UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO - UEMA
CENTRO DE ESTUDOS SUPERIORES DE CAXIAS - CESC
CIÊNCIAS BIOLOGICAS LICENCIATURA
GE...
• Nas plantas e nos animais pluricelulares, um óvulo fertilizado sofre uma
serie de eventos;
• O desenvolvimento da celula...
A genética do Desenvolvimento procura explicar como
um estado diferenciado se desenvolve a partir de
padrões de expressão ...
A conservação evolutiva dos mecanismos de
desenvolvimento pode ser estudada por meio de
organismos modelos
• Existe um peq...
Organismo modelo no estudo do desenvolvimento
1. Saccharomyces cerevisiae;
2. Drosophila melanogaster;
3. Mus musculus;
4....
1. Desenvolvimento do plano do corpo do animal adulto;
2. Programa de expressão genica que transforma celular indiferencia...
• Distribuição desuniforme do citoplasma;
• Os fatores ambientais agora agem sobre o material genético intranuclear, não
i...
• Questão central da biologia do desenvolvimento.
• Informações oriundas dos estudos de organismos-modelo.
• A genética e ...
• Após a fertilização, o núcleo do zigoto
sofre uma série de replicações de DNA e
de divisões nucleares sem citocinese.
Pa...
Análise genética da embriogênese
• As moscas fêmeas homozigotas para
mutações deletérias recessivas em genes
de feito mate...
Análise genética da embriogênese
• A maioria dos produtos gênicos de efeito
materno distribuídos no óvulo durante a
ovogên...
Os genes zigóticos programam a formação dos
segmentos em Drosophila
TAB.19.1 Genes de Segmentação em Drosophila
GENES GAP ...
Os genes zigóticos programam a formação dos
segmentos em Drosophila
Genes gap
• São ativados ou desativados por
produtos g...
Genes pair-rule
• São expressos em bandas (ou listras)
estreitas de núcleos que circundam o
embrião em sua circunferência....
• A transcrição dos genes pair-rule é medida pela
ação dos produtos dos genes gap, mas a
resolução do padrão de segmentos ...
Genes de polaridade segmentar
• A expressão é controlada pelos fatores de
transcrição codificados pelos genes de
pair-rule...
 Runt, um dos principais genes pair-rule em
Drosophila.
 É altamente conservada na proteína do
camundongo e na humana.
...
 Nos camundongos, o runt se expressa cedo
no desenvolvimento e controla a
hematopoese a osteogênese.
 Um alelo mutante, ...
A expressão dos genes homeóticos
determina quais estruturas adultas serão
formadas por cada segmento corporal.
Os genes s...
Os genes seletores homeóticos especificam as
partes do corpo adulto
Tab 19.2
GENES HOX EM DROSOPHILA
Complexo Antennapedia...
• Os genes Hox da Drosophila tem duas propriedades comuns.
• Homeobox e Homeodomínio
• 3’ / / 5’
Os genes seletores homeót...
Os genes seletores homeóticos especificam as
partes do corpo adulto
• Gradientes de mRNAs e de proteínas de origem materna...
Genes Hox e doenças genéticas humanas
 Os humanos e a maioria dos vertebrados têm quatro grupamentos de genes Hox
(HOXA, ...
Mutação em HOXD13
Controle da expressão dos genes Hox
• Em Drosophila foram identificados vários genes que controlam a expressão de genes
Ho...
• Nos grupamentos de genes Hox, além dos genes homeóticos, existe uma família
grande e diversificada de outros genes que c...
Nos humanos, há seis genes da família Distal-less que contêm homeoboxes (DLX1 a
DLX6), com uma sequência gênica estreitam...
• Os sequenciamentos genômicos e as análises genéticas de mutantes indicam
que, os mecanismos básicos de desenvolvimento e...
Genes homeóticos em
Arabidopsis
As plantas evoluíram sistemas comparáveis aos
genes Hox dos animais
Três classes de genes homeóticos florais controlam o desenvolvimento dos órgãos
florais.
