SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 33
Baixar para ler offline
CINEMA 
PARTE 1 
O INÍCIO DA HISTÓRIA
CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA 
INÍCIO 
• Os Irmãos Lumière apresentaram publicamente os produtos de seu invento 
ao qual chamaram Cinematógrafo. 
• No Salão Grand Café (1895), em Paris. 
• Entre os filmes apresentados: L'Arrivée d'un Train à La Ciotat. 
L'ARRIVÉE D'UN TRAIN À LA CIOTAT (IMAGEM CAPTURADA) 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA 
PRECURSORES 
O cinema nasceu de várias inovações, desde o domínio fotográfico até a 
síntese do movimento utilizando a persistência da visão com a invenção de 
jogos ópticos. Os mais importantes foram: 
• TAUMATRÓPIO (William Fitton) 
• FENACISTOSCÓPIO (Joseph Plateau) 
• ZOOTROPO (Will Horner) 
• PRAXINOSCÓPIO (Émilie Reynaud) 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA 
WILLIAM HENRY FITTON 
• Nasceu em Dublin (1780 - 1861). 
• Geólogo. 
• Ao mudar-se para Londres em 1809, 
estudou medicina e química. 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA 
TAUMATRÓPIO 
• Criado em 1825. 
• Consistia num disco de papelão com 
uma imagem em cada lado é preso 
a dois pedaços de barbante. 
Quando as cordas são torcidas 
rapidamente entre os dedos as 
imagens dos dois lados parecem se 
combinar em uma, graças aos 
princípios da persistência da visão. 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA 
JOSEPH-ANTOINE FERDINAND PLATEAU 
• Nasceu em Bruxelas (1801 - 1883). 
• Doutor em física e matemática em 1829. 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA 
FENACISTOSCÓPIO 
• Criado em 1832. 
• Consistia em dois discos, um com 
pequenas aberturas radiais 
equidistantes, através das quais 
podia-se olhar, e o outro disco 
contendo uma sequência de 
imagens. Quando os dois discos 
giravam na velocidade angular 
correta, a sincronização das 
aberturas com as imagens criavam 
um efeito animado. 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA 
WILLIAM GEORGE HORNER 
• Nasceu em Bristol, Reino Unido (1786 -1837). 
• Matemático. 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA 
ZOOTROPO (ZOOTRÓPIO) 
• Criado em 1834 
• Do grego Zoe = vida + Tropos = giro, 
roda. 
• Composto por um tambor circular com 
pequenas janelas recortadas, através 
das quais o espectador olha para 
desenhos dispostos em tiras. Ao girar, 
o tambor cria uma ilusão de 
movimento aparente. 
RÉPLICA MODERNA DE UM ZOOTROPO VITORIANO 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA 
CHARLES-ÉMILE REYNAUD 
• Francês (1844 - 1918). 
• Responsável pelos primeiros desenhos 
animados projetados. 
• Em outubro 1892, projetou o primeiro filme 
de animação em público no Musée Grévin, 
em Paris. 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA 
PRAXINOSCÓPIO 
• Criado em 1877 
• É um aparelho que projeta em um tela 
imagens desenhadas sobre fitas 
transparentes. 
• Aperfeiçoado com um sistema 
complexo de espelhos que permite 
efeitos de relevo. A multiplicação das 
figuras desenhadas e a adaptação de 
uma lanterna de projeção possibilitam 
a realização de truques que dão a 
ilusão de movimento. 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA 
PRAXINOSCÓPIO 
• Derivado do Zootropo, no local 
das fendas eram colocados 
espelhos que impossibilitavam 
a visualização direta, dando 
uma impressão cintilante nos 
desenhos. Através de um 
complicado sistema de lentes e 
espelhos, a animação era 
projetada em uma tela. 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA 
EADWEARD JAMES MUYBRIDGE 
• Nasceu em Kingston, Inglaterra (1830 – 
1904) 
• Fotógrafo inglês 
• Em 1870 iniciou sua carreira fotográfica 
(paisagens e assuntos arquitetônicos). 
• Fazia experimentos com o uso de 
múltiplas câmeras para captar o 
movimento. 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA 
EADWEARD MUYBRIGDE 
• Em 1876, fez uma experiência: colocou 12 e depois 24 câmeras fotográficas ao 
longo de um hipódromo, tirou várias fotos da passagem de um cavalo. Obteve 
assim a decomposição do movimento em várias fotografias. 
EXPERIÊNCIA DE EADWEARD MUYBRIDGE 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA 
EADWEARD MUYBRIGDE 
EXPERIÊNCIA DE EADWEARD MUYBRIDGE 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA 
EADWEARD MUYBRIGDE 
• Através de um ZOOPRAXISCÓPIO pode recompor o movimento. 
EXPERIÊNCIA DE EADWEARD MUYBRIDGE 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA 
ZOOPRAXISCÓPIO 
• Zoe = ”vida” + Praxis = "exercício da vida humana” + Scópio = “Observar” 
(Dispositivo de Observar a Vida em seu Exercício). 
• Projetava as imagens de forma animada para estudo do movimento. 
• Ao girar uma manivela, um pequeno disco girava intercalando fotografias do 
