O hino nacional e a bandeira portuguesa

2.304 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Turismo
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.304
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
31
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O hino nacional e a bandeira portuguesa

  1. 1. Que será que temos nesta galeria ??? As cinco Quinas A Portuguesa A evolução da bandeira A república O verde eo vermelho Os Castelos A bandeira Nacional A esfera armilar Henrique Lopes de Mendonça Quem era Alfredo Keil
  2. 2. Menu As cinco quinas simbolizam os cinco reis mouros que D. Afonso Henriques venceu na batalha de Ourique. Os pontos dentro das quinas representam as cinco chagas de Cristo. Diz-se que na batalha de Ourique, Jesus Cristo crucificado apareceu a D. Afonso Henriques, e disse: «Com este sinal, vencerás!» Contando as chagas e duplicando por dois as chagas da quina do meio, perfaz-se a soma de 30, representando os 30 dinheiros que Judas recebeu por ter traído Cristo.
  3. 3. Os sete castelos simbolizam as localidades fortificadas que D. Afonso Henriques conquistou aos Mouros, representando assim a Independência nacional. Menu
  4. 4. Menu A esfera armilar simboliza o mundo que os navegadores portugueses descobriram nos séculos XV e XVI e os povos com quem trocaram ideias e comércio, era o símbolo do rei D. Manuel I e representa a época mais gloriosa de Portugal.
  5. 5. Menu O verde simboliza a esperança . O vermelho simboliza a coragem e o sangue dos Portugueses mortos em combate.
  6. 6. Menu
  7. 7. Menu
  8. 8. Menu
  9. 9. Menu QUEM ERA HENRIQUE LOPES DE MENDONÇA? Henrique Lopes de Mendonça nasceu em Lisboa, em 1856. Foi oficial da Marinha de Guerra, professor de História e Literatura na Escola Superior de Belas Artes e Presidente da Academia das Ciências. Poeta e escritor, deixou uma obra muito variada: peças de teatro, geralmente inspiradas em temas históricos como «A Morta» (sobre D. Inês de Castro), «Afonso de Albuquerque» e «O Duque de Viseu»; um livro intitulado «Estudos sobre navios portugueses nos sécs. XV e XVI»; textos para óperas (libretos) e muitos poemas. Trabalhou com frequência em parceria com Alfredo Keil.
  10. 10. Menu QUEM ERA ALFREDO KEIL? Alfredo Keil nasceu no dia 3 de Julho de 1850, em Lisboa. O pai era alemão e tinha-se instalado em Portugal ainda solteiro. Tornou-se um dos alfaiates mais famosos daquele tempo e casou com uma rapariga de origem alemã. Alfredo estudou no Colégio Britânico e desde pequeno mostrou ter muito jeito para o desenho e para a música. Fez a primeira composição musical aos 12 anos. Quando terminou o liceu foi estudar Artes para a cidade de Nuremberga, na Alemanha. Depois regressou a Portugal e continuou a pintar e compor com igual entusiasmo. Teve grande sucesso e recebeu vários prémios de pintura, nacionais e estrangeiros. As suas músicas, sobretudo as óperas, foram apresentadas nos teatros mais importantes de Portugal, do Brasil e da Itália.
  11. 11. Menu

×