SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 16
Baixar para ler offline
Correio do SulANO XXVI EDIÇÃO Nº 5.090 R$ 2,00SEGUNDA-FEIRA, 23 DE JANEIRO DE 2017
www.grupocorreiodosul.com.br
29º 21º
Pancadas de Chuva - Chuva de curta duração
e pode ser acompanhada de trovoadas a
qualquer hora do dia.
Previsão para hoje Extremo Sul Catarinense
POLÍCIA INVESTIGA A MORTE DO
EX-PREFEITO JOÃO BONAMIGO
ARQUEÓLOGOS ENCONTRAM
ARTEFATOS NA SERRA DA ROCINHA
GAIVOTANA OBRA Pag 11Pag 7
Voluntários
recolhem quase
duas toneladas de
lixo em Ilhas
Pagina 3
Limpeza
MortedeBonamigodeixavácuonoPMDB
Descontente
PSD de Araranguá está de nariz torcido
com o prefeito Mariano Mazzuco Neto
(PP). Cúpula do partido imaginava que
sigla seria mais aproveitada na gestão
do progressista, o que não estaria acon-
tecendo. Nem mesmo a nomeação do
ex-vereador Giancarlo Soares de Souza
(PSD) para a Secretaria de Governo, con-
tentou a fome dos pessedistas. De acordo
com fontes ligadas ao partido, a nomeação
de Giancarlo trata-se de algo pessoal entre
ele e Mariano. É que Gian era cotado para
ser candidato a vice de Mariano durante o
processo eleitoral do ano passado. Todavia,
ele acabou abrindo mão desta pretensão,
o que facilitou o acerto político entre o
prefeito eleito e o empresário Primo Júnior,
que se tornou o vice efetivo. Enquanto isto,
o PSD tem uma lista de pelo menos dez
nomes na gaveta, que, por ora, permane-
cem sem espaço.
Tudo é possível
Coordenador Regional do PT, ex-prefeito
de São João do Sul, Alex Bianchin, diz
não saber, ainda, se o seu partido terá, ou
não, candidato a deputado estadual ano
que vem por nossa região. “É algo que nós
ainda não estamos discutindo. Esse assunto
deverá vir à tona por ocasião do PED, mas
tudo é possível”, comenta. O PED, que
está previamente marcado para o início de
abril, é o Processo de Eleições Diretas rea-
lizadas pelo PT para a escolha de seu novo
comando em todos os níveis. Nesta ocasião
também são tratados assuntos como o
lançamento de candidaturas futuras. Feita
a opção por uma candidatura petista por
nossa região, a questão será definir o nome
que representará o partido. Em princípio, o
vereador sombriense MarcelloAreão é um
dos mais cotados. Todavia, o PT de Ara-
ranguá, também irá querer marcar presença
no cenário regional, principalmente se o
ex-presidente Lula da Silva for candidato
ao Planalto novamente.
ADVOCACIA EMPRESARIAL
FONE: (48) 3533-0145
“A sabedoria é uma contradição em si própria. O homem que
mais sabe também é aquele que mais tem consciência de sua
própria ignorância”.
Friedrich Nietzsche (1844/1900)
Filósofo alemão
“
Nunca mais serei candidato em
Balneário Gaivota”, me disse
o ex-prefeito João Alberto
Bonamigo, em meados do ano passado,
quando eram feitas as últimas tratativas
para saber quem disputaria a prefeitura
pela oposição, grupo em que ele estava
inserido. A afirmativa era uma resposta
às especulações feitas pela imprensa
sobre esta possibilidade. De pronto re-
truquei em tom amistoso: “Mas o senhor
está falando o que todo político fala!”.
Ele, por sua vez, emendou: “Mas eu não
sou como todo político”.
Na sequência da conversa Bonami-
go fez uma série de ponderações. Disse
que não queria ser mais prefeito porque
as pessoas não compreendiam seu modo
de administrar. “O problema do poder
é que existem alguns grupos dentro da
política que acham que um prefeito,
um governador ou um presidente, têm
que administrar para eles, e não para o
povo. Então, quando alguém se propõe
a fazer um governo para o povo, acaba
sendo acusado de não prestar. Como
eu sei que presto, melhor me afastar
definitivamente da política”, comentou.
De fato, no pleito de 2016, João
Bonamigo sequer colocou seu nome
a disposição para ser candidato a pre-
feito, como já havia feito em outras
três ocasiões. Na primeira, em 2004,
acabou sendo derrotado numa disputa
apertada contraAdroaldo Tiscoski (PP).
Em 2008 voltou ao cenário político
disputando o executivo contra o então
vice-prefeito Claudionor Colares, que
era filiado ao PDT. Desta feita, conse-
guiu vencer com uma margem de votos
nunca antes anotada no município. Seu
mandato, no entanto, foi marcado por
uma série de rompimentos políticos, o
que o levou a derrota em seu projeto de
reeleição em 2012, pleito em que o atual
prefeito Ronaldo Pereira da Silva (PP)
foi eleito pela primeira vez. Derrota,
aliás, tão retumbante como havia sido
sua vitória quatro anos antes. De acordo
com Bonamigo, o fracasso eleitoral de
2012 teria lhe mostrado claramente que
política não era coisa para pessoas como
ele. “Se é para ficar fazendo acertinho
e tendo que aturar certas coisas, prefiro
cuidar dos meus negócios. Política,
nunca mais”, me disse o ex-prefeito.
Na última sexta-feira, João Alberto
Bonamigo, empresário gaúcho muito
bem sucedido, há anos radicado em
Balneário Gaivota, administrador da
prefeitura local entre 2009 e 2012, foi
encontrado morto.Atese é a de suicídio
por disparo de arma de fogo. A vida
ceifada de forma tão abrupta, por óbvio,
causou comoção generalizada, especial-
mente entre seus correligionários.
Conhecido pelo jeito extremamente
austero de governar, o ex-prefeito co-
lecionou desafetos, mas na proporção
inversa também era admirado por uma
legião de correligionários, que sonha-
vam com seu retorno ao executivo.
Ainda que acompanhando a po-
lítica gaivotense “à distância”, como
costumava dizer, a morte de Bonamigo
deixa um vácuo no cenário municipal,
em especial dentro do PMDB, onde ele
militava.
Por óbvio que o momento não é
de conjecturas a respeito do destino de
seu partido, mas não há como negar
que o PMDB gaivotense passará por
uma transformação diante da partida
prematura de Bonamigo.
Máfia
Tenho conversado com vários candidatos
a prefeito em 2016 que saíram derrotados
das urnas. Boa parte perdeu a eleição
para candidatos novatos, sem experiência
em administração pública executiva. De
um modo geral, todos têm manifestado
a mesma opinião sobre os vencedores:
“O problema não é ele, ele é gente boa.
O problema é a máfia que está por trás”.
Os derrotados argumentam que os novos
só ganharam espaço na política, e só lhes
foi permitida a disputa por um partido
ou coligação forte, porque a tal máfia “já
estava torrada frente à opinião pública”.
A tal máfia a que se referem, por óbvio,
são aqueles políticos mais tradicionais,
que já não teriam mais chances de vitória
por conta das mudanças pelas quais passa
a política nacional. O grande problema é
como governar sem experiência e sem a
“máfia” por perto.
Mais tempo
Morte em acidente aéreo do Ministro do
Supremo Tribunal Federal, Teori Zavascki,
vai atrasar, sabe-se lá até quando, homolo-
gação das delações premiadas feitas pelos
executivos da Odebrechdt na Operação
Lava Jato. Dentre as delações, estão
aquelas dando conta de que a Odebrechdt
repassou dinheiro, via doação ilícita, para a
campanha presidencial de Dilma Rousseff
(PT) e Michel Temer (PMDB). Homologa-
da a delação, a justiça poderia até mesmo
cassar o registro de candidatura de Dilma
e Temer, o que faria com que o presidente
da Câmara Federal assumisse o comando
do país, convocando eleições indiretas
para preencher a vaga presidencial. Por
sua vez, o novo relator da Lava Jato no
STF terá que averiguar, novamente, todas
as delações, para emitir seu conceito. Pelo
menos esta é a tese. Mesmo que não ave-
rigue, confiando em assessores, terá que
dar um tempo, e grande, de modo a dar a
entender que averiguou.
Rolando Christian CoelhoRolando Christian Coelho
Jornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 23 de Janeiro de 2017
rolando_coelho@hotmail.com (48) 99945.6787
POLÍTICA
3
Faxina
Geral
Mutirão de limpeza do projeto socioambiental A Praia é Nosso Pico percorreu dunas, mangues e a água
N
o sábado, acon-
teceu no Balne-
ário de Ilhas, em
Araranguá, o 4º Mutirão de
Limpeza do projeto socioam-
biental A Praia é Nosso Pico.
A iniciativa de um grupo de
amigos é liderada por Giovani
Rosa, já foi realizada três ve-
zes no Morro dos Conventos e
Gislaine Fontoura
Araranguá
Sombrio
Conscientização
tem sua quinta edição prevista
para acontecer no dia 4 de
fevereiro em BalneárioArroio
do Silva.
Giovani contou que du-
rante as três etapas no Morro
dos Conventos foram retira-
das quatro toneladas de lixo
das dunas. “Agora estamos
fazendo aqui em Ilhas, onde
há uma necessidade maior de
retirar o lixo da natureza, pois
um grande volume de sujeira
Jornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 23 de Janeiro de 2017
Voluntários recolhem lixo em Ilhas
Família perde tudo em incêndio
Namadrugada desábado,
por volta das 3h50min, os
bombeiros de Sombrio traba-
lharam bastante para conter as
chamasquetomavamcontade
uma casa na comunidade de
São Francisco.
Na residência de tijolos,
depropriedadede JoãoCarlos
Fernando, foram utilizados
quatro mil litros de água para
conter os focos de incêndio.
Em estado de choque, a
família descobriu que todos
os seus pertences tinham sido
consumidospelofogo.Ângela
Maria, filha do proprietário,
entrou em contato com a
reportagem do Jornal Correio
do Sul pedindo ajuda para os
que desce dos rios fica alojado
na comunidade e o restante vai
para o mar aberto e desova em
nossas praias. Este projeto é
uma sementinha plantada na
região e queremos discutir
com nossos prefeitos a situa-
ção do lixo que é jogado sem
consciência nas microbacias e
cai na bacia maior, que é a do
Rio Araranguá”, disse.
Segundo Giovani, quase
60 empresas patrocinam a
faxina, que tem também o
apoio da FundaçãoAmbiental
do Município de Araranguá
(Fama), do ServiçoAutônomo
Municipal de Água e Esgoto
(Samae), do Corpo de Bom-
beiros e da Polícia Militar.
Foram distribuídos para os
voluntários kits de lanche e
200 camisetas. Os cerca de
150 participantes se dividiram
em três equipes, duas percor-
rendo a área por terra e uma
pela água.
A coleta iniciou às 15
horas, terminando por volta
das 18 horas. Muitos calçados,
garrafas pet, vidros, isopor e
até mesmo embalagens com
óleo automotor foram retira-
dos do meio ambiente. Todo
o lixo recolhido em Ilhas foi
entregue a uma empresa, que
dá o destino adequado ao
material.
A Fama participa do pro-
pais, que perderam tudo que
tinham. Quem puder ajudar
pode entrar em contato pelo
fone 996405977 e falar com
Ângela. A causa do incêndio
ainda não foi revelada.
Voluntários passaram três horas recolhendo lixo jogado na natureza, em ação de preservação e alerta contra o descaso
Estrutura foi montada para ajudar voluntários na limpeza Casal ficou sem nada e está precisando de ajuda urgente
jeto desde a primeira edição.
O diretor Luís Leme atentou
para a importância de evitar
que o lixo chegue ao rio.
“Estamos com praticamente
toda nossa equipe aqui, com
um caiaque e um stand up. Um
pessoal vai por terra, outro por
água, trouxemos mudas para
distribuir, vamos realizar o
plantio simbólico e orientar a
população sobre a importância
denãodeixarqueolixochegue
ao rio.Aorigem está na cidade,
as pessoas largam o lixo na rua,
cai na boca de lobo, da boca de
lobovaiparaovalo,dovalovai
para o rio e do rio vem parar
aqui em Ilhas, que vai para a
foz do rioAraranguá e também
para o mar, que devolve e vai
parar nas dunas”, alertou.
O Corpo de Bombeiros
de Araranguá se fez presente
desde o início, garantindo a
segurança dos participantes,
com equipamentos de salva-
mento aquático eAtendimento
Pré Hospitalar (APH), além da
equipe de guarda-vidas, que já
atua no balneário. A Polícia
Militar também participou,
fazendo a ronda no local. O
prefeito do Arroio do Silva
Juscelino da Silva Guimarães,
o Mineiro, acompanhou a lim-
peza desde o início e ajudou a
recolher lixo das dunas. “Vim
colaborar e ver como funcio-
na, para ajudar a organizar
a edição de Arroio do Silva,
que irá acontecer no dia 4 de
fevereiro, com saída do Cen-
tro, nas imediações do edifício
SobreasOndas,dividindouma
turma para o lado Norte e outra
para o lado Sul. É importan-
te preservamos a natureza e
projetos como este, são muito
incentivadores”, elogiou.
O prefeito Mariano Ma-
zzuco, deAraranguá, esteve no
final da tarde visitando Ilhas e
conhecendo o A Praia é Nosso
Pico.Marianochegouacompa-
nhadodasecretáriadeBemEs-
tar Social Maria Alice Aguiar
e da secretária de Educação
e Esporte, Ariane Oliveira de
Almeida e foi recepcionado
pelo diretor da Fama.
O empresário Edilor Da-
miani, de Criciúma, veraneia
em Ilhas há 25 anos e foi com a
esposa,filhode12anosesobri-
nho de nove, ajudar a recolher
o lixo depositado nas dunas e
mangues do balneário. “Fiquei
sabendo e vim com a família
ajudar, porque acho importante
proteger a natureza e também
passar para as crianças esta
consciência de preservação”,
ponderou.
A ação recolheu aproxi-
madamente duas toneladas
de lixo.
4 PublicidadeJornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 23 de Janeiro de 2017
Nova diretoria pronta para trabalhar
Credija cresce 13% em 2016
Dinheiro para o carnaval
Preparando o ano letivo
Com resultados positivos em diversos indicadores, o Sicoob Credija alcançou a marca de 32 mil associados, uma impor-
tante conquista no ano em que a cooperativa celebra seus 25 anos de fundação. Somente em 2016, o crescimento no número de
associados registrado foi de 13,89% se comparado com
o ano anterior.
“A economia brasileira vive um momento de muita
incerteza, no entanto, o cooperativismo mais uma vez
demonstra a sua capacidade de superar as dificuldades
através da união de seus associados”, afirma o presidente
do Sicoob Credija, Wolni José Walter, que enxerga nos
associados a confiança para continuar investindo no sis-
tema.“Aparticipaçãoativadosassociadosnacooperativa
fortaleceainstituiçãoeconsequentementegeramaisresul-
tados para as pessoas que estão ligadas a ela”, evidencia.
Outro destaque do período foi elaboração de projetos
para a construção de quatro novas agências, uma decisão
quevaiproporcionarmaisagilidadenoatendimento,trazer
maior comodidade aos associados e gerar mais empre-
gos. “Todo investimento é feito pensando nas pessoas,
no retorno que ele vai gerar para a região e certamente
a construção de novas agências só vai gerar resultados
positivos”,consideraovice-presidentedaCredija,Donato
Semprebon.
A partir desta terça-feira, estará aberto o programa de transferência de recursos para a realização do Carnaval 2017 em
Santa Catarina. O programa é destinado às prefeituras e os recursos deverão ser utilizados em infraestrutura para os desfile,
como locação de sonorização, de trio elétrico, de iluminação, sanitários químicos, arquibancada e serviços de segurança.
O programa terá até R$ 4 milhões para serem distribuídos aos municípios que inscreverem propostas e estiverem aptos
a receber recursos estaduais por meio do Fundo Estadual de Incentivo ao Turismo (Funturismo).
O período de cadastro segue até o dia 2 de fevereiro. A data-limite para entrega dos documentos na Agência
de Desenvolvimento Regional de origem do proponente é dia 6 de fevereiro. Por sua vez, as Agências de De-
senvolvimento Regional deverão protocolar os documentos na Secretaria de Turismo, Cultura e Esporte (SOL)
até o dia 8 de fevereiro.
Para o secretário Leonel Pavan, o programa é um incentivo para a realização do Carnaval em Santa Catarina.
“É uma forma de contribuir com essa festa tão importante para a cultura e o turismo no estado”, conclui.
Foi realizada na manhã de sexta-feira, uma reunião para estreitar relações
e planejar as atividades do ano no Arroio do Silva. O prefeito, Juscelino Gui-
marães, o Mineiro, e o secretário de Administração e Finanças, Felipe Keller,
recepcionaramasecretáriadeEducaçãoSilviaMachadoGhellere,eosdiretores
e coordenadores das unidades da rede municipal de ensino.
O objetivo da atual gestão é de realizar um trabalho na mesma linha para
que os serviços prestados à população sejam de qualidade. “Acertamos alguns
detalhes e, claro, pedi o apoio da equipe da Secretaria de Educação para que a
gestão seja de sucesso e que a administração municipal cumpra com seu papel.
Somos uma equipe e precisamos que todos contribuam para que o trabalho dê
certo”, destacou o prefeito.
As aulas nas escolas da rede municipal iniciam no dia 20 de fevereiro.
10X R$
29,90
Cartão de crédito ou R$ 299,00 à vista
FURADEIRA IMP. 1/2
650W DEWALT
E
leição ganha
com tranquili-
dade para a ges-
tão 2017/2021, a nova di-
retoria da Cooperativa de
Eletricidade Praia Grande
(Ceprag) está pronta para
trabalhar. Com a manuten-
ção do presidente Olívio
Nichele, o Gringo, no
cargo, as atividades estão
tendo continuidade nor-
malmente.
Jabson MullerJabson Muller
Jornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 23 de Janeiro de 2017
(48) 99955.5313
POLÍTICA
jabsonmuller@grupocorreiodosul.com.br
Nova composição da diretoria:
Presidente: Olívio Nichele (Gringo)
Vice-presidente: Edevaldo Sala Scheffer (Castelo)
Secretário: Alex Sandro Pereira Bianchin
Conselho Administrativo
Hercídio Marciano Cardoso
Edson Domingos Carboni (Lambari)
Remi Scheffer Borba
Antônio Batista (Toninho do Calçamento)
Elio Silveira Santos
Cezar Henrique Rocha Demetrio
Sergio Delfino Joaquim (Serginho do Bio)
Jorge Luiz Lopes Scheffer
Delegados
Osmar Pereira Ramos (Boneco)
Newton Bitencourt da Silva (Alemão)
Conselho Fiscal
Silvio Martins Colares
Erivaldo Maciel Pereira
Marco Antônio de Almeida Miranda (Marcão)
Manoel Ribeiro (Nelo)
