 O DESENVOLVIMENTO URBANO-INDUSTRIAL:O DESENVOLVIMENTO URBANO-INDUSTRIAL:
REDES TERRITORIAIS E MATRIZES ENERGÉTICAS DO BR...
 3. A CONFIGURAÇÃO TERRITORIAL BRASILEIRA NA DITADURA MILITAR3. A CONFIGURAÇÃO TERRITORIAL BRASILEIRA NA DITADURA MILITAR...
• Quanto aos seus aspectos técnicos e econômicos, as indústrias são classificadas em:Quanto aos seus aspectos técnicos e e...
• De acordo com cada ramo, as indústrias escolhem localidades que facilitem a suaDe acordo com cada ramo, as indústrias es...
• Já as de transformação, como as siderúrgicas, concentram-se no Sudeste.Já as de transformação, como as siderúrgicas, con...
• No Brasil, o principal pólo de crescimento industrial se erigiu na região Sudeste.No Brasil, o principal pólo de crescim...
• O Sudeste, principalmente São Paulo, configurou-se um pólo natural de crescimentoO Sudeste, principalmente São Paulo, co...
CONCENTRAÇÃO INDUSTRIAL NO SUDESTECONCENTRAÇÃO INDUSTRIAL NO SUDESTE
• Multiplicaram-se as usinas hidrelétricas. Há uma forte concentração delas no Sudeste, ouMultiplicaram-se as usinas hidre...
• Multiplicaram-se as usinas hidrelétricas. Há uma forte concentração delas no Sudeste, ouMultiplicaram-se as usinas hidre...
• Multiplicaram-se as usinas hidrelétricas. Há uma forte concentração delas no Sudeste, ouMultiplicaram-se as usinas hidre...
• Multiplicaram-se as usinas hidrelétricas. Há uma forte concentração delas no Sudeste, ouMultiplicaram-se as usinas hidre...
• Multiplicaram-se as usinas hidrelétricas. Há uma forte concentração delas no Sudeste, ouMultiplicaram-se as usinas hidre...
AS 5 MAIORES USINAS HIDRELÉTRICAS DO BRASIL – 2012/2013AS 5 MAIORES USINAS HIDRELÉTRICAS DO BRASIL – 2012/2013
AS 5 MAIORES USINAS HIDRELÉTRICAS DO BRASIL – 2012/2013AS 5 MAIORES USINAS HIDRELÉTRICAS DO BRASIL – 2012/2013
• No Rio Tocantins, foi construída a usina de Tucuruí, com base numa proposta que rejeitouNo Rio Tocantins, foi construída...
• No Rio Tocantins, foi construída a usina de Tucuruí, com base numa proposta que rejeitouNo Rio Tocantins, foi construída...
• No Rio Tocantins, foi construída a usina de Tucuruí, com base numa proposta que rejeitouNo Rio Tocantins, foi construída...
• No Rio Tocantins, foi construída a usina de Tucuruí, com base numa proposta que rejeitouNo Rio Tocantins, foi construída...
• No Rio Tocantins, foi construída a usina de Tucuruí, com base numa proposta que rejeitouNo Rio Tocantins, foi construída...
• No Rio Tocantins, foi construída a usina de Tucuruí, com base numa proposta que rejeitouNo Rio Tocantins, foi construída...
• No Rio Tocantins, foi construída a usina de Tucuruí, com base numa proposta que rejeitouNo Rio Tocantins, foi construída...
• No Nordeste, quase todas as usinas estão instaladas no Rio São Francisco, e a água deNo Nordeste, quase todas as usinas ...
• No Nordeste, quase todas as usinas estão instaladas no Rio São Francisco, e a água deNo Nordeste, quase todas as usinas ...
• No Nordeste, quase todas as usinas estão instaladas no Rio São Francisco, e a água deNo Nordeste, quase todas as usinas ...
• No Nordeste, quase todas as usinas estão instaladas no Rio São Francisco, e a água deNo Nordeste, quase todas as usinas ...
• No Nordeste, quase todas as usinas estão instaladas no Rio São Francisco, e a água deNo Nordeste, quase todas as usinas ...
• No Nordeste, quase todas as usinas estão instaladas no Rio São Francisco, e a água deNo Nordeste, quase todas as usinas ...
AS 5 MAIORES USINAS HIDRELÉTRICAS DO BRASIL – 2012/2013AS 5 MAIORES USINAS HIDRELÉTRICAS DO BRASIL – 2012/2013
• A produção de um só artigo, o automóvel, mais atrativo para o consumo do que os ônibusA produção de um só artigo, o auto...
• A produção de um só artigo, o automóvel, mais atrativo para o consumo do que os ônibusA produção de um só artigo, o auto...
• A produção de um só artigo, o automóvel, mais atrativo para o consumo do que os ônibusA produção de um só artigo, o auto...
• A produção de um só artigo, o automóvel, mais atrativo para o consumo do que os ônibusA produção de um só artigo, o auto...
LOCAIS DE INSTALAÇÃO DAS PRINCIPAIS MONTADORAS DE AUTOMÓVEIS NO BRASILLOCAIS DE INSTALAÇÃO DAS PRINCIPAIS MONTADORAS DE AU...
• As indústrias do ABC Paulista escolheram uma localização próxima ao centro de consumoAs indústrias do ABC Paulista escol...
• As indústrias do ABC Paulista escolheram uma localização próxima ao centro de consumoAs indústrias do ABC Paulista escol...
• As indústrias do ABC Paulista escolheram uma localização próxima ao centro de consumoAs indústrias do ABC Paulista escol...
• As indústrias do ABC Paulista escolheram uma localização próxima ao centro de consumoAs indústrias do ABC Paulista escol...
LOCAIS DE INSTALAÇÃO DAS PRINCIPAIS MONTADORAS DE AUTOMÓVEIS NO BRASILLOCAIS DE INSTALAÇÃO DAS PRINCIPAIS MONTADORAS DE AU...
• O crescimento industrial proporcionou à região Sudeste uma forte participação no PIBO crescimento industrial proporciono...
• O crescimento industrial proporcionou à região Sudeste uma forte participação no PIBO crescimento industrial proporciono...
• O crescimento industrial proporcionou à região Sudeste uma forte participação no PIBO crescimento industrial proporciono...
• O crescimento industrial proporcionou à região Sudeste uma forte participação no PIBO crescimento industrial proporciono...
• O crescimento industrial proporcionou à região Sudeste uma forte participação no PIBO crescimento industrial proporciono...
CONCENTRAÇÃO INDUSTRIAL NO SUDESTECONCENTRAÇÃO INDUSTRIAL NO SUDESTE
• Com a abertura do território brasileiro ao processo de globalização da economia,Com a abertura do território brasileiro ...
• Com a abertura do território brasileiro ao processo de globalização da economia,Com a abertura do território brasileiro ...
• Com a abertura do território brasileiro ao processo de globalização da economia,Com a abertura do território brasileiro ...
• Com a abertura do território brasileiro ao processo de globalização da economia,Com a abertura do território brasileiro ...
• Com a abertura do território brasileiro ao processo de globalização da economia,Com a abertura do território brasileiro ...
• Com a abertura do território brasileiro ao processo de globalização da economia,Com a abertura do território brasileiro ...
• Com a abertura do território brasileiro ao processo de globalização da economia,Com a abertura do território brasileiro ...
• Com a abertura do território brasileiro ao processo de globalização da economia,Com a abertura do território brasileiro ...
• Como o modelo de industrialização privilegiou a instalação de multinacionais nas regiõesComo o modelo de industrializaçã...
• Como o modelo de industrialização privilegiou a instalação de multinacionais nas regiõesComo o modelo de industrializaçã...
• Como o modelo de industrialização privilegiou a instalação de multinacionais nas regiõesComo o modelo de industrializaçã...
• Como o modelo de industrialização privilegiou a instalação de multinacionais nas regiõesComo o modelo de industrializaçã...
• Como o modelo de industrialização privilegiou a instalação de multinacionais nas regiõesComo o modelo de industrializaçã...
• Voltadas à reprodução do capital internacional, as cidades para onde convergem asVoltadas à reprodução do capital intern...
• Voltadas à reprodução do capital internacional, as cidades para onde convergem asVoltadas à reprodução do capital intern...
• Voltadas à reprodução do capital internacional, as cidades para onde convergem asVoltadas à reprodução do capital intern...
• Voltadas à reprodução do capital internacional, as cidades para onde convergem asVoltadas à reprodução do capital intern...
• Voltadas à reprodução do capital internacional, as cidades para onde convergem asVoltadas à reprodução do capital intern...
• Essas política econômica predominante nos países subdesenvolvidos gera um forte eEssas política econômica predominante n...
• Essas política econômica predominante nos países subdesenvolvidos gera um forte eEssas política econômica predominante n...
• Essas política econômica predominante nos países subdesenvolvidos gera um forte eEssas política econômica predominante n...
• Essas política econômica predominante nos países subdesenvolvidos gera um forte eEssas política econômica predominante n...
• Essas política econômica predominante nos países subdesenvolvidos gera um forte eEssas política econômica predominante n...
• Essas política econômica predominante nos países subdesenvolvidos gera um forte eEssas política econômica predominante n...
• O crescimento da rede urbana propicia uma organização hierárquica entre as cidades.O crescimento da rede urbana propicia...
• O crescimento da rede urbana propicia uma organização hierárquica entre as cidades.O crescimento da rede urbana propicia...
• O crescimento da rede urbana propicia uma organização hierárquica entre as cidades.O crescimento da rede urbana propicia...
• O crescimento da rede urbana propicia uma organização hierárquica entre as cidades.O crescimento da rede urbana propicia...
• O crescimento da rede urbana propicia uma organização hierárquica entre as cidades.O crescimento da rede urbana propicia...
• As metrópoles comandam a região metropolitana, caracterizada pela conurbação eAs metrópoles comandam a região metropolit...
• As metrópoles comandam a região metropolitana, caracterizada pela conurbação eAs metrópoles comandam a região metropolit...
• As metrópoles comandam a região metropolitana, caracterizada pela conurbação eAs metrópoles comandam a região metropolit...
• As metrópoles comandam a região metropolitana, caracterizada pela conurbação eAs metrópoles comandam a região metropolit...
• As metrópoles comandam a região metropolitana, caracterizada pela conurbação eAs metrópoles comandam a região metropolit...
• As metrópoles comandam a região metropolitana, caracterizada pela conurbação eAs metrópoles comandam a região metropolit...
• Com o desenvolvimento dos meios de transportes e de comunicações, conheceu-se,Com o desenvolvimento dos meios de transpo...
• Com o desenvolvimento dos meios de transportes e de comunicações, conheceu-se,Com o desenvolvimento dos meios de transpo...
• Com o desenvolvimento dos meios de transportes e de comunicações, conheceu-se,Com o desenvolvimento dos meios de transpo...
• Com o desenvolvimento dos meios de transportes e de comunicações, conheceu-se,Com o desenvolvimento dos meios de transpo...
• Com o desenvolvimento dos meios de transportes e de comunicações, conheceu-se,Com o desenvolvimento dos meios de transpo...
• Com o desenvolvimento dos meios de transportes e de comunicações, conheceu-se,Com o desenvolvimento dos meios de transpo...
• Com o desenvolvimento dos meios de transportes e de comunicações, conheceu-se,Com o desenvolvimento dos meios de transpo...
• No Brasil, cerca de 30% da população vive em 9 regiões metropolitanas, sendo cerca deNo Brasil, cerca de 30% da populaçã...
• No Brasil, cerca de 30% da população vive em 9 regiões metropolitanas, sendo cerca deNo Brasil, cerca de 30% da populaçã...
• No Brasil, cerca de 30% da população vive em 9 regiões metropolitanas, sendo cerca deNo Brasil, cerca de 30% da populaçã...
• No Brasil, cerca de 30% da população vive em 9 regiões metropolitanas, sendo cerca deNo Brasil, cerca de 30% da populaçã...
• No Brasil, cerca de 30% da população vive em 9 regiões metropolitanas, sendo cerca deNo Brasil, cerca de 30% da populaçã...
• No Brasil, cerca de 30% da população vive em 9 regiões metropolitanas, sendo cerca deNo Brasil, cerca de 30% da populaçã...
• Os centros intermediários, aqueles que detêm um papel regional e local importante,Os centros intermediários, aqueles que...
• Os centros intermediários, aqueles que detêm um papel regional e local importante,Os centros intermediários, aqueles que...
