Apostila Photoshop

6.934 visualizações

Publicada em

Apostila de Photoshop

Publicada em: Educação
0 comentários
17 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.934
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
13
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1.294
Comentários
0
Gostaram
17
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apostila Photoshop

  1. 1. PREPPES Photoshop Curitiba: PREPPES, 2014 132p. il. Título. Série Impresso no Brasil Printed in Brazil 2014 Av. Marechal Deodoro, 320 - Centro - Curitiba/PR Telefone: (41) 3112-1250 Impressão • Acabamento Editora Mona Ltda - ME Rua José Bajerki, 271 • Curitiba/ PR • Cep: 82.220-320 Fone (41) 3068-9009 • Pabx (41) 3068-9008 www.graficamonalisa.com.br
  2. 2. APRESENTAÇÃO Por que aprender a usar o Photoshop? Muito simples, ele é o melhor programa para edição de imagens. Usado por profissionais do mundo inteiro, sejam Fotógrafos, Designers Gráficos ou Web Designers, todos tiram grande proveito desta que é sem dúvida a melhor ferramenta para o tratamento de imagem. Neste módulo você terá a oportunidade de trabalhar com as ferramentas mais úteis para poder produzir um bom resultado, seja para um material impresso ou para web. Durante os dois meses que dura o curso você será levado para o mundo maravilhoso e criativo do Photoshop. Serão trabalhados desde os recursos mais simples como retirar uma espinha em uma foto, colocar uma tatuagem que deseja (apenas na foto), poderá trocar a cor dos olhos e do cabelo até recursos mais sofisticados como restaurar fotos com defeitos. Este material não abrangerá os recursos avançados do programa, isso não quer dizer que serão trabalhados só recursos básicos. Venham para este mundo criativo e colorido. Divirta-se com grandes produções. O Autor.
  3. 3. Sumário AULA 01 - Primeiros Passos 10 Objetivo do Curso 11 O que são softwares editores de imagens 11 Edição, criação e composição de imagens 12 Photoshop X Corel Draw 14 AULA 02 - Imagem 18 O que é imagem? 19 Imagens Bitmaps e Imagens Vetoriais 20 Imagem pictórica, estática e em movimento 22 O que é imagem digital? 24 Formatos de imagens 26 AULA 03 - Editores de imagens 30 Photoshop 31 Gimp 32 Pixrl 33 Photscape 33 Editores de imagens para Android 34 AULA 04 - Conhecendo o Photoshop 38 Área de trabalho 39 Ferramentas e Caixas de Ferramentas 39 Foreground e Background 41 AULA 05 - Cores e Camadas 44 Teoria das Cores 45 Cores RGB e CMYK 47 Camadas 48 Trabalhando com camadas 49 AULA 06 - Editoração de imagem e montagens 52 O que é editoração de imagem? 53 O que é montagem? 54 Níveis de claridade em uma imagem 55 AULA 07 - Textos e Imagens 60 O que são textos? 61 Harmonia entre textos e imagens 62 O que são máscaras? 63 Como utilizar uma máscara 64 AULA 08 - Texturas e Formas 68 O que são texturas? 69 Texturas Naturais 69 Textura gráfica 70 Formas básicas 70 AULA 09 - Clonagem, Restauração, Colorir, Filtros 74 O que é a clonagem em uma imagem? 75 O que é uma restauração em uma imagem? 76 Por que colorir uma imagem? 76 O que são os filtros? 77 AULA 10 - Fotografia 80 O que é a fotografia? 81 Dicas de máquinas fotográficas 82 Dicas para fotografias de celulares 85
  4. 4. AULA 11 - Fotografia II 90 O que é uma composição fotográfica? 91 Ideias criativas para composições de imagens 92 Acessórios básicos para fotografia 95 AULA 12 - Monocromia 98 O que são imagens monocromáticas? 99 5 Razões para transformar em imagens monocromáticas 100 Técnicas para monocromia 101 Fotografias High Key e Low Key 104 AULA 13 - Publicidade 106 O que é a publicidade? 107 Tipos de publicidade 107 Branding 111 Áreas de Atuação 111 AULA 14 - Flyer digital 114 O que é um Flyer Digital? 115 Dicas para um Flyer de sucesso 115 O processo criativo 117 AULA 15 - Layout de um site 122 Diferença de site e hospedagem 123 Tipos de site 124 O Processo de Montagem Gráfica 126
  5. 5. Primeiros Passos Aula 1 • Objetivo do curso • O que são softwares editores de imagens • Edição, criação e composição de imagens • Photoshop x Corel Draw
  6. 6. 11 Objetivo do Curso Com o Photoshop você poderá dar asas à sua imaginação. Veja a imagem da capa desta apostila, com as ferramentas do programa e muita criatividade será possível produzir grandes trabalhos. Com os recursos que serão trabalhados neste módulo com certeza o transformará em um grande profissional de design, não serão apenas comandos que serão ensinados, mas sim uma lógica de design, um conceito de tratamento de imagens. Leia os conteúdos e faça as tarefas sempre colocando sua criatividade e os resultados aparecerão. O que são softwares editores de imagens Softwares editores gráficos ou softwares editores de imagem são programas de computador que tem como objetivo facilitar a alteração e criação de imagens digitais. Existem três tipos de editores para cada necessidade. São eles: • Raster - programas que geram pinturas digitais, ilustrações, editam ou retocam fotografias. As imagens raster também são conhecidas como imagens de bitmap, essas são imagens que contém a descrição de cada pixel. Dentre os mais populares estão: GIMP, Adobe Photoshop, Corel PhotoPaint, PhotoScape, Pixia, Paint.NET, ArtRage; Figura 1 - Imagem Raster, elas são formadas por pixel • Vetoriais - programas que criam ilustrações por meio de cálculos matemáticos (vetores) e que podem ser livremente modificados, tendo como base objetos e curvas, a estes podem ser aplicados cores de contorno e preenchimento de acordo com o programa. Dentre os mais populares estão: Inkscape, Corel Draw, Adobe Illustrator, Sodipodi, Macromedia Freehand;
  7. 7. 12 Figura 2 - À esquerda, uma imagem vetorial. À direita, uma imagem Raster, perceba que a vetorial em comparação com a Raster não possui nenhum pixel, ou seja, quando aumentá-la ela não ficará pixilizada ou distorcida. • Tridimensionais - programas que manipulam imagens em três dimensões como sólidos simples (cubos, esferas, cilindros, prismas, pirâmides, etc) são usados em diversas áreas técnicas, bem como na criação de comerciais e efeitos especiais em filmes. Dentre os mais populares estão: SketchUp, 3ds Max, Blender, Cinema 4D, Maya, Autodesk Softimage. Figura 3 - Imagem tridimensional. Estes programas também possuem geralmente um vasto leque de filtros para exportação de arquivos. Alguns deles são: BMP,PNG, JPG, GIF, TIFF, TGA, XPM, SVG, PostScript. Veremos mais detalhes na aula 02.   Edição, criação e composição de imagens Edição ou manipulação é a alteração ou manuseamento de determinado conteúdo tendo por objetivo um uso determinado. O ato de editar determinado conteúdo chama-se editoração, e o sujeito é o editor.
  8. 8. 13 Figura 4- Restauração de Imagem. A manipulação digital da imagem fotográfica não serve só para corrigir pequenos defeitos, realizar restaurações grandes ou melhorar uma foto que já é boa. Os recursos dos softwares de edição de imagens abriram uma porta para um novo mundo de possibilidades. A alteração de cores, de contraste, de saturação, as distorções variadas, a sobreposição de imagens, tudo isso possibilita a criação de novas atmosferas para tornar incríveis imagens que poderiam ser banais. Figura 5 - Restauração de Imagem Criação de imagem agrega informações utilizando elementos comuns como os padrões relativos às expressões corporais e o uso codificado das cores, apresenta uma proposta de sentido aos fatos que se torna possível dentro de um prazo. Por vezes, tem como objetivo dar conta do espírito de um período determinado, aprisionando a comunicação à captura do tempo. A composição de uma imagem nada mais é que a arrumação na tela dos elementos em vista para que aquela imagem seja vista da forma que o editor a imaginou, respeitando os elementos
  9. 9. 14 e forjando a relação entre eles: o assunto principal, o primeiro plano e os elementos secundários. Deixando-a com uma qualidade estética que trabalhe textura, equilíbrios de formas e cores e outras variáveis mais, que em sua combinação formam uma imagem comunicativa e bela. A composição não depende quase nada do seu equipamento fotográfico e não pode ser “arrumada” no Photoshop depois, a não ser quando deixa de ser fotografia e passa a ser manipulação digital. Figura 6 - Composição de Imagens Photoshop X Corel Draw O Adobe Photoshop é um software caracterizado como editor de imagens bidimensionais do tipo Raster (possuindo ainda algumas capacidades de edição típicas dos editores vetoriais) desenvolvido pela Adobe Systems. É considerado o líder no mercado dos editores de imagem profissionais. O Corel DRAW é um programa de desenho vetorial bidimensional para design gráfico desenvolvido pela Corel Corporation. É um aplicativo de ilustração vetorial e layout de página que possibilita a criação e a manipulação de vários produtos, como por exemplo: desenhos artísticos, publicitários, logotipos, capas de revistas, livros, CDs, imagens de objetos para aplicação nas páginas de internet (botões, ícones, animações gráficas, etc), confecção de cartazes. Podemos perceber com as descrições acima de cada programa que o Adobe Photoshop é voltado para a editoração de imagens e criação de imagens bitmaps, enquanto que o Corel Draw é um programa para a criação de imagens vetoriais sendo possível a criação de trabalhos gráficos que podem ter diferentes tamanhos sem a perda de qualidade.
  10. 10. 15 Atividades Encontre as palavras no caça-palavras. • Adobe Photoshop • Bitmap • Blender • Composição • CorelDraw • Criação • Digital • Editoração • Imagem • Manipulação • Raster • Restauração • Tiff • Tridimensional • Vetorial Dos formatos citados quais possibilitam a criação de imagens com plano de fundo transparente? Marque um X nas respostas corretas. ( ) JPG ( ) PNG ( ) GIF ( )TIFF 1 2 DesaFios
  11. 11. 16 Atividades Coloque V para a frase verdadeira e F para a frase falsa. O formato JPG é o melhor formato para salvar uma imagem manipulada, pois ele tem menos perda de qualidade após salvar. O formato PNG é o melhor formato para salvar uma imagem manipulada, pois ele tem menos perda de qualidade após salvar. O formato PNG possibilita que salvemos uma imagem animada. O formato GIF possibilita que salvemos uma imagem animada. O formato TIFF possibilita que salvemos uma imagem animada com música. O formato TIFF é o formato que as câmeras profissionais e semiprofissionais geralmente salvam as imagens. O formato JPG é o formato que as câmeras profissionais e semiprofissionais geralmente salvam as imagens. O formato GIF é o formato que as câmeras profissionais e semiprofissionais geralmente salvam as imagens. Procure na internet exemplos de fotografias que necessitem de restauração, elas não precisam ser antigas, e salve em seu pendrive, skydrive, Google drive, ou outro dispositivo. Procure exemplos de imagens tridimensionais, salve as que você achar interessante em uma pasta e selecione a mais interessante, deixe essa imagem como plano de fundo na área principal do Windows (ou Linux). 3 4 5
  12. 12. 17 Anotações
  13. 13. Imagem Aula 2 • O que é imagem? • Imagens Bitmaps e Imagens Vetoriais • Imagem pictórica, estática e em movimento • O que é imagem digital? • Formato de imagens
  14. 14. 19 O que é imagem? Segundo o dicionário Aurélio “Imagem é a representação gráfica, plástica ou fotográfica de pessoa ou de objeto; representação mental de um objeto, impressão, lembrança, recordação, etc”. Imagens figurativas: são imagens representativas, elas contêm informações sobre os objetos, situações, temas. Figura 1 - Imagem figurativa, geralmente representam objetos com formas definidas.   Imagens abstratas: são imagens não representativas, são aquelas que facilitam a percepção, mas não há percepção. Figura 2 - Imagem abstrata geralmente representa nenhuma forma definida.
