O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

ESTUDO BÍBLICO (EB - 3) GÊNESIS 2.2-4 | O SHABAT

ESTUDO SOBRE O CONCEITO BÍBLICO DO SÁBADO, NO QUAL TODA NOSSA AÇÃO PRECISA ESTAR CONSAGRADA À GLÓRIA DE DEUS!

  • Seja o primeiro a comentar

ESTUDO BÍBLICO (EB - 3) GÊNESIS 2.2-4 | O SHABAT

  1. 1. ESTUDO BÍBLICO (E.B – 3) GENESIS 2.2-3 – O SABADO • UM ESTUDO SOBRE A INSTITUIÇÃO DO SABADO E O SEU VERDADEIRO PROPOSITO EM CONSONACIA COM A SAGRADA ESCRITURA PROJETO AVIVAMENTO PELO ESTUDO DA SAGRADA ESCRITURA Propagando o conhecimento da Escritura Sagrada na íntegra S O B R E O S A B A D O B Í B L I C O VII 2
  2. 2. NO PRINCÍPIO CRIOU Antes de nascerem os montes e de criares a terra e o mundo, de eternidade a eternidade tu és Deus. Salmos 90:2 O teu trono está firme desde a antigüidade; tu existes desde a eternidade. Salmos 93:2 ESSA DECLARAÇÃO REFUTA ALGUMAS FILOSOFIAS: O ATEÍSMO – POIS HÁ UM DEUS CRIADOR Diz o tolo em seu coração: "Deus não existe! " Corromperam-se e cometeram injustiças detestáveis; não há ninguém que faça o bem. Salmos 53:1 O POLITEÍSMO – POIS HÁ SOMENTE UM DEUS Eu sou o Senhor, e não há nenhum outro; além de mim não há Deus. Eu o fortalecerei, ainda que você não tenha me admitido, Isaías 45:5 O EVOLUCIONISMO – POIS O MUNDO NÃO CRIOU A SI MESMO Todas as coisas foram feitas por intermédio dele; sem ele, nada do que existe teria sido feito. João 1:3 O MATERIALISMO – POIS A MATÉRIA NÃO É ETERNA Quantas são as tuas obras, Senhor! Fizeste todas elas com sabedoria! A terra está cheia de seres que criaste. Eis o mar, imenso e vasto. Nele vivem inúmeras criaturas, seres vivos, pequenos e grandes. Nele passam os navios, e também o Leviatã, que formaste para com ele brincar. Todos eles esperam em ti para que lhes dês o alimento no tempo certo; tu lhes dás, e eles o recolhem, abres a tua mão, e saciam-se de coisas boas. Quando escondes o rosto, entram em pânico; quando lhes retiras o fôlego, morrem e voltam ao pó. Quando sopras o teu fôlego, eles são criados, e renovas a face da terra. Perdure para sempre a glória do Senhor! Alegre-se o Senhor em seus feitos! Ele olha para a terra, e ela treme, toca os montes, e eles fumegam. Cantarei ao Senhor toda a minha vida; louvarei ao meu Deus enquanto eu viver. Salmos 104:24-33 O EXISTENCIALISMO – HOUVE UM PROPOSITO NA CRIAÇÃO Ele é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação, pois nele foram criadas todas as coisas nos céus e na terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos ou soberanias, poderes ou autoridades; todas as coisas foram criadas por ele e para ele. Ele é antes de todas as coisas, e nele tudo subsiste. Ele é a cabeça do corpo, que é a igreja; é o princípio e o primogênito dentre os mortos, para que em tudo tenha a supremacia. Pois foi do agrado de Deus que nele habitasse toda a plenitude, e por meio dele reconciliasse consigo todas as coisas, tanto as que estão na terra quanto as que estão no céu, estabelecendo a paz pelo seu sangue derramado na cruz. Colossenses 1:15-20
  3. 3. DEUS – ELOHIM PLURAL DE ELOAH – “MAJESTOSO” “M” = PLURAL TRINDADE O TERMO “TRINDADE” NÃO ESTÁ ESCRITO NA BÍBLIA, MAS ELE DEFINE A NATUREZA DIVINA TRIUNA; DA MESMA FORMA COMO OS TERMOS OMIPRESENÇA; ONISCIENCIA E ONIPRESENÇA TAMBÉM NÃO ESTÃO, MAS A BÍBLIA NOS DECLARA AMPLAMENTE QUE ESTES SÃO OS ATRIBUTOS INCOMUNICAVEIS E EXCLUSIVOS DE DEUS!