Aula industrialização e_transformações-territoriais_do_brasil_09-11-2012
Aula industrialização e_transformações-territoriais_do_brasil_09-11-2012
Aula industrialização e_transformações-territoriais_do_brasil_09-11-2012
Aula industrialização e_transformações-territoriais_do_brasil_09-11-2012
Aula industrialização e_transformações-territoriais_do_brasil_09-11-2012
Aula industrialização e_transformações-territoriais_do_brasil_09-11-2012
Aula industrialização e_transformações-territoriais_do_brasil_09-11-2012
Aula industrialização e_transformações-territoriais_do_brasil_09-11-2012
Aula industrialização e_transformações-territoriais_do_brasil_09-11-2012
Aula industrialização e_transformações-territoriais_do_brasil_09-11-2012
Aula industrialização e_transformações-territoriais_do_brasil_09-11-2012
Aula industrialização e_transformações-territoriais_do_brasil_09-11-2012
Aula industrialização e_transformações-territoriais_do_brasil_09-11-2012
Aula industrialização e_transformações-territoriais_do_brasil_09-11-2012
Aula industrialização e_transformações-territoriais_do_brasil_09-11-2012
Aula industrialização e_transformações-territoriais_do_brasil_09-11-2012
Aula industrialização e_transformações-territoriais_do_brasil_09-11-2012
Aula industrialização e_transformações-territoriais_do_brasil_09-11-2012
Aula industrialização e_transformações-territoriais_do_brasil_09-11-2012
Aula industrialização e_transformações-territoriais_do_brasil_09-11-2012
Aula industrialização e_transformações-territoriais_do_brasil_09-11-2012
Aula industrialização e_transformações-territoriais_do_brasil_09-11-2012
Aula industrialização e_transformações-territoriais_do_brasil_09-11-2012
Aula industrialização e_transformações-territoriais_do_brasil_09-11-2012
Aula industrialização e_transformações-territoriais_do_brasil_09-11-2012
Aula industrialização e_transformações-territoriais_do_brasil_09-11-2012
Aula industrialização e_transformações-territoriais_do_brasil_09-11-2012
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Aula industrialização e_transformações-territoriais_do_brasil_09-11-2012

158 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
158
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula industrialização e_transformações-territoriais_do_brasil_09-11-2012

  1. 1.  O DESENVOLVIMENTO URBANO-INDUSTRIAL:O DESENVOLVIMENTO URBANO-INDUSTRIAL: REDES TERRITORIAIS E MATRIZES ENERGÉTICAS DO BRASIL NO SÉCULOREDES TERRITORIAIS E MATRIZES ENERGÉTICAS DO BRASIL NO SÉCULO 2020 - A PRODUÇÃO DOS FIXOS E A ELABORAÇÃO DOS FLUXOS TERRITORIAIS- A PRODUÇÃO DOS FIXOS E A ELABORAÇÃO DOS FLUXOS TERRITORIAIS - INDUSTRIALIZAÇÃO POR SUBSTITUIÇÃO DE IMPORTAÇÕES- INDUSTRIALIZAÇÃO POR SUBSTITUIÇÃO DE IMPORTAÇÕES  A COMPOSIÇÃO DO ESPAÇO GEOGRÁFICO EM DIFERENTES PERÍODOS:A COMPOSIÇÃO DO ESPAÇO GEOGRÁFICO EM DIFERENTES PERÍODOS: DE GETÚLIO VARGAS AOS DIAS ATUAISDE GETÚLIO VARGAS AOS DIAS ATUAIS  1. A PRODUÇÃO DO TERRITÓRIO NA ERA VARGAS1. A PRODUÇÃO DO TERRITÓRIO NA ERA VARGAS - DESENVOLVIMENTISMO COM ÊNFASE NO MODELO URBANO-INDUSTRIAL- DESENVOLVIMENTISMO COM ÊNFASE NO MODELO URBANO-INDUSTRIAL - PRODUÇÃO ENERGÉTICA: BASE PARA A EXPANSÃO URBANO-- PRODUÇÃO ENERGÉTICA: BASE PARA A EXPANSÃO URBANO- INDUSTRIALINDUSTRIAL - POLÍTICAS TERRITORIAIS DA INDUSTRIALIZAÇÃO NO 2° GOVERNO- POLÍTICAS TERRITORIAIS DA INDUSTRIALIZAÇÃO NO 2° GOVERNO VARGASVARGAS  2. JUSCELINO KUBITSCHEK2. JUSCELINO KUBITSCHEK - A CONSTRUÇÃO DE SISTEMAS TÉCNICOS E A INTERIORIZAÇÃO DO- A CONSTRUÇÃO DE SISTEMAS TÉCNICOS E A INTERIORIZAÇÃO DO TERRITÓRIOTERRITÓRIO - A CRIAÇÃO DAS SUPERINTENDÊNCIAS DE DESENVOLVIMENTO- A CRIAÇÃO DAS SUPERINTENDÊNCIAS DE DESENVOLVIMENTO REGIONALREGIONAL - BRASÍLIA E OS NOVOS EIXOS DE DESENVOLVIMENTO- BRASÍLIA E OS NOVOS EIXOS DE DESENVOLVIMENTO
  2. 2.  3. A CONFIGURAÇÃO TERRITORIAL BRASILEIRA NA DITADURA MILITAR3. A CONFIGURAÇÃO TERRITORIAL BRASILEIRA NA DITADURA MILITAR - A ESPACIALIZAÇÃO DA POLÍTICA AGRÁRIA NA DITADURA MILITAR- A ESPACIALIZAÇÃO DA POLÍTICA AGRÁRIA NA DITADURA MILITAR - O PROGRAMA PRÓ ÁLCOOL- O PROGRAMA PRÓ ÁLCOOL - RECESSÃO INDUSTRIAL NO FINAL DA DITADURA MILITAR- RECESSÃO INDUSTRIAL NO FINAL DA DITADURA MILITAR  4. INDUSTRIALIZAÇÃO TERRITORIALMENTE CONCENTRADA4. INDUSTRIALIZAÇÃO TERRITORIALMENTE CONCENTRADA - AS HIDRELÉTRICAS- AS HIDRELÉTRICAS  5.A ATUAL COMPOSIÇÃO TERRITORIAL DO BRASIL5.A ATUAL COMPOSIÇÃO TERRITORIAL DO BRASIL - CRESCIMENTO URBANO E METROPOLIZAÇÃO, A REPRODUÇÃO DE- CRESCIMENTO URBANO E METROPOLIZAÇÃO, A REPRODUÇÃO DE DESIGUALDADEDESIGUALDADE - HIERARQUIA URBANA E METROPOLIZAÇÃO- HIERARQUIA URBANA E METROPOLIZAÇÃO - DESCONCENTRAÇÃO E RECONCENTRAÇÃO URBANA: AS TENDÊNCIAS- DESCONCENTRAÇÃO E RECONCENTRAÇÃO URBANA: AS TENDÊNCIAS ATUAISATUAIS - SÃO PAULO: METRÓPOLE NACIONAL, MEGACIDADE E CIDADE GLOBAL- SÃO PAULO: METRÓPOLE NACIONAL, MEGACIDADE E CIDADE GLOBAL - AS NOVAS ARTICULAÇÕES URBANAS- AS NOVAS ARTICULAÇÕES URBANAS
  3. 3. • Quanto aos seus aspectos técnicos e econômicos, as indústrias são classificadas em:Quanto aos seus aspectos técnicos e econômicos, as indústrias são classificadas em: A) Indústrias extrativistas e de beneficiamento, como as de extração mineralA) Indústrias extrativistas e de beneficiamento, como as de extração mineral B) Indústrias de transformação que, com o uso de tecnologias, alteram as propriedades dosB) Indústrias de transformação que, com o uso de tecnologias, alteram as propriedades dos produtosprodutos - Indústrias de bens de produção de uso único (matérias-primas) ou de uso permanente- Indústrias de bens de produção de uso único (matérias-primas) ou de uso permanente (máquinas e equipamentos)(máquinas e equipamentos) - Indústrias de bens de consumo não-duráveis, de consumo imediato, como alimentos,- Indústrias de bens de consumo não-duráveis, de consumo imediato, como alimentos, roupas, remédios, etcroupas, remédios, etc - Indústrias de bens de consumo de uso durável, como eletrodomésticos e automóveis.- Indústrias de bens de consumo de uso durável, como eletrodomésticos e automóveis. C) Indústria da construçãoC) Indústria da construção
  4. 4. • De acordo com cada ramo, as indústrias escolhem localidades que facilitem a suaDe acordo com cada ramo, as indústrias escolhem localidades que facilitem a sua produção.produção. • Os fatores locacionais, como proximidade da fonte de matérias-primas, da rede deOs fatores locacionais, como proximidade da fonte de matérias-primas, da rede de transporte e do centro de consumo foram fundamentais para a instalação das indústrias notransporte e do centro de consumo foram fundamentais para a instalação das indústrias no território brasileiro.território brasileiro. • Grandes empresas mineradoras, a maioria multinacionais, estabeleceram-se junto àsGrandes empresas mineradoras, a maioria multinacionais, estabeleceram-se junto às maiores jazidas minerais do Brasil.maiores jazidas minerais do Brasil. • Algumas delas:Algumas delas: - Em Minas Gerais, a multinacional Alcan (Aluminium Canadian Corp.) extrai bauxita nas- Em Minas Gerais, a multinacional Alcan (Aluminium Canadian Corp.) extrai bauxita nas proximidades de Ouro Preto, e a Companhia Vale do Rio Doce (Vale), privatizada em 1997,proximidades de Ouro Preto, e a Companhia Vale do Rio Doce (Vale), privatizada em 1997, exporta a maior parte de sua produção extraída do Quadrilátero Ferrífero.exporta a maior parte de sua produção extraída do Quadrilátero Ferrífero.
  5. 5. • Já as de transformação, como as siderúrgicas, concentram-se no Sudeste.Já as de transformação, como as siderúrgicas, concentram-se no Sudeste. • Podemos citar...Podemos citar... ...a Belgo Mineira, a USIMINAS e a Alcan, em Minas Gerais;...a Belgo Mineira, a USIMINAS e a Alcan, em Minas Gerais; ...a CSN no Rio de Janeiro...a CSN no Rio de Janeiro ...a COSIPA em São Paulo...a COSIPA em São Paulo • O mesmo ocorre com as indústrias de bens duráveis, cuja área de produção ocupouO mesmo ocorre com as indústrias de bens duráveis, cuja área de produção ocupou predominantemente as regiões urbanas do Sudeste.predominantemente as regiões urbanas do Sudeste. • No começo da década de 2000 o Brasil apresentou um incremento maior nos setores dasNo começo da década de 2000 o Brasil apresentou um incremento maior nos setores das indústrias extrativistas de mineração do que nas de transformação.indústrias extrativistas de mineração do que nas de transformação.
  6. 6. • No Brasil, o principal pólo de crescimento industrial se erigiu na região Sudeste.No Brasil, o principal pólo de crescimento industrial se erigiu na região Sudeste. • Seu desenvolvimento se baseou no processo histórico e geográfico do país.Seu desenvolvimento se baseou no processo histórico e geográfico do país. • A concentração industrial na região Sudeste é fruto das relações políticas e econômicasA concentração industrial na região Sudeste é fruto das relações políticas e econômicas forjadas no contexto de formação do país.forjadas no contexto de formação do país. • Aqui se concentrava o poder econômico ligado ao cultivo do café, cuja exportaçãoAqui se concentrava o poder econômico ligado ao cultivo do café, cuja exportação possibilitou intensos fluxos territoriais.possibilitou intensos fluxos territoriais. • Construíram obras de infra-estrutura (objetos fixos) como as ferrovias que levavam aoConstruíram obras de infra-estrutura (objetos fixos) como as ferrovias que levavam ao porto de Santos.porto de Santos. • Constituiu-se um grande centro de consumo na cidade de São Paulo.Constituiu-se um grande centro de consumo na cidade de São Paulo. • Esses fatores de localização foram determinantes na implementação das indústrias naEsses fatores de localização foram determinantes na implementação das indústrias na região.região.
  7. 7. • O Sudeste, principalmente São Paulo, configurou-se um pólo natural de crescimentoO Sudeste, principalmente São Paulo, configurou-se um pólo natural de crescimento industrial.industrial. • Entretanto, durante a ditadura militar, surgiram os pólos artificiais, como a Zona Franca deEntretanto, durante a ditadura militar, surgiram os pólos artificiais, como a Zona Franca de Manaus, e o pólo petro-químico em Camaçari, na Bahia.Manaus, e o pólo petro-químico em Camaçari, na Bahia. • A criação dos pólos artificiais de crescimento não foi suficiente para promover umaA criação dos pólos artificiais de crescimento não foi suficiente para promover uma distribuição espacial mais equilibrada das indústrias.distribuição espacial mais equilibrada das indústrias. • Na região Sudeste se concentraram os investimentos públicos para a construção deNa região Sudeste se concentraram os investimentos públicos para a construção de objetos de infra-estrutura voltadas à viabilização do funcionamento das indústrias.objetos de infra-estrutura voltadas à viabilização do funcionamento das indústrias. • Tal concentração apenas fez acentuar as desigualdades regionais no Brasil.Tal concentração apenas fez acentuar as desigualdades regionais no Brasil.
  8. 8. CONCENTRAÇÃO INDUSTRIAL NO SUDESTECONCENTRAÇÃO INDUSTRIAL NO SUDESTE
  9. 9. • Multiplicaram-se as usinas hidrelétricas. Há uma forte concentração delas no Sudeste, ouMultiplicaram-se as usinas hidrelétricas. Há uma forte concentração delas no Sudeste, ou entorno próximo.entorno próximo.
  10. 10. • Multiplicaram-se as usinas hidrelétricas. Há uma forte concentração delas no Sudeste, ouMultiplicaram-se as usinas hidrelétricas. Há uma forte concentração delas no Sudeste, ou entorno próximo.entorno próximo. • A região Sudeste, que tem a maior concentração de usinas e o maior consumo,A região Sudeste, que tem a maior concentração de usinas e o maior consumo, praticamente tem seu potencial de instalação esgotado.praticamente tem seu potencial de instalação esgotado.
  11. 11. • Multiplicaram-se as usinas hidrelétricas. Há uma forte concentração delas no Sudeste, ouMultiplicaram-se as usinas hidrelétricas. Há uma forte concentração delas no Sudeste, ou entorno próximo.entorno próximo. • A região Sudeste, que tem a maior concentração de usinas e o maior consumo,A região Sudeste, que tem a maior concentração de usinas e o maior consumo, praticamente tem seu potencial de instalação esgotado.praticamente tem seu potencial de instalação esgotado. • Na Amazônia, a obtenção de hidreletricidade requer o alagamento de uma vasta área e,Na Amazônia, a obtenção de hidreletricidade requer o alagamento de uma vasta área e, além disso, a água represada não serve à irrigação, pois a área já é extremamente úmida.além disso, a água represada não serve à irrigação, pois a área já é extremamente úmida.
