SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 7
Baixar para ler offline
Tema 1 – S.I.na Concepção 1
CD do 2º Forum Internacional de Gestão da Construção – GESCON 2011: Sistemas de Informação na
Construção. Editadas pela Secção de Construções Civis. Faculdade de Engenharia da Universidade do
Porto, 27 e 28 de Outubro. 2011. ISBN xxxxxxxxx
TECNOLOGIA BIM DESENVOLVIDA PARA AS ESPECIALIDADES
DE ENGENHARIA EM PORTUGAL
BIM TECHNOLOGY DESIGNED FOR ENGINEERING SPECIALITIES IN PORTUGAL
Ricardo Figueira
Engenheiro Técnico
Top Informática
ricardo.figueira@topinformatica.pt
Resumo
Atualmente o projeto de engenharia necessita de manipular um largo conjunto de dados e responder às
crescentes exigências tecnológicas, regulamentares e de mercado. O Building Information Model (BIM)
vem responder a estas exigências. O conceito BIM envolve a representação, num único modelo, dos
elementos de um edifício através de objetos que possuem geometria, relações e propriedades. A partir
desse modelo é possível realizar várias simulações consistentes entre si, uma vez que os elementos são
definidos apenas uma única vez. Neste artigo será apresentado um software desenvolvido sob o conceito
BIM e adaptado à prática e regulamentação portuguesa. Serão analisados alguns casos de estudo que
demonstram as capacidades técnicas de modelação e simulação do software.
Palavras-chave: BIM, software, projeto
Abstract
Today the engineering project requires dealing with a large set of data and answering to increasing tech-
nological, regulatory and market demands. The Building Information Model (BIM) addresses these de-
mands. The BIM concept comprises a single model representation of the elements constituting the build-
ing through objects with geometry, relationships and properties. With this model it is possible to carry out
a number of simulations consistently, because the elements are defined only once. In this paper, a soft-
ware designed according to BIM concept, fully adapted to Portuguese practice and regulation, will be
presented. Some case studies will be discussed showing the technical capabilities of the software for
modeling and simulation.
Keywords: BIM, software, project
2 Figueira
CD do 2º Forum Internacional de Gestão da Construção – GESCON 2011: Sistemas de Informação na
Construção. Editadas pela Secção de Construções Civis. Faculdade de Engenharia da Universidade do
Porto, 27 e28 de Outubro.2011. ISBN xxxxxxxxx
1 Introdução
O projetista envolvido na elaboração de obras de edificação enfrenta hoje em dia um largo conjunto de
regulamentações que, ao pretenderem elevar a segurança, o conforto e a sustentabilidade, aumentam a
complexidade do projeto. A maioria da regulamentação aplicável baseia-se na especificação de prestações
do edifício ou das suas partes, que devem ser prescritas ou estimadas na fase de projeto e muitas das
vezes comprovadas em obra.
As soluções técnicas ao alcance do projetista permitem hoje uma grande liberdade de conceção. Estas
soluções manifestam-se não só ao nível das técnicas e materiais de construção disponíveis mas também
ao nível das capacidades de conceção e análise numérica do projeto.
A utilização de software por parte do projetista para a modelação e análise numérica de edifícios ocorre
há décadas. As ferramentas começaram por ser criadas para soluções específicas e pontuais evoluindo no
sentido da especialização em determinada tarefa, como o desenho ou o cálculo estrutural.
O software encontra-se hoje disperso pelas diversas fases do processo construtivo, auxiliando os diversos
intervenientes a obter e a trocar informações que seria já impossível de outra forma. A integração desta
informação num único modelo conceptual ao qual os diversos intervenientes podem aceder e modificar é
um objetivo que motiva e ocupa vários fabricantes de software.
A organização do processo construtivo em Portugal e em muitos países decompõe o projeto em vários
subprojectos, denominados de especialidades, que abordam um tema específico, do qual se encarregam,
na fase de conceção, especialistas nessas áreas.
Neste artigo apresenta-se a estrutura e organização de processos no software Cype. Este software encon-
tra-se adaptado à prática e regulamentação portuguesa e possuí uma ampla utilização em Portugal no
desenvolvimento dos projetos das especialidades.
2 Um único modelo conceptual – BIM
A tecnologia utilizada para modelar digitalmente o edifício e o conjunto de processos para produzir,
comunicar e analisar o modelo designa-se por BIM (Building Information Modeling).
O modelo digital (designado também por BIM – Building Information Model) é caracterizado pelo seu
conteúdo (os objetos que descreve) e pelas suas capacidades (o tipo de informações que suporta), o que
caracteriza melhor aquilo que se pode fazer com o modelo.
Neste modelo os componentes do edifício são representados através de objetos que possuem informação
geométrica, propriedades e relações que permitem que sejam manipulados de uma forma inteligente pelas
aplicações informáticas. Os objetos são definidos apenas uma única vez, de uma forma consistente, e
alterações de geometria, propriedades ou relações são refletidas imediatamente no componente represen-
tado ou no elemento do qual ele é parte. Desta forma todas as representações ou análises realizadas ao
modelo são consistentes entre si.[1,2]
O conteúdo e organização de um modelo BIM concretizam-se na estruturação da base de dados e proces-
sos associados e poderá variar de acordo com o objetivo ou o seu criador. As capacidades do modelo
estão relacionadas com as práticas, métodos ou regulamentações que se pretendem seguir.
3 O software
O software CYPE, desenvolve e integra desde há vários anos a tecnologia BIM e é hoje constituído por
um conjunto de aplicações que abordam várias especialidades de engenharia. No contexto dos edifícios
destacam-se as seguintes aplicações:
 CYPECAD: análise estrutural;
 Metal 3D: análise estrutural;
 Instalações do edifício: análise térmica; análise acústica; abastecimento de água; distribuição
de água; drenagem de águas residuais e pluviais; climatização; solar térmico; abastecimento
de gás; segurança contra incêndios; instalações eléctricas em baixa tensão; instalações de
telecomunicações;
Tecnologia BIM desenvolvida para as especialidades de engenharia em Portugal 3
CD do 2º Forum Internacional de Gestão da Construção – GESCON 2011: Sistemas de Informação na
Construção. Editadas pela Secção de Construções Civis. Faculdade de Engenharia da Universidade do
Porto, 27 e28 de Outubro.2011. ISBN xxxxxxxxx
 Arquimedes: orçamentação e documentação.
3.1. A tecnologia aplicada
Cada uma das aplicações do software Cype apresenta uma modelação baseada na definição dos compo-
nentes do edifício (pilares, vigas, paredes, tubagens, etc.) representados digitalmente através de objetos.
Relações existentes entre as várias aplicações do software proporcionam uma integração dessa informa-
