A última igreja laodicéia

1.257 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.257
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
16
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
26
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A última igreja laodicéia

  1. 1. A Última Igreja - LaodicéiaPor Domingos P. da Silva (RA, out. e nov. de 1940)Em Apocalipse, capítulos 2 e 3, encontramos um relatório resumido da i g r e j a cristã,desde o seu início, no primeiro século apostólico, até ao fim do mundo — a vindagloriosa de Jesus Cristo."Sob uma representação emblemática das sete igrejas da Ásia, o Espírito Santodelineou os sete estados diferentes da igreja cristã, que deveriam aparecer emsequencia, estendendo-se até à vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, e à consumação detodas as coisas. " — Matthew Henry (Comentarista)."As sete igrejas de Apocalipse 2 e 3, são períodos proféticos das igrejas de Jesus, nosdiversos períodos de tempo, até Ele vir outra vez". — Vitringa, Gill, Scott e Newton(Comentarista)."Os nomes das sete igrejas são símbolos da igreja em diferentes períodos da era cristã.O número sete indica perfeição, e é simbólico quanto ao fato das mensagens seestenderem até ao fim do tempo, ao passo que os símbolos usados revelam a condiçãoda igreja em diferentes períodos da história do mundo". — The Acts of the Apostles,pág. 585.I — A Igreja de Laodicéia é Definitiva e InsucessívelNão haverá outra mensagem especial. "O terceiro anjo de Apocalipse 14 érepresentado como voando rapidamente pelo meio do céu, clamando: Aqui estão osque guardam os mandamentos de Deus e a fé de Jesus. É aqui mostrada a naturezada obra do povo de Deus. Eles têm uma mensagem de tão grande importância, quesão representados como voando na apresentação dessa mensagem ao mundo. Têmem suas mãos o pão da vida para um mundo faminto. O amor de Cristo os constrange.Esta é a última mensagem. Não há outras a seguir; nem mais convites de misericórdiaserão feitos após esta mensagem ter realizado sua missão". — Test., Vol. 5, pág. 206;Early Writings, pág. 75.2. Não haverá nenhuma mudança. " Vi um grupo que se achava bem guardado e firme,não dando ouvidos aos que queiram abalar-lhe a estabelecida fé. Deus os olhava comaprovação. Foram-me mostrados três degraus — a primeira, segunda e terceiramensagens angélicas. Disse o meu anjo assistente: A i daquele que mover uma pedraou mexer um alfinete destas mensagens! A verdadeira compreensão destas
  2. 2. mensagens é de vital importância. Da maneira em que for em recebidas depende odestino das almas. Fui novamente levada através destas mensagens, e vi a que preçoelevado a d q u i r i r a o povo de Deus sua experiência. Ela fora obtida mediante muitosofrimento e intensa luta. Deus os conduzira passo a passo, até os ter colocado sobresólido e inamovível estrado. V i pessoas aproximarem-se do estrado e examinar-lhe ofundamento. Alguns, com regozijo, subiram nele imediatamente. Outros começaram aachar defeitos no fundamento. Desejavam que se fizessem melhoramentos, e então oestrado seria aperfeiçoado, e o povo muito mais feliz. Alguns desceram do estradopara examiná-lo e declararam estar seu alicerce mal colocado. V i , porém, que quasetodos permaneciam firmes sobre o estrado, e exortei os que haviam descido, a quecessassem de queixar-se; pois Deus era o Arquiteto, e estavam lutando contra Êle. " —Early Writings, pág. 258." A luz que recebemos sobre a mensagem do terceiro anjo é a luz verdadeira . . . Nãohaverá nenhuma mudança na feição geral de nossa obra. Ela deve permanecer clara edistinta como a profecia a fez. " — Test., Vol. 6, pág. 17.Não haverá nenhuma separação mas unidade. "Satanás sabe m u i to bem que o bomêxito depende da ordem e da cooperação harmônica. Foi-me mostrado que oempenho p a r t i c u l a r de Satanás é induz i r os homens a pensarem ser a vontadede Deus que eles se separem e sigam seus próprios caminhos, independentes de seusirmãos". — Test. para a Igreja, pág. 74."Quando se levanta alguém, de nosso meio ou fora de nós, tendo a preocupação deproclamar uma mensagem que declare que o povo de Deus pertence ao número dosde Babilônia, e que pretenda que o a l to clamor é um chamado para sair dela,podereis saber que esse t a l não é portador da mensagem de verdade. Não o recebais,não