Tecnologia de aplicação de insumos líquidos (Grupo 6)

625 visualizações

Publicada em

Autores

Fabrício Maranho
Fernando H. Bertin
Guilherme Bragato
João Paulo de Oliveira Del’ Massa
Mário K. Galvão

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
625
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tecnologia de aplicação de insumos líquidos (Grupo 6)

  1. 1. FACULDADE DE TECNOLOGIA – FATEC “SHUNJI NISHIMURA” POMPÉIA- SP Tecnologias de AP para Aplicação de Insumos Líquidos Fabrício Maranho Fernando H. Bertin Guilherme Bragato João Paulo de Oliveira Del’ Massa Mário K. Galvão Professor: André Gustavo
  2. 2. IntroduçãoAgricultura Moderna;Novas Máquinas e modelos;Sistemas Eletrônicos embarcados;Insumos Líquidos;
  3. 3. Tecnologias de A. P.  Corte de Seção de Barra
  4. 4. Vantagens Reduzir a fadiga do operador Maior precisão nas operações Redução de 76% nas sobreposições Reduzir falhas humanas Maior rendimento operacional Economia de produto Uma maior concentração do operador em outras funções.
  5. 5. Corte de seção bico a bico
  6. 6. Vantagens Menor impacto ambiental Economia de produto Maior eficiência Controle bico a bico Sobreposição de 4%
  7. 7. Adubação em Taxa variada
  8. 8. Vantagens Menor gasto com análises de solo Menor gasto com produtos Maior eficiência Só irá adubar onde necessitar Menor impactos ambientais Maior produtividade
  9. 9. Aplicação de princípio ativo emT.V
  10. 10. Vantagens Água aplicada com uma vazão e pressão constantes Tamanho de gotas é mantido Permite aplicar diferentes produtos ao mesmo tempo Menor compactação dos solos Menor gasto com combustíveis
  11. 11. MDC e MDIO MDC foi projetado para utilização com insumoslíquidos, com possibilidade de operar com até trêsconcentrados diferentes, obedecendo às dosagenscontidas nos mapas de aplicação.
  12. 12. MDI Placa eletrônica microcontrolada que recebe as informações das taxas de aplicações dos nutrientes enviadas pelo MDC; Recebe também o sinal dos sensores de níveis mínimos do reservatório; Essas informações são processadas e convertidas em sinais elétricos que comandam o conjunto de válvulas proporcionais para controle de vazão.
  13. 13. Conclusão Na aplicação de fertilizantes e corretivos ainda há muito a se evoluir; Existem ainda grandes áreas de estudo; Com o avanço da tecnologia a tendência é sempre gastar menos e produzir mais.
  14. 14. Perguntas ???

×