SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 10
OBSERVANDO AS
PISTAS DO TEXTO
Inferência
O que é inferência?
Significa deduzir, chegar a uma conclusão por meio
do raciocínio.
Na leitura de um texto, precisamos inferir (deduzir)
por meio das pistas que o próprio texto deixa. Para
isso, é necessário ativar nosso conhecimento de
mundo.
Fazendo inferências em uma charge
Como sua mente funcionou durante a leitura
Primeiro, você deve ter observado as imagens: um
homem e uma mulher digitando em um computador.
O homem está digitando com um dedo só (o que
mostra que ele não tem muita experiência nisso). Ele
usa óculos, tem bigode, e os dois, homem e mulher,
usam roupas comportadas.
Você já deve ter inferido:
O homem e a mulher são casados;
Não são experts em uso de
computadores;
Os dois são adultos.
Como sua mente funcionou durante a leitura
Vamos analisar agora a parte escrita:
“Querido filho: como tem passado? Sua mãe e eu estamos
bem. Estamos com saudades”
Até a leitura desta parte você inferiu:
 O homem e a mulher possuem um filho;
 Esse filho está longe deles, por isso estão escrevendo um e-
mail;
Porém, como essa charge é de humor, o autor quebrou
com a inferência que você criou até aqui! Veja:
“Por favor, desligue seu computador, desça as escadas e
venha comer algo. Com amor, papai.”
Chegando a uma conclusão
Provavelmente você entendeu essa jogada do autor.
Mas ainda existe algo por trás dessa charge que
lemos: uma crítica.
Vamos pensar: o que essa charge pode estar
criticando??
Pense nessas questões!
 Como é a relação entre pai, mãe e filho nessa família?
 Será que eles têm muito contato uns com os outros?
 Será que os pais passam tempo com o filho e vice-versa?
 É normal os pais escreverem um e-mail chamando o filho
para o jantar?
 Será que o filho é mais antenado à tecnologia que os
pais?
Já chegou a uma conclusão? Vamos ver algumas imagens
que podem te ajudar!
Mais imagens
Concluindo...
Com essa charge, por meio do humor, o autor está
criticando a forma como A TECNOLOGIA ESTÁ
AFASTANDO AS PESSOAS, inclusive nas relações
familiares.
Para chegar a essa conclusão você precisou fazer
inferências, ativar o seu conhecimento de mundo e
levantar hipóteses. Para realmente interpretar um
texto é preciso sempre fazer isso!
Exercício
Resolva o exercício que foi retirado do ENEM,
fazendo as inferências necessárias.
Fonte das informações:
Livro “Superdicas para ler e interpretar textos
no ENEM” – William R. Cereja e Ciley Cleto

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentação Adverbios
Apresentação AdverbiosApresentação Adverbios
Apresentação AdverbiosLeisiane Jesus
 
Gêneros Textuais
Gêneros TextuaisGêneros Textuais
Gêneros TextuaisEdna Brito
 
Aula sinais de pontuação
Aula sinais de pontuaçãoAula sinais de pontuação
Aula sinais de pontuaçãoPéricles Penuel
 
Compreensão e interpretação de textos
Compreensão e interpretação de textosCompreensão e interpretação de textos
Compreensão e interpretação de textoswelton santos
 
redação - dissertativa argumentativa
redação - dissertativa argumentativa redação - dissertativa argumentativa
redação - dissertativa argumentativa Luciene Gomes
 
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURAAULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURAMarcelo Cordeiro Souza
 
Texto de divulgação científica
Texto de divulgação científicaTexto de divulgação científica
Texto de divulgação científicaJosiele Dognani
 
Descritores spaece - língua portuguesa
Descritores   spaece - língua portuguesaDescritores   spaece - língua portuguesa
Descritores spaece - língua portuguesaPacatubaLei
 
Conjunções coordenativas e subordinativas
Conjunções coordenativas e subordinativasConjunções coordenativas e subordinativas
Conjunções coordenativas e subordinativasLidiane Rodrigues
 
Oficina de descritores português 9º ano
Oficina de descritores português 9º anoOficina de descritores português 9º ano
Oficina de descritores português 9º anoClaudiaAdrianaSouzaS
 