Francisco de Assis do Nascimento (Zizo)
Marcio Rodrigues Luiz
C.S. Empresa Jornalística LTDA.
Publicações legais:
tomaz@grupocorreiodosul.com.br
Financeiro
financeiro@grupocorreiodosul.com.br
Comercial:
l48l 3533.0870
comercial@grupocorreiodosul.com.br
Diretor Geral
Jabson Muller
l48l 9955.5313
diretor@grupocorreiodosul.com.br
Diagramação/Arte:
correiodosul@grupocorreiodosul.com.br
Sul Gráfica
sulgrafica@grupocorreiodosul.com.br
Redação:
editor@grupocorreiodosul.com.br
Radio 93FM
radio93fm@grupocorreiodosul.com.br
Circulação/Assinatura
l48l 3533.0870
assinaturas@grupocorreiodosul.com.br
6 GeralJornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 23 de Janeiro de 2017
7Geral Jornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 23 de Janeiro de 2017
Fé e Tradição
Muitos romeiros mantiveram tradição de caminhar até a localidade onde acontece a festa
Devotos de São Sebastião acompanharam homenagens
Arqueólogos estão escavando em busca de objetos confeccionados por povos antigos
Q
uando Raul Sér-
gio saiu de casa,
em Balneário
Gaivota, acompanhado pela
mulher e a filha, o relógio mar-
cava5horasdamanhã.Ocasal
cogitava percorrer em uma
hora os sete quilômetros até a
Figueirinha e chegar a tempo
Balneário Gaivota de assistir a primeira missa da
Festa de São Sebastião. Na
estrada a família encontrou
centenas de outros romeiros
fazendo o mesmo trajeto,
muitos vindos de Sombrio e
de toda a região.
A caminhada seria deva-
gar porque Raul e Evelin se
revezavam levando nos braços
a filha Brenda. A menina de
Devotos celebram São Sebastião
quatro anos era o principal
motivo da peregrinação. “Ela
ficou muito doente no ano
passado, suspeitamos até de
leucemia, mas não era e ela
se recuperou. Fizemos esta
promessa e estamos indo agra-
decer a São Sebastião”, disse
Evelin.
Muita gente agradeceu as
graças alcançadas ou fez pedi-
Timbé do Sul
Sítio arqueológico é resgatado na Rocinha
O Departamento Nacio-
nal de Infraestrutura deTrans-
portes (Dnit), por meio da
GestãoAmbiental(STES.A.),
iniciou o resgate do sítio
arqueológico identificado na
região das obras do Lote 2 da
BR-285, na Serra da Rocinha,
em Timbé do Sul. O local de-
nominadoSítioArthurPiasso-
li está localizado na área onde
será executado o contorno do
perímetro urbano. Lá foram
encontrados artefatos utiliza-
dos por sociedades indígenas
pré-coloniais em atividades
de exploração agroflorestal.
O salvamento, que faz parte
do Programa de Prospecção
e Resgate Arqueológico, é
uma das condicionantes do
licenciamentoambientaletem
a anuência do Instituto do Pa-
trimônio Histórico e Artístico
Nacional (IPHAN).
Os estudos começaram
ainda na fase de obtenção das
Licenças Prévia e de Instala-
ção do empreendimento, em
2011, com a realização de
pesquisasqueindicaramvestí-
giosdeumaocupaçãohumana
muito antiga na região. O
IPHAN recomendou então
que fosse realizado o resgate
destes bens arqueológicos e
ainda o monitoramento das
obras. A partir da ordem de
início das obras em 2016,
o Dnit apresentou o projeto
e a equipe responsável pela
execução do Programa ao
IPHAN.
Após as atividades preli-
minares, em janeiro iniciou-se
o resgate do sítio. De acordo
com a coordenadora da equi-
pe,MarianaAraújoNeumann,
na superfície foram encon-
trados materiais de pedra
lascada e polida denominados
artefatos líticos. “O tamanho e
o peso das peças nos indicam
os seus usos”, afirma. Já em
laboratório as peças serão
higienizadas e catalogadas
individualmente. Mariana
explica que a análise apontará
mais detalhes sobre a função e
a matéria-prima dos artefatos.
“Parareconstruiressahistória,
conseguimos visualizar men-
talmente o grupo indígena
realizando essa atividade de
manejo da floresta.”
O acervo coletado ficará
exposto na instituição de
apoio do projeto, a Universi-
dade do Extremo Sul Catari-
nense (Unesc) de Criciúma,
a qual desenvolve pesquisas
sistemáticas sobre ocupações
indígenas na região. “Agente
sabe o que aconteceu em cima
e embaixo da serra, mas den-
tro dela falta documentação”,
destaca a arqueóloga, lem-
brando que existe uma lacuna
em relação à pré-história do
interior dos cânions. “O sítio
em que estamos trabalhando
é uma ocupação indígena, no
entanto, nesta região também
é importante a pesquisa da
cultura do tropeirismo, cujos
vestígios históricos estão sen-
do registrados.” Ela ressalta
que a pesquisa arqueológica
é recente no Brasil – os pri-
meiros projetos são da década
de 1960 – e que os estudos
foramimpulsionadospelains-
talação de empreendimentos
licenciados.“Olicenciamento
ambiental permitiu conhecer
muito do passado do Brasil e
reconstruir nossa história com
outro ponto de vista”.
Alémdoresgate,aequipe
realizará o constante mo-
nitoramento arqueológico
para localizar evidências não
identificadas na ocasião do
diagnóstico. Para isso, são
realizadas atividades como o
caminhamento da área total
para verificação da superfície
e o acompanhamento das
frentes de obras. Os resul-
tados e o conhecimento ad-
quirido serão compartilhados
com a comunidade por meio
do Programa de Educação
Patrimonial, o qual contará
com palestras e visitas aos
trabalhos de escavação.Todas
asatividadesvisamaomesmo
fim: proteger, preservar e
promoveropatrimônioarque-
ológico e cultural, evitando a
sua destruição e garantindo o
acesso de todos os cidadãos
ao conhecimento e à memória
nacional.
dos ao santo fazendo orações,
acendendo velas, vestindo
crianças como anjos ou le-
vando pães das mais variadas
formas para doar.
A festa de São Sebastião
daFigueirinha,pequenacomu-
nidadedointeriordeBalneário
Gaivota, tem diversas caracte-
rísticas, sendo a caminhada até
a igreja a principal, seguida
pela tradição da doação das
massas. Devotos pagam pro-
messasdoandoaigrejapãesna
forma do que motivou o apelo
aosanto.Tempãorepresentan-
do o corpo humano, animais, e
até casa, feitos por aqueles que
no ano anterior realizaram o
sonho da casa própria.
As massas são recebi-
das pelas voluntárias Adriana
Santana da Rosa e Juliana
Monteiro, ambas de 33 anos e
que participam das atividades
da igreja desde a adolescên-
cia. Elas recebem e vendem
os pães enquanto assistem a
emoção dos devotos. “Agora
mesmo saiu um moço daqui
chorando, abraçando uma
mulher depois da doação”,
contaram.
Afesta acontece há quase
80 anos, sempre no dia 20 de
janeiro, dia do padroeiro da
localidade.
8 PublicidadeJornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 23 de Janeiro de 2017
9Publicidade Jornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 23 de Janeiro de 2017
T
anaka comemora a
notícia de Alice e afirma
a Mieko que está livre
para viver sua vida. Ques-
tionada por Loretta, Lenita
assume que teve uma filha.
Paula incentiva Dora a se
envolver com João Amaro, e
Sirlene se incomoda. Carol
avisa que tem provas contra César, que ameaça o bebê da
ex-comparsa. César se prepara para viajar para o exterior.
Geppina desconfia das insinuações de Loretta sobre as
criançasabandonadasnamaternidadeemquetrabalhava.
EntretenimentoEntretenimentoNovelas - Horóscopo - Diversão
Cruzadinha Novelas
H
aroldoseemocionacom
o sucesso de Nicolau.
Paçoca constata que
as visitas ao canal da banda
nainternetestãoaumentando.
Yasmin gosta do olhar sedutor
de Zac. Gordo pergunta a
Laila sobre o estado de saúde
de Nicole. Alex chora por ter
perdido Lorena. Eva avisa a Gui que a juíza o liberou da
terapia e pede para ele pensar se quer continuar com as
sessões.NéiaeLázaroseacusammutuamentepornãote-
rem conseguido acabar com o casamento de Léo e Diana.
F
austo manda Pedro
e Helô prepararem a
exposição para des-
mascarar Magnólia.Augusto
expulsa Magnólia do quarto
de Vitória. Gigi ameaça ana-
lisar o DNA de Marina. Tiago
e Letícia recebem notícias
de Camila sobre Vitória.
Pedro teme pela saúde mental de Vitória. Flávia ouve
Misael cantando para Yara e Ritinha. Salete garante a
Suely que vai resgatar Gustavo. Tião apresenta Laura
para Magnólia.
Sol Nascente -18h
A Lei do Amor -21h
Rock Story -19h
Rapidinhas
Áries 21/03 a 20/04
21/04 a 20/05
21/05 a 20/06
21/06 a 20/07
21/07 a 20/08
21/08 a 20/09
21/09 a 20/10
21/10 a 20/11
21/11 a 20/12
21/12 a 20/01
21/01 a 20/02
21/02 a 20/03
Leão
HoróscopoHoróscopo
Sagitário
Gêmeos Libra Aquário
Touro
Será um dia estranho, haverá um pouco mais de
felicidade. Números desfavoráveis.Aansiedade
permeará o seu dia evite andar muito estressado
preocupado.
Vá em frente e não aja com indiferença sobre
tudo. A ação é que fará com que fique tranquilo.
A região do pescoço irá lhe irritar um pouco sua
paciência.
O planeta Marte irá lhe ajudar para tomar novas
medidas. O elemento ar elevará suas condições
comunicativas. O exercício da fala deve lhe ser
constante, aproveite este momento favorável
para tanto.
A família será seu norte e seu sul, por isso toda
direção apontará para ela. Marte será agradável
para você. O planeta Vênus tentará puxar você
para baixo. Vá de encontro as pessoas que
gostam de você.
Pessoas próximas a você deixarão claro o seu
verdadeiro valor, isso aumentará sua confiança.
Sol e fogo serão essenciais para a sua evolu-
ção e estabelecimento de metas. No mais, boa
criatividade durante o dia.
Nada aparentemente abalará a virtude que paira
neste signo. Terá em Mercúrio grandes revela-
ções. Não deixe para trás esta oportunidade.
Fique próximo de quem você estima.
Apresentará um estado emocional mais agitado.
Desavenças ocorrerão caso não pondere suas
palavras. Porém Marte e Vênus mostrarão que
sempre há esperança.
Não conseguirá ter uma visão crítica do que está
acontecendo. A lua tende a não ser favorável.
Seu sentimento de vingança corroborá para que
diminua sua capacidade de avaliar as coisas.
Os bons pensamentos trazem muita alegria, en-
tão pratique reflexões positivas. Ideias ineficazes
devem ser deixadas para trás, evite bagunçar
seu planejamento. Seja audacioso e prosperará.
Novamente o trabalho aparecerá como sujeito princi-
pal do seu foco. Seu bom empenho lhe trará ótimos
resultados.Martelheseráfavorávelnestesentido.Não
seráonúmerodetarefasexecutadas,masaqualidade
com que são feitas é que determinará seu sucesso.
Um dia sem muitas modificações, tudo ficará
mais ameno. Mercúrio atrapalhará o andamento
do seu dia. Apresentará facilidade para se rela-
cionar com amigos.
Acontecimentos adversos dificultarão o seu
sucesso. Prepondere aquilo que realmente lhe
é importante. Em algumas situações será de-
selegante com quem você ama, evite. Saturno
será o grande vilão.
Virgem Capricórnio
Câncer Escorpião Peixes
Claudia Ohana mostrou toda sua boa forma
em uma foto no Instagram, neste domingo, 22.A
atriz, que tem 53 anos, postou uma imagem na
qual aparece de lingerie em cima de uma cama.
Na legenda, escreveu: “Bom dia”.
Uma seguidora brincou: “A Natasha não en-
velhece”, comentou, referindo-se à personagem
de Claudia na novela “Vamp”, de 1991 - que,
aliás, vai virar musical no teatro, com estreia
marcada para março, no Rio.
Para manter a barriga sequinha, a atriz
pratica exercícios e capricha nos abdominais.
Paolla Oliveira foi ao ensaio da Grande Rio
na Noite deste sábado, 20. De calça justinha e
blusa que deixava sua barriguinha à mostra, ela
sambou muito junto com os ritmistas da escola.
Jornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 23 de Janeiro de 2017
11Segurança Jornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 23 de Janeiro de 2017
Luto
F
oiencontradomor-
to por volta das 5
horas da manhã de
sexta-feira, o ex-prefeito de
Balneário Gaivota João Al-
berto Bonamigo, de 67 anos.
O corpo foi encontrado
na rua, próximo a madeireira
de sua propriedade, que fica
junto a residência da família,
no bairro Santa Rita. Bona-
migo tinha um ferimento feito
por arma de fogo na cabeça,
e as primeiras informações
foram de que teria se matado
com o disparo de um revólver
calibre 38, que segundo a fa-
mília é do próprio ex-prefeito.
O filho e a esposa estavam
dormindo no momento da
tragédia. A arma e o corpo
foram levados pela perícia e
o fato passa a ser investigado
pela Polícia Civil.
Bonamigo era do PMDB
e administrou Gaivota na ges-
tão 2009-2012. Ele era dono
de uma empresa na cidade, a
BR Tratamento de Madeiras,
onde também morava desde
Balneário Gaivota
Gislaine Fontoura
Maracajá
Gislaine Fontoura
Araranguá
Balneário Gaivota
Polícia investiga morte de Bonamigo
Agricultor tem mais animais furtados
Dois presos por dirigir embriagadosVeículo com vazamento assusta
O pequeno criador de
gado e aves da localidade de
Espigão da Toca, em Mara-
cajá, Claudenir Cândido, teve
mais uma vez animais furta-
dos. Em junho do ano passado
dois novilhos haviam sido
furtados de sua propriedade e
em dezembro um boi. Desta
vez os ladrões levaram quase
todososfrangosdogalinheiro,
que fica nos fundos da casa,
escapou apenas um frango
pequeno.
O furto aconteceu na ma-
drugada de sexta-feira, e Clau-
denir acredita que tenha ocor-
rido por volta de 2 horas, pois
ouviu os cachorros latirem,
acordou,olhouopátio,nãoviu
ninguém e como estava muito
cansado, voltou a dormir. Às
6 horas, quando foi até o gali-
nheiro, descobriu o prejuízo.
“Quando acordei de manhã,
fui botar ração para os frangos
A Polícia Militar de Ara-
ranguá efetuou na madrugada
de sábado, duas prisões por
embriaguez ao volante. A pri-
meira foi de um condutor de
umamotocicletaYamaha/Fazer
250, que estava caído no asfalto
e foi avistado pelos militares,
Um automóvel estacio-
nado em frente ao restaurante
Itapuã em Balneário Gaivota
na tarde de sábado, assustou a
população.
O veículo, um Fox de
cor prata com placas do Rio
Grande do Sul, estava com
um grande vazamento de com-
bustível. O Corpo de Bombei-
e vi o galinheiro arrombado,
com a porta arrancada, a tela
de proteção cortada e a cerca
de arame farpado cortada,
logo já me caiu a ficha, que fui
roubado de novo”, lamentou.
Claudenir teve furtados,
desta vez, 15 frangos de cerca
de cinco quilos cada e como
a cerca foi cortada para os
queacionaramoCorpodeBom-
beiros. O homem foi levado ao
Hospital Regional e recusou
atendimento, pois segundo a
PM, havia sinais visíveias de
embriaguez. Ele foi encami-
nhadoàCentraldePolícia,onde
foirealizouotestedeetilômetro,
constatando 0,70mg/l e sendo
presoemflagrante.Emconsulta
ao sistema, os militares ainda
verificaram que a moto não
ros e a Polícia Militar foram
acionados quando já tinham
vazado mais de dois litros de
gasolina espalhados em duas
vagas de estacionamento da
avenida Beira Mar. Populares
começaram a colocar água
sobreocombustívelparaevitar
umpossívelincêndio.Osbom-
beiros depois espalharam areia
na pista, para impedir o com-
bustível de se espalhar. A PM
ladrões entrarem na proprie-
dade, o gado fugiu do potreiro.
“Me deu muito trabalho trazer
o gado de volta,estou desani-
mado eu e minha esposa esta-
mos até pensando em sair de
Maracajá”, cogitou o pequeno
produtor, que está cansado da
insegurança e do prejuízo que
frequentemente sofre.
estava devidamente licenciada
e efetuaram a apreensão do
veiculo.
A segunda prisão por em-
briaguez ocorreu após um aci-
dente de trânsito entre um Fiat
Pálio e uma GM Montana. O
condutor da Montana, após
realização do teste do etilôme-
tro, com resultado de 0,34mg/l,
recebeu voz de prisão e foi en-
caminhadoàCentraldePolícia.
procurava o motorista quando
elechegoueumguincholevou
o Fox para uma oficina.
A tranquilidade voltou
para comerciantes próximos,
que temiam uma explosão até
pelo contato do combustível
com o asfalto quente na tarde
de sol forte e muito calor. Eles
mesmos estavam colocando
água como medida de pre-
venção.
João Alberto Bonamigo foi encontrado morto com um tiro
Galpão onde estavam as aves foi arrombado e furtado
1999, vindo do Rio Grande
do Sul.
Com a morte do ex-pre-
feito, a administração muni-
cipal declarou luto oficial de
três dias.
12 SegurançaJornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 23 de Janeiro de 2017
É Golpe
N
a manhã de sexta-
-feira, uma senho-
ra chorando em
frente a agência da Caixa Eco-
nômica Federal de Sombrio
chamou a atenção de quem
passava. Era dona
Maria da Glória Matos da
Silva de 69 anos, moradora de
Praia Grande. Ela tinha vindo a
Sombrioparadepositardinheiro
nacontadeumgolpistaquedizia
queasenhoratinhasidosorteada
em uma promoção.
QuandoaPolíciaMilitarfoi
chamada, dona Maria já tinha
feitoumatransferênciadequase
R$ 500,00 e se dirigia a agência
Sombrio
Passo de Torres
Araranguá
lotérica para fazer um emprés-
timo consignado de R$ 35 mil.
Aidosacontouquenanoite
de quinta-feira recebeu uma
mensagem em seu celular di-
zendo que tinha ganhado R$
85 mil em sorteio da operadora
Vivo. Para saber como receber
oprêmioeraprecisoligarparao
númeroqueenviouamensagem,
o que ela fez.Atendeu um rapaz
educado que falava perfeita-
mente como os operadores de
tele marketing, e confiirmou o
prêmio.
O estelionatário usando
apenasumboaconversaatravés
do telefone, disse que na noite
de quinta mesmo a ganhadora
deveria ir a uma agência da
Idosa quase perde R$ 35 mil
Briga de mulher acaba com um esfaqueado
PM ocupa Favela do Ucca
Na madrugada des-
te domingo,por volta das
2h50min, o Corpo de Bom-
beiroseaPolíciaMilitarforam
acionados para atender uma
ocorrência na estrada geral
da Rosa do Mar em Passo de
Sob o comando do 1º
tenente Diego Schwartz, a
Polícia Militar de Araranguá
realizou durante a tarde e noite
de quinta-feira, uma grande
operação de ocupação na fa-
vela do Ucca em Araranguá.
