Sem título 1

77 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
77
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sem título 1

  1. 1. A seguir são apresentados alguns exemplos de conteúdos da Educação Física nas três dimensões: 1.1 Dimensão Conceitual - Conhecer as transformações porque passou a sociedade em relação aos hábitos de vida (diminuição do trabalho corporal em função das novas tecnologias) e relaciona-las com as necessidades atuais de atividade física. - Conhecer as mudanças pelas quais passaram os esportes. Por exemplo, que o futebol era jogado apenas na elite no seu início no país, que o voleibol mudou as suas regras em função da Televisão etc. - Conhecer os modos corretos da execução de vários exercícios e práticas corporais cotidianas, tais como; levantar um objeto do chão, como se sentar a frente do computador, como realizar um exercício abdominal adequadamente, etc. 1.2 Dimensão Procedimental - Vivenciar e adquirir alguns fundamentos básicos dos esportes, danças, ginásticas, lutas, capoeira. Por exemplo, praticar a ginga e a roda da capoeira. - Vivenciar diferentes ritmos e movimentos relacionados às danças, como as danças de salão, regional e outras. - Vivenciar situações de brincadeiras e jogos. 1.3 Dimensão Atitudinal - Valorizar o patrimônio de jogos e brincadeiras do seu contexto. - Respeitar os adversários, os colegas e resolver os problemas com atitudes de diálogo e não violência. - Predispor a participar de atividades em grupos, cooperando e interagindo. - Reconhecer e valorizar atitudes não preconceituosas quanto aos níveis de habilidade, sexo, religião e outras. É importante frisar que na prática docente não há como dividir os conteúdos na dimensão conceitual, atitudinal e procedimental, embora possa haver ênfases em determinadas dimensões. Por exemplo, o professor solicita aos alunos para realizarem o aquecimento no início de uma aula, enquanto eles executam os movimentos de alongamento e flexibilidade o professor pode conversar com eles sobre qual a importância de realizar tais movimentos, o objetivo do aquecimento, quais grupos musculares estão sendo exigidos e outros. Assim, tanto a dimensão procedimental como a conceitual estão envolvidas nesta atividade. Dados da Aula O que o aluno poderá aprender com esta aula Selecionar jogos e brincadeiras populares para a prática nas aulas de educação física; Identificar diferenças entre os jogos cooperativos e os jogos competitivos; Compreender os conceitos de cooperação e competição, a partir da experimentação dos jogos; Propor mudanças nas regras do jogo, visando mais dinamicidade e a inclusão de todos os alunos. Duração das atividades Uma aula de 50 minutos. Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno Não há necessidade de conhecimentos prévios. Estratégias e recursos da aula Caro professor, essa é a segunda aula de um plano de unidade que pretende resgatar e comparar jogos e brincadeiras tradicionais da infância. Neste sentido, realizaremos um mapeamento, junto aos
  2. 2. alunos e aos pais dos alunos, de todos os jogos e as brincadeiras que eles conhecem e praticam. Esse mapeamento permitirá a problematização das aulas a partir de dois pontos: 1) explicitar a dinâmica da produção cultural dos jogos, comparando os jogos da geração anterior com os jogos realizados hoje pelas crianças; 2) entender quais são as características dos “jogos”. Na primeira aula (Jogos e brincadeiras populares: encontro de duas gerações – Aula 1; ver: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/verAula.html?aula=16051), os alunos elaboraram uma grande lista com todos os jogos e as brincadeiras que eles conheciam. Nessa aula, o professor irá propor a experimentação de jogos que possuam características distintas, a saber, jogos cooperativos e jogos competitivos. Pretende-se debater a competitividade exacerbada em algumas atividades previstas em aulas de educação física, destacando que jogar “contra” implica necessariamente em jogar “com” alguém. Dica: A atividade apresentada nesse plano de aula não considera que os jogos cooperativos são expressões mais relevantes que os jogos competitivos (esportivizados) ou vice-versa. Trata-se de tematizar esses diferentes “tipos” de jogos, na diversidade da cultura corporal das crianças e jovens, permitindo uma experimentação ampla. Nessa aula apresento jogos com características predominantes de cooperação ou competição. Jogos com características cooperativas: 1) "Pique Bola na Mão": Trata-se de um pique ("pega-pega") que possui um pegador e uma bola salvadora. O objetivo é passar essa bola entre os alunos dificultando a ação do pegador. O objetivo da atividade é que os alunos cooperem entre si fazendo a bola chegar às mãos daqueles que estão em dificuldade. Inúmeras variações podem ser realizadas, aumentando o número de bolas ou ainda de pegadores. Discuta com os alunos, ao final da prática, as estratégias utilizadas durante o jogo e a importância da cooperação no grupo. 2) "Bola no lençol': O objetivo da brincadeira é impedir que a bola toque o solo. Os alunos divididos em grupos de 4 ou 5 cinco alunos deverão segurar as pontas de um lençol, de forma que sua superfície aumente. Os grupos deverão manter uma distancia entre si e deverão passar a bola de um lençol para o outro lançando a bola para o alto. Após a experimentação inicial, o professor deverá incluir mais bolas, lançando o desafio: cada lençol poderá receber apenas uma bola de cada vez. Os alunos devem ser capazes de cooperar, passando a bola entre os diferentes grupos sem deixar que ela toque o chão. Ao final da prática, discuta com os alunos as dificuldades coletivas para a concretização do objetivo: 1) como manter o lençol esticado? 2) como facilitar a recepção da bola pelo outro grupo? 3) como estabelecer uma ordem nos passes evitando que mais de uma bola seja recebida pelo mesmo grupo? Jogos com características de competição: 1) “O queijo é meu”: O objetivo da brincadeira é acumular todas as bolas para a sua equipe. Divida a quadra em 4 espaços iguais. Cada um desses espaços será a “casa” de uma equipe (total 4 equipes). Cada equipe terá 6 integrantes que serão divididos em 2 funções: os “gatos” (4 alunos) deverão permanecer nas suas “casas” e passar o queijo (representado pela bola) impedindo que seja interceptado por jogadores das outras equipes; os “ratos” que terão liberdade para entrar nas outras “casas” e tentar pegar as bolas das outras equipes. Teremos, portando 4 bolas, 8 ratos (dois para cada equipe) e 16 gatos (quatro para cada equipe). O jogo termina quando uma eq uipe consegue ficar com todas as bolas (total 4 bolas). Os “gatos” deverão passar a bola entre si impedindo que os “ratos” das outras equipes consigam interceptar os passes. O professor poderá aumentar o número de equipes e alterar o número de “ratos” e “gatos” em cada equipe, dependendo da idade dos participantes e do domínio das regras que eles apresentam. Observação: Esse jogo foi construído por alunos do Terceiro Ano do Ensino Fundamental do Colégio de Aplicação da UFRJ, como parte de uma das avaliações

×