lhe desejeis bom êxito; pois Deus não falou por ele nem lhe confiou umamensagem, mas ele correu antes de ser enviado". — Test. to Ministers and GospelWorkers, pág. 41."Os que têm proclamado ser a i g r e j a adventista do sétimo dia Babilônia, têm-seservido dos Testemunhos para dar à sua atitude um aparente apoio; mas por que nãoapresentaram o que durante anos t em sido a preocupação de minha mensagem: aunidade da igreja? Por que não citaram as palavras do anjo: Uni-vos! Uni-vos! Uní-vos!Por que não repetiram a advertência nem declararam o princípio de que na união háforça, na divisão há fraqueza ? São mensagens como a desses homens que d i v i d ema igreja e nos envergonham perante os inimigos da verdade, e em semelhantesmensagens revela-se claramente a especiosa operação do grande enganador, que queri m pedir a i g r e j a de alcançar a perfeição na unidade". — Idem, pág. 56."Si o mundo vê uma perfeita harmonia existindo na igreja de Deus, i s to será umaforte prova para ele em favor da religião cristã. Dissensões, infelizes divergências emesquinhas contendas na igreja desonram ao nosso Redentor. Tudo isto pode serevitado si nosso eu for entregue a Deus, e os seguidores de Jesus obedecerem à voz dai g r e j a. A incredulidade sugere que a independência individual aumenta nossaimportância, e que é fraqueza submeter ao veredito da igreja nossas próprias idéias doque é reto e conveniente, mas o render-se a tais sentimentos e pontos de vista éperigoso e nos levará à anarquia e confusão. Cristo v i u que unidade e amizade cristã
  3. 3. eram necessárias à causa de Deus, por isso as ordenou aos Seus discípulos. E a históriado cristianismo desde aquele tempo até agora prova, concludentemente, que só naunião está a sua força. Seja o juízo individual submetido à autoridade da igreja " . —Test., Vol. 4, pág. 19.4. Haverá, sim, dificuldades na igreja. "E disse aos Seus discípulos : É impossível quenão venham escândalos, mas ai daquele por quem vierem". S. Lucas 17: 1. " E atéimporta que haja entre vós heresias, para que os que são sinceros se manifestem entrevós. " I Cor. 11: 19; (A t o s 20: 29-32. )"Até Cristo aparecer nas nuvens dos céus com poder e grande glór i a , os homenstornar-se-ão perversos em espírito, e volverão da verdade para as fábulas. A igrejaainda verá tempos trabalhosos. Ela profetizará em saco e cinza. Mas ainda que preciseenfrentar heresias e perseguições, ainda que necessite batalhar com os infiéis eapóstatas, mesmo assim, pelo auxílio de Deus, está ferindo a cabeça de Satanás. OSenhor terá um povo tão verdadeiro como o aço, e com uma fé tão firme como ogranito " . — Test., Vol. 4, pág. 594."Se os obstinados e presunçosos prosseguirem impunemente o seu caminho, a queestado será finalmente reduzida a igreja? Como poderão ser corrigidos os errossustentados por esses contumazes e ambiciosos ? Por que meios poderiaDeus atingi-los? Como deverá Ele manter a ordem na igreja? Divergências de opiniãosurgem constantemente, e a igreja amiúde é visitada pela apostasia. Quando surgemcontrovérsias e divisões, todas as partes pretendem estar com a razão e agindosinceramente, recusando ser instruídas por aqueles que durante muito temposuportaram o peso do trabalho, e que como elas devem perfeitamente saber, têm sidoguiados pelo Senhor... Pretendem que não se pode depositar maior confiança no juízode alguém que tem tido tão longa experiência e a quem o Senhor instruiu e usou parafazer uma obra especial, do que no de qualquer outra pessoa. É o desígnio de Deusque assim procedam, ou é isto a operação do inimigo de toda a justiça, afim deconservar as almas em erro e enredá-las com fortes ilusões que não podem serdesfeitas, porque se colocaram fora do alcance dos meios que Deus para esse fimestabeleceu em Sua igreja?" — Test. para a Igreja, pág. 46.A Verdadeira Reforma1. Consiste na reforma primordial do próprio "eu" — "Aquele que se propõe reformarseus semelhantes, deve começar reformando-se a si próprio. Deve imbuir-se doespírito do Mestre, e estar pronto, como Ele, a sofrer admoestações e a exercerabnegação. Comparado ao valor de uma única alma, o mundo inteiro reduz-se a umainsignificância. O desejo de exercer autoridade e de dominar sobre a herança doSenhor redunda, quando cultivado, na destruição de almas. O que ama deveras a Jesushá de procurar conformar-se ao Seu divino exemplo, trabalhando no Seu espírito parasalvação de outros. " — Test. para a Igreja, pág. 143.2. A reforma deve ser dentro da igreja, levando-a a trabalhar. — "Em visões da noitepassaram diante de mim representações de um grande movimento reformatório entreo povo de Deus. Muitos estavam louvando a Deus. Os enfermos eram curados, eoutros milagres se operavam. Viu-se um espírito de intercessão, tal como se