  4. 4. Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, MT 28.19 A graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a comunhão do Espírito Santo sejam com todos vocês. 2 Coríntios 13:14 A V E R D A D E B Í B L I C A D A T R I N D A D E R E F U T A T A I S H E R E S I A S
  5. 5. EVIDÊNCIA BÍBLICA DA DEIDADE DE CADA PESSOA DA TRINDADE O PAI É DEUS Não trabalhem pela comida que se estraga, mas pela comida que permanece para a vida eterna, a qual o Filho do homem lhes dará. Deus, o Pai, nele colocou o seu selo de aprovação". João 6:27 O FILHO É DEUS No princípio era aquele que é a Palavra. Ele estava com Deus, e era Deus. João 1:1 O ESPÍRITO É DEUS Então perguntou Pedro: "Ananias, como você permitiu que Satanás enchesse o seu coração, a ponto de você mentir ao Espírito Santo e guardar para si uma parte do dinheiro que recebeu pela propriedade? Ela não lhe pertencia? E, depois de vendida, o dinheiro não estava em seu poder? O que o levou a pensar em fazer tal coisa? Você não mentiu aos homens, mas sim a Deus". Atos 5:3,4 Assim que Jesus foi batizado, saiu da água. Naquele momento os céus se abriram, e ele viu o Espírito de Deus descendo como pomba e pousando sobre ele. Então uma voz dos céus disse: "Este é o meu Filho amado, em quem me agrado". Mateus 3:16,17
  6. 6. TEORIAS QUE DISCUTEM A CRIAÇÃO EVOLUÇÃO TEÍSTA – tenda conciliar a bíblia ás modernas concepções evolucionistas CRIACIONISMO PROGRESSIVO – procura adaptar alguns pontos do evolucionismo dentro da narrativa criacionista TEORIA DA LACUNA – tenta propor uma lacuna entre Gn 1.1 e Gn 1.2 (associando as palavras Tohu e Bohu “vazio e desocupado” com as imagens de destruição conforme constam em Is 34,11; 45,18 e Jr 4,23 para justificar que Deus não teria criado a terra “destruída” no entanto, diferentemente daqueles textos, o texo de Gn 1.2 não fala em terra destruída e sim em terra ainda sem forma; e ainda torce a palavra Haya “era” para fazer significar “tornou-se” o que não é sustentado pelo texto), na qual insere as Eras geológicas conforme as teorias evolucionistas e ainda propõe teorias como: o diluvio de lucífer e da “recriação” da terra; o que não é mencionado em qualquer outro texto sagrado! CRIACIONISMO FIAT – O conceito mais ortodoxo, encara o texto bíblico como prioritariamente literal. Afirmando que a terra foi criada jovem, mas com todas as características que, se analisadas separadamente, podem levar equívocos tais como a teorização da quantidade de tempo que seria necessário para que tais elementos se desenvolvessem “naturalmente” o que na verdade não ocorreu, uma vez que tudo foi conduzido por uma inteligência superior “design inteligente” e em seis dias cronológicos, conforme nos é indicado por outros textos bíblicos: “Pois em seis dias o Senhor fez os céus e a terra, o mar e tudo o que neles existe, mas no sétimo dia descansou. Portanto, o Senhor abençoou o sétimo dia e o santificou. Êxodo 20:11” e conforme é demonstrado pelo termo yom no hebraico ser numerado. Significado de Fiat substantivo masculino Usa-se no sentido de faça-se, seja, consinto nisso.
