SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 56
CIVILIZA^AO
ROMANA
Trabalho: Rafael Santos — n° 21350 — 7° A
Professora: Ana Cristina da ConceiQao Gomes / HistOria 1
LOCALIZAQAO GEOGRAFICA
A civilizaQao romana desenvolveu-se a partir da cidade de Roma,
localizada na Peninsula Italica. Esta fica localizada no
Sul da Europa, na regiao central do Mediterraneo.
2
Aquando da sua formagao, no sec. VIII
a.C., Roma seria apenas uma aldeia de
pastores, mas os Romanos atribulam a
fundagao da sua cidade a Romulo e
Remo, dois gemeos filhos do deus
Marte.
Entre os povos que influenciaram o
crescimento dos Romanos, contam-se
os Latinos e os Etruscos.
3
A FORMAQAO DO IMPeRIO
Com o tempo, a importancia de Roma foi crescendo gradualmente
ate que, no sec. VI a.C., ja dominava todas as aldeias vizinhas.
O passo seguinte foi a conquista de toda a Peninsula Italica e,
depois, de um vasto Imperio.
Hadrian's WaH
HIBERNIA
BRITAIN
NT1C0
GERMANIA
BCLGICA
LUQDUNENSlS
NORICUM
DACIA
RHAETIA
AQUfTANIA
ITALY PONTUS ARMENIA
LUSITANiA THRACE Byzantium
Rome MACEDONIA
PARTHIAN
EMPIRE
Tarentum1 GALATIA
• CAP
Pergamum
8AETICA
ACHAEA
Carthage'
NUMIDIA
MAURITANIA SYRIA
"] Imperio Romano
noano 117
Alexandria*
Cyrene
GYRENE
EGYPT
ARABIA
4
MOTIVACOES DAS CONQUISTAS ROMANAS
•Necessidade de seguranga face a vizinhos mais poderosos (1a
fase).
•Procura de novas zonas agrfcolas.
•Procura de novos mercados.
•Procura de mao-de-obra escrava.
•Ambigao dos generais romanos, que queriam gloria e riqueza.
5
CONQUISTAS DE ROMA
1a fase
Os Romanos conquistaram a Peninsula Italica. Depois de derrotarem
Cartago, passaram a dominar varias regioes em Africa, as costas
mediterranicas da Peninsula Iberica, a Sardenha, Corsega e Sicilia.
2a fase
Roma conquistou o Mediterraneo Oriental (Grecia, a Macedonia, parte da
Asia Menor. a Stria, a Judeia).
3a fase
Roma conquistou varias regioes da Europa (Galia, Peninsula Iberica, Britania,
Dacia), para alem de outras regioes.
6
Apos as conquistas, os Romanos passaram a chamar ao
Mediterraneo “mare nostrum”, pois todas as regioes do Imperio
(com excepgao da Gra-Bretanha) ficavam nas suas margens.
Hadrurt
Wall
FRANCE
THE *l>!
SPAIN GREECE
iTLIRKEYl
New
Curtilage
SYRIA
Carthage
INORTH AFRICA]
Hiditwraiu
on
Sen
|EGYPT |
7
A INTEGRAQAO DOS POVOS DOMINADOS
A medida que o Imperio ia sendo conquistado, os Romanos
procuravam conservar os territorios e integrar os povos dominados
na sua civilizagao. Para tal, usaram varios meios de integragao.
Exercito romano - era permanente e profissional;
em muitos casos, contava com a participagao das
populagoes conquistadas. Alem de conquistar os
territorios, mantinha a paz romana (pax romana).
8
Lingua - o latim, lingua oficial dos
romanos, passou a ser utilizado pela
maior parte das populates urbanas do
Imperio.
Rede de estradas - uma rede de estradas
construldas com lajes de pedra,
interligadas por pontes, tambem de pedra,
facilitava o contacto entre todo o Imperio e
a sua capital (« Todas as estradas vao dar
a Roma»).
9
Construgao de obras publicas -
construfram-se templos, aquedutos, termas,
teatros, o que aproximou o modo de vida
das populates dos habitos romanos.
Direito Romano - todas as populates do Imperio ficaram sujeitas
as leis romanas.
Poder centralizado do imperador - a quem era tambem prestado
culto.
Extensao do direito de cidadania - isto dava as pessoas
protecgao legal, bem como o direito de eleger e poder ser eleito.
10
ECONOMIA ROMANA
A economia romana era urbana, pois toda a