  4. 4. manifestou antes do grande dia de Pentecostes. Viam-se centenas e milhares visitandofamílias e abrindo perante elas a palavra de Deus. Os corações eram convencidos pelopoder do Espírito Santo, e manifestava-se um espírito de genuína conversão. Portas seabriam por toda parte à proclamação da verdade. O mundo parecia iluminado pelainfluência celestial. Grandes bênçãos eram recebidas pelo fiel e humilde povo de Deus.Ouvi vozes de ações de graças e louvor, e parecia haver uma reforma como a quetestemunhamos em 1844."Contudo, alguns se recusaram a converter-se. Não estavam dispostos a andar noscaminhos de Deus, e quando, para poder avançar a obra divina, eram feitos pedidos deofertas voluntárias, alguns se apegavam egoisticamente às suas posses terrestres.Esses ambiciosa foram separados do grupo de crentes. "— Test. Sei., Vol. 5, pág. 261.3. Esta reforma deve despertar em cada crente o espírito de oração e união. "Échegado o tempo para se realizar uma reforma completa. Quando esta reformacomeçar, o espírito de oração atuará em cada crente e banirá da igreja o espírito dediscórdia e luta. Os que não têm estado a viver em comunhão cristã, chegar-se-ãomutuamente em íntimo contacto. Um membro que trabalhe da maneira devida levaráoutros membros a unir-se-lhes em súplicas pela revelação do Espírito Santo. Nãohaverá confusão, pois todos estarão em harmonia com o Espírito. As barreiras queseparam um crente de outro, serão derribadas e os servos de Deus falarão as mesmascoisas. " — Test. Sel., Vol. 5, pág 139.4. Esta reforma inclui a fiel observância do sábado e da higiene."Vi que o santo sábado é e será o muro de separação entre o verdadeiro Israel de Deuse os incrédulos; e que o sábado é o grande fator para unir o coração dos queridos eexpectantes santos de Deus. Vi que Deus tinha filhos que não vêm nem guardam osábado. Eles não lhe rejeitaram a luz. E ao começo do tempo da angústia, estávamoscheios do Espírito Santo, ao sairmos para proclamar mais amplamente o sábado. Istoenfureceu as igrejas e adventistas nominais, por não poderem refutar a verdade dosábado. " — Early Writings, pág. 33.a) Isto não quer dizer (como pretendem alguns dos chamados reformadores), que aotempo da chuva serôdia os fiéis da igreja adventista deixariam a igreja afim de"proclamar mais amplamente o sábado". Não, longe disto! O termo "adventistasnominais" nest3 testemunho, refere-se aos adventistas que não estavam guardando osétimo dia como sábado, e as "igrejas" que ficaram "enfurecidas", refere-se às outrasdenominações, que guardam o domingo. Não diz que nos havíamos de separar daigreja adventista, mas que sairíamos e proclamaríamos o sábado mais amplamente.Operar-se-á uma reforma do sábado dentro da igreja, da mesma maneira que nomovimento do êxodo.b) Para melhor orientação sobre a subdivisão 4, deve-se ler Testemunhos para a Igreja,págs. 120-129 e 150-164.5. A obra do terceiro anjo é que despertaria a igreja de Laodicéia e não o quarto anjo."Foi-me mostrado que o testemunho aos laodi¬ceanos se aplica ao povo de Deus aopresente tempo, e a razão por que o mesmo não realizou uma obra maior, é a durezade seus corações. Mas Deus deu à mensagem tempo para fazer Sua obra. O coração
  5. 5. necessita ser purificado dos pecados que por tanto tempo excluíram a Jesus. Estaportentosa mensagem fará sua obra. Quando foi apresentada pela primeira vez levoua exame meticuloso do coração. Confessaram-se pecados, e o povo de Deus foisacudido por toda parte. Quase todos criam que esta mensagem deveria findar com oalto clamor do terceiro anjo. Mas como deixassem de ver a obra poderosa realizadaem pouco tempo, muitos perderam o efeito da mensagem. Vi que esta mensagem nãorealizaria sua obra nuns poucos e curtos meses. Destina-se a despertar o povo deDeus, a mostrar-lhe suas apostasias, e a levá-lo a um zeloso arrependimento, afim deque possa ser favorecido com a presença de Jesus, e preparado para o alto clamor doterceiro anjo"."