  7. 7.  Era a terra sem forma e vazia; trevas cobriam a face do abismo, e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas. Gênesis 1:2 sem forma e vazia – TOHU; BOHU = VAZIA E DESOCUPADA os textos de Is 34,11; 45,18 e Jr 4,23 se baseiam nesse “vazio” para exemplificar o resultado de uma destruição; mas não é o caso daqui (Gn 1,2) pois o verbo “Haya” está relacionado a “estava” e não a “tornar-se” trevas cobriam a face do abismo – HOSEKH, essas trevas estão associadas à desordem e serão eliminadas pela LUZ vinda de Deus. e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas – o Espirito Santo esta presente desde muito antes do Pentecostes e é o elemento vivificador de todo o universo: “Todos eles esperam em ti para que lhes dês o alimento no tempo certo; tu lhes dás, e eles o recolhem, abres a tua mão, e saciam-se de coisas boas. Quando escondes o rosto, entram em pânico; quando lhes retiras o fôlego, morrem e voltam ao pó. Quando sopras o teu fôlego, eles são criados, e renovas a face da terra.” Salmos 104:27-30  Disse Deus: "Haja luz", e houve luz. Deus viu que a luz era boa, e separou a luz das trevas. Deus chamou à luz dia, e às trevas chamou noite. Passaram-se a tarde e a manhã; esse foi o primeiro dia. Gênesis 1:3-5 Haja luz – Deus não necessita dos astros para fornecer LUZ à sua criação, sendo estes criados apenas no 4º dia 1. Todas as coisas foram feitas por intermédio dele; sem ele, nada do que existe teria sido feito. Nele estava a vida, e esta era a luz dos homens. João 1:3,4 2. Pois Deus que disse: "Das trevas resplandeça a luz", ele mesmo brilhou em nossos corações, para iluminação do conhecimento da glória de Deus na face de Cristo. 2 Coríntios 4:6 3. A cidade não precisa de sol nem de lua para brilharem sobre ela, pois a glória de Deus a ilumina, e o Cordeiro é a sua candeia. As nações andarão em sua luz, e os reis da terra lhe trarão a sua glória. Apocalipse 21:23,24
  8. 8. 2. Aguas da terra e aguas da atmosfera, vapor. Depois disse Deus: "Haja entre as águas um firmamento que separe águas de águas".Então Deus fez o firmamento e separou as águas que estavam embaixo do firmamento das que estavam por cima. E assim foi.Ao firmamento Deus chamou céu. Passaram-se a tarde e a manhã; esse foi o segundo dia. Gênesis 1:6-8 3. A vida começa na terra com os vegetais, e cada um segundo sua espécie. E disse Deus: "Ajuntem-se num só lugar as águas que estão debaixo do céu, e apareça a parte seca". E assim foi.À parte seca Deus chamou terra, e chamou mares ao conjunto das águas. E Deus viu que ficou bom. Então disse Deus: "Cubra- se a terra de vegetação: plantas que dêem sementes e árvores cujos frutos produzam sementes de acordo com as suas espécies". E assim foi. A terra fez brotar a vegetação: plantas que dão sementes de acordo com as suas espécies, e árvores cujos frutos produzem sementes de acordo com as suas espécies. E Deus viu que ficou bom. Passaram-se a tarde e a manhã; esse foi o terceiro dia. Gênesis 1:9-13 4. Os corpos celestes, (sol e lua) como substituto temporário a luz primordial que vem de Deus. Disse Deus: "Haja luminares no firmamento do céu para separar o dia da noite. Sirvam eles de sinais para marcar estações, dias e anos, e sirvam de luminares no firmamento do céu para iluminar a terra". E assim foi. Deus fez os dois grandes luminares: o maior para governar o dia e o menor para governar a noite; fez também as estrelas. Deus os colocou no firmamento do céu para iluminar a terra, governar o dia e a noite, e separar a luz das trevas. E Deus viu que ficou bom. Passaram-se a tarde e a manhã; esse foi o quarto dia. Gênesis 1:14- 19 5. Surgimento dos peixes e das aves, sempre respeitando a barreira das espécies conforme visto nas microevoluções. Disse também Deus: "Encham-se as águas de seres vivos, e sobre a terra voem aves sob o firmamento do céu". Assim Deus criou os grandes animais aquáticos e os demais seres vivos que povoam as águas, de acordo com as suas espécies; e