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação - PRONTO
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação  - PRONTOAULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação  - PRONTO
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação - PRONTOMarcelo Cordeiro Souza
 
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP02) D15
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP02) D15LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP02) D15
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP02) D15GernciadeProduodeMat
 

Mais procurados (20)

Poema 6º ano
Poema 6º anoPoema 6º ano
Poema 6º ano
 
Ambiguidade
AmbiguidadeAmbiguidade
Ambiguidade
 
Apresentação Adverbios
Apresentação AdverbiosApresentação Adverbios
Apresentação Adverbios
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
Substantivo
SubstantivoSubstantivo
Substantivo
 
Gêneros Textuais
Gêneros TextuaisGêneros Textuais
Gêneros Textuais
 
Aula sinais de pontuação
Aula sinais de pontuaçãoAula sinais de pontuação
Aula sinais de pontuação
 
Compreensão e interpretação de textos
Compreensão e interpretação de textosCompreensão e interpretação de textos
Compreensão e interpretação de textos
 
redação - dissertativa argumentativa
redação - dissertativa argumentativa redação - dissertativa argumentativa
redação - dissertativa argumentativa
 
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURAAULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
 
Texto de divulgação científica
Texto de divulgação científicaTexto de divulgação científica
Texto de divulgação científica
 
Descritores spaece - língua portuguesa
Descritores   spaece - língua portuguesaDescritores   spaece - língua portuguesa
Descritores spaece - língua portuguesa
 
Conjunções coordenativas e subordinativas
Conjunções coordenativas e subordinativasConjunções coordenativas e subordinativas
Conjunções coordenativas e subordinativas
 
Oficina de descritores português 9º ano
Oficina de descritores português 9º anoOficina de descritores português 9º ano
Oficina de descritores português 9º ano
 
Slide implicito e explicito
Slide implicito e explicitoSlide implicito e explicito
Slide implicito e explicito
 
Adjetivos
AdjetivosAdjetivos
Adjetivos
 
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação - PRONTO
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação  - PRONTOAULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação  - PRONTO
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação - PRONTO
 
Aula intertextualidade
Aula intertextualidadeAula intertextualidade
Aula intertextualidade
 
Conectivos
ConectivosConectivos
Conectivos
 
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP02) D15
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP02) D15LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP02) D15
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP02) D15
 

Destaque

Como fazer uma carta informal
Como fazer uma carta informalComo fazer uma carta informal
Como fazer uma carta informalSchool help
 
Informações Implícitas
Informações ImplícitasInformações Implícitas
Informações ImplícitasTaïs Bressane
 
Inferências - pressuposto e subentendido
Inferências - pressuposto e subentendidoInferências - pressuposto e subentendido
Inferências - pressuposto e subentendidoAna Lúcia Moura Neves
 
Ficha informativa e de trabalho sobre cartas
Ficha informativa e de trabalho sobre cartasFicha informativa e de trabalho sobre cartas
Ficha informativa e de trabalho sobre cartasSchool help
 
Implícito e explícito
Implícito e explícitoImplícito e explícito
Implícito e explícitoDanii Lopes
 

Destaque (7)

Como fazer uma carta informal
Como fazer uma carta informalComo fazer uma carta informal
Como fazer uma carta informal
 
Informações Implícitas
Informações ImplícitasInformações Implícitas
Informações Implícitas
 
Inferências - pressuposto e subentendido
Inferências - pressuposto e subentendidoInferências - pressuposto e subentendido
Inferências - pressuposto e subentendido
 
Pressuposto e subentendido
Pressuposto e subentendidoPressuposto e subentendido
Pressuposto e subentendido
 
Ficha informativa e de trabalho sobre cartas
Ficha informativa e de trabalho sobre cartasFicha informativa e de trabalho sobre cartas
Ficha informativa e de trabalho sobre cartas
 
Implícito e explícito
Implícito e explícitoImplícito e explícito
Implícito e explícito
 
Testes 6º ano etapas
Testes 6º ano etapasTestes 6º ano etapas
Testes 6º ano etapas
 

