SlideShare uma empresa Scribd logo
22/7/2010




                                    ESTRATÉGIA DE
                                         RECURSOS HUMANOS




                                    AULA 2 - CONTEÚDOS

                                       A concepção de Estratégia: o
         PROFESSORES                 posicionamento estratégico do RH.

         ANDRÉIA LOPES
                                       Apr endizagem      organizac ional:
     ROBINSON FERNANDES              conceitos e abordagens.
         TATIANA VIDAL




AULA 2 - CONTEÚDOS

                                                 IMPORTANTE
  Sociologia do Trabalho.
                                                  LEMBRAR!

   Gover nanç a   Corporativa   e
Universidade Corporativa.




                                                                               1
22/7/2010




“O começo da sabedoria é encontrado
na dúvida; duvidando começamos a
questionar, e procurando podemos
achar a verdade.”
                     Pierre Abelard




                                                           PLAY




 ALGUNS OUTROS CONCEIT OS...          ALGUNS OUTROS CONCEIT OS...


                                      Para Ans off (1990), “é o fio condutor
Para Druc ker ( 1994), “é uma
                                      entre o passado e o presente”.
perspectiva, uma maneira como a
empr esa res ponde as seguintes
perguntas: o que é nossa empresa?     Para Quin (1986), “é um padrão ou
Qual é a missão? O que ela dever ia   plano que integra, de uma for ma
ser?                                  coesa, os pr inc ipais objetivos,
                                      políticas  e   aç ões   de   uma
                                      organização.”




                                                                                2
22/7/2010




PLANEJAM ENT O ESTRAT ÉGICO DE RH




                                                             DEVE SER
                                                             ANALISADO SOB
                                                             3 PERSPECTIVAS:




     Busca       de   alinhamento das
     características executivas e das
     práticas de gestão de pessoas às
     estratégiasempresariais.

     Previsão de demandas relacionadas às
     forças de trabalho dadas certas
     orientaçõesestratégicas.

     Inserção do modelo de gestão de
     pessoas ao s e sforços de alinhamento
                                                É im portante: posicion ar-se
     entre estratégia e estrutura.              ESTRAT EGICAM ENT E!




                                             A organização tem ciência do perfil e
     Posic ionar estrategicamente um         da     demanda   de     colaboradores
     Planejamento      Estr atégico de       necessários para atingir seu objetivo
     Recursos Humanos implica atender        estratégico?
     aos seguintes pontos:
                                             A força de trabalho disponível atende
                                             às necessidades organizacionais ou
                                             precisa de capacitação e adaptação
                                             dosCHA
                                                 CHA?

                                             O modelo de gestão da organização
                                             está de acordo o plano estratégico
                                             definido?




                                                                                     3
22/7/2010




                                                         PARA REFLETIR...
   CHA
                               COMPETÊNCIA
                                                            “Definir  precisamente   a   meta
                                                            pretendida de modo que cada
                                    ATITUDE                 gerente possa elaborar detalhados
                                                            planos de trabalho para garantir o
                                 HABILIDADE                 cumprimento da meta.”




       COMPORTAMENTO PARA ESTRATÉGIAS                       Para que um objetivo estratégico seja
            COMPETITIVAS DISTINTAS                          bem delineado é preciso que ele seja:

Comportamento repetitivo, Versus         comportamento
previsível                inovador, criativo               ESPECÍFICO              MENSURÁVEL
Comportamento focado no Versus           comportamento
curto prazo               focado no longo prazo
Comportamento cooperativo, Versus      comportamento                                ALCANÇÁVEL
                                                            ASSOCIADO
interdependente            independente, autônomo
                                                            AO TEMPO
Comportamento com pouca Versus comportamento co m
ênfase na qualidade       muita ênfase na qualidade                           REALISTA
Comportamento co m ênfase Versus comportamento co m
na quantidade             pouca ênfase na quantidade




                                                                                 Administração      do
                                                                                 desempenho

                                                                                 Remuneração


                                                                                 Relação com        os
                                                                                 funcionários

           ESTRATÉGIAS OPERACIONAIS DE                                           Treinamento     e
               GESTÃO DE PESSOAS                                                 desenvolvimento




                                                                                                           4
22/7/2010




                     Recrutamento        e
                     seleção

                     Comunicação com
                     os funcionários


                     Gestão da cultura

                                                                         APRENDIZAGEM
                    Gestão da mudança                                    ORGANIZACIONAL




             APRENDIZAGEM                                  PARADIGMA CARTESIANO
                                                                    X
                                                              NOVO PARADIGMA

                                              PARADIGMA CARTESIANO             NOVO PARADIGMA
 PARADIGMA
 CARTESIANO                                  Lógica linear: uma causa – Não linear: diversas causas –
                                             um efeito                  diversos efeitos
                                             Fragmentação:              Estrutura          em      rede:
                         NOVO
                       PARADIGMA             conhecimento de uma parte conhecimento        de   todo    o
                                             do processo                processo




  OS 4 DOMÍNIOS DO PROCESSO DE               PARA REFLETIR...
          APRENDIZAGEM


  DOMÍNIO                DOMÍNIO
 COGNITIVO               AFETIVO                  Sobre a formação dos grupos formais
                                                  e informais. Como seria então, definir
                                                  as estratégias de recursos humanos e
                                                  aprendizagem organizacional sob a
                                                  percepção da formação desse grupos
 DOMÍNIO                      DOMÍNIO             diferenciados?
RELACIONAL                   BIOLÓGICO




                                                                                                            5
22/7/2010




E quando falamos em APRENDIZAGEM
ORGANIZACIONAL, quem não lembra do
termo:
                                                Os sere s humanos hoje
                                                nas organizações são
                                                considerados um ATIVO
             ERA DO                             INTANGÍVEL. O      que
          CONHECIM ENTO                         acha disso?