  12. 12. • Multiplicaram-se as usinas hidrelétricas. Há uma forte concentração delas no Sudeste, ouMultiplicaram-se as usinas hidrelétricas. Há uma forte concentração delas no Sudeste, ou entorno próximo.entorno próximo. • A região Sudeste, que tem a maior concentração de usinas e o maior consumo,A região Sudeste, que tem a maior concentração de usinas e o maior consumo, praticamente tem seu potencial de instalação esgotado.praticamente tem seu potencial de instalação esgotado. • Na Amazônia, a obtenção de hidreletricidade requer o alagamento de uma vasta área e,Na Amazônia, a obtenção de hidreletricidade requer o alagamento de uma vasta área e, além disso, a água represada não serve à irrigação, pois a área já é extremamente úmida.além disso, a água represada não serve à irrigação, pois a área já é extremamente úmida. • Em várias regiões do Brasil, é possível instalar pequenas hidrelétricas em micro-baciasEm várias regiões do Brasil, é possível instalar pequenas hidrelétricas em micro-bacias hidrográficas, o que causaria pouco impacto ambiental, pois se alagaria uma pequena área ehidrográficas, o que causaria pouco impacto ambiental, pois se alagaria uma pequena área e se diminuiria o custo de transmissão a longa distância.se diminuiria o custo de transmissão a longa distância.
  13. 13. • Multiplicaram-se as usinas hidrelétricas. Há uma forte concentração delas no Sudeste, ouMultiplicaram-se as usinas hidrelétricas. Há uma forte concentração delas no Sudeste, ou entorno próximo.entorno próximo. • A região Sudeste, que tem a maior concentração de usinas e o maior consumo,A região Sudeste, que tem a maior concentração de usinas e o maior consumo, praticamente tem seu potencial de instalação esgotado.praticamente tem seu potencial de instalação esgotado. • Na Amazônia, a obtenção de hidreletricidade requer o alagamento de uma vasta área e,Na Amazônia, a obtenção de hidreletricidade requer o alagamento de uma vasta área e, além disso, a água represada não serve à irrigação, pois a área já é extremamente úmida.além disso, a água represada não serve à irrigação, pois a área já é extremamente úmida. • Em várias regiões do Brasil, é possível instalar pequenas hidrelétricas em micro-baciasEm várias regiões do Brasil, é possível instalar pequenas hidrelétricas em micro-bacias hidrográficas, o que causaria pouco impacto ambiental, pois se alagaria uma pequena área ehidrográficas, o que causaria pouco impacto ambiental, pois se alagaria uma pequena área e se diminuiria o custo de transmissão a longa distância.se diminuiria o custo de transmissão a longa distância. • Porém, o que se percebe no território brasileiro é a instalação de grandes usinas emPorém, o que se percebe no território brasileiro é a instalação de grandes usinas em grandes bacias, com imensas áreas sendo alagadas e inevitáveis perdas de energia em seugrandes bacias, com imensas áreas sendo alagadas e inevitáveis perdas de energia em seu processo de transmissão.processo de transmissão.
  14. 14. AS 5 MAIORES USINAS HIDRELÉTRICAS DO BRASIL – 2012/2013AS 5 MAIORES USINAS HIDRELÉTRICAS DO BRASIL – 2012/2013
  15. 15. AS 5 MAIORES USINAS HIDRELÉTRICAS DO BRASIL – 2012/2013AS 5 MAIORES USINAS HIDRELÉTRICAS DO BRASIL – 2012/2013
  16. 16. • No Rio Tocantins, foi construída a usina de Tucuruí, com base numa proposta que rejeitouNo Rio Tocantins, foi construída a usina de Tucuruí, com base numa proposta que rejeitou outras mais modestas para o mesmo rio.outras mais modestas para o mesmo rio.
  17. 17. • No Rio Tocantins, foi construída a usina de Tucuruí, com base numa proposta que rejeitouNo Rio Tocantins, foi construída a usina de Tucuruí, com base numa proposta que rejeitou outras mais modestas para o mesmo rio.outras mais modestas para o mesmo rio. • Sua magnitude foi justificada pela necessidade de abastecer o projeto de mineraçãoSua magnitude foi justificada pela necessidade de abastecer o projeto de mineração Carajás, no Pará.Carajás, no Pará.
  18. 18. • No Rio Tocantins, foi construída a usina de Tucuruí, com base numa proposta que rejeitouNo Rio Tocantins, foi construída a usina de Tucuruí, com base numa proposta que rejeitou outras mais modestas para o mesmo rio.outras mais modestas para o mesmo rio. • Sua magnitude foi justificada pela necessidade de abastecer o projeto de mineraçãoSua magnitude foi justificada pela necessidade de abastecer o projeto de mineração Carajás, no Pará.Carajás, no Pará. • A construção da usina formou um lago de 2.430 km², cobrindo uma área da floresta, queA construção da usina formou um lago de 2.430 km², cobrindo uma área da floresta, que entrou em putrefação.entrou em putrefação.
  19. 19. • No Rio Tocantins, foi construída a usina de Tucuruí, com base numa proposta que rejeitouNo Rio Tocantins, foi construída a usina de Tucuruí, com base numa proposta que rejeitou outras mais modestas para o mesmo rio.outras mais modestas para o mesmo rio. • Sua magnitude foi justificada pela necessidade de abastecer o projeto de mineraçãoSua magnitude foi justificada pela necessidade de abastecer o projeto de mineração Carajás, no Pará.Carajás, no Pará. • A construção da usina formou um lago de 2.430 km², cobrindo uma área da floresta, queA construção da usina formou um lago de 2.430 km², cobrindo uma área da floresta, que entrou em putrefação.entrou em putrefação. • Assim, o oxigênio da água vai se consumindo com a produção de ácido sulfídrico,Assim, o oxigênio da água vai se consumindo com a produção de ácido sulfídrico, altamente tóxico, que além de prejudicar os peixes e as plantas, corrói as turbinas da usina.altamente tóxico, que além de prejudicar os peixes e as plantas, corrói as turbinas da usina.
  20. 20. • No Rio Tocantins, foi construída a usina de Tucuruí, com base numa proposta que rejeitouNo Rio Tocantins, foi construída a usina de Tucuruí, com base numa proposta que rejeitou outras mais modestas para o mesmo rio.outras mais modestas para o mesmo rio. • Sua magnitude foi justificada pela necessidade de abastecer o projeto de mineraçãoSua magnitude foi justificada pela necessidade de abastecer o projeto de mineração Carajás, no Pará.Carajás, no Pará. • A construção da usina formou um lago de 2.430 km², cobrindo uma área da floresta, queA construção da usina formou um lago de 2.430 km², cobrindo uma área da floresta, que entrou em putrefação.entrou em putrefação. • Assim, o oxigênio da água vai se consumindo com a produção de ácido sulfídrico,Assim, o oxigênio da água vai se consumindo com a produção de ácido sulfídrico, altamente tóxico, que além de prejudicar os peixes e as plantas, corrói as turbinas da usina.altamente tóxico, que além de prejudicar os peixes e as plantas, corrói as turbinas da usina. • A hidrelétrica de Balbina, próxima a Manaus, foi construída em local de muito poucaA hidrelétrica de Balbina, próxima a Manaus, foi construída em local de muito pouca declividade.declividade.
  21. 21. • No Rio Tocantins, foi construída a usina de Tucuruí, com base numa proposta que rejeitouNo Rio Tocantins, foi construída a usina de Tucuruí, com base numa proposta que rejeitou outras mais modestas para o mesmo rio.outras mais modestas para o mesmo rio. • Sua magnitude foi justificada pela necessidade de abastecer o projeto de mineraçãoSua magnitude foi justificada pela necessidade de abastecer o projeto de mineração Carajás, no Pará.Carajás, no Pará. • A construção da usina formou um lago de 2.430 km², cobrindo uma área da floresta, queA construção da usina formou um lago de 2.430 km², cobrindo uma área da floresta, que entrou em putrefação.entrou em putrefação. • Assim, o oxigênio da água vai se consumindo com a produção de ácido sulfídrico,Assim, o oxigênio da água vai se consumindo com a produção de ácido sulfídrico, altamente tóxico, que além de prejudicar os peixes e as plantas, corrói as turbinas da usina.altamente tóxico, que além de prejudicar os peixes e as plantas, corrói as turbinas da usina. • A hidrelétrica de Balbina, próxima a Manaus, foi construída em local de muito poucaA hidrelétrica de Balbina, próxima a Manaus, foi construída em local de muito pouca declividade.declividade. • Como resultado, alagaram-se 2.360 km² - ou seja, quase a mesma área de alagamento deComo resultado, alagaram-se 2.360 km² - ou seja, quase a mesma área de alagamento de Tucuruí - mas se produzem apenas 250 MW/h, 31 vezes menos que Tucuruí.Tucuruí - mas se produzem apenas 250 MW/h, 31 vezes menos que Tucuruí.
  22. 22. • No Rio Tocantins, foi construída a usina de Tucuruí, com base numa proposta que rejeitouNo Rio Tocantins, foi construída a usina de Tucuruí, com base numa proposta que rejeitou outras mais modestas para o mesmo rio.outras mais modestas para o mesmo rio. • Sua magnitude foi justificada pela necessidade de abastecer o projeto de mineraçãoSua magnitude foi justificada pela necessidade de abastecer o projeto de mineração Carajás, no Pará.Carajás, no Pará. • A construção da usina formou um lago de 2.430 km², cobrindo uma área da floresta, queA construção da usina formou um lago de 2.430 km², cobrindo uma área da floresta, que entrou em putrefação.entrou em putrefação. • Assim, o oxigênio da água vai se consumindo com a produção de ácido sulfídrico,Assim, o oxigênio da água vai se consumindo com a produção de ácido sulfídrico, altamente tóxico, que além de prejudicar os peixes e as plantas, corrói as turbinas da usina.altamente tóxico, que além de prejudicar os peixes e as plantas, corrói as turbinas da usina. • A hidrelétrica de Balbina, próxima a Manaus, foi construída em local de muito poucaA hidrelétrica de Balbina, próxima a Manaus, foi construída em local de muito pouca declividade.declividade. • Como resultado, alagaram-se 2.360 km² - ou seja, quase a mesma área de alagamento deComo resultado, alagaram-se 2.360 km² - ou seja, quase a mesma área de alagamento de Tucuruí - mas se produzem apenas 250 MW/h, 31 vezes menos que Tucuruí.Tucuruí - mas se produzem apenas 250 MW/h, 31 vezes menos que Tucuruí. • Balbina se revelou um verdadeiro fracasso em todos os aspectos: técnico, financeiro,Balbina se revelou um verdadeiro fracasso em todos os aspectos: técnico, financeiro, social e ecológico. Inundou 2.360 metros quadrados de floresta, sem qualquersocial e ecológico. Inundou 2.360 metros quadrados de floresta, sem qualquer aproveitamento, e vai gerar uma energia muito cara em relação ao investimento, semaproveitamento, e vai gerar uma energia muito cara em relação ao investimento, sem atender à demanda da regiãoatender à demanda da região
  23. 23. • No Nordeste, quase todas as usinas estão instaladas no Rio São Francisco, e a água deNo Nordeste, quase todas as usinas estão instaladas no Rio São Francisco, e a água de seus lagos artificiais é utilizada em projetos de irrigação.seus lagos artificiais é utilizada em projetos de irrigação.
  24. 24. • No Nordeste, quase todas as usinas estão instaladas no Rio São Francisco, e a água deNo Nordeste, quase todas as usinas estão instaladas no Rio São Francisco, e a água de seus lagos artificiais é utilizada em projetos de irrigação.seus lagos artificiais é utilizada em projetos de irrigação. • Na região Sul, que tem seu potencial hidrelétrico bastante aproveitado, com exceção daNa região Sul, que tem seu potencial hidrelétrico bastante aproveitado, com exceção da bacia do alto Rio Uruguai, na divisa do Rio Grande do Sul com Santa Catarina, que possuibacia do alto Rio Uruguai, na divisa do Rio Grande do Sul com Santa Catarina, que possui grande potencial de aproveitamento.grande potencial de aproveitamento.
  25. 25. • No Nordeste, quase todas as usinas estão instaladas no Rio São Francisco, e a água deNo Nordeste, quase todas as usinas estão instaladas no Rio São Francisco, e a água de seus lagos artificiais é utilizada em projetos de irrigação.seus lagos artificiais é utilizada em projetos de irrigação. • Na região Sul, que tem seu potencial hidrelétrico bastante aproveitado, com exceção daNa região Sul, que tem seu potencial hidrelétrico bastante aproveitado, com exceção da bacia do alto Rio Uruguai, na divisa do Rio Grande do Sul com Santa Catarina, que possuibacia do alto Rio Uruguai, na divisa do Rio Grande do Sul com Santa Catarina, que possui grande potencial de aproveitamento.grande potencial de aproveitamento. • Há concentração de termelétricas, principalmente em Santa Catarina.Há concentração de termelétricas, principalmente em Santa Catarina.
  26. 26. • No Nordeste, quase todas as usinas estão instaladas no Rio São Francisco, e a água deNo Nordeste, quase todas as usinas estão instaladas no Rio São Francisco, e a água de seus lagos artificiais é utilizada em projetos de irrigação.seus lagos artificiais é utilizada em projetos de irrigação. • Na região Sul, que tem seu potencial hidrelétrico bastante aproveitado, com exceção daNa região Sul, que tem seu potencial hidrelétrico bastante aproveitado, com exceção da bacia do alto Rio Uruguai, na divisa do Rio Grande do Sul com Santa Catarina, que possuibacia do alto Rio Uruguai, na divisa do Rio Grande do Sul com Santa Catarina, que possui grande potencial de aproveitamento.grande potencial de aproveitamento. • Há concentração de termelétricas, principalmente em Santa Catarina.Há concentração de termelétricas, principalmente em Santa Catarina. • Toda a discussão sobre a possível falta de energia elétrica no Brasil se baseia noToda a discussão sobre a possível falta de energia elétrica no Brasil se baseia no planejamento da produção e do consumo relacionados às tendências e estimativas deplanejamento da produção e do consumo relacionados às tendências e estimativas de aumento da demanda por conta das expectativas de crescimento econômico.aumento da demanda por conta das expectativas de crescimento econômico.
