Frei Jerônimo Gracián da Mãe de Deus –Primeiro Provincial do Carmelo Teresiano - Pioneiro das Missões Teresianas          ...
“A evangelização dos  povos...foi sempre, com   justiça uma das obrasprediletas da Ordem. Comefeito, nossa Santa Madre  Te...
PONTO DE PARTIDA          Era o mês de fevereiro de 1575. em Beas de      Segura(Jaén) tem seu primeiro encontro a      Ma...
Com efeito a página missionária da SantaMadre não havia entrado com bom pé nomundo dos leitores descalços, que eram emdefi...
O Capítulo de Alcalá com a ereção da    Província dos Descalços em 1581 é o  momento que a vocação missionária doFrei Grac...
Se havia consumado assim um feito transcendental, que definia a vocação  missionária dos Descalços e tinha lugar  na vida ...
“Quem quiser ver esse espírito    da Ordem dos Carmelitas     Descalços em toda a suatotalidade e perfeição, tratando   co...
Ainda: “...e como me comuniquei     tanto tempo e com tanta   particularidade com a MadreTeresa de Jesus, cujo espírito er...
Recordando aqueles  princípios, escreve Gracián      em sua primeira obra   missionária: “essas visões erevelações da Madr...
Esse intento missionário de romper moldes e não estreitar essa ação     missionária a uma vocaçãoprivada e fechada sobre s...
Depois da morte da Santa Madre Teresa, amissão se converte em crisol: há um momento emque Gracián toma consciência de que ...
Em Bruxelas (Bélgica),    morre aos 69 anos, depois de celebrar a Beatificação da Santa    Madre Teresa, nomesmo ano de161...
Frei Luis David conheceu os escritos do PadreGracián ainda como noviço. Aberto à boa-nova foiavançando nos estudos e conhe...
Eis a causa que elevamos ao Coração    de Deus. Sentimos arder em nós a      chama de amor que ardeu no       coração de n...
Porto AlegreCampo Mourão                   Francisco Beltrão               Caxias do SulSanto Ângelo                      ...
S. Leopoldo Pelotas                     Santa Maria               LondrinaRio Grande                 Florianópolis
Com alegria sentimos que as filhas de Santa Teresa, ao partilhar de seu coração e de seu espírito, pela  oração e ação, pr...
Pois cremos que verdadeiramente a vocação dos frades, filhos da mesma Santa Teresa são a expressãoviva do ardor missionári...
Carta do Definitório Geral da Ordem      - 9 de setembro de 2012.       “Da parte do Definitório existe o   compromisso de...
Todos esses textos foram               O visitante poderá encontrarextraídos das Actas del Coloquio       mais conteúdos n...
Santa Teresa - Padre Gracián
Santa Teresa - Padre Gracián
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Santa Teresa - Padre Gracián

5.898 visualizações

Publicada em

Publicada em: Espiritual
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.898
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4.955
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Santa Teresa - Padre Gracián

  1. 1. Frei Jerônimo Gracián da Mãe de Deus –Primeiro Provincial do Carmelo Teresiano - Pioneiro das Missões Teresianas “Gostava de fazer oração com um livro de mapas, percorrendo em todas aquelas terras distantes com o desejo e a imaginação, convertendo e batizando almas e rogando a Deus se abrisse caminhos para isso”. (BMC 15, 477)
  2. 2. “A evangelização dos povos...foi sempre, com justiça uma das obrasprediletas da Ordem. Comefeito, nossa Santa Madre Teresa, infundiu em sua família a chama do zelomissionário que a abrasava e quis que seus filhostrabalhassem também na atividade missionária”. (Constituições ocd, 94)
  3. 3. PONTO DE PARTIDA Era o mês de fevereiro de 1575. em Beas de Segura(Jaén) tem seu primeiro encontro a Madre Teresa de Jesus e Frei Jerônimo Gracián. Ele investido de poderes de Visitador. Ela, fundadora e mística. Faz mais de um ano que ela escreveu o primeiro capítulo do seu livro Fundações, em que refere seu encontro com o missionário que fala dos “milhões de almas que se perdem nas Índias”, e como ela “clamava ao Senhor”, até ao ponto de que “não cabia em mim” de “tanta lástima”, ante o imenso panorama de tantos índios “privados de doutrina”... E pouco a pouco sua pluma desliza sua autobiografia, assegurando aos leitores que sua vocação de “salvar almas” é muito superior aos seus anelos de martírio – que é sua outra vocação. Salvar almas: “é esta a inclinação que Nosso Senhor me deu”... (Fund.1,7) “Pois andando eu com esta pena tão grande, uma noite, estando em oração, o Senhor me disse: „Espera um pouco, filha, e verás grandes coisas‟”...(Fund.1,8). Em Beas Gracián não conhecia essa página. Porém anos depois a copia com suas próprias mãos, transcreve todo o livro, com sua caligrafia de humanista e o prepara para ser impresso logo que a Santa Madre morra.