ção, permitindo representações e análises consistentes.
No âmbito da análise estrutural os dados introduzidos no programa Metal 3D, um programa especializado
em estruturas metálicas e de madeira, podem ser integrados no modelo do programa CYPECAD, um
programa que possibilita o desenho e a análise de estruturas de betão armado e metálicas. Esta construção
modular do modelo de dados revela-se mais intuitiva e de acordo com os processos construtivos existen-
tes. Seguindo este processo é possível desenhar e analisar uma estrutura puramente metálica, ou integrar
esses dados num modelo global com elementos em betão armado.
A definição da arquitetura do edifício e das suas instalações é realizada no programa Instalações do edifí-
cio. A partir do modelo criado por este programa desenvolvem-se os projetos de várias especialidades. A
definição das paredes, pavimentos, vãos, coberturas e compartimentos do edifício é crucial para a análise
térmica e acústica do edifício mas possibilita também uma série de verificações realizadas ao traçado das
instalações.
O programa Arquimedes permite integrar a informação relacionada com o orçamento e outros documen-
tos.
Fig.1 – Modelo CYPE e possibilidades de importação e exportação para alguns formatos
3.2. A prática e a regulamentação Portuguesa
Subjacente à definição dos objetos encontra-se a prática e a regulamentação aplicável em Portugal. No
Quadro 1 indicam-se os principais regulamentos considerados em cada especialidade.
MODELO CYPE
ESTRUTURA
CYPECAD
Metal3D
ARQUITECTURA E
INSTALAÇÕES
Instalações do edifício
ORÇAMENTO E
OUTROS DOCUMENTOS
Arquimedes
IFC
IFC
BC3
CIS/2
IFC
BC3
4 Figueira
CD do 2º Forum Internacional de Gestão da Construção – GESCON 2011: Sistemas de Informação na
Construção. Editadas pela Secção de Construções Civis. Faculdade de Engenharia da Universidade do
Porto, 27 e28 de Outubro.2011. ISBN xxxxxxxxx
Quadro 1 – Principais regulamentações consideradas
Programa Especialidade Regulamento
CYPECAD
Metal3D
Análise estrutural
REBAP/RSA
Eurocódigos
Instalações
do edifício
Análise térmica RCCTE
Análise acústica RRAE
Abastecimento de água RGSPPDADAR
Drenagem de águas residuais e
pluviais
RGSPPDADAR
Climatização -
Solar térmico -
Abastecimento de gás RTRPCEMIGCCE
Segurança contra incêndios RT-SCIE
Instalações eléctricas de baixa
tensão
RTIEBT
Instalações de telecomunicações Manual ITED
3.3. Casos práticos
Para demonstrar a modelação dos elementos construtivos analisa-se seguidamente o processo para o
componente estrutural viga de betão armado, através do programa CYPECAD e de uma parede exterior
através do programa Instalações do edifício.
2.3.1 Viga de betão armado
A modelação é realizada através de um comando específico (ver figura 2). O utilizador indica o tipo de
viga, as suas dimensões e, seguidamente, desenha-a sobre o modelo do edifício. Este processo define a
sua geometria. Outras propriedades da viga, como a classe de resistência do betão ou outros parâmetros
específicos relacionados com a análise estrutural, são definidos em locais próprios do programa.
Fig.2 – Modelação de uma viga de betão armado no programa CYPECAD
Tecnologia BIM desenvolvida para as especialidades de engenharia em Portugal 5
CD do 2º Forum Internacional de Gestão da Construção – GESCON 2011: Sistemas de Informação na
Construção. Editadas pela Secção de Construções Civis. Faculdade de Engenharia da Universidade do
Porto, 27 e28 de Outubro.2011. ISBN xxxxxxxxx
As relações existentes entre a geometria do objeto viga e a geometria de outros objetos aos quais se pode-
rá conectar são definidas internamente pelo programa. As propriedades do objeto viga encontram-se
relacionadas com parâmetros que podem ser configurados para o próprio objeto ou que derivam de parâ-
metros definidos a um nível superior.
Para a obtenção do orçamento e outros documentos, cada elemento estrutural encontra-se associado a uma
ficha da base de dados interna de soluções construtivas. Esta base de dados é constituída por várias fichas
paramétricas capazes de gerar informações sobre custos compostos de construção, custos de manutenção,
resíduos produzidos durante a fase de construção e energia incorporada e emissões de CO2.
Fig.3 – Características e relação entre um objeto viga e a despectiva ficha
2.3.2 Parede exterior
A modelação é realizada através de um comando específico do programa Instalações do edifício (ver
figura 4). Após a definição do elemento o utilizador desenha-o sobre o modelo do edifício.
A definição deste elemento pode ser realizada, de uma forma paramétrica, recorrendo à base de dados
interna de soluções construtivas. Em alternativa poderá optar-se por uma definição manual de cada um
dos objetos que constitui o elemento.
O elemento parede é definido neste caso por um conjunto de objetos, que possuem reações entre eles,
como se pode observar na figura 5.
FICHA
Viga de betão armado
Custos compostos de construção
Custos de manutenção
Resíduos produzidos
Energia incorporada
e emissões de CO2
OBJETO
Viga de betão armado
Geometria
Propriedades
Relações
6 Figueira
CD do 2º Forum Internacional de Gestão da Construção – GESCON 2011: Sistemas de Informação na
Construção. Editadas pela Secção de Construções Civis. Faculdade de Engenharia da Universidade do
Porto, 27 e28 de Outubro.2011. ISBN xxxxxxxxx
Fig.4 – Modelação de uma parede exterior no programa Instalações do edifício
Fig.3 – Características e relação entre um objeto parede e respetivas fichas
FICHA
Pano exterior
OBJETO
Parede exterior
FICHA
Isolamento
FICHA
Pano interior
OBJETO
Revestimento exterior
FICHA
Revestimento interior base
FICHA
Camada de acabamento interior
OBJETO
Primeiro pano
OBJETO
Segundo pano
OBJETO
Revestimento interior
OBJETO
Remate de laje
Tecnologia BIM desenvolvida para as especialidades de engenharia em Portugal 7
CD do 2º Forum Internacional de Gestão da Construção – GESCON 2011: Sistemas de Informação na
Construção. Editadas pela Secção de Construções Civis. Faculdade de Engenharia da Universidade do
Porto, 27 e28 de Outubro.2011. ISBN xxxxxxxxx
5 Considerações finais
As aplicações baseadas no conceito BIM permitem integrar, num único modelo, um conjunto de informa-
ções e beneficiar ao mesmo tempo das vantagens que essa integração possibilita. O software Cype desen-
volve e integra esta tecnologia, possibilitando aos projetistas em Portugal beneficiar destas capacidades
num ambiente adaptado à prática e à regulamentação portuguesa.
Referências
[1] Eastman, C.; Teicholz, P.; Sacks, R.; Liston, K. BIM Handbook: a guide to building information
modeling for owners, managers, designers, engineers and contractors. New Jersey, John Wiley and Sons,
2011.
[2] http://en.wikipedia.org/wiki/Building_Information_Model. Acedido em 2011/09/27.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Projeto estrutural no_ambiente_bim_tqsabece
Projeto estrutural no_ambiente_bim_tqsabeceProjeto estrutural no_ambiente_bim_tqsabece
Projeto estrutural no_ambiente_bim_tqsabeceIST (Univ of Lisbon)
 