                                          Um   processo  de       APRENDIZAGEM
                                          CONTÍNUA pressupõe:


                                            Estar aberta às mudanças

                                            Trabalhar com inovação e criatividade
APRENDIZAGEM
  INDIVIDUAL                                Organizar as ideias

                                            Promover um ambiente flexível
                      APRENDIZAGEM
                        COLETIVA            Acompanhar as tendências do mercado




     INTELIGÊNCIA EMOCIONAL               NÍVEIS DE INTELIGÊNCIA EMOCIONAL


                                              Auto-conhecimento emocional
 Conceito disseminado pela Psicologia
 que relaciona e expõe a capacidade do        Controle emocional
 ser humano de reconhecer seus próprios
 sentimentos, limites e também das            Auto-motivação
 pessoas com as quais se relaciona,
 proporcionando maior facilidade no
                                              Empatia
 relacionamento, intra e interpessoal.
                                              Aptidão social




                                                                                       6
22/7/2010




     TIPOS MAIS FREQUENTES DE RITUAIS                      TIPOS MAIS FREQUENTES DE RITUAIS
             NA ORGANIZAÇÃO                                        NA ORGANIZAÇÃO


           Iniciação
                                                              Renovação

           Reconhecimento
                                                              Integração

           Degradação                                         Redução de conflitos




                                                             Para Castro (2009),



                                                            O fenômeno social é produto da
                                                            interação que se concretiz a numa
                                                            configuração – ambiente f ísico,
                                                            complexo         cultur al, momento
                                                            histór ico, alicerçado em v alores e
                                                            padrões.
                  SOCIOLOGIA DO TRABALHO




                                                           PROCESSOS SOCIAIS QUE PODEM SER
                  CONTATOS SOCIAIS                             APLICADOS NO AMBIENTE
                                                                  ORGANIZACIONAL:
           TIPO                   REALIZAÇÃO
Direto                 Sem intermediário, face a face                                ACOMODAÇÃO
                                                           COOPERAÇÃO
Indireto               Com intermediário
Primário               Com envolvimento total                                        ASSIMILAÇÃO
                                                            COMPETIÇÃO
Secundário             Com envolvimento parcial
Categórico             Por meio de estereótipos                                       CONFLITO
Simpático              Confirma ou rejeita o estereótipo




                                                                                                        7
22/7/2010




PARA REFLETIR...
                                                          TRABALHO


 Organização é o conjunto das relações entre
 os membros de um grupo – e entre grupos –
 conformado com uma estrutura. O grupo
 organizado compreende valores, padrões,
 modelos e normas que embasam o                                                    LAZER
 comportamento de seusmembros.




                                                            MÉTODOS DE SOCIALIZA ÇÃO
  CARACTERÍSTICAS FUNCIONAIS
                                                             Processo seletivo
      TRABALHO                       LAZER
- Atividades nas quais o                                               Conteúdo do cargo
  esforço é dirigido para - Descanso
  produção de bens e - Diversão                            Supervisor como tutor
  serviços                - Participação em atividades
- Desenvolver-se em lugar   sociais que contribuem para
  determinado               o desenvolvimento cultural,                Equipe de trabalho
- Contar com tempo artístico, cívico, enfim, da
  determinado        para personalidade
  execução                                                Programa de integração




        PRINCIPA IS ITENS DE UM
      PROCESSO DE SOCIALIZA ÇÃ O


          Assuntos Organizacionais

          Benefícios Oferecidos

           Relacionamento

          Deveres do novo participante                         GOVERNA NÇA CORPORATIVA




                                                                                                   8
22/7/2010




 ALGUNS CONCEIT OS...                    ALGUNS OUTROS CONCEIT OS...


A governança s e constitui em fator      Conjunto de mecanismos que serve para
estratégico para que a organização       monitorar a gestão e o desempenho das
                                         organizações.
desenvolva      suas      atividades
embasada em modelos de gestão
que promovam a confiança entre           Ferramenta que visa contribuir para o
colaboradores e clientes.                acompanhamento da gestão estratégica
                                         organizacional.




Na     implantação    da    governança
corporativa, a organização pode adotar
como estratégia a formação de:

- Conselho: aconselha nas     decisões
estratégicasda organização.

- Comitê: corrobora que para que os
conselhos          cumpram      suas
responsabilidades.
                                             UNIVERSIDA DE CORPORATIVA




 ALGUNS CONCEIT OS...


