OS INSTITUTOS SECULARES: A ESCUTA DE DEUS NOS SULCOS DA HISTÓRIA: A SECULARIDADE FALA A                                   ...
doar a Igreja, de maneira tal que ela possa compreendê-la melhor e viver melhor sua missão, (Cfr. Gaudium et Spes, 40-45)....
TarcisioCard. Bertone,SDBSecretário de Estado de Sua Santidade.
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Os institutos seculares bento xvi

420 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Os institutos seculares bento xvi

  1. 1. OS INSTITUTOS SECULARES: A ESCUTA DE DEUS NOS SULCOS DA HISTÓRIA: A SECULARIDADE FALA A CONSAGRAÇÃO SECRETARIA DE ESTADO Vaticano, 18 julho, 2012.No 201.643Caríssima Senhora,EWA KUSZPresidente do Conselho ExecutivoConferencia Mundial dos Institutos SecularesPiazza San Calisto, 16 –ROMAÉ-me grato fazer chegar aos membros dos Institutos Seculares a presente Mensagem do Santo Padre, naocasião do Congresso que se celebra em Assis e que está sendo organizado pela Conferência Mundial dosInstitutos Seculares com a finalidade de tratar sobre o tema “A escuta de Deus nos sulcos da história: asecularidade fala a consagração”.Esta importante temática coloca o acento sobre a vossa identidade como consagrados que, vivendo no mundona liberdade interior e na plenitude do amor que derivam dos conselhos evangélicos os reconhece comohomens e mulheres capazes de um profundo olhar e do bom testemunho no interior da história. Nosso tempoascende à vida e a fé, interrogando profundamente, embora ao mesmo tempo manifeste o mistério danupcialidade de Deus. Na realidade o Verbo que se fez carne celebra as núpcias de Deus com a humanidade decada época. É o mistério de séculos em séculos escondido na mente do Criador do universo (Cfr. Ef. 3,9) emanifestado na Encarnação, projetado para sua realização futura, pois entrelaçado hoje como força redentorae unificadora.Inserido no interior da humanidade a caminho e inspirados pelo Espírito podemos reconhecer os sinaisdiscretos e às vezes escondidos que revelam a presença de Deus. Somente a graça e a força da graça, que osDons do Espírito podem iluminar os caminhos constantemente modificados nos acontecimentos humanos naorientação para a plenitude da vida em abundância. Um dinamismo que representa além da aparência overdadeiro sentido da história os desígnios de Deus. A vocação de vocês é de está no mundo assumindo todosos cargos, os anseios, com um olhar humano que coincida sempre com o divino donde brota um compromissooriginal, peculiar fundamentado sobre a consciência de que Deus escreve sua história de salvação no tramados acontecimentos de nossa história.Neste sentido, a identidade de vocês afirma também um aspecto importante sua missão na Igreja: ajudá-la arealizar seu ser no mundo, a luz das palavras do Concilio Vaticano II:“Nenhuma ambição terrena empurra a Igreja; ela somente busca isto: continuar, abaixo da luz do Espíritoconsolador a mesma obra de Cristo, que veio ao mundo para dar testemunho da verdade, salvar, nãocondenar, servir, não ser servido (Const. Gaudium et Spes, 3). A teologia da história é parte essencial da novaevangelização, porque os homens de nosso tempo têm necessidade de reencontrar um olhar global sobre omundo e sobre o tempo, um olhar verdadeiramente livre e pacifico (Cfr. Bento XVI, Homilia na Santa Missapara a nova evangelização, 16 de outubro, 2011). O mesmo Concilio nos recorda que a relação entre a Igrejae o mundo há de ser vivido como sinal da reciprocidade, evidente que não é só da Igreja a doação ao mundo,contribuindo para fazer mais humana a família e os homens com suas histórias, também o mundo deve se
