Ana muniz forçasintermoleculares

402 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
402
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ana muniz forçasintermoleculares

  1. 1. Forças Intermoleculares
  2. 2.  Quando duas moléculas se aproximam há uma interação de seus campos magnéticos o que faz surgir uma força entre elas. É o que chamamos de força intermolecular. Essas forças variam de intensidade, dependendo do tipo da molécula (polar ou apolar) e, no caso das polares, de quão polares elas são.
  3. 3.  Observação importante: A teoria cinética dos gases assume que a distância entre as moléculas é tão grande que não existe força de atração entre elas. Em estado líquido e sólido as moléculas estão muito próximas e a força atrativa pode ser observada.
  4. 4.  Forças íon-Dipolo: A hidratação é um exemplo de interação  íon-dipolo, pois a molécula de água é polar, tem dois pares de elétrons que não estão fazendo ligações. Quando um íon está em uma solução contendo água, um certo número de moléculas de água irão se ligar a esta íon, por causa das diferenças de cargas entre as moléculas de água e o íon. As interações íon-dipolo são fortes para íons com carga elevada. Em consequência, os cátions pequenos com carga elevada formam, frequentemente, compostos hidratados.
  5. 5. Imagem de Interações íon-dipolo.
  6. 6.  Forças Dipolo-Dipolo: Ocorre entre moléculas polares da mesma substância ou de substâncias diferentes, ambas polares. As moléculas polares participam de interações dipolo-dipolo, que decorrem da atração entre as cargas parciais de suas moléculas. As interações dipolo-dipolo são mais fracas do que as forças entre íons e caem rapidamente com a distância, especialmente nas fases líquida e gás, em que as moléculas estão em rotação.
  7. 7. Imagem forças dipolo-dipolo.
  8. 8.  Forças de London: Intuitivamente podemos pensar que não existem interações atrativas entre moléculas não polares, esta  ideia é errada, sabemos que os elétrons não são estáticos, com posições bem definidas no espaço, muito pelo contrário, a todo momento eles estão se movimentando a uma velocidade próxima a velocidade da luz. Devido a este intenso movimento, ao redor do núcleo de um átomo temos o que chamamos de densidade eletrônica, pois se pudéssemos tirar uma foto de um átomo, iriamos ver uma nuvem de elétrons, e esta nuvem pode se deslocar fazendo que por algum instante a molécula fique com um polo negativo e parte de seu núcleo timidamente exposto, esta pequena exposição do núcleo gera um polo positivo na molécula.
  9. 9.  Este simples deslocamento da nuvem eletrônica é o suficiente para que haja interações entre moléculas, uma vez que basta uma molécula ter um dipolo instantâneo, para que induza as outras moléculas a também terem dipolos instantâneos e assim interagirem entre si.
  10. 10. Interação (dipolo-dipolo induzido) do gás hidrogênio.
  11. 11.  Forças de Hidrogênio: Apesar do nome, a ligação de hidrogênio não é uma ligação covalente. Ela é uma atração intermolecular, na qual um átomo de hidrogênio fica entre dois átomos pequenos, fortemente eletronegativos, que tem pares isolados de elétrons, principalmente N, O ou F. Comumente uma das moléculas deve ter um grupo O-H, N-H, ou H-F, que cede o átomo H, e a outra, um átomo O, N ou F que cede o par isolado de elétrons.
  12. 12.
  13. 13. Bons Estudos!  Trabalho final realizado para a disciplina de Didática. Professor(a) Rachel Colacique. Imagens retiradas do Google.

×