todas as aves, de acordo com as suas espécies. E Deus viu que ficou bom.Então Deus os abençoou, dizendo: "Sejam férteis e multipliquem-se! Encham as águas dos mares! E multipliquem-se as aves na terra". Passaram-se a tarde e a manhã; esse foi o quinto dia. Gênesis 1:20- 23 6. Criação dos animais terrestres do cão ao dinossauro em obediência a ordenança de Deus e também o homem formado do pó da terra e soprado nele o espírito. As fontes das profundezas e as comportas do céu se fecharam, e a chuva parou. Gênesis 8:2 O PROPÓSITO DA CRIAÇÃO Aleluia! Louvem o Senhor desde os céus, louvem-no nas alturas! Louvem-no todos os seus anjos, louvem- no todos os seus exércitos celestiais. Louvem-no sol e lua, louvem-no todas as estrelas cintilantes. Louvem-no os mais altos céus e as águas acima do firmamento. Louvem todos eles o nome do Senhor, pois ordenou, e eles foram criados. Ele os estabeleceu em seus lugares para todo o sempre; deu-lhes um decreto que jamais mudará. Louvem o Senhor, vocês que estão na terra, serpentes marinhas e todas as profundezas, relâmpagos e granizo, neve e neblina, vendavais que cumprem o que ele determina, todas as montanhas e colinas, árvores frutíferas e todos os cedros, todos os animais selvagens e os rebanhos domésticos, todos os demais seres vivos e as aves, reis da terra e todas as nações, todos os governantes e juízes da terra, moços e moças, velhos e crianças. Louvem todos o nome do Senhor, pois somente o seu nome é exaltado; a sua majestade está acima da terra e dos céus. Ele concedeu poder ao seu povo, e recebeu louvor de todos os seus fiéis, dos israelitas, povo a quem tanto ama. Aleluia! Salmos 148:1-14
  9. 9. 2. O número da plenitude, Deus cessa a atividade criativa, mas não o trabalho (Disse-lhes Jesus: "Meu Pai continua trabalhando até hoje, e eu também estou trabalhando". Jo 5.17) Deus descansou no sábado e orientou a Israel entrar no descanso de Deus; o qual temos encontrado em Cristo; o nosso sábado, nosso descanso: sabemos que o ninguém é justificado pela prática da lei, mas mediante a fé em Jesus Cristo. Assim, nós também cremos em Cristo Jesus para sermos justificados pela fé em Cristo, e não pela prática da lei, porque pela prática da lei ninguém será justificado. Gálatas 2:16 7
  10. 10. http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao6-odm-1tr15-santificaras-o-sabado.htm . http://estudaalicaoebd.blogspot.com.br/2015/01/6-licao-1-trimestre-2015-santificaras-o.html ELABORADO: Pb Alessandro Silva (http://estudaalicaoebd.blogspot.com.br/) com algumas modificações do Ev. Luiz Henrique
  11. 11. O SABADO AO LONGO DA SAGRADA ESCRITURA Gn 2.2-3 No sétimo dia Deus já havia concluído a obra que realizara, e nesse dia descansou. Abençoou Deus o sétimo dia e o santificou, porque nele descansou de toda a obra que realizara na criação. Êx 16.29,30 Vejam que o Senhor lhes deu o sábado; e por isso, no sexto dia, ele lhes dá pão para dois dias. No sétimo dia, fiquem todos onde estiverem; ninguém deve sair". Então o povo descansou no sétimo dia. Êx 23.12 "Em seis dias façam os seus trabalhos, mas no sétimo não trabalhem, para que o seu boi e o seu jumento possam descansar, e o seu escravo e o estrangeiro renovem as forças. Rm 14.5,6 Há quem considere um dia mais sagrado que outro; há quem considere iguais todos os dias. Cada um deve estar plenamente convicto em sua própria mente. Aquele que considera um dia como especial, para o Senhor assim o faz. Aquele que come carne, come para o Senhor, pois dá graças a Deus; e aquele que se abstém, para o Senhor se abstém, e dá graças a Deus. Cl 2.16,17 Portanto, não permitam que ninguém os julgue pelo que vocês comem ou bebem, ou com relação a alguma festividade religiosa ou à celebração das luas novas ou dos dias de sábado. Estas coisas são sombras do que haveria de vir; a realidade, porém, encontra-se em Cristo. Hb 4.8 Porque, se Josué lhes tivesse dado descanso, Deus não teria falado posteriormente a respeito de outro dia.