Uma entidade dentro da organização         Unidade    organizacional
encarregada de proporcionar aos seus       estrategicamente
colaboradores  as competências       e     projetada para integrar o
entendimento que estes necessitam para     desenvolvimento        de
ajudar a organização a atingir seus
                                           recursos humanos.
objetivos.
                Gouveia e Trigo (2004)




                                                                                  9
22/7/2010




                                                   Para Mudin (2002),


                                                   “O princ ipal objetivo da educação
                                                   corporativa é evitar que o profissional
                                                   se des atualize técnica, cultural e
                                                   profissionalmente.”
EDUCA ÇÃO CORPORATIVA




                                                  PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DA
                                                     EDUCAÇÃO CORPORATIVA:

  A educação corporativ a é o conjunto de                                  FOCO EM
                                                 PROATIVIDADE             SETORES
  práticas educacionais planejadas para
  promover          oportunidades          de                            ESPECÍFICOS
  desenvolvimento do funcionário, com a           ORGANIZAÇÃO
  finalidade de ajudá-lo a atuar mais efetiva     CENTRALIZADA           APROFUNDAR
  e eficazmente na sua vida institucional.
                                                                       FORMAS DE AÇÃO

                  Mundin apud Silva (2002)
                                                      DEMOCRATIZAÇÃO
                                                      DO CONHECIMENTO




 PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DA                     UNIVERSIDADE
    EDUCAÇÃO CORPORATIVA:                           CORPORATIVA
                                                         +
                                                     EDUCAÇÃO
                            PROPICIAR
                                                    CORPORATIVA
                            EDUCAÇÃO                     =
TRANSFORMAR-SE             CONTINUADA           DESENVOLVIMENTO DO
 EM CENTRO DE
                                                   COLABORADOR
  RESULTADOS
                        DAR SENTIDO ÀS
                          AÇÕES DE
                         CAPACITAÇÃO                                   DESENVOLVIMENTO
 TER O PAPEL DE                                                         ORGANIZACIONAL
  FACILITADOR




                                                                                             10
22/7/2010




    PRINCÍPIOS DE SUCESSO DE UM               PRINCÍPIOS DE SUCESSO DE UM
        SISTEMA DE EDUCAÇÃO                       SISTEMA DE EDUCAÇÃO
             CORPORATIVA                               CORPORATIVA

                          CONECTIVIDADE                                   CIDADANIA
  COMPETITIVDADE


       PERPETUIDADE                                 PARCERIA


                         DISPONIBILIDADE                            SUSTENTABILIDADE




    IMPORTANTE PARA A CONSTITUIÇÃO
         DE UMA UNIVERSIDADE                 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
             CORPORATIVA:
                                           CHIAVEN ATO, Idalberto. Gestão de Pessoas: e
      Ser estratégica
                                           o novo papel do recursos humanos. 8ª ed. Rio
                                           de Janeiro: Elsev ier, 2004.
       Desenvolver a empregabilidade dos   DRUCKER,        Peter.     Fator  humano      e
    colaboradores                          desempenho. Ed. Compacta. São Paulo: Atlas,
                                           2008.
       Assegurar vantagem competitiva      DESSLER, Gary. Administração em recursos
                                           humanos. 2ª ed. São Paulo: Prentice Hall, 2003.
       Organização e atuação proativas




“A adversidade une os homens e
                                                                       PLAY
produz beleza e harmonia nos
relacionamentos.”
                  Soren Kierkegaard




                                                                                             11

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

111119.win.lp.catálogo de formação publico.v1
111119.win.lp.catálogo de formação publico.v1111119.win.lp.catálogo de formação publico.v1
111119.win.lp.catálogo de formação publico.v1
carla_madeira
 
Apostila 02 rh 02
Apostila 02 rh 02Apostila 02 rh 02
Apostila 02 rh 02
admcontabil
 
945
945945
Aula 14 ucam 204.1 - adm rh - políticas de gp
Aula 14   ucam 204.1 - adm rh - políticas de gpAula 14   ucam 204.1 - adm rh - políticas de gp
Aula 14 ucam 204.1 - adm rh - políticas de gp
Angelo Peres
 
Aula 1. arquitetura organizacional.pptm
Aula 1.   arquitetura organizacional.pptmAula 1.   arquitetura organizacional.pptm
Aula 1. arquitetura organizacional.pptm
Claudio Parra
 
Evento de GC no IPEA - Apresentação Petrobras
Evento de GC no IPEA - Apresentação PetrobrasEvento de GC no IPEA - Apresentação Petrobras
Evento de GC no IPEA - Apresentação Petrobras
inovaDay .
 
Competências essenciais
Competências essenciaisCompetências essenciais
Competências essenciais
Natalia Bogdan
 
Gp aula-8
Gp aula-8Gp aula-8
Gp aula-8
Samuel Fernandes
 
Apostila adm rh
Apostila adm rhApostila adm rh
Apostila adm rh
apostilacontabil
 
Balance Scorecard de TIC
Balance Scorecard de TICBalance Scorecard de TIC
Balance Scorecard de TIC
Eduardo Fagundes
 
Cargos e salarios
Cargos e salariosCargos e salarios
Cargos e salarios
Rafael Oliveira Borges
 
Gestão de mudanças
Gestão de mudanças Gestão de mudanças
Gestão de mudanças
zeusi9iuto
 
Winning.catalogo.formação
Winning.catalogo.formaçãoWinning.catalogo.formação
Winning.catalogo.formação
carla_madeira
 