Aoperação teve como ob-
jetivo levar segurança para as
pessoas que moram na favela
e nas proximidades, coibir a
prática de tráfico de drogas,
reprimir outras condutas ilí-
citas e dominar totalmente o
território.
Participaram da operação
o Pelotão de Patrulhamento
Tático, policiais militares da
Rocam (Ronda de Motocicle-
ta), seções administrativas e de
inteligência do 19º Batalhão.A
Polícia Militar Ambiental de
Maracajátambémestevenolo-
Caixa.Elaexplicouquenaquele
horário não poderia e na ma-
nhã seguinte, de carona, foi até
Sombrio. Na manhã de sexta,
o golpista retomou as ligações
e a senhora foi até a Caixa
Econômica, onde realizou uma
transferência de R$456,78 para
acontadeumhomem.Depoisse
dirigiu a lotérica com a intenção
de fazer a segunda transação,
um empréstimo consignado de
R$35mil,sempreinduzidapelo
homem ao telefone. A Polícia
Militarfoichamadaeconseguiu
evitar que a mulher tivesse esse
grande prejuízo.
Dona Maria contou que as
amigas com quem veio a Som-
brio tinham alertado que se tra-
tava de um golpe, mesmo assim
elaacaboucedendoainsistência
e a lábia do estelionatário, que
ligou várias vezes, inclusive
quando ela estava conversando
com os policiais.
O golpista que usava um
número com código do Ceará
demonstrava ter tempo e muita
disposiçãoparaenrolaravítima.
Uma pessoa que acompanhava
a história se passou por neto de
donaMariaparatirarmaisinfor-
maçõesdoestelionatário.Eleini-
cialmente ficou bravo quando o
suposto neto atendeu o telefone,
depois voltou a tentar conseguir
o dinheiro dizendo que o neto
poderia fazer a operação para a
avó de outra agência, dizendo
que além da Caixa Econômica
Federal, Banco do Brasil, Itaú e
Bradescotambémerampatroci-
nadoresdepromoção.Enquanto
isso, os policiais reuniam dados
que futuramente serão usados
contra o estelionatário.
Torres. Tiago Silveira Silveira
de 34 anos, teria sido perfura-
do por um canivete após tentar
separar uma briga de duas
mulheres.Asduasestavamen-
galfinhadas e uma delas pegou
um canivete e golpeou Tiago
quando ele tentou separá-las.
Os bombeiros estavam
cal, e fez a autuação por crime
ambiental de um homem que
mantinha pássaros silvestres
em cativeiro.
Sobre a operação, o te-
nente Diego Schwartz, decla-
rou: “Essa foi uma de muitas
operações policiais que iremos
realizar nas cidades de Ara-
indoparaolocal,masnocami-
nho encontraram um automó-
vel que seguia para o centro da
cidade levando o rapaz. Tiago
estava consciente, orientado e
tinha os sinais vitais alterados.
Os bombeiros após estabilizar
o paciente o encaminharam ao
hospital de Praia Grande.
ranguá, Maracajá e Balneário
Arroio do Silva. Levamos
segurança para as pessoas de
bem, reprimimos condutas
ilícitaseocupamosafavelapor
várias horas. Aqui, traficantes
não mandam nas ruas. Quem
mandaéapolícia,apoiadapela
camadahonestadasociedade”.
Dona Maria da Glória quase cai em golpe por mensagem
Policiais fizeram um arrastão pelas ruas da favela do Ucca
Durante a conversa com a
PM finalmente dona Maria se
convenceu que era um golpe e
chorou por ter perdido mais de
R$400,00. Ela disse que só não
transferiu mais pois tinha feito
uma retirada alguns dias antes e
nãopossuíamaissaldonaCaixa.
Por isso, faria o empréstimo
consignado. Ela, a premiada,
depositaria R$ 35 mil na conta
de um desconhecido antes de
receber qualquer centavo, na
expectativadedepoisreceberR$
85 mil. É preciso estar atento e
lembrar que nenhuma empresa
séria cobra dos ganhadores das
promoções que fazem.
13Geral Jornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 23 de Janeiro de 2017
ESTADO DE SANTA CATARINA
FUNDO MUNICIPAL DE SAUDE DE PRAIA GRANDE
EDITAL DE CREDENCIAMENTO Nº 01/2017
O Município de Praia Grande, através da Secretaria Municipal de Saúde, torna público para conhecimento
dos interessados que se encontra aberto Edital de Credenciamento. O presente Edital tem como objeto:
Credenciamento de Laboratórios de Analises Clinica a serem contratados para prestação de serviços de
Diagnóstico em Laboratório Clínico no atendimento aos serviços de saúde ofertados pela Rede Municipal
de Saúde, através da Tabela Unificada de Procedimentos SUS. O presente edital estará aberto para
credenciamento de interessados durante o exercício de 2017 e o prazo de entrega dos documentos para
credenciamento terá início no dia 24/01/2017 no horário de expediente em vigor, das 07:00 às 13:00 horas
até às 10:00 horas do dia 24/02/2017. INFORMAÇÕES E ENTREGA DO EDITAL na Prefeitura Municipal
de Praia Grande, sito a Rua Irineu Bornhausen, n. 320- Centro, no setor de licitações. Fone 48-35320132.
PRAIA GRANDE-SC, 20 de janeiro de 2017.
Henrique Matos Maciel
Prefeito Municipal
ESTADO DE SANTA CATARINA
PREFEITURA MUNICIPAL DE PRAIA GRANDE
AVISO DE EDITALDE CHAMADAPÚBLICANº 01/2017, torna público para conhecimento dos interessados,
que está realizando aquisição de gêneros alimentícios da Agricultura Familiar e do Empreendedor Familiar
Rural destinado ao atendimento do Programa Nacional de Alimentação Escolar/PNAE para os alunos da
Rede Municipal de Ensino do Município de Praia Grande/SC, para o primeiro semestre de 2017. Data e
Local para entrega dos envelopes: de 24 de janeiro de 2017 das 07:00h às 13:00h até às 08:30h do dia 24
de fevereiro de 2017, das 07:00h às 13:00h, na sede da PREFEITURA MUNICIPAL DE PRAIA GRANDE,
no Setor de Licitações, na Rua Irineu Bornhausen, 320– Centro – Praia Grande-SC.
Os procedimentos para participação estarão disponíveis no Edital de Chamada Pública n° 01/2017, que
poderá ser solicitado pelo fone 48 35320132 ou e-mail: licitacao@praiagrande.sc.gov.br.
Praia Grande-SC, 20 de janeiro de 2017.
HENRIQUE MATOS MACIEL
Prefeito Municipal
14 Pelo EstadoJornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 23 de Janeiro de 2017
[PeloEstado] - Qual foi a melhor
notícia de 2016 para o segmento
das cervejarias artesanais de San-
ta Catarina?
Carlo Giovanni Lapolli - A Acasc
participou ativamente do mo-
vimento de recriação, digamos
assim, da Associação Brasileira
de Cerveja Artesanal (Abracer-
va). É importante a existência
de uma entidade representativa
nacional por permitir uma in-
terlocução um pouco mais forte
no âmbito federal. A atuação da
associação, tanto estadual quan-
to nacional, permitiu que o setor
fosse percebido pelo poder públi-
co, seja Legislativo ou Executivo,
e abriu um canal de comunicação
importante para levarmos nossos
pleitos. Foi esse fortalecimento,
somado à união de forças de vá-
rias entidades, que nos levou à
aprovação do Simples para as mi-
crocervejarias. Apesar de ser uma
aprovação que vai valer para
2018 e que não vai abranger to-
das as cervejarias artesanais em
função do faturamento baixo, é
algo a ser comemorado. O Sim-
ples vai beneficiar cervejarias que
produzem por volta de 10 mil a 20
mil litros. Ou seja, aquelas cerve-
jarias menores, que estão come-
çando e que vão ter o diferencial
de ter uma carga tributária um
pouco mais baixa. Foi o grande
fato positivo do ano passado.
[PE] - Um ano difícil...
Lapolli - Sim. Passamos por uma
crise, mas nosso setor está bas-
tante aquecido e isso se deve a
uma mudança nos hábitos de
consumo de cervejas. O consu-
midor está cada vez mais desco-
brindo a cerveja artesanal e está
optando por essa variedade, leva-
do por questões sensoriais, pela
personalização da cerveja, estilo,
sabor e até pela valorização do
que é produzido localmente, pres-
tigiando a pequena empresa e o
PeloEstado Entrevista CARLO GIOVANNI LAPOLLI
Advogado, pós-graduando em Tecnologia Cervejeira, Sommelier de Cervejas
certificado pela Doemens/ESCM, professor da Escola Superior de Cerveja e
Malte, preside a Associação das Cervejarias Artesanais de Santa Catarina
(Acasc) desde março de 2015. A Acasc foi fundada em 2008, sendo a
mais antiga associação do gênero. Reúne as cervejarias artesanais e outras
empresas da cadeia da cerveja artesanal, como fornecedores, distribuidores
e pontos de venda que trabalham com as marcas artesanais de Santa
Catarina. Em entrevista exclusiva à reportagem da Coluna Pelo Estado,
Lapolli falou sobre o crescimento do setor mesmo em meio à crise, sobre as
dificuldades geradas pelas regras e alíquotas tributárias, projetou 2017 e
ainda deixou um conselho para quem quer começar a investir no setor: “O
primeiro passo é estudar muito. Apesar de ser um mercado apaixonante, é
muito complexo. Se o empresário não se preparar para conhecer muito bem
esse mercado, pode ter um prejuízo significativo”.
comércio local. É um fenômeno
que observamos também na ali-
mentação, com o ressurgimento
de produtos artesanais, envolven-
do desde a panificação até queijos
e embutidos. Isso nos garantiu
um impacto menor da crise, mas
não significa que ela não foi sen-
tida, especialmente nas questões
de crédito e aumento nos preços
cobrados pelos fornecedores.
[PE] - As expectativas para 2017
são positivas?
Lapolli - Acredito que vamos con-
tinuar crescendo, mas ainda em
um cenário adverso pela neces-
sidade de recuperação da econo-
mia, que não se mostra assim tão
garantida. Vai ser um ano ainda
de dificuldades, de investimen-
tos menores e crescimento me-
nor. Mas vamos ter crescimento,
sim, forçado pela demanda. Não
é pouca coisa. Há estimativas de
que as cervejarias artesanais res-
pondem por 1% de todo o merca-
do de cerveja do país, que movi-
menta algo em torno de R$ 140
bilhões ao ano. Em Santa Cata-
rina não temos os dados do nosso
setor e esta é uma das metas para
2017. Já estamos conversando
com a Escola Superior de Cerveja
e Malte, de Blumenau, para que
a gente aprofunde um pouco mais
a pesquisa econômica no setor de
cervejas artesanais. Fizemos uma
pesquisa em 2016 com relação
aos investimentos e sabemos que
Santa Catarina produz em torno
de um milhão de litros de cerveja
artesanal por mês. É um dos esta-
dos líderes no setor. Nem mesmo
o Ministério da Agricultura, res-
ponsável por fiscalizar as cerveja-
rias, sabe o número de cervejarias
registradas no país hoje. Mas es-
timamos que sejam cerca de 500
no Brasil e, em Santa Catarina,
somos quase 50 cervejarias em
atividade, das quais mais de 30
estão na Acasc.
[PE] - Há uma concentração des-
sas cervejarias na região do Vale
do Itajaí. O que explica isso?
Lapolli - O pioneirismo. A Acasc
foi formada pelas cervejarias re-
gionais do Vale do Itajaí. O mo-
vimento de cervejarias artesanais
surgiu aqui no Vale do Itajaí, mui-
to relacionado com a colonização
alemã. Assumi a presidência em
março de 2015 com somente oito
associados. Desde então conse-
guimos estadualizar a atuação.
Hoje temos associados na região
Oeste, na Grande Florianópolis e
estamos fazendo um trabalho de
convencimento dos empresários
sobre a importância do associati-
vismo. Temos polos importantes
também no Norte, no Sul e no
Meio Oeste catarinense.
[PE] - O que a Acasc oferece aos
associados?
Lapolli - Em 2017 nós vamos in-
tensificar a oferta de capacitação.
Discutimos muito a necessida-
de de qualificação também dos
fornecedores. Existe um fórum
permanente dentro da associa-
ção para avaliar esses fornece-
dores, até porque a qualidade
do que eles nos vendem se reflete
na qualidade da cerveja que pro-
duzimos. Existem aventureiros
entrando no mercado e nós faze-
mos uma depuração, algo muito
importante, principalmente para
quem está começando e ainda
não conhece bem o mercado. Eu
atendo muita gente na Acasc que
está começando no setor. Mostro
todos os caminhos, desde os mo-
delos de negócio que podem ser
adotados, os passos legais a se-
rem percorridos, os registros que
devem fazer, explico toda a área
tributária pertinente.
[PE] - A questão tributária ainda
é o maior desafio?
Lapolli - Continua sendo o maior
entrave. Não só pelo índice apli-
cado, mas porque temos 27 legis-
lações diferentes para a cerveja,
uma para cada estado do país.
A carga tributária, portanto, vai
depender muito do estado em
que a cerveja artesanal é produ-
zida e do estado para o qual será
vendida. São muitas alíquotas
diferentes. Isso cria uma grande
dificuldade de comercialização e
torna-se o maior entrave para se
vender para fora do estado. Vou
dar um exemplo prático: esta-
mos mandando uma nota para o
Amazonas e praticamente 50%
do valor do pedido é imposto in-
terestadual que eu tenho que re-
colher antecipadamente. Em um
pedido de R$ 3 mil, estou tendo
que recolher R$ 1,5 mil anteci-
padamente. Então, nesse caso
específico, somando tudo, a carga
tributária certamente passa dos
60%. Dentro de Santa Catarina
essa carga fica entre 35% e 40%.
Mais um detalhe: são 27 legisla-
ções para a cerveja e alguns es-
tados ainda tratam o chope de
forma diferente. A complexidade
é muito grande e simplificar é o
nosso grande desafio.
[PE] - É comum sair cerveja ar-
tesanal de Santa Catarina para
outros estados?
Lapolli - Algumas de nossas mar-
cas têm presença nacional e há
quem já esteja planejando ex-
portar. Mas tem que se preparar.
Estamos em conversas com o Se-
brae-SC para capacitar os empre-
sários interessados. Tem que ha-
ver um comprometimento muito
grande, um desenvolvimento
de mercado externo consisten-
te. Não se pode abandonar um
cliente por causa da variação do
câmbio, por exemplo. Mas acre-
dito que em no máximo três anos
seremos exportadores.
[PE] - Em outra resposta o se-
nhor citou a Escola de Cerveja e
Malte. Do que se trata?
Lapolli - Blumenau ainda é polo
de produção, pela tradição. Há
dois anos surgiu a Escola Su-
perior de Cerveja e Malte, que
oferece desde cursos de degusta-
ção até de mestre cervejeiro, for-
mando mão de obra qualificada.
Para 2017, vão oferecer o curso
de Engenharia de Produção Cer-
vejeira, com duração de cinco
anos. Isso tudo prepara a mão
de obra e os empresários para
entrarem no mercado. Vem gen-
te do Brasil todo estudar aqui.
Outro fato muito positivo para
Santa Catarina é que temos aqui
as duas primeiras micro malte-
rias. O malte é feito a partir da
cevada, geralmente em grandes
indústrias de presença global. E
agora começou aqui o fenôme-
no que já acontece nos Estados
Unidos, de produção de malte
com uma pegada mais local, ar-
tesanal. A primeira do Brasil foi
a Malteria Blumenau e já temos
outra em Campos Novos. Um di-
ferencial para a cerveja artesanal
catarinense.
[PE] - É um setor que atrai turis-
tas, a exemplo do que ocorre com
o vinho?
Lapolli - É outro fenômeno que
está acontecendo e que vai se
consolidar em 2017. São as Ro-
tas Cervejeiras. A Acasc parti-
cipou da organização do Vale da
Cerveja, inserido na rota do Vale
Europeu, que é uma das regiões
turísticas criadas pela Embratur.
O Vale das Cervejas organiza cer-
vejarias, hotéis, restaurantes, o
que envolve uma grande qualifi-
cação. Também estamos apoian-
do a criação da Rota Cervejeira
Turística da Grande Florianópo-
lis. Uma localidade não compete
com outra. O importante é atrair
turistas e fidelizar consumidores,
criando uma identidade da cer-
veja catarinense.
Cerveja artesanal de SC
ganha mercado
Por Andréa Leonora
redacao@peloestado.com.br
Donco é Super Campeão Brasileiro
Jornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 23 de Janeiro de 2017
Leandro Rodrigues
Balneário Gaivota
S
aber que o boxe
existe, todos sa-
bem, agora, ver de
perto oito lutas olímpicas e
duas profissionais em plena
beira mar, em um evento ao ar
livre e gratuito, é para poucos.
A tarde e a noite de sábado
em Balneário Gaivota foram
tomadas por pessoas impres-
sionadas pela programação
diferente, organizada pelo
professor Sérgio, e em sua
primeira edição o 1 Gaivota
Open de Boxe foi um sucesso .
Veranistas que passavam
para caminhar ou ir a praia,
acabaram parando para as-
sistir o desafio e lotaram a
avenida em frente ao Ita-
puã. Nas oito lutas de boxe
olímpico(amador) já rolou um
show a parte, e como espera-
do, as duas lutas profissionais
acabaram tirando o fôlego e
arrancando gritos da torcida
que foi a loucura quando viu
a vitória dos representantes
da região Andrônico Borges,
o Donco, e Davi El Rei.
Nas lutas olímpicas os
resultados foram:
Na categoria masculino
cadete 60 kg: Valmir Júnior
da academia Gigantes do Rin-
gue de Torres venceu Miguel
Campos da Sociedade da Luta
de Palhoça.
Categoria masculino ju-
venil 60 kg: Rafael Bennet da
academia Meninos de Ouro de
Baln. Camboriú perdeu para
Kelven Lacerda do Projeto
100 Carência de Araranguá.
Categoria masculino
juvenil 69 kg: Thiago Emig-
dio da academia Gigantes de
Criciúma perdeu para João
Tabela completa e cobertura dos jogos do Viva Verâo 2017 no site:
www.esporteamadorsul.com.br
Ferreira da Sociedade da Luta
de Palhoça.
No feminino elite 60
kg: Pyetra Miotto da acade-
mia Nobre Arte de Chapecó
venceu Gislaine Cecatto de
Balneário Gaivota.
Masculino elite 69 kg:
Dieizi Rodrigues da Gaivota
venceu João Victor da acade-
mia Gigante de Criciúma.
Masculino elite 96 kg:
João Francisco de Sombrio
perdeu para Igor Silva da
Gaivota.
Masculino elite 91 kg:
DionatanPachecodoGigantes
do Ringue de Torres perdeu
para Rodrigo Santiago da
Gigante de Criciúma.
Nas Lutas profissionais
Davi El Rei venceu Edson
Morales pela defesa do Titulo
Sul Brasilaeiro da ANB e
no último combate da noite
Andrônico Borges, o Donco,
derrotou Andrei Costa pelo
título de Super Campeão
Brasileiro da ANB. O que
seria uma luta de 10 rounds
acabou no primeiro round por
nocaute técnico dando o título
ao sombriense.
SEGUNDA-FEIRA, 23 DE JANEIRO DE 2017