  15. 15. 20 Imagens Bitmaps e Imagens Vetoriais As imagens Bitmaps são construídas com a formação de quadrados muito pequenos chamados pixel. As imagens bitmaps, ou mapa de bits, são uma coleção de bits que formam uma imagem. A imagem consiste em uma matriz de pontos individuais (ou pixeis) em que cada um tem a sua própria cor. Quando tentamos alargar ou aumentar em escala ou aleatoriamente o bitmap, um problema acontece, o arquivo com o tamanho modificado em tamanho somente alarga o pixel, o que resulta em efeito de “pixelização” da imagem. Figura 3 - Imagem bitmap, construída com a formação de quadrados muito pequenos chamados pixel.   As imagens bitmaps podem ser classificadas em quatro possíveis tipos: • Imagens Line-Art: apenas contém duas cores, normalmente o preto e o branco. Por vezes são referidas como imagens bitmaps porque o computador tem que usar apenas 1 bit (on= preto e off=branco) para poder definir cada pixel. Figura 4 - Imagem Line-Art.
  16. 16. 21 • Imagens Grayscale: contém várias graduações de cinzentos, também compostas por preto e branco, a graduação é formada por sua máxima configuração de 256 linhas. Figura 5 - Imagem Grayscale.   • Imagens Multitônicas: contém graduação de duas ou mais cores. As imagens Multitônicas mais conhecidas são as duotônicas que normalmente são compostas por preto e por uma segunda cor direta, normalmente uma Pantone. Figura 6 - Imagem Multitônica. • Imagens a cores: a informação de cor pode ser descrita usando determinados espaços de cores: RGB (Red, Green e Blue) ou CMYK (Ciano, Magenta, Yellow e Black), onde veremos mais sobre essas cores na aula 05. Figura 7 - Imagem a cores.
  17. 17. 22 A imagem vetorial é criada a base de objetos, como por exemplo, retângulos e círculos e possuem a capacidade de serem ampliadas indefinidamente sem perderem definição e detalhamento. Figura 8 - À esquerda uma imagem vetorial. À direita uma imagem bitmap. Perceba que a imagem vetorial não possui pixel. As curvas de Bézier são usadas para a manipulação dos pontos de um desenho. Cada linha descrita em um desenho vetorial possui nós, e cada nó possui alças para manipular o segmento da reta ligada a ele. Figura 9 - Curva de bézier, cada quadrado branco no início e fim de uma curva e o quadrado preto no centro chama-se nó, os círculos pretos ligados por uma linha que atravessa os quadrados chamam-se alça de manipulação. Por serem baseados em vetores, esses gráficos são mais leves, ocupam menos memória no disco rígido, e não perdem qualidade ao serem ampliados. Imagem pictórica, estática e em movimento Imagem pictórica é produzida por ordenação de pigmentos (um exemplo desses pigmentos podem ser as tintas) sobre algum suporte (um exemplo de suporte podem ser as telas utilizadas por pintores) geralmente utilizando técnicas de fotografia, desenho, pintura, gravura e outras Artes Visuais. A imagem pictórica pode ser figurativa, ou seja, representar algo existente materialmente na natureza ou supostamente existente, como no caso de figuras mitológicas, ou abstratas, se não se prender a nenhuma representação material. Nó Alça de manipulação
  18. 18. 23 Figura 10 - Imagem Pictórica Fotos documentais como a fotografia é uma ramificação das imagens pictóricas e se concentram em uma ação natural. Elas são menos artificialmente compostas. As imagens estáticas são armazenadas e exibidas como uma matriz, onde cada elemento da matriz representa um ponto da imagem (pixel). Em cada pixel está codificado, de maneira binária, intensidade ou cor. Para a representação de uma imagem são necessários dois elementos: resolução e intensidade. -Resolução: é o número de pixels que compõem a imagem (quanto maior o número de pixels, menor a distância entre eles e portanto melhor definição visual) que varia de acordo com a capacidade da fonte geradora.   -Intensidade: é a quantidade de cores ou tons de cinza que um pixel pode exibir (quanto maior o número de cores/tons de cinza por pixel, maior a variabilidade de tons e melhor impressão visual). Figura 11 – Uma radiografia ou neste caso um ultrassom de uma mulher grávida é uma imagem estática, pois a imagem é formada por resolução e intensidade gravado em cada pixel formando assim a imagem da criança dentro da barriga da mãe. A composição destes dois elementos, resolução e intensidade vai definir a quantidade de memória necessária para armazenar as imagens, a qual depende do tamanho de uma determinada
  19. 19. 24 imagem (largura x altura). Imagens em movimento criam a ilusão de ótica de movimento. Pela disposição dos elementos, acontece uma confusão no cérebro, o que faz com que a imagem pareça estar se movimentando, mas na verdade é uma imagem estática. Figura 12 - Ilusão de ótica, mandala em movimento. Fixe o olha no centro da imagem por alguns segundos, a imagem terá a impressão de estar se movendo. As imagens em movimento também podem exibir a movimentação de uma paisagem, assim como filmes são produzidos por uma série de imagens que quando dispostas em sequências passadas a uma determinada velocidade transmite a sensação de movimento. Figura 13 - Imagem de captura de movimento, a imagem passa a sensação de o ciclista estar em uma velocidade muito alta, pois todos os elementos atrás dele estão desfocados. O que é imagem digital? Uma imagem digital é a representação de uma imagem bidimensional usando números binários codificados de modo a permitir seu armazenamento, transferência, impressão ou reprodução, e seu
  20. 20. 25 processamento por meios eletrônicos. Há dois tipos fundamentais de imagem digital como já falado: rastreio (Raster) e vetorial. Imagem de rastreio e imagem vetorial A imagem de rastreio, ou Raster, é a representação em duas dimensões de uma imagem como um conjunto finito de pontos definidos por valores numéricos, formando uma matriz matemática ou malha de pontos, onde cada ponto é um pixel. Tipicamente, cada ponto de uma imagem é decomposto em uma tripla de cores e cada proporção relativa é transformada em valores numéricos que permitem que eles sejam recuperados. No modelo de cores RGB¹, por exemplo, a imagem é decomposta nas cores vermelho, verde e azul, estabelecendo para cada uma dessas cores um valor entre o máximo possível de reprodução daquela cor e o mínimo, ou seja, a ausência total dela. A soma dos três valores resulta num ponto colorido da imagem final. Figura 14 - Imagem Raster. Composta por vários pixeis. Curiosidade A primeira imagem digital foi feita por Russell Kirsch, no NBS, agora conhecido como National Institute of Standards and Technology (NIST). Definição e resolução de imagens de rastreio. A imagem de rastreio ao se aumentar as dimensões da imagem, os pixels vão-se distribuir por uma área maior, logo tornando a imagem mais indefinida. A qualidade de uma imagem digital se dará sobre dois aspectos, a quantidade de pixel por polegada (resolução da imagem conhecida como PPI), e o número de pixels na horizontal e na vertical (tamanho da imagem em centímetros). Figura 15 - a imagem do Mario Bros foi aumentada de tal forma que a resolução dela perdeu qualidade, esse efeito chama-se estouro de pixel. Por exemplo: Se uma imagem possui 1.000 pixels x 1.000 pixels, significa dizer que possui um milhão de pixels, ou 1M como é mais comum nas propagandas de máquinas digitais, mas isso não necessariamente quer dizer que esta imagem é de alta qualidade, porque ainda falta a relação com a ¹ N.A.: maiores detalhes sobre o modelo de cores RGB na aula 05
  21. 21. 26 quantidade de pixels por polegada da imagem. Para uma boa definição é preciso que a imagem tenha 300PPIs (pixels per inch, ou, pixels por polegada), isso permite que se faça uma cópia de alta qualidade em papel fotográfico, o tamanho desta cópia (10x15 - 15x18) vai depender de quantos pixels a imagem possui na vertical e quantos na horizontal. Curiosidade A maior imagem digital do mundo foi criada pela empresa canadense Aperio criou uma fotografia digital com a qualidade de um Terapixel, ou seja, com um trilhão de pixels. O arquivo de imagem tem 143 GB e tem o formato BigTIFF, inventado pela companhia para a utilização em análises de exames médicos. A imagem vetorial é criada recorrendo a entidades de desenho como retas, pontos, curvas polígonos simples, etc. Figura 16 - À esquerda temos uma imagem criada a partir de vetores, à direita temos uma imagem Raster ou bitmap. Apesar de ambas parecerem muito boas na imagem geral, quando aproximadas percebemos que a imagem vetorial não possui pixel. O tamanho dos arquivos de desenho vetorial são relativamente menores que os arquivos de desenho de rastreio. A imagem vetorial é criada por objetos primários, mas a grande vantagem dela é o fato de poder ser aumentada sem a perda de resolução, ou seja, sem o efeito de pixelização que é conhecido como estou de pixel. Formatos de imagens A maioria dos formatos de imagens digitais são precedidos por um cabeçalho que contém atributos (dimensões da imagem, tipo de codificação, etc.), seguido dos dados da imagem em si. JPEG - Joint Photographic Experts Group A extensão em DOS é “JPG”. É o formato mais utilizado e conhecido atualmente. Quase todas as câmaras possuem esta opção para guardar as imagens. Formato de arquivo muito utilizado na
  22. 22. 27 Internet e em multimidia, por ter uma compactação excelente, algo fundamental ao meio, e por suportar até 16.777.216 cores distintas. TIFF - Tagged Image File Format Arquivo padrão para impressão industrial (offset, rotogravura, flexogravura); também muito usado como opção nas câmaras fotográficas. O TIFF é capaz de armazenar imagens true color (24 ou 32 bits). GIF - Graphics Interchange Format Criado para ser usado extensivamente na Internet. Suporta imagens animadas e 256 cores por frame. Foi substituído pelo PNG. BMP - Windows Bitmap Normalmente usado pelos programas do Microsoft Windows. Não utiliza nenhum algoritmo de compressão, daí esse formato apresentar as fotos com maior tamanho. SVG - Scalable Vector Graphics É um formato vetorial, criado e desenvolvido pelo World Wide Web Consortium. PNG - Portable Network Graphics É um formato livre de dados utilizado para imagens, que surgiu em 1996 como substituto para o formato GIF. Suporta canal alfa, não tem limitação da profundidade de cores, alta compressão. Permite comprimir as imagens sem perda de qualidade, ao contrário de outros formatos, como o JPG. PCD - Kodak Photo CD Este é um formato proprietário lançado pela Kodak, em 1992 como parte um sistema de digitalização e armazenamento de imagens para suprir a demanda no início da popularização das imagens digitais. Dessa forma, um rolo de filme era capturado por um scanner em imagens com 36 bits (12 bits por cor) e transformado em arquivos digitais por uma estação de tratamento chamada Photo Imaging Workstation (PIW). DWG - AutoCAD drawing Arquivos de texto no padrão ASCII utilizados para armazenar dados de programas CAD. RAW - Família de formatos de arquivo RAW RAW refere-se à família de formatos de imagem RAW que são originados pela maioria das câmeras digitais profissionais. O formato RAW não é padronizado nem documentado, e difere de fabricante para fabricante.