produgao era feita em fungao das cidades.
As cidades eram o centro da vida no Imperio
Romano.
A economia romana era comercial.
devido a importancia do comercio.
Atraves do Mediterraneo, dos rios e
das estradas romanas circulavam
produtos de todo o Imperio.
_ del KuUi Ot rae
*yMtmc* 5 v-wn
&ytk'K 4 M«*v*
OcaWfos f vw
OUr*
GSMarr-Jc*
<
»
11
A economia romana era monetaria, devido a
importancia da moeda. A moeda servia para o
comercio, mas tambem para o pagamento dos
exercitos, para as obras publicas e para distribuir
pelos muitos cidadaos desocupados, que viviam
a custa do Estado.
A economia romana era ainda esclavagista,
pois a maior parte do trabalho era
assegurado pelos escravos.
12
SOCIEDADE ROMANA
Ordem senatorial
Ordem equestre
Plebe
Libertos
Escravos
13
VIDA QUOTIDIANA - A ALIMENTAQAO
Embora a maioria da populagao romana tivesse uma alimentagao
simples, composta por alimentos como pao, azeitonas, queijo, entre
outros, os mais ricos deliciavam-se com iguarias que vinham de todo
o Imperio.
Era habitual a realizagao de grandes banquetes, com muitos pratos
exoticos, em que os convivas comiam deitados ou reclinados.
14
Exemplo de alguns pratos romanos:
Entradas:
•Rodelas de miolos, cozidas em leite e ovos
•Cogumelos cozidos com molho picante e gordura de peixe
•Ourigos do mar com especiarias, mel, molho de azeite e ovos
Pratos principais:
•Avestruz cozida com molho doce •Rola cozida com penas
•Papagaio assado
•Leiroes (rato dos pomares) recheados com porco e pombos
Sobremesas:
•Fricasse de rosas com bolos
•Tamaras descarogadas, recheadas de nozes e pinhoes e fritas em mel
15
ORGANIZAQAO Politico EM ROMA
Ao longo da sua historia, Roma passou por varios regimes politicos:
Monarquia - vigorou entre o sec. VIII a.C. e 509 a.C., altura em que
foi expulso o ultimo rei etrusco.
16
Republics - (do latim respublica, 'coisa do povo'); vigorou entre
509 a.C. e 27 a.C.
Orgaos politicos da Republica
Senado Assembleias ou Comicios
■Apreciagao das propostas de lei;
■ Geria as finangas publicas;
■ Fiscalizava os magistrados;
■ Dirigia a politica externa;
■ Nomeava os governadores das
provincias.
■ Formadas pelo conjunto dos cidadaos
■ Elegiam os magistrados
■ Votavam as leis
Magistrados
■ Poder executivo.
■ Podiam ser consules, pretores, questores, edil, tribuno, censor, governador.
Os consules comandavam o exercito, convocavam o Senado, presidiam aos
cultos publicos.
17
Imperio - Em 27 a.C., Octavio Cesar Augusto recebeu o tftulo de
Augusto e declarou o fim das guerras civis. Surgiu assim um novo
regime politico na historia de Roma, conhecido pelo nome de
Imperio.
18
PODERES DO IMPERADOR
•Dirigia a polltica externa;
•Comandava o exercito;
•Dirigia as finangas;
•Controlava a administragao publica;
•Nomeava os senadores.
•Era o chefe da religiao (era o supremo sacerdote e era-lhe
prestado culto).
19
O DIREITO ROMANO
Regulamentava todos os aspectos da vida dos cidadaos e dividia-
se em:
- Direito Privado: leis relacionadas com aspectos da vida privada:
casamentos, divorcios, contratos, testamentos, ...
- Direito Publico: leis relacionadas com a organizagao e
funcionamento do Estado.
- Direito Internacional: leis que definiam as relagoes entre os
varios povos do Imperio.
20
O URBANISMO ROMANO
As cidades romanas eram construfdas segundo pianos rigorosos, com ruas
tragadas perpendicularmente e com sistemas de esgotos.
O centro da cidade era sempre o Forum, onde se localizavam edificios