mesmo objeto, em posições diferentes. 
• Influenciou os estudos de cronofotografia de Étienne-Jules Marey, além de 
todo o desenvolvimento fotográfico e cinematográfico (origem da película 
de celulóide). 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA 
ZOOPRAXISCÓPIO 
PROJETOR (EADWEARD MUYBRIDGE) 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA 
ZOOPRAXISCÓPIO 
EXPERIÊNCIA DE EADWEARD MUYBRIDGE 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA 
ZOOPRAXISCÓPIO 
SIMULAÇÃO DO ZOOPRAXISCÓPIO DE MUYBRIDGE (O MOVIMENTO É CRIADO PELA ROTAÇÃO DO DISCO) 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA 
ZOOPRAXISCÓPIO 
MULHER DESCENDO AS ESCADAS - MUYBRIDGE 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA 
ZOOPRAXISCÓPIO 
ESTUDO DE MOVIMENTO - MUYBRIDGE 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA 
WILLIAM KENNEDY LAURIE DICKSON 
• Nasceu em Le Minihic-sur-Rance, 
Bretanha - França (1860 - 1935). 
• Chefe engenheiro da Edison 
Laboratories, inventou uma tira de 
celulóide contendo uma sequência 
de imagens que seria a base para 
fotografia e projeção de imagens 
em movimento. 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA 
THOMAS ALVA EDISON 
• Nasceu em Milan, Ohio (1847 - 1931) 
• Empresário estadounidense. 
• Em vida registrou 2.332 patentes. 
• Entre as suas contribuições mais 
universais para o desenvolvimento 
tecnológico e científico encontra-se a 
lâmpada elétrica incandescente, o 
gramofone, o cinescópio ou 
cinetoscópio, o ditafone e o microfone 
de grânulos de carvão para o telefone. 
• Teve papel determinante na indústria 
do cinema. 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA 
CINETÓGRAFO 
• Criado em 1888. 
• Destinava-se a registar as imagens animadas (nickelodeons). 
• O processo filmográfico consistia em duas etapas: após o registro das 
imagens ser feito pelo cinetógrafo, a sequência de imagens era visualizada 
através de um óculo dentro de um caixote de madeira (cinetoscópio ou 
cinescópio). 
CINETÓGRAFO - 1894 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA 
HISTÓRIA 
• Baseado na invenção de Thomas Edison, Auguste e Louis Lumière 
inventaram o cinematógrafo, um aparelho portátil que consistia num 
aparelho três em um (máquina de filmar, de revelar e projetar). 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA 
IRMÃOS LUMIÈRE 
www.mauriciomallet.com 
! 
• Auguste Marie Louis Nicholas 
Lumière (Besançon,1862 -1954) e 
Louis Jean Lumière (Besançon, 
1864 - 1948), foram os inventores 
do cinematógrafo sendo 
frequentemente referidos como 
os pais do cinema.
CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA 
IRMÃOS LUMIÈRE 
• Eram filhos e colaboradores do industrial Antoine Lumière (fotógrafo e 
fabricante de películas fotográficas, proprietário da Fábrica Lumière - Usine 
Lumière), instalada na cidade francesa de Lyon. 
• Em 1892 assumem a fábrica do pai. 
• São considerados os inventores da Sétima Arte junto com Georges Méliès, 
também francês (visto como o pai do cinema de ficção). 
• Dedicavam-se a atividade cinematográfica produzindo alguns 
documentários curtos, destinados à promoção do invento, embora 
acreditassem que o cinematógrafo fosse apenas um instrumento científico 
sem futuro comercial. 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA 
CINEMATÓGRAFO 
• O cinematógrafo era uma máquina de filmar e projetor de cinema. 
• Invento criado por Léon Bouly no ano de 1892 que perdeu a patente. Em 
1895, os irmãos Lumière registraram a patente novamente. 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA 
PROJEÇÃO 
• A primeira projeção pública de apresentação do invento ocorreu a 28 de 
Dezembro de 1895 na primeira sala de cinema do mundo, o Eden, situado 
em La Ciotat, no sudeste da França. 
• A verdadeira divulgação (publicidade e ingressos pagos) do cinematógrafo 
foi em Paris, no Grand Café, situado no Boulevard des Capucines. O 
programa incluía dez filmes. A sessão foi inaugurada com a projecção de La 
Sortie de l'usine Lumière à Lyon (A Saída da Fábrica Lumière em Lyon). 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA 
PROJEÇÃO 
"LE SORTIE DE L'USINE LUMIÈRE À LYON” - IRMÃOS LUMIÈRE 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA 
PROJEÇÃO 
• Em 1896, os irmãos Lumière fizeram uma digressão com o cinematógrafo. 
Visitaram Bombaim, Londres e Nova Iorque. 
• As imagens em movimento tiveram uma forte influência na cultura popular 
da época, entre elas estão: 
• L'Arrivée d'un train en gare de la Ciotat (Chegada de um Comboio à Estação 
da Ciotat); 
• Le Déjeuner de Bébé (O Almoço do Bebé); 
• L'Arroseur Arrosé (O "Regador" Regado). 
www.mauriciomallet.com
www.mauriciomallet.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Op art
Op artOp art
Op art
 