  23. 23. 28 Atividades Qual a diferença de imagens Bitmaps e imagens Vetoriais? Marque com um X a resposta correta: a) Imagens Sépia são imagens: GraySacale Multitônicas A cores b) Imagens Line-art: Possuem apenas duas cores preto e branco; Contém várias gradações de cinzentos; Contém gradação de duas ou mais cores; Complete a palavra cruzada com as dicas abaixo: 1. Construídas com a formação de quadrados muito pequenos chamados pixel. 2. Usadas para manipulação dos pontos de um desenho. 3. Formato mais utilizado e conhecido atualmente. 4. Imagem que forma um raio-x ou um ultrassom. 5. Formato normalmente utilizado pelos programas da Microsoft. 6. Imagem que representa algo que existe materialmente na natureza ou supostamente existe, como figuras mitológicas. 7. Possui a capacidade de ser ampliada indefinidamente sem perder qualidade. 8. Representação de uma imagem bidimensional usando números binários. 9. Contém graduação de duas ou mais cores. 10. Formato criado para ser usado na internet e suporta imagens animadas. 11. Imagem que nos dá a impressão de algo estar se movimentando. 12. Representação gráfica de pessoa ou objeto. 13. Formato que surgiu para substituir o formato GIF e suporta canal alfa. 14. Contém apenas duas cores, normalmente o preto e o branco. 15. Contém várias graduações de cinza. 1 3 2 DesaFios
  24. 24. 29 Atividades Com a ajuda de seu celular utilize a câmera dele para produzir fotos de imagens em movimento e pictóricas, após selecione as melhores fotos e poste em seu Faceboook, marque seu professor nas fotos selecionadas. Lembre-se, você pode produzir essas fotos no parque, na sala de aula, em casa, na rua. Procure na internet imagens que estejam pixelizadas, ou seja, que tiveram estouro de pixel, salve algumas e analise as imagens tentando identificar quais as possibilidades das imagens serem restauradas e qual programa deverá ser utilizado para isso: Photoshop ou Corel Draw? Procure uma imagem na internet, salve-a no computador e abra-a no Photoshop. Com a ajuda do seu professor mude a cor dessa imagem, salve-a novamente e divulgue no seu Facebook, se desejar coloque no grupo da escola que você está. 4 5 6
  25. 25. Editores de imagens Aula 3 • Photoshop • Gimp • Pixrl • Photscape • Editores de imagens para Android
  26. 26. 31 Photoshop Adobe Photoshop é um software caracterizado como editor de imagens bidimensionais do tipo Raster (possuindo ainda algumas capacidades de edição típicas dos editores vetoriais) desenvolvido pela Adobe Systems. É considerado o líder no mercado dos editores de imagem profissionais, assim como o programa de fato para edição profissional de imagens digitais e trabalhos de pré-impressão. Pode ser rodado também no Linux, através da camada de compatibilidade Wine. Apesar de ter sido concebido para edição de imagens para impressão em papel, o Photoshop é usado também para produzir imagens destinadas à World Wide Web. Até a versão 9.0 (CS2) o programa, o Adobe ImageReady, muito semelhante ao Photoshop, que era utilizado em conjunto para a edição e criação de imagens e animações para a internet. A partir da versão 10 (CS3), os recursos do Adobe ImageReady estão incluídos dentro do próprio Photoshop. Figura 1 - É possível realizar muitas manipulações com o Photoshop, mas uma que é muito utilizada é a remoção de espinhas. O Photoshop também suporta edição com outros tipos de programas da Adobe, especializados em determinadas áreas: o já referido Adobe ImageReady (edição de imagens para a web), Adobe InDesign (edição de texto) Adobe Illustrator (edição de gráficos vectoriais), Adobe Premiere (edição de vídeo não-linear), Adobe After Effects (edição de efeitos especiais em vídeo) e o Adobe Encore DVD (edição destinada a DVDs). Os formatos de arquivos nativos do Photoshop (PSD ou PDD) podem ser usados entre estes programas. A título de exemplo, o Photoshop CS permite fazer elementos da interface gráfica de DVDs (menus e botões), desde que dispostos separadamente no ficheiro original
  27. 27. 32 (PSD ou PDD) por camadas (layers) agrupadas por ordem específica, de forma que, ao ser importado pelo Adobe Encore DVD, este consiga criar a edição para DVD com esses elementos. O uso das camadas não é um recurso novo inventado pelos desenvolvedores do Photoshop, ele foi desenvolvido há muito tempo pelos ilustradores. Portanto, é mais um recurso existente no mundo real que foi aproveitado pela ferramenta Photoshop para facilitar o trabalho de seus usuários, assim como certos efeitos que reproduzem técnicas de pintura, máscaras, uma técnica muito utilizada em gráficas e impressão offset. Figura 2 - Podemos utilizar o Photoshop para fazer maquiagem digital e deixar uma fotografia mais atraente. Os formatos de arquivos nativos podem ser importados de programas da concorrência, como o Corel Photo-Paint, Pixel32, WinImages, GIMP, Corel Paint Shop Pro, etc. O Photoshop suporta vários espaços de cor (color spaces): • sRGB (ponto branco=D65) - RGB no Photoshop • Lab (ponto branco=D50) • CMYK • Escala de cinza (Grayscale) O Photoshop não suporta nativamente muitos dos algoritmos de imagem (Image Arithmetics) que o Corel Paint Shop Pro e outros editores de bitmaps utilizam. No entanto, esse problema pode ser contornado através do Filter Factory, um plugin gratuito disponível nos discos de instalação do Photoshop, após a versão 3.0. Gimp GIMP (GNU Image Manipulation Program) é um programa de código aberto voltado principalmente para criação e edição de imagens Raster, e em menor escala também para desenho vetorial.
  28. 28. 33 O projeto foi criado em 1995 por Spencer Kimball e Peter Mattis, quando desenvolveram o mesmo como um projeto para a faculdade. Atualmente, ele é mantido por um grupo de voluntários e licenciado sob a GNU General Public License. O GIMP foi criado pelos estudantes como uma alternativa livre ao Adobe Photoshop. Foi um projeto universitário que amadureceu bastante e hoje alcança expressiva popularidade, sendo utilizado por hobbistas e profissionais. A sigla GIMP originalmente significava General Image Manipulation Program; em 1997, foi mudado para GNU Image ManipulationProgram. Ele é integrante oficial do Projeto GNU. O GIMP possui os recursos para ser utilizado na criação ou manipulação de imagens e fotografias. Seus usos incluem criar gráficos, logotipos, redimensionar fotos, alterar cores, combinar imagens utilizando camadas, remover partes indesejadas e converter arquivos entre diferentes formatos de imagem digital. Pixrl O Pixrl é um editor de imagens online, também conhecido como Photoshop online, que é capaz de produzir os mesmos resultados que as aplicações que você pode instalar em seu computador. Apesar do seu enorme leque de recursos, o Pixlr é muito fácil de usar e extremamente intuitivo. Destaca-se bastante pela sua profundidade e pela amplitude de recurso que estiveram na base da sua concepção. Permite a edição de imagem com ferramentas e recursos avançados, combinando características de alta qualidade que se tornaram usuais em programas de edição de imagem de desktop. O Pixlr também inclui ferramentas para criar camadas com as características básicas, deixando aos usuários liberdade para criar movimento, sobrepor e interpolar imagens, rodar e remover camadas. Photscape O PhotoScape é um programa editor de imagens. Sua principal característica é a facilidade de uso e os recursos que ele oferece. A interface principal contém 12 ícones e cada um possui uma função especifica. As opções que se destacam são as edições de imagens, o editor de várias imagens ao mesmo tempo, converter imagens RAW em JPEG e a função de formar uma só imagem com várias fotos. O programa também cria GIFs simples.
  29. 29. 34 Editores de imagens para Android Hoje é possível gravar vídeos em Full HD direto do celular, tirar fotos em ambientes com pouca iluminação e diversas outros ítens. Contudo, às vezes o melhor hardware não é suficiente e você precisa usar alguns aplicativos extras para editar as imagens e deixá-las ainda mais profissionais. Seja para recortar imagens, remover olhos vermelhos, alterar a cor, iluminação etc, você definitivamente precisará de um aplicativo de edição de imagens. Entretanto, devido à facilidade de se criar programas para Android, diversos deles não alcançam o padrão desejado. PicSay Com ele você pode adicionar balões de texto, título, desenhos e alguns outros itens às suas fotos. Ele também lhe dá a possibilidade de fazer melhorias na imagem, colocando efeitos bem interessantes. O usuário pode levar algum tempo até se acostumar à interface do aplicativo, contudo nenhum conhecimento avançado é necessário. Apenas “brincando” com o PicSay, facilmente qualquer pessoa se adaptará ao programa. Entretanto, caso haja alguma dificuldade, o aplicativo oferece uma sessão de ajuda, dando dicas da melhor maneira de utilizá-lo. Por fim, depois de editar a imagem, o programa ainda oferece diversas opções de exportação. É possível enviar a foto diretamente para o Facebook ou Twitter, salvá-la no cartão de memória ou usá-la como papel de parede do aparelho. Photoshop Express O Photoshop Express instalado no seu aparelho lhe proporciona a sensação de carregar o editor de imagens do PC com você a todo o momento. Com a vantagem de ser portátil e ser mais fácil de usar. A interface inicial automaticamente cria miniaturas das fotos da sua câmera, o que facilita bastante na hora de escolher a imagem a ser editada. Após selecioná-la, você será levado à tela de edição de imagens. Infelizmente, apesar do nome, as funções do aplicativo são um pouco limitadas, afinal era natural esperarmos mais do Photoshop.
  30. 30. 35 O melhor do aplicativo é que depois de editar as fotos, você pode também enviá-las com facilidade para o Facebook, TwitPic ou para o Photoshop.com. Retro Camera Seguindo um conceito diferente de edição de fotos, o aplicativo Retro Camera não lhe permite efetuar edições manualmente nas fotos, o próprio software aplica o filtro de forma automática. O que o programa faz é na verdade simular um modelo de câmera antiga, seguindo todos os detalhes que eram peculiares a cada modelo. Dessa forma, as fotos ficam com um tom nostálgico muito bem aplicado. Devido à maneira automática que o programa aplica os filtros às imagens, as fotos tem certo atraso, portanto o ideal é usar o aplicativo para modificar imagens estáticas. Por fim as imagens ainda podem ser compartilhadas com o Facebook, Twitter ou e-mail, em forma de um cartão postal.
  31. 31. 36 Atividades Observe as imagens abaixo, elas foram criadas no Pixrl, utilize sua criatividade e crie imagens interessantes como as abaixo, você pode utilizar o Pixrl Editor, Pixrl Express ou Pixrl-o-matic. 1
  32. 32. 37 Atividades
  33. 33. Conhecendo o Photoshop Aula 4 • Área de trabalho • Ferramentas e Caixas de Ferramentas • Foreground e Background
  34. 34. 39 Área de trabalho A área de trabalho do Photoshop é fácil de utilizar, você pode criar e manipular documentos e arquivos usando vários elementos que iremos conhecer neste capítulo. A - Área de Trabalho – nessa área as imagens e arquivos ficam abertos em janelas ou abas. B - Barra de Menus – barra de menus do Photoshop. C – Alterador da área de trabalho – painel que possibilita alterar a visualização da área de trabalho. D – Barra de Ferramentas – painel que exibe as ferramentas utilizadas no Photoshop. E – Painel de Controle de Cores – painel que possibilita a alteração de cor de formas e imagens. F – Painel de Ajustes de Imagens e Controle de Máscara – Painel que possibilita a navegação e ajustes de imagens. G – Painel de controle de camadas, canais de imagens e caminhos - painel que possibilita a navegação entre camadas e controle de canais de cores de uma imagem. H – Painel de Opções – nele estão contidas algumas opções de alteração de imagens.   Ferramentas e Caixas de Ferramentas As ferramentas no Photoshop são utilizadas para criação e composição de imagens, assim como para auxiliar na edição rápida de algumas imagens.
  35. 35. 40 Ferramenta Move Tool Ferramenta para auxiliar na movimentação de imagens em uma determinada camada. Ferramenta Marquee Tool Ferramenta laço, ela auxilia na marcação de uma determinada área. Essa marcação pode ser feita de forma poligonal, à mão livre ou com laço magnético. Ferramenta Lasso Tool Ferramenta laço, ela auxilia na marcação de uma determinada área. Essa marcação pode ser feita de forma poligonal, à mão livre ou com laço magnético. Ferramenta Varinha Ferramenta varinha, ela auxilia na marcação de uma determinada área. Essa ferramenta possui dois tipos de varinha: a Quick Selection Tool e a Magic Wand Tool. Quick Selection Tool: permite que você selecione uma área completa arrastando a varinha pela área. Magic Wand Tool: permite que você selecione vários pontos dispersos de uma imagem agregando-os ou desagregando-os de uma área selecionada. Ferramenta de Corte A ferramenta de corte possibilita que você faça cortes em uma imagem, diminuindo e excluindo uma área da imagem. Ferramenta de Informação A ferramenta de informação possui um conjunto de sub-ferramentas que auxiliam na descoberta de uma informação determinada. Eyedropper Tool – captura a cor desejada e coloca-a no Foreground do seu Photoshop. Color Sample Tool – possibilita descobrir informações referente a cor de até quatro pontos específicos de uma imagem.