  2. 2. doar a Igreja, de maneira tal que ela possa compreendê-la melhor e viver melhor sua missão, (Cfr. Gaudium et Spes, 40-45). Os trabalhos que vocês se dispõem a desenvolver se conserve logo no especifico da consagração secular, na busca de como a secularidade fala a consagração, de como em suas vidas os traços característicos de Jesus, pobre, casto e obediente adquire uma típica e permanente “visibilidade” no meio do mundo (Cfr. Exorta. Ap. Vita Consecrata, 01). Sua santidade deseja assinalar três âmbitos sobre os quais haverão de concentrar a atenção. 1. Em primeiro lugar, a doação de suas vidas como resposta a um encontro pessoal e vital com o amor de Deus. Vocês descobriram que Deus é o todo para si mesmo, decidiram dar todo a Deus, fazendo-o de maneira particular: permanecendo leigos entre os leigos, presbíteros entre presbíteros. Isto exige particular vigilância porque seus estilos de vida manifestam a riqueza, a beleza e a radicalidade dos conselhos evangélicos. 2. Em segundo lugar, a vida espiritual. Ponto firme e irrenunciável, referência segura para nutrir aquele desejo de fazer-se unidade em Cristo que é força da existência total de todo cristão, mas ainda, de quem respondeu a um chamado radical o dom do sim. Medida da profundidade da vida espiritual de vocês não são as muitas atividades que exigem seus esforços, mas sim a capacidade da busca de Deus no coração, mesmo em cada acontecimento e de reconduzir para Cristo. É o “reunir” em Cristo todas as coisas como fala São Paulo (Cfr. Ef. 1,10). Somente em Cristo, Senhor da história, toda a história e todas as histórias encontram sentido e unidade. Em oração como na escuta da Palavra de Deus se alimenta este anseio. Na celebração Eucarística vocês encontram a razão de fazer-se pão de Amor partido para os homens. Na contemplação, no olhar de fé iluminado pela graça, se enraíza o compromisso de compartilhar com cada homem e com cada mulher as inquietações profundas que os habitam para construir esperança e confiança.3. Em terceiro lugar, a formação, que não negligencia nenhuma idade estabelecida, porque o que se trata de viver a própria vida em plenitude educa-se na sapiência sempre consciente da criatura humana e da grandeza do Criador. Busquem conteúdos e modalidades de uma formação que lhes faça, leigos e presbíteros capazes de desejar-se interrogar pelas complexidades que atravessa o mundo de hoje, de permanecerem abertas as inquietações provenientes das relações com os irmãos que encontram em seus caminhos, de comprometer-se em discernimento da história e da luz da Palavra de Vida. Sejam disponíveis a construir com todos os que buscam a verdade projetos de bem comum, sem soluções preconcebidas e sem medo às perguntas que são sem respostas, e sempre prestes a colocar em risco a própria vida, com a certeza que o grão de trigo quando cai na terra, dá muito fruto (Cfr. Jo. 12,24). Sejam criativos, porque o Espírito constrói novidades; alimente olhares capazes de futuro e raízes sólidas em Cristo Senhor para poder comunicar também ao nosso tempo a experiência de amor que está na base da vida de todo homem. Estreitem caritativamente as feridas do mundo e da Igreja. Acima de tudo, viva uma vida coerente e plena, acolhedora e capaz de perdoar, por está fundada em Cristo Jesus, Palavra definitiva do Amor de Deus pelo homem. Entretanto o sumo Pontífice lhe faz chegar estas reflexões assegurando para o Congresso e Assembléia uma especial recordação na oração, invocando a intercessão da Bem Aventurada Virgem Maria que viveu no mundo a perfeita consagração a Deus em Cristo. De todo coração ele envia a vocês e a todos os participantes as Bênçãos Apostólicas. Também me uno pessoalmente com meus melhores desejos e aproveito esta circunstância para chegar a vocês com sentimentos de grande estima.
  3. 3. TarcisioCard. Bertone,SDBSecretário de Estado de Sua Santidade.

×