Princípios para o Desenvolvimento de Projetos com Recurso a Ferramentas BIM. ...
Princípios para o Desenvolvimento de Projetos com Recurso a Ferramentas BIM. ...Princípios para o Desenvolvimento de Projetos com Recurso a Ferramentas BIM. ...
Princípios para o Desenvolvimento de Projetos com Recurso a Ferramentas BIM. ...João Poças Martins
 
Palestra BIM_UNIGRANRIO 2013
Palestra BIM_UNIGRANRIO 2013Palestra BIM_UNIGRANRIO 2013
Palestra BIM_UNIGRANRIO 2013Julio Bastos
 
Impactos do uso do BIM em escritórios
Impactos do uso do BIM em escritóriosImpactos do uso do BIM em escritórios
Impactos do uso do BIM em escritóriosYara Fonseca
 
Apresentação Dissertação - Sérgio Pinho - O modelo IFC como agente de interop...
Apresentação Dissertação - Sérgio Pinho - O modelo IFC como agente de interop...Apresentação Dissertação - Sérgio Pinho - O modelo IFC como agente de interop...
Apresentação Dissertação - Sérgio Pinho - O modelo IFC como agente de interop...Sergio Pinho
 
João Calheiros. Tese de Mestrado. FEUP 2014. BIM, Modelação Paramétrica, Rhin...
João Calheiros. Tese de Mestrado. FEUP 2014. BIM, Modelação Paramétrica, Rhin...João Calheiros. Tese de Mestrado. FEUP 2014. BIM, Modelação Paramétrica, Rhin...
João Calheiros. Tese de Mestrado. FEUP 2014. BIM, Modelação Paramétrica, Rhin...João Poças Martins
 
To BIM or not to BIM, introdução ao uso de Tecnologias de Informação na Engen...
To BIM or not to BIM, introdução ao uso de Tecnologias de Informação na Engen...To BIM or not to BIM, introdução ao uso de Tecnologias de Informação na Engen...
To BIM or not to BIM, introdução ao uso de Tecnologias de Informação na Engen...Joao Rio
 

Mais procurados (14)

Projeto estrutural no_ambiente_bim_tqsabece
Projeto estrutural no_ambiente_bim_tqsabeceProjeto estrutural no_ambiente_bim_tqsabece
Projeto estrutural no_ambiente_bim_tqsabece
 
Princípios para o Desenvolvimento de Projetos com Recurso a Ferramentas BIM. ...
Princípios para o Desenvolvimento de Projetos com Recurso a Ferramentas BIM. ...Princípios para o Desenvolvimento de Projetos com Recurso a Ferramentas BIM. ...
Princípios para o Desenvolvimento de Projetos com Recurso a Ferramentas BIM. ...
 