História do cinema blog
História do cinema blogHistória do cinema blog
História do cinema blog
 
Breve historia-da-fotografia
 Breve historia-da-fotografia Breve historia-da-fotografia
Breve historia-da-fotografia
 
A história da fotografia
A história da fotografiaA história da fotografia
A história da fotografia
 
Fotografia - Técnica e Arte
Fotografia - Técnica e ArteFotografia - Técnica e Arte
Fotografia - Técnica e Arte
 
Introdução à fotografia, cinema e design
Introdução à fotografia, cinema e designIntrodução à fotografia, cinema e design
Introdução à fotografia, cinema e design
 
Fauvismo
FauvismoFauvismo
Fauvismo
 
Evolução do Cinema
Evolução do CinemaEvolução do Cinema
Evolução do Cinema
 
A arte da fotografia
A arte da fotografiaA arte da fotografia
A arte da fotografia
 
A HistóRia Da Fotografia
A HistóRia Da FotografiaA HistóRia Da Fotografia
A HistóRia Da Fotografia
 
Dadaísmo
DadaísmoDadaísmo
Dadaísmo
 
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea
 
Expressionismo
Expressionismo Expressionismo
Expressionismo
 
CAP 3. Cinema e o registro do movimento 2021.pptx
CAP 3. Cinema e o registro do movimento 2021.pptxCAP 3. Cinema e o registro do movimento 2021.pptx
CAP 3. Cinema e o registro do movimento 2021.pptx
 
Graffiti
GraffitiGraffiti
Graffiti
 
A Era do Cinema mudo
A Era do Cinema mudoA Era do Cinema mudo
A Era do Cinema mudo
 
Abstracionismo
AbstracionismoAbstracionismo
Abstracionismo
 
Fauvismo
FauvismoFauvismo
Fauvismo
 
Movimento Expressionismo
Movimento ExpressionismoMovimento Expressionismo
Movimento Expressionismo
 
Os vários tipos de teatro
Os vários tipos de teatroOs vários tipos de teatro
Os vários tipos de teatro
 

Destaque

Apresentação Final Sobre Filmes
Apresentação Final Sobre FilmesApresentação Final Sobre Filmes
Apresentação Final Sobre FilmesFilmes
 
Criação de personagens: Arquétipos e Jornada do Herói
Criação de personagens: Arquétipos e Jornada do HeróiCriação de personagens: Arquétipos e Jornada do Herói
Criação de personagens: Arquétipos e Jornada do HeróiKelly Cardoso
 
AULA 2: História da Animação
AULA 2: História da AnimaçãoAULA 2: História da Animação
AULA 2: História da AnimaçãoDra. Camila Hamdan
 
O monomito, Arquétipos e Estereótipos e as 22 Regras de Narrativa da Pixar
O monomito, Arquétipos e Estereótipos e as 22 Regras de Narrativa da PixarO monomito, Arquétipos e Estereótipos e as 22 Regras de Narrativa da Pixar
O monomito, Arquétipos e Estereótipos e as 22 Regras de Narrativa da PixarGuilherme Zaffari
 
Tratamento e Edição de Imagens no Photoshop 01
Tratamento e Edição de Imagens no Photoshop 01Tratamento e Edição de Imagens no Photoshop 01
Tratamento e Edição de Imagens no Photoshop 01Renato Melo
 
Conceitos Básicos da Animação (p.1/3)
Conceitos Básicos da Animação (p.1/3)Conceitos Básicos da Animação (p.1/3)
Conceitos Básicos da Animação (p.1/3)Mauricio Mallet Duprat
 