A formação de cada órgão depend...
TABELA 19.3 GENES SELETORES HOMEÓTICOS EM ARABIDOPSIS
Classe A APETALA (AP1)
APETALA (AP2)
Classe B APETALA (AP3)
PISTILLA...
Divergência evolutiva nos genes homeóticos
• Homeobox e Proteínas MADS-box
• Homologia do gene CURLY LEAF com os membros d...
• As interações célula a célula influi na programação transcricional e na designação
das células circundantes durante o de...
Sistemas de Sinalização usados no Desenvolvimento embrionário de vertebrados primitivos
Via Wnt Dorsalização do corpo/ Des...
• A via de sinalização Notch atua pelo contato direto entre as células para controla o
destino das células no desenvolvime...
• O nematódeo Caenorhabditis elegans é amplamente usado para estudos
genéticos;
• Características do Caenorhabditis elegan...
• A linhagem das células do Caenorhabditis elegans foi mapeada sendo foi mapeado
sendo invariável de indivíduos para indiv...
• A vulva e formada em etapas por varias rodadas de interação célula a célula:
Z1.ppp e Z4.aaa, que interage para formar a...
• Uma segunda rodada de comunicação célula a célula leva á formação da vulva.
• Na fase larval 3 , o gene LIN3 é ativado n...
• Nos humanos há quatro genes Notch que codifica receptores;
• As mutações na via de sinalização Notch são responsável por...
• Os elementos cis-reguladores(CRES), também chamados módulos cis –
reguladores(CRMs).
• Os CRMs contém sítios de ligação ...
Rede de transcrição
Redes transicionais controlam a expressão gênica
no desenvolvimento.
Redes transcricionais na
segmentação de Drosophila
• Um sistema de gradientes materno com
autorredundância que controla di...
Genética do desenvolvimento em organismos modelo cap. 19 klug & cummings
Genética do desenvolvimento em organismos modelo cap. 19 klug & cummings
Genética do desenvolvimento em organismos modelo cap. 19 klug & cummings
Genética do desenvolvimento em organismos modelo cap. 19 klug & cummings
Genética do desenvolvimento em organismos modelo cap. 19 klug & cummings
Genética do desenvolvimento em organismos modelo cap. 19 klug & cummings
Genética do desenvolvimento em organismos modelo cap. 19 klug & cummings
Genética do desenvolvimento em organismos modelo cap. 19 klug & cummings
Genética do desenvolvimento em organismos modelo cap. 19 klug & cummings
Genética do desenvolvimento em organismos modelo cap. 19 klug & cummings
Genética do desenvolvimento em organismos modelo cap. 19 klug & cummings
Genética do desenvolvimento em organismos modelo cap. 19 klug & cummings
Genética do desenvolvimento em organismos modelo cap. 19 klug & cummings
Genética do desenvolvimento em organismos modelo cap. 19 klug & cummings
Genética do desenvolvimento em organismos modelo cap. 19 klug & cummings
Genética do desenvolvimento em organismos modelo cap. 19 klug & cummings
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Genética do desenvolvimento em organismos modelo cap. 19 klug & cummings

2.466 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.466
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
87
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Genética do desenvolvimento em organismos modelo cap. 19 klug & cummings

  1. 1. UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO - UEMA CENTRO DE ESTUDOS SUPERIORES DE CAXIAS - CESC CIÊNCIAS BIOLOGICAS LICENCIATURA GENETICA DO DESENVOLVIMENTO DE ORGANISMOS-MODELOS Adriana Rêgo Anderson Teixeira Jessica Vale Ronison Ferreira Caxias-MA 2014
  2. 2. • Nas plantas e nos animais pluricelulares, um óvulo fertilizado sofre uma serie de eventos; • O desenvolvimento da celular e marcado por 3 fases: Especificação DeterminaçãoDiferenciação
  3. 3. A genética do Desenvolvimento procura explicar como um estado diferenciado se desenvolve a partir de padrões de expressão genômica • Os genomas animais contem dezenas de milhões de genes , mas só um pequeno subgrupo controla os eventos que molda o corpo adulto; • O desenvolvimento e a obtenção de estado diferenciado por todas as células de um organismo; • Hipótese de ativação genica variável.