  27. 27. • No Nordeste, quase todas as usinas estão instaladas no Rio São Francisco, e a água deNo Nordeste, quase todas as usinas estão instaladas no Rio São Francisco, e a água de seus lagos artificiais é utilizada em projetos de irrigação.seus lagos artificiais é utilizada em projetos de irrigação. • Na região Sul, que tem seu potencial hidrelétrico bastante aproveitado, com exceção daNa região Sul, que tem seu potencial hidrelétrico bastante aproveitado, com exceção da bacia do alto Rio Uruguai, na divisa do Rio Grande do Sul com Santa Catarina, que possuibacia do alto Rio Uruguai, na divisa do Rio Grande do Sul com Santa Catarina, que possui grande potencial de aproveitamento.grande potencial de aproveitamento. • Há concentração de termelétricas, principalmente em Santa Catarina.Há concentração de termelétricas, principalmente em Santa Catarina. • Toda a discussão sobre a possível falta de energia elétrica no Brasil se baseia noToda a discussão sobre a possível falta de energia elétrica no Brasil se baseia no planejamento da produção e do consumo relacionados às tendências e estimativas deplanejamento da produção e do consumo relacionados às tendências e estimativas de aumento da demanda por conta das expectativas de crescimento econômico.aumento da demanda por conta das expectativas de crescimento econômico. • Vale ressaltar que as usinas hidrelétricas produzem 91% da energia elétrica gerada noVale ressaltar que as usinas hidrelétricas produzem 91% da energia elétrica gerada no país, sendo os 9% restantes gerados em termelétricas, ou nas 2 usinas nucleares de Angrapaís, sendo os 9% restantes gerados em termelétricas, ou nas 2 usinas nucleares de Angra dos Reis (RJ).dos Reis (RJ).
  28. 28. • No Nordeste, quase todas as usinas estão instaladas no Rio São Francisco, e a água deNo Nordeste, quase todas as usinas estão instaladas no Rio São Francisco, e a água de seus lagos artificiais é utilizada em projetos de irrigação.seus lagos artificiais é utilizada em projetos de irrigação. • Na região Sul, que tem seu potencial hidrelétrico bastante aproveitado, com exceção daNa região Sul, que tem seu potencial hidrelétrico bastante aproveitado, com exceção da bacia do alto Rio Uruguai, na divisa do Rio Grande do Sul com Santa Catarina, que possuibacia do alto Rio Uruguai, na divisa do Rio Grande do Sul com Santa Catarina, que possui grande potencial de aproveitamento.grande potencial de aproveitamento. • Há concentração de termelétricas, principalmente em Santa Catarina.Há concentração de termelétricas, principalmente em Santa Catarina. • Toda a discussão sobre a possível falta de energia elétrica no Brasil se baseia noToda a discussão sobre a possível falta de energia elétrica no Brasil se baseia no planejamento da produção e do consumo relacionados às tendências e estimativas deplanejamento da produção e do consumo relacionados às tendências e estimativas de aumento da demanda por conta das expectativas de crescimento econômico.aumento da demanda por conta das expectativas de crescimento econômico. • Vale ressaltar que as usinas hidrelétricas produzem 91% da energia elétrica gerada noVale ressaltar que as usinas hidrelétricas produzem 91% da energia elétrica gerada no país, sendo os 9% restantes gerados em termelétricas, ou nas 2 usinas nucleares de Angrapaís, sendo os 9% restantes gerados em termelétricas, ou nas 2 usinas nucleares de Angra dos Reis (RJ).dos Reis (RJ). • O setor que mais consome energia elétrica é o industrial, fortemente concentrado noO setor que mais consome energia elétrica é o industrial, fortemente concentrado no Sudeste, portanto, a região com o maior consumo.Sudeste, portanto, a região com o maior consumo.
  29. 29. AS 5 MAIORES USINAS HIDRELÉTRICAS DO BRASIL – 2012/2013AS 5 MAIORES USINAS HIDRELÉTRICAS DO BRASIL – 2012/2013
  30. 30. • A produção de um só artigo, o automóvel, mais atrativo para o consumo do que os ônibusA produção de um só artigo, o automóvel, mais atrativo para o consumo do que os ônibus ou tratores, foi aplicada num esquema em que as empresas nacionais de auto-peças ficaramou tratores, foi aplicada num esquema em que as empresas nacionais de auto-peças ficaram subordinadas às montadoras.subordinadas às montadoras.
  31. 31. • A produção de um só artigo, o automóvel, mais atrativo para o consumo do que os ônibusA produção de um só artigo, o automóvel, mais atrativo para o consumo do que os ônibus ou tratores, foi aplicada num esquema em que as empresas nacionais de auto-peças ficaramou tratores, foi aplicada num esquema em que as empresas nacionais de auto-peças ficaram subordinadas às montadoras.subordinadas às montadoras. • Esse foi um dos fatores que conduziram à concentração geográfica de empresas comoEsse foi um dos fatores que conduziram à concentração geográfica de empresas como Volkswagen, Ford e General Motors na região metropolitana de São Paulo, maisVolkswagen, Ford e General Motors na região metropolitana de São Paulo, mais especificamente nas cidades do ABC Paulista (Santo André, São Bernardo do Campo e Sãoespecificamente nas cidades do ABC Paulista (Santo André, São Bernardo do Campo e São Caetano do Sul).Caetano do Sul).
  32. 32. • A produção de um só artigo, o automóvel, mais atrativo para o consumo do que os ônibusA produção de um só artigo, o automóvel, mais atrativo para o consumo do que os ônibus ou tratores, foi aplicada num esquema em que as empresas nacionais de auto-peças ficaramou tratores, foi aplicada num esquema em que as empresas nacionais de auto-peças ficaram subordinadas às montadoras.subordinadas às montadoras. • Esse foi um dos fatores que conduziram à concentração geográfica de empresas comoEsse foi um dos fatores que conduziram à concentração geográfica de empresas como Volkswagen, Ford e General Motors na região metropolitana de São Paulo, maisVolkswagen, Ford e General Motors na região metropolitana de São Paulo, mais especificamente nas cidades do ABC Paulista (Santo André, São Bernardo do Campo e Sãoespecificamente nas cidades do ABC Paulista (Santo André, São Bernardo do Campo e São Caetano do Sul).Caetano do Sul). • As exceções foram...As exceções foram... ...a Fiat, instalada em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, Minas Gerais...a Fiat, instalada em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, Minas Gerais ...a Renault, instalada em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba, Paraná...a Renault, instalada em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba, Paraná ...a Peugeot, instalada em Porto Real, cidade vizinha à Resende, interior do Rio de Janeiro...a Peugeot, instalada em Porto Real, cidade vizinha à Resende, interior do Rio de Janeiro
  33. 33. • A produção de um só artigo, o automóvel, mais atrativo para o consumo do que os ônibusA produção de um só artigo, o automóvel, mais atrativo para o consumo do que os ônibus ou tratores, foi aplicada num esquema em que as empresas nacionais de auto-peças ficaramou tratores, foi aplicada num esquema em que as empresas nacionais de auto-peças ficaram subordinadas às montadoras.subordinadas às montadoras. • Esse foi um dos fatores que conduziram à concentração geográfica de empresas comoEsse foi um dos fatores que conduziram à concentração geográfica de empresas como Volkswagen, Ford e General Motors na região metropolitana de São Paulo, maisVolkswagen, Ford e General Motors na região metropolitana de São Paulo, mais especificamente nas cidades do ABC Paulista (Santo André, São Bernardo do Campo e Sãoespecificamente nas cidades do ABC Paulista (Santo André, São Bernardo do Campo e São Caetano do Sul).Caetano do Sul). • As exceções foram...As exceções foram... ...a Fiat, instalada em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, Minas Gerais...a Fiat, instalada em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, Minas Gerais ...a Renault, instalada em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba, Paraná...a Renault, instalada em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba, Paraná ...a Peugeot, instalada em Porto Real, cidade vizinha à Resende, interior do Rio de Janeiro...a Peugeot, instalada em Porto Real, cidade vizinha à Resende, interior do Rio de Janeiro • Nestes casos, novamente ocorreu concentrações geográficas, pois empresas fornecedorasNestes casos, novamente ocorreu concentrações geográficas, pois empresas fornecedoras se instalaram ao redor destas multi-nacionais.se instalaram ao redor destas multi-nacionais.
  34. 34. LOCAIS DE INSTALAÇÃO DAS PRINCIPAIS MONTADORAS DE AUTOMÓVEIS NO BRASILLOCAIS DE INSTALAÇÃO DAS PRINCIPAIS MONTADORAS DE AUTOMÓVEIS NO BRASIL
  35. 35. • As indústrias do ABC Paulista escolheram uma localização próxima ao centro de consumoAs indústrias do ABC Paulista escolheram uma localização próxima ao centro de consumo do país (São Paulo), ao porto de Santos (que facilitava a chegada de materiais), e àdo país (São Paulo), ao porto de Santos (que facilitava a chegada de materiais), e à siderúrgica de Cubatão, a COSIPA (que fornecia matéria-prima ao setor de auto-peças).siderúrgica de Cubatão, a COSIPA (que fornecia matéria-prima ao setor de auto-peças).
  36. 36. • As indústrias do ABC Paulista escolheram uma localização próxima ao centro de consumoAs indústrias do ABC Paulista escolheram uma localização próxima ao centro de consumo do país (São Paulo), ao porto de Santos (que facilitava a chegada de materiais), e àdo país (São Paulo), ao porto de Santos (que facilitava a chegada de materiais), e à siderúrgica de Cubatão, a COSIPA (que fornecia matéria-prima ao setor de auto-peças).siderúrgica de Cubatão, a COSIPA (que fornecia matéria-prima ao setor de auto-peças). • Já a Fiat, estava próxima ao Quadrilátero Ferrífero, à siderúrgica USIMINAS, ao centro deJá a Fiat, estava próxima ao Quadrilátero Ferrífero, à siderúrgica USIMINAS, ao centro de consumo mineiro (Belo Horizonte) e relativamente próxima aos portos de Vitória e Tubarão,consumo mineiro (Belo Horizonte) e relativamente próxima aos portos de Vitória e Tubarão, no Espírito Santo.no Espírito Santo.
  37. 37. • As indústrias do ABC Paulista escolheram uma localização próxima ao centro de consumoAs indústrias do ABC Paulista escolheram uma localização próxima ao centro de consumo do país (São Paulo), ao porto de Santos (que facilitava a chegada de materiais), e àdo país (São Paulo), ao porto de Santos (que facilitava a chegada de materiais), e à siderúrgica de Cubatão, a COSIPA (que fornecia matéria-prima ao setor de auto-peças).siderúrgica de Cubatão, a COSIPA (que fornecia matéria-prima ao setor de auto-peças). • Já a Fiat, estava próxima ao Quadrilátero Ferrífero, à siderúrgica USIMINAS, ao centro deJá a Fiat, estava próxima ao Quadrilátero Ferrífero, à siderúrgica USIMINAS, ao centro de consumo mineiro (Belo Horizonte) e relativamente próxima aos portos de Vitória e Tubarão,consumo mineiro (Belo Horizonte) e relativamente próxima aos portos de Vitória e Tubarão, no Espírito Santo.no Espírito Santo. • O automóvel, meio de transporte individual, tornou-se um dos mais valorizados bens deO automóvel, meio de transporte individual, tornou-se um dos mais valorizados bens de consumo duráveis no Brasil.consumo duráveis no Brasil.
  38. 38. • As indústrias do ABC Paulista escolheram uma localização próxima ao centro de consumoAs indústrias do ABC Paulista escolheram uma localização próxima ao centro de consumo do país (São Paulo), ao porto de Santos (que facilitava a chegada de materiais), e àdo país (São Paulo), ao porto de Santos (que facilitava a chegada de materiais), e à siderúrgica de Cubatão, a COSIPA (que fornecia matéria-prima ao setor de auto-peças).siderúrgica de Cubatão, a COSIPA (que fornecia matéria-prima ao setor de auto-peças). • Já a Fiat, estava próxima ao Quadrilátero Ferrífero, à siderúrgica USIMINAS, ao centro deJá a Fiat, estava próxima ao Quadrilátero Ferrífero, à siderúrgica USIMINAS, ao centro de consumo mineiro (Belo Horizonte) e relativamente próxima aos portos de Vitória e Tubarão,consumo mineiro (Belo Horizonte) e relativamente próxima aos portos de Vitória e Tubarão, no Espírito Santo.no Espírito Santo. • O automóvel, meio de transporte individual, tornou-se um dos mais valorizados bens deO automóvel, meio de transporte individual, tornou-se um dos mais valorizados bens de consumo duráveis no Brasil.consumo duráveis no Brasil. • Mais do que um produto de necessidade, assumiu ares de objeto de desejo e símbolo deMais do que um produto de necessidade, assumiu ares de objeto de desejo e símbolo de "status", cujo consumo vem sendo incentivado ostensivamente pela publicidade."status", cujo consumo vem sendo incentivado ostensivamente pela publicidade.
  39. 39. LOCAIS DE INSTALAÇÃO DAS PRINCIPAIS MONTADORAS DE AUTOMÓVEIS NO BRASILLOCAIS DE INSTALAÇÃO DAS PRINCIPAIS MONTADORAS DE AUTOMÓVEIS NO BRASIL
  40. 40. • O crescimento industrial proporcionou à região Sudeste uma forte participação no PIBO crescimento industrial proporcionou à região Sudeste uma forte participação no PIB brasileiro.brasileiro.