relacionados com a administragao da cidade (Curia e Basilica); templos
(Panteao).
Coliseu
Templo
Forum
Colunas
Panorama da cidade de Roma
21
Na cidade existiam ainda
T eatros
Anfiteatros
24
Hipodromos, como o Circus
Maximus
Termas e banhos publicos
25
Latrinas publicas
Aquedutos, pontes e estradas
27
Existiam tambem zonas residenciais, com dois tipos de casas.
Insulae (blocos
apartamentos com
andares)
de
varios
DOMUS ROMANA
Domus, casa particular pertencente
aos romanos mais ricos
28
ARTE ROMANA ARQUITECTURA
- Recebeu influencias gregas (plantas dos templos e teatros e as ordens dos
capiteis).
31
- Recebeu influencias dos Etruscos (o uso do arco de volta perfeita, da
abobada de bergo e da cupula).
32
- Recebeu as influencias do Oriente (a tecnica do fabrico do mosaico).
33
As construgoes tinham um caracter marcadamente utilitario (tudo
servia para alguma coisa) e qrandioso (pois serviam para mostrar a
grandeza do Imperio).
Ponte de Chaves
Termas de Beirute
Anfiteatro -
Coliseu
Circus Maximus
Teatro de Aspendos
Templo de Hercules
34
ESCULTURA
Os romanos produziram estatuas e relevos com grande realismo.
Representavam imperadores e outros chefes politicos, deuses, membros de
famflias importantes, cenas de batalhas.
Estatua de Octavio
Cesar Augusto
Busto - retrato
Relevo - coluna de
Trajano
35
PINTURA
Feita a fresco nas paredes (sobre estuque fresco), representava, entre outros
temas, paisagens, cenas mitologico-religiosas e cenas do quotidiano.
Paisagem Casal
36
PRODUQAO UTERARW
Sao de destacar os seguintes nomes:
Poesia
Lfrica (Horacio e Ovfdio);
Epica (Virgliio - “Eneida”)
T eatro
Piauto e Terencio (autores de comedias).
Historia
Tito Lfvio (“Historia de Roma”) e Tacito.
Oratoria
37
ROMANIZAQAO DA PENfNSULA IBeRICA
A conquista da Peninsula Iberica nao foi muito facil. Em grande
parte, isso deveu-se a resistencia de alguns povos,
como os Lusitanos, que viviam
Tejo, chefiados por Viriato.
na regiao entre os rios Douro e
Viriato
Pormenor
da
estat
ua de
Viriat
o
(Vise
U)
38
MUDANQAS
INTRODUZIDAS
Agricultural
• Desenvolvimento de varias culturas: vinha, cereais, oliveira,
entre outras.
39
Extracgao mineira:
• Exploragao de minas de cobre e ouro.
Pogo romano nas minas de Aljustrel
40
Industria
• Salga de peixe (produgao de garum).
Industria da salga -
reconstituigao
Tanques usados para a
produgao de garum
(ruinas romanas de
Troia)
41
Comercio:
• Intensificagao do comercio e da circulagao da moeda.
Lingua:
• Divulgagao do latim.
Religiao:
• Introdugao dos deuses romanos e, depois, do cristianismo.
42
Urbanismo
• Desenvolvimento de cidades
de Roma.
Panoramica geral de Commbriga
com ediflcios semelhantes aos
Teatro de Merida
43
RELIGIAO ROMANA
A semelhanga dos gregos, os romanos eram politefstas. Adoravam muitos
deuses e praticavam varias formas de culto.
Culto domestico ou familiar
Era praticado no altar da casa e dirigido pelo chefe de famllia (pater familias).
Era dedicado aos deuses protectores da casa (Lares e Penates) e ao espfrito
dos antepassados (Manes).
44
Culto publico
Era praticado nos templos das cidades e dirigido por sacerdotes. Os romanos
adoptaram os deuses gregos, dando-lhes outros nomes.
Jupiter - deus dos ceus e
tempestades
Juno - deusa
do casamento
tApolo - deus do sol /
edasartes
Neptuno
deus dos
mares
Diana -deusa
da caga e da
Lua
Minerva - deusa da
sabedoria e da
guerra
Venus - deusa
do amor e da
beleza
45
Culto imperial
Era dedicado ao imperador, o qual tinha o tltuio de Augusto, que
significa divino.
46

