota; Tip: Normal;
Mot: Falta de pagamento; Ced: NOVA GAIVOTA COBRANCAS E ZELADORIA LTDA; Sac: NOVA GAIVOTA COBRANCAS E ZELADORIA
LTDA; Tit: 219 ; Apr: BANCO BRADESCO S A; VEN: 24/10/2016; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: R$ 250,00 +
Juros Legais (1% a.m.); Emol.: R$ 84,18. Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 46,00 - Condução
R$ 23,18 - Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 84,18.
Prot: 152289; Devedor(es): SIMONE RODRIGUES CAETANO - 792.591.039-91, End: Av. Antonio Sant'Helena, S/N, Sombrio; Tip: Normal;
Mot: Falta de pagamento; Ced: CONFECCOES MATTRIC LTDA; Sac: CONFECCOES MATTRIC LTDA; Tit: 11760 ; Apr: FCDL; VEN:
19/03/2016; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: R$ 314,16 + Juros Legais (1% a.m.); Emol.: R$ 51,86. Apontamento R$
15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 30,00 - Condução R$ 6,86 - Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 51,86.
Prot: 152343; Devedor(es): TEREZINHA GHISI SILVESTRE 024393269 - 25.695.327/0001-56, End: Rua Padre João Reitz, 277, Sombrio;
Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: EXPLODE NUTRITION IND E COM DE SUPLEMENT; Sac: EXPLODE NUTRITION IND E
COM DE SUPLEMENT; Tit: 0000005851 ; Apr: BANCO BRADESCO S A; VEN: 17/11/2016; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação;
Val: R$ 376,56 + Juros Legais (1% a.m.); Emol.: R$ 51,86. Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$
30,00 - Condução R$ 6,86 - Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 51,86.
Certifico, para os devidos fins, que o presente edital foi afixado no mural da serventia em: 28/11/2016.
Sombrio - SC, 28/11/2016
ARLINDO EDÍLIO DA ROSA
EDITAL DE CONVOCAÇÃO Nº. 053/2016
PROCESSO SELETIVO - ACT - EDITAL 001/2016 (SAÚDE)
Pelo presente Edital, o Prefeito Municipal de Sombrio, Sr. ZÊNIO CARDOSO, vem a público convocar o candidato aprovado no Processo
Seletivo – ACT - 001/2016, (Saúde), para o cargo de: Médico (ESF), abaixo relacionado, sendo que o referido candidato deverá apresentar-
se no Departamento de Recursos Humanos da Prefeitura Municipal de Sombrio, munido dos documentos exigidos pelo Edital de Processo
Seletivo – ACT - Edital nº. 001/2016, (Saúde), para contratação imediata:
DISCIPLINA: 09 – MÉDICO (ESF)
Nome do Candidato Classificação
Celiza Enya Horino Isoppo 1
Município de Sombrio- SC, 25 de novembro de 2016.
Zênio Cardoso
Prefeito Municipal
SEGUNDA-FEIRA, 28 DE NOVEMBRO DE 2016

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (19)

Jornal digital 4902_sex_22042016
Jornal digital 4902_sex_22042016Jornal digital 4902_sex_22042016
Jornal digital 4902_sex_22042016
 
Globo fake news
Globo fake newsGlobo fake news
Globo fake news
 
Jornal digital 24-04-17
Jornal digital 24-04-17Jornal digital 24-04-17
Jornal digital 24-04-17
 
Tempo Presente de 02-06-2014
Tempo Presente de  02-06-2014Tempo Presente de  02-06-2014
Tempo Presente de 02-06-2014
 
Aula de Sociologia - Manifestações em 13/03/2016
Aula de Sociologia - Manifestações em 13/03/2016Aula de Sociologia - Manifestações em 13/03/2016
Aula de Sociologia - Manifestações em 13/03/2016
 
Jornal digital 05 01-18
Jornal digital 05 01-18Jornal digital 05 01-18
Jornal digital 05 01-18
 
Jornal digital 23 de janeiro de 2017
Jornal digital   23 de janeiro de 2017Jornal digital   23 de janeiro de 2017
Jornal digital 23 de janeiro de 2017
 
Jornal O Coreto maio 2016 - ed.11
Jornal O Coreto   maio 2016 - ed.11Jornal O Coreto   maio 2016 - ed.11
Jornal O Coreto maio 2016 - ed.11
 
Jornal digital 23 06-17
Jornal digital 23 06-17Jornal digital 23 06-17
Jornal digital 23 06-17
 
JORNAL ATUAL 11-09-2014 - www.portalcocal.com.br
JORNAL ATUAL 11-09-2014 - www.portalcocal.com.brJORNAL ATUAL 11-09-2014 - www.portalcocal.com.br
JORNAL ATUAL 11-09-2014 - www.portalcocal.com.br
 
Jornal digital 4660_seg_04052015
Jornal digital 4660_seg_04052015Jornal digital 4660_seg_04052015
Jornal digital 4660_seg_04052015
 
29-05-17 Jornal Digital
29-05-17 Jornal Digital29-05-17 Jornal Digital
29-05-17 Jornal Digital
 
Boletim do Sindsprev/RJ - Novembro 2016
Boletim do Sindsprev/RJ - Novembro 2016Boletim do Sindsprev/RJ - Novembro 2016
Boletim do Sindsprev/RJ - Novembro 2016
 
Jornal digital 15-03-17
Jornal digital 15-03-17Jornal digital 15-03-17
Jornal digital 15-03-17
 
204824
204824204824
204824
 
Jornal digital 27 09-17
Jornal digital 27 09-17Jornal digital 27 09-17
Jornal digital 27 09-17
 
Hc versão final
Hc versão finalHc versão final
Hc versão final
 
Jornal digital 16 01-18
Jornal digital 16 01-18Jornal digital 16 01-18
Jornal digital 16 01-18
 
Jornal digital 4848_ter_02022016
Jornal digital 4848_ter_02022016Jornal digital 4848_ter_02022016
Jornal digital 4848_ter_02022016
 

Destaque

1° guerra mundial
1° guerra mundial1° guerra mundial
1° guerra mundial031
 
O que são direitos autorais
O que são direitos autoraisO que são direitos autorais
O que são direitos autoraisMatheus Garcia
 
Pró Trânsito abril
Pró Trânsito abrilPró Trânsito abril
Pró Trânsito abrilSIPROCFC-MG
 
Redes inalambricas
Redes inalambricasRedes inalambricas
Redes inalambricascr7anthony
 
Mis diapositivas GBI
Mis diapositivas GBIMis diapositivas GBI
Mis diapositivas GBIemijudith
 
Proyecto de ecologia 1
Proyecto de ecologia 1Proyecto de ecologia 1
Proyecto de ecologia 1fernabarba
 
Redes inalámbricas2
Redes inalámbricas2Redes inalámbricas2
Redes inalámbricas2Joel Lugmaña
 
la tecnología e imformatica
la tecnología e imformaticala tecnología e imformatica
la tecnología e imformaticajhoaaniita
 
TASSEL - Trait Analysis by aSSociation, Evolution and Linkage
TASSEL - Trait Analysis by aSSociation, Evolution and LinkageTASSEL - Trait Analysis by aSSociation, Evolution and Linkage
TASSEL - Trait Analysis by aSSociation, Evolution and LinkageMarcos Castro
 
Balance de energia_productividad_y_dinamica_trofica_buena
Balance de energia_productividad_y_dinamica_trofica_buenaBalance de energia_productividad_y_dinamica_trofica_buena
Balance de energia_productividad_y_dinamica_trofica_buenacarlosantoniohdzemiliano
 
Ragersville Preschool & Day Care Franchise Brochure
Ragersville Preschool & Day Care Franchise BrochureRagersville Preschool & Day Care Franchise Brochure
Ragersville Preschool & Day Care Franchise BrochureAjay Kumar Dube
 
Un legado rechazado por la sociedad
Un legado rechazado por la sociedadUn legado rechazado por la sociedad
Un legado rechazado por la sociedadANDREAMSALAZAR
 
"Фальсификация "церковного дела"
"Фальсификация "церковного дела""Фальсификация "церковного дела"
"Фальсификация "церковного дела"ProkurorskayaPravda
 

Destaque (20)

1° guerra mundial
1° guerra mundial1° guerra mundial
1° guerra mundial
 
O que são direitos autorais
O que são direitos autoraisO que são direitos autorais
O que são direitos autorais
 
Atender al cliente2
Atender al cliente2Atender al cliente2
Atender al cliente2
 
Pró Trânsito abril
Pró Trânsito abrilPró Trânsito abril
Pró Trânsito abril
 
Redes inalambricas
Redes inalambricasRedes inalambricas
Redes inalambricas
 
Seminario 6
Seminario 6Seminario 6
Seminario 6
 
Mis diapositivas GBI
Mis diapositivas GBIMis diapositivas GBI
Mis diapositivas GBI
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
 
Proyecto de ecologia 1
Proyecto de ecologia 1Proyecto de ecologia 1
Proyecto de ecologia 1
 
Telemática y redes
Telemática y redesTelemática y redes
Telemática y redes
 
Redes inalámbricas2
Redes inalámbricas2Redes inalámbricas2
Redes inalámbricas2
 
la tecnología e imformatica
la tecnología e imformaticala tecnología e imformatica
la tecnología e imformatica
 
Resume
ResumeResume
Resume
 
Seminario 5 2
Seminario 5 2Seminario 5 2
Seminario 5 2
 
TASSEL - Trait Analysis by aSSociation, Evolution and Linkage
TASSEL - Trait Analysis by aSSociation, Evolution and LinkageTASSEL - Trait Analysis by aSSociation, Evolution and Linkage
TASSEL - Trait Analysis by aSSociation, Evolution and Linkage
 
Tarea del seminario 2
Tarea del seminario 2  Tarea del seminario 2
Tarea del seminario 2
 
Balance de energia_productividad_y_dinamica_trofica_buena
Balance de energia_productividad_y_dinamica_trofica_buenaBalance de energia_productividad_y_dinamica_trofica_buena
Balance de energia_productividad_y_dinamica_trofica_buena
 
