Aula oriente médio_30-05-2012_parte-1

240 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
240
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula oriente médio_30-05-2012_parte-1

  1. 1. Antonio Pessoa – 23 de Maio de 2012Antonio Pessoa – 23 de Maio de 2012
  2. 2. • O Oriente Médio é uma região de baixa densidade demográfica e as maiores concentraçõesO Oriente Médio é uma região de baixa densidade demográfica e as maiores concentrações ocorrem próximas ao litoral.ocorrem próximas ao litoral.
  3. 3. • O Oriente Médio é uma região de baixa densidade demográfica e as maiores concentraçõesO Oriente Médio é uma região de baixa densidade demográfica e as maiores concentrações ocorrem próximas ao litoral.ocorrem próximas ao litoral. • Apesar de não muito extensa, abriga uma variedade acentuada de etnias.Apesar de não muito extensa, abriga uma variedade acentuada de etnias.
  4. 4. • O Oriente Médio é uma região de baixa densidade demográfica e as maiores concentraçõesO Oriente Médio é uma região de baixa densidade demográfica e as maiores concentrações ocorrem próximas ao litoral.ocorrem próximas ao litoral. • Apesar de não muito extensa, abriga uma variedade acentuada de etnias.Apesar de não muito extensa, abriga uma variedade acentuada de etnias. • O ÁRABE é o elemento étnico predominante.O ÁRABE é o elemento étnico predominante.
  5. 5. • O Oriente Médio é uma região de baixa densidade demográfica e as maiores concentraçõesO Oriente Médio é uma região de baixa densidade demográfica e as maiores concentrações ocorrem próximas ao litoral.ocorrem próximas ao litoral. • Apesar de não muito extensa, abriga uma variedade acentuada de etnias.Apesar de não muito extensa, abriga uma variedade acentuada de etnias. • O ÁRABE é o elemento étnico predominante.O ÁRABE é o elemento étnico predominante. • São países árabes na parte asiática: Síria, Líbano, Jordânia, Iraque, Arábia Saudita, Iêmen,São países árabes na parte asiática: Síria, Líbano, Jordânia, Iraque, Arábia Saudita, Iêmen, Omã, Emirados Árabes Unidos, Catar, Kuwait e Bahrein.Omã, Emirados Árabes Unidos, Catar, Kuwait e Bahrein.
  6. 6. • O Oriente Médio é uma região de baixa densidade demográfica e as maiores concentraçõesO Oriente Médio é uma região de baixa densidade demográfica e as maiores concentrações ocorrem próximas ao litoral.ocorrem próximas ao litoral. • Apesar de não muito extensa, abriga uma variedade acentuada de etnias.Apesar de não muito extensa, abriga uma variedade acentuada de etnias. • O ÁRABE é o elemento étnico predominante.O ÁRABE é o elemento étnico predominante. • São países árabes na parte asiática: Síria, Líbano, Jordânia, Iraque, Arábia Saudita, Iêmen,São países árabes na parte asiática: Síria, Líbano, Jordânia, Iraque, Arábia Saudita, Iêmen, Omã, Emirados Árabes Unidos, Catar, Kuwait e Bahrein.Omã, Emirados Árabes Unidos, Catar, Kuwait e Bahrein. • São países árabes no norte da África: Egito, Sudão, Líbia, Tunísia, Argélia, Marrocos, SaaraSão países árabes no norte da África: Egito, Sudão, Líbia, Tunísia, Argélia, Marrocos, Saara Ocidental e Mauritânia.Ocidental e Mauritânia.
  7. 7. • O Oriente Médio é uma região de baixa densidade demográfica e as maiores concentraçõesO Oriente Médio é uma região de baixa densidade demográfica e as maiores concentrações ocorrem próximas ao litoral.ocorrem próximas ao litoral. • Apesar de não muito extensa, abriga uma variedade acentuada de etnias.Apesar de não muito extensa, abriga uma variedade acentuada de etnias. • O ÁRABE é o elemento étnico predominante.O ÁRABE é o elemento étnico predominante. • São países árabes na parte asiática: Síria, Líbano, Jordânia, Iraque, Arábia Saudita, Iêmen,São países árabes na parte asiática: Síria, Líbano, Jordânia, Iraque, Arábia Saudita, Iêmen, Omã, Emirados Árabes Unidos, Catar, Kuwait e Bahrein.Omã, Emirados Árabes Unidos, Catar, Kuwait e Bahrein. • São países árabes no norte da África: Egito, Sudão, Líbia, Tunísia, Argélia, Marrocos, SaaraSão países árabes no norte da África: Egito, Sudão, Líbia, Tunísia, Argélia, Marrocos, Saara Ocidental e Mauritânia.Ocidental e Mauritânia. • Vale ressaltar que o Saara Ocidental não é um país independente. Foi ocupado peloVale ressaltar que o Saara Ocidental não é um país independente. Foi ocupado pelo Marrocos na década de 1960 e assim permanece até hoje, mas sem reconhecimentoMarrocos na década de 1960 e assim permanece até hoje, mas sem reconhecimento internacional nem da independência (clamada pelo grupo “Frente Polisário”) nem dainternacional nem da independência (clamada pelo grupo “Frente Polisário”) nem da ocupação marroquina.ocupação marroquina.