Semelhante a Inferência

Tecnologia educacional para as series iniciais
Tecnologia educacional para as series iniciaisTecnologia educacional para as series iniciais
Tecnologia educacional para as series iniciaisRonaldo Barbosa
 
ETEC's apresentação
ETEC's apresentaçãoETEC's apresentação
ETEC's apresentaçãonovelino
 
Tecnologias Educativas II
Tecnologias Educativas II Tecnologias Educativas II
Tecnologias Educativas II vaniarodrigues18
 
Tecnologias Educativas - Familia em Rede
Tecnologias Educativas - Familia em RedeTecnologias Educativas - Familia em Rede
Tecnologias Educativas - Familia em Redevaniarodrigues18
 
Webquestsexualidade
WebquestsexualidadeWebquestsexualidade
WebquestsexualidadeLuciaband
 
Ideias que se opõe ao uso dos computadores na educação.
Ideias que se opõe ao uso dos computadores na educação.Ideias que se opõe ao uso dos computadores na educação.
Ideias que se opõe ao uso dos computadores na educação.amandasellos
 
Reinaldo mayer o pesquisador interplanetario convergente
Reinaldo mayer o pesquisador interplanetario convergenteReinaldo mayer o pesquisador interplanetario convergente
Reinaldo mayer o pesquisador interplanetario convergenteReinaldo Afonso Mayer
 
Mayer o pesquisador interplanetario convergente
Mayer o pesquisador interplanetario convergenteMayer o pesquisador interplanetario convergente
Mayer o pesquisador interplanetario convergenteReinaldo Afonso Mayer
 
Atividade04.pp.camila soares dutra elias
Atividade04.pp.camila soares dutra eliasAtividade04.pp.camila soares dutra elias
Atividade04.pp.camila soares dutra eliasescamilytes
 
Humor na sala de aula (apresentação)
Humor na sala de aula (apresentação)Humor na sala de aula (apresentação)
Humor na sala de aula (apresentação)lscosta2007
 
Humor na sala de aula (apresentação)
Humor na sala de aula (apresentação)Humor na sala de aula (apresentação)
Humor na sala de aula (apresentação)lscosta2007
 
Como aprender e dominar qualquer assunto
Como aprender e dominar qualquer assuntoComo aprender e dominar qualquer assunto
Como aprender e dominar qualquer assuntokimuraaa011
 
Resultados Salto Coletivo engatinhar.com - Laboratório Estudar
Resultados Salto Coletivo engatinhar.com - Laboratório EstudarResultados Salto Coletivo engatinhar.com - Laboratório Estudar
Resultados Salto Coletivo engatinhar.com - Laboratório EstudarSílvia Takey
 

Semelhante a Inferência (20)

Tecnologia educacional para as series iniciais
Tecnologia educacional para as series iniciaisTecnologia educacional para as series iniciais
Tecnologia educacional para as series iniciais
 
ETEC's apresentação
ETEC's apresentaçãoETEC's apresentação
ETEC's apresentação
 
Tecnologias Educativas II
Tecnologias Educativas II Tecnologias Educativas II
Tecnologias Educativas II
 
Tecnologias Educativas - Familia em Rede
Tecnologias Educativas - Familia em RedeTecnologias Educativas - Familia em Rede
Tecnologias Educativas - Familia em Rede
 
Webquestsexualidade
WebquestsexualidadeWebquestsexualidade
Webquestsexualidade
 
Computadores na educação básica? NÃO
Computadores na educação básica?NÃOComputadores na educação básica?NÃO
Computadores na educação básica? NÃO
 
Sofia
SofiaSofia
Sofia
 
Ideias que se opõe ao uso dos computadores na educação.
Ideias que se opõe ao uso dos computadores na educação.Ideias que se opõe ao uso dos computadores na educação.
Ideias que se opõe ao uso dos computadores na educação.
 