Ragersville Preschool & Day Care Franchise Brochure
Ragersville Preschool & Day Care Franchise BrochureRagersville Preschool & Day Care Franchise Brochure
Ragersville Preschool & Day Care Franchise Brochure
 
Un legado rechazado por la sociedad
Un legado rechazado por la sociedadUn legado rechazado por la sociedad
Un legado rechazado por la sociedad
 
"Фальсификация "церковного дела"
"Фальсификация "церковного дела""Фальсификация "церковного дела"
"Фальсификация "церковного дела"
 

Semelhante a Jornal digital 5052_seg_28112016

Semelhante a Jornal digital 5052_seg_28112016 (20)

Jornal digital 03 10-17
Jornal digital 03 10-17Jornal digital 03 10-17
Jornal digital 03 10-17
 
473 an 30_abril_2014.ok
473 an 30_abril_2014.ok473 an 30_abril_2014.ok
473 an 30_abril_2014.ok
 
Jn6 11
Jn6 11Jn6 11
Jn6 11
 
Jornal digital 26 12-16
Jornal digital 26 12-16Jornal digital 26 12-16
Jornal digital 26 12-16
 
Diz Jornal 179
Diz Jornal 179Diz Jornal 179
Diz Jornal 179
 
Jornal digital 4888_sex_01042016
Jornal digital 4888_sex_01042016Jornal digital 4888_sex_01042016
Jornal digital 4888_sex_01042016
 
Jornal digital 5057 seg_05122016
Jornal digital 5057 seg_05122016Jornal digital 5057 seg_05122016
Jornal digital 5057 seg_05122016
 
Jornal digital 13-02-17
Jornal digital 13-02-17Jornal digital 13-02-17
Jornal digital 13-02-17
 
Jornal digital 10 08-17
Jornal digital 10 08-17Jornal digital 10 08-17
Jornal digital 10 08-17
 
Guaianas 115
Guaianas 115Guaianas 115
Guaianas 115
 
Jornal digital 4874_sex_11032016
Jornal digital 4874_sex_11032016Jornal digital 4874_sex_11032016
Jornal digital 4874_sex_11032016
 
Diz Jornal - Edição 164
Diz Jornal - Edição 164Diz Jornal - Edição 164
Diz Jornal - Edição 164
 
Jornal digital 5055 qui_01122016
Jornal digital 5055 qui_01122016Jornal digital 5055 qui_01122016
Jornal digital 5055 qui_01122016
 
Diz Jornal - Edição 263
Diz Jornal - Edição 263Diz Jornal - Edição 263
Diz Jornal - Edição 263
 
Jornal digital 5045_qui_17112016
Jornal digital 5045_qui_17112016Jornal digital 5045_qui_17112016
Jornal digital 5045_qui_17112016
 
Relatoria ps 2012
Relatoria ps 2012Relatoria ps 2012
Relatoria ps 2012
 
JORNAL DO MUNICÍPIO -maio de 2015
JORNAL DO MUNICÍPIO -maio de 2015JORNAL DO MUNICÍPIO -maio de 2015
JORNAL DO MUNICÍPIO -maio de 2015
 
Diz Jornal Edição 163
Diz Jornal Edição 163Diz Jornal Edição 163
Diz Jornal Edição 163
 
Jornal Com Social numero 03
Jornal Com Social numero 03Jornal Com Social numero 03
Jornal Com Social numero 03
 
Jornal Com Social edição de Outubro de 2013 n. 03
Jornal Com Social edição de Outubro de 2013 n. 03Jornal Com Social edição de Outubro de 2013 n. 03
Jornal Com Social edição de Outubro de 2013 n. 03
 

Mais de Jornal Correio do Sul (20)

Jornal digital 20 12-2018
Jornal digital 20 12-2018Jornal digital 20 12-2018
Jornal digital 20 12-2018
 
Jornal digital 19 12-2018
Jornal digital 19 12-2018Jornal digital 19 12-2018
Jornal digital 19 12-2018
 
Jornal digital 18 12-2018
Jornal digital 18 12-2018Jornal digital 18 12-2018
Jornal digital 18 12-2018
 
Jornal digital 17 12-2018
Jornal digital 17 12-2018Jornal digital 17 12-2018
Jornal digital 17 12-2018
 
Jornal digital 14 12-2018
Jornal digital 14 12-2018Jornal digital 14 12-2018
Jornal digital 14 12-2018
 
Jornal digital 13 12-2018
Jornal digital 13 12-2018Jornal digital 13 12-2018
Jornal digital 13 12-2018
 
Jornal digital 12 12-2018
Jornal digital 12 12-2018Jornal digital 12 12-2018
Jornal digital 12 12-2018
 
Jornal digital 11 12-2018
Jornal digital 11 12-2018Jornal digital 11 12-2018
Jornal digital 11 12-2018
 
Jornal digital 10 12-2018
Jornal digital 10 12-2018Jornal digital 10 12-2018
Jornal digital 10 12-2018
 
Jornal digital 06 12-2018
Jornal digital 06 12-2018Jornal digital 06 12-2018
Jornal digital 06 12-2018
 
Jornal digital 05 12-2018
Jornal digital 05 12-2018Jornal digital 05 12-2018
Jornal digital 05 12-2018
 
Jornal digital 04 12-2018
Jornal digital 04 12-2018Jornal digital 04 12-2018
Jornal digital 04 12-2018
 
Jornal digital 03 12-2018
Jornal digital 03 12-2018Jornal digital 03 12-2018
Jornal digital 03 12-2018
 
Jornal digital 30 11-2018
Jornal digital 30 11-2018Jornal digital 30 11-2018
Jornal digital 30 11-2018
 
Jornal digital 29 11-2018
Jornal digital 29 11-2018Jornal digital 29 11-2018
Jornal digital 29 11-2018
 
Jornal digital 28 11-2018
Jornal digital 28 11-2018Jornal digital 28 11-2018
Jornal digital 28 11-2018
 
Jornal digital 27 11-2018
Jornal digital 27 11-2018Jornal digital 27 11-2018
Jornal digital 27 11-2018
 
Jornal digital 24 11-2018
Jornal digital 24 11-2018Jornal digital 24 11-2018
Jornal digital 24 11-2018
 
Jornal digital 22 11-2018
Jornal digital 22 11-2018Jornal digital 22 11-2018
Jornal digital 22 11-2018
 
Jornal digital 21 11-2018
Jornal digital 21 11-2018Jornal digital 21 11-2018
Jornal digital 21 11-2018
 