  8. 8. • O Oriente Médio é uma região de baixa densidade demográfica e as maiores concentraçõesO Oriente Médio é uma região de baixa densidade demográfica e as maiores concentrações ocorrem próximas ao litoral.ocorrem próximas ao litoral. • Apesar de não muito extensa, abriga uma variedade acentuada de etnias.Apesar de não muito extensa, abriga uma variedade acentuada de etnias. • O ÁRABE é o elemento étnico predominante.O ÁRABE é o elemento étnico predominante. • São países árabes na parte asiática: Síria, Líbano, Jordânia, Iraque, Arábia Saudita, Iêmen,São países árabes na parte asiática: Síria, Líbano, Jordânia, Iraque, Arábia Saudita, Iêmen, Omã, Emirados Árabes Unidos, Catar, Kuwait e Bahrein.Omã, Emirados Árabes Unidos, Catar, Kuwait e Bahrein. • São países árabes no norte da África: Egito, Sudão, Líbia, Tunísia, Argélia, Marrocos, SaaraSão países árabes no norte da África: Egito, Sudão, Líbia, Tunísia, Argélia, Marrocos, Saara Ocidental e Mauritânia.Ocidental e Mauritânia. • Vale ressaltar que o Saara Ocidental não é um país independente. Foi ocupado peloVale ressaltar que o Saara Ocidental não é um país independente. Foi ocupado pelo Marrocos na década de 1960 e assim permanece até hoje, mas sem reconhecimentoMarrocos na década de 1960 e assim permanece até hoje, mas sem reconhecimento internacional nem da independência (clamada pelo grupo “Frente Polisário”) nem dainternacional nem da independência (clamada pelo grupo “Frente Polisário”) nem da ocupação marroquina.ocupação marroquina. • Há dois países “híbridos” no leste da África que algumas fontes alegam ser países árabes:Há dois países “híbridos” no leste da África que algumas fontes alegam ser países árabes: Djibuti e Somália. Porém suas populações são de etnias da África sub-saariana (negra).Djibuti e Somália. Porém suas populações são de etnias da África sub-saariana (negra).
  9. 9. • Irã e Turquia, apesar de certa confusão muitas vezes provocada pela mídia, NÃO SÃO ÁRABES!
  10. 10. • Irã e Turquia, apesar de certa confusão muitas vezes provocada pela mídia, NÃO SÃO ÁRABES! • O Irã é PERSA.
  11. 11. • Irã e Turquia, apesar de certa confusão muitas vezes provocada pela mídia, NÃO SÃO ÁRABES! • O Irã é PERSA. • A Turquia, obviamente, é habitada por TURCOS.
  12. 12. • Irã e Turquia, apesar de certa confusão muitas vezes provocada pela mídia, NÃO SÃO ÁRABES! • O Irã é PERSA. • A Turquia, obviamente, é habitada por TURCOS. • Cabe ressaltar que originalmente os turcos são originários das estepes do centro da Ásia, quase na fronteira com a China, e migraram para o Oriente Médio há cerca de 1000 anos, nômades que eram.
  13. 13. • Irã e Turquia, apesar de certa confusão muitas vezes provocada pela mídia, NÃO SÃO ÁRABES! • O Irã é PERSA. • A Turquia, obviamente, é habitada por TURCOS. • Cabe ressaltar que originalmente os turcos são originários das estepes do centro da Ásia, quase na fronteira com a China, e migraram para o Oriente Médio há cerca de 1000 anos, nômades que eram. • Os turcos serviram aos árabes na condição de escravos, mas posteriormente alcançaram o poder constituindo um longo reinado: o Império Otomano, vigente desde o Século XIII (13) até o Século XX (20), ao final da 1ª Guerra Mundial (1918).
  14. 14. • Irã e Turquia, apesar de certa confusão muitas vezes provocada pela mídia, NÃO SÃO ÁRABES! • O Irã é PERSA. • A Turquia, obviamente, é habitada por TURCOS. • Cabe ressaltar que originalmente os turcos são originários das estepes do centro da Ásia, quase na fronteira com a China, e migraram para o Oriente Médio há cerca de 1000 anos, nômades que eram. • Os turcos serviram aos árabes na condição de escravos, mas posteriormente alcançaram o poder constituindo um longo reinado: o Império Otomano, vigente desde o Século XIII (13) até o Século XX (20), ao final da 1ª Guerra Mundial (1918). • De submissos e escravos, tornaram-se senhores dos árabes.