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a civilização-romana.ppt

Semelhante a civilização-romana.ppt (20)

O Império Romano
O Império RomanoO Império Romano
O Império Romano
 
Revisão 6º ano ASSUNTO : Roma Antiga
Revisão 6º ano ASSUNTO : Roma AntigaRevisão 6º ano ASSUNTO : Roma Antiga
Revisão 6º ano ASSUNTO : Roma Antiga
 
A Integração Dos Povos No Império Romano
A Integração Dos Povos No Império RomanoA Integração Dos Povos No Império Romano
A Integração Dos Povos No Império Romano
 
1grega
1grega1grega
1grega
 
ROMANOS.pptx
ROMANOS.pptxROMANOS.pptx
ROMANOS.pptx
 
O mundo romano - tetyana
O mundo romano -  tetyanaO mundo romano -  tetyana
O mundo romano - tetyana
 
Roma Imperial
Roma ImperialRoma Imperial
Roma Imperial
 
Roma
RomaRoma
Roma
 
Os romanos
Os romanosOs romanos
Os romanos
 
A Romanização
A RomanizaçãoA Romanização
A Romanização
 
1 a civilizacao-romana
1 a civilizacao-romana1 a civilizacao-romana
1 a civilizacao-romana
 
O mundo romano no apogeu do império - 1.ª parte
O mundo romano  no apogeu do império - 1.ª parteO mundo romano  no apogeu do império - 1.ª parte
O mundo romano no apogeu do império - 1.ª parte
 
História de roma antiga e o império romano/Dica Enem!
História de roma antiga e o império romano/Dica Enem!História de roma antiga e o império romano/Dica Enem!
História de roma antiga e o império romano/Dica Enem!
 
Romanização
RomanizaçãoRomanização
Romanização
 
Mundo romano
Mundo romanoMundo romano
Mundo romano
 
O império romano
O império romanoO império romano
O império romano
 
_ROMA ANTIGA (1).ppt
_ROMA ANTIGA (1).ppt_ROMA ANTIGA (1).ppt
_ROMA ANTIGA (1).ppt
 
R O M A A N T I G A
R O M A  A N T I G AR O M A  A N T I G A
R O M A A N T I G A
 
Roma Aspecto Culturais
Roma Aspecto CulturaisRoma Aspecto Culturais
Roma Aspecto Culturais
 
IMPÉRIO ROMANO NO SEU APOGEU.pptx
IMPÉRIO ROMANO NO SEU APOGEU.pptxIMPÉRIO ROMANO NO SEU APOGEU.pptx
IMPÉRIO ROMANO NO SEU APOGEU.pptx
 

Último

VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOBiatrizGomes1
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Centro Jacques Delors
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 

Último (20)

Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 

civilização-romana.ppt

  • 2. Professora: Ana Cristina da ConceiQao Gomes / HistOria 1
  • 3. LOCALIZAQAO GEOGRAFICA A civilizaQao romana desenvolveu-se a partir da cidade de Roma, localizada na Peninsula Italica. Esta fica localizada no
  • 4. Sul da Europa, na regiao central do Mediterraneo. 2
  • 5. Aquando da sua formagao, no sec. VIII a.C., Roma seria apenas uma aldeia de pastores, mas os Romanos atribulam a fundagao da sua cidade a Romulo e Remo, dois gemeos filhos do deus Marte. Entre os povos que influenciaram o crescimento dos Romanos, contam-se os Latinos e os Etruscos. 3
  • 6. A FORMAQAO DO IMPeRIO Com o tempo, a importancia de Roma foi crescendo gradualmente ate que, no sec. VI a.C., ja dominava todas as aldeias vizinhas. O passo seguinte foi a conquista de toda a Peninsula Italica e, depois, de um vasto Imperio. Hadrian's WaH HIBERNIA BRITAIN NT1C0 GERMANIA BCLGICA LUQDUNENSlS NORICUM DACIA RHAETIA AQUfTANIA ITALY PONTUS ARMENIA LUSITANiA THRACE Byzantium Rome MACEDONIA PARTHIAN EMPIRE Tarentum1 GALATIA • CAP Pergamum 8AETICA ACHAEA Carthage' NUMIDIA MAURITANIA SYRIA "] Imperio Romano noano 117 Alexandria* Cyrene GYRENE EGYPT ARABIA 4
  • 7. MOTIVACOES DAS CONQUISTAS ROMANAS •Necessidade de seguranga face a vizinhos mais poderosos (1a fase). •Procura de novas zonas agrfcolas. •Procura de novos mercados. •Procura de mao-de-obra escrava. •Ambigao dos generais romanos, que queriam gloria e riqueza.
  • 8. 5
  • 9. CONQUISTAS DE ROMA 1a fase Os Romanos conquistaram a Peninsula Italica. Depois de derrotarem Cartago, passaram a dominar varias regioes em Africa, as costas mediterranicas da Peninsula Iberica, a Sardenha, Corsega e Sicilia. 2a fase Roma conquistou o Mediterraneo Oriental (Grecia, a Macedonia, parte da Asia Menor. a Stria, a Judeia). 3a fase Roma conquistou varias regioes da Europa (Galia, Peninsula Iberica, Britania, Dacia), para alem de outras regioes.
  • 10. 6
  • 11. Apos as conquistas, os Romanos passaram a chamar ao Mediterraneo “mare nostrum”, pois todas as regioes do Imperio (com excepgao da Gra-Bretanha) ficavam nas suas margens. Hadrurt Wall FRANCE THE *l>! SPAIN GREECE iTLIRKEYl New Curtilage SYRIA Carthage INORTH AFRICA] Hiditwraiu on Sen |EGYPT | 7
  • 12. A INTEGRAQAO DOS POVOS DOMINADOS A medida que o Imperio ia sendo conquistado, os Romanos procuravam conservar os territorios e integrar os povos dominados na sua civilizagao. Para tal, usaram varios meios de integragao. Exercito romano - era permanente e profissional; em muitos casos, contava com a participagao das populagoes conquistadas. Alem de conquistar os territorios, mantinha a paz romana (pax romana). 8
  • 13. Lingua - o latim, lingua oficial dos romanos, passou a ser utilizado pela maior parte das populates urbanas do Imperio. Rede de estradas - uma rede de estradas construldas com lajes de pedra, interligadas por pontes, tambem de pedra, facilitava o contacto entre todo o Imperio e a sua capital (« Todas as estradas vao dar a Roma»). 9
  • 14. Construgao de obras publicas - construfram-se templos, aquedutos, termas, teatros, o que aproximou o modo de vida das populates dos habitos romanos. Direito Romano - todas as populates do Imperio ficaram sujeitas as leis romanas. Poder centralizado do imperador - a quem era tambem prestado culto. Extensao do direito de cidadania - isto dava as pessoas protecgao legal, bem como o direito de eleger e poder ser eleito. 10