Jornal digital 5052_seg_28112016

  • 1. Geral Alunos desocupam IFSC e aulas vão recomeçar Novo delegado assume comarca de Santa Rosa Mais um barco encalha na barra do Mampituba Araranguá Reforço De Novo 9Página 17Página ANO XXVI EDIÇÃO Nº 5.052 SEGUNDA-FEIRA, 28 DE NOVEMBRO DE 2016 R$ 2,00 www.grupocorreiodosul.com.br 28º 22º Nublado e Pancadas de Chuva - Muitas nuvens com curtos períodos de sol e pancadas de chuva com trovoadas. Previsão para hoje Extremo Sul Catarinense Correio do Sul 3Página Tragédia 7Página Meninode13anosmorre afogadoemvelhajazida
  • 2. Fidel e a morte da inocência política Muitas plantações de batata, na serra gaúcha, em municípios como Cambará do Sul e São José dos Au- sentes, já estão acerca de cem metros dos paredões da Serra Geral. Nestas lavouras os agrotóxicos são usados de forma absurda, o que, por si só, já é uma sentença para a flora e a fauna serrana. A cada chuva mais intensa em nossa região, especialmente no pé da serra, este agrotóxico acaba escorrendo para nascentes de rios que cortam especialmente os municípios de Jacinto Machado, Timbé do Sul e Morro Grande. Interessante notar que as lavouras de batata vêm toman- do conta de forma indiscriminada dos cenários que compõem os Campos de Cima da Serra, sem que haja uma fiscalização condizente. Como se não bastasse o veneno das nossas plantações, agora temos também os dos vizinhos gaúchos. Não é à toa que nossa região não para de bater recordes de casos de câncer. Haja veneno Comunicação AcordãoAcertando ADVOCACIA EMPRESARIAL FONE: (48) 3533-0145 “Não existem 7 bilhões de formas corretas de se viver. Isto significa que nem todos os 7 bilhões de habitantes deste planeta estão corretos em sua forma de pensar”. Correio do Sul Segunda-Feira, 28 de novembro de 2016 rolando_coelho@hotmail.com (48) 9945.6787 Rainha Elizabeth II (1926) Rainha da Inglaterra PSD aqui do Extremo Sul vem mantendoumaFanpagenoFacebook, através da qual divulga todas as ati- vidades do partido em nível regional. A iniciativa é bastante interessante, pois dá notoriedade às atividades da sigla, informando a correligionários, a população de um modo geral e tam- bém à imprensa. Iniciativa deveria ser copiada por outros partidos da região, muitos dos quais parecem fazer questão de aparecer somente na véspera de eleições. Siglas como o PMDB e o PP, por exemplo, que têm uma ampla estrutura em todo o Extremo Sul, não possuem quaisquer mecanismos oficiais de comunicação em nossa região. O primeiro parece estar preso a assessoria de imprensa do deputado Manoel Mota (PMDB) e o segundo a do deputado José Milton Scheffer (PP). Com isto, todos os que pertencem a outras alas destes par- tidos simplesmente não aparecem como deveriam. A o tomarem o poder em Cuba, em janeiro de 1959, Fidel Castro, falecido na última sexta-feira, e outros líderes revolucionários, como seu irmão Raul Castro e Ernesto Che Guevara, carregavam consigo o sonho de um mun- do melhor, baseado, principalmente, na igualdade. Na visão deles nenhum homem deveria ser inferior ao outro, e todos deveriam ter as mesmas condições de manutenção em meio a sociedade. Basicamente, o que os revolucionários queriam é que, mesmo que você optasse por ser um médico, ou um arrumador de bicicletas, ainda assim o seu prato de comida deveria ser o mesmo, a sua roupa a mesma, e o seu modo de vida o mesmo. Ao optar por esta filosofia política, chamada comumente de comunismo, Fidel Castro tentou se impor ao próprio movimento da evolução humana, que, ao longo de milênios, andou justamente na contramão desta lógica. Ao contrário do preceito que era defendido por Fidel, o que se observa no mundo todo é justa- mente a imposição da lógica do indivi- dualismo. Uma lógica em que as pessoas valorizam, e muito, a competitividade e a imposição de suas vontades sobre a dos outros. Ao contrário do que muitos teóricos de esquerda defendem, esta compe- titividade, que chamamos no mundo Ocidental de livre iniciativa, não é nada orquestrada por um olho que tudo vê, ou por um sistema de manipulação glo- balizada. Ela é simplesmente fruto da biologia e da história do próprio homem. Somos impulsionados, organicamente, a querermos ser melhores do que os ou- tros, a nos sobressairmos em relação aos outros. E são estes impulsos orgânicos que acabam por formatar nossa história pessoal, que é a história da própria hu- manidade. Isto não é uma primazia da raça humana. Todo o ser vivo, por mais simples que seja sua estrutura social, se organiza por esta lógica. Basta lembrar que até uma colmeia tem rainha, solda- dos e operários. Fidel quis quebrar este paradigma. Talvez este tenha sido seu grande mérito. O mérito de tentar provar que a huma- nidade poderia ser diferente da própria lógica do mundo. Em alguns aspectos este objetivo talvez tenha sido alcança- do. Ao contrário da grande maioria dos povos latino-americanos, por exemplo, os cubanos têm uma altivez impressionan- te. Todo cubano tem um empoderamento de si próprio que é impressionante. Eles não se curvam a ninguém.Adoutrinação a que foram submetidos lhes ensinou a serem fortes, tais quais os mais fortes inimigos externos. Todavia, esta mes- ma doutrinação lhes contaminou com o sentimento de culpa em relação ao outro. Por esta lógica, se o outro não vai bem, eu também não posso ir bem, pois isto seria uma espécie de pecado. Reside justamente neste ponto o grande conflito existencial daquilo que era defendido por Fidel Castro, afinal de contas, se a biologia nos impulsiona a sermos di- ferentes, e esta biologia é que formata nossa sociedade, como é que a sociedade vai consertar nossos impulsos. É mais ou menos como dizer para um transexual que ele tem que deixar de ter esta opção de gênero, como se sua condição sexual fosse uma opção consciente. Não acredito que Fidel tenha agido por maldade. Na verdade acredito que ele tenha agido por inocência.Ainocência de quem acredita que as pessoas podem controlar sua volúpia em benefício do próximo. O fato é que os seres humanos não foram programados pela natureza para isto, muito pelo contrário. Reunião almoço que contou com a presença de 13, dos 15 vereadores eleitos de Araranguá, praticamente sacramentou a composição da futura Mesa Diretora do legislativo da Cida- de dasAvenidas. Como já vinha sendo articulado,ficou definido que o vere- ador Daniel Viriato Afonso (PP) será o presidente da Câmara Municipal a partir de 1º de janeiro. A primeira vice-presidência será ocupada por JoãoAbílio Pereira (PRB) e a segunda vice-presidência por José Paulo Rol- dão (PSDB). Já a primeira secretaria caberá a Cabo Loro (PSD) e a segunda a Luciano Pires (PSB). Esta composi- ção, que conta apenas com vereadores que trabalharam pela eleição do fu- turo prefeito Mariano Mazzuco Neto (PP), tem o apoio de ex-opositores de palanque, como os vereadores Neno Fontoura (PPS) e Ronaldo Soares (PMDB), que apoiaram a candidatura deAnísio Prêmoli (PMDB) a prefeito, e ainda dos vereadores JairAnastácio e Diego Pires (PDT), que apoiaram Chico Merêncio (PT). Próxima legislatura da Câmara Municipal de Vereadores de Sombrio deverá ser marcada por, no mínimo, sete presidências. Os três primeiros anos deverão ser divididos em seis presidências distintas, com cada um dos seis vereadores da base aliada ocupando seis meses frente à Mesa Diretora da Câmara. Com isto fica resolvida a queda de braços que vinha causando incômodo aos articuladores políticos do executivo municipal. É que havia vereador que estava querendo um ano de presidência, dificultando a matemática para que todos os eleitos pelo grupo do prefei- to Zênio Cardoso (PMDB) viessem a comandar a Câmara. O último ano da próxima legislatura ficará em aberto, quando o assunto é a presidência que o ocupará. A medida e estratégica, e provavelmente tem como foco o verea- dor MarcelloAreão (PT), que foi eleito pela oposição. É muito provável que o grupo de Zênio ofereça a presidência em 2020 para o petista, de modo a ten- tar trazer o partido para a situação.
  • 3. Segurança 3Correio do Sul Segunda-Feira, 28 de novembro de 2016 Tragédia Sentada no chão abraçada a um filho, mãe do menino acompanha a busca Eduardo Moreira fala sobre reforço na segurança pública com a vinda da aeronave Garoto de 13 anos morre afogado > ARARANGUÁ U ma tarde de diversão en- tre anigos ter- minou de forma trágica no sábado, em Araranguá. O dia quente levou João Vitor Castanha Rodri- gues, de 13 anos, e dois amigos, com idades de 12 e 13 anos, a pescar em um lago, formado em uma antiga jazida, loca- lizada na Estrada Geral Caverazinho. Os meninos foram entrando na água e João Vítor, que não sabia nadar, acabou caindo na parte funda. Os colegas ainda tentaram puxá-lo, mas não conseguiram e ele não voltou à super- fície. Por volta das 17 ho- ras, o Corpo de Bombeiros deAraranguá foi acionado para fazer o resgate no lago que chega a 20 me- tros de profundidade. Os três garotos são moradores do bairro La- goão, próximo ao local onde ocorreu a tragédia. Bombeiros deAraranguá, Criciúma e Içara traba- lharam na ocorrência, entre eles, três mergu- lhadores e um homem de apoio dentro da água, parte da guarnição de praia, de Arroio do Silva também se deslocou, com um Jet Sky, para ajudar, assim como o Auto Socor- > MELEIRO Nos primeiros minu- tos da madrugada deste domingo, por volta de 0h40min, na rodovia SC- 108, no bairro Zanette, um homem conduzindo uma motocicleta com placas de Criciúma, não venceu o trevo de acesso a Meleiro, colidiu e caiu em uma granja de arroz. Gislaine Fontoura Gislaine Fontoura ro de Urgência (ASU) de Araranguá e a guarnição do oficial de dia, todos comandados pelo tenente Samuel. Os militares var- reram as proximidades da área onde João Vítor submergiu e por volta das 19h40min, o corpo foi localizado, nas proxi- midades de onde havia desaparecido, há uma profundidade de pouco mais de dois metros. Familiares e amigos, além de curiosos, acom- panharam o trabalho dos bombeiros. Uma vizinha contou que a mãe de João O Corpo de Bombeiros foi acionado e encontrou a vítima perambulando pelo local, com ferimen- tos