  15. 15. • Não contemplado com um Estado após a dissolução do Império Otomano, o povo CURDO habita um entroncamento montanhoso entre a Turquia, o Iraque, a Síria e o Irã.
  16. 16. • Não contemplado com um Estado após a dissolução do Império Otomano, o povo CURDO habita um entroncamento montanhoso entre a Turquia, o Iraque, a Síria e o Irã. • Os curdos reivindicam a independência e o estabelecimento do Curdistão nessa área.
  17. 17. • Não contemplado com um Estado após a dissolução do Império Otomano, o povo CURDO habita um entroncamento montanhoso entre a Turquia, o Iraque, a Síria e o Irã. • Os curdos reivindicam a independência e o estabelecimento do Curdistão nessa área. • Israel é um país “sui generis”. Com um território habitado majoritariamente por árabes até o começo do século 20, recebeu grandes levas de JUDEUS trazidos da Europa para a Palestina, quando do “movimento sionista”.
  18. 18. • Não contemplado com um Estado após a dissolução do Império Otomano, o povo CURDO habita um entroncamento montanhoso entre a Turquia, o Iraque, a Síria e o Irã. • Os curdos reivindicam a independência e o estabelecimento do Curdistão nessa área. • Israel é um país “sui generis”. Com um território habitado majoritariamente por árabes até o começo do século 20, recebeu grandes levas de JUDEUS trazidos da Europa para a Palestina, quando do “movimento sionista”. • Após a criação do Estado de Israel pela ONU em 1948, as imigrações continuaram e os judeus se tornaram maioria.
  19. 19. • Não contemplado com um Estado após a dissolução do Império Otomano, o povo CURDONão contemplado com um Estado após a dissolução do Império Otomano, o povo CURDO habita um entroncamento montanhoso entre a Turquia, o Iraque, a Síria e o Irã.habita um entroncamento montanhoso entre a Turquia, o Iraque, a Síria e o Irã. • Os curdos reivindicam a independência e o estabelecimento do Curdistão nessa área.Os curdos reivindicam a independência e o estabelecimento do Curdistão nessa área. • Israel é um país “sui generis”. Com um território habitado majoritariamente por árabes atéIsrael é um país “sui generis”. Com um território habitado majoritariamente por árabes até o começo do século 20, recebeu grandes levas de JUDEUS trazidos da Europa para ao começo do século 20, recebeu grandes levas de JUDEUS trazidos da Europa para a Palestina, quando do “movimento sionista”.Palestina, quando do “movimento sionista”. • Após a criação do Estado de Israel pela ONU em 1948, as imigrações continuaram e osApós a criação do Estado de Israel pela ONU em 1948, as imigrações continuaram e os judeus se tornaram maioria.judeus se tornaram maioria. • Os TURCOS se afirmam europeus. Devemos saber, no entanto, que há muitas derivaçõesOs TURCOS se afirmam europeus. Devemos saber, no entanto, que há muitas derivações turcas dispersas pela Ásia central, que formam países como Turcomenistão, Uzbequistão,turcas dispersas pela Ásia central, que formam países como Turcomenistão, Uzbequistão, Quirguistão, Tajiquistão e Cazaquistão, todas ex-repúblicas da União Soviética.Quirguistão, Tajiquistão e Cazaquistão, todas ex-repúblicas da União Soviética.
  20. 20. • Há, portanto, junto ao Oriente Médio, vários povos:
  21. 21. • Há, portanto, junto ao Oriente Médio, vários povos: - Árabes
  22. 22. • Há, portanto, junto ao Oriente Médio, vários povos: - Árabes - Turcos
  23. 23. • Há, portanto, junto ao Oriente Médio, vários povos: - Árabes - Turcos - Persas
  24. 24. • Há, portanto, junto ao Oriente Médio, vários povos: - Árabes - Turcos - Persas - Judeus
  25. 25. • Há, portanto, junto ao Oriente Médio, vários povos: - Árabes - Turcos - Persas - Judeus - Curdos
  26. 26. • Os vários grupos étnicos muitas vezes têm a mesma religião.
  27. 27. • Os vários grupos étnicos muitas vezes têm a mesma religião. • Assim como a mesma etnia pode abrigar religiões diferentes.
  28. 28. • Os vários grupos étnicos muitas vezes têm a mesma religião. • Assim como a mesma etnia pode abrigar religiões diferentes. • Há árabes cristãos e árabes muçulmanos, por exemplo.
  29. 29. • Os vários grupos étnicos muitas vezes têm a mesma religião. • Assim como a mesma etnia pode abrigar religiões diferentes. • Há árabes cristãos e árabes muçulmanos, por exemplo. • Enquanto os persas são, em sua grande maioria, muçulmanos.