  • 15. ECONOMIA ROMANA A economia romana era urbana, pois toda a produgao era feita em fungao das cidades. As cidades eram o centro da vida no Imperio Romano. A economia romana era comercial. devido a importancia do comercio. Atraves do Mediterraneo, dos rios e das estradas romanas circulavam produtos de todo o Imperio. _ del KuUi Ot rae *yMtmc* 5 v-wn &ytk'K 4 M«*v* OcaWfos f vw OUr* GSMarr-Jc* < »
  • 16. 11
  • 17. A economia romana era monetaria, devido a importancia da moeda. A moeda servia para o comercio, mas tambem para o pagamento dos exercitos, para as obras publicas e para distribuir pelos muitos cidadaos desocupados, que viviam a custa do Estado. A economia romana era ainda esclavagista, pois a maior parte do trabalho era assegurado pelos escravos. 12
  • 18. SOCIEDADE ROMANA Ordem senatorial Ordem equestre Plebe Libertos Escravos
  • 19. 13
  • 20. VIDA QUOTIDIANA - A ALIMENTAQAO Embora a maioria da populagao romana tivesse uma alimentagao simples, composta por alimentos como pao, azeitonas, queijo, entre outros, os mais ricos deliciavam-se com iguarias que vinham de todo o Imperio. Era habitual a realizagao de grandes banquetes, com muitos pratos exoticos, em que os convivas comiam deitados ou reclinados. 14
  • 21. Exemplo de alguns pratos romanos: Entradas: •Rodelas de miolos, cozidas em leite e ovos •Cogumelos cozidos com molho picante e gordura de peixe •Ourigos do mar com especiarias, mel, molho de azeite e ovos Pratos principais: •Avestruz cozida com molho doce •Rola cozida com penas •Papagaio assado •Leiroes (rato dos pomares) recheados com porco e pombos Sobremesas: •Fricasse de rosas com bolos •Tamaras descarogadas, recheadas de nozes e pinhoes e fritas em mel 15
  • 22. ORGANIZAQAO Politico EM ROMA Ao longo da sua historia, Roma passou por varios regimes politicos: Monarquia - vigorou entre o sec. VIII a.C. e 509 a.C., altura em que foi expulso o ultimo rei etrusco.
  • 23. 16
  • 24. Republics - (do latim respublica, 'coisa do povo'); vigorou entre 509 a.C. e 27 a.C. Orgaos politicos da Republica Senado Assembleias ou Comicios ■Apreciagao das propostas de lei; ■ Geria as finangas publicas; ■ Fiscalizava os magistrados; ■ Dirigia a politica externa; ■ Nomeava os governadores das provincias. ■ Formadas pelo conjunto dos cidadaos ■ Elegiam os magistrados ■ Votavam as leis Magistrados ■ Poder executivo. ■ Podiam ser consules, pretores, questores, edil, tribuno, censor, governador. Os consules comandavam o exercito, convocavam o Senado, presidiam aos cultos publicos. 17
  • 25. Imperio - Em 27 a.C., Octavio Cesar Augusto recebeu o tftulo de Augusto e declarou o fim das guerras civis. Surgiu assim um novo regime politico na historia de Roma, conhecido pelo nome de Imperio. 18
  • 26. PODERES DO IMPERADOR •Dirigia a polltica externa; •Comandava o exercito; •Dirigia as finangas; •Controlava a administragao publica; •Nomeava os senadores. •Era o chefe da religiao (era o supremo sacerdote e era-lhe prestado culto).
  • 27. 19
  • 28. O DIREITO ROMANO Regulamentava todos os aspectos da vida dos cidadaos e dividia- se em: - Direito Privado: leis relacionadas com aspectos da vida privada: casamentos, divorcios, contratos, testamentos, ... - Direito Publico: leis relacionadas com a organizagao e funcionamento do Estado. - Direito Internacional: leis que definiam as relagoes entre os varios povos do Imperio.
  • 29. 20
  • 30. O URBANISMO ROMANO As cidades romanas eram construfdas segundo pianos rigorosos, com ruas tragadas perpendicularmente e com sistemas de esgotos. O centro da cidade era sempre o Forum, onde se localizavam edificios relacionados com a administragao da cidade (Curia e Basilica); templos (Panteao). Coliseu Templo Forum Colunas Panorama da cidade de Roma 21