no braço direito e nas costas. A Polícia Militar se encontrava no local e a moto já havia sido retira- da da cena por populares. O homem foi encaminha- do ao hospital de Meleiro. Mais tarde, por volta de 4 horas, na rodovia SC-447, em Limeira, o motorista de um Fiat Sie- na, de cor marrom, saiu Vítor estava trabalhando em um frigorífico quando o filho se afogou. Ela foi avisada e chegou para acompanhar o resgate ao lado de outros dois filhos, João Vítor era o caçula da família. No momento em que o corpo foi retira- do da água, o desespero tomou conta dos familia- res e a mãe teve que ser socorrida e encaminhada ao Hospital Regional de Araranguá. Conforme a vizinha, aquela foi a primeira vez que João Vítor entrou naquele lago. Ele tem da pista e caiu em uma granja de arroz, ficando em parte submerso. Com o motorista ainda havia mais três caroneiros e todos os ocupantes do veículo estavam no meio da estrada quando os bombeiros chegaram. Segundo os socor- ristas, todas as vítimas estavam conscientes e orientadas, três foram conduzidas para o hos- pital de Meleiro e uma para o Hospital Regional de Araranguá. > REGIÃO Aregião Sul conta des- de quinta-feira com o Ser- viço Aeropolicial da Polícia Civil (Saer), inaugurado pelo vice-governador Edu- ardo Pinho Moreira. O ser- viço atenderá de Imbituba até Passo de Torres.Abase fica localiza na rodovia de acesso a Nova Veneza, no bairro Vila Macarini, em Criciúma. Indiscuti- velmente, é uma grande conquista. Agora, todo o Sulganhahelicópteropolicial Veículoscaememgranjadearroz Estado poderá contar com apoio aeropolicial, não só em ocorrências policiais, mas também em trans- plante de órgãos, resgate, atendimentos de emergên- cia e para a Defesa Civil”, destacou Moreira. Estado passa a contar com duas bases do Saer, em Chapecó e Criciúma; da Polícia Militar nos mu- nicípios de Lages, Joinville e Florianópolis; e outras duas unidades do Corpo de Bombeiros em Blumenau e Florianópolis. “O Sul era a única região que ainda não contava com cobertura aeropolicial, e isso entrou nas prioridades do Governo do Estado. Entregamos um serviço especializado e um grupamento qualificado”, enfatizou o secretário de Estado de Segurança Públi- ca, César Augusto Grubba. O helicóptero ficará sediado no município. O serviço funcionará 24 ho- ras, com uma equipe de 21 policiais civis, sendo quatro pilotos, quatro co- pilotos e 13 tripulantes operacionais, em plantões revezados. três irmãos, os pais são separados e a mãe mora sozinha com os filhos. A vizinha contou que a mãe trabalha muito, que a família toda é muito querida pela vizinhança, pois são pessoas honestas e de bom convívio. Um dos irmãos de João Vítor também estava traba- lhando na tarde de sábado e ficou muito nervoso para dirigir, por isso colegas de trabalho o seguraram por um tempo e ele não conse- guiu acompanhar o resga- te. Igualmente, o pai do menino estava bastante nervoso e já havia conver- sado com os familiares por telefone, ele também não conseguiu acompanhar o resgate do corpo do filho. Instituto Geral de Perícias, Polícia Civil e Polícia Militar também trabalharam na ocorrên- cia. No local, que é cer- cado, há placas avisando que a área é restrita e que é proibida a entrada e o banho. Crédito:JefersonBaldo/GVG
  • 4. Publicidade4 Correio do Sul Segunda-Feira, 28 de novembro de 2016
  • 5. JABSON MULLER Correio do Sul Segunda-Feira, 28 de novembro de 2016 jabsonmuller@grupocorreiodosul.com.br (48) 9955.5313 O mais votado do PMDB sem surpresa PAC Turismo Arrecadando em leilão Últimas realizações P oucos votos afastaram, em 2012, Carlos Roberto Gomes, o Carlinhos, de uma cadeira na Câmara de Vereadores de Sombrio. Este ano, porém, os votos não somente foram suficientes como fizeram com que fosse o candidato mais votado do PMDB, com 610 votos. Carlinhos não chega ao legislativo sem experiência com o poder público, apesar de ser sua primeira eleição. Foi secretário de Obras da prefeitura de Sombrio e como suplente assumiu uma vaga de vereador durante um ano.As duas situações o ajudaram na eleição deste ano, avalia. “Não me surpreendi com a boa votação porque comecei um trabalho antecipado e não esqueci quem sempre esteve ao meu lado.Apassagem pela secretaria também ajudou bastante, porque conheci melhor os problemas do município e ao mesmo tempo conhecia muita gente, isso foi importante”, diz. Antes mesmo da posse, que aconte- ce em janeiro, o peemedebista já está trabalhando como eleito. Entre outras coisas, esteve em Florianópolis em bus- ca de recursos para Sombrio. Quanto a presidência da Câmara, como os colegas, Carlinhos não nega que tem interesse no cargo. “Todo vereador quer ser presidente, claro, mas estamos conversando bastante e buscando o consenso”, diz. O Ministério do Turismo anunciou a liberação de R$ 16, 5 milhões para 13 obras de infraestrutura turística que integram o Programa deAceleração do Crescimento (PAC), em sete estados brasileiros: Goiás, Minas Gerais, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Sergipe e São Paulo. Elas fazem parte das 1.600 obras do PAC nacional que tiveram sua re- tomada anunciada pelo governo federal no início do mês. Aqui no estado o município beneficiado é Florianópolis. A prefeitura de Araranguá realizou na manhã de sexta-feira, leilão de ve- ículos da frota oficial do município. Os lances foram feitos presencialmente e também via internet, no site da empre- sa Êxito Leilões, de Criciúma. Ao todo, 14 veículos foram a leilão e quatro retornam à frota municipal. “Destes 14 automóveis, quatro não foram arrematados. Com isso, eles vol- tam à frota oficial do município e como estamos em fase de troca de comando do Executivo, a equipe de transição deverá avaliar a necessidade ou não de realizar um novo leilão a partir do ano que vem”, relata a diretora municipal do Departamento de Licitação, Liliane de Souza. O total arrecadado pelo município foi de R$ 78.800,00. O secretário mu- nicipal de Administração e Finanças, Fernando Marcelino, afirma que os recursos são destinados para uma conta específica. “Os valores arrecadados em leilão são depositados em uma conta própria de alienação de bens. E estes recursos são exclusivos para a compra de novos bens alienados que o município venha a realizar”, explica o secretário ao lembrar que os depósitos são feitos no mesmo dia do leilão. Após comprovação do pagamento, os arrematadores têm 30 dias para a retirada dos veículos. A Comissão Estadual de Leilão do Detran/SC também encerrou o calendário de leilões de 2016. O último leilão deste ano, realizado na semana passada, garantiu uma arrecadação de R$ 1.113.900,00. Superando os números dos anos anteriores, em 2016 foram leiloados 19.086 veículos, sendo 4.039 circuláveis e 15.047 sucatas, totalizando uma arrecadação de R$ 18.224.165,00, referentes apenas aos leilões por medidas ad- ministrativas. Para 2017, estão previstos 24 certames, de março a novembro, com início no dia 7, em São José. O calendário, sujeito a alterações, está disponível no site do Detran/SC. A administração de Jacinto Machado, até o final do ano entrega suas últimas obras. Uma delas será a pavimentação com lajota sextavada e colocação de meio-fio na praça central da comunidade de Cotovelo. “É um pedido e uma necessidade dos mo- radores daquela localidade e que, diante da possibilidade, não poderíamos deixar de executar”, declarou o prefeito Antônio de Fáveri (PT). Com os trâmites legais já realizados, a entrega da ordem de serviço nos próximos dias permitirá o início dos trabalhos. O in- vestimento na obra será de R$ 136.921,86. 10X R$ 66,90 Cartão de crédito ou R$ 669,00 à vista MOTOCOMPRESSOR MON. MOTOMIL 7,4” 1,5HP 120LBS
  • 6. Geral6 Correio do Sul Segunda-Feira, 28 de novembro de 2016 Publicações legais: tomaz@grupocorreiodosul.com.br Financeiro financeiro@grupocorreiodosul.com.br Comercial: l48l 3533.0870 comercial@grupocorreiodosul.com.br Diretor Geral Jabson Muller l48l 9955.5313 diretor@grupocorreiodosul.com.br Diagramação/Arte: correiodosul@grupocorreiodosul.com.br Sul Gráfica sulgrafica@grupocorreiodosul.com.br Redação: editor@grupocorreiodosul.com.br Radio 93FM radio93fm@grupocorreiodosul.com.br Circulação/Assinatura l48l 3533.0870 assinaturas@grupocorreiodosul.com.br
  • 7. Geral 7Correio do Sul Segunda-Feira, 28 de novembro de 2016 Gislaine Fontoura > ARARANGUÁ N a tarde de sexta-feira, os alunos que ocupavam o Instituto Fe- deral de Santa Catarina (IFSC) de Araranguá rea- lizaram a desocupação do prédio de forma pacífica. A ocupação durou 27 dias, com cerca de 50 estudan- tes, em forma de reveza- mento. No início o grupo não impediu o acesso de outros alunos ao local, porém, desde o dia 15 o portão foi fechado e apenas os estudantes dos quartos anos puderam assistir às aulas, o restante estava impedido de entrar no prédio público. Os invasores estavam protestando contra a Pro- posta de Emenda à Cons- tituição (PEC) 241, agora tramitando no Senado como PEC 55, que limita os gastos do poder público, e contra a MP 746, Medida Provisória que trata da reformulação do Ensino Médio. Um dos ativistas, Le- onardo Vicente Duarte, estudante da segunda fase de Licenciatura em Física do IFSC, contou que as principais atividades do campus continuaram fun- cionando durante a ocupa- ção, dentre elas, algumas da área administrativa, o vestibular da instituição, AlunosdesocupamprédiodoIFSC Volta as Aulas que ocorreu no dia 20 deste mês e as aulas dos quartos anos. “A gente começou com uma ocupação pací- fica. A ocupação iniciou há 27 dias e desde o dia 15 de novembro vimos à necessidade do fechamen- to dos portões”, justifica Leonardo. Depois o grupo ficou durante uma sema- na em negociação com o Ministério Público (MP), com a Advocacia Geral da União (AGU) e com a direção do campus para sair do local. “Mesmo com o campus fechado, as ativi- dades principais continu- avam funcionando, nossa intenção não é prejudicar e sim buscar melhorias para a educação, por este motivo, os quartos anos continuaram tendo aula”, declarou o rapaz. O acordo entre estu- dantes, direção do