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Jornal digital 30 de janeiro de 2017
Jornal digital   30 de janeiro de 2017Jornal digital   30 de janeiro de 2017
Jornal digital 30 de janeiro de 2017Jornal Correio do Sul
 
Jornal digital 16 de janeiro de 2017
Jornal digital   16 de janeiro de 2017Jornal digital   16 de janeiro de 2017
Jornal digital 16 de janeiro de 2017Jornal Correio do Sul
 

Mais procurados (20)

Jornal digital 4905_qua_27042016
Jornal digital 4905_qua_27042016Jornal digital 4905_qua_27042016
Jornal digital 4905_qua_27042016
 
Jornal digital 4871_ter_07032016
Jornal digital 4871_ter_07032016Jornal digital 4871_ter_07032016
Jornal digital 4871_ter_07032016
 
Jornal digital 30 de janeiro de 2017
Jornal digital   30 de janeiro de 2017Jornal digital   30 de janeiro de 2017
Jornal digital 30 de janeiro de 2017
 
Jornal digital 4983 ter_16082016
Jornal digital 4983 ter_16082016Jornal digital 4983 ter_16082016
Jornal digital 4983 ter_16082016
 
Jornal digital 4922_sex_20052016
Jornal digital 4922_sex_20052016Jornal digital 4922_sex_20052016
Jornal digital 4922_sex_20052016
 
Jornal digital 4904_ter_26042016
Jornal digital 4904_ter_26042016Jornal digital 4904_ter_26042016
Jornal digital 4904_ter_26042016
 
Jornal digital 25 07-17
Jornal digital 25 07-17Jornal digital 25 07-17
Jornal digital 25 07-17
 
Jornal digital 24-04-17
Jornal digital 24-04-17Jornal digital 24-04-17
Jornal digital 24-04-17
 
Jornal digital 4992 seg_29082016
Jornal digital 4992 seg_29082016Jornal digital 4992 seg_29082016
Jornal digital 4992 seg_29082016
 
Jornal digital 14-03-17
Jornal digital 14-03-17Jornal digital 14-03-17
Jornal digital 14-03-17
 
Jornal digital 10 01-18
Jornal digital 10 01-18Jornal digital 10 01-18
Jornal digital 10 01-18
 
Jornal digital 4969_qua_270720162
Jornal digital 4969_qua_270720162Jornal digital 4969_qua_270720162
Jornal digital 4969_qua_270720162
 
Jornal digital 4931_sex_03062016
Jornal digital 4931_sex_03062016Jornal digital 4931_sex_03062016
Jornal digital 4931_sex_03062016
 
Jornal digital 23 06-17
Jornal digital 23 06-17Jornal digital 23 06-17
Jornal digital 23 06-17
 
Jornal digital 4896_qua_13042016
Jornal digital 4896_qua_13042016Jornal digital 4896_qua_13042016
Jornal digital 4896_qua_13042016
 
Jornal digital 21 09-2018
Jornal digital 21 09-2018Jornal digital 21 09-2018
Jornal digital 21 09-2018
 
Jornal digital 4901_qua_20042016
Jornal digital 4901_qua_20042016Jornal digital 4901_qua_20042016
Jornal digital 4901_qua_20042016
 
Jornal digital 5016_seg03102016
Jornal digital 5016_seg03102016Jornal digital 5016_seg03102016
Jornal digital 5016_seg03102016
 