Como Desenvolver CompetêNcias Dentro Da Empresa
Como Desenvolver CompetêNcias Dentro Da EmpresaComo Desenvolver CompetêNcias Dentro Da Empresa
Como Desenvolver CompetêNcias Dentro Da Empresa
CDuque - freelancer Student Mentoring & Coaching
 
Prova Administracao
Prova AdministracaoProva Administracao
Prova Administracao
martinivictal
 
Projeto Gestão de Pessoas
Projeto Gestão de PessoasProjeto Gestão de Pessoas
Projeto Gestão de Pessoas
manskinho
 
Apostila 01 rh 03
Apostila 01 rh 03Apostila 01 rh 03
Apostila 01 rh 03
admcontabil
 
Apostila gestao-de-pessoas
Apostila gestao-de-pessoasApostila gestao-de-pessoas
Apostila gestao-de-pessoas
José Luiz Costa
 

Mais procurados (18)

111119.win.lp.catálogo de formação publico.v1
111119.win.lp.catálogo de formação publico.v1111119.win.lp.catálogo de formação publico.v1
111119.win.lp.catálogo de formação publico.v1
 
Apostila 02 rh 02
Apostila 02 rh 02Apostila 02 rh 02
Apostila 02 rh 02
 
945
945945
945
 
Aula 14 ucam 204.1 - adm rh - políticas de gp
Aula 14   ucam 204.1 - adm rh - políticas de gpAula 14   ucam 204.1 - adm rh - políticas de gp
Aula 14 ucam 204.1 - adm rh - políticas de gp
 
Aula 1. arquitetura organizacional.pptm
Aula 1.   arquitetura organizacional.pptmAula 1.   arquitetura organizacional.pptm
Aula 1. arquitetura organizacional.pptm
 
Evento de GC no IPEA - Apresentação Petrobras
Evento de GC no IPEA - Apresentação PetrobrasEvento de GC no IPEA - Apresentação Petrobras
Evento de GC no IPEA - Apresentação Petrobras
 
Competências essenciais
Competências essenciaisCompetências essenciais
Competências essenciais
 
Gp aula-8
Gp aula-8Gp aula-8
Gp aula-8
 
Apostila adm rh
Apostila adm rhApostila adm rh
Apostila adm rh
 
Balance Scorecard de TIC
Balance Scorecard de TICBalance Scorecard de TIC
Balance Scorecard de TIC
 
Cargos e salarios
Cargos e salariosCargos e salarios
Cargos e salarios
 
Gestão de mudanças
Gestão de mudanças Gestão de mudanças
Gestão de mudanças
 
Winning.catalogo.formação
Winning.catalogo.formaçãoWinning.catalogo.formação
Winning.catalogo.formação
 
Como Desenvolver CompetêNcias Dentro Da Empresa
Como Desenvolver CompetêNcias Dentro Da EmpresaComo Desenvolver CompetêNcias Dentro Da Empresa
Como Desenvolver CompetêNcias Dentro Da Empresa
 
Prova Administracao
Prova AdministracaoProva Administracao
Prova Administracao
 
Projeto Gestão de Pessoas
Projeto Gestão de PessoasProjeto Gestão de Pessoas
Projeto Gestão de Pessoas
 
Apostila 01 rh 03
Apostila 01 rh 03Apostila 01 rh 03
Apostila 01 rh 03
 
Apostila gestao-de-pessoas
Apostila gestao-de-pessoasApostila gestao-de-pessoas
Apostila gestao-de-pessoas
 

Semelhante a Slides da aula_02_estratégias_de_rh_adm_c9

Aula Avaliação de Desempenho 3
Aula Avaliação de Desempenho 3Aula Avaliação de Desempenho 3
Aula Avaliação de Desempenho 3
Juliana Baino
 
Aula Planejamento Estratégico de Pessoas
Aula   Planejamento Estratégico de PessoasAula   Planejamento Estratégico de Pessoas
Aula Planejamento Estratégico de Pessoas
Rafael Gonçalves
 
Evolução do RH, Cenários, Diagnóstico e Planejamento estratégico de RH
Evolução do RH, Cenários, Diagnóstico e Planejamento estratégico de RHEvolução do RH, Cenários, Diagnóstico e Planejamento estratégico de RH
Evolução do RH, Cenários, Diagnóstico e Planejamento estratégico de RH
Adelia Araujo
 
Gestão do Design: A experiencia como meta estratégica - Caso La Moda
Gestão do Design: A experiencia como meta estratégica - Caso La ModaGestão do Design: A experiencia como meta estratégica - Caso La Moda
Gestão do Design: A experiencia como meta estratégica - Caso La Moda
Igor Drudi
 
As Melhores Práticas em Gestão de Pessoas - Balanced Scorecard
As Melhores Práticas em Gestão de Pessoas -  Balanced Scorecard As Melhores Práticas em Gestão de Pessoas -  Balanced Scorecard
As Melhores Práticas em Gestão de Pessoas - Balanced Scorecard
Luis Eduardo Carvalho
 
Apresentação INSTIAD
Apresentação INSTIAD Apresentação INSTIAD
Apresentação INSTIAD
lcbinato
 
Resumo Cert Estrat Ibgc
Resumo Cert Estrat IbgcResumo Cert Estrat Ibgc
Resumo Cert Estrat Ibgc
IBGC Chapter Parana
 