Cam- pus, MP eAGU previa que a desocupação acontecesse até a tarde de sábado, porém os manifestantes optaram por sair na tarde Alunos que estavam acampados saem mostrando que tinham chaves do prédio Dentistas foram as escolas fazer avaliação dos alunos Reservatório é construído em material mais resistente > ARARANGUÁ U m a r e s i d ê n c i a abandonada situada na rua Tinho Réus, antes da passarela doAçude Mané Angélica, no sentido Cen- tro - bairro Jardim Cibeli, está preocupando a vizi- nhança. Os moradores pedem que a prefeitura providencie a fiscalização e reivindique junto ao > ARARANGUÁ Mais uma obra com mais de um milhão de re- ais de investimentos será inaugurada pelo Samae de Araranguá. Trata-se do reservatório de aço vi- trificado (aço fundido com vidro) que tem capacidade de armazenamento de um milhão e quinhentos mil litros de água e deve me- lhorar o abastecimento em alguns bairros, inclusive o Centro da cidade. A fase de testes foi positiva e não houve va- zamentos. “Este reser- vatório é muito moderno e seguro. Não precisa de reparos constantes e é muito resistente”, explica o diretor geral do Samae, Everson Casagrande. > ARROIO DO SILVA Neste mês de novem- bro profissionais estive- ram nas escolas de Balne- ário Arroio do Silva para fazer a avaliação odonto- lógica nos alunos acima dos 12 anos de idade. A ação é feita periodicamen- te e tem como objetivo identificar e encaminhar para consulta os jovens que precisam de atendi- mento odontológico. A avaliação serve também como estudo, já que um relatório é enca- minhado para o Ministé- rio da Saúde. Os dentis- tas fazem uma avaliação completa para identificar o grau de dentes perdidos Casaabandonadagerapreocupação Samae inaugura reservatório Alunosfazemavaliaçãoodontológica proprietário a recupera- ção do cercado do terreno. Neste endereço, em 2014, a prefeitura provi- denciou à limpeza e reti- rada de 110 pneus velhos. Desta, vez no entanto, outra situação tem pre- ocupado a comunidade: a utilização da antiga moradia como ponto de encontro de usuários de drogas e atos libidino- sos. “Vários incidentes O valor da obra é de aproximadamente R$ 1.377.000,00. A inaugura- ção será na quarta-feira, às 8h30, no reservatório que fica localizado no Mor- ro do Centenário, bairro e cariados. ”Os alunos que levaram a escova de dente orientamos sobre a escovação e aplicamos o flúor também”, explicou a dentistaAndreia Collodel. já ocorreram, especial- mente à noite, quando estudantes e trabalha- dores passam em frente à casa abandonada. O problema tem prejudica- do a segurança e causado preocupação entre os moradores”, adverte o vereador Alexandre Re- zende Pereira, que deve tratar do tema na sessão desta segunda-feira na Câmara. Urussanguinha. “Esta é uma grande obra, que merece ser vista de perto”, convida Casagrande. Até o final deste ano outras obras serão finali- zadas. A ação foi realizada pela equipe de saúde munici- pal e pelo Sesc, através da ação do Odonto Sesc. Mais de 600 alunos passaram pela avaliação bucal. de sexta-feira, às 18 horas. A saída foi acompanhada pela diretora do Instituto, Mirtes Lia Pereira Barbo- sa, por alguns professores, pelos vereadores do PT Ozair da Silva e Chico Me- rêncio, por alguns líderes sindicais e por membros da Defensoria Pública da União de Criciúma, entre eles os defensores Ale- xandro Melo Correia e Mariana Carraro, que vis- toriaram as dependências do prédio para confirmar se não havia depredação. “Percebemos que não há dano alguns, os alunos se manifestaram e protege- ram o patrimônio público, enquanto estiveram aqui”, contou Alexandro. Cerca de 850 alunos estudam no IFSC campus de Araranguá e apenas 70 tiveram aulas durante os dias ocupados. A diretora informou que fará uma reunião com os servidores para definir como será o processo de recuperação dos dias parados.
  • 8. Entretenimento Novelas-Horóscopo-Diversão Novelas Sol Nascente -18h Rock Story -19h A Lei do Amor -21h A lice não acredita quando Mario diz que César é o culpa- do pelas explosões. Mano esconde Massao em seu bar. MarioconvidaVittorioparafazercomprasparaoenxoval juntocomeleeCarol.CésarordenaqueMassaosejaeliminado. João Amaro usa Mano para resgatar o celular de Massao que está com Damasceno. César ouve Alice dizer que continuará ainvestigaçãosobreaexplosãonatraineira.Dorasentefortes dores eTiago a socorre. D iana é atacada por uma fã de Léo. Edith, Nelson e os filhos conversam sobre a situação da Som Discos. Júlia ouve a conversa entre Beatriz e Alex. Gui se embriaga em um bar. Lázaro tenta conter a raiva quando Léo fala sobre a noite que passou com Diana. Gordo lamenta ter que demitir músicos antigos da gravadora. Néia não gosta de saber que LéoconvidouDianaparajantaremsuacasa.ZacencontraGui e dá um ultimato no pai. Rapidinhas Correio do Sul Segunda-feira, 28 de novembro de 2016 Áries 21/03a20/04 21/04a20/05 21/05a20/06 21/06a20/07 21/07a20/08 21/08a20/09 21/09a20/10 21/10a20/11 21/11a20/12 21/12a20/01 21/01a20/02 21/02a20/03 A amplitude de coisas para se fazer neste dia, irá te ajudar a tomar melhores decisões. Os números que se referem a marte te ajudarão bastante. Usará a sua intuição de forma acertada durante este dia. Leão Sagitário Suapropensãoparanovasideiasserábloqueada.Procure uma filosofia mais amena que de mais sentido aos seus objetivos. O fogo só irá te ajudar no processo de novas ideias.Porémacrediteedesistadaquiloquevocêquer. Gêmeos Aduplicidadevoltaráaincomodá-loduranteodia.Precisará usar mais sua inteligência para superar. Tente evitar um contato muito próximo com pessoas de leão. Porém não será um dia tão ruim, pois Marte e Mercúrio trarão alguns benefícios. Libra Manteráatranquilidadenamaiorpartedodia.Algunsacon- tecimentospodemmexerumpoucocomvocê.Comtudo apaztendeaprevalecer.Noquepodeserentendidocomo umacontinuidadedasatividadesemsaturno. Aquário Touro Sua garganta estará com um pouco de pigarro. Isso pode indicarquesuateimosiaestáatrapalhando.Tudoindicaqueé afaltadeatividadedemercúrioemrelaçãoasuaconstelação. Deve mudar um pouco sua personalidade. Virgem Irá identificar muito bem determinados padrões nas pessoas. Isso será causado provavelmente pelo que se passaemUrano.Tendeafazermaisusodasuapraticida- deelevandoumpoucomaisaorganizaçãodoambiente. Capricórnio A sua forma simples de viver será motivo de orgulho. Algumas pessoas que conhece reconhecerão esta sua qualidade. Dificilmente sofrerá revés hoje. Júpiter te beneficiará neste aspecto tão realista de sua parte. Siga emfrente. Câncer Nestevocêtendeadiminuirasensibilidadeeproblemasfortes deemoção.Marteirágerarumagrandeinfluênciaparavocê serecuperar.Porémaindahaveráalgumasindisposições.Deve passar bem, mas seja mais prudente. Escorpião Suascolocaçõesserãofeitasdeformamuitomaisprofunda. Issopodetetornarmaischatoentreosseusamigos.Porém Uranopodevirlheajudarnestaquestãodespertandooseu espíritotransformador.Paradevemudaralgumasopiniões. Peixes O seu estado de espírito estará mais elevado neste período. ComasatividadespositivasdeNetunoemrelaçãoaoseusig- no tende a ser mais condescendente com os que o rodeiam. Também irá se apresentar mais amável. Cosmicamente fluíra tudo muito bem. Poucas interven- çõesacontecerãonoseudia.Procuremanteressafluidez exaltandoseuspontosfortesepositivos.Suarelaçãocom Áriestendeaserreciprocamentedecordialidades. Para encontrar o equilíbrio emocional, dependerá muito da relação com os signos Gêmeos e Libra do elemento Ar. Por outro lado você mostrará de certa forma muito quietosemmuitasreações.Envolva-seematividadesmais apaixonantes. ArianeVenâncio saiu rouca do último jogo do Palmeiras de tanto gritar na torcida pelo time. Atual musa do clube, ela já está ansiosa pela partida decisiva do Brasileirão neste domingo, 27, quando o time enfrenta o Chapecoense no Allianz Parque, em São Paulo. Sua aposta?“Dois a zero. Creio muito que vai dar tudo certo. E já deu”. Formada em Gestão Ambiental, Ariane, de 26 anos, largou a carreira para se dedicar aos trabalhos como modelo. A moça, que também atua como professora de inglês e é destaque de chão na escola de samba ManchaVerde, promete uma surpresa para os torcedores, caso o“Verdão”leve o título para casa. Sasha está arrasando na sua já bada- lada carreira de modelo. Depois de arre- batar todos os flashes durante sessão de fotos pelas ruas deTóquio, no Japão para a campanha da coleção que assina para a marca Coca-Cola Jeans, a estudante de moda ganhou declaração toda orgulhosa da mãe. Xuxa Meneghel compartilhou uma foto da filhota nos bastidores e se derreteu em elogios. Z elito alerta Jéssica para o perigo de seu envolvimento com Tião. Helô percebe que foi usada por Letícia para agradar Tiago. Zelito jura vingança contra Tião a Wesley. Edu critica a maneira como Tião administra a casa. Tião tenta seduzir Magnólia. Tiago desaponta Letícia ao deixar claro que não quer sua companhia. Rodney identifica Gustavo como o homem que rondava o posto. Salete admite Gustavo como frentista do posto.
