Calendário Econômico Pine: O receituário ideal para                        decisões postergadas                        08 ...
O grau de desaceleração do IPCA nesta e na próxima leitura será especialmente importante,considerando a ajuda provocada pe...
para 0,4%. Diferentemente, o comércio varejista ampliado não deverá mostrar nenhumcrescimento mensal, tendo em vista as ba...
relação ao mesmo período de 2012. Com isso, a média móvel de três meses das variaçõesmensais passaria de 0,36% para 0,07%....
Horário      País                               Indicador                 Data    PINE    Consenso   AnteriorSegunda-feira...
DisclaimersEste relatório foi preparado pelo Banco Pine S.A. (“Banco PINE”), instituição financeira validamente existente ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Calendário Econômico Pine: O receituário ideal para decisões postergadas

132 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
132
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Calendário Econômico Pine: O receituário ideal para decisões postergadas

  1. 1. Calendário Econômico Pine: O receituário ideal para decisões postergadas 08 de Abril de 2013 BRASIL IGP – DI – março Nós esperamos uma pequena queda na variação do IGP-DI de março, de 0,20% para 0,18%, pouco abaixo dos IGPs do mês passado (IGP-10 = 0,22% e IGP-M = 0,21%). Se estivermos corretos, a alta será acompanhada pela primeira desaceleração da leitura anual, de 8,2% em fevereiro para estimados 7,8% em março. As baixas variações mensais permanecem ancoradas pela pequena variação de preços das matérias primas brutas, em deflação há 3 meses. Diferentemente, os preços ao consumidor continuam piorando, onde os preços dos alimentos no varejo pouco respondem à trégua inflacionária dos alimentos no atacado, analisada no parágrafo anterior. É verdade que existe uma defasagem de pelo menos três meses no repasse entre a variação de preços no atacado e no varejo, mas ele já manifesta sinais de maior atraso seja por meio da menor intensidade, seja pelo intervalo de tempo mais prolongado peara a sua manifestação. Boa parte da menor intensidade e do maior intervalo de tempo que atualmente caracterizam o repasse de preços dos alimentos pode ser explicada pelo grupo alimentação fora do domicílio (que inclui os serviços de restaurantes e refeições) e pela tentativa de incremento de margens unitárias de lucro nas redes varejistas de super e hipermercados. Esse quadro tende a permanecer enquanto a o tamanho recorde do nível de renda real e da demanda agregada justificar a elevação e preservação das margens de lucro nas grandes redes varejistas. A deflação das matérias primas no atacado implicaria a redução da inflação de alimentos no varejo no curto prazo, ajudada inclusive pela sazonalidade favorável. Entretanto, os efeitos benévolos tendem a ser menores do que os esperados anteriormente devido, principalmente, ao estado atual de pleno emprego e ao nível da demanda agregada. Deflação das matérias primas brutas x piora do IPC: repasse (ainda) limitado5 1.2 5.00 % m/m4 1.0 4.003 3.00 0.82 2.00 0.61 1.00 0.40 0.00-1 0.2 -1.00-2 0.0 -2.00 jan/12 jan/13 abr/12 jul/12 01/11 04/11 07/11 10/11 01/12 04/12 07/12 10/12 01/13 out/12 Matérias primas (IPA) Bens finais (IPA) Matérias primas IPA Alimentação IPC IPC (dir.) Fonte: FGV; elaboração: PINE Macro & Commodities Research IPCA - março Continuando o tema inflação ao consumidor, defasagens e pressões inflacionárias atuais, o índice de março deverá avançar 0,48%, abaixo da variação de fevereiro (0,60%) e do respectivo IPCA-15 (0,49%). Se confirmada a nossa estimativa, o IPCA acumulado em 12 meses viria de 6,31% para 6,60%, seu maior nível desde dezembro/11.