Palestra BIM_UNIGRANRIO 2013
Palestra BIM_UNIGRANRIO 2013Palestra BIM_UNIGRANRIO 2013
Palestra BIM_UNIGRANRIO 2013
 
Impactos do uso do BIM em escritórios
Impactos do uso do BIM em escritóriosImpactos do uso do BIM em escritórios
Impactos do uso do BIM em escritórios
 
Apresentação Dissertação - Sérgio Pinho - O modelo IFC como agente de interop...
Apresentação Dissertação - Sérgio Pinho - O modelo IFC como agente de interop...Apresentação Dissertação - Sérgio Pinho - O modelo IFC como agente de interop...
Apresentação Dissertação - Sérgio Pinho - O modelo IFC como agente de interop...
 
João Calheiros. Tese de Mestrado. FEUP 2014. BIM, Modelação Paramétrica, Rhin...
João Calheiros. Tese de Mestrado. FEUP 2014. BIM, Modelação Paramétrica, Rhin...João Calheiros. Tese de Mestrado. FEUP 2014. BIM, Modelação Paramétrica, Rhin...
João Calheiros. Tese de Mestrado. FEUP 2014. BIM, Modelação Paramétrica, Rhin...
 
TECNOLOGIA BIM
TECNOLOGIA BIMTECNOLOGIA BIM
TECNOLOGIA BIM
 
To BIM or not to BIM, introdução ao uso de Tecnologias de Informação na Engen...
To BIM or not to BIM, introdução ao uso de Tecnologias de Informação na Engen...To BIM or not to BIM, introdução ao uso de Tecnologias de Informação na Engen...
To BIM or not to BIM, introdução ao uso de Tecnologias de Informação na Engen...
 
2 edd mariana_moro_o_que_e_bim
2 edd mariana_moro_o_que_e_bim2 edd mariana_moro_o_que_e_bim
2 edd mariana_moro_o_que_e_bim
 
laura-master_thesis
laura-master_thesislaura-master_thesis
laura-master_thesis
 
Bim - Revit
Bim - RevitBim - Revit
Bim - Revit
 
Sessão Introdução ao BIM: Eng. Sergio Pinho
Sessão Introdução ao BIM: Eng. Sergio PinhoSessão Introdução ao BIM: Eng. Sergio Pinho
Sessão Introdução ao BIM: Eng. Sergio Pinho
 
ArchiMate 3.0 na prática
ArchiMate 3.0 na práticaArchiMate 3.0 na prática
ArchiMate 3.0 na prática
 
Sessão Introdução ao BIM: Eng. José Carlos Lino
Sessão Introdução ao BIM: Eng. José Carlos LinoSessão Introdução ao BIM: Eng. José Carlos Lino
Sessão Introdução ao BIM: Eng. José Carlos Lino
 

Semelhante a Artigo ricardo figueira a seguir bim

Informatica softwares para Eng. Civil
Informatica softwares para Eng. CivilInformatica softwares para Eng. Civil
Informatica softwares para Eng. Civiljcarlosfb
 
Building Information Modeling (BIM) na administração pública
Building Information Modeling (BIM) na administração públicaBuilding Information Modeling (BIM) na administração pública
Building Information Modeling (BIM) na administração públicaHarrissonOliveira1
 
O uso de softwares na engenharia civil
O uso de softwares na engenharia civilO uso de softwares na engenharia civil
O uso de softwares na engenharia civildebvieir
 
Cae software científico e de engenharia
Cae   software científico e de engenhariaCae   software científico e de engenharia
Cae software científico e de engenhariaJaime Teixeira
 
Apresentação do Eng. Rodrigo Falcão
Apresentação do Eng. Rodrigo FalcãoApresentação do Eng. Rodrigo Falcão
Apresentação do Eng. Rodrigo FalcãoJoão Nogueira
 
modelo de plan de negocios automatizado
modelo de plan de negocios automatizadomodelo de plan de negocios automatizado
modelo de plan de negocios automatizadoAlexs Prince Vargas
 
10.1109@tla.2015.7040668
10.1109@tla.2015.704066810.1109@tla.2015.7040668
10.1109@tla.2015.7040668Giovanni Rivera
 
Planninf of Network
Planninf of NetworkPlanninf of Network
Planninf of NetworkBelenMonse
 
10.1109@tla.2015.7040668
10.1109@tla.2015.704066810.1109@tla.2015.7040668
10.1109@tla.2015.7040668Giovanni Rivera
 
A Contribuição dos Sistemas de Classificação para a Tecnologia BIM
A Contribuição dos Sistemas de Classificação para a Tecnologia BIMA Contribuição dos Sistemas de Classificação para a Tecnologia BIM
A Contribuição dos Sistemas de Classificação para a Tecnologia BIMJulio Bastos
 
1060 Building Information Modeling...
1060 Building Information Modeling...1060 Building Information Modeling...
1060 Building Information Modeling...Julio Tollendal
 

Semelhante a Artigo ricardo figueira a seguir bim (20)