A jornada do herói mítico
A jornada do herói míticoA jornada do herói mítico
A jornada do herói míticoKaren Soarele
 
Elementos narrativos do cinema - Parte 1 (Planos e enquadramentos)
Elementos narrativos do cinema - Parte 1 (Planos e enquadramentos)Elementos narrativos do cinema - Parte 1 (Planos e enquadramentos)
Elementos narrativos do cinema - Parte 1 (Planos e enquadramentos)Mauricio Mallet Duprat
 

Destaque (13)

Apresentação Final Sobre Filmes
Apresentação Final Sobre FilmesApresentação Final Sobre Filmes
Apresentação Final Sobre Filmes
 
Trabalho cinema
Trabalho  cinemaTrabalho  cinema
Trabalho cinema
 
Criação de personagens: Arquétipos e Jornada do Herói
Criação de personagens: Arquétipos e Jornada do HeróiCriação de personagens: Arquétipos e Jornada do Herói
Criação de personagens: Arquétipos e Jornada do Herói
 
Apostila Photoshop
Apostila Photoshop Apostila Photoshop
Apostila Photoshop
 
Photoshop Básico: Aula 1
Photoshop Básico: Aula 1Photoshop Básico: Aula 1
Photoshop Básico: Aula 1
 
AULA 2: História da Animação
AULA 2: História da AnimaçãoAULA 2: História da Animação
AULA 2: História da Animação
 
O monomito, Arquétipos e Estereótipos e as 22 Regras de Narrativa da Pixar
O monomito, Arquétipos e Estereótipos e as 22 Regras de Narrativa da PixarO monomito, Arquétipos e Estereótipos e as 22 Regras de Narrativa da Pixar
O monomito, Arquétipos e Estereótipos e as 22 Regras de Narrativa da Pixar
 
Tratamento e Edição de Imagens no Photoshop 01
Tratamento e Edição de Imagens no Photoshop 01Tratamento e Edição de Imagens no Photoshop 01
Tratamento e Edição de Imagens no Photoshop 01
 
Conceitos Básicos da Animação (p.1/3)
Conceitos Básicos da Animação (p.1/3)Conceitos Básicos da Animação (p.1/3)
Conceitos Básicos da Animação (p.1/3)
 
A jornada do herói mítico
A jornada do herói míticoA jornada do herói mítico
A jornada do herói mítico
 
Mda e processo_industria
Mda e processo_industriaMda e processo_industria
Mda e processo_industria
 
Arquétipos e Jornada do Herói
Arquétipos e Jornada do HeróiArquétipos e Jornada do Herói
Arquétipos e Jornada do Herói
 
Elementos narrativos do cinema - Parte 1 (Planos e enquadramentos)
Elementos narrativos do cinema - Parte 1 (Planos e enquadramentos)Elementos narrativos do cinema - Parte 1 (Planos e enquadramentos)
Elementos narrativos do cinema - Parte 1 (Planos e enquadramentos)
 

Semelhante a História do cinema desde os precursores até os Irmãos Lumière

Semelhante a História do cinema desde os precursores até os Irmãos Lumière (20)

A origem do cinema
A origem do cinemaA origem do cinema
A origem do cinema
 
Cinema
CinemaCinema
Cinema
 
Fotografia cinematografica
Fotografia cinematograficaFotografia cinematografica
Fotografia cinematografica
 
Eav aula 2 c
Eav aula 2 cEav aula 2 c
Eav aula 2 c
 
Origem cinema
Origem cinemaOrigem cinema
Origem cinema
 
Módulo 1 - CGA
Módulo 1 - CGAMódulo 1 - CGA
Módulo 1 - CGA
 
história_cinema
história_cinemahistória_cinema
história_cinema
 
História do cinema
História do cinemaHistória do cinema
História do cinema
 
1-historia do cinema.pptx
1-historia do cinema.pptx1-historia do cinema.pptx
1-historia do cinema.pptx
 
Irmãos Lumiére - Artes
Irmãos Lumiére - ArtesIrmãos Lumiére - Artes
Irmãos Lumiére - Artes
 
Os irmãos lumiére
Os irmãos lumiéreOs irmãos lumiére
Os irmãos lumiére
 
Irmãos lumière
Irmãos lumière Irmãos lumière
Irmãos lumière
 
Neto a emergencia da fotografia e do cinema
Neto   a emergencia da fotografia e do cinemaNeto   a emergencia da fotografia e do cinema
Neto a emergencia da fotografia e do cinema
 
Cinematografo
CinematografoCinematografo
Cinematografo
 
Irmãos Lumière
Irmãos Lumière Irmãos Lumière
Irmãos Lumière
 
historia-fotografia.ppt
historia-fotografia.ppthistoria-fotografia.ppt
historia-fotografia.ppt
 