  2. 2. O grau de desaceleração do IPCA nesta e na próxima leitura será especialmente importante,considerando a ajuda provocada pelas desonerações do governo (leia-se, neste caso, reduçãodo preço dos itens da cesta básica, sobretudo em abril). No entanto, se estivermos corretos, oíndice permanecerá em linha com sua média mensal recente (0,45%) e, além disso, o núcleode difusão deverá permanecer bastante elevado (acima dos 70%).Qualquer que seja o grau de desaceleração mensal, entendemos que o cenário inflacionáriotraz preocupações; entre outros fatores, observa-se: (i) O descolamento em relação ao centro da meta de inflação, quase ininterruptamente desde o início do 4T12, do IPCA projetado para 2013 e 2014, onde as estimativas para 2014 deslocaram-se para patamares perigosos e cada vez mais próximos do teto da meta projetada pelas instituições Top 5 do ranking de médio prazo do banco central; (ii) O elevado grau de difusão das altas do IPCA (medida do número de subitens que subiram no mês em questão) acompanhado da piora de outras medidas de núcleo inflacionário; (iii) A perspectiva de manutenção do pleno emprego no futuro relevante, onde a taxa de desemprego (ajustada sazonalmente) situa-se em 5,3%. Além disso, ela implica: (a) o crescimento do salário real médio acima da produtividade, o que é inflacionário no âmbito da oferta, (b) a manutenção do nível da demanda agregada acima do patamar do PIB potencial, que é a força inflacionária na esfera da demanda, (c) o multiplicador do aumento de 1,0% do salário real médio sobre o IPCA entre 0,6% e 1,5% no intervalo aproximado de seis meses, o que envolve tanto elementos de oferta quanto de demanda na manutenção da taxa de inflação estrutural ao consumidor em 6,0%.Neste ambiente, qualquer choque inflacionário levaria o IPCA de 2013 e 2014 para valoressuperiores ao teto da meta em 12 meses, tornando inevitável o ciclo de alta da Selic. Quantomais tarde, maior o tamanho e a duração do ciclo de majoração da taxa básica de juros. Porisso, nós contamos com a elevação da Selic, em 50 pontos-base, na reunião de maio e com umciclo total de 150pb. IPCA por núcleos: clara deterioração 10.5% 9.0% 7.5% 6.0% 4.5% 3.0% 1.5% 0.0% jul/11 jul/12 jan/11 jan/12 jan/13 abr/11 out/11 abr/12 out/12 Non-Tradeables Tradeables Preços Administrados Fonte: IBGE; elaboração: PINE Macro & Commodities ResearchVendas no varejo - fevereiroNa quinta-feira, o IBGE divulgará os números das vendas varejistas referentes a fevereiro. Nósestimamos uma alta de 1,0% da taxa de crescimento mensal (livre de efeitos sazonais) dasvendas no varejo restrito, abaixo da mediana das expectativas (1,5%). Se estivermos corretos,a variação mensal será acompanhada pelo fortalecimento da média móvel trimestral, de 0,2%
  3. 3. para 0,4%. Diferentemente, o comércio varejista ampliado não deverá mostrar nenhumcrescimento mensal, tendo em vista as baixas vendas de automóveis apontadas pelaFenabrave.Importante deixar claro que nossos números para fevereiro baseiam-se, em especial, na forçados setores de hiper e supermercados, alimentícios, bebidas e fumos. Como veremos abaixo,os demais indicadores coincidentes e antecedentes, apontam para uma piora da atividade emgeral em fevereiro na comparação com janeiro: • As vendas reais dessazonalizadas (descontada a variação do IPCA e os efeitos sazonais do período) dos supermercados, segundo números da ABRAS, cresceram 1,9%; • Diferentemente, o indicador de atividade do comércio da Serasa trouxe queda de 0,4% no mês em questão; • A confiança do consumidor nas condições econômicas atuais, segundo