  • 31. Na cidade existiam ainda T eatros
  • 33. Hipodromos, como o Circus Maximus Termas e banhos publicos 25
  • 35. Aquedutos, pontes e estradas 27
  • 36. Existiam tambem zonas residenciais, com dois tipos de casas. Insulae (blocos apartamentos com andares) de varios DOMUS ROMANA Domus, casa particular pertencente aos romanos mais ricos 28
  • 37. ARTE ROMANA ARQUITECTURA - Recebeu influencias gregas (plantas dos templos e teatros e as ordens dos capiteis). 31
  • 38. - Recebeu influencias dos Etruscos (o uso do arco de volta perfeita, da abobada de bergo e da cupula). 32
  • 39. - Recebeu as influencias do Oriente (a tecnica do fabrico do mosaico). 33
  • 40. As construgoes tinham um caracter marcadamente utilitario (tudo servia para alguma coisa) e qrandioso (pois serviam para mostrar a grandeza do Imperio). Ponte de Chaves Termas de Beirute Anfiteatro - Coliseu Circus Maximus Teatro de Aspendos Templo de Hercules 34
  • 41. ESCULTURA Os romanos produziram estatuas e relevos com grande realismo. Representavam imperadores e outros chefes politicos, deuses, membros de famflias importantes, cenas de batalhas. Estatua de Octavio Cesar Augusto Busto - retrato Relevo - coluna de Trajano 35
  • 42. PINTURA Feita a fresco nas paredes (sobre estuque fresco), representava, entre outros temas, paisagens, cenas mitologico-religiosas e cenas do quotidiano. Paisagem Casal 36
  • 43. PRODUQAO UTERARW Sao de destacar os seguintes nomes: Poesia Lfrica (Horacio e Ovfdio); Epica (Virgliio - “Eneida”) T eatro Piauto e Terencio (autores de comedias). Historia Tito Lfvio (“Historia de Roma”) e Tacito. Oratoria 37
  • 44. ROMANIZAQAO DA PENfNSULA IBeRICA A conquista da Peninsula Iberica nao foi muito facil. Em grande parte, isso deveu-se a resistencia de alguns povos, como os Lusitanos, que viviam Tejo, chefiados por Viriato. na regiao entre os rios Douro e Viriato
  • 46.
  • 47. MUDANQAS INTRODUZIDAS Agricultural • Desenvolvimento de varias culturas: vinha, cereais, oliveira, entre outras. 39
  • 48. Extracgao mineira: • Exploragao de minas de cobre e ouro. Pogo romano nas minas de Aljustrel 40
  • 49. Industria • Salga de peixe (produgao de garum). Industria da salga - reconstituigao Tanques usados para a produgao de garum (ruinas romanas de Troia) 41
  • 50. Comercio: • Intensificagao do comercio e da circulagao da moeda. Lingua: • Divulgagao do latim. Religiao: • Introdugao dos deuses romanos e, depois, do cristianismo. 42
  • 51. Urbanismo • Desenvolvimento de cidades de Roma. Panoramica geral de Commbriga
  • 52. com ediflcios semelhantes aos Teatro de Merida 43
  • 53. RELIGIAO ROMANA A semelhanga dos gregos, os romanos eram politefstas. Adoravam muitos deuses e praticavam varias formas de culto. Culto domestico ou familiar Era praticado no altar da casa e dirigido pelo chefe de famllia (pater familias). Era dedicado aos deuses protectores da casa (Lares e Penates) e ao espfrito dos antepassados (Manes).
  • 54. 44
  • 55. Culto publico Era praticado nos templos das cidades e dirigido por sacerdotes. Os romanos adoptaram os deuses gregos, dando-lhes outros nomes. Jupiter - deus dos ceus e tempestades Juno - deusa do casamento tApolo - deus do sol / edasartes Neptuno deus dos mares Diana -deusa da caga e da Lua Minerva - deusa da sabedoria e da guerra Venus - deusa do amor e da beleza 45
  • 56. Culto imperial Era dedicado ao imperador, o qual tinha o tltuio de Augusto, que significa divino. 46