  12. 12. O SÁBADO DA CRIAÇÃO • O SHABAT. O substantivo hebraico shabbat, "sábado", ou sábbaton, em grego, "sábado, semana", indica no calendário de Israel o sétimo dia da semana marcado pelo descanso do trabalho para cerimônias religiosas especiais, além de significar um período de sete dias, uma semana (BAUER, 2000, p. 909). O termo shabbãtôn significa "sabatismo, guarda ou observância do sábado", pois a desinência -ôn é característica de substantivo abstrato. Ele aparece no relato da criação: "E, havendo DEUS acabado no dia sétimo a sua obra, que tinha feito, descansou no sétimo dia de toda a sua obra, que tinha feito.Esequias Soares. Os Dez Mandamentos. Valores Divinos para uma Sociedade em Constante Mudança. Editora CPAD. pag. 62. • A palavra hebraica sabbat significa descanso ou cessação; provavelmente está relacionada à forma verbal sbt, que significa “trazer a um fim”. A palavra grega na Septuaginta é a forma transliterada do hebraico sabbaton, que pode significar especificamente o sábado ou pode referir- se a uma semana inteira. CHAMPLIN, Russell Norman, Enciclopédia de Bíblia Teologia e Filosofia. Vol. 6. Editora Hagnos. pag. 2. • SÁBADO. (cessação, descanso', LXX, sábado, semana). O dia da semana de descanso e adoração dos hebreus, que era observado no sétimo dia da semana, começando ao por do sol na sexta-feira e terminando ao por do sol no sábado. MERRILL C. TENNEY. Enciclopédia da Bíblia. Editora Cultura Cristã. Vol. 6. pag. 266.
  13. 13. O SÁBADO INSTITUCIONAL • Aqui está a base do sábado institucional e do sábado legal. DEUS completou a sua obra da criação no sétimo dia. Duas vezes o texto sagrado declara que DEUS "descansou" ou seja, cessou, esse é o significado do verbo hebraico usado aqui, shãbat, cessar, desistir, descansar" (Gn 8.22; Jó 32.1; Ez 16.41). • Descansar é sinônimo de cessar de criar. Esse repouso indica a obra concluída e não ociosidade, pois DEUS não pára nem se cansa (Is 40.28; Jo 5.17). Ele continua sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder (Hb 1.3). O Senhor JESUS também assentou-se à destra de DEUS depois de concluir a obra da redenção (Hb 8.1; 10.12). • Segundo Umberto Cassuto, um estudo cuidadoso desse versículo mostra que "sétimo dia" é a forma correta (1998, p. 61).O substantivo hebraico shabbat, "o dia de sábado", não aparece aqui; sua primeira ocorrência acontece no relato do maná (Êx 16.23). Mas este termo vem da raiz do verbo "descansar", shãbat. Foram descobertos tabletes em que revelam o shabatu, como os dias 7o, 14°, 21° e 28°, que segundo o registro dessas inscrições ocupavam espaço destacado no calendário mesopotâmio. Neles havia restrições a diversos tipos de trabalho, já que o dia era dedicado aos deuses (TENNEY, vol. 5, 2008, p. 267). O sábado dos israelitas era o dia de descanso reservado a cada seis dias de trabalho para todo o povo; entretanto, o shabatu era computado com base nas quatro fases da lua.