a FGV, reduziu-se em 1,4%; • Igualmente, a expedição de caixas, acessórios e chapas de papel ondulado contraiu 3,4% segundo a ABPO;Nós mantemos a nossa expectativa de taxas relativamente moderadas de crescimento mensaldas vendas varejistas nos próximos meses na esteira da manutenção das já conhecidasmedidas contracíclicas adotadas pelo governo, a exemplo da manutenção do IPI reduzidosobre os automóveis e a expectativa da adoção da mesma medida para a linha branca.Surpresas positivas com a expansão do comércio varejista podem vir da continuidade daelevação da massa real de salários. Diferentemente, o crédito para a pessoa física (PF) devecontribuir para a desaceleração das vendas varejistas de bens duráveis em função doguidance mais baixo de crescimento nominal do crédito pessoal, estimado pelos grandesbancos privados entre 7,0% e 9,0%, contra o intervalo 10% e 12% anteriormente, apesar daperspectiva de redução da inadimplência da PF. Vale destacar, porém, que a inadimplênciada PF deve permanecer em patamares ainda elevados até o final do ano, também reduzindo oímpeto consumista de bens duráveis ao longo do 1S13. Comércio varejista: crescimento moderado para 2013 3.0% 2.5% % m/m, MM3M 2.0% 1.5% 1.0% 0.5% 0.0% -0.5% -1.0% -1.5% -2.0% jan/12 jan/13 abr/12 jul/12 out/12 Comércio Varejista Comércio Varejista Ampliado Fonte: IBGE; elaboração: PINE Macro & Commodities ResearchIBC-Br - fevereiroSe a Pesquisa Mensal do Comércio confirmar nossa estimativa de vendas no varejo restrito, oIBC-Br de fevereiro, a ser divulgado ao longo da semana, deverá apresentar queda de 0,6%frente ao mês anterior (série dessazonalizada), correspondente a uma elevação de 0,2% em
  4. 4. relação ao mesmo período de 2012. Com isso, a média móvel de três meses das variaçõesmensais passaria de 0,36% para 0,07%.Além da alta estimada de 1,0% na PMC, consideramos a alta de 0,4% na carga de energiaverificada (segundo a ONS) e as quedas na produção na indústria de transformação (-2,7%) ede 0,5% na produção de insumos típicos da construção civil.Os poucos indicadores de atividade de março sugerem, de forma geral, uma melhora frente afevereiro, porém não tão forte quanto a recuperação de janeiro. De qualquer forma,realizamos (abaixo) algumas simulações para o IBC-Br de março e o consequente crescimentodo PIB do 1T13. Trabalhamos com o crescimento entre 0,5% e 1% do índice do BC, em linhacom uma expansão do produto entre 0,8% e 1,0% t/t dessazonalizado. Ou seja, pouco abaixoda expectativa do BC de crescimento de 1% no período em questão. PIB e IBC-Br – crescimento mensal e trimestral, livres de efeitos sazonais IBC-Br de março -1.0% -0.5% 0.0% 0.5% 1.0% PIB 1T13 0.3% 0.5% 0.6% 0.8% 1.0% Fonte: IBGE e BC; elaboração: Pine ResearchMarco Antonio Maciel Marco Antonio CarusoEconomista-chefe EconomistaBanco Pine Banco Pine
  5. 5. Horário País Indicador Data PINE Consenso AnteriorSegunda-feira, 08/04/2013 Produção Industrial (s.a. - MoM) - 0,3% 0,0%07:00 Alemanha fev/13 Produção Industrial (s.a. -YoY) - -0,9% -1,3%08:00 Brasil IPC-S (1ª Quadrissemana) 07/abr - 0,68% 0.52%15:00 Brasil Balança Comercial Semanal (USD mi) 07/abr - - 16520:15 EUA Discurso: Ben Bernanke em Conferência do FED - - - -22:30 China Preços ao Consumidor (YoY) mar/13 - 2,5% 3.2%22:30 China Preços ao Produtor (YoY) mar/13 - -1,8% -1,6%Terça-feira, 09/04/201303:00 Alemanha Balança Comercial (EURO bi) fev/13 - 15,0 13,705:00 Brasil IPC (1ª Quadrissemana) 07/abr - -0,11% 0,06%08:00 Brasil IGP-DI mar/13 0,18% 0,20% 0,19%08:30 EUA Confiança do Pequeno Empresário mar/13 - 90,8 90,810:30 - WEO - Capítulos