Sete Lagoas
Sete LagoasSete Lagoas
Sete Lagoas
 
Reinaldo mayer o pesquisador interplanetario convergente
Reinaldo mayer o pesquisador interplanetario convergenteReinaldo mayer o pesquisador interplanetario convergente
Reinaldo mayer o pesquisador interplanetario convergente
 
Mayer o pesquisador interplanetario convergente
Mayer o pesquisador interplanetario convergenteMayer o pesquisador interplanetario convergente
Mayer o pesquisador interplanetario convergente
 
Atividade04.pp.camila soares dutra elias
Atividade04.pp.camila soares dutra eliasAtividade04.pp.camila soares dutra elias
Atividade04.pp.camila soares dutra elias
 
Leitura fria 3
Leitura fria 3Leitura fria 3
Leitura fria 3
 
Modernidade, internet e educação familiar
Modernidade, internet e educação familiarModernidade, internet e educação familiar
Modernidade, internet e educação familiar
 
Humor na sala de aula (apresentação)
Humor na sala de aula (apresentação)Humor na sala de aula (apresentação)
Humor na sala de aula (apresentação)
 
Humor na sala de aula (apresentação)
Humor na sala de aula (apresentação)Humor na sala de aula (apresentação)
Humor na sala de aula (apresentação)
 
Como aprender e dominar qualquer assunto
Como aprender e dominar qualquer assuntoComo aprender e dominar qualquer assunto
Como aprender e dominar qualquer assunto
 
LEITURA NA EDUCAÇÃO INFANTIL
LEITURA NA EDUCAÇÃO INFANTILLEITURA NA EDUCAÇÃO INFANTIL
LEITURA NA EDUCAÇÃO INFANTIL
 
Resultados Salto Coletivo engatinhar.com - Laboratório Estudar
Resultados Salto Coletivo engatinhar.com - Laboratório EstudarResultados Salto Coletivo engatinhar.com - Laboratório Estudar
Resultados Salto Coletivo engatinhar.com - Laboratório Estudar
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 

Inferência

  • 1. OBSERVANDO AS PISTAS DO TEXTO Inferência
  • 2. O que é inferência? Significa deduzir, chegar a uma conclusão por meio do raciocínio. Na leitura de um texto, precisamos inferir (deduzir) por meio das pistas que o próprio texto deixa. Para isso, é necessário ativar nosso conhecimento de mundo.
  • 4. Como sua mente funcionou durante a leitura Primeiro, você deve ter observado as imagens: um homem e uma mulher digitando em um computador. O homem está digitando com um dedo só (o que mostra que ele não tem muita experiência nisso). Ele usa óculos, tem bigode, e os dois, homem e mulher, usam roupas comportadas. Você já deve ter inferido: O homem e a mulher são casados; Não são experts em uso de computadores; Os dois são adultos.
  • 5. Como sua mente funcionou durante a leitura Vamos analisar agora a parte escrita: “Querido filho: como tem passado? Sua mãe e eu estamos bem. Estamos com saudades” Até a leitura desta parte você inferiu:  O homem e a mulher possuem um filho;  Esse filho está longe deles, por isso estão escrevendo um e- mail; Porém, como essa charge é de humor, o autor quebrou com a inferência que você criou até aqui! Veja: “Por favor, desligue seu computador, desça as escadas e venha comer algo. Com amor, papai.”
  • 6. Chegando a uma conclusão Provavelmente você entendeu essa jogada do autor. Mas ainda existe algo por trás dessa charge que lemos: uma crítica. Vamos pensar: o que essa charge pode estar criticando??
  • 7. Pense nessas questões!  Como é a relação entre pai, mãe e filho nessa família?  Será que eles têm muito contato uns com os outros?  Será que os pais passam tempo com o filho e vice-versa?  É normal os pais escreverem um e-mail chamando o filho para o jantar?  Será que o filho é mais antenado à tecnologia que os pais? Já chegou a uma conclusão? Vamos ver algumas imagens que podem te ajudar!
  • 9. Concluindo... Com essa charge, por meio do humor, o autor está criticando a forma como A TECNOLOGIA ESTÁ AFASTANDO AS PESSOAS, inclusive nas relações familiares. Para chegar a essa conclusão você precisou fazer inferências, ativar o seu conhecimento de mundo e levantar hipóteses. Para realmente interpretar um texto é preciso sempre fazer isso!
  • 10. Exercício Resolva o exercício que foi retirado do ENEM, fazendo as inferências necessárias. Fonte das informações: Livro “Superdicas para ler e interpretar textos no ENEM” – William R. Cereja e Ciley Cleto