  30. 30. • Os vários grupos étnicos muitas vezes têm a mesma religião. • Assim como a mesma etnia pode abrigar religiões diferentes. • Há árabes cristãos e árabes muçulmanos, por exemplo. • Enquanto os persas são, em sua grande maioria, muçulmanos. • Vale lembrar que os árabes que se estabeleceram no Brasil, principalmente em São Paulo, são cristãos originários do Líbano e da Síria.
  31. 31. • Berço das três maiores religiões monoteístas do mundo – Judaísmo, Cristianismo e Islamismo – a Palestina é designada como “Terra Santa”.
  32. 32. • Berço das três maiores religiões monoteístas do mundo – Judaísmo, Cristianismo e Islamismo – a Palestina é designada como “Terra Santa”. • Essas religiões têm muito em comum:
  33. 33. • Berço das três maiores religiões monoteístas do mundo – Judaísmo, Cristianismo e Islamismo – a Palestina é designada como “Terra Santa”. • Essas religiões têm muito em comum: - São monoteístas, crêem em um mesmo Deus
  34. 34. • Berço das três maiores religiões monoteístas do mundo – Judaísmo, Cristianismo e Islamismo – a Palestina é designada como “Terra Santa”. • Essas religiões têm muito em comum: - São monoteístas, crêem em um mesmo Deus - Seguem o mesmo Antigo Testamento.
  35. 35. • Berço das três maiores religiões monoteístas do mundo – Judaísmo, Cristianismo e Islamismo – a Palestina é designada como “Terra Santa”. • Essas religiões têm muito em comum: - São monoteístas, crêem em um mesmo Deus - Seguem o mesmo Antigo Testamento. • As interpretações da história bíblica, porém, são divergentes:
  36. 36. • Berço das três maiores religiões monoteístas do mundo – Judaísmo, Cristianismo eBerço das três maiores religiões monoteístas do mundo – Judaísmo, Cristianismo e Islamismo – a Palestina é designada como “Terra Santa”.Islamismo – a Palestina é designada como “Terra Santa”. • Essas religiões têm muito em comum:Essas religiões têm muito em comum: - São monoteístas, crêem em um mesmo Deus- São monoteístas, crêem em um mesmo Deus - Seguem o mesmo Antigo Testamento.- Seguem o mesmo Antigo Testamento. • As interpretações da história bíblica, porém, são divergentes:As interpretações da história bíblica, porém, são divergentes: - Os Judeus não acreditam que o “Messias” já tenha sido enviado à Terra.- Os Judeus não acreditam que o “Messias” já tenha sido enviado à Terra.
  37. 37. • Berço das três maiores religiões monoteístas do mundo – Judaísmo, Cristianismo eBerço das três maiores religiões monoteístas do mundo – Judaísmo, Cristianismo e Islamismo – a Palestina é designada como “Terra Santa”.Islamismo – a Palestina é designada como “Terra Santa”. • Essas religiões têm muito em comum:Essas religiões têm muito em comum: - São monoteístas, crêem em um mesmo Deus- São monoteístas, crêem em um mesmo Deus - Seguem o mesmo Antigo Testamento.- Seguem o mesmo Antigo Testamento. • As interpretações da história bíblica, porém, são divergentes:As interpretações da história bíblica, porém, são divergentes: - Os Judeus não acreditam que o “Messias” já tenha sido enviado à Terra.- Os Judeus não acreditam que o “Messias” já tenha sido enviado à Terra. - Para os Cristãos, Jesus Cristo é o filho de Deus, e principal profeta.- Para os Cristãos, Jesus Cristo é o filho de Deus, e principal profeta.
  38. 38. • Berço das três maiores religiões monoteístas do mundo – Judaísmo, Cristianismo eBerço das três maiores religiões monoteístas do mundo – Judaísmo, Cristianismo e Islamismo – a Palestina é designada como “Terra Santa”.Islamismo – a Palestina é designada como “Terra Santa”. • Essas religiões têm muito em comum:Essas religiões têm muito em comum: - São monoteístas, crêem em um mesmo Deus- São monoteístas, crêem em um mesmo Deus - Seguem o mesmo Antigo Testamento.- Seguem o mesmo Antigo Testamento. • As interpretações da história bíblica, porém, são divergentes:As interpretações da história bíblica, porém, são divergentes: - Os Judeus não acreditam que o “Messias” já tenha sido enviado à Terra.- Os Judeus não acreditam que o “Messias” já tenha sido enviado à Terra. - Para os Cristãos, Jesus Cristo é o filho de Deus, e principal profeta.- Para os Cristãos, Jesus Cristo é o filho de Deus, e principal profeta. - Os Muçulmanos – seguidores do Islã – reconhecem Jesus como um dos principais- Os Muçulmanos – seguidores do Islã – reconhecem Jesus como um dos principais profetas, mas negam que seja filho de Deus. Maomé é o mais importante profeta noprofetas, mas negam que seja filho de Deus. Maomé é o mais importante profeta no islamismo e, como Jesus, é humano.islamismo e, como Jesus, é humano.