Aula 01 O que é estratégia
Aula 01   O que é estratégiaAula 01   O que é estratégia
Aula 01 O que é estratégia
alemartins10
 
Um Estudo sobre o Conceito de Estratégia (Nicolau)
Um Estudo sobre o Conceito de Estratégia (Nicolau)Um Estudo sobre o Conceito de Estratégia (Nicolau)
Um Estudo sobre o Conceito de Estratégia (Nicolau)
Felipe Guedes Pinheiro
 
Gestão de pessoas 14 09
Gestão de pessoas 14 09Gestão de pessoas 14 09
Gestão de pessoas 14 09
Priscila Alves
 
Institucional Prognosis Organizational
Institucional Prognosis OrganizationalInstitucional Prognosis Organizational
Institucional Prognosis Organizational
Adriano Batista
 
Caderno - Gestão de Pessoas
Caderno - Gestão de PessoasCaderno - Gestão de Pessoas
Caderno - Gestão de Pessoas
Cadernos PPT
 
Aula 01 Gestão de Pessoas
Aula 01 Gestão de PessoasAula 01 Gestão de Pessoas
Aula 01 Gestão de Pessoas
MarcosAurlio312929
 
Blink Consulting Apresentacao 2011
Blink Consulting Apresentacao 2011Blink Consulting Apresentacao 2011
Blink Consulting Apresentacao 2011
quicas
 
6a aula REVISÃO GERAL comportamento organizacional mba rh 2014-1 - última aula
6a aula REVISÃO GERAL comportamento organizacional   mba rh 2014-1 - última aula6a aula REVISÃO GERAL comportamento organizacional   mba rh 2014-1 - última aula
6a aula REVISÃO GERAL comportamento organizacional mba rh 2014-1 - última aula
Ana Gabriela Ribeiro Dezan
 
Competências do profissional de RH
Competências do profissional de RHCompetências do profissional de RH
Competências do profissional de RH
Virgínia Conde
 
Planejamento Estrategico
Planejamento EstrategicoPlanejamento Estrategico
Planejamento Estrategico
azevedoac
 
O planejamento estrategico
O planejamento estrategicoO planejamento estrategico
O planejamento estrategico
Claudio Santos
 
Rb Summit
Rb SummitRb Summit
A importância do treinamento e desenvolvimento de pessoas na reestruturação d...
A importância do treinamento e desenvolvimento de pessoas na reestruturação d...A importância do treinamento e desenvolvimento de pessoas na reestruturação d...
A importância do treinamento e desenvolvimento de pessoas na reestruturação d...
Karinie Figueiredo
 

Semelhante a Slides da aula_02_estratégias_de_rh_adm_c9 (20)

Aula Avaliação de Desempenho 3
Aula Avaliação de Desempenho 3Aula Avaliação de Desempenho 3
Aula Avaliação de Desempenho 3
 
Aula Planejamento Estratégico de Pessoas
Aula   Planejamento Estratégico de PessoasAula   Planejamento Estratégico de Pessoas
Aula Planejamento Estratégico de Pessoas
 
Evolução do RH, Cenários, Diagnóstico e Planejamento estratégico de RH
Evolução do RH, Cenários, Diagnóstico e Planejamento estratégico de RHEvolução do RH, Cenários, Diagnóstico e Planejamento estratégico de RH
Evolução do RH, Cenários, Diagnóstico e Planejamento estratégico de RH
 
Gestão do Design: A experiencia como meta estratégica - Caso La Moda
Gestão do Design: A experiencia como meta estratégica - Caso La ModaGestão do Design: A experiencia como meta estratégica - Caso La Moda
Gestão do Design: A experiencia como meta estratégica - Caso La Moda
 
As Melhores Práticas em Gestão de Pessoas - Balanced Scorecard
As Melhores Práticas em Gestão de Pessoas -  Balanced Scorecard As Melhores Práticas em Gestão de Pessoas -  Balanced Scorecard
As Melhores Práticas em Gestão de Pessoas - Balanced Scorecard
 
Apresentação INSTIAD
Apresentação INSTIAD Apresentação INSTIAD
Apresentação INSTIAD
 
Resumo Cert Estrat Ibgc
Resumo Cert Estrat IbgcResumo Cert Estrat Ibgc
Resumo Cert Estrat Ibgc
 
Aula 01 O que é estratégia
Aula 01   O que é estratégiaAula 01   O que é estratégia
Aula 01 O que é estratégia
 
Um Estudo sobre o Conceito de Estratégia (Nicolau)
Um Estudo sobre o Conceito de Estratégia (Nicolau)Um Estudo sobre o Conceito de Estratégia (Nicolau)
Um Estudo sobre o Conceito de Estratégia (Nicolau)
 
Gestão de pessoas 14 09
Gestão de pessoas 14 09Gestão de pessoas 14 09
Gestão de pessoas 14 09
 
Institucional Prognosis Organizational
Institucional Prognosis OrganizationalInstitucional Prognosis Organizational
Institucional Prognosis Organizational
 
Caderno - Gestão de Pessoas
Caderno - Gestão de PessoasCaderno - Gestão de Pessoas
Caderno - Gestão de Pessoas
 
