Primeiros socorros
em caso de electrocussão
Electrocussão ou choque eléctrico é a situação provocada pela
passagem da corr...
Ricardo Pardelinha - Departamento de Segurança2
Princípio básico
O socorrista deve prevenir-se a si
próprio não tocando no...
Ricardo Pardelinha - Departamento de Segurança3
Como proceder no caso de
baixa tensão.
Desligue a corrente eléctrica
retir...
Ricardo Pardelinha - Departamento de Segurança4
Como proceder no caso de baixa tensão.
Isolar-se da Terra, antes de tocar ...
Ricardo Pardelinha - Departamento de Segurança5
Como proceder no caso de
alta tensão.
Se o acidente tiver ocorrido com
ten...
Ricardo Pardelinha - Departamento de Segurança6
Usar objectos secos
e bons isolantes
para afastar a
vítima da acção da
cor...
Ricardo Pardelinha - Departamento de Segurança7
Como proceder
Caso a situação o exija (o acidentado não
respira ou tem fer...
Ricardo Pardelinha - Departamento de Segurança8
Respiração artificial boca-a-boca.
Deitar a vítima de costas.
Ajoelhar ao ...
Ricardo Pardelinha - Departamento de Segurança9
Inspirar a fundo. Obturar (tapar) as
narinas da vítima com os dedos
polega...
Ricardo Pardelinha - Departamento de Segurança10
Afastar a boca e deixar de
obturar as narinas da vítima a
fim do ar poder...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

1185707559 843.primeiros socorros_em_caso_de_electrocucao

1.230 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.230
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
884
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
115
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Vender uma ideia é um desafio. Em primeiro lugar é necessário que os assistentes estejam de acordo consigo desde o princípio. Uma vez conseguido isto, chega o momento de passar à acção. Utilize a fórmula " Prova-Acção-Benefícios " do Dale Carnegie Training ® e conseguirá uma apresentação motivadora orientada para o empreendimento de acções.
  • 1185707559 843.primeiros socorros_em_caso_de_electrocucao

    1. 1. Primeiros socorros em caso de electrocussão Electrocussão ou choque eléctrico é a situação provocada pela passagem da corrente eléctrica através do corpo.
    2. 2. Ricardo Pardelinha - Departamento de Segurança2 Princípio básico O socorrista deve prevenir-se a si próprio não tocando no electrocutado nem utilizando objectos húmidos ou metálicos para o afastar do elemento de contacto.
    3. 3. Ricardo Pardelinha - Departamento de Segurança3 Como proceder no caso de baixa tensão. Desligue a corrente eléctrica retirando a ficha da tomada. Se não puder alcançar a tomada, desligue o interruptor geral de alimentação no quadro eléctrico de entrada. Não utilize o interruptor do electrodoméstico. A causa do acidente pode ter sido uma avaria do próprio interruptor.
    4. 4. Ricardo Pardelinha - Departamento de Segurança4 Como proceder no caso de baixa tensão. Isolar-se da Terra, antes de tocar na vítima, colocando-se sobre uma superfície isolante, constituída por panos ou peças de vestuário secas, tapete de borracha, ou por qualquer outro meio equivalente (tábuas, barrotes ou caixas de madeira secas). Afastar a vitima dos condutores, isolando as mãos por meio de luvas de borracha, panos ou peças de vestuário secos ou utilizando varas compridas de madeira bem seca, cordas bem secas, etc. Se não for possível ou for demorado o corte da corrente, afastar imediatamente a vítima dos condutores, tomando as seguintes precauções: Ter em atenção que os riscos de electrocussão, ao proceder ao salvamento da vítima, são maiores se o pavimento estiver molhado ou húmido, pelo que devera, nesse caso, proceder-se com maior cuidado.
    5. 5. Ricardo Pardelinha - Departamento de Segurança5 Como proceder no caso de alta tensão. Se o acidente tiver ocorrido com tensões elevadas (alta tensão) telefonar imediatamente à Empresa Distribuidora, identificando-se e identificando o local onde ocorreu o acidente para que seja interrompida alimentação de energia naquela zona. Se tal não for possível, é necessária a intervenção de pessoa conhecedora do perigo, para afastar a vitima dos condutores.
    6. 6. Ricardo Pardelinha - Departamento de Segurança6 Usar objectos secos e bons isolantes para afastar a vítima da acção da corrente eléctrica. Como proceder no caso de alta tensão. Se a vítima ficou suspensa dos condutores, pode ser necessário prever medidas no sentido de atenuar os efeitos de possível queda.
    7. 7. Ricardo Pardelinha - Departamento de Segurança7 Como proceder Caso a situação o exija (o acidentado não respira ou tem ferimentos graves – queimaduras, fracturas, rotura de vasos sanguíneos), se sabe prestar o socorro adequado deve proceder em conformidade ou em caso contrário, deve chamar o 112 com a máxima urgência. Não esquecer que um incorrecto socorro pode ser mais gravoso que uma espera.
    8. 8. Ricardo Pardelinha - Departamento de Segurança8 Respiração artificial boca-a-boca. Deitar a vítima de costas. Ajoelhar ao lado da vítima, levantar com uma das mãos a sua nuca e com a outra mão inclinar-lhe, o mais possível, a cabeça para trás e depois puxar com a primeira mão o queixo para cima. Esta posição é indispensável para garantir a desobstrução das vias respiratórias e a livre passagem do ar. Por isso deve manter-se durante a operação de reanimação.
    9. 9. Ricardo Pardelinha - Departamento de Segurança9 Inspirar a fundo. Obturar (tapar) as narinas da vítima com os dedos polegar e indicador da mão que se apoia na testa e manter aberta a boca da vítima com a mão que segura o queixo. Aplicar a boca bem aberta na boca da vítima, de modo a evitar fugas de ar, e expirar, verificando ao mesmo tempo se o tórax da vítima aumenta de volume. No caso do tórax da vítima não aumentar de volume durante a insuflação, verificar de novo a posição da cabeça e do queixo, corrigindo-a, se necessário. Respiração artificial boca-a-boca.
    10. 10. Ricardo Pardelinha - Departamento de Segurança10 Afastar a boca e deixar de obturar as narinas da vítima a fim do ar poder sair dos pulmões pela boca e pelo nariz. Repetir as operações referidas, sucessivamente, cada quatro - cinco segundos, até a respiração natural da vítima se restabelecer e manter. Respiração artificial boca-a-boca.

    ×