  39. 39. • Divergências à parte, a religião predominante no Oriente Médio é o islamismo, marcado aoDivergências à parte, a religião predominante no Oriente Médio é o islamismo, marcado ao longo de sua história por forte sectarismo (“intolerância”, “intransigência”, “não aberto aolongo de sua história por forte sectarismo (“intolerância”, “intransigência”, “não aberto ao diálogo”) e, em decorrência disso, por ramificações diversas.diálogo”) e, em decorrência disso, por ramificações diversas.
  40. 40. • Divergências à parte, a religião predominante no Oriente Médio é o islamismo, marcado aoDivergências à parte, a religião predominante no Oriente Médio é o islamismo, marcado ao longo de sua história por forte sectarismo (“intolerância”, “intransigência”, “não aberto aolongo de sua história por forte sectarismo (“intolerância”, “intransigência”, “não aberto ao diálogo”) e, em decorrência disso, por ramificações diversas.diálogo”) e, em decorrência disso, por ramificações diversas. • As duas principais correntes do Islã são o “sunismo” e o “xiismo”, gerando os tiposAs duas principais correntes do Islã são o “sunismo” e o “xiismo”, gerando os tipos “Muçulmano Sunita” e “Muçulmano Xiita”, respectivamente.“Muçulmano Sunita” e “Muçulmano Xiita”, respectivamente.
  41. 41. • Divergências à parte, a religião predominante no Oriente Médio é o islamismo, marcado aoDivergências à parte, a religião predominante no Oriente Médio é o islamismo, marcado ao longo de sua história por forte sectarismo (“intolerância”, “intransigência”, “não aberto aolongo de sua história por forte sectarismo (“intolerância”, “intransigência”, “não aberto ao diálogo”) e, em decorrência disso, por ramificações diversas.diálogo”) e, em decorrência disso, por ramificações diversas. • As duas principais correntes do Islã são o “sunismo” e o “xiismo”, gerando os tiposAs duas principais correntes do Islã são o “sunismo” e o “xiismo”, gerando os tipos “Muçulmano Sunita” e “Muçulmano Xiita”, respectivamente.“Muçulmano Sunita” e “Muçulmano Xiita”, respectivamente. • O “sunismo” é a corrente islâmica mais seguida, mas o “xiismo” é predominante no Irã,O “sunismo” é a corrente islâmica mais seguida, mas o “xiismo” é predominante no Irã, possui maioria no Iraque e Bahrein e constitui forte minoria na Arábia Saudita e Líbano.possui maioria no Iraque e Bahrein e constitui forte minoria na Arábia Saudita e Líbano.
  42. 42. • Divergências à parte, a religião predominante no Oriente Médio é o islamismo, marcado aoDivergências à parte, a religião predominante no Oriente Médio é o islamismo, marcado ao longo de sua história por forte sectarismo (“intolerância”, “intransigência”, “não aberto aolongo de sua história por forte sectarismo (“intolerância”, “intransigência”, “não aberto ao diálogo”) e, em decorrência disso, por ramificações diversas.diálogo”) e, em decorrência disso, por ramificações diversas. • As duas principais correntes do Islã são o “sunismo” e o “xiismo”, gerando os tiposAs duas principais correntes do Islã são o “sunismo” e o “xiismo”, gerando os tipos “Muçulmano Sunita” e “Muçulmano Xiita”, respectivamente.“Muçulmano Sunita” e “Muçulmano Xiita”, respectivamente. • O “sunismo” é a corrente islâmica mais seguida, mas o “xiismo” é predominante no Irã,O “sunismo” é a corrente islâmica mais seguida, mas o “xiismo” é predominante no Irã, possui maioria no Iraque e Bahrein e constitui forte minoria na Arábia Saudita e Líbano.possui maioria no Iraque e Bahrein e constitui forte minoria na Arábia Saudita e Líbano. • As raízes da divisão islâmica remontam à morte do profeta Maomé no ano 632 d.C.As raízes da divisão islâmica remontam à morte do profeta Maomé no ano 632 d.C.