Aula 01 Gestão de Pessoas
Aula 01 Gestão de PessoasAula 01 Gestão de Pessoas
Aula 01 Gestão de Pessoas
 
Blink Consulting Apresentacao 2011
Blink Consulting Apresentacao 2011Blink Consulting Apresentacao 2011
Blink Consulting Apresentacao 2011
 
6a aula REVISÃO GERAL comportamento organizacional mba rh 2014-1 - última aula
6a aula REVISÃO GERAL comportamento organizacional   mba rh 2014-1 - última aula6a aula REVISÃO GERAL comportamento organizacional   mba rh 2014-1 - última aula
6a aula REVISÃO GERAL comportamento organizacional mba rh 2014-1 - última aula
 
Competências do profissional de RH
Competências do profissional de RHCompetências do profissional de RH
Competências do profissional de RH
 
Planejamento Estrategico
Planejamento EstrategicoPlanejamento Estrategico
Planejamento Estrategico
 
O planejamento estrategico
O planejamento estrategicoO planejamento estrategico
O planejamento estrategico
 
Rb Summit
Rb SummitRb Summit
Rb Summit
 
A importância do treinamento e desenvolvimento de pessoas na reestruturação d...
A importância do treinamento e desenvolvimento de pessoas na reestruturação d...A importância do treinamento e desenvolvimento de pessoas na reestruturação d...
A importância do treinamento e desenvolvimento de pessoas na reestruturação d...
 

Mais de Ariela

Slides da aula_03_estratégias_de_rh_adm_c9
Slides da aula_03_estratégias_de_rh_adm_c9Slides da aula_03_estratégias_de_rh_adm_c9
Slides da aula_03_estratégias_de_rh_adm_c9
Ariela
 
Slides da aula_01_estratégias_de_rh_adm_circ.9
Slides da aula_01_estratégias_de_rh_adm_circ.9Slides da aula_01_estratégias_de_rh_adm_circ.9
Slides da aula_01_estratégias_de_rh_adm_circ.9
Ariela
 
Estratégias rh
Estratégias rhEstratégias rh
Estratégias rh
Ariela
 
Apresenta%80%a0%a6%e7%e3o de taxa
Apresenta%80%a0%a6%e7%e3o de taxaApresenta%80%a0%a6%e7%e3o de taxa
Apresenta%80%a0%a6%e7%e3o de taxa
Ariela
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
Ariela
 
Slides de aula_04__esratégias_de_rh_adm_c9
Slides de aula_04__esratégias_de_rh_adm_c9Slides de aula_04__esratégias_de_rh_adm_c9
Slides de aula_04__esratégias_de_rh_adm_c9
Ariela
 
Karl marx abordagens socioantropologicas nas organizações
Karl marx    abordagens socioantropologicas nas organizaçõesKarl marx    abordagens socioantropologicas nas organizações
Karl marx abordagens socioantropologicas nas organizações
Ariela
 
Tecnologia da informação e organização teoria da administração iii
Tecnologia da informação e organização   teoria da administração iiiTecnologia da informação e organização   teoria da administração iii
Tecnologia da informação e organização teoria da administração iii
Ariela
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
Ariela
 

Mais de Ariela (9)

Slides da aula_03_estratégias_de_rh_adm_c9
Slides da aula_03_estratégias_de_rh_adm_c9Slides da aula_03_estratégias_de_rh_adm_c9
Slides da aula_03_estratégias_de_rh_adm_c9
 
Slides da aula_01_estratégias_de_rh_adm_circ.9
Slides da aula_01_estratégias_de_rh_adm_circ.9Slides da aula_01_estratégias_de_rh_adm_circ.9
Slides da aula_01_estratégias_de_rh_adm_circ.9
 
Estratégias rh
Estratégias rhEstratégias rh
Estratégias rh
 
Apresenta%80%a0%a6%e7%e3o de taxa
Apresenta%80%a0%a6%e7%e3o de taxaApresenta%80%a0%a6%e7%e3o de taxa
Apresenta%80%a0%a6%e7%e3o de taxa
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
 
Slides de aula_04__esratégias_de_rh_adm_c9
Slides de aula_04__esratégias_de_rh_adm_c9Slides de aula_04__esratégias_de_rh_adm_c9
Slides de aula_04__esratégias_de_rh_adm_c9
 
Karl marx abordagens socioantropologicas nas organizações
Karl marx    abordagens socioantropologicas nas organizaçõesKarl marx    abordagens socioantropologicas nas organizações
Karl marx abordagens socioantropologicas nas organizações
 
Tecnologia da informação e organização teoria da administração iii
Tecnologia da informação e organização   teoria da administração iiiTecnologia da informação e organização   teoria da administração iii
Tecnologia da informação e organização teoria da administração iii
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 

