Tchoukball o Esporte da Paz

6.131 visualizações

Publicada em

História sobre o tchoukball esporte de origem suiça, criado pelo dr Herman Brandt

fonte de pesquisa: ABTB
www.tribotekokatu.com.br

Publicada em: Esportes
0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.131
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
53
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tchoukball o Esporte da Paz

  1. 1. INTRODUÇÃO •História •História no Brasil •Conceito pedagógico •Carta da ONU •Como se Joga? •Materiais Utilizados •Regras •Benefícios que o Esporte traz ao Praticante •Associação e Federação •Proposta •Referências Evandro Felipe da Silva
  2. 2. História  O Tchoukball foi criado na Suíça, pelos pensamentos do Dr. Hermann Brandt em 1970 , após perceber que vários atletas se lesionavam na prática dos esportes como: basquete, handebol, vôlei e principalmente o futebol.  Devido a agressividade de alguns esportes, e movimentos inadequados para a integridade física dos indivíduos, Dr. Brandt decidiu então, criar um esporte que não permitisse contato físico, como forma de construir uma sociedade humana viável.  O nome do esporte vem da união de "tchouk", o som que a bola faz ao bater no quadro e "ball", bola em inglês
  3. 3. BIBLIOFRAFIA DR HERMAN BRANDT Dr. Hermann Brandt nasceu em 6 de outubro de 1897, em La Chaux-de-Fonds (Neuchâtel, Suíça). A partir de 1924, ele se interessou por ginástica medicinal, em reeducação física, no controle médico e no papel do esporte na sociedade. Em: – 1928 promove o esporte universitário na Suíça; – 1929 fez parte do desenvolvimento do basquete e foi o principal apoiador da introdução do basquete feminino na Suíça; – 1932 criou o primeiro centro para Medicina Esportiva na Suíça. Este centro, administrado por ele até os 65 anos, foi anexado à Universidade de Clínica Médica de Genebra. Também nesta época ele se envolveu com o voleibol e o introduziu na Suíça; – 1951 cria o Geneva Volleyball Club e, em 1958, o Sport Handicap. O ano de 1958 é também o ano de criação da Federação Suíça de Voleibol; – em 1954. Desde 1932 ele está envolvido com o voleibol e, por isso, a mídia da época o elege o “pai do voleibol suíço”; – 1960, o Dr. Brandt recebe a medalha de ouro dos Esportes Franceses e da Juventude e é nomeado com mérito o “representante dos esportes”. Desde 1966, a idéia do tchoukball floresce em sua mente. Em 1967, é publicado um primeiro livro, intitulado “Da educação física ao esporte, pela biologia”, no qual ele descreve as bases cientificas do tchoukball. Em 1968, ele organiza demonstrações e conferências sobre tchoukball e em 1969, com a ajuda de Michael Favre, escreve o primeiro livro sobre tchoukball: “Estudo crítico científico sobre esporte coletivos”, que foi publicado em 1971.
  4. 4. BIBLIOFRAFIA DR HERMAN BRANDT Em 1970, Dr. Brandt apresenta sua pesquisa sobre treinamento, educação física e a concepção de um novo esporte, o tchoukball, no IFPE (Federação Internacional de Educação Física) e recebe o prêmio Thullin, destinado ao melhor trabalho original sobre as teorias da educação física, em um ponto de vista físico, educacional e social. Em 1971, a Federação Internacional de Tchoukball, assim como as duas primeiras federações nacionais (Suíça e França), é criada. A partir de 1972, John Andrews (que foi presidente da IFPE e depois se tornou presidente da Federação Internacional de Tchoukball) começa a difundir o esporte pelo mundo. No mesmo ano, a Federação Inglesa de Tchoukball é criada. Depois de um longo período doente, Dr. Brandt falece em Genebra no dia 15 de novembro de 1972. Desde então, Michael Favre (Suíça) e John Andrews (Grã Bretanha) assumiram a liderança e fizeram a Suíça e o resto do mundo (Taiwan, Brasil, Argentina, Paquistão e Índia, por exemplo) descobrirem o tchoukball. Em 1977, Ray-Ming Fuang, um professor de educação física de Taiwan, se apaixonou pelo tchoukball e iniciou o desenvolvimento do esporte em Taiwan e, posteriormente, na Ásia. “Não seremos capazes de citar todas as pessoas que permitem atualmente que o tchoukball continue a crescer pelo mundo, mas percebemos que a transmissão das idéias idealizadas pelo tchoukball suíço e de qualquer outro lugar está e sempre estará vinculada ao entusiasmo e conhecimento das pessoas que são convencidas pela filosofia do tchoukball. Nesse sentido, todo instrutor é um embaixador do tchoukball.”