  36. 36. 41 Ruler Tool – possibilita descobrir o tamanho de uma determinada área selecionada. Note Tool – possibilita criar notas para uma imagem. Ferramenta Healing Ferramenta que possibilita unir uma pequena área mal elaborada com outra. Calcula automaticamente a área a ser “corrigida”. Ferramenta Pincel Ferramenta que possibilita a criação de formas livres. Ferramenta Carimbo A ferramenta carimbo auxilia na correção de áreas danificadas com a clonagem de áreas próximas que não estejam danificadas. Foreground e Background As cores de primeiro plano (Foreground), ou cor primária e as cores de segundo plano (Background), ou cor secundária são utilizadas em conjunto com a camada de fundo. Quando você selecionar qualquer ferramenta de forma básica ou desenho (pincel, caneta) a cor de preenchimento a ser utilizada será a cor vigente no quadro de primeiro plano, por isso muitas vezes é conhecido como cor ativa. A cor de segundo plano serve para várias funções a mais importante é para instruir o Photoshop a como se comportar quando uma camada de fundo é apagada com a ferramenta borracha, pois quando se utiliza a ferramenta borrada em cima de uma camada qualquer, os pixels da imagem por padrão ficam transparentes, mas a camada de fundo não pode ser apagada por ser a camada de base, a camada inicial. Com isso quando se utiliza a ferramenta borracha para apagar a camada de fundo ela não fica transparente, mas fica colorida com a cor especificada no quadro de Background. Figura 8 - Caixa de cores Foreground e Background, elas ficam na barra de ferramentas principal do Photoshop, geralmente no canto inferior esquerdo.
  37. 37. 42 Atividades Encontre as palavras abaixo no caça-palavras: • Área de Trabalho • Barra de Menus • Barra de Ferramentas • Camadas • Cores • Foreground • Background 1
  38. 38. 43 Atividades 2 Relacione a coluna A com as respostas corretas na coluna B. Coluna A Ferramenta Carimbo Ferramenta de corte Ferramenta Lasso Painel de controle de cores Coluna B Possibilita que você faça cortes em uma imagem, diminuindo e excluindo uma área da imagem. Auxilia na marcação de uma determinada área Possibilita a alteração de cor de formas e imagens Auxilia na correção de áreas danificadas com a clonagem de áreas próximas que não estejam danificadas.
  39. 39. Cores e Camadas Aula 5 • Teoria das Cores • Cores RGB e CMYK • Camadas • Trabalhando com camadas
  40. 40. 45 Teoria das Cores Teoria das Cores é o estudo e experimento relacionado com a associação entre a luz e a natureza das cores, realizado por Leonardo Da Vinci, Isaac Newton, Goethe, entre outros. Leonardo Da Vinci, em suas pesquisas e formulações retratadas no livro “Tratado da Pintura e da Paisagem – Sombra e Luz”, afirmava que a cor era uma propriedade da luz e não dos objetos. Mais tarde, o físico inglês Isaac Newton, nos seus experimentos estudou a influência da luz do sol na formação das cores. Newton estudou o fenômeno da difração, que consistia na decomposição da luz solar em várias cores quando atravessava um prisma, e denominou o conjunto de cores como espectro. O espectro é formado pela união das cores vermelho, laranja, amarelo, verde, azul, anil e violeta. As sete cores que compõem a luz do sol e que formam o arco-íris. O círculo cromático contém 12 diferentes cores, que ajudam a visualizar as cores primárias, secundárias e terciárias que formam o espectro visível. Figura 1 - Segundo Leonardo da Vinci a cor é uma propriedade da luz e não dos objetos. O branco e o preto (convencionalmente designados por cores) são apenas resultado da presença ou ausência de luz. A cor branca é a luz pura, em que há uma reflexão total das sete cores; a cor preta é ausência total de luz, pois as cores não se refletem, elas são absorvidas.
  41. 41. 46 Quando a luz do sol incide em um objeto branco, este reflete os raios solares enquanto um objeto preto absorve todos os raios solares. Os estudos realizados pelo escritor alemão Goethe influenciaram a percepção subjetiva das cores e a relação entre as cores e a Psicologia e Fisiologia. Significados das cores São atribuídos vários significados às diferentes cores. Por exemplo, flores de diferentes cores costumam ser oferecidas em ocasiões distintas para transmitir mensagens específicas. Deste modo, o vermelho está relacionado com o amor e paixão, o amarelo corresponde à inveja e o azul é associado à fidelidade. Cores quentes e frias As cores quentes são aquelas que transmitem uma sensação de calor, como o vermelho e o laranja, que dão também uma sensação de proximidade. Por outro lado, as cores frias como o azul e violeta dão uma impressão de profundidade. Figura 2 - Na imagem à esquerda são utilizadas cores quentes, dando a sensação da imagem estar mais iluminada, passando a impressão de ter mais emoções como o amor. Na imagem à direita foram utilizadas cores frias, passando a sensação de tristeza para o desenho. Cores primárias, secundárias e terciárias As cores são divididas em primárias, secundárias, terciárias e neutras. As cores primárias são o vermelho, amarelo e azul, as cores secundárias são formadas pela mistura de duas cores primárias, o verde, o roxo e o laranja, as cores terciárias são formadas pela mistura de uma cor primaria com uma ou duas cores secundárias; as terciárias são todas as outras cores. As cores neutras tem pouco reflexo, elas são mais usadas como complemento de outra cor. Entre as neutras temos os tons cinza e os marrons que nos tons mais claros são chamados de bege. A cor branca é luz isenta de cor e o preto é a ausência de cor. Se rodarmos o disco das cores com veemência veremos que as cores desaparecerão e ele aparecerá totalmente branco.
  42. 42. 47 Figura 3 - Círculo Cromático. • Cores primárias:cores que podem ser combinadas para criar outras cores. • Cores análogas: cores da mesma família com tom diferente • Cores quentes: transmitem-nos a sensação de calor. • Cores frias: transmitem-nos a sensação de frio. • Cores intermediárias: resultam da mistura de cores primárias e cores secundárias • Cores secundárias: resultam da mistura de duas cores primárias. • Cores complementares: duas cores que oferecem contraste entre si. • Cores complementares decompostas: três cores que oferecem contraste entre si. Cores RGB e CMYK CMYK é um sistema de cores cuja sigla é formada pelas cores Cyan (Ciano), Magenta (Magenta), Yellow (Amarelo) e blacK (Preto). O CMYK (também chamado de cor-pigmento) é um sistema muito utilizado na indústria gráfica. Além das cores primárias: ciano, magenta e amarelo, também é utilizada a cor preta, considerada como a “cor chave” por ser essencial para definir os detalhes de uma imagem (para alguns, o “K” que faz parte da sigla seria da palavra inglesa “Key”, que significa “chave”). O sistema CMYK é utilizado para impressão em cores com tinta, com o objetivo de ocultar algumas cores, quando o fundo é branco, para diminuir a luminosidade e ressaltar a combinação das quatro cores. O CMYK pode reproduzir todas as principais gama de cores existentes. O CMYK funciona através de impressoras e fotocopiadoras para reproduzir uma grande parte das cores do espectro visível. Enquanto o CMYK é a cor-pigmento, o sistema RGB (vermelho, verde e azul) é definido como a cor-luz, sendo utilizado nos objetos que emitem luz (na televisão, por exemplo). Além do CMYK e do RGB, existem outros padrões de cores, como o Pantone, uma biblioteca que possui uma imensa gama de cores catalogadas. RGB é a sigla do sistema de cores aditivas formada pelas iniciais das cores em inglês Red,
  43. 43. 48 Green e Blue, que significa em português, respectivamente, vermelho, verde e azul. O sistema de cores luminosas RGB (também designado por cor-luz) é usado nos objetos que emitem luz como, por exemplo, os monitores de computador e televisão, as câmeras digitais, o scanner, entre outros. Já nas impressoras é utilizado o padrão de cores subtrativas denominado CMYK, formado pelos pigmentos primários Cyan (Ciano), Magenta(Magenta) e Yellow (Amarelo) e ainda, o blacK (Preto). As cores são obtidas através das misturas das três cores primárias, em quantidades determinadas. Cada uma das cores obtidas estão enquadradas numa escala que varia de 0 a 255. Quando a mistura das três cores está no valor mínimo (0, 0, 0), o resultado é a cor preta. Quanto está no máximo (255, 255, 255), resulta na cor branca. A variação entre valores mínimos corresponde a tons escuros e entre os valores máximos, os tons são mais intensos, mais claros. Camadas As camadas são como folhas de acetato empilhado. Através das áreas transparentes de uma camada é possível ver as camadas de baixo. Você move uma camada para posicionar o conteúdo na camada, como se estivesse deslizando uma folha de acetato em uma pilha. Também é possível alterar a opacidade de uma camada para tornar o conteúdo parcialmente transparente. Figura 4 - Visão de camadas. As áreas transparentes de uma camada permitem que você veja as camadas de baixo. As camadas são usadas para realizar tarefas como a composição de várias imagens, adição de texto em uma imagem ou adição de formas de vetores gráficos. Você pode aplicar um estilo de camada para adicionar um efeito especial como uma sombra projetada ou um brilho. Camadas para a edição não destrutiva Às vezes, as camadas não contêm nenhum conteúdo aparente. Por exemplo, uma camada de ajuste mantém ajustes de cores e tons que afetam as camadas abaixo dela. Em vez de editar os pixels da imagem diretamente, é possível editar uma camada de ajuste e deixar os pixels da imagem
  44. 44. 49 original inalterados. Trabalhando com camadas O painel Camadas relaciona todas as camadas, grupos e efeitos de camada em uma imagem. Esse painel pode ser usado para mostrar e ocultar camadas, criar novas camadas e trabalhar com grupos de camadas. No menu do painel Camadas pode-se acessar comandos e opções adicionais. Figura 5 - Painel Camadas do Photoshop. A - Menu do painel Camadas B - Grupo de camadas C - Camada D - Expandir/recolher efeitos da camada E - Efeito da camada F - Miniatura da camada
  45. 45. 50 Atividades Observe a imagem abaixo e responda as questões abaixo: Marque com um X a resposta correta: Existem duas formas básicas Existem três formas básicas Existe uma forma básica Marque com um X a resposta correta. As formas que existem na imagem são: círculo e quadrado As formas que existem na imagem são: círculo e reta As formas que existem na imagem são: círculo e retângulo As formas que existem na imagem são: círculo e triângulo Quantas camadas você consegue identificar que foram utilizadas nesta imagem? Olhando as cores da imagem identificamos quantas cores primárias? E quais são elas? Olhando a imagem conseguimos identificar quantas cores no total? Quais são elas? 1 2 3 4 5
  46. 46. 51 Atividades Observando a imagem, assinale a resposta correta: As cores são primárias As cores são análogas As cores são intermediárias As cores são secundárias Reproduza a imagem acima no Photoshop. 6 7 Anotações
  47. 47. Editoração de imagem e montagens Aula 6 • O que é editoração de imagem? • O que é montagem? • Níveis de claridade em uma imagem
  48. 48. 53 O que é editoração de imagem? Muitas vezes uma imagem capturada por uma câmera não representa o que os olhos do fotógrafo capturaram no mesmo momento, seja por uma luz ou por uma cor, que para o fotógrafo estejam faltando ou em demasia. A edição de uma imagem sempre existiu junto com a fotografia, para escurecer ou clarear uma imagem. Hoje em dia a edição de imagem se tornou muito mais fácil com a utilização de softwares que auxiliam nessa tarefa. Figura 1 - Imagem do Neymar com edição de imagem, à esquerda a imagem original, e à direita a imagem após a edição. Muitos designers e fotógrafos utilizam a edição de imagens para realizar correções em determinadas áreas ou até mesmo em uma imagem completa. Isso se dá pelo perfeccionismo desses profissionais ou até mesmo pelo perfeccionismo de seus clientes, pois a imagem precisa retratar a ideia e não a realidade. Editar uma imagem é realizar a alteração, ou seja, o manuseio de seus pixels com o objetivo de um uso determinado para aquela imagem, podendo ser realizada a inclusão de uma pequena área
  49. 49. 54 ou até mesmo a exclusão de uma pequena área. As imagens exibidas nesta aula são exemplos de uma edição de imagem. Figura 2 - Foto da Juliana Paes com edição de imagem, à esquerda imagem original e à direita imagem após a edição. O que é montagem? Montagem de fotos é a combinação de vários elementos para realizar uma composição. Uma montagem pode ser uma combinação de formas básicas, imagens, textos, efeitos de luzes, texturas. Figura 3 - Montagem incluindo imagem na televisão.