  41. 41. • O crescimento industrial proporcionou à região Sudeste uma forte participação no PIBO crescimento industrial proporcionou à região Sudeste uma forte participação no PIB brasileiro.brasileiro. • Verifica-se atualmente, uma nova tendência da expansão e da localização industrial noVerifica-se atualmente, uma nova tendência da expansão e da localização industrial no Brasil, o que pode estabelecer nova distribuição espacial das indústrias.Brasil, o que pode estabelecer nova distribuição espacial das indústrias.
  42. 42. • O crescimento industrial proporcionou à região Sudeste uma forte participação no PIBO crescimento industrial proporcionou à região Sudeste uma forte participação no PIB brasileiro.brasileiro. • Verifica-se atualmente, uma nova tendência da expansão e da localização industrial noVerifica-se atualmente, uma nova tendência da expansão e da localização industrial no Brasil, o que pode estabelecer nova distribuição espacial das indústrias.Brasil, o que pode estabelecer nova distribuição espacial das indústrias. • Porém, a histórica preferência por áreas próximas às zonas costeiras permanecePorém, a histórica preferência por áreas próximas às zonas costeiras permanece acentuada e, por enquanto, a expansão das indústrias está ocorrendo no Centro-Sul, onde aacentuada e, por enquanto, a expansão das indústrias está ocorrendo no Centro-Sul, onde a rede territorial está mais integrada.rede territorial está mais integrada.
  43. 43. • O crescimento industrial proporcionou à região Sudeste uma forte participação no PIBO crescimento industrial proporcionou à região Sudeste uma forte participação no PIB brasileiro.brasileiro. • Verifica-se atualmente, uma nova tendência da expansão e da localização industrial noVerifica-se atualmente, uma nova tendência da expansão e da localização industrial no Brasil, o que pode estabelecer nova distribuição espacial das indústrias.Brasil, o que pode estabelecer nova distribuição espacial das indústrias. • Porém, a histórica preferência por áreas próximas às zonas costeiras permanecePorém, a histórica preferência por áreas próximas às zonas costeiras permanece acentuada e, por enquanto, a expansão das indústrias está ocorrendo no Centro-Sul, onde aacentuada e, por enquanto, a expansão das indústrias está ocorrendo no Centro-Sul, onde a rede territorial está mais integrada.rede territorial está mais integrada. • No Nordeste estão acontecendo diversas instalações industriais.No Nordeste estão acontecendo diversas instalações industriais.
  44. 44. • O crescimento industrial proporcionou à região Sudeste uma forte participação no PIBO crescimento industrial proporcionou à região Sudeste uma forte participação no PIB brasileiro.brasileiro. • Verifica-se atualmente, uma nova tendência da expansão e da localização industrial noVerifica-se atualmente, uma nova tendência da expansão e da localização industrial no Brasil, o que pode estabelecer nova distribuição espacial das indústrias.Brasil, o que pode estabelecer nova distribuição espacial das indústrias. • Porém, a histórica preferência por áreas próximas às zonas costeiras permanecePorém, a histórica preferência por áreas próximas às zonas costeiras permanece acentuada e, por enquanto, a expansão das indústrias está ocorrendo no Centro-Sul, onde aacentuada e, por enquanto, a expansão das indústrias está ocorrendo no Centro-Sul, onde a rede territorial está mais integrada.rede territorial está mais integrada. • No Nordeste estão acontecendo diversas instalações industriais.No Nordeste estão acontecendo diversas instalações industriais. • A região Norte é a que menos recebe investimento industrial.A região Norte é a que menos recebe investimento industrial.
  45. 45. CONCENTRAÇÃO INDUSTRIAL NO SUDESTECONCENTRAÇÃO INDUSTRIAL NO SUDESTE
  46. 46. • Com a abertura do território brasileiro ao processo de globalização da economia,Com a abertura do território brasileiro ao processo de globalização da economia, desmontou-se, na década de 1990, o Estado desenvolvimentista.desmontou-se, na década de 1990, o Estado desenvolvimentista.
  47. 47. • Com a abertura do território brasileiro ao processo de globalização da economia,Com a abertura do território brasileiro ao processo de globalização da economia, desmontou-se, na década de 1990, o Estado desenvolvimentista.desmontou-se, na década de 1990, o Estado desenvolvimentista. • As principais características dessa abertura foram:As principais características dessa abertura foram:
  48. 48. • Com a abertura do território brasileiro ao processo de globalização da economia,Com a abertura do território brasileiro ao processo de globalização da economia, desmontou-se, na década de 1990, o Estado desenvolvimentista.desmontou-se, na década de 1990, o Estado desenvolvimentista. • As principais características dessa abertura foram:As principais características dessa abertura foram: - Quebra dos monopólios da União, que permitiu a transferência das infra-estruturas, dos- Quebra dos monopólios da União, que permitiu a transferência das infra-estruturas, dos conteúdos técnico-territoriais (telefonia, energia, estradas, portos, siderúrgicas econteúdos técnico-territoriais (telefonia, energia, estradas, portos, siderúrgicas e mineradoras) para a iniciativa privada, principalmente empresas transnacionais.mineradoras) para a iniciativa privada, principalmente empresas transnacionais.
  49. 49. • Com a abertura do território brasileiro ao processo de globalização da economia,Com a abertura do território brasileiro ao processo de globalização da economia, desmontou-se, na década de 1990, o Estado desenvolvimentista.desmontou-se, na década de 1990, o Estado desenvolvimentista. • As principais características dessa abertura foram:As principais características dessa abertura foram: - Quebra dos monopólios da União, que permitiu a transferência das infra-estruturas, dos- Quebra dos monopólios da União, que permitiu a transferência das infra-estruturas, dos conteúdos técnico-territoriais (telefonia, energia, estradas, portos, siderúrgicas econteúdos técnico-territoriais (telefonia, energia, estradas, portos, siderúrgicas e mineradoras) para a iniciativa privada, principalmente empresas transnacionais.mineradoras) para a iniciativa privada, principalmente empresas transnacionais. - Diminuição dos impostos aos produtos importados, retirando-lhes ao máximo as- Diminuição dos impostos aos produtos importados, retirando-lhes ao máximo as restrições.restrições.
  50. 50. • Com a abertura do território brasileiro ao processo de globalização da economia,Com a abertura do território brasileiro ao processo de globalização da economia, desmontou-se, na década de 1990, o Estado desenvolvimentista.desmontou-se, na década de 1990, o Estado desenvolvimentista. • As principais características dessa abertura foram:As principais características dessa abertura foram: - Quebra dos monopólios da União, que permitiu a transferência das infra-estruturas, dos- Quebra dos monopólios da União, que permitiu a transferência das infra-estruturas, dos conteúdos técnico-territoriais (telefonia, energia, estradas, portos, siderúrgicas econteúdos técnico-territoriais (telefonia, energia, estradas, portos, siderúrgicas e mineradoras) para a iniciativa privada, principalmente empresas transnacionais.mineradoras) para a iniciativa privada, principalmente empresas transnacionais. - Diminuição dos impostos aos produtos importados, retirando-lhes ao máximo as- Diminuição dos impostos aos produtos importados, retirando-lhes ao máximo as restrições.restrições. - Supervalorização da moeda e elevação das taxas de juros, que aumentaram a entrada de- Supervalorização da moeda e elevação das taxas de juros, que aumentaram a entrada de capital financeiro e especulativo (não investido em produção).capital financeiro e especulativo (não investido em produção).
  51. 51. • Com a abertura do território brasileiro ao processo de globalização da economia,Com a abertura do território brasileiro ao processo de globalização da economia, desmontou-se, na década de 1990, o Estado desenvolvimentista.desmontou-se, na década de 1990, o Estado desenvolvimentista. • As principais características dessa abertura foram:As principais características dessa abertura foram: - Quebra dos monopólios da União, que permitiu a transferência das infra-estruturas, dos- Quebra dos monopólios da União, que permitiu a transferência das infra-estruturas, dos conteúdos técnico-territoriais (telefonia, energia, estradas, portos, siderúrgicas econteúdos técnico-territoriais (telefonia, energia, estradas, portos, siderúrgicas e mineradoras) para a iniciativa privada, principalmente empresas transnacionais.mineradoras) para a iniciativa privada, principalmente empresas transnacionais. - Diminuição dos impostos aos produtos importados, retirando-lhes ao máximo as- Diminuição dos impostos aos produtos importados, retirando-lhes ao máximo as restrições.restrições. - Supervalorização da moeda e elevação das taxas de juros, que aumentaram a entrada de- Supervalorização da moeda e elevação das taxas de juros, que aumentaram a entrada de capital financeiro e especulativo (não investido em produção).capital financeiro e especulativo (não investido em produção). - Vantagens fiscais, como isenção de impostos aos grandes produtores nos níveis federal,- Vantagens fiscais, como isenção de impostos aos grandes produtores nos níveis federal, estadual e municipal.estadual e municipal.
  52. 52. • Com a abertura do território brasileiro ao processo de globalização da economia,Com a abertura do território brasileiro ao processo de globalização da economia, desmontou-se, na década de 1990, o Estado desenvolvimentista.desmontou-se, na década de 1990, o Estado desenvolvimentista. • As principais características dessa abertura foram:As principais características dessa abertura foram: - Quebra dos monopólios da União, que permitiu a transferência das infra-estruturas, dos- Quebra dos monopólios da União, que permitiu a transferência das infra-estruturas, dos conteúdos técnico-territoriais (telefonia, energia, estradas, portos, siderúrgicas econteúdos técnico-territoriais (telefonia, energia, estradas, portos, siderúrgicas e mineradoras) para a iniciativa privada, principalmente empresas transnacionais.mineradoras) para a iniciativa privada, principalmente empresas transnacionais. - Diminuição dos impostos aos produtos importados, retirando-lhes ao máximo as- Diminuição dos impostos aos produtos importados, retirando-lhes ao máximo as restrições.restrições. - Supervalorização da moeda e elevação das taxas de juros, que aumentaram a entrada de- Supervalorização da moeda e elevação das taxas de juros, que aumentaram a entrada de capital financeiro e especulativo (não investido em produção).capital financeiro e especulativo (não investido em produção). - Vantagens fiscais, como isenção de impostos aos grandes produtores nos níveis federal,- Vantagens fiscais, como isenção de impostos aos grandes produtores nos níveis federal, estadual e municipal.estadual e municipal. • Em todo o território nacional, no começo da década de 2000, a produção total apresentouEm todo o território nacional, no começo da década de 2000, a produção total apresentou queda.queda.
  53. 53. • Com a abertura do território brasileiro ao processo de globalização da economia,Com a abertura do território brasileiro ao processo de globalização da economia, desmontou-se, na década de 1990, o Estado desenvolvimentista.desmontou-se, na década de 1990, o Estado desenvolvimentista. • As principais características dessa abertura foram:As principais características dessa abertura foram: - Quebra dos monopólios da União, que permitiu a transferência das infra-estruturas, dos- Quebra dos monopólios da União, que permitiu a transferência das infra-estruturas, dos conteúdos técnico-territoriais (telefonia, energia, estradas, portos, siderúrgicas econteúdos técnico-territoriais (telefonia, energia, estradas, portos, siderúrgicas e mineradoras) para a iniciativa privada, principalmente empresas transnacionais.mineradoras) para a iniciativa privada, principalmente empresas transnacionais. - Diminuição dos impostos aos produtos importados, retirando-lhes ao máximo as- Diminuição dos impostos aos produtos importados, retirando-lhes ao máximo as restrições.restrições. - Supervalorização da moeda e elevação das taxas de juros, que aumentaram a entrada de- Supervalorização da moeda e elevação das taxas de juros, que aumentaram a entrada de capital financeiro e especulativo (não investido em produção).capital financeiro e especulativo (não investido em produção). - Vantagens fiscais, como isenção de impostos aos grandes produtores nos níveis federal,- Vantagens fiscais, como isenção de impostos aos grandes produtores nos níveis federal, estadual e municipal.estadual e municipal. • Em todo o território nacional, no começo da década de 2000, a produção total apresentouEm todo o território nacional, no começo da década de 2000, a produção total apresentou queda.queda. • Essa nova composição não representa um aumento na produção industrial do BrasilEssa nova composição não representa um aumento na produção industrial do Brasil
  54. 54. • Como o modelo de industrialização privilegiou a instalação de multinacionais nas regiõesComo o modelo de industrialização privilegiou a instalação de multinacionais nas regiões industriais, as cidades concentraram as infra-estruturas, que viabilizaram o estabelecimentoindustriais, as cidades concentraram as infra-estruturas, que viabilizaram o estabelecimento de sedes das maiores empresas e bancos do mundo.de sedes das maiores empresas e bancos do mundo.
  55. 55. • Como o modelo de industrialização privilegiou a instalação de multinacionais nas regiõesComo o modelo de industrialização privilegiou a instalação de multinacionais nas regiões industriais, as cidades concentraram as infra-estruturas, que viabilizaram o estabelecimentoindustriais, as cidades concentraram as infra-estruturas, que viabilizaram o estabelecimento de sedes das maiores empresas e bancos do mundo.de sedes das maiores empresas e bancos do mundo. • Reproduziram-se no interior dos países os estratagemas da divisão internacional doReproduziram-se no interior dos países os estratagemas da divisão internacional do trabalho, que sempre seleciona e especifica as áreas destinadas a produzir de acordo comtrabalho, que sempre seleciona e especifica as áreas destinadas a produzir de acordo com as demandas do mercado.as demandas do mercado.