  5. 5. História No Brasil  No Brasil, o Tchoukball teve dois momentos de implantação. O primeiro foi em 1987 por meio de John Andrews , então presidente da FIEP (Federação Internacional de Educação Física) que realizou apresentações e cursos durante congressos em Florianópolis, Foz do Iguaçú e Tramandaí. Um dos participantes destes cursos, o professor Nelson Schavalla, seguiu regionalmente no sul do país realizando atividades e divulgando a nova modalidade.  O Esporte está no Brasil há 30 anos.
  6. 6.  Em outro momento, entre 1991 e 1992, Océlio Antônio Ferreira, um sergipano que se encontrava na Europa a estudo, conheceu o Tchoukball. Se especializou na Suíça e começou a ministrar oficinas do esporte.  No final de 1992 Océlio voltou ao Brasil juntamente com Julio Calegari (atual diretor de promoção internacional do FITB) e começou a divulgar o esporte na região de São Paulo, nas escolas particulares, Sesc e Universidades.  Em 1993 foi Realizado o 1° Torneiro Paulista de Tchoukball porém realizado na areia,  Depois, no mesmo ano, foi realizado o 1° Torneio Paulista de Tchoukball em Quadra
  7. 7.  Em setembro de 1999, Océlio, Schavalla e Julio uniram forças para organizar a ABTB (Associação Brasileira de Tchoukball). Esta associação, é afiliada à FITB ( Federação Internacional de Tchoukball) desde 2000.  Atualmente, o Tchoukball brasileiro vem crescendo ano após ano com a criação de novas equipes, novos cursos e, principalmente, novos adeptos. Este crescimento acontece devido aos esforços de todos os apaixonados pelo esporte. podemos citar Julio Calegari (Diretor de Promoção/Desenvolvimento Internacional da FITB), Cácio Gilla (RJ), Océlio Ferreira (região NE), Rogerio Ribeiro, Luciano Justino , Evandro Felipe da Silva (Sorocaba) e Luiz Eduardo (Araçoiaba).  E Archimedes Moura Jr (SP), este atual Presidente da ABTB e representante da FITB no Brasil.
  8. 8. Como se Joga?  O objetivo da equipe atacante consiste em fazer com que a bola rebata em um dos quadros para que ela caia na quadra, sem que a outra equipe a recupere. Na prática, não há um lado para cada equipe; o campo de jogo é compartilhado por todos.  Para arremessar no quadro é permitido três passes para cada equipe. Durante o ataque, a outra equipe não pode interceptar a bola ou atrapalhar o adversário. Essas duas regras estão entre as principais características do tchoukball. Os defensores podem “apenas” antecipar o arremesso e se preparar para agarrar a bola que foi rebatida do quadro. Se depois do rebote a bola cair na quadra fora da zona proibida, antes que a equipe adversária a agarre, o ponto é a favor. Se a outra equipe que estava sem a bola conseguir salvar, fazer com que ela não cai na quadra, ai é a vez dela se tornar atacante e a outra equipe ser defesa e o jogo continua e o papel das duas equipes se alterna, até realizar o ponto  O tchoukball pode ser jogado em diferentes superfícies (quadra, grama, areia, piscina etc.) e com qualquer idade. Ele não requer nenhum equipamento fixo (se necessário, podemos fazer alterações conforme o número e o nível dos jogadores) e pode ser jogado com dois quadros (jogo bipolar) assim como com um quadro (jogo uniquadro)  Pode ser jogado com equipes mistas pela questão de não ter contato físico meninos e meninas podem praticar juntos, ou equipes de homens/mulheres.