À medida que esta mensagem impressionava o coração, levava a uma profundahumildade perante Deus. Anjos eram mandados a todas as partes afim de prepararempara a verdade corações descrentes. A causa de Deus começou a crescer, e Seu povoestava familiarizado com sua posição...."Deus provará Seu povo. Jesus o trata pacientemente, e não o vomita logo de Suaboca. Disse o anjo: Deus está pesando Seu povo. Si a mensagem fosse de duraçãocurta, como muitos de nós a supunham, não haveria tempo para desenvolverem ocaráter...."Deus guia Seu povo passo a passo. Leva-o a pontos diversos, cujo desígnio émanifestar o que está no coração. Alguns resistem num ponto, mas caem no seguinte.A cada ponto sucessivo o coração é experimentado e provado um pouco mais. Si oprofesso povo de Deus verifica que seu coração se opõe a esta obra estrita, isso deveráconvencê-lo de que tem de fazer alguma coisa para vencer, senão quiserem servomitados da boca de Deus. O anjo disse: Deus fará a Sua obra passar por provas cadavez mais estritas e experimentará cada um dos componentes de Seu povo. Algunsestão prontos a receber um ponto, mas quando Deus os conduz a outro ponto deprova, eles o rejeitam, retrocedendo, porque acham que ataca diretamente algumídolo acariciado. Com isso têm ocasião de ver o que está em seu coração, e que excluia Jesus. Prezam alguma coisa mais que a verdade, e seu coração não está preparadopara receber a Jesus. As pessoas são experimentadas e provadas por certo tempo paraver si sacrificarão seus ídolos e atenderão ao conselho da Testemunha Fiel. Si alguémnão se purifica pela obediência à verdade, e vence seu egoísmo, orgulho e máspaixões, os anjos de Deus têm esta ordem: Eles estão apegados aos seus ídolos,deixai-os sós, e eles [os anjos] prosseguirão em seu trabalho, deixando a estes comseus característicos pecaminosos não subjugados, à mercê dos anjos maus. Os quealcançam cada ponto e suportam cada prova, e vencem, custe o que custar, deramouvidos ao conselho da Testemunha Fiel, e receberão a chuva serôdia, estando assimaptos para a trasladação. " — Test., Vol. 1, págs. 186-188.6. O quarto anjo de Apoc. 18: 1, representando em grande parte a obra das CasasPublicadoras, prestaria um grande auxílio à igreja de Laodicéia. — "Em grande parte épor meio de nossas casas publicadoras que se há de fazer a obra daquele outro anjoque desceu do céu com grande poder e alumia a terra com sua glória".7. A quem deve ser pregada a mensagem de Laodicéia. — "O Senhor disse: "E ao anjoda igreja que está em Sardo, escreve: Isto diz o que tem os sete Espíritos de Deus, e as
  6. 6. sete estrelas: Eu sei as tuas obras, que tens nome de que vives, e estás morto. Sêvigilante e confirma os restantes, que estavam para morrer; porque não achei as tuasobras perfeitas diante de Deus. Lembra-te pois do que tens recebido e ouvido, earrepende-te. E, si não vigiares, virei sobre ti como um ladrão e não saberás a que horavirei sobre ti". Apoc. 3: 1-3."A advertência para a última igreja também deve ser proclamada a todos os quepretendem ser cristãos. A mensagem a Laodicéia, como uma afiada espada de doisgumes, deve ir a todas as igrejas. Eu sei as tuas obras que nem és frio, nem quente:Oxalá foras frio ou quente! Assim, porque és morno, e não és frio nem quente,vomitar-te-ei da Minha boca. Como dizes: Rico sou e estou enriquecido e de nadatenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego e nu;aconselho-te que de Mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças; evestidos brancos para que te vistas e não apareça a vergonha da tua nudez; e queunjas os teus olhos com colírio para que vejas. Eu repreendo e castigo a todos quantosamo: Sê pois zeloso e arrepende-te". Apoc. 3: 15-19. A nós compete proclamar estamensagem. Estamos empenhando todo esforço para que as igrejas possam seradvertidas ?"Temos uma obra a fazer pelos ministros de outras igrejas. Deus deseja que sejamsalvos. Eles, como nós, podem obter imortalidade somente pela fé e obediência.Precisamos trabalhar ardentemente por eles para que possam obtê-la. Deus quer quetenham uma parte em Sua obra especial para este tempo. Quer que estejam entre osque dão aos Seus servos sustento a seu tempo. Por que se não deveriam empenhainesta obra?" — Test., Vol. 6, págs. 77, 78.

×