  4. 4. Com efeito a página missionária da SantaMadre não havia entrado com bom pé nomundo dos leitores descalços, que eram emdefinitiva seus destinatários. Ela a havia escritoem 1573. Gracián a publica em 1610.Constata-se que ele recebeu pessoalmentede Teresa de Jesus suas intenções e vocaçãomissionárias para o grupo dos carmelitasdescalços. Gracián mesmo se faz testemunhodisso. Em um sermão pregado dia do aniversáriode morte de Santa Teresa, no mosteiro dasCarmelitas Descalças de Bruxelas em 1611,intitulado: “A perfeita vida e as virtudesheróicas da Beata Madre Teresa de Jesus,”quando ainda não havia sido beatificada;tendo já colaborado com João de Jesus Mariana preparação da “Vida” da Santa para oprocesso de beatificação, assim se expressa:“Não somente foi a Madre Teresa fundadoradas monjas carmelitas descalças, senãotambém dos frades... Enviei eu mesmo, fradesàs Índias Ocidentais, outros aos reinos doCongo em Etiópia, todos com o conselho eajuda da mesma Madre Teresa”.(BMC 16,491)
  5. 5. O Capítulo de Alcalá com a ereção da Província dos Descalços em 1581 é o momento que a vocação missionária doFrei Gracián se oficializa como vocação de grupo e se define como vocação dos descalços fundados pela Santa Madre Teresa. Escreve o próprio Gracián historiando aquele sucesso em terceira pessoa: “Desde que recebeu o hábito da Ordem, o Padre Gracián sempre teve desejo que a Ordem dos CarmelitasDescalços se empenhasse em converter os infiéis... E tinha por muito certo que, enquanto os Carmelitas Descalços não derramassem sangue pela honra e glória de Deus para aumentar a Igreja Católica fora da Espanha, não seconservaria a Religião aqui com o fervor e o espírito que se desejava, nem iria crescer...” Contudo, “ ainda que tivesse essa determinação e parecer, não tratou que se pusesse por obra até que se fez a Província e se celebrou o Capítulo de Alcalá, no qual se determinou passassem alguns freis ao Congo e Angola... à conversão dos gentios.” (MHCT 3, 670-671)
  6. 6. Se havia consumado assim um feito transcendental, que definia a vocação missionária dos Descalços e tinha lugar na vida da Santa Fundadora. O grupo ingressa na sua idade adulta.Gracián escreve na sua obra Escolias: “Omais alto fim das Religiões mais perfeitas, como disse Santo Tomás, é levar almas para o céu. – Bem entendeu a santa Madre Teresa de Jesus ser esta avocação de nossa Ordem; oração e zelo das almas... E prova-se claramente isso,porque todos os nossos santos antigos se empenharam na oração e no recolhimento e dela tiraram força para contradizer os hereges e inimigos da Igreja e guiar as almas ao céu, de tal maneira que Elias depois de descer doMonte Carmelo em que orava, reduziu o povo ao conhecimento de Deus”...
