Humanismo

293 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
293
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Humanismo

  1. 1. PLANO DE AULA 1. IDENTIFICAÇÃO: Curso: Letras/Espanhol Disciplina: Estágio em Ensino de Literaturas de Língua Portuguesa II Orientadora: Silvana Andrade Semestre: 2010.2 Escola: Esc. de Ensino Médio Gov. Adauto Bezerra 1º ano do Ensino Médio Turma P Período: 2010.2 Assunto: Humanismo Data: 20/09/2010 Horário 13:10-14:50 Estagiárias Carla Poennia Gadelha Soares 2. PLANO: Conteúdo Objetivos Recursos: HUMANISMO: - Poesia palaciana; - Teatro; - Prosa. - Identificar as principais diferenças entre a poesia palaciana do Humanismo e as cantigas trovadorescas; - Identificar pontos em comum entre o Auto da Barca do Inferno, de Gil Vicente e o Auto da Compadecida, de Ariano Suassuna bem como perceber as principais características do teatro vicentino. - Conhecer o estilo de Fernão Lopes e ser capaz de se posicionar criticamente em relação à interferência de D. Afonso no romance de Inês de Castro e D. Pedro. - Material fotocopiado - Quadro branco - pincel - apagador - Material de sorteio: DVD Auto da Compadecida e o Livro Auto da Barca do Inferno. 3. PROCEDIMENTOS: Introdução Tempo Desenvolvimento: Tempo Conclusão Tempo Poennia Gadelha
  2. 2. - Breve recapitulação da aula passada, sobre Trovadorismo, para que os alunos possam entender a mudança de mentalidade ocorrida no homem do século XV - Humanismo. - Apresentação das características do Humanismo e citar as produções literárias da época: poesia palaciana, teatro e prosa. 5 min 5 min 1º momento: A poesia palaciana - Explicar as principais características da poesia palaciana, enfatizando as diferenças existentes entre elas e as cantigas trovadorescas. - Apresentar Garcia de Resende a turma como um grande intelectual e admirador das poesias de seu tempo. Seu gosto pelas produções literárias da época teve como consequência a publicação do Cancioneiro Geral. 2º momento: O teatro de Gil Vicente - Evidenciar as principais características do teatro de Gil Vicente. - Comparar o Auto da Barca do Inferno, de Gil Vicente, com o Auto da Compadecida, de Ariano Suassuna. - Propor leitura dramatizada de trechos selecionados. 3º momento: Prosa: Fernão Lopes - Chamar atenção dos alunos para as principais características das crônicas de Fernão Lopes. - Narrar e trágica história de amor de Inês de Castro e D.Pedro. - Dar ênfase as atitudes de D.Afonso IX (pai de D. Pedro): Será que nos dias atuais encontramos pessoas com pensamentos semelhantes ao do rei? - Citar novelas que abordaram essa questão: Caras e Bocas: (Dafne e Daniel);Duas Caras: (Júlia e Evilásio); Senhora do Destino: (Maria Eduarda e Viriato). MOMENTO DE REFLEXÃO: - Preconceito: Pessoas de classes sociais diferentes podem viver uma história de amor? - Por que o homem moderno ainda age de forma semelhante ao homem da Idade Média? - A vingança de D. Pedro foi capaz de minimizar seu sofrimento? 15 min 25 min 30 min - Fazer recapitulação dos principais pontos comentados em sala. - Enfatizar os pontos positivos da participação dos alunos durante a aula. - Fazer chamada. 5 min 5 min 5 min
  3. 3. 4. AVALIAÇÃO: - A estagiária deve avaliar a participação do grupo nas atividades propostas: leitura dramatizada de trechos selecionados e exposição de opinião em relação ao preconceito de classes sociais na atua sociedade. - Os alunos mais participativos ganharão o livro Auto da barca do Inferno e o filme Auto da Compadecida. 5. REFERÊNCIAS: FERREIRA, Valéria Marcelino. Auto da barca do inferno, da Barca o Motor Fora da Borda e da Compadecida sob a Óptica da Moralidade. Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Dissertação em Literatura Portuguesa. 77p. 2008 NICOLA, José de. Português: ensino médio, volume 1. São Paulo: Scipione, 2005.
  4. 4. MATERIAL COMPLEMENTAR AUTO DA BARCA DO INFERNO & AUTO DA COMPADECIDA TRECHO 01: Depois de passar pela barca do diabo chega o Parvo ao Anjo e diz: PARVO: Hou da barca! ANJO: Que me queres? Diga! PARVO: Posso ir contigo? ANJO: Quem és tu? PARVO: Alguém! ANJO:Tu passarás, se quiseres; porque em todos teus fazeres por malícia não erraste. tua simplicidade te permite gozar dos prazeres. TRECHO 04 DIABO: Venhais embora, enforcado! Que te disse Garcia Moniz? ENFORCADO Eu te direi que ele me disse: que fui bem-aventurado em morrer dependurado e disse que o que eu fiz me garantiria a eternidade Seu Garcia Moniz disse que os que morrem como eu fiz são livres de Satanás... DIABO Entra, entra na barca, que has-de-ir ao Inferno!!! TRECHO 02 JOÃO GRILO Quer dizer que posso voltar? MANUEL Pode, João, vá com Deus TRECHO 03 CHICÓ: Ai meu Deus, é João! João, dizei-me o que quereis e se estais no céu, no inferno ou no purgatório! JOÃO GRILO: Olhe a besteira dele! Fica logo com fala de alma: “João, dizeime se estais não sei o quê!” Tenha vergonha, Chicó, estou vivo! TRECHO 05 JOÃO GRILO Eu lhe dou uma oportunidade de conhecer Meu Padrinho Padre Cícero! SEVERINO De conhecer Meu Padrinho? Nunca tive essa sorte. Fui uma vez ao Juazeiro só para conhecê-lo, mas pensaram que eu ia atacar a cidade e fui recebido a bala. JOÃO GRILO Mas pode conhecê-lo agora. SEVERINO Como? JOÃO GRILO Seu cabra lhe dá um tiro de rifle, você vai visitá-lo. Então eu toco na gaita e você volta. SEVERINO E se você não tocar? JOÃO GRILO Não está vendo que eu não faço uma miséria dessa? Garanto que toco.

×