  56. 56. • Como o modelo de industrialização privilegiou a instalação de multinacionais nas regiõesComo o modelo de industrialização privilegiou a instalação de multinacionais nas regiões industriais, as cidades concentraram as infra-estruturas, que viabilizaram o estabelecimentoindustriais, as cidades concentraram as infra-estruturas, que viabilizaram o estabelecimento de sedes das maiores empresas e bancos do mundo.de sedes das maiores empresas e bancos do mundo. • Reproduziram-se no interior dos países os estratagemas da divisão internacional doReproduziram-se no interior dos países os estratagemas da divisão internacional do trabalho, que sempre seleciona e especifica as áreas destinadas a produzir de acordo comtrabalho, que sempre seleciona e especifica as áreas destinadas a produzir de acordo com as demandas do mercado.as demandas do mercado. • Criou-se, no pós 2ª Guerra Mundial, uma divisão internacional do trabalho que acelerou oCriou-se, no pós 2ª Guerra Mundial, uma divisão internacional do trabalho que acelerou o desenvolvimento industrial de alguns países subdesenvolvidos de forma concentrada emdesenvolvimento industrial de alguns países subdesenvolvidos de forma concentrada em poucas cidades.poucas cidades.
  57. 57. • Como o modelo de industrialização privilegiou a instalação de multinacionais nas regiõesComo o modelo de industrialização privilegiou a instalação de multinacionais nas regiões industriais, as cidades concentraram as infra-estruturas, que viabilizaram o estabelecimentoindustriais, as cidades concentraram as infra-estruturas, que viabilizaram o estabelecimento de sedes das maiores empresas e bancos do mundo.de sedes das maiores empresas e bancos do mundo. • Reproduziram-se no interior dos países os estratagemas da divisão internacional doReproduziram-se no interior dos países os estratagemas da divisão internacional do trabalho, que sempre seleciona e especifica as áreas destinadas a produzir de acordo comtrabalho, que sempre seleciona e especifica as áreas destinadas a produzir de acordo com as demandas do mercado.as demandas do mercado. • Criou-se, no pós 2ª Guerra Mundial, uma divisão internacional do trabalho que acelerou oCriou-se, no pós 2ª Guerra Mundial, uma divisão internacional do trabalho que acelerou o desenvolvimento industrial de alguns países subdesenvolvidos de forma concentrada emdesenvolvimento industrial de alguns países subdesenvolvidos de forma concentrada em poucas cidades.poucas cidades. • Tal fato gerou uma divisão TERRITORIAL do trabalho (DTT) nesses países que escancaraTal fato gerou uma divisão TERRITORIAL do trabalho (DTT) nesses países que escancara suas desigualdades regionais hoje.suas desigualdades regionais hoje.
  58. 58. • Como o modelo de industrialização privilegiou a instalação de multinacionais nas regiõesComo o modelo de industrialização privilegiou a instalação de multinacionais nas regiões industriais, as cidades concentraram as infra-estruturas, que viabilizaram o estabelecimentoindustriais, as cidades concentraram as infra-estruturas, que viabilizaram o estabelecimento de sedes das maiores empresas e bancos do mundo.de sedes das maiores empresas e bancos do mundo. • Reproduziram-se no interior dos países os estratagemas da divisão internacional doReproduziram-se no interior dos países os estratagemas da divisão internacional do trabalho, que sempre seleciona e especifica as áreas destinadas a produzir de acordo comtrabalho, que sempre seleciona e especifica as áreas destinadas a produzir de acordo com as demandas do mercado.as demandas do mercado. • Criou-se, no pós 2ª Guerra Mundial, uma divisão internacional do trabalho que acelerou oCriou-se, no pós 2ª Guerra Mundial, uma divisão internacional do trabalho que acelerou o desenvolvimento industrial de alguns países subdesenvolvidos de forma concentrada emdesenvolvimento industrial de alguns países subdesenvolvidos de forma concentrada em poucas cidades.poucas cidades. • Tal fato gerou uma divisão TERRITORIAL do trabalho (DTT) nesses países que escancaraTal fato gerou uma divisão TERRITORIAL do trabalho (DTT) nesses países que escancara suas desigualdades regionais hoje.suas desigualdades regionais hoje. • Mas as desigualdades não ocorrem apenas entre as diversas regiões do território.Mas as desigualdades não ocorrem apenas entre as diversas regiões do território.
  59. 59. • Voltadas à reprodução do capital internacional, as cidades para onde convergem asVoltadas à reprodução do capital internacional, as cidades para onde convergem as principais atividades econômicas e políticas dos países subdesenvolvidos geraram, emprincipais atividades econômicas e políticas dos países subdesenvolvidos geraram, em seus meios, ambientes que abrigam todas as classes sociais, de modo a reproduzir aseus meios, ambientes que abrigam todas as classes sociais, de modo a reproduzir a intensa desigualdade socio-espacial construída em seu processo de desenvolvimento.intensa desigualdade socio-espacial construída em seu processo de desenvolvimento.
  60. 60. • Voltadas à reprodução do capital internacional, as cidades para onde convergem asVoltadas à reprodução do capital internacional, as cidades para onde convergem as principais atividades econômicas e políticas dos países subdesenvolvidos geraram, emprincipais atividades econômicas e políticas dos países subdesenvolvidos geraram, em seus meios, ambientes que abrigam todas as classes sociais, de modo a reproduzir aseus meios, ambientes que abrigam todas as classes sociais, de modo a reproduzir a intensa desigualdade socio-espacial construída em seu processo de desenvolvimento.intensa desigualdade socio-espacial construída em seu processo de desenvolvimento. • A valorização extremamente desigual das áreas da cidade instaura a segregação socio-A valorização extremamente desigual das áreas da cidade instaura a segregação socio- espacial, ou seja, nem todos os cidadãos podem fluir por todas as áreas urbanas.espacial, ou seja, nem todos os cidadãos podem fluir por todas as áreas urbanas.
  61. 61. • Voltadas à reprodução do capital internacional, as cidades para onde convergem asVoltadas à reprodução do capital internacional, as cidades para onde convergem as principais atividades econômicas e políticas dos países subdesenvolvidos geraram, emprincipais atividades econômicas e políticas dos países subdesenvolvidos geraram, em seus meios, ambientes que abrigam todas as classes sociais, de modo a reproduzir aseus meios, ambientes que abrigam todas as classes sociais, de modo a reproduzir a intensa desigualdade socio-espacial construída em seu processo de desenvolvimento.intensa desigualdade socio-espacial construída em seu processo de desenvolvimento. • A valorização extremamente desigual das áreas da cidade instaura a segregação socio-A valorização extremamente desigual das áreas da cidade instaura a segregação socio- espacial, ou seja, nem todos os cidadãos podem fluir por todas as áreas urbanas.espacial, ou seja, nem todos os cidadãos podem fluir por todas as áreas urbanas. • Isso é facilmente observável: o preço do terreno e de imóveis semelhantes varia conformeIsso é facilmente observável: o preço do terreno e de imóveis semelhantes varia conforme sua localização, função e uso.sua localização, função e uso.
  62. 62. • Voltadas à reprodução do capital internacional, as cidades para onde convergem asVoltadas à reprodução do capital internacional, as cidades para onde convergem as principais atividades econômicas e políticas dos países subdesenvolvidos geraram, emprincipais atividades econômicas e políticas dos países subdesenvolvidos geraram, em seus meios, ambientes que abrigam todas as classes sociais, de modo a reproduzir aseus meios, ambientes que abrigam todas as classes sociais, de modo a reproduzir a intensa desigualdade socio-espacial construída em seu processo de desenvolvimento.intensa desigualdade socio-espacial construída em seu processo de desenvolvimento. • A valorização extremamente desigual das áreas da cidade instaura a segregação socio-A valorização extremamente desigual das áreas da cidade instaura a segregação socio- espacial, ou seja, nem todos os cidadãos podem fluir por todas as áreas urbanas.espacial, ou seja, nem todos os cidadãos podem fluir por todas as áreas urbanas. • Isso é facilmente observável: o preço do terreno e de imóveis semelhantes varia conformeIsso é facilmente observável: o preço do terreno e de imóveis semelhantes varia conforme sua localização, função e uso.sua localização, função e uso. • Isso determina diversos tipos de acesso e de condições de habitação. Os condomínios eIsso determina diversos tipos de acesso e de condições de habitação. Os condomínios e ruas fechados revelam essa desigualdade de usos do espaço.ruas fechados revelam essa desigualdade de usos do espaço.
  63. 63. • Voltadas à reprodução do capital internacional, as cidades para onde convergem asVoltadas à reprodução do capital internacional, as cidades para onde convergem as principais atividades econômicas e políticas dos países subdesenvolvidos geraram, emprincipais atividades econômicas e políticas dos países subdesenvolvidos geraram, em seus meios, ambientes que abrigam todas as classes sociais, de modo a reproduzir aseus meios, ambientes que abrigam todas as classes sociais, de modo a reproduzir a intensa desigualdade socio-espacial construída em seu processo de desenvolvimento.intensa desigualdade socio-espacial construída em seu processo de desenvolvimento. • A valorização extremamente desigual das áreas da cidade instaura a segregação socio-A valorização extremamente desigual das áreas da cidade instaura a segregação socio- espacial, ou seja, nem todos os cidadãos podem fluir por todas as áreas urbanas.espacial, ou seja, nem todos os cidadãos podem fluir por todas as áreas urbanas. • Isso é facilmente observável: o preço do terreno e de imóveis semelhantes varia conformeIsso é facilmente observável: o preço do terreno e de imóveis semelhantes varia conforme sua localização, função e uso.sua localização, função e uso. • Isso determina diversos tipos de acesso e de condições de habitação. Os condomínios eIsso determina diversos tipos de acesso e de condições de habitação. Os condomínios e ruas fechados revelam essa desigualdade de usos do espaço.ruas fechados revelam essa desigualdade de usos do espaço. • Nas áreas mais carentes de infra-estruturas, o metro quadrado dos lotes vale menos e, porNas áreas mais carentes de infra-estruturas, o metro quadrado dos lotes vale menos e, por isso mesmo, para lá se dirige quem não pode pagar por condições dignas de moradia.isso mesmo, para lá se dirige quem não pode pagar por condições dignas de moradia.
  64. 64. • Essas política econômica predominante nos países subdesenvolvidos gera um forte eEssas política econômica predominante nos países subdesenvolvidos gera um forte e concentrado fluxo de migração, o que caracterizou um aspecto fundamental na formaçãoconcentrado fluxo de migração, o que caracterizou um aspecto fundamental na formação das grandes aglomerações urbanas atuais.das grandes aglomerações urbanas atuais.
  65. 65. • Essas política econômica predominante nos países subdesenvolvidos gera um forte eEssas política econômica predominante nos países subdesenvolvidos gera um forte e concentrado fluxo de migração, o que caracterizou um aspecto fundamental na formaçãoconcentrado fluxo de migração, o que caracterizou um aspecto fundamental na formação das grandes aglomerações urbanas atuais.das grandes aglomerações urbanas atuais. • Pode-se dizer que, nos países subdesenvolvidos capitalistas que iniciaram ouPode-se dizer que, nos países subdesenvolvidos capitalistas que iniciaram ou intensificaram seu processo de industrialização em meados do século 20, o aumento e aintensificaram seu processo de industrialização em meados do século 20, o aumento e a diversificação das atividades comerciais, industriais e de serviços em seus grandes centrosdiversificação das atividades comerciais, industriais e de serviços em seus grandes centros urbanos incentivaram e forma incentivados pelos afluxos de migrantes.urbanos incentivaram e forma incentivados pelos afluxos de migrantes.
  66. 66. • Essas política econômica predominante nos países subdesenvolvidos gera um forte eEssas política econômica predominante nos países subdesenvolvidos gera um forte e concentrado fluxo de migração, o que caracterizou um aspecto fundamental na formaçãoconcentrado fluxo de migração, o que caracterizou um aspecto fundamental na formação das grandes aglomerações urbanas atuais.das grandes aglomerações urbanas atuais. • Pode-se dizer que, nos países subdesenvolvidos capitalistas que iniciaram ouPode-se dizer que, nos países subdesenvolvidos capitalistas que iniciaram ou intensificaram seu processo de industrialização em meados do século 20, o aumento e aintensificaram seu processo de industrialização em meados do século 20, o aumento e a diversificação das atividades comerciais, industriais e de serviços em seus grandes centrosdiversificação das atividades comerciais, industriais e de serviços em seus grandes centros urbanos incentivaram e forma incentivados pelos afluxos de migrantes.urbanos incentivaram e forma incentivados pelos afluxos de migrantes. • Como é inerente ao modo de produção capitalista, o aumento populacional nos grandesComo é inerente ao modo de produção capitalista, o aumento populacional nos grandes centros urbanos de países em desenvolvimento, como o Brasil, não correspondeu à ofertacentros urbanos de países em desenvolvimento, como o Brasil, não correspondeu à oferta de emprego, tampouco à devida remuneração dos empregados.de emprego, tampouco à devida remuneração dos empregados.
  67. 67. • Essas política econômica predominante nos países subdesenvolvidos gera um forte eEssas política econômica predominante nos países subdesenvolvidos gera um forte e concentrado fluxo de migração, o que caracterizou um aspecto fundamental na formaçãoconcentrado fluxo de migração, o que caracterizou um aspecto fundamental na formação das grandes aglomerações urbanas atuais.das grandes aglomerações urbanas atuais. • Pode-se dizer que, nos países subdesenvolvidos capitalistas que iniciaram ouPode-se dizer que, nos países subdesenvolvidos capitalistas que iniciaram ou intensificaram seu processo de industrialização em meados do século 20, o aumento e aintensificaram seu processo de industrialização em meados do século 20, o aumento e a diversificação das atividades comerciais, industriais e de serviços em seus grandes centrosdiversificação das atividades comerciais, industriais e de serviços em seus grandes centros urbanos incentivaram e forma incentivados pelos afluxos de migrantes.urbanos incentivaram e forma incentivados pelos afluxos de migrantes. • Como é inerente ao modo de produção capitalista, o aumento populacional nos grandesComo é inerente ao modo de produção capitalista, o aumento populacional nos grandes centros urbanos de países em desenvolvimento, como o Brasil, não correspondeu à ofertacentros urbanos de países em desenvolvimento, como o Brasil, não correspondeu à oferta de emprego, tampouco à devida remuneração dos empregados.de emprego, tampouco à devida remuneração dos empregados. • A consequencia: uma intensa competitividade na batalha para obtenção de emprego,A consequencia: uma intensa competitividade na batalha para obtenção de emprego, moradia e alimentação e, fatalmente, o acirramento da segregação espacial.moradia e alimentação e, fatalmente, o acirramento da segregação espacial.