Mcs o cinema, c daniel e vero
Mcs   o cinema, c daniel e veroMcs   o cinema, c daniel e vero
Mcs o cinema, c daniel e vero
 
Cinema01
Cinema01Cinema01
Cinema01
 
Precinema
PrecinemaPrecinema
Precinema
 
Direção de Arte e Fotografia no Cinema
Direção de Arte e Fotografia no CinemaDireção de Arte e Fotografia no Cinema
Direção de Arte e Fotografia no Cinema
 

Mais de Mauricio Mallet Duprat

Conceitos Básicos da Animação (p.3/3)
Conceitos Básicos da Animação (p.3/3)Conceitos Básicos da Animação (p.3/3)
Conceitos Básicos da Animação (p.3/3)Mauricio Mallet Duprat
 
Conceitos Básicos da Animação (p.2/3)
Conceitos Básicos da Animação (p.2/3)Conceitos Básicos da Animação (p.2/3)
Conceitos Básicos da Animação (p.2/3)Mauricio Mallet Duprat
 
Elementos narrativos do cinema - Parte 2 (Ângulos e Efeitos Psicológicos)
Elementos narrativos do cinema - Parte 2 (Ângulos e Efeitos Psicológicos)Elementos narrativos do cinema - Parte 2 (Ângulos e Efeitos Psicológicos)
Elementos narrativos do cinema - Parte 2 (Ângulos e Efeitos Psicológicos)Mauricio Mallet Duprat
 
Teoria de Desenho (Textura / Iluminação / Signos)
Teoria de Desenho (Textura / Iluminação / Signos)Teoria de Desenho (Textura / Iluminação / Signos)
Teoria de Desenho (Textura / Iluminação / Signos)Mauricio Mallet Duprat
 
Teoria de Desenho (Plano / Forma / Movimento)
Teoria de Desenho (Plano / Forma / Movimento)Teoria de Desenho (Plano / Forma / Movimento)
Teoria de Desenho (Plano / Forma / Movimento)Mauricio Mallet Duprat
 
História da Arte:: do Pós-Impressionismo ao Minimalismo.
História da Arte:: do Pós-Impressionismo ao Minimalismo.História da Arte:: do Pós-Impressionismo ao Minimalismo.
História da Arte:: do Pós-Impressionismo ao Minimalismo.Mauricio Mallet Duprat
 
História da Arte:: da Pré-história a Roma.
História da Arte:: da Pré-história a Roma.História da Arte:: da Pré-história a Roma.
História da Arte:: da Pré-história a Roma.Mauricio Mallet Duprat
 
História da Arte:: Do realismo ao pós-impressionismo
História da Arte:: Do realismo ao pós-impressionismoHistória da Arte:: Do realismo ao pós-impressionismo
História da Arte:: Do realismo ao pós-impressionismoMauricio Mallet Duprat
 
História da Arte:: Do gótico ao renascimento
História da Arte:: Do gótico ao renascimentoHistória da Arte:: Do gótico ao renascimento
História da Arte:: Do gótico ao renascimentoMauricio Mallet Duprat
 
História da Arte:: do Maneirismo ao Romântismo.
História da Arte:: do Maneirismo ao Romântismo.História da Arte:: do Maneirismo ao Romântismo.
História da Arte:: do Maneirismo ao Romântismo.Mauricio Mallet Duprat
 
Teoria das Cores:: da harmônia a sobreposição transparente.
Teoria das Cores:: da harmônia a sobreposição transparente.Teoria das Cores:: da harmônia a sobreposição transparente.
Teoria das Cores:: da harmônia a sobreposição transparente.Mauricio Mallet Duprat
 
Teoria das Cores: natureza, classificação e características.
Teoria das Cores: natureza, classificação e características.Teoria das Cores: natureza, classificação e características.
Teoria das Cores: natureza, classificação e características.Mauricio Mallet Duprat
 

Mais de Mauricio Mallet Duprat (19)

Sistemas Organizacionais (FOCW)
Sistemas Organizacionais (FOCW)Sistemas Organizacionais (FOCW)
Sistemas Organizacionais (FOCW)
 
Projeto para WEB
Projeto para WEBProjeto para WEB
Projeto para WEB
 
Projeto de Jogos
Projeto de JogosProjeto de Jogos
Projeto de Jogos
 
Conceitos Básicos da Animação (p.3/3)
Conceitos Básicos da Animação (p.3/3)Conceitos Básicos da Animação (p.3/3)
Conceitos Básicos da Animação (p.3/3)
 