Analíticos - - - -11:00 EUA Estoques do Atacado fev/13 - 0.5% 1,2%11:00 Brasil Indicadores Industriais (NUCI) fev/13 - - 84,0%22:30 China Balança Comercial (USD bi) mar/13 - - 15,25Quarta-feira, 10/04/201306:00 OCDE Leading Indicators - - - -08:00 EUA Pedido de Hipotecas (Semanal) 05/abr - - -4,0% IPCA (MoM) 0,48% 0,50% 0,60%09:00 Brasil mar/13 IPCA (YoY) 6,60% 6,61% 6,31%09:00 Brasil PIM: Produção Industrial - Emprego e Salário fev/13 - - -12:00 Itália Leilão de Títulos (Bills) - - - -12:30 Brasil Fluxo Cambial Semanal (USD mi) 05/abr - - 12715:00 EUA Resultado Fiscal Mensal (USD bi) mar/13 - - -203,515:00 EUA Ata do FOMC - - - - - EUA Presidente Obama Envia Orçamento 2014 ao Congresso - - - -Quinta-feira, 11/04/2013 Preços ao Consumidor (MoM) - 0,5% 0,5%03:00 Alemanha mar/13 Preços ao Consumidor (YoY) - 1,4% 1,4%05:00 Z. do Euro Relatório Mensal BCE - - - -06:00 Itália Leilão de Títulos (Bonds) - - - -08:00 Brasil IGP-M (1ª Prévia) abr/13 - 0,26% 0,15% Vendas no Varejo (Restrito - MoM) 1,0% 1,5% 0,6%09:00 Brasil fev/13 Vendas no Varejo (Restrito - YoY) 2,1% 3,7% 5,9% Vendas no Varejo (Ampliado - MoM) 0,0% - 0.2%09:00 Brasil fev/13 Vendas no Varejo (Ampliado - YoY) 2,5% 2,5% 7,1%09:30 EUA Preços de Exportações/Importações mar/13 - - -09:30 EUA Jobless Claims 06/abr - 360.000 385.000Sexta-feira,12/04/2013 Produção Industrial (MoM) - 0,2% -0,4%06:00 Z. do Euro fev/13 Produção Industrial (YoY) - -2,5% -1,3%09:30 EUA Vendas do Varejo mar/13 - 0,0% 1,1% Preços ao Produtor (MoM) - -0,1% 0,7%09:30 EUA mar/13 Preços ao Produtor (YoY) - 1,3% 1,7% Núcleo (MoM) - 0,2% 0,2%09:30 EUA mar/13 Núcleo (YoY) - 1,7% 1,7%10:55 EUA Confiança do Consumidor (Preliminar) abr/13 - 78,3 78,611:00 EUA Estoques Empresariais (a.s.) fev/13 - 0,4% 1,0% IBC-Br (Atividade Econômica - MoM) -0,6% -0,38% 1,29% - Brasil fev/13 IBC-Br (Atividade Econômica - YoY) 0,2% 0,19% 3,84%Sábado,13/04/201304:00 Z. do Euro Reunião: Bancos Centrais e Min. das Finanças (EU-27) - - - -
  6. 6. DisclaimersEste relatório foi preparado pelo Banco Pine S.A. (“Banco PINE”), instituição financeira validamente existente de acordo com as leisda República Federativa do Brasil. PINE Securities USA LLC (“PINE US”), broker-dealer registrada na U.S. Securities and ExchangeCommission e membro da Financial Industry Regulatory Authority and the Securities Investor Protection Corporation, estádistribuindo este relatório nos Estados Unidos da América. A PINE US é uma afiliada do Banco PINE. A PINE US assume totalresponsabilidade por este relatório sob a lei dos Estados Unidos da América. Qualquer norte-americano que receber este relatório edesejar efetuar qualquer transação com valores mobiliários abordado neste relatório deve fazê-lo com PINE no +1-646-398-6900, 645Madison Avenue, New York, NY 10022. Qualquer referência ao PINE inclui, também, Banco PINE e PINE US, conforme aplicável.Este relatório é para distribuição apenas nas circunstâncias permitidas pela lei aplicável. Este relatório não é dirigido a você se o PINEfor proibido ou restringido por qualquer legislação ou regulamentação em qualquer jurisdição. Você deve se certificar antes da leituraque o PINE é permitido para fornecer este material sobre investimentos pra você no âmbito da legislação e regulamentos aplicáveis.Nada neste relatório constitui indicação de que a estratégia de investimento ou recomendações aqui citadas são adequadas ao perfildo destinatário ou apropriadas as circunstâncias individuais do destinatário e tampouco constituem uma recomendação pessoal. Esterelatório possui caráter informativo, não constitui