Jornal digital 16 de janeiro de 2017
Jornal digital   16 de janeiro de 2017Jornal digital   16 de janeiro de 2017
Jornal digital 16 de janeiro de 2017
 
Jornal digital 10-04-17
Jornal digital 10-04-17Jornal digital 10-04-17
Jornal digital 10-04-17
 

Semelhante a Jornal digital 23 de janeiro de 2017

JORNAL DO MUNICIPIO - julho 2015
JORNAL DO MUNICIPIO - julho 2015JORNAL DO MUNICIPIO - julho 2015
JORNAL DO MUNICIPIO - julho 2015Pery Salgado
 

Semelhante a Jornal digital 23 de janeiro de 2017 (20)

Jornal digital 20 12-2018
Jornal digital 20 12-2018Jornal digital 20 12-2018
Jornal digital 20 12-2018
 
Jornal digital 4936_sex_10062016
Jornal digital 4936_sex_10062016Jornal digital 4936_sex_10062016
Jornal digital 4936_sex_10062016
 
Jornal digital 5057 seg_05122016
Jornal digital 5057 seg_05122016Jornal digital 5057 seg_05122016
Jornal digital 5057 seg_05122016
 
Jornal digital 15-03-17
Jornal digital 15-03-17Jornal digital 15-03-17
Jornal digital 15-03-17
 
Jornal digital 30 10-2018
Jornal digital 30  10-2018Jornal digital 30  10-2018
Jornal digital 30 10-2018
 
Jornal digital 10 09-2018
Jornal digital 10 09-2018Jornal digital 10 09-2018
Jornal digital 10 09-2018
 
Jornal digital 4870_seg_07032016
Jornal digital 4870_seg_07032016Jornal digital 4870_seg_07032016
Jornal digital 4870_seg_07032016
 
Jornal digital 28 11-2018
Jornal digital 28 11-2018Jornal digital 28 11-2018
Jornal digital 28 11-2018
 
Jornal digital 21 12-16
Jornal digital 21 12-16Jornal digital 21 12-16
Jornal digital 21 12-16
 
Jornal digital 4895_ter_12042016
Jornal digital 4895_ter_12042016Jornal digital 4895_ter_12042016
Jornal digital 4895_ter_12042016
 
JORNAL DO MUNICIPIO - julho 2015
JORNAL DO MUNICIPIO - julho 2015JORNAL DO MUNICIPIO - julho 2015
JORNAL DO MUNICIPIO - julho 2015
 
Jornal digital 09 06-17
Jornal digital 09 06-17Jornal digital 09 06-17
Jornal digital 09 06-17
 
Jornal digital 4986 sex_19082016
Jornal digital 4986 sex_19082016Jornal digital 4986 sex_19082016
Jornal digital 4986 sex_19082016
 
Jornal digital 01 10-2018
Jornal digital 01 10-2018Jornal digital 01 10-2018
Jornal digital 01 10-2018
 
Jornal digital 20 10-17
Jornal digital 20 10-17Jornal digital 20 10-17
Jornal digital 20 10-17
 
Jornal digital 08 08-17
Jornal digital 08 08-17Jornal digital 08 08-17
Jornal digital 08 08-17
 
Jornal digital 07 08-17
Jornal digital 07 08-17Jornal digital 07 08-17
Jornal digital 07 08-17
 
Jornal digital 4888_sex_01042016
Jornal digital 4888_sex_01042016Jornal digital 4888_sex_01042016
Jornal digital 4888_sex_01042016
 
Jornal digital 01-06-17
Jornal digital 01-06-17Jornal digital 01-06-17
Jornal digital 01-06-17
 
Jornal digital 4940_qui_16062016
Jornal digital 4940_qui_16062016Jornal digital 4940_qui_16062016
Jornal digital 4940_qui_16062016
 

Mais de Jornal Correio do Sul (20)

Jornal digital 19 12-2018
Jornal digital 19 12-2018Jornal digital 19 12-2018
Jornal digital 19 12-2018
 
Jornal digital 18 12-2018
Jornal digital 18 12-2018Jornal digital 18 12-2018
Jornal digital 18 12-2018
 
Jornal digital 17 12-2018
Jornal digital 17 12-2018Jornal digital 17 12-2018
Jornal digital 17 12-2018
 
Jornal digital 14 12-2018
Jornal digital 14 12-2018Jornal digital 14 12-2018
Jornal digital 14 12-2018
 
Jornal digital 13 12-2018
Jornal digital 13 12-2018Jornal digital 13 12-2018
Jornal digital 13 12-2018
 
Jornal digital 12 12-2018
Jornal digital 12 12-2018Jornal digital 12 12-2018
Jornal digital 12 12-2018
 
Jornal digital 11 12-2018
Jornal digital 11 12-2018Jornal digital 11 12-2018
Jornal digital 11 12-2018
 
Jornal digital 10 12-2018
Jornal digital 10 12-2018Jornal digital 10 12-2018
Jornal digital 10 12-2018
 
Jornal digital 06 12-2018
Jornal digital 06 12-2018Jornal digital 06 12-2018
Jornal digital 06 12-2018
 
Jornal digital 05 12-2018
Jornal digital 05 12-2018Jornal digital 05 12-2018
Jornal digital 05 12-2018
 
Jornal digital 04 12-2018
Jornal digital 04 12-2018Jornal digital 04 12-2018
Jornal digital 04 12-2018
 
Jornal digital 03 12-2018
Jornal digital 03 12-2018Jornal digital 03 12-2018
Jornal digital 03 12-2018
 
Jornal digital 30 11-2018
Jornal digital 30 11-2018Jornal digital 30 11-2018
Jornal digital 30 11-2018
 
Jornal digital 29 11-2018
Jornal digital 29 11-2018Jornal digital 29 11-2018
Jornal digital 29 11-2018
 
Jornal digital 27 11-2018
Jornal digital 27 11-2018Jornal digital 27 11-2018
Jornal digital 27 11-2018
 
Jornal digital 24 11-2018
Jornal digital 24 11-2018Jornal digital 24 11-2018
Jornal digital 24 11-2018
 
Jornal digital 22 11-2018
Jornal digital 22 11-2018Jornal digital 22 11-2018
Jornal digital 22 11-2018
 
Jornal digital 21 11-2018
Jornal digital 21 11-2018Jornal digital 21 11-2018
Jornal digital 21 11-2018
 
Jornal digital 20 11-2018
Jornal digital 20 11-2018Jornal digital 20 11-2018
Jornal digital 20 11-2018
 
Jornal digital 19 11-2018
Jornal digital 19 11-2018Jornal digital 19 11-2018
Jornal digital 19 11-2018
 