  7. 7. “Quem quiser ver esse espírito da Ordem dos Carmelitas Descalços em toda a suatotalidade e perfeição, tratando com a Santa Madre Teresa, achará uma oração tão alta como se recolhe dos seus escritos e um ardente zelo pelas almas, que mil vezes suspiravapor poder ter liberdade, talentos e ofícios que têm os homens para levar as almas a Deus: pregando, confessando e convertendo os corações até derramar o seu sangue por Cristo... daqui nasceu criar-nos todos aos princípios nesta vocação missionária, e era tão eficaz e fervorosa que não se tratava de outra coisa em nossos conventos.” Escolias, pg. 372, 373
  8. 8. Ainda: “...e como me comuniquei tanto tempo e com tanta particularidade com a MadreTeresa de Jesus, cujo espírito era de zelo e de conversão de todo o mundo, pegou-se-me mais este modo”. (Peregrinação de Anastácio, diál. 3º) Na mais missionária de suas obras Gracián testifica sua comunhãocom a Santa; ao reeditá-la faz uma dedicatória: “O espírito que conheci na Madre Teresa de Jesus... me moveu atrazer de novo à luz essa exortação e imprimi-la nesta cidade onde ao presente imprimo minhas obras”. BMC 17, pg. 5
  9. 9. Recordando aqueles princípios, escreve Gracián em sua primeira obra missionária: “essas visões erevelações da Madre Teresa e outras muitas, não me fazem tanta força, como haver sentido nessa Ordem, depois que se fundou, um ânimo e desejo que todos nossos religiosos têm de morrer por Cristo na conversão das almas, trazendo sempre em sua boca: Vamos às Índias, vamos à Etiópia, à China, morramos por Cristo”. Estímulo da Propagação da fé
  10. 10. Esse intento missionário de romper moldes e não estreitar essa ação missionária a uma vocaçãoprivada e fechada sobre si mesma,culminará num raio antecipado do que será no século seguinte o objetivo da Congregação de Propagação da Fé. Padre Gracián se expressa assim: “Façamos de todas as religiões e de todos os ministros do altar umasanta união e um esquadrão posto em ordem com união, caridade,amor e zelo pela honra e glória de Deus seguindo o estandarte da cruz...” Estimulo, 62 (BMC 17,32). Imagem do Padre Gracián venerada no Carmelo de Curitiba.
  11. 11. Depois da morte da Santa Madre Teresa, amissão se converte em crisol: há um momento emque Gracián toma consciência de que o idealmissionário se integra na finalidade mesma da obrateresiana; fiel a esse ideal, agora tem que defendê-locontra o bloqueio dos irmãos carmelitas espanhóis. Assim ele se expressa em forma de diálogo, emsua autobiografia, chamada Peregrinação deAnastácio: “Cirilo: Foi grande coisa, em meu parecer dilatara Ordem enviando frades a Itália, Índias e Congo daEtiópia. Anastácio: Pois para que vejas que hádiversidades de vocações, opiniões e zelos, se meatribuiu a mim, como a muito má obra, enviar essesfrades. Por que há espíritos que lhes parece que todaa perfeição carmelitana consiste em não sair de suacela, nem faltar a um ponto do coro, ainda que omundo se abrase... e que qualquer outro espíritochamam de inquietação e relaxação. Deus não melevou por esse caminho, senão pelo caminho desalvar almas; fundar conventos nas cidades maisprincipais de diversos reinos para a verdadeiradilatação e proveito da Ordem. E como mecomuniquei tanto tempo e com tantaparticularidade com a Madre Teresa de Jesus, cujoespírito era de zelo e de conversão de todo omundo, pegou-se-me mais este modo”. (Peregrinação de Anastácio, diál. 3º)
  12. 12. Em Bruxelas (Bélgica), morre aos 69 anos, depois de celebrar a Beatificação da Santa Madre Teresa, nomesmo ano de1614. Da mão dela haviarecebido o testemunho missionário e o havia passado aos Descalços. Liderou as primeiras jornadas missionárias. Homem sem maldades, nem paixões, sucumbiu no amor pela conversão das almas.
  13. 13. Frei Luis David conheceu os escritos do PadreGracián ainda como noviço. Aberto à boa-nova foiavançando nos estudos e conhecimento deste grandehomem tão amado pela Santa Fundadora. Em certa ocasião, passou por dificuldades financeirasem sua família, então ele mesmo compôs a oraçãopedindo a intercessão do Padre Gracián para assimalcançar a graça desejada; o que ocorreu ao final danovena. Seguiu-se que Frei Luis David suplicava um novopedido a Deus: que o Definitório Geral da Ordemreabilitasse a Frei Jerônimo Gracián à Ordem. E qual nãofoi sua surpresa quando viu a notícia. Desde então se viumovido a tornar-se um apóstolo do Padre Gracián. Comdiscrição e fervor já possui na Guatemala um grupo quese designa: Amigos de Gracián, que está especialmentepreparando o IV Centenário de morte do Pe. Gracián em2014, preparando mensalmente boletins informativos. De 09 de abril a 30 de maio desse ano de2012, esteve em peregrinação pelos Carmelos do Sul doBrasil, a pedido da Associação Nossa Senhora doCarmo, seguindo ao Nordeste do Brasil para ali tambémreavivar nos mosteiros os sentimentos que estãoencerrados no Coração da Santa Madre em relação aoPadre Gracián...