  4. 4. A conservação evolutiva dos mecanismos de desenvolvimento pode ser estudada por meio de organismos modelos • Existe um pequeno número de mecanismo de desenvolvimento e de sistemas de sinalização usados por todos organismos pluricelulares; • A evolução gerou estratégias novas e diferentes para transforma um zigoto em um adulto.
  5. 5. Organismo modelo no estudo do desenvolvimento 1. Saccharomyces cerevisiae; 2. Drosophila melanogaster; 3. Mus musculus; 4. Danio rerio; 5. Arbidopsis thaliana; • Com exceção das plantas todos as espécies compartilham vias geneticamente reguladas e mecanismo de desenvolvimento humano.
  6. 6. 1. Desenvolvimento do plano do corpo do animal adulto; 2. Programa de expressão genica que transforma celular indiferenciada em diferenciada; 3. Papel da comunicação das células no desenvolvimento. As analises dos mecanismo desenvolvimento
  7. 7. • Distribuição desuniforme do citoplasma; • Os fatores ambientais agora agem sobre o material genético intranuclear, não incluindo apenas o citoplasma mais também sinais provenientes de outras células. Conceitos básicos na genética do desenvolvimento Zigoto Ovócito Espermatozoide Células Filhas Células Diferenciadas Células Indiferenciadas
  8. 8. • Questão central da biologia do desenvolvimento. • Informações oriundas dos estudos de organismos-modelo. • A genética e a análise molecular do desenvolvimento embrionário da Drosophila. Desenvolvimento embrionário em Drosophila
  9. 9. • Após a fertilização, o núcleo do zigoto sofre uma série de replicações de DNA e de divisões nucleares sem citocinese. Panorama do desenvolvimento em Drosophila
  10. 10. Análise genética da embriogênese • As moscas fêmeas homozigotas para mutações deletérias recessivas em genes de feito materno são estéreis e os embriões não recebem produtos gênicos do tipo selvagem de suas mães.
  11. 11. Análise genética da embriogênese • A maioria dos produtos gênicos de efeito materno distribuídos no óvulo durante a ovogênese é ativado após a fertilização e determina o eixo ântero-posterior do embrião.
  12. 12. Os genes zigóticos programam a formação dos segmentos em Drosophila TAB.19.1 Genes de Segmentação em Drosophila GENES GAP GENES PAIR-RULE GENES DE POLARIDADE SEGMENTAR Kruppel hairy engrailed knirps even-skipped wingless hunchback runt cubitis-interruptus giant fushi-tarazul hedgehog tailless odd-paired fused hunckebein odd-skipped armadillo sloppy-paired patched gooseberry paired naked disheveled
  13. 13. Os genes zigóticos programam a formação dos segmentos em Drosophila Genes gap • São ativados ou desativados por produtos gênicos expressos ao longo do eixo ântero-posterior e por ouros genes do sistema materno.