Conceitos Básicos da Animação (p.2/3)
Conceitos Básicos da Animação (p.2/3)Conceitos Básicos da Animação (p.2/3)
Conceitos Básicos da Animação (p.2/3)
 
Elementos narrativos do cinema - Parte 2 (Ângulos e Efeitos Psicológicos)
Elementos narrativos do cinema - Parte 2 (Ângulos e Efeitos Psicológicos)Elementos narrativos do cinema - Parte 2 (Ângulos e Efeitos Psicológicos)
Elementos narrativos do cinema - Parte 2 (Ângulos e Efeitos Psicológicos)
 
Proporção Áurea
Proporção ÁureaProporção Áurea
Proporção Áurea
 
Design - O que é?
Design - O que é?Design - O que é?
Design - O que é?
 
Teoria de Desenho (Textura / Iluminação / Signos)
Teoria de Desenho (Textura / Iluminação / Signos)Teoria de Desenho (Textura / Iluminação / Signos)
Teoria de Desenho (Textura / Iluminação / Signos)
 
Design de Animação
Design de AnimaçãoDesign de Animação
Design de Animação
 
Teoria de Desenho (Plano / Forma / Movimento)
Teoria de Desenho (Plano / Forma / Movimento)Teoria de Desenho (Plano / Forma / Movimento)
Teoria de Desenho (Plano / Forma / Movimento)
 
Teoria de Desenho (Ponto e Linha)
Teoria de Desenho (Ponto e Linha)Teoria de Desenho (Ponto e Linha)
Teoria de Desenho (Ponto e Linha)
 
História da Arte:: do Pós-Impressionismo ao Minimalismo.
História da Arte:: do Pós-Impressionismo ao Minimalismo.História da Arte:: do Pós-Impressionismo ao Minimalismo.
História da Arte:: do Pós-Impressionismo ao Minimalismo.
 
História da Arte:: da Pré-história a Roma.
História da Arte:: da Pré-história a Roma.História da Arte:: da Pré-história a Roma.
História da Arte:: da Pré-história a Roma.
 
História da Arte:: Do realismo ao pós-impressionismo
História da Arte:: Do realismo ao pós-impressionismoHistória da Arte:: Do realismo ao pós-impressionismo
História da Arte:: Do realismo ao pós-impressionismo
 
História da Arte:: Do gótico ao renascimento
História da Arte:: Do gótico ao renascimentoHistória da Arte:: Do gótico ao renascimento
História da Arte:: Do gótico ao renascimento
 
História da Arte:: do Maneirismo ao Romântismo.
História da Arte:: do Maneirismo ao Romântismo.História da Arte:: do Maneirismo ao Romântismo.
História da Arte:: do Maneirismo ao Romântismo.
 
Teoria das Cores:: da harmônia a sobreposição transparente.
Teoria das Cores:: da harmônia a sobreposição transparente.Teoria das Cores:: da harmônia a sobreposição transparente.
Teoria das Cores:: da harmônia a sobreposição transparente.
 
Teoria das Cores: natureza, classificação e características.
Teoria das Cores: natureza, classificação e características.Teoria das Cores: natureza, classificação e características.
Teoria das Cores: natureza, classificação e características.
 

Último

Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfRafaela Vieira
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Mary Alvarenga
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesGilbraz Aragão
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfPARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfceajajacu
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOSUM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOSdjgsantos1981
 

Último (20)

Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das Religiões
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfPARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOSUM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
 