Jornal digital 23 de janeiro de 2017

  • 1. Correio do SulANO XXVI EDIÇÃO Nº 5.090 R$ 2,00SEGUNDA-FEIRA, 23 DE JANEIRO DE 2017 www.grupocorreiodosul.com.br 29º 21º Pancadas de Chuva - Chuva de curta duração e pode ser acompanhada de trovoadas a qualquer hora do dia. Previsão para hoje Extremo Sul Catarinense POLÍCIA INVESTIGA A MORTE DO EX-PREFEITO JOÃO BONAMIGO ARQUEÓLOGOS ENCONTRAM ARTEFATOS NA SERRA DA ROCINHA GAIVOTANA OBRA Pag 11Pag 7 Voluntários recolhem quase duas toneladas de lixo em Ilhas Pagina 3 Limpeza
  • 2. MortedeBonamigodeixavácuonoPMDB Descontente PSD de Araranguá está de nariz torcido com o prefeito Mariano Mazzuco Neto (PP). Cúpula do partido imaginava que sigla seria mais aproveitada na gestão do progressista, o que não estaria acon- tecendo. Nem mesmo a nomeação do ex-vereador Giancarlo Soares de Souza (PSD) para a Secretaria de Governo, con- tentou a fome dos pessedistas. De acordo com fontes ligadas ao partido, a nomeação de Giancarlo trata-se de algo pessoal entre ele e Mariano. É que Gian era cotado para ser candidato a vice de Mariano durante o processo eleitoral do ano passado. Todavia, ele acabou abrindo mão desta pretensão, o que facilitou o acerto político entre o prefeito eleito e o empresário Primo Júnior, que se tornou o vice efetivo. Enquanto isto, o PSD tem uma lista de pelo menos dez nomes na gaveta, que, por ora, permane- cem sem espaço. Tudo é possível Coordenador Regional do PT, ex-prefeito de São João do Sul, Alex Bianchin, diz não saber, ainda, se o seu partido terá, ou não, candidato a deputado estadual ano que vem por nossa região. “É algo que nós ainda não estamos discutindo. Esse assunto deverá vir à tona por ocasião do PED, mas tudo é possível”, comenta. O PED, que está previamente marcado para o início de abril, é o Processo de Eleições Diretas rea- lizadas pelo PT para a escolha de seu novo comando em todos os níveis. Nesta ocasião também são tratados assuntos como o lançamento de candidaturas futuras. Feita a opção por uma candidatura petista por nossa região, a questão será definir o nome que representará o partido. Em princípio, o vereador sombriense MarcelloAreão é um dos mais cotados. Todavia, o PT de Ara- ranguá, também irá querer marcar presença no cenário regional, principalmente se o ex-presidente Lula da Silva for candidato ao Planalto novamente. ADVOCACIA EMPRESARIAL FONE: (48) 3533-0145 “A sabedoria é uma contradição em si própria. O homem que mais sabe também é aquele que mais tem consciência de sua própria ignorância”. Friedrich Nietzsche (1844/1900) Filósofo alemão “ Nunca mais serei candidato em Balneário Gaivota”, me disse o ex-prefeito João Alberto Bonamigo, em meados do ano passado, quando eram feitas as últimas tratativas para saber quem disputaria a prefeitura pela oposição, grupo em que ele estava inserido. A afirmativa era uma resposta às especulações feitas pela imprensa sobre esta possibilidade. De pronto re- truquei em tom amistoso: “Mas o senhor está falando o que todo político fala!”. Ele, por sua vez, emendou: “Mas eu não sou como todo político”. Na sequência da conversa Bonami- go fez uma série de ponderações. Disse que não queria ser mais prefeito porque as pessoas não compreendiam seu modo de administrar. “O problema do poder é que existem alguns grupos dentro da política que acham que um prefeito, um governador ou um presidente, têm que administrar para eles, e não para o povo. Então, quando alguém se propõe a fazer um governo para o povo, acaba sendo acusado de não prestar. Como eu sei que presto, melhor me afastar definitivamente da política”, comentou. De fato, no pleito de 2016, João Bonamigo sequer colocou seu nome a disposição para ser candidato a pre- feito, como já havia feito em outras três ocasiões. Na primeira, em 2004, acabou sendo derrotado numa disputa apertada contraAdroaldo Tiscoski (PP). Em 2008 voltou ao cenário político disputando o executivo contra o então vice-prefeito Claudionor Colares, que era filiado ao PDT. Desta feita, conse- guiu vencer com uma margem de votos nunca antes anotada no município. Seu mandato, no entanto, foi marcado por uma série de rompimentos políticos, o que o levou a derrota em seu projeto de reeleição em 2012, pleito em que o atual prefeito Ronaldo Pereira da Silva (PP) foi eleito pela primeira vez. Derrota, aliás, tão retumbante como havia sido sua vitória quatro anos antes. De acordo com Bonamigo, o fracasso eleitoral de 2012 teria lhe mostrado claramente que política não era coisa para pessoas como ele. “Se é para ficar fazendo acertinho e tendo que aturar certas coisas, prefiro cuidar dos meus negócios. Política, nunca mais”, me disse o ex-prefeito. Na última sexta-feira, João Alberto Bonamigo, empresário gaúcho muito bem sucedido, há anos radicado em Balneário Gaivota, administrador da prefeitura local entre 2009 e 2012, foi encontrado morto.Atese é a de suicídio por disparo de arma de fogo. A vida ceifada de forma tão abrupta, por óbvio, causou comoção generalizada, especial- mente entre seus correligionários. Conhecido pelo jeito extremamente austero de governar, o ex-prefeito co- lecionou desafetos, mas na proporção inversa também era admirado por uma legião de correligionários, que sonha- vam com seu retorno ao executivo. Ainda que acompanhando a po- lítica gaivotense “à distância”, como costumava dizer, a morte de Bonamigo deixa um vácuo no cenário municipal, em especial dentro do PMDB, onde ele militava. Por óbvio que o momento não é de conjecturas a respeito do destino de seu partido, mas não há como negar que o PMDB gaivotense passará por uma transformação diante da partida prematura de Bonamigo. Máfia Tenho conversado com vários candidatos a prefeito em 2016 que saíram derrotados das urnas. Boa parte perdeu a eleição para candidatos novatos, sem experiência em administração pública executiva. De um modo geral, todos têm manifestado a mesma opinião sobre os vencedores: “O problema não é ele, ele é gente boa. O problema é a máfia que está por trás”. Os derrotados argumentam que os novos só ganharam espaço na política, e só lhes foi permitida a disputa por um partido ou coligação forte, porque a tal máfia “já estava torrada frente à opinião pública”. A tal máfia a que se referem, por óbvio, são aqueles políticos mais tradicionais, que já não teriam mais chances de vitória por conta das mudanças pelas quais passa a política nacional. O grande problema é como governar sem experiência e sem a “máfia” por perto. Mais tempo Morte em acidente aéreo do Ministro do Supremo Tribunal Federal, Teori Zavascki, vai atrasar, sabe-se lá até quando, homolo- gação das delações premiadas feitas pelos executivos da Odebrechdt na Operação Lava Jato. Dentre as delações, estão aquelas dando conta de que a Odebrechdt repassou dinheiro, via doação ilícita, para a campanha presidencial de Dilma Rousseff (PT) e Michel Temer (PMDB). Homologa- da a delação, a justiça poderia até mesmo cassar o registro de candidatura de Dilma e Temer, o que faria com que o presidente da Câmara Federal assumisse o comando do país, convocando eleições indiretas para preencher a vaga presidencial. Por sua vez, o novo relator da Lava Jato no STF terá que averiguar, novamente, todas as delações, para emitir seu conceito. Pelo menos esta é a tese. Mesmo que não ave- rigue, confiando em assessores, terá que dar um tempo, e grande, de modo a dar a entender que averiguou. Rolando Christian CoelhoRolando Christian Coelho Jornal Correio do Sul Segunda-Feira, 23 de Janeiro de 2017 rolando_coelho@hotmail.com (48) 99945.6787 POLÍTICA
  • 3. 3 Faxina Geral Mutirão de limpeza do projeto socioambiental A Praia é Nosso Pico percorreu dunas, mangues e a água N o sábado, acon- teceu no Balne- ário de Ilhas, em Araranguá, o 4º Mutirão de Limpeza do projeto socioam- biental A Praia é Nosso Pico. A iniciativa de um grupo de amigos é liderada por Giovani Rosa, já foi realizada três ve- zes no Morro dos Conventos e Gislaine Fontoura Araranguá Sombrio Conscientização tem sua quinta edição prevista para acontecer no dia 4 de fevereiro em BalneárioArroio do Silva. Giovani contou que du- rante as três etapas no Morro dos Conventos foram retira- das quatro toneladas de lixo das dunas. “Agora estamos fazendo aqui em Ilhas, onde há uma necessidade maior de retirar o lixo da natureza, pois um grande volume de sujeira Jornal Correio do Sul Segunda-Feira, 23 de Janeiro de 2017 Voluntários recolhem lixo em Ilhas Família perde tudo em incêndio Namadrugada desábado, por volta das 3h50min, os bombeiros de Sombrio traba- lharam bastante para conter as chamasquetomavamcontade uma casa na comunidade de São Francisco. Na residência de tijolos, depropriedadede JoãoCarlos Fernando, foram utilizados quatro mil litros de água para conter os focos de incêndio. Em estado de choque, a família descobriu que todos os seus pertences tinham sido consumidospelofogo.Ângela Maria, filha do proprietário, entrou em contato com a reportagem do Jornal Correio do Sul pedindo ajuda para os que desce dos rios fica alojado na comunidade e o restante vai para o mar aberto e desova em nossas praias. Este projeto é uma sementinha plantada na região e queremos discutir com nossos prefeitos a situa- ção do lixo que é jogado sem consciência nas microbacias e cai na bacia maior, que é a do Rio Araranguá”, disse. Segundo Giovani, quase 60 empresas patrocinam a faxina, que tem também o apoio da FundaçãoAmbiental do Município de Araranguá (Fama), do ServiçoAutônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae), do Corpo de Bom- beiros e da Polícia Militar. Foram distribuídos para os voluntários kits de lanche e 200 camisetas. Os cerca de 150 participantes se dividiram em três equipes, duas percor- rendo a área por terra e uma pela água. A coleta iniciou às 15 horas, terminando por volta das 18 horas. Muitos calçados, garrafas pet, vidros, isopor e até mesmo embalagens com óleo automotor foram retira- dos do meio ambiente. Todo o lixo recolhido em Ilhas foi entregue a uma empresa, que dá o destino adequado ao material. A Fama participa do pro- pais, que perderam tudo que tinham. Quem puder ajudar pode entrar em contato pelo fone 996405977 e falar com Ângela. A causa do incêndio ainda não foi revelada. Voluntários passaram três horas recolhendo lixo jogado na natureza, em ação de preservação e alerta contra o descaso Estrutura foi montada para ajudar voluntários na limpeza Casal ficou sem nada e está precisando de ajuda urgente jeto desde a primeira edição. O diretor Luís Leme atentou para a importância de evitar que o lixo chegue ao rio. “Estamos com praticamente toda nossa equipe aqui, com um caiaque e um stand up. Um pessoal vai por terra, outro por água, trouxemos mudas para distribuir, vamos realizar o plantio simbólico e orientar a população sobre a importância denãodeixarqueolixochegue ao rio.Aorigem está na cidade, as pessoas largam o lixo na rua, cai na boca de lobo, da boca de lobovaiparaovalo,dovalovai para o rio e do rio vem parar aqui em Ilhas, que vai para a foz do rioAraranguá e também para o mar, que devolve e vai parar nas dunas”, alertou. O Corpo de Bombeiros de Araranguá se fez presente desde o início, garantindo a segurança dos participantes, com equipamentos de salva- mento aquático eAtendimento Pré Hospitalar (APH), além da equipe de guarda-vidas, que já atua no balneário. A Polícia Militar também participou, fazendo a ronda no local. O prefeito do Arroio do Silva Juscelino da Silva Guimarães, o Mineiro, acompanhou a lim- peza desde o início e ajudou a recolher lixo das dunas. “Vim colaborar e ver como funcio- na, para ajudar a organizar a edição de Arroio do Silva, que irá acontecer no dia 4 de fevereiro, com saída do Cen- tro, nas imediações do edifício SobreasOndas,dividindouma turma para o lado Norte e outra para o lado Sul. É importan- te preservamos a natureza e projetos como este, são muito incentivadores”, elogiou. O prefeito Mariano Ma- zzuco, deAraranguá, esteve no final da tarde visitando Ilhas e conhecendo o A Praia é Nosso Pico.Marianochegouacompa- nhadodasecretáriadeBemEs- tar Social Maria Alice Aguiar e da secretária de Educação e Esporte, Ariane Oliveira de Almeida e foi recepcionado pelo diretor da Fama. O empresário Edilor Da- miani, de Criciúma, veraneia em Ilhas há 25 anos e foi com a esposa,filhode12anosesobri- nho de nove, ajudar a recolher o lixo depositado nas dunas e mangues do balneário. “Fiquei sabendo e vim com a família ajudar, porque acho importante proteger a natureza e também passar para as crianças esta consciência de preservação”, ponderou. A ação recolheu aproxi- madamente duas toneladas de lixo.
  • 4. 4 PublicidadeJornal Correio do Sul Segunda-Feira, 23 de Janeiro de 2017
  • 5. Nova diretoria pronta para trabalhar Credija cresce 13% em 2016 Dinheiro para o carnaval Preparando o ano letivo Com resultados positivos em diversos indicadores, o Sicoob Credija alcançou a marca de 32 mil associados, uma impor- tante conquista no ano em que a cooperativa celebra seus 25 anos de fundação. Somente em 2016, o crescimento no número de associados registrado foi de 13,89% se comparado com o ano anterior. “A economia brasileira vive um momento de muita incerteza, no entanto, o cooperativismo mais uma vez demonstra a sua capacidade de superar as dificuldades através da união de seus associados”, afirma o presidente do Sicoob Credija, Wolni José Walter, que enxerga nos associados a confiança para continuar investindo no sis- tema.“Aparticipaçãoativadosassociadosnacooperativa fortaleceainstituiçãoeconsequentementegeramaisresul- tados para as pessoas que estão ligadas a ela”, evidencia. Outro destaque do período foi elaboração de projetos para a construção de quatro novas agências, uma decisão quevaiproporcionarmaisagilidadenoatendimento,trazer maior comodidade aos associados e gerar mais empre- gos. “Todo investimento é feito pensando nas pessoas, no retorno que ele vai gerar para a região e certamente a construção de novas agências só vai gerar resultados positivos”,consideraovice-presidentedaCredija,Donato Semprebon. A partir desta terça-feira, estará aberto o programa de transferência de recursos para a realização do Carnaval 2017 em Santa Catarina. O programa é destinado às prefeituras e os recursos deverão ser utilizados em infraestrutura para os desfile, como locação de sonorização, de trio elétrico, de iluminação, sanitários químicos, arquibancada e serviços de segurança. O programa terá até R$ 4 milhões para serem distribuídos aos municípios que inscreverem propostas e estiverem aptos a receber recursos estaduais por meio do Fundo Estadual de Incentivo ao Turismo (Funturismo). O período de cadastro segue até o dia 2 de fevereiro. A data-limite para entrega dos documentos na Agência de Desenvolvimento Regional de origem do proponente é dia 6 de fevereiro. Por sua vez, as Agências de De- senvolvimento Regional deverão protocolar os documentos na Secretaria de Turismo, Cultura e Esporte (SOL) até o dia 8 de fevereiro. Para o secretário Leonel Pavan, o programa é um incentivo para a realização do Carnaval em Santa Catarina. “É uma forma de contribuir com essa festa tão importante para a cultura e o turismo no estado”, conclui. Foi realizada na manhã de sexta-feira, uma reunião para estreitar relações e planejar as atividades do ano no Arroio do Silva. O prefeito, Juscelino Gui- marães, o Mineiro, e o secretário de Administração e Finanças, Felipe Keller, recepcionaramasecretáriadeEducaçãoSilviaMachadoGhellere,eosdiretores e coordenadores das unidades da rede municipal de ensino. O objetivo da atual gestão é de realizar um trabalho na mesma linha para que os serviços prestados à população sejam de qualidade. “Acertamos alguns detalhes e, claro, pedi o apoio da equipe da Secretaria de Educação para que a gestão seja de sucesso e que a administração municipal cumpra com seu papel. Somos uma equipe e precisamos que todos contribuam para que o trabalho dê certo”, destacou o prefeito. As aulas nas escolas da rede municipal iniciam no dia 20 de fevereiro. 10X R$ 29,90 Cartão de crédito ou R$ 299,00 à vista FURADEIRA IMP. 1/2 650W DEWALT E leição ganha com tranquili- dade para a ges- tão 2017/2021, a nova di- retoria da Cooperativa de Eletricidade Praia Grande (Ceprag) está pronta para trabalhar. Com a manuten- ção do presidente Olívio Nichele, o Gringo, no cargo, as atividades estão tendo continuidade nor- malmente. Jabson MullerJabson Muller Jornal Correio do Sul Segunda-Feira, 23 de Janeiro de 2017 (48) 99955.5313 POLÍTICA jabsonmuller@grupocorreiodosul.com.br Nova composição da diretoria: Presidente: Olívio Nichele (Gringo) Vice-presidente: Edevaldo Sala Scheffer (Castelo) Secretário: Alex Sandro Pereira Bianchin Conselho Administrativo Hercídio Marciano Cardoso Edson Domingos Carboni (Lambari) Remi Scheffer Borba Antônio Batista (Toninho do Calçamento) Elio Silveira Santos Cezar Henrique Rocha Demetrio Sergio Delfino Joaquim (Serginho do Bio) Jorge Luiz Lopes Scheffer Delegados Osmar Pereira Ramos (Boneco) Newton Bitencourt da Silva (Alemão) Conselho Fiscal Silvio Martins Colares Erivaldo Maciel Pereira Marco Antônio de Almeida Miranda (Marcão) Manoel Ribeiro (Nelo) Francisco de Assis do Nascimento (Zizo) Marcio Rodrigues Luiz