  50. 50. 55 A montagem pode ser feita com vários intuitos, desde a satirizarão de uma imagem como um trabalho gráfico composto. Figura 4 - Imagem satírica. Níveis de claridade em uma imagem Quando uma fotografia fica pronta em alguns casos é necessário mudar o balanço de branco, que nada mais é que o processo de remoção de cores não reais, ou seja, tornar branco os objetos que aos nossos olhos parecem brancos. Figura 5 - À esquerda, imagem com balanço de branco incorreto, à direita imagem com balanço de branco ajustado. Para que o balanço de branco seja eficiente, deve-se levar em consideração a “temperatura das cores” (cores quentes e frias). Quando o balanço de branco está incorreto gera cores com tonalidades verdes, azuis ou alaranjadas.
  51. 51. 56 Figura 6 - No centro imagem com balanço de cores ajustados. Em alguns casos podemos ter imagens com luz mista, onde pode haver uma área com luz artificial e uma área com luz natural. Para o balanço de branco nessas ocasiões deve-se depender de onde você deseja ter a fidelidade da cor. Ambas as imagens provocam diferentes sensações, isso deve ser a busca para o retoque da imagem, para que o balanço de branco seja perfeito, a sensação que queremos provocar nas pessoas deve ser provocada. Figura 7 - Luz fidelizando o balanço de branco da luz natural da lua. Desse modo dá a impressão de que o prédio é mais quente e o céu é mais frio. Figura 8 - Luz do prédio foi considerada a principal para o balanço de branco. Desse modo a impressão que se tem é de uma imagem fria com um céu mais frio.
  52. 52. 57 Atividades Indique V para as afirmações verdadeiras e F para as afirmações falsas: A edição de imagem serve para realizar correções em determinadas áreas ou até mesmo em uma imagem completa. Quando uma fotografia fica pronta você nunca precisará mudar o balanço de branco, pois sempre sai de forma perfeita. Montagem de fotos é a combinação de vários elementos para realizar uma composição. Editar uma imagem é realizar a alteração, ou seja, é você deixá-la como está e somente editar o nome. Procure uma imagem na internet que o balanço de branco não esteja em boas condições, altere até que esteja de forma aceitável, como nos exemplos exibidos nessa aula. Observe as imagens abaixo e realize montagens e edições parecidas: Na fotografia A, a imagem da mulher foi posta na televisão, portanto você deve procurar uma imagem de uma televisão e colocar a cena de um filme como se ela estivesse ligada. Na fotografia B, as espinhas foram apagadas, a pele e o sorriso foram clareados, e o cabelo foi alterado, encontre uma imagem na internet que precise de retoques e deixe mais atraente. Como exemplo e inspiração veja a fotografia C. Fotografia A 1 2 3
  53. 53. 58 Atividades Fotografia B Fotografia C
  54. 54. 59 Atividades Jogo dos 5 erros Ache as 5 diferenças entre as imagens abaixo: Agora é a sua vez, crie sua imagem com 5 diferenças e divulgue no Facebook, incentive seus amigos a tentarem achar as diferenças que você criou. 4
  55. 55. Textos e Imagens Aula 7 • O que são textos? • Harmonia entre textos e imagens • O que são máscaras? • Como utilizar uma máscara?
  56. 56. 61 O que são textos? Segundo o site significados.com.br, “texto é o conjunto de palavras e frases encadeadas que permitem interpretação e transmite uma mensagem”. De forma geral, textos são manifestações gráficas e linguísticas das ideias do autor, que serão interpretadas por um leitor de acordo com seus conhecimentos culturais e linguísticos. Quando falamos de textos nas ilustrações, esta é a matéria escrita que cria a oposição com os desenhos e formas. Sendo possível codificar um texto formando códigos que impedem sua leitura.¹ Figura 1 - Capas de revistas são ótimos exemplos de como os textos e figuras gráficas podem compor uma imagem. Um texto pode ter o tamanho e a fonte variados, ou seja, um texto pode ser escrito com uma determinada letra em um tamanho de 12 pontos, enquanto que outro pode ser escrito com outra fonte totalmente diferente com um tamanho de 24 pontos. Existem dois tipos de textos, os literários que são os poemas, os romances, as novelas. E os não-literários. Este segundo possui um caráter informativo, ele busca explicar ao leitor determinada informação, como exemplos têm os noticiários, as reportagens em revistas e jornais, textos científicos e de livros didáticos. ¹ O ato de codificar um texto transformando-o ilegível tem o nome de criptografia.
  57. 57. 62 Harmonia entre textos e imagens “Para que serve um livro sem figuras nem diálogos?”, perguntou-se Alice, entediada, pouco antes de decidir seguir o Coelho Branco até o País das Maravilhas. (Alice no país das maravilhas, Lewis Carroll ,1865). Com essas palavras nos perguntamos: “para que servem propagandas sem imagens? ”. A importância da ilustração em projetos gráficos e literários se faz para um apoio de aprendizagem e entendimento rápido de uma determinada informação, a ilustração consegue atingir um dos três estilos de aprendizagem: o visual. Não é fácil incorporar um texto a uma imagem sem que haja um contraste distinto entre os elementos que causam o incômodo visual, a esse efeito damos o nome de poluição visual. Figura 2 - Exemplo de propagando com muitas imagens e textos, criando um efeito visualmente incômodo. Para que esse efeito visual incômodo seja quebrado, precisamos utilizar de técnicas que relacionam escalas tonais ou texturas, ou ainda o alinhamento das imagens com o texto afim de criar uma conexão visual entre elas. Figura 3 - Ambas as imagens fazem referência ao mesmo anúncio, a única diferença é que o texto foi disposto de forma diferente, seguindo o alinhamento da imagem.
  58. 58. 63 Uma regra básica é que o texto deve completar a imagem em um todo harmônico, uma técnica é fazer essa harmonia pela interação quase ativa das letras com a imagem, assim como há nas imagens acima. Repare que partes do corpo quase entrelaçam com algumas letras. O texto faz parte da imagem e sem ele parece que a modelo cairia, dando a impressão de funcionar como suporte. Os elementos se atravessam criando um espaço com planos e profundidades inseparáveis. Nessa técnica o contraste dos elementos é muito bem utilizado, agregando interesse à peça.² Figura 4 - Outra forma de mesclar imagem com texto, nesse exemplo o texto simplesmente segue o mesmo alinhamento da imagem, mas não se mistura à imagem principal. O que são máscaras? A máscara no Photoshop é uma ferramenta muito importante e interessante para criar composições de imagens ricas, elas servem para isolar e proteger uma área de uma imagem, além disso, ela permite que você utilize efeitos, filtros, mudanças de cor. Ela funciona como uma película protetora que é colocada sobre a camada que se pretende trabalhar. Ela permite que você faça a aplicação de filtros e texturas e visualize como sua imagem irá ficar caso você decida aplicar a máscara na imagem. Figura 5 - Imagem ilustrativa de como funciona uma máscara, ela é posta por cima da imagem, todas as alterações são feitas na máscara e após visualizar as alterações elas podem ou não serem aplicadas à imagem. ² NA: Como curiosidade, a ilustradora e designer Tricia Kleinot consegue um ótimo resultado com textos mesclados nas imagens
  59. 59. 64 Como utilizar uma máscara Abra a imagem que você gostaria de editar no Photoshop, repare que na janela de camadas no canto inferior esquerdo da sua tela há o botão de camadas conforme mostra a imagem A. Uma máscara foi adicionada a sua camada. Ela estará vinculada a esta parte da sua imagem, a não ser que você clique no ícone das correntes para desvinculá-las, como mostra a imagem B. Agora que a sua máscara já está criada, é hora de decidir o que você quer fazer com ela. Selecione a camada que tem a máscara inserida e clique no botão da ferramenta Marcação Elíptica ou Eliptical Marquee Tool (imagem A). Faça um contorno na área que deseja alterar (imagem B). Com a ferramenta Gradiente ou Gradient Tool (imagem A), faça o efeito que você gostaria de colocar em sua máscara (imagem B). Figura 6 - Imagem B Figura 7 - Imagem A Figura 8 - Imagem A Figura 9 - Imagem B
  60. 60. 65 Após na janela de camadas, clique em cima da camada com a sua imagem principal (imagem A) utilize o atalho Ctrl + d para que a área selecionada deixe de estar selecionada e aprecie seu resultado (imagem B). Este somente foi um exemplo de como utilizar a ferramenta máscara para realizar vários trabalhos, um exemplo é a montagem abaixo, onde ambas araras pertenciam a outra imagem. Figura 14 - Exemplo de montagem utilizando máscara. Figura 10 - Imagem A Figura 11 - Imagem B Figura 12 - Imagem A Figura 13 - Imagem B
  61. 61. 66 Atividades Observe a imagem abaixo e utilizando as técnicas apresentadas nessa aula crie uma montagem parecida. Marque um X na resposta correta. O que são máscaras e para que são utilizadas? Mascara é uma ferramenta muito importante e interessante para criar composições de imagens ricas e servem para auxiliar na alteração do tamanho da imagem. Máscara é uma ferramenta muito importante e interessante para criar composições de imagens ricas, elas servem para isolar e proteger uma área de uma imagem. Máscara é um filtro muito importante, talvez o mais importante do Photoshop, ele serve para criar composições de imagens ricas e para isolar e proteger uma área de uma imagem. Nenhuma das respostas acima. Crie uma imagem onde elementos textuais e imagens estejam presentes. Cuide para que seu trabalho mantenha a harmonia entre textos e imagens. 1 2 3
  62. 62. 67 Anotações
  63. 63. Texturas e Formas Aula 8 • O que são texturas? • Texturas naturais • Textura gráfica • Formas básicas
  64. 64. 69 O que são texturas? Texturas são os elementos visuais que podem substituir o tato. O ser humano é capaz de reconhecer uma textura tanto pelo tato quanto pela visão, ou por ambos. Algumas texturas não apresentam qualidades táteis, ou seja, não se identificam pelo tato, somente pela visão. Podemos entender que a textura é a “pele” de uma forma, pois será a união dela com a forma que poderemos identificar um objeto mais facilmente. Quando tocamos um objeto sentimos sua superfície e por ela conseguimos identificar se é rugosa, lisa, macia, áspera ou ondulada. As texturas podem estar dentro de 4 categorias: Natural, Artificial, Óptica ou Tátil. Essas categorias podem estar isoladas ou em combinação. As texturas podem ser classificadas em Texturas Naturais ou Texturas Gráficas. Texturas Naturais A textura natural é aquela que resulta da intervenção natural do meio ambiente ou que forma o aspecto exterior dos elementos existentes na natureza, como: tronco de árvore, folhas, rochas. Figura 34 - Essa textura é visual, tátil, natural (pelas pedras). Figura 35 - Exemplo de textura natural.
  65. 65. 70 Textura gráfica As texturas gráficas são conhecidas como texturas artificiais, e elas podem ser criadas a partir do uso de diversos materiais, como: gesso, pincéis, massa corrida, grafite, softwares gráficos. Figura 36 - Texturas artificiais. À esquerda textura simulando madeira, ao centro textura de ladrilhos e à direita textura simulando pedra. Para que as texturas existam, utilizar os seguintes processos: fricção, decalque, impressão, entre outros. Quando vemos uma superfície diferente de outra podemos dizer que utilizam texturas diferentes, sendo assim, uma explicação técnica é dizer que textura gráfica é formada pela linha e volume que sensibiliza uma superfície deixando mar cas nessa superfície. Para criar uma textura utilizamos pontos, linhas, formas repetidas. Formas básicas A linguagem visual através dos elementos gráficos pode se decompor em algumas entidades básicas, onde cada uma tem um significado próprio, enquanto que unidas essas formas podem formar elementos comunicativos. Formas básicas do design gráfico: ponto, linha, contorno. Cada uma delas possui um conjunto de características próprias, entre as quais se destacam: Forma: definida por disposição geométrica. Vários pontos próximos formam uma linha, várias linhas juntas formam um objeto real ou imaginário. Figura 37 - textura formada por pontos, linhas e formas.