  14. 14. Eis a causa que elevamos ao Coração de Deus. Sentimos arder em nós a chama de amor que ardeu no coração de nossa Sta. Madre Fundadora pela vida e missão do FreiJerônimo Gracián. A Igreja, o Carmelo, a Vida Consagrada necessitacontinuamente no decorrer da história de homens que abraçaram a causa missionária; Frei Gracián pela sua doutrina e testemunho é um guia seguro nos caminhos que somoschamados a trilhar no serviço de Deus. Nosso Carmelo, com tantos outros, estamos trabalhando nesta causa, nossa geração deve contribuir para que a memória e a missão deste querido filho de Santa Teresa prossiga. Pois cremos que assim fazendo,dizemos nosso sim ao ardor missionário que invocamos sobre nós mesmos e sobre toda a Igreja. Confiamos que o Carmelo ampliará sua vocação e missão na Igreja, amando e seguindo este santo religioso, discípulo e intérprete fiel do espírito da Santa Madre Fundadora.
  15. 15. Porto AlegreCampo Mourão Francisco Beltrão Caxias do SulSanto Ângelo Giruá Curitiba
  16. 16. S. Leopoldo Pelotas Santa Maria LondrinaRio Grande Florianópolis
  17. 17. Com alegria sentimos que as filhas de Santa Teresa, ao partilhar de seu coração e de seu espírito, pela oração e ação, projetam com sua vida sua voz , com suas palavras e sabedoria profética. Assim nodespertar dos Carmelos do sul, nossa Associação está lançando um folder do Padre Jerônimo Gracián,com a intenção de que tornando-o mais conhecido, seja assim amado e que, reconhecida suas virtudes, alcancemos a sua beatificação .
  18. 18. Pois cremos que verdadeiramente a vocação dos frades, filhos da mesma Santa Teresa são a expressãoviva do ardor missionário que ardia no Coração de nossa Fundadora, pois eles são e fazem acontecer na igreja o ardor e ação apostólica do carisma teresiano. Daí erguermos bem alto a pessoa e a missão do Padre Gracián.
  19. 19. Carta do Definitório Geral da Ordem - 9 de setembro de 2012. “Da parte do Definitório existe o compromisso de seguir apoiando e alentando as empresas missionárias.Neste sentido comunicamos que segue dando passos a futura fundação em Angola. Os provinciais (sul do Brasil ePortugal), viajarão nos próximos meses a esse país africano para ir tateando o terreno e observando possibilidades.Igualmente, trataremos de proporcionar Foto dos Freis Carmelitas do Sul – Retiro de setembro de 2012 a toda a Ordem nos próximos anos materiais de formação de nossoscandidatos na dimensão missionária do “Gostava de fazer oração carisma. Seja de tipo histórico- geográfico ou doutrinal”. com um livro de mapas, percorrendo em todas aquelas Força missionária viva no Carmelo, terras distantes com o na Igreja, no coração daqueles que desejo assumem a causa do Reino. e a imaginação,Celebramos assim com a vida, oração e convertendo e batizandoação o V Centenário do nascimento de Santa Teresa de Jesus. almas e rogando a Deus se abrisse caminhos para isso”. Frei Jerônimo Gracián (BMC 15, 477)
  20. 20. Todos esses textos foram O visitante poderá encontrarextraídos das Actas del Coloquio mais conteúdos no menuInternacional de Misiones OCD Carisma Teresiano,Conferência do Pe. Tomás Álvarez aprofundando todos os temas.Larrea, 14 -19 enero 2002 Pretendemos prosseguir“Herencia Histórica y Dinamismo apresentando a trajetóriaEvangelizador”. missionária do Frei Gracián. Irmãs Carmelitas de Curitiba.

×