  43. 43. • Divergências à parte, a religião predominante no Oriente Médio é o islamismo, marcado aoDivergências à parte, a religião predominante no Oriente Médio é o islamismo, marcado ao longo de sua história por forte sectarismo (“intolerância”, “intransigência”, “não aberto aolongo de sua história por forte sectarismo (“intolerância”, “intransigência”, “não aberto ao diálogo”) e, em decorrência disso, por ramificações diversas.diálogo”) e, em decorrência disso, por ramificações diversas. • As duas principais correntes do Islã são o “sunismo” e o “xiismo”, gerando os tiposAs duas principais correntes do Islã são o “sunismo” e o “xiismo”, gerando os tipos “Muçulmano Sunita” e “Muçulmano Xiita”, respectivamente.“Muçulmano Sunita” e “Muçulmano Xiita”, respectivamente. • O “sunismo” é a corrente islâmica mais seguida, mas o “xiismo” é predominante no Irã,O “sunismo” é a corrente islâmica mais seguida, mas o “xiismo” é predominante no Irã, possui maioria no Iraque e Bahrein e constitui forte minoria na Arábia Saudita e Líbano.possui maioria no Iraque e Bahrein e constitui forte minoria na Arábia Saudita e Líbano. • As raízes da divisão islâmica remontam à morte do profeta Maomé no ano 632 d.C.As raízes da divisão islâmica remontam à morte do profeta Maomé no ano 632 d.C. • Como ele não deixou descendente varão nem discípulo indicado, houve uma cisão no seioComo ele não deixou descendente varão nem discípulo indicado, houve uma cisão no seio do movimento.do movimento.
  44. 44. • Divergências à parte, a religião predominante no Oriente Médio é o islamismo, marcado aoDivergências à parte, a religião predominante no Oriente Médio é o islamismo, marcado ao longo de sua história por forte sectarismo (“intolerância”, “intransigência”, “não aberto aolongo de sua história por forte sectarismo (“intolerância”, “intransigência”, “não aberto ao diálogo”) e, em decorrência disso, por ramificações diversas.diálogo”) e, em decorrência disso, por ramificações diversas. • As duas principais correntes do Islã são o “sunismo” e o “xiismo”, gerando os tiposAs duas principais correntes do Islã são o “sunismo” e o “xiismo”, gerando os tipos “Muçulmano Sunita” e “Muçulmano Xiita”, respectivamente.“Muçulmano Sunita” e “Muçulmano Xiita”, respectivamente. • O “sunismo” é a corrente islâmica mais seguida, mas o “xiismo” é predominante no Irã,O “sunismo” é a corrente islâmica mais seguida, mas o “xiismo” é predominante no Irã, possui maioria no Iraque e Bahrein e constitui forte minoria na Arábia Saudita e Líbano.possui maioria no Iraque e Bahrein e constitui forte minoria na Arábia Saudita e Líbano. • As raízes da divisão islâmica remontam à morte do profeta Maomé no ano 632 d.C.As raízes da divisão islâmica remontam à morte do profeta Maomé no ano 632 d.C. • Como ele não deixou descendente varão nem discípulo indicado, houve uma cisão no seioComo ele não deixou descendente varão nem discípulo indicado, houve uma cisão no seio do movimento.do movimento. • O escolhido foi Abu Bakr, mas este viveu pouco e, com sua morte, os “seguidores de Ali”O escolhido foi Abu Bakr, mas este viveu pouco e, com sua morte, os “seguidores de Ali” (“shitt’Ali” ou xiita) – sendo Ali primo e genro do profeta Maomé – queriam-no líder, mas(“shitt’Ali” ou xiita) – sendo Ali primo e genro do profeta Maomé – queriam-no líder, mas este foi preterido perante outros escolhidos.este foi preterido perante outros escolhidos.
  45. 45. • Divergências à parte, a religião predominante no Oriente Médio é o islamismo, marcado aoDivergências à parte, a religião predominante no Oriente Médio é o islamismo, marcado ao longo de sua história por forte sectarismo (“intolerância”, “intransigência”, “não aberto aolongo de sua história por forte sectarismo (“intolerância”, “intransigência”, “não aberto ao diálogo”) e, em decorrência disso, por ramificações diversas.diálogo”) e, em decorrência disso, por ramificações diversas. • As duas principais correntes do Islã são o “sunismo” e o “xiismo”, gerando os tiposAs duas principais correntes do Islã são o “sunismo” e o “xiismo”, gerando os tipos “Muçulmano Sunita” e “Muçulmano Xiita”, respectivamente.“Muçulmano Sunita” e “Muçulmano Xiita”, respectivamente. • O “sunismo” é a corrente islâmica mais seguida, mas o “xiismo” é predominante no Irã,O “sunismo” é a corrente islâmica mais seguida, mas o “xiismo” é predominante no Irã, possui maioria no Iraque e Bahrein e constitui forte minoria na Arábia Saudita e Líbano.possui maioria no Iraque e Bahrein e constitui forte minoria na Arábia Saudita e Líbano. • As raízes da divisão islâmica remontam à morte do profeta Maomé no ano 632 d.C.As raízes da divisão islâmica remontam à morte do profeta Maomé no ano 632 d.C. • Como ele não deixou descendente varão nem discípulo indicado, houve uma cisão no seioComo ele não deixou descendente varão nem discípulo indicado, houve uma cisão no seio do movimento.do movimento. • O escolhido foi Abu Bakr, mas este viveu pouco e, com sua morte, os “seguidores de Ali”O escolhido foi Abu Bakr, mas este viveu pouco e, com sua morte, os “seguidores de Ali” (“shitt’Ali” ou xiita) – sendo Ali primo e genro do profeta Maomé – queriam-no líder, mas(“shitt’Ali” ou xiita) – sendo Ali primo e genro do profeta Maomé – queriam-no líder, mas este foi preterido perante outros escolhidos.este foi preterido perante outros escolhidos. • Data daí a cisão entre xiitas e sunitas.Data daí a cisão entre xiitas e sunitas.