  9. 9. Conceitos Pedagógicos  Desenvolver praticantes e não competidores.  Desenvolver o espírito de tomadas de      decisão de todos os praticantes e reforçar as “O objetivo do Esporte não é criar campeões, responsabilidades individuais. mas sim criar uma Todo praticante precisa dar seu melhor em sociedade harmoniosa” todas as situações. - Dr Hermann Brandt Todo Praticante é e precisa se sentir importante. Trabalho cooperativo. Respeito ao “Adversário” e as regras. Adaptar as regras para obter e facilitar o ensino-aprendizagem do esporte.
  10. 10. Materiais Utilizados A bola deve ser esférica, de couro e com câmara. 2 Quadros de Remissão Quadra ou Espaço plano 26-29m x 15-17m Quadro de Remissão adaptado
  11. 11. REGRAS  Campo de jogo (26-29m x 15-17m) dimensões da quadra de Basquete.  7 jogadores de Linha e ( 5 reservas FITB). (8 reservas em competições nacionais pela ABTB)  Sem limites para substituição desde que ela seja feita antes do reinicio de jogo, ela pode ser feita apenas quando um ponto é marcado e o jogador entra pelo meio da quadra.  É proibido usar quaisquer joias (seja anel, broche, relógio, brincos etc.).  Jogadores numerados de 1 a 99.  No Tchoukball sempre a equipe que esta com posse de bola ataca, e a equipe que está sem a bola defende (jogo de ataque contra defesa).
  12. 12.  A arbitragem é composta por 3 indivíduos são eles 2 árbitros que controlam o jogo e as regras (cada arbitro fica posicionado atrás de cada quadro de remissão e 1 árbitro que fica responsável pelo cronômetro (tempo) e súmula do jogo.  Tempo de Jogo: Jogos Adultos 3x15min com 5min de intervalos entre os períodos. Jogos Juvenis (M15 e M18) 3x12min com 5min de intervalo entre os períodos. E, Jogos Infantis (M11 e M13) 3x10min com 5min de intervalo entre os períodos.
  13. 13. FALTAS  Um jogador comete falta se:  7.1.1 a bola tocar num dos membros inferiores;  7.1.2 ele der mais de 3 passos com a bola (recebendo a bola com um ou os dois pés no chão somente um passo é contado);  7.1.3 ele segurar a bola por mais de 3 segundos;  7.1.4 ele fizer um quarto passe consecutivo (um desvio de bola é considerado como um passe);  7.1.5 ele tocar qualquer área fora do campo de jogo segurando a bola;  7.1.6 ele deixar a bola cair durante um passe;
  14. 14.  ele Atrapalha o movimento de um adversário que está a receber ou       passar a bola, rematar, posicionando-se, etc. 7.1.8 ele rematar no mesmo quadro pela quarta vez consecutiva (é assinalada uma falta ou ponto marcado é anulado); 7.1.9 ele toca na bola ressaltada na rede após um companheiro arremessar e a bola cai dentro do campo de jogo; 7.1.10 ele entrar em contacto com a zona proibida antes de soltar a bola; 7.1.11 ele passar pela zona proibida para assumir uma posição de defesa; 7.1.12 ele rematar, após um ponto marcado, antes que a bola cruze a linha central; (Meio de Campo) 7.1.13 ele entrar em campo, numa substituição, antes que seu companheiro saia.  Como se cobra uma Falta?  Uma falta é penalizada por uma troca de pose de bola em favor da adversária. O árbitro deve garantir que a cobrança seja realizada no local onde a falta ocorreu. Pelo menos um passe deve ser feito antes que se arremesse no quadro. O árbitro deve garantir que a bola seja rolada (e não arremessada) para o local da cobrança.
  15. 15. Concessão de ponto (dar o ponto pra equipe adversária)  8.2.1 ele remata e erra o quadro;  8.2.2 a bola ressaltada da rede, após remate, cai fora de campo      ou dentro da zona proibida; 8.2.3 ele remata e no ressalto do quadro toca nele; 8.2.4 ele, em contacto com a zona proibida ou estando fora do campo de jogo, toca a bola após o remate de um companheiro; 8.2.5 ele desvia uma bola ressaltada dentro da zona proibida ou para fora de campo após o arremesso de um companheiro; 8.2.6 ele toca a bola, tentando evitar que ela caia fora do campo ou dentro da zona proibida. Ele cometeu uma falta intencional; 8.2.7 enquanto tenta agarrar a bola, ele pisa dentro da zona proibida ou fora do campo de jogo.
  16. 16. MARCAÇÃO DE PONTO  8.1 Um jogador marca um ponto se a bola ressaltada do quadro:  8.1.1 toca o campo de jogo antes que um defensor a agarre;  8.1.2 toca num defensor que não consegue controlá-la, deixando-a cair no chão ou colocando-a fora de jogo;