  • 6. C.S. Empresa Jornalística LTDA. Publicações legais: tomaz@grupocorreiodosul.com.br Financeiro financeiro@grupocorreiodosul.com.br Comercial: l48l 3533.0870 comercial@grupocorreiodosul.com.br Diretor Geral Jabson Muller l48l 9955.5313 diretor@grupocorreiodosul.com.br Diagramação/Arte: correiodosul@grupocorreiodosul.com.br Sul Gráfica sulgrafica@grupocorreiodosul.com.br Redação: editor@grupocorreiodosul.com.br Radio 93FM radio93fm@grupocorreiodosul.com.br Circulação/Assinatura l48l 3533.0870 assinaturas@grupocorreiodosul.com.br 6 GeralJornal Correio do Sul Segunda-Feira, 23 de Janeiro de 2017
  • 7. 7Geral Jornal Correio do Sul Segunda-Feira, 23 de Janeiro de 2017 Fé e Tradição Muitos romeiros mantiveram tradição de caminhar até a localidade onde acontece a festa Devotos de São Sebastião acompanharam homenagens Arqueólogos estão escavando em busca de objetos confeccionados por povos antigos Q uando Raul Sér- gio saiu de casa, em Balneário Gaivota, acompanhado pela mulher e a filha, o relógio mar- cava5horasdamanhã.Ocasal cogitava percorrer em uma hora os sete quilômetros até a Figueirinha e chegar a tempo Balneário Gaivota de assistir a primeira missa da Festa de São Sebastião. Na estrada a família encontrou centenas de outros romeiros fazendo o mesmo trajeto, muitos vindos de Sombrio e de toda a região. A caminhada seria deva- gar porque Raul e Evelin se revezavam levando nos braços a filha Brenda. A menina de Devotos celebram São Sebastião quatro anos era o principal motivo da peregrinação. “Ela ficou muito doente no ano passado, suspeitamos até de leucemia, mas não era e ela se recuperou. Fizemos esta promessa e estamos indo agra- decer a São Sebastião”, disse Evelin. Muita gente agradeceu as graças alcançadas ou fez pedi- Timbé do Sul Sítio arqueológico é resgatado na Rocinha O Departamento Nacio- nal de Infraestrutura deTrans- portes (Dnit), por meio da GestãoAmbiental(STES.A.), iniciou o resgate do sítio arqueológico identificado na região das obras do Lote 2 da BR-285, na Serra da Rocinha, em Timbé do Sul. O local de- nominadoSítioArthurPiasso- li está localizado na área onde será executado o contorno do perímetro urbano. Lá foram encontrados artefatos utiliza- dos por sociedades indígenas pré-coloniais em atividades de exploração agroflorestal. O salvamento, que faz parte do Programa de Prospecção e Resgate Arqueológico, é uma das condicionantes do licenciamentoambientaletem a anuência do Instituto do Pa- trimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Os estudos começaram ainda na fase de obtenção das Licenças Prévia e de Instala- ção do empreendimento, em 2011, com a realização de pesquisasqueindicaramvestí- giosdeumaocupaçãohumana muito antiga na região. O IPHAN recomendou então que fosse realizado o resgate destes bens arqueológicos e ainda o monitoramento das obras. A partir da ordem de início das obras em 2016, o Dnit apresentou o projeto e a equipe responsável pela execução do Programa ao IPHAN. Após as atividades preli- minares, em janeiro iniciou-se o resgate do sítio. De acordo com a coordenadora da equi- pe,MarianaAraújoNeumann, na superfície foram encon- trados materiais de pedra lascada e polida denominados artefatos líticos. “O tamanho e o peso das peças nos indicam os seus usos”, afirma. Já em laboratório as peças serão higienizadas e catalogadas individualmente. Mariana explica que a análise apontará mais detalhes sobre a função e a matéria-prima dos artefatos. “Parareconstruiressahistória, conseguimos visualizar men- talmente o grupo indígena realizando essa atividade de manejo da floresta.” O acervo coletado ficará exposto na instituição de apoio do projeto, a Universi- dade do Extremo Sul Catari- nense (Unesc) de Criciúma, a qual desenvolve pesquisas sistemáticas sobre ocupações indígenas na região. “Agente sabe o que aconteceu em cima e embaixo da serra, mas den- tro dela falta documentação”, destaca a arqueóloga, lem- brando que existe uma lacuna em relação à pré-história do interior dos cânions. “O sítio em que estamos trabalhando é uma ocupação indígena, no entanto, nesta região também é importante a pesquisa da cultura do tropeirismo, cujos vestígios históricos estão sen- do registrados.” Ela ressalta que a pesquisa arqueológica é recente no Brasil – os pri- meiros projetos são da década de 1960 – e que os estudos foramimpulsionadospelains- talação de empreendimentos licenciados.“Olicenciamento ambiental permitiu conhecer muito do passado do Brasil e reconstruir nossa história com outro ponto de vista”. Alémdoresgate,aequipe realizará o constante mo- nitoramento arqueológico para localizar evidências não identificadas na ocasião do diagnóstico. Para isso, são realizadas atividades como o caminhamento da área total para verificação da superfície e o acompanhamento das frentes de obras. Os resul- tados e o conhecimento ad- quirido serão compartilhados com a comunidade por meio do Programa de Educação Patrimonial, o qual contará com palestras e visitas aos trabalhos de escavação.Todas asatividadesvisamaomesmo fim: proteger, preservar e promoveropatrimônioarque- ológico e cultural, evitando a sua destruição e garantindo o acesso de todos os cidadãos ao conhecimento e à memória nacional. dos ao santo fazendo orações, acendendo velas, vestindo crianças como anjos ou le- vando pães das mais variadas formas para doar. A festa de São Sebastião daFigueirinha,pequenacomu- nidadedointeriordeBalneário Gaivota, tem diversas caracte- rísticas, sendo a caminhada até a igreja a principal, seguida pela tradição da doação das massas. Devotos pagam pro- messasdoandoaigrejapãesna forma do que motivou o apelo aosanto.Tempãorepresentan- do o corpo humano, animais, e até casa, feitos por aqueles que no ano anterior realizaram o sonho da casa própria. As massas são recebi- das pelas voluntárias Adriana Santana da Rosa e Juliana Monteiro, ambas de 33 anos e que participam das atividades da igreja desde a adolescên- cia. Elas recebem e vendem os pães enquanto assistem a emoção dos devotos. “Agora mesmo saiu um moço daqui chorando, abraçando uma mulher depois da doação”, contaram. Afesta acontece há quase 80 anos, sempre no dia 20 de janeiro, dia do padroeiro da localidade.
  • 8. 8 PublicidadeJornal Correio do Sul Segunda-Feira, 23 de Janeiro de 2017
  • 9. 9Publicidade Jornal Correio do Sul Segunda-Feira, 23 de Janeiro de 2017
  • 10. T anaka comemora a notícia de Alice e afirma a Mieko que está livre para viver sua vida. Ques- tionada por Loretta, Lenita assume que teve uma filha. Paula incentiva Dora a se envolver com João Amaro, e Sirlene se incomoda. Carol avisa que tem provas contra César, que ameaça o bebê da ex-comparsa. César se prepara para viajar para o exterior. Geppina desconfia das insinuações de Loretta sobre as criançasabandonadasnamaternidadeemquetrabalhava. EntretenimentoEntretenimentoNovelas - Horóscopo - Diversão Cruzadinha Novelas H aroldoseemocionacom o sucesso de Nicolau. Paçoca constata que as visitas ao canal da banda nainternetestãoaumentando. Yasmin gosta do olhar sedutor de Zac. Gordo pergunta a Laila sobre o estado de saúde de Nicole. Alex chora por ter perdido Lorena. Eva avisa a Gui que a juíza o liberou da terapia e pede para ele pensar se quer continuar com as sessões.NéiaeLázaroseacusammutuamentepornãote- rem conseguido acabar com o casamento de Léo e Diana. F austo manda Pedro e Helô prepararem a exposição para des- mascarar Magnólia.Augusto expulsa Magnólia do quarto de Vitória. Gigi ameaça ana- lisar o DNA de Marina. Tiago e Letícia recebem notícias de Camila sobre Vitória. Pedro teme pela saúde mental de Vitória. Flávia ouve Misael cantando para Yara e Ritinha. Salete garante a Suely que vai resgatar Gustavo. Tião apresenta Laura para Magnólia. Sol Nascente -18h A Lei do Amor -21h Rock Story -19h Rapidinhas Áries 21/03 a 20/04 21/04 a 20/05 21/05 a 20/06 21/06 a 20/07 21/07 a 20/08 21/08 a 20/09 21/09 a 20/10 21/10 a 20/11 21/11 a 20/12 21/12 a 20/01 21/01 a 20/02 21/02 a 20/03 Leão HoróscopoHoróscopo Sagitário Gêmeos Libra Aquário Touro Será um dia estranho, haverá um pouco mais de felicidade. Números desfavoráveis.Aansiedade permeará o seu dia evite andar muito estressado preocupado. Vá em frente e não aja com indiferença sobre tudo. A ação é que fará com que fique tranquilo. A região do pescoço irá lhe irritar um pouco sua paciência. O planeta Marte irá lhe ajudar para tomar novas medidas. O elemento ar elevará suas condições comunicativas. O exercício da fala deve lhe ser constante, aproveite este momento favorável para tanto. A família será seu norte e seu sul, por isso toda direção apontará para ela. Marte será agradável para você. O planeta Vênus tentará puxar você para baixo. Vá de encontro as pessoas que gostam de você. Pessoas próximas a você deixarão claro o seu verdadeiro valor, isso aumentará sua confiança. Sol e fogo serão essenciais para a sua evolu- ção e estabelecimento de metas. No mais, boa criatividade durante o dia. Nada aparentemente abalará a virtude que paira neste signo. Terá em Mercúrio grandes revela- ções. Não deixe para trás esta oportunidade. Fique próximo de quem você estima. Apresentará um estado emocional mais agitado. Desavenças ocorrerão caso não pondere suas palavras. Porém Marte e Vênus mostrarão que sempre há esperança. Não conseguirá ter uma visão crítica do que está acontecendo. A lua tende a não ser favorável. Seu sentimento de vingança corroborá para que diminua sua capacidade de avaliar as coisas. Os bons pensamentos trazem muita alegria, en- tão pratique reflexões positivas. Ideias ineficazes devem ser deixadas para trás, evite bagunçar seu planejamento. Seja audacioso e prosperará. Novamente o trabalho aparecerá como sujeito princi- pal do seu foco. Seu bom empenho lhe trará ótimos resultados.Martelheseráfavorávelnestesentido.Não seráonúmerodetarefasexecutadas,masaqualidade com que são feitas é que determinará seu sucesso. Um dia sem muitas modificações, tudo ficará mais ameno. Mercúrio atrapalhará o andamento do seu dia. Apresentará facilidade para se rela- cionar com amigos. Acontecimentos adversos dificultarão o seu sucesso. Prepondere aquilo que realmente lhe é importante. Em algumas situações será de- selegante com quem você ama, evite. Saturno será o grande vilão. Virgem Capricórnio Câncer Escorpião Peixes Claudia Ohana mostrou toda sua boa forma em uma foto no Instagram, neste domingo, 22.A atriz, que tem 53 anos, postou uma imagem na qual aparece de lingerie em cima de uma cama. Na legenda, escreveu: “Bom dia”. Uma seguidora brincou: “A Natasha não en- velhece”, comentou, referindo-se à personagem de Claudia na novela “Vamp”, de 1991 - que, aliás, vai virar musical no teatro, com estreia marcada para março, no Rio. Para manter a barriga sequinha, a atriz pratica exercícios e capricha nos abdominais. Paolla Oliveira foi ao ensaio da Grande Rio na Noite deste sábado, 20. De calça justinha e blusa que deixava sua barriguinha à mostra, ela sambou muito junto com os ritmistas da escola. Jornal Correio do Sul Segunda-Feira, 23 de Janeiro de 2017
  • 11. 11Segurança Jornal Correio do Sul Segunda-Feira, 23 de Janeiro de 2017 Luto F oiencontradomor- to por volta das 5 horas da manhã de sexta-feira, o ex-prefeito de Balneário Gaivota João Al- berto Bonamigo, de 67 anos. O corpo foi encontrado na rua, próximo a madeireira de sua propriedade, que fica junto a residência da família, no bairro Santa Rita. Bona- migo tinha um ferimento feito por arma de fogo na cabeça, e as primeiras informações foram de que teria se matado com o disparo de um revólver calibre 38, que segundo a fa- mília é do próprio ex-prefeito. O filho e a esposa estavam dormindo no momento da tragédia. A arma e o corpo foram levados pela perícia e o fato passa a ser investigado pela Polícia Civil. Bonamigo era do PMDB e administrou Gaivota na ges- tão 2009-2012. Ele era dono de uma empresa na cidade, a BR Tratamento de Madeiras, onde também morava desde Balneário Gaivota Gislaine Fontoura Maracajá Gislaine Fontoura Araranguá Balneário Gaivota Polícia investiga morte de Bonamigo Agricultor tem mais animais furtados Dois presos por dirigir embriagadosVeículo com vazamento assusta O pequeno criador de gado e aves da localidade de Espigão da Toca, em Mara- cajá, Claudenir Cândido, teve mais uma vez animais furta- dos. Em junho do ano passado dois novilhos haviam sido furtados de sua propriedade e em dezembro um boi. Desta vez os ladrões levaram quase todososfrangosdogalinheiro, que fica nos fundos da casa, escapou apenas um frango pequeno. O furto aconteceu na ma- drugada de sexta-feira, e Clau- denir acredita que tenha ocor- rido por volta de 2 horas, pois ouviu os cachorros latirem, acordou,olhouopátio,nãoviu ninguém e como estava muito cansado, voltou a dormir. Às 6 horas, quando foi até o gali- nheiro, descobriu o prejuízo. “Quando acordei de manhã, fui botar ração para os frangos A Polícia Militar de Ara- ranguá efetuou na madrugada de sábado, duas prisões por embriaguez ao volante. A pri- meira foi de um condutor de umamotocicletaYamaha/Fazer 250, que estava caído no asfalto e foi avistado pelos militares, Um automóvel estacio- nado em frente ao restaurante Itapuã em Balneário Gaivota na tarde de sábado, assustou a população. O veículo, um Fox de cor prata com placas do Rio Grande do Sul, estava com um grande vazamento de com- bustível. O Corpo de Bombei- e vi o galinheiro arrombado, com a porta arrancada, a tela de proteção cortada e a cerca de arame farpado cortada, logo já me caiu a ficha, que fui roubado de novo”, lamentou. Claudenir teve furtados, desta vez, 15 frangos de cerca de cinco quilos cada e como a cerca foi cortada para os queacionaramoCorpodeBom- beiros. O homem foi levado ao Hospital Regional e recusou atendimento, pois segundo a PM, havia sinais visíveias de embriaguez. Ele foi encami- nhadoàCentraldePolícia,onde foirealizouotestedeetilômetro, constatando 0,70mg/l e sendo presoemflagrante.Emconsulta ao sistema, os militares ainda verificaram que a moto não ros e a Polícia Militar foram acionados quando já tinham vazado mais de dois litros de gasolina espalhados em duas vagas de estacionamento da avenida Beira Mar. Populares começaram a colocar água sobreocombustívelparaevitar umpossívelincêndio.Osbom- beiros depois espalharam areia na pista, para impedir o com- bustível de se espalhar. A PM ladrões entrarem na proprie- dade, o gado fugiu do potreiro. “Me deu muito trabalho trazer o gado de volta,estou desani- mado eu e minha esposa esta- mos até pensando em sair de Maracajá”, cogitou o pequeno produtor, que está cansado da insegurança e do prejuízo que frequentemente sofre. estava devidamente licenciada e efetuaram a apreensão do veiculo. A segunda prisão por em- briaguez ocorreu após um aci- dente de trânsito entre um Fiat Pálio e uma GM Montana. O condutor da Montana, após realização do teste do etilôme- tro, com resultado de 0,34mg/l, recebeu voz de prisão e foi en- caminhadoàCentraldePolícia. procurava o motorista quando elechegoueumguincholevou o Fox para uma oficina. A tranquilidade voltou para comerciantes próximos, que temiam uma explosão até pelo contato do combustível com o asfalto quente na tarde de sol forte e muito calor. Eles mesmos estavam colocando água como medida de pre- venção. João Alberto Bonamigo foi encontrado morto com um tiro Galpão onde estavam as aves foi arrombado e furtado 1999, vindo do Rio Grande do Sul. Com a morte do ex-pre- feito, a administração muni- cipal declarou luto oficial de três dias.