  14. 14. Genes pair-rule • São expressos em bandas (ou listras) estreitas de núcleos que circundam o embrião em sua circunferência. Os genes zigóticos programam a formação dos segmentos em Drosophila
  15. 15. • A transcrição dos genes pair-rule é medida pela ação dos produtos dos genes gap, mas a resolução do padrão de segmentos em faixas altamente delineadas resulta da interação entre os produtos gênicos dos próprios genes pair-- rule Os genes zigóticos programam a formação dos segmentos em Drosophila
  16. 16. Genes de polaridade segmentar • A expressão é controlada pelos fatores de transcrição codificados pelos genes de pair-rule. Os genes zigóticos programam a formação dos segmentos em Drosophila
  17. 17.  Runt, um dos principais genes pair-rule em Drosophila.  É altamente conservada na proteína do camundongo e na humana.  Em humanos, a mutação CBFA, homóloga de runt causa a displasia cleidocranial. Genes de segmentação em camundongos e humanos
  18. 18.  Nos camundongos, o runt se expressa cedo no desenvolvimento e controla a hematopoese a osteogênese.  Um alelo mutante, fenótipo semelhante ao observado em humanos.  Dois alelos mutantes não têm ossos, esqueleto composto apenas por cartilagens. Genes de segmentação em camundongos e humanos
  19. 19. A expressão dos genes homeóticos determina quais estruturas adultas serão formadas por cada segmento corporal. Os genes seletores homeóticos especificam as partes do corpo adulto Genes seletores homeóticos (HOX) em Drosophila
  20. 20. Os genes seletores homeóticos especificam as partes do corpo adulto Tab 19.2 GENES HOX EM DROSOPHILA Complexo Antennapedia Complexo Bithorax labial Ultrabithorax Antennapedia abdominal A Sex comb reduced Abidominal B Deformed proboscipedia
  21. 21. • Os genes Hox da Drosophila tem duas propriedades comuns. • Homeobox e Homeodomínio • 3’ / / 5’ Os genes seletores homeóticos especificam as partes do corpo adulto
  22. 22. Os genes seletores homeóticos especificam as partes do corpo adulto • Gradientes de mRNAs e de proteínas de origem materna • Genes gap • Genes pair-rule • Genes de polaridade segmentar
  23. 23. Genes Hox e doenças genéticas humanas  Os humanos e a maioria dos vertebrados têm quatro grupamentos de genes Hox (HOXA, HOXB, HOXC e HOXD), em um total de 39 genes.  As evidencias de estudos mutacionais em galinhas e em camundongos demonstram que os genes HOXD próximos da extremidade do grupamento 5’ desempenham papéis críticos no desenvolvimento de membros. Os genes seletores homeóticos especificam as partes do corpo adulto
  24. 24. Mutação em HOXD13
  25. 25. Controle da expressão dos genes Hox • Em Drosophila foram identificados vários genes que controlam a expressão de genes Hox. • Controle da expressão de genes de Hox por proteínas codificadas por membros da família Polycomb. • Proteínas trithorax Os genes seletores homeóticos especificam as partes do corpo adulto
  26. 26. • Nos grupamentos de genes Hox, além dos genes homeóticos, existe uma família grande e diversificada de outros genes que contêm homeoboxes, difundida em todos os genomas eucarióticos. • As mutações de Dll produzem grande variedade de fenótipos, inclusive a transformação das antenas em patas e a formação de patas encurtadas, às quais faltam estruturas distais. Cascatas de ações gênicas controlam a diferenciação
  27. 27. Nos humanos, há seis genes da família Distal-less que contêm homeoboxes (DLX1 a DLX6), com uma sequência gênica estreitamente relacionada com a do gene Dll da Drosophila. O gene DLX3 e a condição hereditária da síndrome tricodentoóssea. Cascatas de ações gênicas controlam a diferenciação
  28. 28. • Os sequenciamentos genômicos e as análises genéticas de mutantes indicam que, os mecanismos básicos de desenvolvimento evoluíram independentemente nas plantas e nos animais. • Uso do desenvolvimento da flor de Arabidopsis thaliana, para o estudo padrão da formação nas plantas. As plantas evoluíram sistemas comparáveis aos genes Hox dos animais
  29. 29. Genes homeóticos em Arabidopsis As plantas evoluíram sistemas comparáveis aos genes Hox dos animais