  46. 46. • Durante sua vida, o profeta Maomé (“Mohammad”, em árabe) patrocinou a conversão dosDurante sua vida, o profeta Maomé (“Mohammad”, em árabe) patrocinou a conversão dos “infiéis” ao islamismo em toda a península arábica, tornando-se líder religioso e político“infiéis” ao islamismo em toda a península arábica, tornando-se líder religioso e político inquestionável, e partiu para a difusão do Islã, dando início à expansão muçulmana.inquestionável, e partiu para a difusão do Islã, dando início à expansão muçulmana.
  47. 47. • Durante sua vida, o profeta Maomé (“Mohammad”, em árabe) patrocinou a conversão dosDurante sua vida, o profeta Maomé (“Mohammad”, em árabe) patrocinou a conversão dos “infiéis” ao islamismo em toda a península arábica, tornando-se líder religioso e político“infiéis” ao islamismo em toda a península arábica, tornando-se líder religioso e político inquestionável, e partiu para a difusão do Islã, dando início à expansão muçulmana.inquestionável, e partiu para a difusão do Islã, dando início à expansão muçulmana. • Tendo a “Jihad” (“resistência”, não “guerra-santa” como se pensa) como fonteTendo a “Jihad” (“resistência”, não “guerra-santa” como se pensa) como fonte inspiradora, seus sucessores (califas) deram continuidade às conquistas, dominando todo oinspiradora, seus sucessores (califas) deram continuidade às conquistas, dominando todo o norte da África, grande parte da Àsia e, durante 8 séculos, a Península Ibérica, ondenorte da África, grande parte da Àsia e, durante 8 séculos, a Península Ibérica, onde atualmente ficam Portugal e Espanha.atualmente ficam Portugal e Espanha.
  48. 48. • Durante sua vida, o profeta Maomé (“Mohammad”, em árabe) patrocinou a conversão dosDurante sua vida, o profeta Maomé (“Mohammad”, em árabe) patrocinou a conversão dos “infiéis” ao islamismo em toda a península arábica, tornando-se líder religioso e político“infiéis” ao islamismo em toda a península arábica, tornando-se líder religioso e político inquestionável, e partiu para a difusão do Islã, dando início à expansão muçulmana.inquestionável, e partiu para a difusão do Islã, dando início à expansão muçulmana. • Tendo a “Jihad” (“resistência”, não “guerra-santa” como se pensa) como fonteTendo a “Jihad” (“resistência”, não “guerra-santa” como se pensa) como fonte inspiradora, seus sucessores (califas) deram continuidade às conquistas, dominando todo oinspiradora, seus sucessores (califas) deram continuidade às conquistas, dominando todo o norte da África, grande parte da Àsia e, durante 8 séculos, a Península Ibérica, ondenorte da África, grande parte da Àsia e, durante 8 séculos, a Península Ibérica, onde atualmente ficam Portugal e Espanha.atualmente ficam Portugal e Espanha. • O cenário geopolítico do Oriente Médio sempre foi orientado pelo aspecto religioso,O cenário geopolítico do Oriente Médio sempre foi orientado pelo aspecto religioso, componente indispensável para entender a belicosa região.componente indispensável para entender a belicosa região.
  49. 49. • Durante sua vida, o profeta Maomé (“Mohammad”, em árabe) patrocinou a conversão dosDurante sua vida, o profeta Maomé (“Mohammad”, em árabe) patrocinou a conversão dos “infiéis” ao islamismo em toda a península arábica, tornando-se líder religioso e político“infiéis” ao islamismo em toda a península arábica, tornando-se líder religioso e político inquestionável, e partiu para a difusão do Islã, dando início à expansão muçulmana.inquestionável, e partiu para a difusão do Islã, dando início à expansão muçulmana. • Tendo a “Jihad” (“resistência”, não “guerra-santa” como se pensa) como fonteTendo a “Jihad” (“resistência”, não “guerra-santa” como se pensa) como fonte inspiradora, seus sucessores (califas) deram continuidade às conquistas, dominando todo oinspiradora, seus sucessores (califas) deram continuidade às conquistas, dominando todo o norte da África, grande parte da Àsia e, durante 8 séculos, a Península Ibérica, ondenorte da África, grande parte da Àsia e, durante 8 séculos, a Península Ibérica, onde atualmente ficam Portugal e Espanha.atualmente ficam Portugal e Espanha. • O cenário geopolítico do Oriente Médio sempre foi orientado pelo aspecto religioso,O cenário geopolítico do Oriente Médio sempre foi orientado pelo aspecto religioso, componente indispensável para entender a belicosa região.componente indispensável para entender a belicosa região. • Deve ser dito, contudo, que muitas vezes a religião serviu de subterfúgio para oDeve ser dito, contudo, que muitas vezes a religião serviu de subterfúgio para o desencadeamento de disputas que, na realidade, defendiam outros interesses.desencadeamento de disputas que, na realidade, defendiam outros interesses.