  • 9. Geral 9Correio do Sul Segunda-Feira, 28 de novembro de 2016 > STA ROSA DO SUL O novo delegado da Polícia Ci- vil da comarca de Santa Rosa do Sul, Bruno Fernandes, já está na região e deve assumir sua função ainda esta semana. Ele substitui o colega Luiz Vanderlei Salla, que se aposentou, e passa a ser responsável pelo município sede da comarca e também Passo de Torres, São João do Sul e Praia Grande. Bruno tem 26 anos, é de Tubarão e se diz “muito feliz” por voltar a polícia, depois de um período trabalhando na Defensoria Pública. Ele também já foi policial militar. Novodelegadoassumeestasemana Santa Rosa O Correio do Sul con- versou com o novo delega- do. Acompanhe: CS: O Senhor já bus- cou algumas informa- ções sobre a comarca de Santa Rosa do Sul. Qual sua expectativa ao assumir a delegacia nos próximos dias? Bruno: As melhores possíveis. Ouvi muitos elogios em relação aos policiais da comarca de Santa Rosa do Sul e de suas delegacias agrega- das, de Passo de Torres, São João do Sul e Praia Grande. Como já adiantei para alguns deles, estou entrando para somar com a equipe desses valorosos policiais. E, bem para isso, também conto com a colaboração da população Delegado Bruno chega com disposição para trabalhar Grupos atendidos pelo social fizeram apresentação > PRAIA GRANDE O secretário de esta- do de Assistência Social, Trabalho e Habitação, Geraldo Althoff, acom- panhado do secretário executivo da Agência de Desenvolvimento Regio- nal (ADR) deAraranguá, Ivan Ávila, e do prefeito Valcir Darós, inaugurou na manhã de sexta-fei- ra, em Praia Grande, o Centro de Referência de Assistência Social (Cras) localizado no bairro Har- monia, evento prestigia- do por demais lideranças e comunidade. O prédio foi cons- truído pelo governo do estado, por meio do Pac- to pela Proteção Social, com investimento supe- rior a R$ R$ 320 mil na construção do espaço e aquisição de mobília. O terreno foi cedido pela prefeitura, que também será responsável pela gestão do Centro. Hoje, cerca de 300 famílias são atendidas mensalmente pelo Cras de Praia Grande, prin- cipalmente através do Programa de Atendi- mento Integral à Família (PAIF). “Nossa equipe realiza um belo trabalho, que nos enche de orgu- lho. Muitas crianças que estão no coral do serviço de convivência e fortale- cimento de vínculos do Peti, por exemplo, tam- Secretário inaugura Crasbém integram a Orques- tra Municipal”, destacou o prefeito. GeraldoAlthoff infor- mou que 44 obras como esta foram inauguradas no estado, e outras 44 se- rão entregues no próximo ano, além de 28 Centros Especializados (Creas), totalizando 117 novas unidades de assistência social para suporte ao atendimento oferecido pelos municípios. “Esta estrutura dá a oportuni- dade para que as pesso- as que mais necessitam sejam bem recebidas e acolhidas de maneira digna. É uma pequena obra, mas que possui um grande significado”, disse. O secretário execu- tivo da ADR enalteceu a parceria que resultou na construção e entrega da unidade de proteção social básica do Siste- ma Único de Assistência Social. O Cras tem por obje- tivo prevenir ocorrências de situação de vulnerabi- lidade social decorrente da pobreza ou privação como ausência de renda ou fragilização de vín- culos afetivos ou relacio- nados a discriminações etárias, étnicas, de gê- nero ou por deficiências, entre outras. Também participa- ram da solenidade de inauguração o deputado estadual Manoel Mota, vice-prefeito Nereu Sche- ffer, vice-prefeito eleito Mack Citadin, presidente da câmara de vereadores Sérgio Boeira,gerentes regionais da ADR Ara- ranguá, coordenadora do Cras Celi Pereira Lima, assessora de governo Gisela Steiner Scaini, primeira-dama Angela Darós, secretários e di- retores municipais, entre outras lideranças. destes municípios. Polícia Civil e a comunidade de- vem ser parceiras, devem trabalhar juntas, lado a lado. Só assim se atingi- rá um elevado nível de resolubilidade de crimes, de modo a trazer uma maior tranquilidade à população. CS: Como suas ex- periências profissionais anteriores, na PM e na Defensoria, podem aju- dar em sua nova função? Bruno: É sempre im- portante termos experi- ência teórica e prática para o exercício de qual- quer função. Em relação à Polícia Militar e à Defen- soria Pública, essa baga- gem se mostrou extrema- mente útil, já que são dois atores essencialmente importantes no âmbito da persecução criminal. Sem dúvida alguma, ao entender e compreender um pouco das dificulda- des e os desafios de cada Instituição, torna-se mais fácil visualizar cada órgão público como engrenagem de um mesmo sistema. Numa última análise, enquanto a Polícia Militar me muniu de uma experi- ência operacional muito grande, já que é a primei- ra a encarar os desafios de uma ocorrência policial, a Defensoria Pública me muniu com uma baga- gem jurídica necessária ao exercício da função de Delegado de Polícia. CS: Quais serão suas primeiras ações ao assu- mir a comarca? Bruno: Em termos práticos, pretendo conver- sar com os representantes de cada instituição públi- ca. Como já adiantado, a Polícia Civil deve traba- lhar de forma harmônica com cada uma delas. E só estreitando esses laços institucionais é que se chegará a bons resulta- dos. Após isso, também conversar com os policiais que lá se encontram. Nin- guém melhor que o pró- prio policial – seja civil ou militar, rodoviário ou federal – para mencionar as dificuldades e neces- sidades da localidade. Traçado esse perfil, dar ênfase às investigações criminais já iniciadas e que ainda estão em curso. Por fim, dar uma especial atenção ao município de Passo de Torres. Como faz divisa com o Rio Grande do Sul, é natural que se torne rota de fuga de di- versos criminosos, sejam gaúchos ou catarinenses. Para isso, também con- tamos com o auxílio da Polícia do Rio Grande do Sul.
  • 10. Publicidade10 Correio do Sul Segunda-Feira, 28 de novembro de 2016
  • 11. Publicidade 15Correio do Sul Segunda-Feira, 28 de novembro de 2016
  • 12. Publicidade16 Correio do Sul Segunda-Feira, 28 de novembro de 2016
  • 13. Geral 17Correio do Sul Segunda-Feira, 28 de novembro de 2016 Pescadoresfazemapeloaoministro Menos Burocracia Lideranças de toda a região participaram do encontro sobre pesca com o ministro Maggi Barco encalhado chamou a atenção dos moradores locais > PASSO DE TORRES Na manhã da última sexta feira, o barco Eclip- se V encalhou ao tentar entrar, vindo do mar, na barra do rio Mampituba, em Passo de Torres. A embarcação voltava de uma pescaria com dez tripulantes a bordo. Acos- tumados com a água, o grupo manteve a calma até a chegada do socorro. Eles pediram auxílio ao Corpo de Bombeiros, ex- plicando que o barco ficou encalhado em um banco de areia que se formou no foz do rio. Os bombeiros foram até o local usando mo- tos aquáticas (Jet-ski) e iniciaram a operação de salvamento retirando os pescadores e amarrando o Eclipse nas margens do rio, de onde posterior- mente ele foi rebocado e desencalhou. Segundo os bombei- > SOMBRIO Nesta segunda-feira, às 19 horas, acontece a formarura do curso de Bombeiros da Melhor Ida- de, em Sombrio. Como parte das atividades que estão se encerrando, na última quinta-feira os alunos realizaram uma viagem de estudos para Florianópolis. > ESTADO O ministro da Agricultura, P e c u á r i a e Abastecimento, Blairo Ma- ggi, participou de reunião com o setor da pesca na Assembleia Legislativa de Santa Catarina, na sexta- -feira, a convite do Fórum Parlamentar Catarinense. Durante o encontro, auto- ridades e representantes do setor apresentaram as principais demandas do estado. A falta de pessoal no ministério, a renovação de licenças e de carteiras de trabalho, a pesca com rede anilhada e as datas para a pesca da tainha foram assunto de algumas rei- vindicações apresentadas. Referência nacional na produção de pescados, Santa Catarina conta com aproximadamente 25 mil pescadores artesanais e seis mil pescadores in- dustriais que dependem da legislação federal para continuarem trabalhando. O secretário de Estado da Agricultura e da Pesca Moacir Sopelsa destaca que o principal entrave para o setor pesqueiro é o Barcoencalhanaentradadorio BombeirosdaMelhorIdadeseformam ros, como já era de se pre- ver a embarcação sofreu algumas rachaduras no casco fazendo com que a água entrasse no porão, necessitando então de uma bomba para retirar a água. O barco foi levado até o estaleiro de Passo para os reparos. Nenhum O grupo teve a oportu- nidade de visitar o Bata- lhão de OperaçõesAéreas, onde conheceram as ae- ronaves disponíveis para atendimento a população bem como os equipamen- tosutilizadosnosresgates. Após deslocaram-se até o Centro de Ensino Bom- beiro Militar, e puderam ver as instalações onde os bombeiros catarinense são formados e também dos tripulantes sofreu feri- mentos, somente o susto e o prejuízo. O barco encalhado chamou atenção da popu- lação, e dezenas de pes- soas de Passo de Torres e Torres foram para os molhes para ver o trabalho de resgate. conhecer a rotina dos alu- nos. Por fim, foram recep- cionados pela guarnição de serviço do quartel do Grupo de Busca e Salva- mento, onde viram todos os equipamentos, viaturas e embarcações utilizadas no serviço operacional. A turma que se forma na noite de hoje tem 39 alunos, todos acreditando que nunca é tarde para novos aprendizados. Fábio Queiroz/ Agência AL Reivindicações excesso de burocracia que, muitas vezes, inviabiliza o trabalho dos pescadores. “Temos pendências nos licenciamentos, tanto para os barcos artesanais quan- to para os comerciais, e também perdemos o subsí- dio do óleo diesel. Com isso, o custo em Santa Catarina ficou muito mais caro para os pescadores”, disse. Blairo Maggi reconhe- ceu as dificuldades. “A bu- rocracia interna atrapalha muito, e muitas vezes, o go- verno não consegue ajudar. Precisamos entender quais são os problemas, onde eles estão e, numa escala de um a dez, quais são as priorida- des.” O ministro destacou que a pesca possui ações compartilhadas com o Mi- nistério do MeioAmbiente. “A definição das espécies que podem ser pescadas e os períodos em que podem ser pescadas são questões que não dependem do Mi- nistério da Agricultura. Mas a gente deve facilitar e criar as condições para que os pescadores possam tra- balhar”, comprometeu-se. Para o secretário adjunto da Agricultura de Santa Catarina, Airton Spies, a gestão compartilhada entre os Ministérios da Agricultura e do Meio Am- biente acaba tornando o processo burocrático ainda mais complexo. “Ao longo dos anos, se acumulou um entulho burocrático repre- sentado por leis, decretos, portarias, instruções nor- mativas e resoluções que criaram muita insegurança jurídica e dificuldades para o setor trabalhar”, ressalta. A falta de pessoal para o atendimento do setor no Ministério daAgricultura é um fator crítico, conforme apontaram os dirigentes de entidades. Ivo Silva, presidente da Federação dos Pescadores de Santa Catarina, cobrou que o ministério disponibilize técnicos para melhorar a estrutura de atendimento e agilizar a renovação das carteiras dos pescadores. Também pediu a liberação de cotas para pesca com rede anilhada, tal como existe em outros países, e a criação de uma licença de pesca única, e não por espé- cie. “O maior problema das colônias de pescadores é a manutenção das carteiras de trabalho. Com poucos técnicos para o atendimen- to, o ministério não tem estrutura para dar o visto e fazer a renovação das carteiras.As colônias estão sendo prejudicadas, com carteiras suspensas, que podem vir a ser cancela- das. Os pescadores podem ser prejudicados nos pro- jetos sociais do governo, como seguro-desemprego, aposentadoria, Pronaf e outros benefícios”, expli- cou. “Nós temos que olhar para as prateleiras das nossas legislações e ver o que não serve mais,” com- prometeu-se Blairo Maggi. O ministro também anun- ciou que O governo federal fará um recadastramento nacional dos pescadores, informou o ministro. “Va- mos manter no Registro Geral da Atividade Pes- queira quem realmente for pescador. Quem não for, será excluído”, avisou.