  66. 66. 71 Figura 38 - formas básicas, linhas, pontos, quadrado, círculo, triângulo, hexágono. Direção: a projeção plana ou espacial de uma forma sendo a continuação imaginária dela mesmo depois de sua finalização física. Pode ser horizontal, vertical ou inclinada em diferentes graus. Figura 39 - Representação de direção que um elemento pode ser criado. Cor: pode imprimir um forte caráter e dinamismo aos elementos aos que se aplica. Toda forma terá em geral duas cores diferentes, o de seu contorno e o de sua parte interna, podendo se aplicar tanto cores puras como degrades de cores. Figura 40 - Representação de cor dos objetos. Escala: Os diferentes tamanhos das diferentes formas modificam e definem as propriedades de cada uma delas. Figura 41 - Representação de escala dos objetos, havendo vários círculos com tamanhos diferenciados.
  67. 67. 72 Dimensão: capacidade tridimensional de um elemento. A dimensão só existe no espaço real tridimensional, porém se pode simular em uma composição gráfica plana mediante técnicas de perspectiva, sombreado ou sobreposição. Figura 42 - Representação de dimensões, conseguida por efeito de luz e sombreamento. Movimento: passa a ideia de dinamismo e força. Nas obras gráficas puras não existe movimento real, porém encontra-se implícito em certos elementos e se pode conseguir com certas técnicas que enganam ao olho humano (design cinético, pintura cinética) ou representando elementos que realmente existem no mundo real. Figura 43 - Representação de movimento.
  68. 68. 73 Atividades Utilizando a propriedade Layer Style ou Estilo da Camada crie imagens com sombreamento e com textura personalizada. Observe as imagens abaixo. Crie uma montagem utilizando imagens, formas, texturas, e outros elementos gráficos. 1 2
  69. 69. Clonagem, Restauração, Colorir, Filtros Aula 9 • O que é a clonagem em uma imagem? • O que é uma restauração em uma imagem? • Por que colorir uma imagem? • O que são os filtros?
  70. 70. 75 O que é a clonagem em uma imagem? Quando desejamos uniformizar uma área em uma imagem, ou seja, quando precisamos duplicar uma área em uma imagem para deixá-la única, utilizamos uma técnica que atualmente se transformou em uma ferramenta nos programas de edição de imagem como o gimp ou o Photoshop: a clonagem. Essa técnica nos ajuda a chegar ao objetivo de deixar uma imagem com áreas clonadas para esconder ou inserir um elemento em uma imagem. A clonagem em uma imagem não é perfeita, pois um pixel em uma grande área pode não ser igual ao outro, o que causa uma leve diferença na cor ou textura de uma imagem, que para nós pode passar despercebida. Figura 1 - Imagem manipulada no Photoshop para retirar as espinhas. Essa técnica é ampla utilizada quando desejamos realizar montagens em duplicidade ou correções de falhas na pele, como um exemplo a remoção de espinhas. Figura 2 - Ferramenta clone utilizada para retirar a mulher da imagem e deixar somente o cascalho.
  71. 71. 76 O que é uma restauração em uma imagem? Fotos impressas tendem a sofrer os efeitos do tempo, podem ser amassadas por alguém descuidado, podem ficar amareladas, manchadas ou cheias de riscos. Perder essas fotos, para algumas pessoas, significa perder lembranças e ficar com a fotografia estragada também não é uma opção agradável. Para corrigir essa ação do tempo podemos restaurar uma fotografia. Figura 3 - imagem restaurada no Photoshop, retirado os sinais do tempo como amarelado, riscos e marcas de dobraduras na imagem. O processo de restauração ao contrário do que parece, necessita de uma sensibilidade por parte do designer que irá realizar essa função, pois além de conhecer o programa a ser utilizado ele precisa ter um conhecimento de cores e luz para poder equilibrar a restauração e dar o senso estético que a imagem necessita. Por que colorir uma imagem? Em alguns momentos as imagens em preto e branco começam a despertar a curiosidade de como seriam coloridas, e não somente isso, mas em alguns casos as imagens precisam ser retocadas ou alteradas a tonalidade de determinada área para um trabalho em específico. Figura 4 - fotografia antiga foi inteiramente colorida. A arte de colorir uma fotografia é muito delicada, pois é necessário o conhecimento de sombra e luz nas cores, para que não fique esteticamente feia ou com a aparência de sobrecarregada.
  72. 72. 77 O que são os filtros? Os filtros são o conjunto de técnicas compactadas em uma ferramenta diferente para cada técnica, a isso damos o nome de filtro. É possível utilizar os filtros para retocar, limpar, aplicar efeitos artísticos, efeitos de iluminação ou distorção em uma determinada imagem ou até mesmo simular uma textura natural. Os filtros podem ser utilizados em várias imagens com exceção do modo index color ou bitmap. Alguns tipos de filtros nativos do Photoshop: • Artistic (Artísticos): Simulam efeitos de tipo de material utilizado para criar a pintura. Figura 5 - à esquerda a imagem original, à direita a imagem com o filtro simulando traços de giz pastel. • Blur (Desfoque): Simulam efeitos de desfoque da imagem. Figura 6 - à esquerda a imagem original, à direita o filtro de Desfoque • Distort (Distorção): Aplica efeitos de distorção de imagem, como se a imagem estivesse sendo visualizada através de um vidro por exemplo. Figura 7 - filtro distorcer utilizado na imagem
  73. 73. 78 • Noise (Ruído): Adiciona interferência na imagem. Figura 8 - da direita para a esquerda: foto original, fotografia com baixa quantia de granulação, fotografia com alta quantia de granulação. • Pixelate (Pixelar): Altera os pixels da imagem, agrupando-os em células maiores por cor, criando efeitos de recortes poligonais. Figura 9 - à esquerda, imagem original. À direita, imagem com o filtro. • Sharpen (Foco): Melhora o foco de imagens sem foco. Figura 10 - à esquerda imagem original. à direita, imagem com o filtro. • Digimarc: Aplica marca d’água para garantir o Copyright da imagem.
  74. 74. 79 Atividades Encontre uma imagem em preto e branco e faça a colorização dela. Após colorir sua imagem aplique alguns filtros, para deixá-la mais atual ou com um aspecto de pintura. Encontre uma imagem antiga na internet ou em casa e faça a restauração. Mostre o resultado para seu professor. 1 2 3 DesaFio
  75. 75. Fotografia Aula 10 • O que é fotografia? • Dicas de máquinas fotográficas • Dicas para fotografias de celulares
  76. 76. 81 O que é a fotografia? Fotografia significa desenhar com a luz e contraste, do grego fotos – luz e grafis – estilo, pincel. A fotografia é a criação de imagens por exposição à luz, fixando-as em uma superfície sensível. A primeira fotografia reconhecida foi produzida pelo francês Joseph Nicéphore Niépce, em 1826, onde ele produziu a imagem com uma câmera deixando exposta durante oito horas no sol, nessa câmera estava uma placa de estanho coberta com um material fotossensível derivado do petróleo chamado Betume da Judéia. Esse processo foi chamado de “heliografia”. A fotografia digital mudou paradigmas do mundo da fotografia, onde antes era necessário um rolo de filme para registrar os momentos, hoje não se faz mais necessário. Custos foram minimizados, etapas reduzidas, processos acelerados. Nos processos fotográficos temos: • Fotografia preto e branco (PB): fotografias que ficam somente na tonalidade preto e branco, utilizam menos sombra e luz; Figura 1 - fotografia em PB (Preto e Branco) • Fotografia meio tom: fotografias que conseguem manter-se entre PB e colorido, atualmente os mais conhecidos são os tons de sépia ou os tons de cinza utilizando sombra e luz; Figura 2 - Fotografia em meio tom, para olhos bem treinados algumas cores se fazem presente.
  77. 77. 82 • Fotografia colorida: refere-se a uma imagem que pode ser sensibilizada pelas cores RGB; Figura 3- Fotografia Colorida • Fotografia panorâmica: refere-se a uma vista inteira de uma área circunvizinha. Figura 4 - Fotografia Panorâmica Dicas de máquinas fotográficas Quando se fala em Photoshop, geralmente estamos falando de fotografias, e fotografias são obtidas com câmeras fotográficas. Atualmente as câmeras fotográficas estão cada dia melhores e mais baratas, podendo variar de uma simples câmera de celular até uma câmera para fotografias profissionais. Para que você possa saber qual a melhor câmera para você, primeiramente devemos entender para qual objetivo ela será utilizada, antes de comprar uma câmera pense para qual finalidade você a quer: somente para tirar fotos dos momentos e postar no Facebook? Para tirar fotos dos momentos em família em vários ambientes, ou você pretende trabalhar com fotografias? As câmeras fotográficas podem variar de R$169,00 (cento e sessenta e nove reais) até R$30.000,00 (trinta mil reais). Dica 1: Para quem quer tirar fotografias dos momentos e postar no Facebook: Celulares com câmera são as melhores opções, afinal de contas você poderá levá-lo para onde você vai, mesmo que a intenção não é a impressão da imagem, mas sim registrar o momento
  78. 78. 83 e mostrá-lo na sua rede social favorita. Figura 5 - Celulares com câmera é o mais comum, e muitos estão evoluindo trazendo mais megapixel às imagens capturadas. Existem modelos de celulares e câmeras compactas que oferecem alta resolução na fotografia tirada. Dica2–Paraquemquerfotografarmomentosemfamíliaeatémesmofazeraimpressão dessas imagens. As câmeras compactas hoje em dia são muito completas, possuem zoom óptico e zoom digital, função macro para fotografias próximas ao objeto, além de possuírem uma série de filtros para ajudar na hora de fotografar, tem câmera que previne olhos vermelhos, câmera com estabilizador óptico (diminui o tremor natural das mãos evitando assim fotografias tremidas), câmera que trava o flash quando identifica luz suficiente, enfim, essas câmeras compactas hoje são uma grande ajuda para quem somente quer fotografar os momentos mais importantes e guardá-los seja de forma impressa ou de forma digital. Figura 6 - câmeras compactas, hoje existem uma variedade de modelos no mercado. As câmeras compactas em sua grande maioria garantem fotografias de qualidade de 300 dpis para impressão.
  79. 79. 84 Figura 7 -Molduras mostrando o tamanho de fotografias de câmeras compactas até 14 megapixels - 15x20cm e 24x30cm. Dica 3 – Para quem pretende trabalhar com fotografia As famosas câmeras SLRs (Single Lens Reflex) que são as semiprofissionais e as profissionais são mais recomendadas para quem procura trabalhar com fotografia ou tenha grande paixão por esse hobbie e esteja disposto a desembolsar grandes quantias em dinheiro. Os kits para essas câmeras podem variar de R$3.000,00 (três mil reais) até R$30.000,00 (trinta mil reais). Pois para uma melhor qualidade da fotografia se faz necessário um kit muito bom e o kit se forma por: câmera, lentes, flash. A diferença entre uma câmera compacta e uma SLR é o poder de troca de lentes, podendo assim nas SLRs colocar lentes especiais para conseguir mais zoom do que é oferecido pela câmera e conseguir assim uma maior proximidade de uma determinada cena enquanto que nas compactas isso não é possível. Dica 4 – Atenção ao zoom óptico e zoom digital. Há uma grande diferença entre o zoom óptico e o zoom digital. Não podemos nos enganar e nem acreditar que um é o mesmo que o outro. O zoom óptico também chamado de zoom real é a aproximação da imagem pela lente. A lente da câmera busca a ampliação. Algumas máquinas compactas oferecem esse recurso, mas não são tão amplos quanto aos das SLRs, que podem ter lentes específicas para essa função. O zoom digital é uma simulação do zoom óptico, ele se dá por um software existente nas câmeras, tanto nas compactas quanto nas SLR, esse software simula a aproximação da imagem, quando na realidade ele está preenchendo a imagem com pixeis próximos aos tom de onde está sendo buscado o zoom. Essa técnica faz com que a imagem perca a qualidade se muito utilizada podendo desfocar uma imagem capturada. Figura 8- Câmera semiprofissional da marca Nikon.