Informatica softwares para Eng. Civil
Informatica softwares para Eng. CivilInformatica softwares para Eng. Civil
Informatica softwares para Eng. Civil
 
Building Information Modeling (BIM) na administração pública
Building Information Modeling (BIM) na administração públicaBuilding Information Modeling (BIM) na administração pública
Building Information Modeling (BIM) na administração pública
 
Aubr 83 apostila
Aubr 83 apostilaAubr 83 apostila
Aubr 83 apostila
 
O uso de softwares na engenharia civil
O uso de softwares na engenharia civilO uso de softwares na engenharia civil
O uso de softwares na engenharia civil
 
Levantamento de requisitos de prédios inteligentes
Levantamento de requisitos de prédios inteligentesLevantamento de requisitos de prédios inteligentes
Levantamento de requisitos de prédios inteligentes
 
Cae software científico e de engenharia
Cae   software científico e de engenhariaCae   software científico e de engenharia
Cae software científico e de engenharia
 
Apresentação do Eng. Rodrigo Falcão
Apresentação do Eng. Rodrigo FalcãoApresentação do Eng. Rodrigo Falcão
Apresentação do Eng. Rodrigo Falcão
 
modelo de plan de negocios automatizado
modelo de plan de negocios automatizadomodelo de plan de negocios automatizado
modelo de plan de negocios automatizado
 
10.1109@tla.2015.7040668
10.1109@tla.2015.704066810.1109@tla.2015.7040668
10.1109@tla.2015.7040668
 
plan de negocios
plan de negociosplan de negocios
plan de negocios
 
Planninf of Network
Planninf of NetworkPlanninf of Network
Planninf of Network
 
10.1109@tla.2015.7040668
10.1109@tla.2015.704066810.1109@tla.2015.7040668
10.1109@tla.2015.7040668
 
Apresentação BIM.pdf
Apresentação BIM.pdfApresentação BIM.pdf
Apresentação BIM.pdf
 
A Contribuição dos Sistemas de Classificação para a Tecnologia BIM
A Contribuição dos Sistemas de Classificação para a Tecnologia BIMA Contribuição dos Sistemas de Classificação para a Tecnologia BIM
A Contribuição dos Sistemas de Classificação para a Tecnologia BIM
 
As Tecnologias de Informação na Prática da Engenharia Civil
As Tecnologias de Informação na Prática da Engenharia CivilAs Tecnologias de Informação na Prática da Engenharia Civil
As Tecnologias de Informação na Prática da Engenharia Civil
 
Civil
CivilCivil
Civil
 
Civil
CivilCivil
Civil
 
Civil
CivilCivil
Civil
 
1060 Building Information Modeling...
1060 Building Information Modeling...1060 Building Information Modeling...
1060 Building Information Modeling...
 
Aubr 45 apostila
Aubr 45 apostilaAubr 45 apostila
Aubr 45 apostila
 

Mais de Rafael L. Fraga

Croki de vitoria da conquista
Croki de vitoria da conquistaCroki de vitoria da conquista
Croki de vitoria da conquistaRafael L. Fraga
 
Nbr 5626 instalação predial de água fria
Nbr 5626 instalação predial de água friaNbr 5626 instalação predial de água fria
Nbr 5626 instalação predial de água friaRafael L. Fraga
 
Procuração modelos de poderes(1)
Procuração   modelos de poderes(1)Procuração   modelos de poderes(1)
Procuração modelos de poderes(1)Rafael L. Fraga
 
Agregados 2012 2 janaína
Agregados 2012 2 janaínaAgregados 2012 2 janaína
Agregados 2012 2 janaínaRafael L. Fraga
 
Apostila movimento terra
Apostila movimento terraApostila movimento terra
Apostila movimento terraRafael L. Fraga
 

Mais de Rafael L. Fraga (9)

Croki de vitoria da conquista
Croki de vitoria da conquistaCroki de vitoria da conquista
Croki de vitoria da conquista
 
Lesson3
Lesson3Lesson3
Lesson3
 
Nbr 5626 instalação predial de água fria
Nbr 5626 instalação predial de água friaNbr 5626 instalação predial de água fria
Nbr 5626 instalação predial de água fria
 
Dosagem pelos 2 metodos
Dosagem pelos 2 metodosDosagem pelos 2 metodos
Dosagem pelos 2 metodos
 
Procuração modelos de poderes(1)
Procuração   modelos de poderes(1)Procuração   modelos de poderes(1)
Procuração modelos de poderes(1)
 
Aplicação do cimento
Aplicação do cimentoAplicação do cimento
Aplicação do cimento
 
Agregados 2012 2 janaína
Agregados 2012 2 janaínaAgregados 2012 2 janaína
Agregados 2012 2 janaína
 
Apostila movimento terra
Apostila movimento terraApostila movimento terra
Apostila movimento terra
 
Manual profissional
Manual profissionalManual profissional
Manual profissional
 

Último

LEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurança
LEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurançaLEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurança
LEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurançaGuilhermeLucio9
 
Livro Vibrações Mecânicas - Rao Singiresu - 4ª Ed.pdf
Livro Vibrações Mecânicas - Rao Singiresu - 4ª Ed.pdfLivro Vibrações Mecânicas - Rao Singiresu - 4ª Ed.pdf
Livro Vibrações Mecânicas - Rao Singiresu - 4ª Ed.pdfSamuel Ramos
 