  • 14. Publicidade18 Correio do Sul Segunda-Feira, 28 de novembro de 2016
  • 15. Pelo Estado 19Correio do Sul Segunda-Feira, 28 de novembro de 2016 [PeloEstado] - Qual é o papel da Apesc? Gerson Berti - A Apesc surgiu há cerca de oito anos decorrente da necessidade de organização dos empreendedores que atuam no segmento de energia elétrica. Havia uma série de dificuldades de ordem burocrática, institu- cional e regulatória que inibiam os investimentos no setor. Santa Catarina tem potencial a ser ex- plorado e que estava sem a priori- zação necessária, seja em geração hídrica, eólica, solar ou biomassa, fontes consideradas sustentáveis e alternativas. Enquanto a inicia- tiva privada sempre quis investir, e investiu mesmo com os grandes riscos, a parte pública não enxer- gava esse potencial com clareza. [PE] - O estado é competitivo nessas fontes alternativas? Berti - O potencial é grande em todas as fontes, mas não conse- guimos competitividade em eóli- ca e solar. Nossos ventos não são constantes, como ocorre no Nor- deste ou em áreas do Rio Grande do Sul, e os parques solares são empreendimentos que têm como perfil ideal terra barata e Sol forte ao longo do maior período possível do ano, condições que se encontram no semiárido brasi- leiro, também no Nordeste. Em contrapartida, em geração hídri- ca nós temos o estado da arte em Santa Catarina. [PE] - O que isso significa? Berti - Temos toda a indústria verticalizada no estado. Não fal- ta nada! Projetos, estudos am- bientais, engenheiros e emprei- teiros especializados, indústria voltada a motores, eletromecâ- nica, sistemas de automação e monitoramento. Mesmo assim, estávamos tendo dificuldades de PeloEstado Entrevista GERSON PEDRO BERTI Graduado em Administração e em Direito, tem especialização em Auditoria. É auditor fiscal de Tributos Estaduais, da secretara de Estado da Fazenda, aonde chegou a atuar como diretor da Dívida Pública. Foi conselheiro no BESC (Fiscal) e na Casan (Administração), diretor Econômico-Financeiro e de Relações com Investidores da Celesc, diretor-presidente da SC Parcerias e diretor de Desenvolvimento Sustentável da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Sustentável (SDS). Na SDS, idealizou o Programa SC+Energia e foi diretor responsável pelo Programa de Incentivo e Atração de Indústrias para o Estado (Prodec). Foi chefe de gabinete da presidência da Eletrosul e atualmente é assessor da presidência do Instituto de Previdência (Iprev-SC) para Fundos de Investimentos. No dia 23 de junho, tomou posse como presidente da Associação dos produtores de Energia do Estado de Santa Catarina (Apesc) e foi nesta condição que Gerson Berti concedeu entrevista exclusiva à Coluna Pelo Estado. Ele fala sobre o momento do setor e ressalta a importância do potencial de geração de energia que existe em Santa Catarina, principalmente hidroeletricidade, na qual o estado é competitivo. Você poderá ler a íntegra da entrevista em www.centraldediarios.com.br ter esses projetos aptos a partici- par dos leilões da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica). A Apesc tratou de trabalhar para desobstruir esses gargalos, jun- tando todos os agentes interes- sados no processo de desenvolvi- mento do setor. E aí chegaram os investidores, porque enquanto os agentes produtores de mer- cado estavam atuando, era algo que não se via. Mas, no período de 2000, com a crise do setor elé- trico, com os apagões, a atenção voltou-se muito à pequena gera- ção. O país tem uma capacidade limitada de fazer os grandes em- preendimentos, que demandam uma capacidade financeira muito alta. Já a PCH (Pequena Central Hidrelétrica) geralmente é feita com a soma das poupanças de um advogado, um dentista, um médico, um engenheiro... de pes- soas do local, que enxergaram a oportunidade. É uma alternativa de investimento até para o pe- queno poupador. Existem PCHs ou CGHs (Central Geradora Hi- drelétrica) com 30, 40, 50 sócios. Enquanto a PCH produz de 5 a 30 megawatts (MW), a CGH pro- duz somente até 5 (MW) e a UHE (Usina Hidrelétrica) produz aci- ma de 30 MW. [PE] - Isso explica o sucesso re- cente no leilão da Aneel? Berti - Sim. Das nove usinas cata- rinenses vencedoras no Leilão de Reserva da Aneel, realizado em setembro, oito estão cadastradas no Programa SC+Energia, num total de mais de R$ 164 milhões em investimentos. No total, con- correram 16 projetos de PCHs e 18 de CGHs, totalizando 137 megawatts (MW). Há dois anos, Santa Catarina praticamente não tinha projetos nos leilões do go- verno federal. Agora, devemos crescer em geração hídrica. Nos- sa condição para avançar é tra- zer mais e mais associados para sermos percebidos como uma entidade representativa forte. Para isso, precisamos ter conosco também as grandes geradoras. E vamos conversar com todas. [PE] - O senhor sabe estimar quantas pessoas estão envolvidas com esse mercado no estado? Berti - Eu presumo que esse setor da economia catarinense empre- gue e aglutine algo entre 200 mil a 300 mil pessoas, direta ou indi- retamente, em uma cadeia com- plexa e ampla. E a tendência é de crescimento, por conta do progra- ma SC+Energia, sobre o qual fa- lei, de incentivo a fontes limpas de geração de energia. O programa estima um potencial de mil me- gawatts, lembrando que cada me- gawatt tem um custo de implan- tação variando de R$ 5 milhões a R$ 6 milhões. Ou seja, temos aí uma projeção perto de R$ 6 bi- lhões de investimentos no setor. E tudo isso dinamiza a economia, desde o período de planejamento e projetos, até a operação, passando pela execução do projeto. [PE] - Hoje a Apesc tem quantos associados? Berti - São 79 associados ativos, sendo que 40 são geradores de energia e 39 são prestadores de serviços, indústrias, empresas de engenharia e pessoas físicas. Há ainda uma quantidade que queremos atrair e nossa meta inicial é chegar a 100 associados. Queremos associar também os simpatizantes desse movimento, mas o foco principal é o gerador. É aquele que precisa de uma re- presentatividade política forte, porque os debates são muito fre- quentes, assim como as mudan- ças na legislação. Recentemente, junto com a Associação Brasi- leira de PCHs, tivemos algumas vitórias importantes, com várias modificações na lei que benefi- ciam nossos associados. Mas isso só foi possível pela força do asso- ciativismo... [PE] - Também no setor de ener- gia. Berti - Também. O debate só é colocado em pauta pela força de uma associação. Você é mais respeitado quando é recebido na Aneel, na EPE (Empresa de Pesquisa Energética), na Assem- bleia, no Congresso. O que se faz é uma espécie de catequese, por- que a ignorância é uma arma. Ignorar as coisas como são é uma posição confortável. É bom quando nos dão oportunidade de explicar o que é energia e de onde ela vem, as consequências para o país ou para o estado quando se pretere um empreendimento de geração. Às vezes se faz uma for- ça tremenda para trazer uma em- presa lá do outro lado do mundo para se instalar aqui e não se dá atenção a esses pequenos investi- dores, que são nossos vizinhos e que, em última análise, garantem a instalação da empresa que vem lá do outro lado do mundo. [PE] - Como está, em Santa Cata- rina, a geração distribuída? Berti - Em termos relativos, San- ta Catarina é o segundo estado do país em investimentos nessa solu- ção. Tínhamos 32 em 2014 e hoje são cerca de 200. E para onde se olha tem um telhado que pode receber sistema de geração solar. A meta é chegar a mil telhados para ganhar escala. A microgera- ção distribuída, aquela que não é concentrada em um grande em- preendimento, mas pode se dar a partir de sua casa, está muito em voga. E está sendo incentivada com benefícios fiscais e normati- vas que permitem que você gere sua energia, utilize o que precisar e o excedente segue para a rede de distribuição, para o sistema. Ainda existem dificuldades técni- cas e de regulação que precisam ser transpostas, mas estamos avançando bem. É um mercado a ser consolidado porque o cami- nho é a autossuficiência energéti- ca. Estimo que em uma década ou pouco mais o mundo terá duas ou três vezes mais necessidade de energia do que tem hoje. Mesmo que os equipamentos sejam cada vez mais eficientes. Concomitan- temente, as tecnologias para pro- dução de energias limpas estão evoluindo e barateando. [PE] - Como estimular mudanças nesse sentido? Berti - Aí está um debate impor- tante. As pessoas com mais sen- sibilidade ao aquecimento global, que já aquece a água de casa com o calor do sol e captam água da chuva, fazem investimentos por sua conta e risco, sem incentivos. Hoje, esse investimento pode va- riar de R$ 30 mil a R$ 50 mil. Precisamos oferecer linhas de crédito para essas pessoas, e mui- tas mais, substituírem suas fatu- ras de energia por uma conta de financiamento de três ou quatro anos para pagarem seus sistemas de microgeração. E terá 20 ou 30 anos de geração própria e gratui- ta. A geração distribuída é uma garantia para o sistema, pois não exige grandes linhas de transmis- são. E é uma garantia para o con- sumidor, pois terá energia mesmo se o sistema de distribuição da ci- dade inteira cair. O BRDE já tem linhas de financiamento. Agora é preciso disseminar a ideia. Berti: em uma década o mundo vai precisar de três vezes mais energia Por Andréa Leonora redacao@peloestado.com.br