Slides da aula_02_estratégias_de_rh_adm_c9

  • 1. 22/7/2010 ESTRATÉGIA DE RECURSOS HUMANOS AULA 2 - CONTEÚDOS A concepção de Estratégia: o PROFESSORES posicionamento estratégico do RH. ANDRÉIA LOPES Apr endizagem organizac ional: ROBINSON FERNANDES conceitos e abordagens. TATIANA VIDAL AULA 2 - CONTEÚDOS IMPORTANTE Sociologia do Trabalho. LEMBRAR! Gover nanç a Corporativa e Universidade Corporativa. 1
  • 2. 22/7/2010 “O começo da sabedoria é encontrado na dúvida; duvidando começamos a questionar, e procurando podemos achar a verdade.” Pierre Abelard PLAY ALGUNS OUTROS CONCEIT OS... ALGUNS OUTROS CONCEIT OS... Para Ans off (1990), “é o fio condutor Para Druc ker ( 1994), “é uma entre o passado e o presente”. perspectiva, uma maneira como a empr esa res ponde as seguintes perguntas: o que é nossa empresa? Para Quin (1986), “é um padrão ou Qual é a missão? O que ela dever ia plano que integra, de uma for ma ser? coesa, os pr inc ipais objetivos, políticas e aç ões de uma organização.” 2
  • 3. 22/7/2010 PLANEJAM ENT O ESTRAT ÉGICO DE RH DEVE SER ANALISADO SOB 3 PERSPECTIVAS: Busca de alinhamento das características executivas e das práticas de gestão de pessoas às estratégiasempresariais. Previsão de demandas relacionadas às forças de trabalho dadas certas orientaçõesestratégicas. Inserção do modelo de gestão de pessoas ao s e sforços de alinhamento É im portante: posicion ar-se entre estratégia e estrutura. ESTRAT EGICAM ENT E! A organização tem ciência do perfil e Posic ionar estrategicamente um da demanda de colaboradores Planejamento Estr atégico de necessários para atingir seu objetivo Recursos Humanos implica atender estratégico? aos seguintes pontos: A força de trabalho disponível atende às necessidades organizacionais ou precisa de capacitação e adaptação dosCHA CHA? O modelo de gestão da organização está de acordo o plano estratégico definido? 3
  • 4. 22/7/2010 PARA REFLETIR... CHA COMPETÊNCIA “Definir precisamente a meta pretendida de modo que cada ATITUDE gerente possa elaborar detalhados planos de trabalho para garantir o HABILIDADE cumprimento da meta.” COMPORTAMENTO PARA ESTRATÉGIAS Para que um objetivo estratégico seja COMPETITIVAS DISTINTAS bem delineado é preciso que ele seja: Comportamento repetitivo, Versus comportamento previsível inovador, criativo ESPECÍFICO MENSURÁVEL Comportamento focado no Versus comportamento curto prazo focado no longo prazo Comportamento cooperativo, Versus comportamento ALCANÇÁVEL ASSOCIADO interdependente independente, autônomo AO TEMPO Comportamento com pouca Versus comportamento co m ênfase na qualidade muita ênfase na qualidade REALISTA Comportamento co m ênfase Versus comportamento co m na quantidade pouca ênfase na quantidade Administração do desempenho Remuneração Relação com os funcionários ESTRATÉGIAS OPERACIONAIS DE Treinamento e GESTÃO DE PESSOAS desenvolvimento 4
  • 5. 22/7/2010 Recrutamento e seleção Comunicação com os funcionários Gestão da cultura APRENDIZAGEM Gestão da mudança ORGANIZACIONAL APRENDIZAGEM PARADIGMA CARTESIANO X NOVO PARADIGMA PARADIGMA CARTESIANO NOVO PARADIGMA PARADIGMA CARTESIANO Lógica linear: uma causa – Não linear: diversas causas – um efeito diversos efeitos Fragmentação: Estrutura em rede: NOVO PARADIGMA conhecimento de uma parte conhecimento de todo o do processo processo OS 4 DOMÍNIOS DO PROCESSO DE PARA REFLETIR... APRENDIZAGEM DOMÍNIO DOMÍNIO COGNITIVO AFETIVO Sobre a formação dos grupos formais e informais. Como seria então, definir as estratégias de recursos humanos e aprendizagem organizacional sob a percepção da formação desse grupos DOMÍNIO DOMÍNIO diferenciados? RELACIONAL BIOLÓGICO 5
  • 6. 22/7/2010 E quando falamos em APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL, quem não lembra do termo: Os sere s humanos hoje nas organizações são considerados um ATIVO ERA DO INTANGÍVEL. O que CONHECIM ENTO acha disso? Um processo de APRENDIZAGEM CONTÍNUA pressupõe: Estar aberta às mudanças Trabalhar com inovação e criatividade APRENDIZAGEM INDIVIDUAL Organizar as ideias Promover um ambiente flexível APRENDIZAGEM COLETIVA Acompanhar as tendências do mercado INTELIGÊNCIA EMOCIONAL NÍVEIS DE INTELIGÊNCIA EMOCIONAL Auto-conhecimento emocional Conceito disseminado pela Psicologia que relaciona e expõe a capacidade do Controle emocional ser humano de reconhecer seus próprios sentimentos, limites e também das Auto-motivação pessoas com as quais se relaciona, proporcionando maior facilidade no Empatia relacionamento, intra e interpessoal. Aptidão social 6