Tecnólogo em Mecatrônica - Universidade Anhanguera
Tecnólogo em Mecatrônica - Universidade AnhangueraTecnólogo em Mecatrônica - Universidade Anhanguera
Tecnólogo em Mecatrônica - Universidade AnhangueraGuilhermeLucio9
 
A Importância dos EPI's no trabalho e no dia a dia laboral
A Importância dos EPI's no trabalho e no dia a dia laboralA Importância dos EPI's no trabalho e no dia a dia laboral
A Importância dos EPI's no trabalho e no dia a dia laboralFranciscaArrudadaSil
 
Treinamento de NR06 Equipamento de Proteção Individual
Treinamento de NR06 Equipamento de Proteção IndividualTreinamento de NR06 Equipamento de Proteção Individual
Treinamento de NR06 Equipamento de Proteção Individualpablocastilho3
 
A EXTENSÃO RURAL NO BRASIL Sociologia e Extensão 1 2014.ppt
A EXTENSÃO RURAL NO BRASIL Sociologia e Extensão 1 2014.pptA EXTENSÃO RURAL NO BRASIL Sociologia e Extensão 1 2014.ppt
A EXTENSÃO RURAL NO BRASIL Sociologia e Extensão 1 2014.pptssuserb964fe
 
Eletricista instalador - Senai Almirante Tamandaré
Eletricista instalador - Senai Almirante TamandaréEletricista instalador - Senai Almirante Tamandaré
Eletricista instalador - Senai Almirante TamandaréGuilhermeLucio9
 

Último (7)

LEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurança
LEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurançaLEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurança
LEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurança
 
Livro Vibrações Mecânicas - Rao Singiresu - 4ª Ed.pdf
Livro Vibrações Mecânicas - Rao Singiresu - 4ª Ed.pdfLivro Vibrações Mecânicas - Rao Singiresu - 4ª Ed.pdf
Livro Vibrações Mecânicas - Rao Singiresu - 4ª Ed.pdf
 
Tecnólogo em Mecatrônica - Universidade Anhanguera
Tecnólogo em Mecatrônica - Universidade AnhangueraTecnólogo em Mecatrônica - Universidade Anhanguera
Tecnólogo em Mecatrônica - Universidade Anhanguera
 
A Importância dos EPI's no trabalho e no dia a dia laboral
A Importância dos EPI's no trabalho e no dia a dia laboralA Importância dos EPI's no trabalho e no dia a dia laboral
A Importância dos EPI's no trabalho e no dia a dia laboral
 
Treinamento de NR06 Equipamento de Proteção Individual
Treinamento de NR06 Equipamento de Proteção IndividualTreinamento de NR06 Equipamento de Proteção Individual
Treinamento de NR06 Equipamento de Proteção Individual
 
A EXTENSÃO RURAL NO BRASIL Sociologia e Extensão 1 2014.ppt
A EXTENSÃO RURAL NO BRASIL Sociologia e Extensão 1 2014.pptA EXTENSÃO RURAL NO BRASIL Sociologia e Extensão 1 2014.ppt
A EXTENSÃO RURAL NO BRASIL Sociologia e Extensão 1 2014.ppt
 
Eletricista instalador - Senai Almirante Tamandaré
Eletricista instalador - Senai Almirante TamandaréEletricista instalador - Senai Almirante Tamandaré
Eletricista instalador - Senai Almirante Tamandaré
 