  • 16. Publicidade20 Correio do Sul Segunda-Feira, 28 de novembro de 2016
  • 17. Publicidade 21Correio do Sul Segunda-Feira, 28 de novembro de 2016
  • 18. SãoLuizécampeãosub11 Segunda-feira, 28 de novembro 2016 > RECIFE Com um apagão nos cinco minutos finais, o Grêmio acabou goleado por 5 a 1 para o Santa Cruz na noite deste do- mingo, em Recife, pela 37ª rodada do Brasileirão. E tudo aconteceu na etapa fi- nal. O time até empatou o jogo, mas logo em seguida levou o segundo. Porém, entre os 40 e os 45 minu- tos, os reservas tricolores sofreram mais três gols AtletasdizemqueGrêmio "desligou"etiramlições degoleadaparafinal > ARARANGUÁ S ombrio mais uma vez mos- tra o fruto do trabalho e talento de professores e alunos das escolinhas. Desta vez o reconhecimento vai para a escolinha do bairro São Luiz, que venceu o campeonato da LAVM (Liga Amadora do Vale Mampituba)categoria sub 11 2016, no último sábado. Sob o comando dos professores Rodrigo, Norton e Matheus Ro- cha, os jogadores do time sub 11 tiveram uma jornada muito boa no regional. "Hoje foi um dia muito importante para minha vida como pro- fessor/treinador, pois foi um dia da conquista de um dos títulos mais importantes", disse Ma- theus. Ele agradece aos pais e responsáveis que estão sempre apoiando e torcendo pelos seus filhos, ao Departamento de Esportes de Sombrio pelo suporte, aos orga- nizadores da competição e aos colegas Rodrigo e Norton. que decretaram o placar. Único jogador titu- lar na partida devido à suspensão na final da Copa do Brasil, o atacan- te Pedro Rocha afirmou que a equipe "desligou" depois do gol de empate e ressaltou a qualidade do adversário, que já está rebaixado. – A gente desligou no jogo, não pode fazer isso. O Santa Cruz tem um time de qualidade, mas isso não pode acontecer – disse Pedro. 14-19-32-37-70CONCURSO 4.243 QUINA 26/11 04-08-10-14-42-43 13-16-19-23-25-40 CONCURSO 1.574 DUPLA SENA 26/11 05-16-19-37-51-56 CONCURSO 1.880 MEGA SENA 26/11 Confira os resultados: Jogo 1: Escolinha São Luiz 3 x2 Meleiro Gols: Kauan Rosa, Pedro, Arthur Local: Estádio Antônio Sant Helena Jogo 2: Turvo 0 x 3 Escolinha São Luiz Gols: Domingos, Lucas e kauan Rosa Local: Turvo Jogo 3: Escolinha São Luiz 1 x 0 Amja Vencedor por W.O Jogo 4: Escolinha São Luiz 2x 0 Guarani Gols:Luan e Gavilan Local: Guarita Semi final: Escolinha São Luiz 2x1 São João do Sul Gols: Luan e Kauan Rosa Local: Guarita Final : Escolinha São Luiz 3x1 Guarani Gols:Kuan Rosa, Antony e Gavilan Local: Estádio Antônio Sant Helena Leandro Rodrigues
  • 19. 23Correio do Sul Segunda-Feira, 28 de novembro de 2016 Brasileirão Série B Brasileirão Série A EDITAL DE INTIMAÇÃO ARLINDO EDÍLIO DA ROSA, Titular do TABELIONATO DE NOTAS E PROTESTOS DE TÍTULOS desta Comarca de Sombrio, situado na Av. Nereu Ramos, 1300 - Fone (48) 3533-0318 - CEP 88960-000, atendimento das 08:00h - 12:00h e 14:00h - 18:00h, faz saber na forma da Lei aos que o presente EDITAL virem, que se encontram nesse tabelionato para serem protestados, decorrido o prazo legal de 03 (três) dias úteis, por não terem sido encontrados nos endereços fornecidos, ou por se recusarem a tomar conhecimento, os títulos cujos responsáveis estão abaixo discriminados. Ficam esclarecidos, também, de que nesse mesmo prazo poderão apresentar resposta escrita, que não impedirá a lavratura do protesto. PROT. APRESENTANTE / CNPJ DEVEDOR / CNPJ Prot: 152386; Devedor(es): AUTO POSTO J.B.C. LTDA. - 05.763.710/0001-97, End: Av. Papa João XXIII, 1009, SOMBRIO; Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: Procuradoria Geral da Fazenda Nacional; Sac: Procuradoria Geral da Fazenda Nacional; Tit: 39.201.430- 0 ; Apr: 1ª VARA DA COMARCA DE SOMBRIO-SC; VEN: 06/01/2012; Esp: Certidão de Dívida Ativa; Val: R$ 2.008,31 + Juros Legais (1% a.m.); Emol.: R$ 51,86. Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 30,00 - Condução R$ 6,86 - Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 51,86. Prot: 152387; Devedor(es): AUTO POSTO J.B.C. LTDA. - 05.763.710/0001-97, End: Av. Papa João XXIII, 1009, SOMBRIO; Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: Procuradoria Geral da Fazenda Nacional; Sac: Procuradoria Geral da Fazenda Nacional; Tit: 39.004.371- 0 ; Apr: 1ª VARA DA COMARCA DE SOMBRIO-SC; VEN: 06/01/2012; Esp: Certidão de Dívida Ativa; Val: R$ 18.428,34 + Juros Legais (1% a.m.); Emol.: R$ 51,86. Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 30,00 - Condução R$ 6,86 - Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 51,86. Prot: 152388; Devedor(es): AUTO POSTO J.B.C. LTDA. - 05.763.710/0001-97, End: Av. Papa João XXIII, 1009, SOMBRIO; Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: Procuradoria Geral da Fazenda Nacional; Sac: Procuradoria Geral da Fazenda Nacional; Tit: 39.004.370- 2 ; Apr: 1ª VARA DA COMARCA DE SOMBRIO-SC; VEN: 06/01/2012; Esp: Certidão de Dívida Ativa; Val: R$ 6.696,73 + Juros Legais (1% a.m.); Emol.: R$ 51,86. Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 30,00 - Condução R$ 6,86 - Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 51,86. Prot: 152389; Devedor(es): AUTO POSTO J.B.C. LTDA. - 05.763.710/0001-97, End: Av. Papa João XXIII, 1009, SOMBRIO; Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: Procuradoria Geral da Fazenda Nacional; Sac: Procuradoria Geral da Fazenda Nacional; Tit: 36.837.892- 6 ; Apr: 1ª VARA DA COMARCA DE SOMBRIO-SC; VEN: 06/01/2012; Esp: Certidão de Dívida Ativa; Val: R$ 4.595,05 + Juros Legais (1% a.m.); Emol.: R$ 51,86. Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 30,00 - Condução R$ 6,86 - Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 51,86. Prot: 152390; Devedor(es): AUTO POSTO J.B.C. LTDA. - 05.763.710/0001-97, End: Av. Papa João XXIII, 1009, SOMBRIO; Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: Procuradoria Geral da Fazenda Nacional; Sac: Procuradoria Geral da Fazenda Nacional; Tit: 39.201.431- 9 ; Apr: 1ª VARA DA COMARCA DE SOMBRIO-SC; VEN: 06/01/2012; Esp: Certidão de Dívida Ativa; Val: R$ 8.413,64 + Juros Legais (1% a.m.); Emol.: R$ 51,86. Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 30,00 - Condução R$ 6,86 - Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 51,86. Prot: 152273; Devedor(es): CLEUSA SILVA PADILHA - 828.555.010-91, End: Av. Irere, 1236, Balneário Gaivota; Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: LEOPOLDO CARDOSO PADILHA; Sac: LEOPOLDO CARDOSO PADILHA; Tit: 000000004 ; Apr: COOPERATIVA DE CREDITO DE LIVRE ADMISSAO; VEN: 10/11/2016; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: R$ 179,16 + Juros Legais (1% a.m.); Emol.: R$ 87,29. Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 46,00 - Condução R$ 26,29 - Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 87,29. Prot: 152418; Devedor(es): LUCIANO DE ASSIS ROSA - 093.209.229-26, End: Av. Getulio Vargas, S/N, Sombrio; Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: NIQUELE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO; Sac: NIQUELE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO; Tit: 833-2/010 ; Apr: CAIXA ECONÔMICA FEDERAL; VEN: 10/11/2016; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: R$ 180,00 + Juros Legais (1% a.m.); Emol.: R$ 51,86. Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 30,00 - Condução R$ 6,86 - Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 51,86. Prot: 152400; Devedor(es): ROSELI MARIANO DAMASIO ROCHA - 006.451.059-02, End: Rua M, 958, Balneario Gaivota; Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: NOVA GAIVOTA COBRANCAS E ZELADORIA LTDA; Sac: NOVA GAIVOTA COBRANCAS E ZELADORIA LTDA; Tit: 219 ; Apr: BANCO BRADESCO S A; VEN: 24/10/2016; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: R$ 250,00 + Juros Legais (1% a.m.); Emol.: R$ 84,18. Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 46,00 - Condução R$ 23,18 - Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 84,18. Prot: 152289; Devedor(es): SIMONE RODRIGUES CAETANO - 792.591.039-91, End: Av. Antonio Sant'Helena, S/N, Sombrio; Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: CONFECCOES MATTRIC LTDA; Sac: CONFECCOES MATTRIC LTDA; Tit: 11760 ; Apr: FCDL; VEN: 19/03/2016; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: R$ 314,16 + Juros Legais (1% a.m.); Emol.: R$ 51,86. Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 30,00 - Condução R$ 6,86 - Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 51,86. Prot: 152343; Devedor(es): TEREZINHA GHISI SILVESTRE 024393269 - 25.695.327/0001-56, End: Rua Padre João Reitz, 277, Sombrio; Tip: Normal; Mot: Falta de pagamento; Ced: EXPLODE NUTRITION IND E COM DE SUPLEMENT; Sac: EXPLODE NUTRITION IND E COM DE SUPLEMENT; Tit: 0000005851 ; Apr: BANCO BRADESCO S A; VEN: 17/11/2016; Esp: Duplicata de Venda Mercantil por Indicação; Val: R$ 376,56 + Juros Legais (1% a.m.); Emol.: R$ 51,86. Apontamento R$ 15,00 - Selo R$ 1,70 - Distribuição R$ 0,00 - Diligência R$ 30,00 - Condução R$ 6,86 - Digitalização R$ 0,00- Total Emolumentos R$ 51,86. Certifico, para os devidos fins, que o presente edital foi afixado no mural da serventia em: 28/11/2016. Sombrio - SC, 28/11/2016 ARLINDO EDÍLIO DA ROSA EDITAL DE CONVOCAÇÃO Nº. 053/2016 PROCESSO SELETIVO - ACT - EDITAL 001/2016 (SAÚDE) Pelo presente Edital, o Prefeito Municipal de Sombrio, Sr. ZÊNIO CARDOSO, vem a público convocar o candidato aprovado no Processo Seletivo – ACT - 001/2016, (Saúde), para o cargo de: Médico (ESF), abaixo relacionado, sendo que o referido candidato deverá apresentar- se no Departamento de Recursos Humanos da Prefeitura Municipal de Sombrio, munido dos documentos exigidos pelo Edital de Processo Seletivo – ACT - Edital nº. 001/2016, (Saúde), para contratação imediata: DISCIPLINA: 09 – MÉDICO (ESF) Nome do Candidato Classificação Celiza Enya Horino Isoppo 1 Município de Sombrio- SC, 25 de novembro de 2016. Zênio Cardoso Prefeito Municipal
  • 20. SEGUNDA-FEIRA, 28 DE NOVEMBRO DE 2016