material promocional e não foi produzido como uma solicitação de compra ouvenda de qualquer ativo ou instrumentos financeiros relacionados em qualquer jurisdição. Os dados que aparecem nos gráficosreferem-se ao passado, a rentabilidade obtida no passado, não representando garantia de rentabilidade futura. Os preços e demaisinformações contidas neste relatório são críveis e dignos de confiança na data de publicação do mesmo e foram obtidas de uma, oumais, das fontes a seguir descritas: (i) fontes expressas ao lado da informação; (ii) preço de cotação no principal mercado regulado dovalor mobiliário em questão; (iii) fontes públicas confiáveis; ou (iv) base de dados do PINE. Todas as informações aqui contidas foramobtidas de fontes públicas, as quais acreditamos serem confiáveis e de boa fé a partir da data em que este relatório foi emitido.Nenhuma garantia ou declaração, tanto expressa quanto implícita, é provida em relação à exatidão, abrangência ou confiabilidadedas informações aqui contidas, com exceção das informações referentes ao PINE, suas subsidiárias e afiliadas. Também não tem ointuito de ser uma declaração completa ou um resumo sobre os ativos, mercados ou estratégias abordadas no documento. Em todos oscasos, investidores devem conduzir suas próprias investigações e análises antes de proceder ou deixar de proceder qualquer açãorelacionada aos valores mobiliários analisados neste relatório.O PINE não praticou atividades de formador de mercado de valores mobiliários da companhia objeto, no momento em que esterelatório foi publicado. Ademais, o PINE não se responsabiliza assim como não garante que os investidores irão obter lucros. PINEtampouco irá dividir qualquer ganho de investimentos com os investidores assim como não irá aceitar qualquer passivo causado porperdas. Investimentos envolvem riscos e os investidores devem ter prudência ao tomar suas decisões de investimento. O PINE não temobrigações fiduciárias com os destinatários deste relatório e, ao divulgá-lo, não apresenta capacidade fiduciária. O presente relatórionão deve ser considerado pelos destinatários como um substituto para o exercício do seu próprio julgamento. Opiniões, estimativas eprojeções expressas aqui constituem o julgamento atual do analista responsável pelo conteúdo deste relatório na data na qual foipreparada e por isso, está sujeito a mudanças sem aviso e pode diferir ou ser contrário a opiniões expressas por outras áreas denegócios ou grupos do PINE e suas afiliadas ou subsidiárias como resultado do uso de diferentes hipóteses e critérios. Preços edisponibilidade de instrumentos financeiros são apenas indicativos e estão sujeitos a mudanças sem aviso.A análise contida aqui é baseada em diversas hipóteses. Diferentes hipóteses podem ter resultados substancialmente diferentes. Osanalistas responsáveis pela preparação deste relatório podem interagir com a mesa de operações, mesa de vendas e outrosdepartamentos, com o intuito de reunir, sintetizar e interpretar informações de mercado. O PINE não está sob a obrigação deatualizar ou manter atualizada a informação contida neste relatório. O PINE confia no uso de barreira de informação para controlar ofluxo de informação contida em uma ou mais áreas dentro do PINE, em outras áreas, unidades, grupos e filiadas do PINE. Aremuneração do analista responsável pelo relatório é determinada pela direção do departamento de pesquisa e pelos diretoresseniores do PINE. A remuneração do analista não é baseada mas pode ser relacionada às receitas do PINE como um todo, incluindoárea de investimentos, vendas e