  68. 68. • Essas política econômica predominante nos países subdesenvolvidos gera um forte eEssas política econômica predominante nos países subdesenvolvidos gera um forte e concentrado fluxo de migração, o que caracterizou um aspecto fundamental na formaçãoconcentrado fluxo de migração, o que caracterizou um aspecto fundamental na formação das grandes aglomerações urbanas atuais.das grandes aglomerações urbanas atuais. • Pode-se dizer que, nos países subdesenvolvidos capitalistas que iniciaram ouPode-se dizer que, nos países subdesenvolvidos capitalistas que iniciaram ou intensificaram seu processo de industrialização em meados do século 20, o aumento e aintensificaram seu processo de industrialização em meados do século 20, o aumento e a diversificação das atividades comerciais, industriais e de serviços em seus grandes centrosdiversificação das atividades comerciais, industriais e de serviços em seus grandes centros urbanos incentivaram e forma incentivados pelos afluxos de migrantes.urbanos incentivaram e forma incentivados pelos afluxos de migrantes. • Como é inerente ao modo de produção capitalista, o aumento populacional nos grandesComo é inerente ao modo de produção capitalista, o aumento populacional nos grandes centros urbanos de países em desenvolvimento, como o Brasil, não correspondeu à ofertacentros urbanos de países em desenvolvimento, como o Brasil, não correspondeu à oferta de emprego, tampouco à devida remuneração dos empregados.de emprego, tampouco à devida remuneração dos empregados. • A consequencia: uma intensa competitividade na batalha para obtenção de emprego,A consequencia: uma intensa competitividade na batalha para obtenção de emprego, moradia e alimentação e, fatalmente, o acirramento da segregação espacial.moradia e alimentação e, fatalmente, o acirramento da segregação espacial. • Nesse processo, o preço da terra urbana impediu o acesso a expulsou das melhores áreasNesse processo, o preço da terra urbana impediu o acesso a expulsou das melhores áreas residenciais os mais pobres, que procuraram se estabelecer em áreas impróprias,residenciais os mais pobres, que procuraram se estabelecer em áreas impróprias, degradadas ou muito distantes dos centros das cidades.degradadas ou muito distantes dos centros das cidades.
  69. 69. • Essas política econômica predominante nos países subdesenvolvidos gera um forte eEssas política econômica predominante nos países subdesenvolvidos gera um forte e concentrado fluxo de migração, o que caracterizou um aspecto fundamental na formaçãoconcentrado fluxo de migração, o que caracterizou um aspecto fundamental na formação das grandes aglomerações urbanas atuais.das grandes aglomerações urbanas atuais. • Pode-se dizer que, nos países subdesenvolvidos capitalistas que iniciaram ouPode-se dizer que, nos países subdesenvolvidos capitalistas que iniciaram ou intensificaram seu processo de industrialização em meados do século 20, o aumento e aintensificaram seu processo de industrialização em meados do século 20, o aumento e a diversificação das atividades comerciais, industriais e de serviços em seus grandes centrosdiversificação das atividades comerciais, industriais e de serviços em seus grandes centros urbanos incentivaram e forma incentivados pelos afluxos de migrantes.urbanos incentivaram e forma incentivados pelos afluxos de migrantes. • Como é inerente ao modo de produção capitalista, o aumento populacional nos grandesComo é inerente ao modo de produção capitalista, o aumento populacional nos grandes centros urbanos de países em desenvolvimento, como o Brasil, não correspondeu à ofertacentros urbanos de países em desenvolvimento, como o Brasil, não correspondeu à oferta de emprego, tampouco à devida remuneração dos empregados.de emprego, tampouco à devida remuneração dos empregados. • A consequencia: uma intensa competitividade na batalha para obtenção de emprego,A consequencia: uma intensa competitividade na batalha para obtenção de emprego, moradia e alimentação e, fatalmente, o acirramento da segregação espacial.moradia e alimentação e, fatalmente, o acirramento da segregação espacial. • Nesse processo, o preço da terra urbana impediu o acesso a expulsou das melhores áreasNesse processo, o preço da terra urbana impediu o acesso a expulsou das melhores áreas residenciais os mais pobres, que procuraram se estabelecer em áreas impróprias,residenciais os mais pobres, que procuraram se estabelecer em áreas impróprias, degradadas ou muito distantes dos centros das cidades.degradadas ou muito distantes dos centros das cidades. • A favela é uma das mais degradantes formas de habitação, que prolifera não somente nosA favela é uma das mais degradantes formas de habitação, que prolifera não somente nos grandes centros, mas também em cidades de médio porte nos países subdesenvolvidos.grandes centros, mas também em cidades de médio porte nos países subdesenvolvidos.
  70. 70. • O crescimento da rede urbana propicia uma organização hierárquica entre as cidades.O crescimento da rede urbana propicia uma organização hierárquica entre as cidades.
  71. 71. • O crescimento da rede urbana propicia uma organização hierárquica entre as cidades.O crescimento da rede urbana propicia uma organização hierárquica entre as cidades. • Algumas adquirem tal complexidade de concentração de atividades, que extrapolam oAlgumas adquirem tal complexidade de concentração de atividades, que extrapolam o comando regional.comando regional.
  72. 72. • O crescimento da rede urbana propicia uma organização hierárquica entre as cidades.O crescimento da rede urbana propicia uma organização hierárquica entre as cidades. • Algumas adquirem tal complexidade de concentração de atividades, que extrapolam oAlgumas adquirem tal complexidade de concentração de atividades, que extrapolam o comando regional.comando regional. • Por conta de seu ritmo intenso de crescimento, passam por processos de marco-Por conta de seu ritmo intenso de crescimento, passam por processos de marco- urbanização e metropolização, os quais podem ser entendidos como um "crescimentourbanização e metropolização, os quais podem ser entendidos como um "crescimento urbano desmensurado".urbano desmensurado".
  73. 73. • O crescimento da rede urbana propicia uma organização hierárquica entre as cidades.O crescimento da rede urbana propicia uma organização hierárquica entre as cidades. • Algumas adquirem tal complexidade de concentração de atividades, que extrapolam oAlgumas adquirem tal complexidade de concentração de atividades, que extrapolam o comando regional.comando regional. • Por conta de seu ritmo intenso de crescimento, passam por processos de marco-Por conta de seu ritmo intenso de crescimento, passam por processos de marco- urbanização e metropolização, os quais podem ser entendidos como um "crescimentourbanização e metropolização, os quais podem ser entendidos como um "crescimento urbano desmensurado".urbano desmensurado". • Elas se expandem até os seus limites com municípios vizinhos, provocando-lhes também oElas se expandem até os seus limites com municípios vizinhos, provocando-lhes também o crescimento.crescimento.
  74. 74. • O crescimento da rede urbana propicia uma organização hierárquica entre as cidades.O crescimento da rede urbana propicia uma organização hierárquica entre as cidades. • Algumas adquirem tal complexidade de concentração de atividades, que extrapolam oAlgumas adquirem tal complexidade de concentração de atividades, que extrapolam o comando regional.comando regional. • Por conta de seu ritmo intenso de crescimento, passam por processos de marco-Por conta de seu ritmo intenso de crescimento, passam por processos de marco- urbanização e metropolização, os quais podem ser entendidos como um "crescimentourbanização e metropolização, os quais podem ser entendidos como um "crescimento urbano desmensurado".urbano desmensurado". • Elas se expandem até os seus limites com municípios vizinhos, provocando-lhes também oElas se expandem até os seus limites com municípios vizinhos, provocando-lhes também o crescimento.crescimento. • O comando da rede urbana caracteriza a metrópole atual.O comando da rede urbana caracteriza a metrópole atual.
  75. 75. • As metrópoles comandam a região metropolitana, caracterizada pela conurbação eAs metrópoles comandam a região metropolitana, caracterizada pela conurbação e formada por vários municípios limítrofes entre si.formada por vários municípios limítrofes entre si.
  76. 76. • As metrópoles comandam a região metropolitana, caracterizada pela conurbação eAs metrópoles comandam a região metropolitana, caracterizada pela conurbação e formada por vários municípios limítrofes entre si.formada por vários municípios limítrofes entre si. • Algumas dessas metrópoles passam a fazer parte do comando nacional de cidades.Algumas dessas metrópoles passam a fazer parte do comando nacional de cidades.
  77. 77. • As metrópoles comandam a região metropolitana, caracterizada pela conurbação eAs metrópoles comandam a região metropolitana, caracterizada pela conurbação e formada por vários municípios limítrofes entre si.formada por vários municípios limítrofes entre si. • Algumas dessas metrópoles passam a fazer parte do comando nacional de cidades.Algumas dessas metrópoles passam a fazer parte do comando nacional de cidades. • É o caso de São Paulo, a maior cidade do país.É o caso de São Paulo, a maior cidade do país.
  78. 78. • As metrópoles comandam a região metropolitana, caracterizada pela conurbação eAs metrópoles comandam a região metropolitana, caracterizada pela conurbação e formada por vários municípios limítrofes entre si.formada por vários municípios limítrofes entre si. • Algumas dessas metrópoles passam a fazer parte do comando nacional de cidades.Algumas dessas metrópoles passam a fazer parte do comando nacional de cidades. • É o caso de São Paulo, a maior cidade do país.É o caso de São Paulo, a maior cidade do país. • Desde o final do século 19 até a década de 1970, as cidades eram classificadas numaDesde o final do século 19 até a década de 1970, as cidades eram classificadas numa hierarquia piramidal: dependiam de suas vizinhas imediatas para se relacionar com a cidadehierarquia piramidal: dependiam de suas vizinhas imediatas para se relacionar com a cidade mais importante da hierarquia.mais importante da hierarquia.
  79. 79. • As metrópoles comandam a região metropolitana, caracterizada pela conurbação eAs metrópoles comandam a região metropolitana, caracterizada pela conurbação e formada por vários municípios limítrofes entre si.formada por vários municípios limítrofes entre si. • Algumas dessas metrópoles passam a fazer parte do comando nacional de cidades.Algumas dessas metrópoles passam a fazer parte do comando nacional de cidades. • É o caso de São Paulo, a maior cidade do país.É o caso de São Paulo, a maior cidade do país. • Desde o final do século 19 até a década de 1970, as cidades eram classificadas numaDesde o final do século 19 até a década de 1970, as cidades eram classificadas numa hierarquia piramidal: dependiam de suas vizinhas imediatas para se relacionar com a cidadehierarquia piramidal: dependiam de suas vizinhas imediatas para se relacionar com a cidade mais importante da hierarquia.mais importante da hierarquia. • O geógrafo Milton Santos afirma que nesse tradicional esquema havia uma série deO geógrafo Milton Santos afirma que nesse tradicional esquema havia uma série de degraus, de etapas que separavam e categorizavam as cidades conforme seus graus dedegraus, de etapas que separavam e categorizavam as cidades conforme seus graus de importância dentro da rede urbana.importância dentro da rede urbana.
  80. 80. • As metrópoles comandam a região metropolitana, caracterizada pela conurbação eAs metrópoles comandam a região metropolitana, caracterizada pela conurbação e formada por vários municípios limítrofes entre si.formada por vários municípios limítrofes entre si. • Algumas dessas metrópoles passam a fazer parte do comando nacional de cidades.Algumas dessas metrópoles passam a fazer parte do comando nacional de cidades. • É o caso de São Paulo, a maior cidade do país.É o caso de São Paulo, a maior cidade do país. • Desde o final do século 19 até a década de 1970, as cidades eram classificadas numaDesde o final do século 19 até a década de 1970, as cidades eram classificadas numa hierarquia piramidal: dependiam de suas vizinhas imediatas para se relacionar com a cidadehierarquia piramidal: dependiam de suas vizinhas imediatas para se relacionar com a cidade mais importante da hierarquia.mais importante da hierarquia. • O geógrafo Milton Santos afirma que nesse tradicional esquema havia uma série deO geógrafo Milton Santos afirma que nesse tradicional esquema havia uma série de degraus, de etapas que separavam e categorizavam as cidades conforme seus graus dedegraus, de etapas que separavam e categorizavam as cidades conforme seus graus de importância dentro da rede urbana.importância dentro da rede urbana. • "Galgar esses degraus significava subir na hierarquia, ascender na rede urbana", dizia o"Galgar esses degraus significava subir na hierarquia, ascender na rede urbana", dizia o geógrafo, falecido em 2001.geógrafo, falecido em 2001.
  81. 81. • Com o desenvolvimento dos meios de transportes e de comunicações, conheceu-se,Com o desenvolvimento dos meios de transportes e de comunicações, conheceu-se, sobretudo nos países subdesenvolvidos, uma nova hierarquização.sobretudo nos países subdesenvolvidos, uma nova hierarquização.
  82. 82. • Com o desenvolvimento dos meios de transportes e de comunicações, conheceu-se,Com o desenvolvimento dos meios de transportes e de comunicações, conheceu-se, sobretudo nos países subdesenvolvidos, uma nova hierarquização.sobretudo nos países subdesenvolvidos, uma nova hierarquização. • A construção de estradas paulatinamente permitiu aos habitantes de regiões distantesA construção de estradas paulatinamente permitiu aos habitantes de regiões distantes adquirir condições de se moverem pelo território e, assim, migrarem.adquirir condições de se moverem pelo território e, assim, migrarem.