  80. 80. 85 Figura 9 - à esquerda a imagem original, ao centro a imagem com o zoom óptico, à direita a imagem com zoom digital. Dicas para fotografias de celulares Atualmente todo celular possui uma câmera fotográfica embutida, há alguns anos atrás isso era praticamente impensado, era difícil alguém ter um celular quanto mais pensar que o celular poderia tirar fotos que você poderia visualizar no mesmo momento e ainda por cima guardar no próprio aparelho. A tecnologia avança, mas o segredo para tirar uma boa fotografia, seja com o celular, seja com uma câmera profissional, continuam os mesmos. A peça principal para uma boa fotografia está no fotógrafo. Antes de tirar fotografias seja com qual aparelho você esteja: um celular ou uma câmera, antes de tudo você deve conhecer sua ferramenta. Entender como a câmera do celular funciona e estar familiarizado com as limitações da mesma pode lhe render ótimas fotografias. Fora isso alguns aplicativos podem ajudar a melhorar a qualidade da fotografia. A exposição sempre deve ser lembrada, isto é, saber usar a luz que você tem no ambiente é importantíssimo, lembrando que muitos celulares não possuem o flash embutido, então saber se posicionar, utilizar a luz ambiente ou até mesmo criar um ponto de luz pode favorecer sua imagem. Figura 10 - Imagem com ponto de luz muito forte, utilizada somente a luz natural para iluminação. ORIGINAL 10x OPTICAL 10x DIGITAL
  81. 81. 86 A composição da imagem é algo que deve ser reconhecido e você somente irá reconhecer se treinar seu olhar, deixar o celular no nível, ou seja, saber onde está a linha do horizonte, não centralizar sempre o assunto a ser fotografado, usar linhas e curvas convergentes da imagem, saber utilizar as cores que o ambiente proporciona, são técnicas que ajudam a enriquecer suas fotografias. Figura 11 - LH: Linha do horizonte A linha do horizonte é uma linha imaginária que divide a imagem em duas, nos passando assim a noção de profundidade em uma fotografia ou imagem desenhada. Uma regra básica para deixar suas fotografias mais interessantes sem que percamos o foco na linha do horizonte é deixar o assunto principal ocupando o espaço de 2/3 da imagem. Figura 12 - Fotografia após filtro e recorte para que o objeto principal ocupe 2/3 da imagem não nos distraindo com outros elementos da fotografia. CUIDADO com o plano de fundo, postes saindo da cabeça das pessoas, linhas cortando as pessoas ao meio podem arruinar uma fotografia que poderia ter sido a melhor de sua vida. Flash em espelho também podem estragar sua fotografia já que o espelho irá refletir a luz, da mesma forma que flash em ambiente muito iluminado pode criar um efeito esbranquiçado na imagem perdendo assim a identidade da fotografia. O enquadramento das fotografias é um elemento importante, você pode brincar com isso, desde que perceba que a composição ficará interessante. Com isso, podemos então mudar a perspectiva, as imagens não precisam ser sempre na mesma posição.
  82. 82. 87 Fotografias preto e branco pode ser uma boa pedida quando se quer deixar a imagem mais romântica ou nostálgica, utilize acessórios para compor suas fotografias eles podem enriquecer a imagem. Figura 13 - Fotografia tirada pelo celular dos protestos ocorridos em 2013.
  83. 83. 88 Atividades Complete a palavra-cruzada seguindo as dicasao lado: 1
  84. 84. 89 Atividades 2 Horizontal 2. Simulação do zoom óptico, ele se dá por um software existente nas câmeras. 3. Hoje em dia são muito completas, possuem zoom óptico e zoom digital, função macro para fotografias próximas ao objeto e muitos outros filtros. 4. Refere-se a uma imagem que pode ser sensibilizada pelas cores RGB. 6. Mudou paradigma do mundo da fotografia. 8. Fotografias que conseguem manter-se entre PB e colorido. 9. São as semiprofissionais e as profissionais são mais recomendadas para quem procura trabalhar com fotografia. 10. Refere-se a uma vista inteira de uma área circunvizinha. 11. Também chamado de zoom real é a aproximação da imagem pela lente. Vertical 1. Fotografias que ficam somente na tonalidade preto e branco. 5. Luz artificial geralmente embutida nas câmeras fotográficas. 7. Desenhar com a luz. Baixe uma imagem da internet e modifique suas cores para preto e branco e meio tom, verifique se a imagem está com a linha do horizonte bem definida, caso não esteja, utilize as ferramentas disponíveis no Photoshop para enquadrar melhor a linha do horizonte.
  85. 85. Fotografia II Aula 11 • O que é uma composição fotográfica? • Ideias criativas para composições de imagens • Acessórios básicos para fotografia
  86. 86. 91 O que é uma composição fotográfica? A composição fotográfica é o elemento mais importante que um fotógrafo pode ter, é ela que irá diferenciar suas fotografias das de outros profissionais, será a composição fotográfica que carregará sua identidade e sua assinatura. Tecnicamente, a composição fotográfica é o enquadramento do assunto principal na fotografia, tudo que irá compor a fotografia como linha do horizonte, cores, ponto de vista, a disposição do objeto principal e a disposição dos objetos secundários fazem parte da composição fotográfica. Para uma boa composição existem algumas regras que podem ser seguidas, como a regra dos terços que consiste em dividir a imagem em três partes imaginárias tanto verticalmente quanto horizontalmente. Os quatro pontos de intersecção das linhas mostram os pontos adequados para enquadrar o objeto a ser fotografado. Figura 1 - Regra dos terços, os quatro pontos vermelhos indicam a melhor posição para enquadrar o objeto a ser fotografado. Outro ponto muito importante em uma fotografia, mas que se deve ter cuidado ao ser trabalhado são os espaços negativos, grandes espaços que ocupam as fotografias geralmente nas laterais. Esses espaços nos transmitem a sensação de solidão, isolamento ou calma à imagem. Portanto para a utilização dessa técnica é necessário muito cuidado com a mensagem a ser transferida. Figura 2 - Espaço negativo: o objeto principal foi fotografado com um grande espaço negativo ao seu redor, dando a impressão de solidão e grandiosidade da montanha e dos trilhos.
  87. 87. 92 A técnica de frente e fundo é uma técnica amplamente utilizada nos cinemas, ela realça o ponto a ser fotografado, somente deixando em foco o objeto fotografado desfocando qualquer outra área. Figura 3- à esquerda uma imagem demonstrando o desfoque de segundo plano. À direita uma imagem demonstrando um desfoque no primeiro plano dando foco ao objeto de segundo plano. Ideias criativas para composições de imagens Enquadramento em enquadramentos Fazer o enquadramento do objeto em outro enquadramento concentra a atenção de quem irá observar no objeto principal dando profundidade na cena. Figura 4- Enquadramento em enquadramento, nesta cena a sensação que se tem é de observar a paisagem de dentro da casa, tendo como foco principal a cerca.
  88. 88. 93 Composição simétrica A composição simétrica dá a ideia de estabilidade e organização à imagem e aos detalhes. Mostra os elementos com simplicidade, causando uma boa sensação visual. Figura 5 - composição simétrica. Composição radial Nesta composição os objetos se organizam em círculo a partir do meio da imagem. Figura 6 - a imagem se organiza em círculo desde o centro da imagem. Reflexos Algumas superfícies provocam reflexos interessantes, criando assim uma nova imagem. Água, vidro, metal pode provocar esse efeito e ao capturar essa imagem em fotografia você pode estar mostrando um novo foco sobre o assunto causando a curiosidade no observador.
  89. 89. 94 Figura 7 - a imagem apresenta o reflexo da montanha no lago, aguça a curiosidade do espectador e prende sua atenção para a composição. Levitação A fotografia pode ser elevada a outro patamar fazendo o objeto fotografado levitar (quando humana ou animal). Esse efeito pode ser conseguido fazendo o modelo dar um leve pulinho no momento em que a fotografia será registrada ou com um truque de edição no Photoshop. Figura 8 - o efeito de levitação pode ser obtido com um pulo ou neste caso com uma edição no Photoshop. Seja seletivo ou transforme o comum em extraordinário. Simplifique o trabalho e concentre-se em uma cor, a partir daí fotografe somente objetos daquela cor, fotografe vários assuntos utilizando a macro ou o zoom de sua câmera. Outra proposta é selecionar alguns objetos do dia a dia que parecem triviais, e encontrar diferentes maneiras de
  90. 90. 95 representá-los de forma que pareçam quase inexistentes daquela forma. Figura 9 - captura do isqueiro sendo riscado. Acessórios básicos para fotografia Existem alguns acessórios que são básicos para que você possa ter mais segurança na hora de capturar uma fotografia, não que você necessite utilizá-los todas as vezes que for fotografar, mas eles podem lhe ajudar muito. 1 – Baterias extras e carregador Infelizmente as baterias uma hora acabam. Imagine você no seu primeiro dia de viagem sem baterias e querer continuar capturando suas fotografias, pior ainda se você estiver em uma viagem e não tiver posto em sua mala o carregador de sua câmera. 2 – Cartões de memórias extras As máquinas fotográficas guardam as fotografias em um cartão de memória, imagine tirar todas as fotos que você quiser e em um momento o seu cartão de memória está cheio, então você precisa selecionar as fotografias ali. O momento ideal acaba passando e você ficando sem fotografia nenhuma. 3 – Filtro de densidade neutra Quando você vai tirar uma fotografia da natureza principalmente de uma cachoeira você fica exposto a muita luz, e dar o efeito de névoa na água em plena luz do dia fica mais complicado. Para situações como essa você pode colocar um filtro de densidade na frente
  91. 91. 96 da lente da câmera, ele reduz a quantia de luz que chega ao sensor da câmera sem afetar o equilíbrio de cores. Ele pode ser encontrado em qualquer loja de fotografia e o preço varia. DICA: caso você não tenha dinheiro para comprar um filtro de densidade neutra, você pode fazer um com meia-calça branca ou de cor neutra, basta você deixá-la bem esticada em frente à lente da câmera, mas ela precisa estar bem esticada. 4 – Tripés ou monopé Os tripés ajudam a manter a câmera bem alinhada e evitar aquelas fotografias tremidas, em alguns lugares como museus e catedrais os tripés não são muito bem vindos, então você pode usar um monopé, eles podem servir até de bengala. Dica: Para quem está com a grana curta e não consegue comprar um tripé, que tal fazer o seu próprio tripé? Você vai precisar de barbante e um olhal de ¼. Primeiro você precisa prender o olhal na rosca do tripé da sua câmera (geralmente um buraco embaixo da câmera onde você a colocaria no tripé). Depois você amarra o barbante no olhal deixando um comprimento razoável, lembrando que ele precisa estivar até o chão. Em seguida pise no barbante e abra as pernas, você fará parte desse tripé, e puxe a câmera para você, mantenha os braços e os cotovelos bem próximos ao corpo. E pronto você fez o seu próprio tripé.
  92. 92. 97 Atividades Relacione a coluna A com a coluna B: Coluna A A – Regra dos terços B – Frente e Fundo C – Espaços negativos Você já tem bastante conhecimento em Photoshop, crie uma composição dando a impressão que o objeto principal está flutuando. Escolha qualquer uma das ideias apresentadas e crie uma composição dessas imagens: enquadramento em enquadramento, composição radial, reflexo. Tire fotografias dessas composições e apresente em sala de aula. 1 2 3 DesaFio Coluna B Realça o ponto a ser fotografado, somente deixando em foco o objeto fotografado desfocando qualquer outra área. Grandes espaços que ocupam as fotografias geralmente nas laterais. Consisteemdividiraimagememtrêspartesimaginárias tanto verticalmente quanto horizontalmente.