  14. 14. OS PATRIARCAS NÃO GUARDARAM O SÁBADO. • O livro de Gênesis não menciona os patriarcas Abraão, Isaque e Jacó observando o sábado. Segundo Justino, o Mártir, Abraão e seus descendentes até o Sinai agradaram a DEUS sem o sábado (Diálogo com Trifão 19.5). Irineu de Lião diz que Abraão, "sem circuncisão e sem observância do sábado, acreditou em DEUS e lhe foi imputado a justiça e foi chamado amigo de DEUS" (Contra as Heresias, Livro IV, 16.2). O sábado institucional não era mandamento nem havia imposição sobre a sua observância; talvez, seja essa a razão de aos poucos ter caído no esquecimento. A linguagem do quarto mandamento "Lembra-te do dia de sábado" (Êx 20.8) reforça a ideia de que não se trata de uma instituição nova, mas existente desde a criação. Esequias Soares. Os Dez Mandamentos. Valores Divinos para uma Sociedade em Constante Mudança. Editora CPAD. pag. 68
  15. 15. O SÁBADO LEGAL • SIGNIFICADO. • O sábado legal é exclusividade dos israelitas e nenhum povo da terra recebeu tal responsabilidade, nem mesmo a Igreja (Êx 31.13-17). A adoração no tabemáculo acontecia semanalmente e isso justifica a instrução da lei do sábado na presente seção que aborda a ordem do culto e demais serviços no tabemáculo. O tema do sábado havia sido tratado por ocasião do maná (Êx 16.23-30) e no quarto mandamento (Êx 20.8-11); no entanto, Javé retoma o assunto aqui para que o presente preceito seja observado de maneira apropriada.A observância do sábado legal é perpétua, sob pena de morte para quem violar (vv. 14-6) e isso por se tratar de um sinal entre Javé e Israel (Êx 31.13, 17). Não é mandamento para todos os povos nem para a Igreja. É o segundo sinal para os israelitas, que já tinham a circuncisão como primeiro sinal desse concerto (Gn 17.10-14). Ao longo dos séculos, os judeus trataram esses dois preceitos com a mesma atenção. O Decálogo registrado em Deuteronômio apresenta o sábado como memorial da saída dos israelitas do Egito: "Porque te lembrarás que foste servo na terra do Egito e que o SENHOR, teu DEUS, te tirou dali com mão forte e braço estendido; pelo que o SENHOR, teu DEUS, te ordenou que guardasses o dia de sábado" (Dt 5.15). O sábado legal é mandamento exclusivo para o povo de Israel.Esequias Soares. Os Dez Mandamentos. Valores Divinos para uma Sociedade em Constante Mudança. Editora CPAD. pag. 68-69.
  16. 16. P RO P Ó S I TO. • A instituição do sábado legal no Decálogo tinha o propósito duplo, social e espiritual, de cessar os trabalhos a cada seis dias de labor para dar descanso aos seres humanos e aos animais e dedicar um dia inteiro para adoração a DEUS: Lembra- te do dia do sábado, para o santificar. Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra, mas o sétimo dia é o sábado do SENHOR, teu DEUS; não farás nenhuma obra, nem tu, nem o teu filho, nem a tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o teu estrangeiro que está dentro das tuas portas. Porque em seis dias fez o SENHOR os céus e a terra, o mar e tudo que neles há e ao sétimo dia descansou; portanto, abençoou o SENHOR o dia do sábado e o santificou (Êx 20.8-11).Esequias Soares. Os Dez Mandamentos. Valores Divinos para uma Sociedade em Constante Mudança. Editora CPAD. pag. 66. • A razão apresentada no versículo 15 para a observância do sábado é diferente daquela apresentada em Êxodo 20: 11. Aqui o propósito é a recordação da libertação do Egito. Se Israel recordasse seus próprios dias de servidão, seria estimulado a tratar com misericórdia qualquer homem, mulher ou animal envolvido em serviço diário (cf. 15: 15; 16: 12; 24: 18, 22). Em Êxodo a razão oferecida é que o sábado fora um dia santo desde a criação (Êx 20: 11; cf. Gn 2: 2, 3). Havia assim duas boas razões para a guarda do sábado. • Este mandamento tem apresentado muitos problemas para os cristãos. As declarações de JESUS (Mc 2: 27, 28) de que o sábado fora feito por causa do homem e não o homem por causa do sábado, e que Ele, o Filho do Homem, era Senhor do sábado, removeram para sempre a lei das restrições doentias impostas pelos rabis. O primeiro dia da semana nos oferece oportunidade de comemorar a ressurreição de CRISTO, que nos possibilitou a libertação da servidão ao pecado (cf. versículo 12), e a renovação da vida por meio de uma nova criação (cf. Êx 20:10,11). (Observação minha - Ev. Luiz Henrique - Sendo que a observância do Domingo nunca pode ser vista ou praticada com o fim de justificação perante DEUS como osábado judaico).I. A. Thompson. Deuteronômio Introdução e Comentário. Editora Vida Nova. pag. 42.