  83. 83. • Com o desenvolvimento dos meios de transportes e de comunicações, conheceu-se,Com o desenvolvimento dos meios de transportes e de comunicações, conheceu-se, sobretudo nos países subdesenvolvidos, uma nova hierarquização.sobretudo nos países subdesenvolvidos, uma nova hierarquização. • A construção de estradas paulatinamente permitiu aos habitantes de regiões distantesA construção de estradas paulatinamente permitiu aos habitantes de regiões distantes adquirir condições de se moverem pelo território e, assim, migrarem.adquirir condições de se moverem pelo território e, assim, migrarem. • As cidades mais distantes podem se relacionar diretamente com a cidade central da redeAs cidades mais distantes podem se relacionar diretamente com a cidade central da rede urbana.urbana.
  84. 84. • Com o desenvolvimento dos meios de transportes e de comunicações, conheceu-se,Com o desenvolvimento dos meios de transportes e de comunicações, conheceu-se, sobretudo nos países subdesenvolvidos, uma nova hierarquização.sobretudo nos países subdesenvolvidos, uma nova hierarquização. • A construção de estradas paulatinamente permitiu aos habitantes de regiões distantesA construção de estradas paulatinamente permitiu aos habitantes de regiões distantes adquirir condições de se moverem pelo território e, assim, migrarem.adquirir condições de se moverem pelo território e, assim, migrarem. • As cidades mais distantes podem se relacionar diretamente com a cidade central da redeAs cidades mais distantes podem se relacionar diretamente com a cidade central da rede urbana.urbana. • A construção da Rodovia Presidente Dutra proporcionou um intenso desenvolvimentoA construção da Rodovia Presidente Dutra proporcionou um intenso desenvolvimento entre São Paulo e Rio de Janeiro, o que levou a região a ser chamada de "megalópoleentre São Paulo e Rio de Janeiro, o que levou a região a ser chamada de "megalópole brasileira".brasileira".
  85. 85. • Com o desenvolvimento dos meios de transportes e de comunicações, conheceu-se,Com o desenvolvimento dos meios de transportes e de comunicações, conheceu-se, sobretudo nos países subdesenvolvidos, uma nova hierarquização.sobretudo nos países subdesenvolvidos, uma nova hierarquização. • A construção de estradas paulatinamente permitiu aos habitantes de regiões distantesA construção de estradas paulatinamente permitiu aos habitantes de regiões distantes adquirir condições de se moverem pelo território e, assim, migrarem.adquirir condições de se moverem pelo território e, assim, migrarem. • As cidades mais distantes podem se relacionar diretamente com a cidade central da redeAs cidades mais distantes podem se relacionar diretamente com a cidade central da rede urbana.urbana. • A construção da Rodovia Presidente Dutra proporcionou um intenso desenvolvimentoA construção da Rodovia Presidente Dutra proporcionou um intenso desenvolvimento entre São Paulo e Rio de Janeiro, o que levou a região a ser chamada de "megalópoleentre São Paulo e Rio de Janeiro, o que levou a região a ser chamada de "megalópole brasileira".brasileira". • Porém, com a intensificação dos fluxos em direção à Brasília, construíram-se rodoviasPorém, com a intensificação dos fluxos em direção à Brasília, construíram-se rodovias ligando as regiões Sudeste e Centro-Oeste, o que redirecionou o desenvolvimento urbanoligando as regiões Sudeste e Centro-Oeste, o que redirecionou o desenvolvimento urbano industrial.industrial.
  86. 86. • Com o desenvolvimento dos meios de transportes e de comunicações, conheceu-se,Com o desenvolvimento dos meios de transportes e de comunicações, conheceu-se, sobretudo nos países subdesenvolvidos, uma nova hierarquização.sobretudo nos países subdesenvolvidos, uma nova hierarquização. • A construção de estradas paulatinamente permitiu aos habitantes de regiões distantesA construção de estradas paulatinamente permitiu aos habitantes de regiões distantes adquirir condições de se moverem pelo território e, assim, migrarem.adquirir condições de se moverem pelo território e, assim, migrarem. • As cidades mais distantes podem se relacionar diretamente com a cidade central da redeAs cidades mais distantes podem se relacionar diretamente com a cidade central da rede urbana.urbana. • A construção da Rodovia Presidente Dutra proporcionou um intenso desenvolvimentoA construção da Rodovia Presidente Dutra proporcionou um intenso desenvolvimento entre São Paulo e Rio de Janeiro, o que levou a região a ser chamada de "megalópoleentre São Paulo e Rio de Janeiro, o que levou a região a ser chamada de "megalópole brasileira".brasileira". • Porém, com a intensificação dos fluxos em direção à Brasília, construíram-se rodoviasPorém, com a intensificação dos fluxos em direção à Brasília, construíram-se rodovias ligando as regiões Sudeste e Centro-Oeste, o que redirecionou o desenvolvimento urbanoligando as regiões Sudeste e Centro-Oeste, o que redirecionou o desenvolvimento urbano industrial.industrial. • Com as políticas territoriais de interiorização, a tecnificação do território, que estimulou aCom as políticas territoriais de interiorização, a tecnificação do território, que estimulou a expansão urbana, permitiu também a expansão das fronteiras agrícolas.expansão urbana, permitiu também a expansão das fronteiras agrícolas.
  87. 87. • Com o desenvolvimento dos meios de transportes e de comunicações, conheceu-se,Com o desenvolvimento dos meios de transportes e de comunicações, conheceu-se, sobretudo nos países subdesenvolvidos, uma nova hierarquização.sobretudo nos países subdesenvolvidos, uma nova hierarquização. • A construção de estradas paulatinamente permitiu aos habitantes de regiões distantesA construção de estradas paulatinamente permitiu aos habitantes de regiões distantes adquirir condições de se moverem pelo território e, assim, migrarem.adquirir condições de se moverem pelo território e, assim, migrarem. • As cidades mais distantes podem se relacionar diretamente com a cidade central da redeAs cidades mais distantes podem se relacionar diretamente com a cidade central da rede urbana.urbana. • A construção da Rodovia Presidente Dutra proporcionou um intenso desenvolvimentoA construção da Rodovia Presidente Dutra proporcionou um intenso desenvolvimento entre São Paulo e Rio de Janeiro, o que levou a região a ser chamada de "megalópoleentre São Paulo e Rio de Janeiro, o que levou a região a ser chamada de "megalópole brasileira".brasileira". • Porém, com a intensificação dos fluxos em direção à Brasília, construíram-se rodoviasPorém, com a intensificação dos fluxos em direção à Brasília, construíram-se rodovias ligando as regiões Sudeste e Centro-Oeste, o que redirecionou o desenvolvimento urbanoligando as regiões Sudeste e Centro-Oeste, o que redirecionou o desenvolvimento urbano industrial.industrial. • Com as políticas territoriais de interiorização, a tecnificação do território, que estimulou aCom as políticas territoriais de interiorização, a tecnificação do território, que estimulou a expansão urbana, permitiu também a expansão das fronteiras agrícolas.expansão urbana, permitiu também a expansão das fronteiras agrícolas. • Multiplicam-se pelo território áreas de produção agropecuária moderna, ao mesmo tempoMultiplicam-se pelo território áreas de produção agropecuária moderna, ao mesmo tempo em que se acelera o ritmo de crescimento das cidades médias no interior - as quais crescemem que se acelera o ritmo de crescimento das cidades médias no interior - as quais crescem mais rapidamente do que as maiores cidades brasileiras.mais rapidamente do que as maiores cidades brasileiras.
  88. 88. • No Brasil, cerca de 30% da população vive em 9 regiões metropolitanas, sendo cerca deNo Brasil, cerca de 30% da população vive em 9 regiões metropolitanas, sendo cerca de 22% nas capitais.22% nas capitais.
  89. 89. • No Brasil, cerca de 30% da população vive em 9 regiões metropolitanas, sendo cerca deNo Brasil, cerca de 30% da população vive em 9 regiões metropolitanas, sendo cerca de 22% nas capitais.22% nas capitais. • Estas têm apresentado um ritmo mais lento de crescimento: em 1991, a população dasEstas têm apresentado um ritmo mais lento de crescimento: em 1991, a população das capitais representava praticamente 25% do total nacional, hoje, apenas 22%.capitais representava praticamente 25% do total nacional, hoje, apenas 22%.
  90. 90. • No Brasil, cerca de 30% da população vive em 9 regiões metropolitanas, sendo cerca deNo Brasil, cerca de 30% da população vive em 9 regiões metropolitanas, sendo cerca de 22% nas capitais.22% nas capitais. • Estas têm apresentado um ritmo mais lento de crescimento: em 1991, a população dasEstas têm apresentado um ritmo mais lento de crescimento: em 1991, a população das capitais representava praticamente 25% do total nacional, hoje, apenas 22%.capitais representava praticamente 25% do total nacional, hoje, apenas 22%. • Na região Sudeste, onde vive mais de 40% da população brasileira, as capitais vêmNa região Sudeste, onde vive mais de 40% da população brasileira, as capitais vêm registrando crescimento inferior a 1% ao ano.registrando crescimento inferior a 1% ao ano.
  91. 91. • No Brasil, cerca de 30% da população vive em 9 regiões metropolitanas, sendo cerca deNo Brasil, cerca de 30% da população vive em 9 regiões metropolitanas, sendo cerca de 22% nas capitais.22% nas capitais. • Estas têm apresentado um ritmo mais lento de crescimento: em 1991, a população dasEstas têm apresentado um ritmo mais lento de crescimento: em 1991, a população das capitais representava praticamente 25% do total nacional, hoje, apenas 22%.capitais representava praticamente 25% do total nacional, hoje, apenas 22%. • Na região Sudeste, onde vive mais de 40% da população brasileira, as capitais vêmNa região Sudeste, onde vive mais de 40% da população brasileira, as capitais vêm registrando crescimento inferior a 1% ao ano.registrando crescimento inferior a 1% ao ano. • Já na região Norte, as capitais apresentam altos índices de crescimento.Já na região Norte, as capitais apresentam altos índices de crescimento.
  92. 92. • No Brasil, cerca de 30% da população vive em 9 regiões metropolitanas, sendo cerca deNo Brasil, cerca de 30% da população vive em 9 regiões metropolitanas, sendo cerca de 22% nas capitais.22% nas capitais. • Estas têm apresentado um ritmo mais lento de crescimento: em 1991, a população dasEstas têm apresentado um ritmo mais lento de crescimento: em 1991, a população das capitais representava praticamente 25% do total nacional, hoje, apenas 22%.capitais representava praticamente 25% do total nacional, hoje, apenas 22%. • Na região Sudeste, onde vive mais de 40% da população brasileira, as capitais vêmNa região Sudeste, onde vive mais de 40% da população brasileira, as capitais vêm registrando crescimento inferior a 1% ao ano.registrando crescimento inferior a 1% ao ano. • Já na região Norte, as capitais apresentam altos índices de crescimento.Já na região Norte, as capitais apresentam altos índices de crescimento. • Rio Branco (Acre), Manaus (Amazonas), Boa Vista (Roraima) e Macapá (Amapá) crescemRio Branco (Acre), Manaus (Amazonas), Boa Vista (Roraima) e Macapá (Amapá) crescem mais de 2,5% ao ano.mais de 2,5% ao ano.
  93. 93. • No Brasil, cerca de 30% da população vive em 9 regiões metropolitanas, sendo cerca deNo Brasil, cerca de 30% da população vive em 9 regiões metropolitanas, sendo cerca de 22% nas capitais.22% nas capitais. • Estas têm apresentado um ritmo mais lento de crescimento: em 1991, a população dasEstas têm apresentado um ritmo mais lento de crescimento: em 1991, a população das capitais representava praticamente 25% do total nacional, hoje, apenas 22%.capitais representava praticamente 25% do total nacional, hoje, apenas 22%. • Na região Sudeste, onde vive mais de 40% da população brasileira, as capitais vêmNa região Sudeste, onde vive mais de 40% da população brasileira, as capitais vêm registrando crescimento inferior a 1% ao ano.registrando crescimento inferior a 1% ao ano. • Já na região Norte, as capitais apresentam altos índices de crescimento.Já na região Norte, as capitais apresentam altos índices de crescimento. • Rio Branco (Acre), Manaus (Amazonas), Boa Vista (Roraima) e Macapá (Amapá) crescemRio Branco (Acre), Manaus (Amazonas), Boa Vista (Roraima) e Macapá (Amapá) crescem mais de 2,5% ao ano.mais de 2,5% ao ano. • Criada em 1989 para abrigar a capital do estado de Tocantins, Palmas cresce numCriada em 1989 para abrigar a capital do estado de Tocantins, Palmas cresce num acelerado ritmo, superior a 35% ao ano!acelerado ritmo, superior a 35% ao ano!
  94. 94. • Os centros intermediários, aqueles que detêm um papel regional e local importante,Os centros intermediários, aqueles que detêm um papel regional e local importante, crescem e proliferam, representando em certo sentido a face nova da reconcentraçãocrescem e proliferam, representando em certo sentido a face nova da reconcentração urbana - das metrópoles para as cidades grandes e médias.urbana - das metrópoles para as cidades grandes e médias.
  95. 95. • Os centros intermediários, aqueles que detêm um papel regional e local importante,Os centros intermediários, aqueles que detêm um papel regional e local importante, crescem e proliferam, representando em certo sentido a face nova da reconcentraçãocrescem e proliferam, representando em certo sentido a face nova da reconcentração urbana - das metrópoles para as cidades grandes e médias.urbana - das metrópoles para as cidades grandes e médias. • Estudos recentes indicam que metrópoles nacionais - como São Paulo e Rio de Janeiro - eEstudos recentes indicam que metrópoles nacionais - como São Paulo e Rio de Janeiro - e grandes cidades vêm diminuindo seu ritmo de crescimento.grandes cidades vêm diminuindo seu ritmo de crescimento.

×