  30. 30. Três classes de genes homeóticos florais controlam o desenvolvimento dos órgãos florais. A formação de cada órgão depende do padrão de expressão de diferentes genes. As plantas evoluíram sistemas comparáveis aos genes Hox dos animais
  31. 31. TABELA 19.3 GENES SELETORES HOMEÓTICOS EM ARABIDOPSIS Classe A APETALA (AP1) APETALA (AP2) Classe B APETALA (AP3) PISTILLATA (P1) Classe C AGAMOUS (AG) As plantas evoluíram sistemas comparáveis aos genes Hox dos animais
  32. 32. Divergência evolutiva nos genes homeóticos • Homeobox e Proteínas MADS-box • Homologia do gene CURLY LEAF com os membros da família gênica Polycomb, e a regulação dos genes Homeobox. As plantas evoluíram sistemas comparáveis aos genes Hox dos animais
  33. 33. • As interações célula a célula influi na programação transcricional e na designação das células circundantes durante o desenvolvimento que são moldadas em C.elegans; • Os animais usam diversas vias de sinalização para regular o desenvolvimento nas etapas iniciais. As interações célula a célula no desenvolvimento são modeladas em C. elegans
  34. 34. Sistemas de Sinalização usados no Desenvolvimento embrionário de vertebrados primitivos Via Wnt Dorsalização do corpo/ Desenvolvimento reprodutivo feminino/ Diferenciação dorsoventrais Via TGF-β Indução da mesoderma/ Assimetria direita-esquerda/ Desenvolvimento Ósseo Via Hedgehog Indução da Notocorda/ Somitogênese/ Mesoderma Intestinal-Visceral Via do Receptor da Tirosina-cinase Manutenção da Mesoderma Via Notch/Delta Desenvolvimento das células sanguíneas/ Neurogênese/ Desenvolvimento da retina
  35. 35. • A via de sinalização Notch atua pelo contato direto entre as células para controla o destino das células no desenvolvimento; • Variação da via Notch controla vários processos de desenvolvimento em Drosophila. A via Notch especifica a destinação de celular em sua população. A via de sinalização Notch
  36. 36. • O nematódeo Caenorhabditis elegans é amplamente usado para estudos genéticos; • Características do Caenorhabditis elegans : 1. Um milímetro de comprimento; 2. Ovulo fertilizado dura em cerca de dois dias; 3. Possuem quatro fazes larvais; 4. Tem dois sexo. Panorama do desenvolvimento de C. elegans
  37. 37. • A linhagem das células do Caenorhabditis elegans foi mapeada sendo foi mapeado sendo invariável de indivíduos para indivíduos através de microfaróis de laser com radiação ultra violeta.
  38. 38. • A vulva e formada em etapas por varias rodadas de interação célula a célula: Z1.ppp e Z4.aaa, que interage para formar as células-ancora da gônadas e outra percussora do útero; • As células Z1.ppp e Z4.aaa sintetizam baixos índices de proteínas de sinalização Delta e da receptora Notch A analise genética da formação da vulva.
  39. 39. • Uma segunda rodada de comunicação célula a célula leva á formação da vulva. • Na fase larval 3 , o gene LIN3 é ativado na célula –âncora. O produto gênico LIN3 é uma proteína-sinal. • Portanto na via de desenvolvimento que leva a formação da vulva em C.elegans , existe três níveis de interação intracelular.
  40. 40. • Nos humanos há quatro genes Notch que codifica receptores; • As mutações na via de sinalização Notch são responsável por vários distúrbios hereditários, inclusive a síndrome de Alagílle. Sistema de sinalização Notch em humanos
  41. 41. • Os elementos cis-reguladores(CRES), também chamados módulos cis – reguladores(CRMs). • Os CRMs contém sítios de ligação para vários fatores de transcrição e geralmente têm vários sítios para cada fator. • A ligação dos fatores de transcrição aos sítios dos CRMs determina se o gene em questão está ativado ou reprimido. Redes transicionais controlam a expressão gênica no desenvolvimento.
  42. 42. Rede de transcrição Redes transicionais controlam a expressão gênica no desenvolvimento.
  43. 43. Redes transcricionais na segmentação de Drosophila • Um sistema de gradientes materno com autorredundância que controla diretamente os eventos de padronização zigótica precoce. Redes transicionais controlam a expressão gênica no desenvolvimento.

×