  50. 50. • Como sabemos, o petróleo é a atividade de maior importância de todo o Oriente Médio.
  51. 51. • Como sabemos, o petróleo é a atividade de maior importância de todo o Oriente Médio. • O Golfo Pérsico detém a maior concentração petrolífera do mundo: em torno de 64% de toda a reserva mundial.
  52. 52. • Como sabemos, o petróleo é a atividade de maior importância de todo o Oriente Médio. • O Golfo Pérsico detém a maior concentração petrolífera do mundo: em torno de 64% de toda a reserva mundial. • Assim, esse lugar torna-se algo frequente de distúrbios geopolíticos, uma vez que, muito cobiçado, é motivo de disputa tanto entre os regimes locais como, principalmente, pelas grandes potências mundiais.
  53. 53. • Como sabemos, o petróleo é a atividade de maior importância de todo o Oriente Médio. • O Golfo Pérsico detém a maior concentração petrolífera do mundo: em torno de 64% de toda a reserva mundial. • Assim, esse lugar torna-se algo frequente de distúrbios geopolíticos, uma vez que, muito cobiçado, é motivo de disputa tanto entre os regimes locais como, principalmente, pelas grandes potências mundiais. • Todos sabemos do envolvimento das potências no cenário geopolítico local.
  54. 54. • Como sabemos, o petróleo é a atividade de maior importância de todo o Oriente Médio. • O Golfo Pérsico detém a maior concentração petrolífera do mundo: em torno de 64% de toda a reserva mundial. • Assim, esse lugar torna-se algo frequente de distúrbios geopolíticos, uma vez que, muito cobiçado, é motivo de disputa tanto entre os regimes locais como, principalmente, pelas grandes potências mundiais. • Todos sabemos do envolvimento das potências no cenário geopolítico local. • Desconsiderar a importância petrolífera – assim como a religião – no cenário beligerante regional é desperdício de tempo se o que se pretende é compreender, analiticamente, o que se passa por lá.
  55. 55. • Como sabemos, o petróleo é a atividade de maior importância de todo o Oriente Médio. • O Golfo Pérsico detém a maior concentração petrolífera do mundo: em torno de 64% de toda a reserva mundial. • Assim, esse lugar torna-se algo frequente de distúrbios geopolíticos, uma vez que, muito cobiçado, é motivo de disputa tanto entre os regimes locais como, principalmente, pelas grandes potências mundiais. • Todos sabemos do envolvimento das potências no cenário geopolítico local. • Desconsiderar a importância petrolífera – assim como a religião – no cenário beligerante regional é desperdício de tempo se o que se pretende é compreender, analiticamente, o que se passa por lá. • Todavia, ressaltamos que nova zona petrolífera, próxima dalí, vem surgindo como futura área de tensão, e a movimentação das potências no intuito de resguardar posição estratégica já começou.
  56. 56. • Como sabemos, o petróleo é a atividade de maior importância de todo o Oriente Médio. • O Golfo Pérsico detém a maior concentração petrolífera do mundo: em torno de 64% de toda a reserva mundial. • Assim, esse lugar torna-se algo frequente de distúrbios geopolíticos, uma vez que, muito cobiçado, é motivo de disputa tanto entre os regimes locais como, principalmente, pelas grandes potências mundiais. • Todos sabemos do envolvimento das potências no cenário geopolítico local. • Desconsiderar a importância petrolífera – assim como a religião – no cenário beligerante regional é desperdício de tempo se o que se pretende é compreender, analiticamente, o que se passa por lá. • Todavia, ressaltamos que nova zona petrolífera, próxima dalí, vem surgindo como futura área de tensão, e a movimentação das potências no intuito de resguardar posição estratégica já começou. • Trata-se da zona caspiana, nos contrafortes orientais do Cáucaso. (Azerbaijão).
  57. 57. 0 2 4 6 8 10 12 Milhões de habitantes Cairo (Egito) Istambul (Turquia) Teerã (Irã) Bagdá (Iraque) Cartum (Sudão) Riade (Arábia Saudita) Alexandria (Egito) Ancára (Turquia) Cabul (Afeganistão)

×