  • 7. 22/7/2010 TIPOS MAIS FREQUENTES DE RITUAIS TIPOS MAIS FREQUENTES DE RITUAIS NA ORGANIZAÇÃO NA ORGANIZAÇÃO Iniciação Renovação Reconhecimento Integração Degradação Redução de conflitos Para Castro (2009), O fenômeno social é produto da interação que se concretiz a numa configuração – ambiente f ísico, complexo cultur al, momento histór ico, alicerçado em v alores e padrões. SOCIOLOGIA DO TRABALHO PROCESSOS SOCIAIS QUE PODEM SER CONTATOS SOCIAIS APLICADOS NO AMBIENTE ORGANIZACIONAL: TIPO REALIZAÇÃO Direto Sem intermediário, face a face ACOMODAÇÃO COOPERAÇÃO Indireto Com intermediário Primário Com envolvimento total ASSIMILAÇÃO COMPETIÇÃO Secundário Com envolvimento parcial Categórico Por meio de estereótipos CONFLITO Simpático Confirma ou rejeita o estereótipo 7
  • 8. 22/7/2010 PARA REFLETIR... TRABALHO Organização é o conjunto das relações entre os membros de um grupo – e entre grupos – conformado com uma estrutura. O grupo organizado compreende valores, padrões, modelos e normas que embasam o LAZER comportamento de seusmembros. MÉTODOS DE SOCIALIZA ÇÃO CARACTERÍSTICAS FUNCIONAIS Processo seletivo TRABALHO LAZER - Atividades nas quais o Conteúdo do cargo esforço é dirigido para - Descanso produção de bens e - Diversão Supervisor como tutor serviços - Participação em atividades - Desenvolver-se em lugar sociais que contribuem para determinado o desenvolvimento cultural, Equipe de trabalho - Contar com tempo artístico, cívico, enfim, da determinado para personalidade execução Programa de integração PRINCIPA IS ITENS DE UM PROCESSO DE SOCIALIZA ÇÃ O Assuntos Organizacionais Benefícios Oferecidos Relacionamento Deveres do novo participante GOVERNA NÇA CORPORATIVA 8
  • 9. 22/7/2010 ALGUNS CONCEIT OS... ALGUNS OUTROS CONCEIT OS... A governança s e constitui em fator Conjunto de mecanismos que serve para estratégico para que a organização monitorar a gestão e o desempenho das organizações. desenvolva suas atividades embasada em modelos de gestão que promovam a confiança entre Ferramenta que visa contribuir para o colaboradores e clientes. acompanhamento da gestão estratégica organizacional. Na implantação da governança corporativa, a organização pode adotar como estratégia a formação de: - Conselho: aconselha nas decisões estratégicasda organização. - Comitê: corrobora que para que os conselhos cumpram suas responsabilidades. UNIVERSIDA DE CORPORATIVA ALGUNS CONCEIT OS... Uma entidade dentro da organização Unidade organizacional encarregada de proporcionar aos seus estrategicamente colaboradores as competências e projetada para integrar o entendimento que estes necessitam para desenvolvimento de ajudar a organização a atingir seus recursos humanos. objetivos. Gouveia e Trigo (2004) 9
  • 10. 22/7/2010 Para Mudin (2002), “O princ ipal objetivo da educação corporativa é evitar que o profissional se des atualize técnica, cultural e profissionalmente.” EDUCA ÇÃO CORPORATIVA PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DA EDUCAÇÃO CORPORATIVA: A educação corporativ a é o conjunto de FOCO EM PROATIVIDADE SETORES práticas educacionais planejadas para promover oportunidades de ESPECÍFICOS desenvolvimento do funcionário, com a ORGANIZAÇÃO finalidade de ajudá-lo a atuar mais efetiva CENTRALIZADA APROFUNDAR e eficazmente na sua vida institucional. FORMAS DE AÇÃO Mundin apud Silva (2002) DEMOCRATIZAÇÃO DO CONHECIMENTO PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DA UNIVERSIDADE EDUCAÇÃO CORPORATIVA: CORPORATIVA + EDUCAÇÃO PROPICIAR CORPORATIVA EDUCAÇÃO = TRANSFORMAR-SE CONTINUADA DESENVOLVIMENTO DO EM CENTRO DE COLABORADOR RESULTADOS DAR SENTIDO ÀS AÇÕES DE CAPACITAÇÃO DESENVOLVIMENTO TER O PAPEL DE ORGANIZACIONAL FACILITADOR 10
  • 11. 22/7/2010 PRINCÍPIOS DE SUCESSO DE UM PRINCÍPIOS DE SUCESSO DE UM SISTEMA DE EDUCAÇÃO SISTEMA DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA CORPORATIVA CONECTIVIDADE CIDADANIA COMPETITIVDADE PERPETUIDADE PARCERIA DISPONIBILIDADE SUSTENTABILIDADE IMPORTANTE PARA A CONSTITUIÇÃO DE UMA UNIVERSIDADE REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS CORPORATIVA: CHIAVEN ATO, Idalberto. Gestão de Pessoas: e Ser estratégica o novo papel do recursos humanos. 8ª ed. Rio de Janeiro: Elsev ier, 2004. Desenvolver a empregabilidade dos DRUCKER, Peter. Fator humano e colaboradores desempenho. Ed. Compacta. São Paulo: Atlas, 2008. Assegurar vantagem competitiva DESSLER, Gary. Administração em recursos humanos. 2ª ed. São Paulo: Prentice Hall, 2003. Organização e atuação proativas “A adversidade une os homens e PLAY produz beleza e harmonia nos relacionamentos.” Soren Kierkegaard 11