Artigo ricardo figueira a seguir bim

  • 1. Tema 1 – S.I.na Concepção 1 CD do 2º Forum Internacional de Gestão da Construção – GESCON 2011: Sistemas de Informação na Construção. Editadas pela Secção de Construções Civis. Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, 27 e 28 de Outubro. 2011. ISBN xxxxxxxxx TECNOLOGIA BIM DESENVOLVIDA PARA AS ESPECIALIDADES DE ENGENHARIA EM PORTUGAL BIM TECHNOLOGY DESIGNED FOR ENGINEERING SPECIALITIES IN PORTUGAL Ricardo Figueira Engenheiro Técnico Top Informática ricardo.figueira@topinformatica.pt Resumo Atualmente o projeto de engenharia necessita de manipular um largo conjunto de dados e responder às crescentes exigências tecnológicas, regulamentares e de mercado. O Building Information Model (BIM) vem responder a estas exigências. O conceito BIM envolve a representação, num único modelo, dos elementos de um edifício através de objetos que possuem geometria, relações e propriedades. A partir desse modelo é possível realizar várias simulações consistentes entre si, uma vez que os elementos são definidos apenas uma única vez. Neste artigo será apresentado um software desenvolvido sob o conceito BIM e adaptado à prática e regulamentação portuguesa. Serão analisados alguns casos de estudo que demonstram as capacidades técnicas de modelação e simulação do software. Palavras-chave: BIM, software, projeto Abstract Today the engineering project requires dealing with a large set of data and answering to increasing tech- nological, regulatory and market demands. The Building Information Model (BIM) addresses these de- mands. The BIM concept comprises a single model representation of the elements constituting the build- ing through objects with geometry, relationships and properties. With this model it is possible to carry out a number of simulations consistently, because the elements are defined only once. In this paper, a soft- ware designed according to BIM concept, fully adapted to Portuguese practice and regulation, will be presented. Some case studies will be discussed showing the technical capabilities of the software for modeling and simulation. Keywords: BIM, software, project
  • 2. 2 Figueira CD do 2º Forum Internacional de Gestão da Construção – GESCON 2011: Sistemas de Informação na Construção. Editadas pela Secção de Construções Civis. Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, 27 e28 de Outubro.2011. ISBN xxxxxxxxx 1 Introdução O projetista envolvido na elaboração de obras de edificação enfrenta hoje em dia um largo conjunto de regulamentações que, ao pretenderem elevar a segurança, o conforto e a sustentabilidade, aumentam a complexidade do projeto. A maioria da regulamentação aplicável baseia-se na especificação de prestações do edifício ou das suas partes, que devem ser prescritas ou estimadas na fase de projeto e muitas das vezes comprovadas em obra. As soluções técnicas ao alcance do projetista permitem hoje uma grande liberdade de conceção. Estas soluções manifestam-se não só ao nível das técnicas e materiais de construção disponíveis mas também ao nível das capacidades de conceção e análise numérica do projeto. A utilização de software por parte do projetista para a modelação e análise numérica de edifícios ocorre há décadas. As ferramentas começaram por ser criadas para soluções específicas e pontuais evoluindo no sentido da especialização em determinada tarefa, como o desenho ou o cálculo estrutural. O software encontra-se hoje disperso pelas diversas fases do processo construtivo, auxiliando os diversos intervenientes a obter e a trocar informações que seria já impossível de outra forma. A integração desta informação num único modelo conceptual ao qual os diversos intervenientes podem aceder e modificar é um objetivo que motiva e ocupa vários fabricantes de software. A organização do processo construtivo em Portugal e em muitos países decompõe o projeto em vários subprojectos, denominados de especialidades, que abordam um tema específico, do qual se encarregam, na fase de conceção, especialistas nessas áreas. Neste artigo apresenta-se a estrutura e organização de processos no software Cype. Este software encon- tra-se adaptado à prática e regulamentação portuguesa e possuí uma ampla utilização em Portugal no desenvolvimento dos projetos das especialidades. 2 Um único modelo conceptual – BIM A tecnologia utilizada para modelar digitalmente o edifício e o conjunto de processos para produzir, comunicar e analisar o modelo designa-se por BIM (Building Information Modeling). O modelo digital (designado também por BIM – Building Information Model) é caracterizado pelo seu conteúdo (os objetos que descreve) e pelas suas capacidades (o tipo de informações que suporta), o que caracteriza melhor aquilo que se pode fazer com o modelo. Neste modelo os componentes do edifício são representados através de objetos que possuem informação geométrica, propriedades e relações que permitem que sejam manipulados de uma forma inteligente pelas aplicações informáticas. Os objetos são definidos apenas uma única vez, de uma forma consistente, e alterações de geometria, propriedades ou relações são refletidas imediatamente no componente represen- tado ou no elemento do qual ele é parte. Desta forma todas as representações ou análises realizadas ao modelo são consistentes entre si.[1,2] O conteúdo e organização de um modelo BIM concretizam-se na estruturação da base de dados e proces- sos associados e poderá variar de acordo com o objetivo ou o seu criador. As capacidades do modelo estão relacionadas com as práticas, métodos ou regulamentações que se pretendem seguir. 3 O software O software CYPE, desenvolve e integra desde há vários anos a tecnologia BIM e é hoje constituído por um conjunto de aplicações que abordam várias especialidades de engenharia. No contexto dos edifícios destacam-se as seguintes aplicações:  CYPECAD: análise estrutural;  Metal 3D: análise estrutural;  Instalações do edifício: análise térmica; análise acústica; abastecimento de água; distribuição de água; drenagem de águas residuais e pluviais; climatização; solar térmico; abastecimento de gás; segurança contra incêndios; instalações eléctricas em baixa tensão; instalações de telecomunicações;