História do cinema desde os precursores até os Irmãos Lumière

  • 1. CINEMA PARTE 1 O INÍCIO DA HISTÓRIA
  • 2. CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA INÍCIO • Os Irmãos Lumière apresentaram publicamente os produtos de seu invento ao qual chamaram Cinematógrafo. • No Salão Grand Café (1895), em Paris. • Entre os filmes apresentados: L'Arrivée d'un Train à La Ciotat. L'ARRIVÉE D'UN TRAIN À LA CIOTAT (IMAGEM CAPTURADA) www.mauriciomallet.com
  • 3. CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA PRECURSORES O cinema nasceu de várias inovações, desde o domínio fotográfico até a síntese do movimento utilizando a persistência da visão com a invenção de jogos ópticos. Os mais importantes foram: • TAUMATRÓPIO (William Fitton) • FENACISTOSCÓPIO (Joseph Plateau) • ZOOTROPO (Will Horner) • PRAXINOSCÓPIO (Émilie Reynaud) www.mauriciomallet.com
  • 4. CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA WILLIAM HENRY FITTON • Nasceu em Dublin (1780 - 1861). • Geólogo. • Ao mudar-se para Londres em 1809, estudou medicina e química. www.mauriciomallet.com
  • 5. CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA TAUMATRÓPIO • Criado em 1825. • Consistia num disco de papelão com uma imagem em cada lado é preso a dois pedaços de barbante. Quando as cordas são torcidas rapidamente entre os dedos as imagens dos dois lados parecem se combinar em uma, graças aos princípios da persistência da visão. www.mauriciomallet.com
  • 6. CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA JOSEPH-ANTOINE FERDINAND PLATEAU • Nasceu em Bruxelas (1801 - 1883). • Doutor em física e matemática em 1829. www.mauriciomallet.com
  • 7. CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA FENACISTOSCÓPIO • Criado em 1832. • Consistia em dois discos, um com pequenas aberturas radiais equidistantes, através das quais podia-se olhar, e o outro disco contendo uma sequência de imagens. Quando os dois discos giravam na velocidade angular correta, a sincronização das aberturas com as imagens criavam um efeito animado. www.mauriciomallet.com
  • 8. CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA WILLIAM GEORGE HORNER • Nasceu em Bristol, Reino Unido (1786 -1837). • Matemático. www.mauriciomallet.com
  • 9. CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA ZOOTROPO (ZOOTRÓPIO) • Criado em 1834 • Do grego Zoe = vida + Tropos = giro, roda. • Composto por um tambor circular com pequenas janelas recortadas, através das quais o espectador olha para desenhos dispostos em tiras. Ao girar, o tambor cria uma ilusão de movimento aparente. RÉPLICA MODERNA DE UM ZOOTROPO VITORIANO www.mauriciomallet.com
  • 10. CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA CHARLES-ÉMILE REYNAUD • Francês (1844 - 1918). • Responsável pelos primeiros desenhos animados projetados. • Em outubro 1892, projetou o primeiro filme de animação em público no Musée Grévin, em Paris. www.mauriciomallet.com
  • 11. CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA PRAXINOSCÓPIO • Criado em 1877 • É um aparelho que projeta em um tela imagens desenhadas sobre fitas transparentes. • Aperfeiçoado com um sistema complexo de espelhos que permite efeitos de relevo. A multiplicação das figuras desenhadas e a adaptação de uma lanterna de projeção possibilitam a realização de truques que dão a ilusão de movimento. www.mauriciomallet.com
  • 12. CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA PRAXINOSCÓPIO • Derivado do Zootropo, no local das fendas eram colocados espelhos que impossibilitavam a visualização direta, dando uma impressão cintilante nos desenhos. Através de um complicado sistema de lentes e espelhos, a animação era projetada em uma tela. www.mauriciomallet.com
  • 13. CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA EADWEARD JAMES MUYBRIDGE • Nasceu em Kingston, Inglaterra (1830 – 1904) • Fotógrafo inglês • Em 1870 iniciou sua carreira fotográfica (paisagens e assuntos arquitetônicos). • Fazia experimentos com o uso de múltiplas câmeras para captar o movimento. www.mauriciomallet.com
  • 14. CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA EADWEARD MUYBRIGDE • Em 1876, fez uma experiência: colocou 12 e depois 24 câmeras fotográficas ao longo de um hipódromo, tirou várias fotos da passagem de um cavalo. Obteve assim a decomposição do movimento em várias fotografias. EXPERIÊNCIA DE EADWEARD MUYBRIDGE www.mauriciomallet.com
  • 15. CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA EADWEARD MUYBRIGDE EXPERIÊNCIA DE EADWEARD MUYBRIDGE www.mauriciomallet.com
  • 16. CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA EADWEARD MUYBRIGDE • Através de um ZOOPRAXISCÓPIO pode recompor o movimento. EXPERIÊNCIA DE EADWEARD MUYBRIDGE www.mauriciomallet.com
  • 17. CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA ZOOPRAXISCÓPIO • Zoe = ”vida” + Praxis = "exercício da vida humana” + Scópio = “Observar” (Dispositivo de Observar a Vida em seu Exercício). • Projetava as imagens de forma animada para estudo do movimento. • Ao girar uma manivela, um pequeno disco girava intercalando fotografias do mesmo objeto, em posições diferentes. • Influenciou os estudos de cronofotografia de Étienne-Jules Marey, além de todo o desenvolvimento fotográfico e cinematográfico (origem da película de celulóide). www.mauriciomallet.com