operações.Os ativos de dívida mencionados neste relatório podem não estar disponíveis para venda em todas as jurisdições ou para certascategorias de investidores. Opções, derivativos e futuros não são adequados a todos os investidores e a negociação desses tipos deinstrumentos é considerada arriscada. Hipotecas e ativos lastreados em títulos de crédito podem envolver alto grau de risco e podemser altamente voláteis em resposta às taxas de juros ou outras variáveis de mercado. Performance passada não é indicação deresultado futuro. Se um instrumento financeiro é cotado em uma moeda que não a do investidor, mudanças nas taxas de câmbiopodem afetar de forma adversa o valor, o preço ou o retorno proveniente de qualquer ativo mencionado nesse documento e o leitordeve considerar o risco relacionado ao descasamento de moedas.Este relatório não leva em consideração objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades especiais de nenhuminvestidor em particular. Investidores devem buscar orientação financeira baseada em suas particularidades antes de tomar qualquerdecisão de investimento baseadas nas informações aqui contidas. Para recomendações de investimento, execução de ordens denegociação ou outras funções correlacionadas, os clientes devem contatar seus representantes de vendas locais. O PINE, suas empresaafiliadas, subsidiárias, seus funcionários, diretores e agentes não se responsabilizam e não aceitam nenhum passivo oriundo de perdaou prejuízo eventualmente provocado pelo uso de parte ou da integralidade do presente relatório.Qualquer preço apresentado neste relatório possui caráter informativo e não representa avaliação individual do valor de mercado doativo ou outro instrumento. Não há garantias de que qualquer transação pode ou pôde ter sido efetuada nos preços apresentadosneste relatório. Os preços eventualmente apresentados não necessariamente representam os preços contábeis internos ou os preçosteóricos provenientes de avaliação por modelos do PINE e podem estar baseados em premissas específicas. Premissas específicasassumidas pelo PINE ou por terceiros podem ter resultados substancialmente diferentes.Este relatório não pode ser reproduzido ou distribuído por qualquer outra pessoa, parcialmente ou em sua totalidade, sem o prévioconsentimento por escrito do PINE.Informações adicionais acerca dos instrumentos financeiros mencionados nesta apresentação estão disponíveis sob consulta.O PINE e suas afiliadas têm acordos para gerenciar conflitos de interesses que possam surgir entre eles e seus respectivos clientes eentre seus clientes diversos. O PINE e suas afiliadas estão envolvidas em uma gama completa de serviços financeiros e relacionados,incluindo bancário e a prestação de serviços de investimento. Assim, o PINE ou suas afiliadas podem ter um interesse material ou umconflito de interesse em qualquer dos serviços prestados aos clientes pelo PINE ou suas afiliadas. As áreas de negócio dentro do PINE eentre suas afiliadas operam independentemente uma das outras e restringem o acesso a determinado indivíduo responsável pelotratamento dos assuntos do cliente a determinadas áreas da informação, onde este é necessário para gerenciar conflitos de interessesou interesses materiais.Certificação de AnalistasOs analistas responsáveis pela elaboração deste relatório de análise são certificados e as opiniões aqui expressadas refletemexclusivamente suas opiniões pessoais, sendo que as opiniões sobre qualquer dos emissores ou valores mobiliários analisados nesterelatório foram preparadas de forma autônoma e independente.

×