  • 12. 12 SegurançaJornal Correio do Sul Segunda-Feira, 23 de Janeiro de 2017 É Golpe N a manhã de sexta- -feira, uma senho- ra chorando em frente a agência da Caixa Eco- nômica Federal de Sombrio chamou a atenção de quem passava. Era dona Maria da Glória Matos da Silva de 69 anos, moradora de Praia Grande. Ela tinha vindo a Sombrioparadepositardinheiro nacontadeumgolpistaquedizia queasenhoratinhasidosorteada em uma promoção. QuandoaPolíciaMilitarfoi chamada, dona Maria já tinha feitoumatransferênciadequase R$ 500,00 e se dirigia a agência Sombrio Passo de Torres Araranguá lotérica para fazer um emprés- timo consignado de R$ 35 mil. Aidosacontouquenanoite de quinta-feira recebeu uma mensagem em seu celular di- zendo que tinha ganhado R$ 85 mil em sorteio da operadora Vivo. Para saber como receber oprêmioeraprecisoligarparao númeroqueenviouamensagem, o que ela fez.Atendeu um rapaz educado que falava perfeita- mente como os operadores de tele marketing, e confiirmou o prêmio. O estelionatário usando apenasumboaconversaatravés do telefone, disse que na noite de quinta mesmo a ganhadora deveria ir a uma agência da Idosa quase perde R$ 35 mil Briga de mulher acaba com um esfaqueado PM ocupa Favela do Ucca Na madrugada des- te domingo,por volta das 2h50min, o Corpo de Bom- beiroseaPolíciaMilitarforam acionados para atender uma ocorrência na estrada geral da Rosa do Mar em Passo de Sob o comando do 1º tenente Diego Schwartz, a Polícia Militar de Araranguá realizou durante a tarde e noite de quinta-feira, uma grande operação de ocupação na fa- vela do Ucca em Araranguá. Aoperação teve como ob- jetivo levar segurança para as pessoas que moram na favela e nas proximidades, coibir a prática de tráfico de drogas, reprimir outras condutas ilí- citas e dominar totalmente o território. Participaram da operação o Pelotão de Patrulhamento Tático, policiais militares da Rocam (Ronda de Motocicle- ta), seções administrativas e de inteligência do 19º Batalhão.A Polícia Militar Ambiental de Maracajátambémestevenolo- Caixa.Elaexplicouquenaquele horário não poderia e na ma- nhã seguinte, de carona, foi até Sombrio. Na manhã de sexta, o golpista retomou as ligações e a senhora foi até a Caixa Econômica, onde realizou uma transferência de R$456,78 para acontadeumhomem.Depoisse dirigiu a lotérica com a intenção de fazer a segunda transação, um empréstimo consignado de R$35mil,sempreinduzidapelo homem ao telefone. A Polícia Militarfoichamadaeconseguiu evitar que a mulher tivesse esse grande prejuízo. Dona Maria contou que as amigas com quem veio a Som- brio tinham alertado que se tra- tava de um golpe, mesmo assim elaacaboucedendoainsistência e a lábia do estelionatário, que ligou várias vezes, inclusive quando ela estava conversando com os policiais. O golpista que usava um número com código do Ceará demonstrava ter tempo e muita disposiçãoparaenrolaravítima. Uma pessoa que acompanhava a história se passou por neto de donaMariaparatirarmaisinfor- maçõesdoestelionatário.Eleini- cialmente ficou bravo quando o suposto neto atendeu o telefone, depois voltou a tentar conseguir o dinheiro dizendo que o neto poderia fazer a operação para a avó de outra agência, dizendo que além da Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil, Itaú e Bradescotambémerampatroci- nadoresdepromoção.Enquanto isso, os policiais reuniam dados que futuramente serão usados contra o estelionatário. Torres. Tiago Silveira Silveira de 34 anos, teria sido perfura- do por um canivete após tentar separar uma briga de duas mulheres.Asduasestavamen- galfinhadas e uma delas pegou um canivete e golpeou Tiago quando ele tentou separá-las. Os bombeiros estavam cal, e fez a autuação por crime ambiental de um homem que mantinha pássaros silvestres em cativeiro. Sobre a operação, o te- nente Diego Schwartz, decla- rou: “Essa foi uma de muitas operações policiais que iremos realizar nas cidades de Ara- indoparaolocal,masnocami- nho encontraram um automó- vel que seguia para o centro da cidade levando o rapaz. Tiago estava consciente, orientado e tinha os sinais vitais alterados. Os bombeiros após estabilizar o paciente o encaminharam ao hospital de Praia Grande. ranguá, Maracajá e Balneário Arroio do Silva. Levamos segurança para as pessoas de bem, reprimimos condutas ilícitaseocupamosafavelapor várias horas. Aqui, traficantes não mandam nas ruas. Quem mandaéapolícia,apoiadapela camadahonestadasociedade”. Dona Maria da Glória quase cai em golpe por mensagem Policiais fizeram um arrastão pelas ruas da favela do Ucca Durante a conversa com a PM finalmente dona Maria se convenceu que era um golpe e chorou por ter perdido mais de R$400,00. Ela disse que só não transferiu mais pois tinha feito uma retirada alguns dias antes e nãopossuíamaissaldonaCaixa. Por isso, faria o empréstimo consignado. Ela, a premiada, depositaria R$ 35 mil na conta de um desconhecido antes de receber qualquer centavo, na expectativadedepoisreceberR$ 85 mil. É preciso estar atento e lembrar que nenhuma empresa séria cobra dos ganhadores das promoções que fazem.
  • 13. 13Geral Jornal Correio do Sul Segunda-Feira, 23 de Janeiro de 2017 ESTADO DE SANTA CATARINA FUNDO MUNICIPAL DE SAUDE DE PRAIA GRANDE EDITAL DE CREDENCIAMENTO Nº 01/2017 O Município de Praia Grande, através da Secretaria Municipal de Saúde, torna público para conhecimento dos interessados que se encontra aberto Edital de Credenciamento. O presente Edital tem como objeto: Credenciamento de Laboratórios de Analises Clinica a serem contratados para prestação de serviços de Diagnóstico em Laboratório Clínico no atendimento aos serviços de saúde ofertados pela Rede Municipal de Saúde, através da Tabela Unificada de Procedimentos SUS. O presente edital estará aberto para credenciamento de interessados durante o exercício de 2017 e o prazo de entrega dos documentos para credenciamento terá início no dia 24/01/2017 no horário de expediente em vigor, das 07:00 às 13:00 horas até às 10:00 horas do dia 24/02/2017. INFORMAÇÕES E ENTREGA DO EDITAL na Prefeitura Municipal de Praia Grande, sito a Rua Irineu Bornhausen, n. 320- Centro, no setor de licitações. Fone 48-35320132. PRAIA GRANDE-SC, 20 de janeiro de 2017. Henrique Matos Maciel Prefeito Municipal ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE PRAIA GRANDE AVISO DE EDITALDE CHAMADAPÚBLICANº 01/2017, torna público para conhecimento dos interessados, que está realizando aquisição de gêneros alimentícios da Agricultura Familiar e do Empreendedor Familiar Rural destinado ao atendimento do Programa Nacional de Alimentação Escolar/PNAE para os alunos da Rede Municipal de Ensino do Município de Praia Grande/SC, para o primeiro semestre de 2017. Data e Local para entrega dos envelopes: de 24 de janeiro de 2017 das 07:00h às 13:00h até às 08:30h do dia 24 de fevereiro de 2017, das 07:00h às 13:00h, na sede da PREFEITURA MUNICIPAL DE PRAIA GRANDE, no Setor de Licitações, na Rua Irineu Bornhausen, 320– Centro – Praia Grande-SC. Os procedimentos para participação estarão disponíveis no Edital de Chamada Pública n° 01/2017, que poderá ser solicitado pelo fone 48 35320132 ou e-mail: licitacao@praiagrande.sc.gov.br. Praia Grande-SC, 20 de janeiro de 2017. HENRIQUE MATOS MACIEL Prefeito Municipal
  • 14. 14 Pelo EstadoJornal Correio do Sul Segunda-Feira, 23 de Janeiro de 2017 [PeloEstado] - Qual foi a melhor notícia de 2016 para o segmento das cervejarias artesanais de San- ta Catarina? Carlo Giovanni Lapolli - A Acasc participou ativamente do mo- vimento de recriação, digamos assim, da Associação Brasileira de Cerveja Artesanal (Abracer- va). É importante a existência de uma entidade representativa nacional por permitir uma in- terlocução um pouco mais forte no âmbito federal. A atuação da associação, tanto estadual quan- to nacional, permitiu que o setor fosse percebido pelo poder públi- co, seja Legislativo ou Executivo, e abriu um canal de comunicação importante para levarmos nossos pleitos. Foi esse fortalecimento, somado à união de forças de vá- rias entidades, que nos levou à aprovação do Simples para as mi- crocervejarias. Apesar de ser uma aprovação que vai valer para 2018 e que não vai abranger to- das as cervejarias artesanais em função do faturamento baixo, é algo a ser comemorado. O Sim- ples vai beneficiar cervejarias que produzem por volta de 10 mil a 20 mil litros. Ou seja, aquelas cerve- jarias menores, que estão come- çando e que vão ter o diferencial de ter uma carga tributária um pouco mais baixa. Foi o grande fato positivo do ano passado. [PE] - Um ano difícil... Lapolli - Sim. Passamos por uma crise, mas nosso setor está bas- tante aquecido e isso se deve a uma mudança nos hábitos de consumo de cervejas. O consu- midor está cada vez mais desco- brindo a cerveja artesanal e está optando por essa variedade, leva- do por questões sensoriais, pela personalização da cerveja, estilo, sabor e até pela valorização do que é produzido localmente, pres- tigiando a pequena empresa e o PeloEstado Entrevista CARLO GIOVANNI LAPOLLI Advogado, pós-graduando em Tecnologia Cervejeira, Sommelier de Cervejas certificado pela Doemens/ESCM, professor da Escola Superior de Cerveja e Malte, preside a Associação das Cervejarias Artesanais de Santa Catarina (Acasc) desde março de 2015. A Acasc foi fundada em 2008, sendo a mais antiga associação do gênero. Reúne as cervejarias artesanais e outras empresas da cadeia da cerveja artesanal, como fornecedores, distribuidores e pontos de venda que trabalham com as marcas artesanais de Santa Catarina. Em entrevista exclusiva à reportagem da Coluna Pelo Estado, Lapolli falou sobre o crescimento do setor mesmo em meio à crise, sobre as dificuldades geradas pelas regras e alíquotas tributárias, projetou 2017 e ainda deixou um conselho para quem quer começar a investir no setor: “O primeiro passo é estudar muito. Apesar de ser um mercado apaixonante, é muito complexo. Se o empresário não se preparar para conhecer muito bem esse mercado, pode ter um prejuízo significativo”. comércio local. É um fenômeno que observamos também na ali- mentação, com o ressurgimento de produtos artesanais, envolven- do desde a panificação até queijos e embutidos. Isso nos garantiu um impacto menor da crise, mas não significa que ela não foi sen- tida, especialmente nas questões de crédito e aumento nos preços cobrados pelos fornecedores. [PE] - As expectativas para 2017 são positivas? Lapolli - Acredito que vamos con- tinuar crescendo, mas ainda em um cenário adverso pela neces- sidade de recuperação da econo- mia, que não se mostra assim tão garantida. Vai ser um ano ainda de dificuldades, de investimen- tos menores e crescimento me- nor. Mas vamos ter crescimento, sim, forçado pela demanda. Não é pouca coisa. Há estimativas de que as cervejarias artesanais res- pondem por 1% de todo o merca- do de cerveja do país, que movi- menta algo em torno de R$ 140 bilhões ao ano. Em Santa Cata- rina não temos os dados do nosso setor e esta é uma das metas para 2017. Já estamos conversando com a Escola Superior de Cerveja e Malte, de Blumenau, para que a gente aprofunde um pouco mais a pesquisa econômica no setor de cervejas artesanais. Fizemos uma pesquisa em 2016 com relação aos investimentos e sabemos que Santa Catarina produz em torno de um milhão de litros de cerveja artesanal por mês. É um dos esta- dos líderes no setor. Nem mesmo o Ministério da Agricultura, res- ponsável por fiscalizar as cerveja- rias, sabe o número de cervejarias registradas no país hoje. Mas es- timamos que sejam cerca de 500 no Brasil e, em Santa Catarina, somos quase 50 cervejarias em atividade, das quais mais de 30 estão na Acasc. [PE] - Há uma concentração des- sas cervejarias na região do Vale do Itajaí. O que explica isso? Lapolli - O pioneirismo. A Acasc foi formada pelas cervejarias re- gionais do Vale do Itajaí. O mo- vimento de cervejarias artesanais surgiu aqui no Vale do Itajaí, mui- to relacionado com a colonização alemã. Assumi a presidência em março de 2015 com somente oito associados. Desde então conse- guimos estadualizar a atuação. Hoje temos associados na região Oeste, na Grande Florianópolis e estamos fazendo um trabalho de convencimento dos empresários sobre a importância do associati- vismo. Temos polos importantes também no Norte, no Sul e no Meio Oeste catarinense. [PE] - O que a Acasc oferece aos associados? Lapolli - Em 2017 nós vamos in- tensificar a oferta de capacitação. Discutimos muito a necessida- de de qualificação também dos fornecedores. Existe um fórum permanente dentro da associa- ção para avaliar esses fornece- dores, até porque a qualidade do que eles nos vendem se reflete na qualidade da cerveja que pro- duzimos. Existem aventureiros entrando no mercado e nós faze- mos uma depuração, algo muito importante, principalmente para quem está começando e ainda não conhece bem o mercado. Eu atendo muita gente na Acasc que está começando no setor. Mostro todos os caminhos, desde os mo- delos de negócio que podem ser adotados, os passos legais a se- rem percorridos, os registros que devem fazer, explico toda a área tributária pertinente. [PE] - A questão tributária ainda é o maior desafio? Lapolli - Continua sendo o maior entrave. Não só pelo índice apli- cado, mas porque temos 27 legis- lações diferentes para a cerveja, uma para cada estado do país. A carga tributária, portanto, vai depender muito do estado em que a cerveja artesanal é produ- zida e do estado para o qual será vendida. São muitas alíquotas diferentes. Isso cria uma grande dificuldade de comercialização e torna-se o maior entrave para se vender para fora do estado. Vou dar um exemplo prático: esta- mos mandando uma nota para o Amazonas e praticamente 50% do valor do pedido é imposto in- terestadual que eu tenho que re- colher antecipadamente. Em um pedido de R$ 3 mil, estou tendo que recolher R$ 1,5 mil anteci- padamente. Então, nesse caso específico, somando tudo, a carga tributária certamente passa dos 60%. Dentro de Santa Catarina essa carga fica entre 35% e 40%. Mais um detalhe: são 27 legisla- ções para a cerveja e alguns es- tados ainda tratam o chope de forma diferente. A complexidade é muito grande e simplificar é o nosso grande desafio. [PE] - É comum sair cerveja ar- tesanal de Santa Catarina para outros estados? Lapolli - Algumas de nossas mar- cas têm presença nacional e há quem já esteja planejando ex- portar. Mas tem que se preparar. Estamos em conversas com o Se- brae-SC para capacitar os empre- sários interessados. Tem que ha- ver um comprometimento muito grande, um desenvolvimento de mercado externo consisten- te. Não se pode abandonar um cliente por causa da variação do câmbio, por exemplo. Mas acre- dito que em no máximo três anos seremos exportadores. [PE] - Em outra resposta o se- nhor citou a Escola de Cerveja e Malte. Do que se trata? Lapolli - Blumenau ainda é polo de produção, pela tradição. Há dois anos surgiu a Escola Su- perior de Cerveja e Malte, que oferece desde cursos de degusta- ção até de mestre cervejeiro, for- mando mão de obra qualificada. Para 2017, vão oferecer o curso de Engenharia de Produção Cer- vejeira, com duração de cinco anos. Isso tudo prepara a mão de obra e os empresários para entrarem no mercado. Vem gen- te do Brasil todo estudar aqui. Outro fato muito positivo para Santa Catarina é que temos aqui as duas primeiras micro malte- rias. O malte é feito a partir da cevada, geralmente em grandes indústrias de presença global. E agora começou aqui o fenôme- no que já acontece nos Estados Unidos, de produção de malte com uma pegada mais local, ar- tesanal. A primeira do Brasil foi a Malteria Blumenau e já temos outra em Campos Novos. Um di- ferencial para a cerveja artesanal catarinense. [PE] - É um setor que atrai turis- tas, a exemplo do que ocorre com o vinho? Lapolli - É outro fenômeno que está acontecendo e que vai se consolidar em 2017. São as Ro- tas Cervejeiras. A Acasc parti- cipou da organização do Vale da Cerveja, inserido na rota do Vale Europeu, que é uma das regiões turísticas criadas pela Embratur. O Vale das Cervejas organiza cer- vejarias, hotéis, restaurantes, o que envolve uma grande qualifi- cação. Também estamos apoian- do a criação da Rota Cervejeira Turística da Grande Florianópo- lis. Uma localidade não compete com outra. O importante é atrair turistas e fidelizar consumidores, criando uma identidade da cer- veja catarinense. Cerveja artesanal de SC ganha mercado Por Andréa Leonora redacao@peloestado.com.br
  • 15. Donco é Super Campeão Brasileiro Jornal Correio do Sul Segunda-Feira, 23 de Janeiro de 2017 Leandro Rodrigues Balneário Gaivota S aber que o boxe existe, todos sa- bem, agora, ver de perto oito lutas olímpicas e duas profissionais em plena beira mar, em um evento ao ar livre e gratuito, é para poucos. A tarde e a noite de sábado em Balneário Gaivota foram tomadas por pessoas impres- sionadas pela programação diferente, organizada pelo professor Sérgio, e em sua primeira edição o 1 Gaivota Open de Boxe foi um sucesso . Veranistas que passavam para caminhar ou ir a praia, acabaram parando para as- sistir o desafio e lotaram a avenida em frente ao Ita- puã. Nas oito lutas de boxe olímpico(amador) já rolou um show a parte, e como espera- do, as duas lutas profissionais acabaram tirando o fôlego e arrancando gritos da torcida que foi a loucura quando viu a vitória dos representantes da região Andrônico Borges, o Donco, e Davi El Rei. Nas lutas olímpicas os resultados foram: Na categoria masculino cadete 60 kg: Valmir Júnior da academia Gigantes do Rin- gue de Torres venceu Miguel Campos da Sociedade da Luta de Palhoça. Categoria masculino ju- venil 60 kg: Rafael Bennet da academia Meninos de Ouro de Baln. Camboriú perdeu para Kelven Lacerda do Projeto 100 Carência de Araranguá. Categoria masculino juvenil 69 kg: Thiago Emig- dio da academia Gigantes de Criciúma perdeu para João Tabela completa e cobertura dos jogos do Viva Verâo 2017 no site: www.esporteamadorsul.com.br Ferreira da Sociedade da Luta de Palhoça. No feminino elite 60 kg: Pyetra Miotto da acade- mia Nobre Arte de Chapecó venceu Gislaine Cecatto de Balneário Gaivota. Masculino elite 69 kg: Dieizi Rodrigues da Gaivota venceu João Victor da acade- mia Gigante de Criciúma. Masculino elite 96 kg: João Francisco de Sombrio perdeu para Igor Silva da Gaivota. Masculino elite 91 kg: DionatanPachecodoGigantes do Ringue de Torres perdeu para Rodrigo Santiago da Gigante de Criciúma. Nas Lutas profissionais Davi El Rei venceu Edson Morales pela defesa do Titulo Sul Brasilaeiro da ANB e no último combate da noite Andrônico Borges, o Donco, derrotou Andrei Costa pelo título de Super Campeão Brasileiro da ANB. O que seria uma luta de 10 rounds acabou no primeiro round por nocaute técnico dando o título ao sombriense.
  • 16. SEGUNDA-FEIRA, 23 DE JANEIRO DE 2017