  • 18. CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA ZOOPRAXISCÓPIO PROJETOR (EADWEARD MUYBRIDGE) www.mauriciomallet.com
  • 19. CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA ZOOPRAXISCÓPIO EXPERIÊNCIA DE EADWEARD MUYBRIDGE www.mauriciomallet.com
  • 20. CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA ZOOPRAXISCÓPIO SIMULAÇÃO DO ZOOPRAXISCÓPIO DE MUYBRIDGE (O MOVIMENTO É CRIADO PELA ROTAÇÃO DO DISCO) www.mauriciomallet.com
  • 21. CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA ZOOPRAXISCÓPIO MULHER DESCENDO AS ESCADAS - MUYBRIDGE www.mauriciomallet.com
  • 22. CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA ZOOPRAXISCÓPIO ESTUDO DE MOVIMENTO - MUYBRIDGE www.mauriciomallet.com
  • 23. CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA WILLIAM KENNEDY LAURIE DICKSON • Nasceu em Le Minihic-sur-Rance, Bretanha - França (1860 - 1935). • Chefe engenheiro da Edison Laboratories, inventou uma tira de celulóide contendo uma sequência de imagens que seria a base para fotografia e projeção de imagens em movimento. www.mauriciomallet.com
  • 24. CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA THOMAS ALVA EDISON • Nasceu em Milan, Ohio (1847 - 1931) • Empresário estadounidense. • Em vida registrou 2.332 patentes. • Entre as suas contribuições mais universais para o desenvolvimento tecnológico e científico encontra-se a lâmpada elétrica incandescente, o gramofone, o cinescópio ou cinetoscópio, o ditafone e o microfone de grânulos de carvão para o telefone. • Teve papel determinante na indústria do cinema. www.mauriciomallet.com
  • 25. CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA CINETÓGRAFO • Criado em 1888. • Destinava-se a registar as imagens animadas (nickelodeons). • O processo filmográfico consistia em duas etapas: após o registro das imagens ser feito pelo cinetógrafo, a sequência de imagens era visualizada através de um óculo dentro de um caixote de madeira (cinetoscópio ou cinescópio). CINETÓGRAFO - 1894 www.mauriciomallet.com
  • 26. CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA HISTÓRIA • Baseado na invenção de Thomas Edison, Auguste e Louis Lumière inventaram o cinematógrafo, um aparelho portátil que consistia num aparelho três em um (máquina de filmar, de revelar e projetar). www.mauriciomallet.com
  • 27. CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA IRMÃOS LUMIÈRE www.mauriciomallet.com ! • Auguste Marie Louis Nicholas Lumière (Besançon,1862 -1954) e Louis Jean Lumière (Besançon, 1864 - 1948), foram os inventores do cinematógrafo sendo frequentemente referidos como os pais do cinema.
  • 28. CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA IRMÃOS LUMIÈRE • Eram filhos e colaboradores do industrial Antoine Lumière (fotógrafo e fabricante de películas fotográficas, proprietário da Fábrica Lumière - Usine Lumière), instalada na cidade francesa de Lyon. • Em 1892 assumem a fábrica do pai. • São considerados os inventores da Sétima Arte junto com Georges Méliès, também francês (visto como o pai do cinema de ficção). • Dedicavam-se a atividade cinematográfica produzindo alguns documentários curtos, destinados à promoção do invento, embora acreditassem que o cinematógrafo fosse apenas um instrumento científico sem futuro comercial. www.mauriciomallet.com
  • 29. CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA CINEMATÓGRAFO • O cinematógrafo era uma máquina de filmar e projetor de cinema. • Invento criado por Léon Bouly no ano de 1892 que perdeu a patente. Em 1895, os irmãos Lumière registraram a patente novamente. www.mauriciomallet.com
  • 30. CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA PROJEÇÃO • A primeira projeção pública de apresentação do invento ocorreu a 28 de Dezembro de 1895 na primeira sala de cinema do mundo, o Eden, situado em La Ciotat, no sudeste da França. • A verdadeira divulgação (publicidade e ingressos pagos) do cinematógrafo foi em Paris, no Grand Café, situado no Boulevard des Capucines. O programa incluía dez filmes. A sessão foi inaugurada com a projecção de La Sortie de l'usine Lumière à Lyon (A Saída da Fábrica Lumière em Lyon). www.mauriciomallet.com
  • 31. CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA PROJEÇÃO "LE SORTIE DE L'USINE LUMIÈRE À LYON” - IRMÃOS LUMIÈRE www.mauriciomallet.com
  • 32. CINEMA - O INÍCIO DA HISTÓRIA PROJEÇÃO • Em 1896, os irmãos Lumière fizeram uma digressão com o cinematógrafo. Visitaram Bombaim, Londres e Nova Iorque. • As imagens em movimento tiveram uma forte influência na cultura popular da época, entre elas estão: • L'Arrivée d'un train en gare de la Ciotat (Chegada de um Comboio à Estação da Ciotat); • Le Déjeuner de Bébé (O Almoço do Bebé); • L'Arroseur Arrosé (O "Regador" Regado). www.mauriciomallet.com