  93. 93. Monocromia Aula 12 • O que são imagens monocromáticas? • 5 Razões para transformar em imagens monocromáticas • Técnicas para monocromia • Fotografias High Key e Low Key
  94. 94. 99 O que são imagens monocromáticas? Monocromia é a radiação produzida por apenas uma cor não necessariamente sendo o preto (ausência de cor) ou o branco (soma de todas as cores). Imagens monocromáticas são conseguidas por apenas uma cor e seus diferentes tons, frequentemente a cor mais utilizada para imagens monocromáticas é o preto, mas pode ser utilizado o marrom para dar a tonalidade sépia. Figura 1 - Imagem monocromática utilizando a cor marrom. As imagens monocromáticas podem ser utilizadas com diferentes razões, criam um efeito antigo em fotografias, uma imagem romântica, assim como auxilia na hora de chamar a atenção de um detalhe, onde somente o detalhe pode ter uma cor diferente enquanto todo o resto fica monocromático. Figura 2 - Imagem monocromática na cor azul utilizada para dar destaque à imagem do homem sentado, imagens que puxam o foco para determinado assunto geralmente provocam reflexões nos observadores.
  95. 95. 100 A monocromia pode ser conseguida através de formas naturais, onde uma determinada incidência de luz cria uma paisagem monocromática ou através do tratamento de imagens. Figura 3 - Imagem monocromática na cor vermelha, imagem natural. 5 Razões para transformar em imagens monocromáticas Segundo a revista Digital Photographer Brasil, Edição 35, ISSN 2177- 5338 existem cinco razões para você transformar uma imagem normal em monocromática, as quais veremos a seguir. Razão 01 – Direcionar o olhar do espectador Ao remover as cores, você oferece ao espectador a chance de se concentrar em aspectos inteiramente diferentes. Razão 02 – Atemporalidade Um retrato em preto e branco tem um visual clássico muito difícil de ser imitado com uma fotografia colorida. Razão 03 – Textura Em vez dos diversos matizes abundantes em uma cena colorida, a gama de texturas é trazida ao primeiro plano. Razão 04 – Controle do contraste Explore um mundo com diferentes níveis de brilho. Na monocromia, os claros e escuros se tornam muito mais evidentes. Razão 05 – Organização das formas
  96. 96. 101 As formas ficam mais aparentes em preto e branco. Você pode usar sombras para criar novas formas dentro da cena. Figura 4 - Imagem monocromática, o que a expressão desse homem lhe passa? Quais as texturas de sua pele, roupas, cabelos? Técnicas para monocromia Na mesma revista referenciada acima algumas técnicas para uma boa foto preto e branco (P/B) são revelados, iremos agora destacar algumas delas. Inicialmente antes de fotografar devemos treinar nosso cérebro a pensar em preto e branco, para que assim possamos dar vida aos retratos, algumas pessoas, dizem que sonham em preto e branco, isso tem uma relação muito forte com o que estamos em contato ou conforme enxergam o mundo, veja o exemplo dos daltônicos severos que somente enxergam o mundo em preto e branco. Para que nossos retratos em P/B tenham sentimento ou vida precisamos começar a pensar em P/B. Figura 5 - Esta imagem representa o começar a pensar em P/B, mostra uma onça bebendo água, e toda a imagem está em P/B.
  97. 97. 102 Uma dica que a revista nos deixa é que retratos P/B são ótimos para modelos masculinos, permitindo a eles adotar um ar distinto de autoridade tranquila, da mesma forma que são ótimas para crianças trazendo a criança para o foco da imagem. Figura 6 - Crianças e homens tem a tendência de ficarem melhores em retratos preto e branco. A técnica do Chiaroscuro, palavra vinda do italiano que se refere à apresentação simultânea de luz e sombra. Ela consiste em mostrar a interação entre as áreas iluminadas e não iluminadas criando uma imagem visualmente agradável, reproduzindo a atmosfera que se esperaria de uma iluminação não elétrica em um ambiente interno. Isso evidencia um aspecto clássico ou vintage de um retrato P/B. Figura 7 - Chiaroscuro, essa técnica pode ser uma das que melhor ajuda a reproduzir cenas dramáticas em P/B.
  98. 98. 103 Canais de cores Vermelho – Quando utilizados os canais de cores vermelhos, os tons de pele ficam mais claros e uniformes. Verde – Quando utilizados os canais de cores verdes, os tons de pele não ficam mais bonitos, em contra partida, para modelos masculinos o efeito produzido por esse canal possa ser mais apropriado. Azul – Quando utilizados os canais de cores azuis, o efeito produzido é o menos agradável de todos, porém se a ideia for deixar em evidência a textura da pele de um modelo mais velho, esse é o canal ideal. Figura 8 - imagem utilizando canais de cores vermelhos. Figura 9 - imagem utilizando canais de cores verdes. Figura 10 - imagem utilizando canais de cores azuis.  
  99. 99. 104 Fotografias High Key e Low Key Fotografias High Key utilizam tons muito claros e possui quase nada de sombras, não confundir com o erro de exposição, elas são claras, pois sua iluminação é bem distribuída, as sombras praticamente não existem e os elementos das fotografias também são de tons claros. Para fazer uma fotografia High Key segue algumas dicas: • Utilizar fundo claro, de preferência branco; • Evitar sombras, principalmente as sombras que não são esfumaçadas; • Alguns detalhes como cabelo, colar, brinco, roupa podem dar o contraste em tons mais escuros; • Usar luz natural ou flash para preencher a luz em todo assunto fotografado; • Cuidado para não estourar a luz e perder detalhes da fotografia; Figura 11 - Imagem em High Key, detalhes mais escuros no fone de ouvidos e olhos. Low Key é o nome do estilo formado por fotografias de tons mais escuros, a Low key é composta principalmente de sombras, nela poucos detalhes são claros, a intenção é dar foco no assunto principal fotografado. Para fazer uma fotografia Low Key deve-se: • Utilizar fundos pretos, escuros ou com pouca iluminação; • Usar luz que contraste com o objeto principal a ser fotografado; • Ao utilizar flash concentrá-lo em poucas partes do assunto fotografado; • Ao utilizar a luz natural, colocar o assunto fotografado na luz e deixar o resto à sombra. Figura 12 - Fotografia em Low-key.
  100. 100. 105 Atividades Utilizando técnicas passadas em sala de aula pesquise na internet uma fotografia e deixe-a monocromática em diferentes tons como o sépia, o azul, o lilás, o preto e branco e o vermelho. Utilizando técnicas passadas em sala de aula, busque uma imagem e deixe um objeto colorido e o resto da imagem monocromática, como mostra o exemplo abaixo. Procure uma imagem na internet e deixe-a High Key e Low Key. 1 2 3 DesaFio
  101. 101. Publicidade Aula 13 • O que é a publicidade? • Tipos de publicidade • Branding • Áreas de Atuação
  102. 102. 107 O que é a publicidade? Genericamente, publicidade significa: tornar público um fato ou uma ideia. A palavra publicidade deriva do latim “publicus”, público em português. A publicidade é parte da técnica de comunicação, nela as empresas e profissionais se dedicam à difusão pública de ideias que são associadas a produtos, serviços, empresas, tendo em vista induzir a população a uma opinião favorável ao objeto central da publicidade. Figura 1 - publicidade do filme do Superman feita em um shopping nos EUA. Cartazes, imagens, música ou textos podem ser utilizados como ferramentas para a publicidade. A publicidade chega ao público alvo através de diversos veículos de comunicação como televisão, revistas, rádio, jornais, outdoor, cinema, internet, cartas, cartazes, etc. Tipos de publicidade As linguagens dos anúncios publicitários adaptam-se ao perfil do público alvo, para chegar a esse fim, os publicitários utilizam muitos recursos da língua portuguesa como: metáforas, prosopopeias, onomatopeias, ambiguidade, gírias, linguagem técnica, variação gráfica das letras, recursos sonoros, ironia, imagens, entre outros recursos. O anúncio publicitário pode ser realizado de forma verbal e não verbal. E nele temos: Finalidade do gênero: persuadir um consumidor a aderir uma ideia ou consumir um determinado
  103. 103. 108 produto criando a necessidade do consumo. Perfil dos interlocutores: este é seu público alvo. Leitor de revista, usuário de internet, ouvinte de rádio. Suporte ou veículo: se seu público alvo é um leitor de revista seu veículo será uma revista. Para que uma campanha de propaganda possa existir alguns elementos devem existir, esses são chamados de peças publicitárias, os mais comuns são: • Jornal, revista, lista telefônica • Encarte • Filme de televisão • Jingle • Outdoor • Letreiro • Folder • Brinde Publicidade Institucional A publicidade institucional tem, como objetivo, favorecer a interação da empresa com o seu público alvo, contribuindo para o seu desenvolvimento relacional com a comunidade onde se insere. Caracterizam-se por argumentações racionais e/ou demonstrações visuais, apoiada, algumas vezes, por testemunhos de pessoas ou personagens reconhecidas, essa prática é conhecida como endorsement.
  104. 104. 109 Figura 2 - Publicidade de uma empresa fornecedora de televisão a cabo utilizando o Homem Aranha. Publicidade Social Este tipo de mensagem visa incitar o público a agir de determinada maneira, influenciando comportamentos e atitudes. De um modo geral, alerta para os problemas da sociedade, protege e incentiva a defesa dos direitos: dos menores, da terceira idade, das minorias e da forma como são tratadas as pessoas, para doenças e promoção de hábitos. Figura 3 - Publicidade contra violência à mulher. Publicidade Persuasiva O papel da publicidade persuasiva consiste em provocar convicções no consumidor através de argumentos racionais ligados ao conhecimento, ou seja, fatos, demonstrações e provas, geralmente
  105. 105. 110 utilizadas em épocas eleitorais e pelos órgãos públicos. Figura 4 - publicidade referente ao tabagismo. Publicidade Emotiva O enfoque deste tipo de mensagem está nos atributos imaginários, sonhos ou emoções agradáveis que tornam uma marca desejável aos olhos dos consumidores, despertando a parte hedonista de cada um. Figura 5 - “Pense Diferente”. Publicidade da Mac, o sonho de ter um Mac ou um IPhone e mostrar que pensa diferente. Publicidade Humorística O humor cria laços de simpatia e simpatia, é quase amor.
  106. 106. 111 É esta simpatia que faz falta a muitas marcas e produtos. É esta simpatia que faz falta a muitos anúncios e campanhas. Os anúncios cômicos não são mais do que uma estratégia de associação de uma marca, um produto ou serviço, à criatividade. A mensagem publicitária, sob a forma humorística, tem a vantagem de ter uma elevada percentagem de recordação e voltar a ser repetida, em contexto social criando virais. Figura 6 - Publicidade da Colgate contra o mal hálito. Branding Branding pode ser considerado como o trabalho de construção e gerenciamento de uma marca junto ao mercado. A construção de uma marca forte para um produto, uma linha de produtos ou serviços é consequência de um relacionamento satisfatório com o mercado-alvo. Quando esta identificação positiva se torna forte o bastante, a marca passa a valer mais do que o próprio produto oferecido. Branding é como é chamado o conjunto de práticas e técnicas que visam a construção e o fortalecimento de uma marca. Objetivo do branding é entre outros aumentarem o valor monetário da marca e assim aumentar o valor da empresa em si. Áreas de Atuação Os profissionais de publicidade podem atuar nas seguintes áreas: • Produção, criação e planejamento publicitário em agências • Marketing • Pesquisa de mercado
  107. 107. 112 • Comunicação digital • Promoção de vendas Salário inicial (média mensal): De R$ 1,2 mil a R$ 1,5 mil. Salário escalão intermediário (média mensal): De R$ 5 mil a R$ 7 mil. Salário no auge (média mensal): Potencialmente alto, superior a R$ 15 mil. Geralmente, a remuneração está ligada ao alcance de resultados. Atividades do início de carreira Assistência às atividades básicas em nível júnior – por exemplo, assistente de gerência ou redator júnior – nas diferentes áreas da publicidade: atendimento, planejamento, criação, mídia (ou gestão de contatos), produção, comercial/vendas, gestão de marcas e/ou de produtos.¹ ¹ As informações foram retiradas do site da IG na área guia de profissões.

×