  • 3. Tecnologia BIM desenvolvida para as especialidades de engenharia em Portugal 3 CD do 2º Forum Internacional de Gestão da Construção – GESCON 2011: Sistemas de Informação na Construção. Editadas pela Secção de Construções Civis. Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, 27 e28 de Outubro.2011. ISBN xxxxxxxxx  Arquimedes: orçamentação e documentação. 3.1. A tecnologia aplicada Cada uma das aplicações do software Cype apresenta uma modelação baseada na definição dos compo- nentes do edifício (pilares, vigas, paredes, tubagens, etc.) representados digitalmente através de objetos. Relações existentes entre as várias aplicações do software proporcionam uma integração dessa informa- ção, permitindo representações e análises consistentes. No âmbito da análise estrutural os dados introduzidos no programa Metal 3D, um programa especializado em estruturas metálicas e de madeira, podem ser integrados no modelo do programa CYPECAD, um programa que possibilita o desenho e a análise de estruturas de betão armado e metálicas. Esta construção modular do modelo de dados revela-se mais intuitiva e de acordo com os processos construtivos existen- tes. Seguindo este processo é possível desenhar e analisar uma estrutura puramente metálica, ou integrar esses dados num modelo global com elementos em betão armado. A definição da arquitetura do edifício e das suas instalações é realizada no programa Instalações do edifí- cio. A partir do modelo criado por este programa desenvolvem-se os projetos de várias especialidades. A definição das paredes, pavimentos, vãos, coberturas e compartimentos do edifício é crucial para a análise térmica e acústica do edifício mas possibilita também uma série de verificações realizadas ao traçado das instalações. O programa Arquimedes permite integrar a informação relacionada com o orçamento e outros documen- tos. Fig.1 – Modelo CYPE e possibilidades de importação e exportação para alguns formatos 3.2. A prática e a regulamentação Portuguesa Subjacente à definição dos objetos encontra-se a prática e a regulamentação aplicável em Portugal. No Quadro 1 indicam-se os principais regulamentos considerados em cada especialidade. MODELO CYPE ESTRUTURA CYPECAD Metal3D ARQUITECTURA E INSTALAÇÕES Instalações do edifício ORÇAMENTO E OUTROS DOCUMENTOS Arquimedes IFC IFC BC3 CIS/2 IFC BC3
  • 4. 4 Figueira CD do 2º Forum Internacional de Gestão da Construção – GESCON 2011: Sistemas de Informação na Construção. Editadas pela Secção de Construções Civis. Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, 27 e28 de Outubro.2011. ISBN xxxxxxxxx Quadro 1 – Principais regulamentações consideradas Programa Especialidade Regulamento CYPECAD Metal3D Análise estrutural REBAP/RSA Eurocódigos Instalações do edifício Análise térmica RCCTE Análise acústica RRAE Abastecimento de água RGSPPDADAR Drenagem de águas residuais e pluviais RGSPPDADAR Climatização - Solar térmico - Abastecimento de gás RTRPCEMIGCCE Segurança contra incêndios RT-SCIE Instalações eléctricas de baixa tensão RTIEBT Instalações de telecomunicações Manual ITED 3.3. Casos práticos Para demonstrar a modelação dos elementos construtivos analisa-se seguidamente o processo para o componente estrutural viga de betão armado, através do programa CYPECAD e de uma parede exterior através do programa Instalações do edifício. 2.3.1 Viga de betão armado A modelação é realizada através de um comando específico (ver figura 2). O utilizador indica o tipo de viga, as suas dimensões e, seguidamente, desenha-a sobre o modelo do edifício. Este processo define a sua geometria. Outras propriedades da viga, como a classe de resistência do betão ou outros parâmetros específicos relacionados com a análise estrutural, são definidos em locais próprios do programa. Fig.2 – Modelação de uma viga de betão armado no programa CYPECAD
  • 5. Tecnologia BIM desenvolvida para as especialidades de engenharia em Portugal 5 CD do 2º Forum Internacional de Gestão da Construção – GESCON 2011: Sistemas de Informação na Construção. Editadas pela Secção de Construções Civis. Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, 27 e28 de Outubro.2011. ISBN xxxxxxxxx As relações existentes entre a geometria do objeto viga e a geometria de outros objetos aos quais se pode- rá conectar são definidas internamente pelo programa. As propriedades do objeto viga encontram-se relacionadas com parâmetros que podem ser configurados para o próprio objeto ou que derivam de parâ- metros definidos a um nível superior. Para a obtenção do orçamento e outros documentos, cada elemento estrutural encontra-se associado a uma ficha da base de dados interna de soluções construtivas. Esta base de dados é constituída por várias fichas paramétricas capazes de gerar informações sobre custos compostos de construção, custos de manutenção, resíduos produzidos durante a fase de construção e energia incorporada e emissões de CO2. Fig.3 – Características e relação entre um objeto viga e a despectiva ficha 2.3.2 Parede exterior A modelação é realizada através de um comando específico do programa Instalações do edifício (ver figura 4). Após a definição do elemento o utilizador desenha-o sobre o modelo do edifício. A definição deste elemento pode ser realizada, de uma forma paramétrica, recorrendo à base de dados interna de soluções construtivas. Em alternativa poderá optar-se por uma definição manual de cada um dos objetos que constitui o elemento. O elemento parede é definido neste caso por um conjunto de objetos, que possuem reações entre eles, como se pode observar na figura 5. FICHA Viga de betão armado Custos compostos de construção Custos de manutenção Resíduos produzidos Energia incorporada e emissões de CO2 OBJETO Viga de betão armado Geometria Propriedades Relações
  • 6. 6 Figueira CD do 2º Forum Internacional de Gestão da Construção – GESCON 2011: Sistemas de Informação na Construção. Editadas pela Secção de Construções Civis. Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, 27 e28 de Outubro.2011. ISBN xxxxxxxxx Fig.4 – Modelação de uma parede exterior no programa Instalações do edifício Fig.3 – Características e relação entre um objeto parede e respetivas fichas FICHA Pano exterior OBJETO Parede exterior FICHA Isolamento FICHA Pano interior OBJETO Revestimento exterior FICHA Revestimento interior base FICHA Camada de acabamento interior OBJETO Primeiro pano OBJETO Segundo pano OBJETO Revestimento interior OBJETO Remate de laje
  • 7. Tecnologia BIM desenvolvida para as especialidades de engenharia em Portugal 7 CD do 2º Forum Internacional de Gestão da Construção – GESCON 2011: Sistemas de Informação na Construção. Editadas pela Secção de Construções Civis. Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, 27 e28 de Outubro.2011. ISBN xxxxxxxxx 5 Considerações finais As aplicações baseadas no conceito BIM permitem integrar, num único modelo, um conjunto de informa- ções e beneficiar ao mesmo tempo das vantagens que essa integração possibilita. O software Cype desen- volve e integra esta tecnologia, possibilitando aos projetistas em Portugal beneficiar destas capacidades num ambiente adaptado à prática e à regulamentação portuguesa. Referências [1] Eastman, C.; Teicholz, P.; Sacks, R.; Liston, K. BIM Handbook: a guide to building information modeling for owners, managers, designers, engineers and contractors. New Jersey, John Wiley and Sons, 2011. [2] http://en.wikipedia.org/wiki/Building_Information_Model. Acedido em 2011/09/27.