  17. 17. LEMBRANDO!!! No Tchoukball cada ponto marcado é validado 1 ponto para a equipe atacante, portanto uma partida de Tchoukball pode chegar a 70 pontos ou mais se igualando a pontuação de uma partida de basquete por exemplo. Uma equipe pode finalizar em ambos os Quadros. A equipe que se empenhar, cooperar, respeitar e der o máximo de si, atinge o seu objetivo primeiro com maior qualificação.
  18. 18. Início e Reinício de jogo  9.1 No início do jogo, a equipa que ganha o sorteio é quem começa com a bola. No início do segundo período, é a outra equipa que começa. No início do terceiro período, a bola começa com a equipa que está atrás no placar (no caso de empate, a bola sai da equipa que começou).  9.2 A equipa que concede um ponto reinicia o jogo.  9.3.1 O local do reinício é atrás da linha de fundo ao lado do quadro . Se não há espaço suficiente na opinião do árbitro, o reinício pode ser feito dentro da zona proibida.
  19. 19.  9.4.1 Após o reinício, o primeiro arremesso pode ser feito em qualquer quadro desde que a bola tenha cruzado a linha central (Meio de Campo)  9.4.2 A bola que cruzou a linha central( Meio de campo) é considerada se o jogador tem os dois pés claramente do outro lado da linha central.  9.4.3 Um ou mais passes é permitido antes de a bola cruzar a linha central ( Meio de campo)  9.5 O reinício não conta como um passe.
  20. 20. REBOTE FALTOSO  10.1.1 a bola toca o metal no limite do quadro;  10.1.2 a bola ressaltada não respeita o ângulo após acertar os elásticos do quadros ou ganchos.  10.2 Se a equipa defensora conseguir agarrar a bola de um ressalto faltoso, o jogo continua. Se, por outro lado,se ela falhar no controle da bola, o jogo paralisado e a equipa defensora cobra a falta de onde a bola caiu.
  21. 21. Alguns Benefícios do Esporte aos Praticantes  Melhorias em seu comportamento, tanto mental         quanto físico Melhoria no Aspecto de raciocinar Saber respeitar os colegas e principalmente seu “adversário” Ter o reconhecimento que a violência não faz parte da filosofia do esporte ( questão de contato) Permite interação com sexos opostos ( jogo misto) Noção de tempo (Tempo-espacial) Coordenação Motora Ocúlo-manual Ter aspecto de importância ( se sentir importante)
  22. 22. Pode ser  Esporte competitivo (Auto rendimento, competições, treinamentos e etc.)  Esporte para todos (Esporte inclusivo, alto ,baixo, gordo, magro, menino, menina, idoso, criança, adulto, deficiência física e etc.)  Esporte educacional (Utilizado para conceitos pedagógicos e educação de uma sociedade, mudança de hábitos e valores do individuo.)
  23. 23. Associação e Federação  ABTB (Associação Brasileira de Tchoukball) criada em 1999  Atual Presidente: Archimedes Moura Jr (SP) e representante da FITB no Brasil.  FITB (Federação internacional de Tchoukball)
  24. 24. PROPOSTA Realizar e introduzir uma oficina dentro das escolas, clubes,Faculdades, centros esportivos e demais meios do esporte onde alunos e Professores possam diante do primeiro contato com o esporte, desenvolver valores: Sociais, Individuais, Grupos, Físicos, Íntegros e Educativos; Através da Filosofia e a prática do Tchoukball.
  25. 25. CONTATO  Evandro Felipe da Silva Representante da Associação Brasileira de Tchoukball (ABTB) Na cidade de Sorocaba e Votorantim  E- mail:profevandrosorocaba@hotmail.com  E-Mail :evandrotchoukball@hotmail.com.br  Cel: (15) 9673-4312  Archimedes Moura Junior Presidente da ABTB e representante da FITB no Brasil e na América do Sul.  E-mail : arki@tchoukball.esp.br  SITE: www.tchoukball.esp.br OBRIGADO!
  26. 26. Referências  Tribo Tekokatu http://www.tekokatu.com.br/  Canal ABTB http://www.youtube.com/user/ABTBrasil?feature=watch  Compreendendo e Ensinando Tchoukball Autora: Carole Greber Co-autor: Daniel Buschbeck Tradução: Archimedes de Moura Jr

×