  17. 17. SANTIFICARÁS O SÁBADO • A palavra "sábado" é um termo hebraico e significa "sétimo". O mandamento do descanso foi instituído por DEUS, em primeiro lugar, para que o ser humano pudesse descansar. Lembre de que o contexto do advento da lei era a libertação da escravidão de Israel no Egito. Como escravos, os hebreus não tinham descanso, eram explorados diuturnamente a fim de produzir mais e mais para o império de Faraó. Este via os judeus como números ou objetos necessários para enriquecerem ainda mais o Palácio. O Faraó não via os hebreus como pessoas que precisavam descansar e recarregar as energias porque eram pessoas, gente que precisava de dignidade. Apesar de Faraó não ver os israelitas como seres humanos, o DEUS de Abraão, o DEUS de Isaque e o DEUS de Jacó contemplou todo esse processo de escravidão humana. E ouviu o clamor do seu povo! Por razões culturais, religiosas e teológicas as três principais religiões monoteístas do mundo guardam um dia da semana como o significado de descanso e reverência a uma só divindade: os judeus, o Sábado; os árabes, a Sexta-Feira; os cristãos, o Domingo. Mais que discutir o dia do descanso, o importante é observarmos o sentido do Sábado, o seu descanso e a sua reverência para o Criador dos Céus e da Terra. Ora, para nós, que confessamos JESUS como Salvador, o domingo é o dia do Senhor. Observamos o domingo porque foi o dia em que JESUS de Nazaré ressuscitou dos mortos, a Igreja Primitiva se reunia para comer o pão e confraternizar-se com alegria e singeleza de coração. Não é verdade que foi Constantino quem inventou o Domingo, o imperador romano apenas o legitimou e oficializou uma prática de mais de três séculos guardada pela comunidade cristã primitiva. Não tenha esta pergunta como legalista, mas o que estamos fazendo com o dia do Senhor? Salva as exceções, o dia de descanso oficial no mundo ocidental é o domingo. Numa perspectiva bíblica e evangélica, neste dia deveríamos dedicar-nos a meditação espiritual, adoração ao Senhor com os irmãos, o convívio com a família e a visita aos enfermos. Um dia para se viver em comunidade! Não mero ativismo religioso onde pessoas se cansam mais do que no trabalho secular. A lição desta semana não pode se deter apenas em assuntos periféricos, tais como "os adventistas estão certos ou errados" ou em "sermos ou não legalistas". O sentido desta lição é mais do que esse. É fazermos uma pergunta honesta: O que estamos fazendo com o dia do Senhor? E com a nossa vida e saúde? Revista ensinador. Editora CPAD. pag. 39.
  18. 18. • Êx 20.8 - LEMBRA-TE DO DIA DO SÁBADO. O dia do Senhor no AT era o sétimo dia da semana. Santificar aquele dia importava em separá-lo como um dia diferente dos demais, cessando o labor para descansar, servir a DEUS e concentrar-se nas coisas respeitantes à eternidade, à vida espiritual e à glória de DEUS (vv. 9-11; Gn 2.2,3). • (1) A observância do dia do Senhor por Israel era um sinal de que ele pertencia a DEUS (31.13). • (2) Lembrava-lhes o seu livramento da escravidão do Egito (Dt 5.15; ver Mt 12.1) BEP - CPAD • Ne 13.17 - PROFANANDO O DIA DE SÁBADO. O povo de DEUS permitiu aqui que seus interesses comerciais e a busca de coisas materiais destruíssem sua obediência ao mandamento de DEUS, no tocante ao dia de descanso. Os crentes do NT devem sempre tomar cuidado contra a tentação de deixar que a busca de riquezas e sucesso suplante seu desejo de honrar e adorar a DEUS, como Ele estabeleceu. Devemos buscar "primeiro o Reino de DEUS, e a sua justiça" (Mt 6.33; ver 12.1). BEP - CPAD • Am 8.5 - O SÁBADO. Os comerciantes eram tão materialistas que ficavam ansiosos pelo término do sábado a fim de voltarem rapidamente aos seus negócios. Perguntemos a nós mesmos: "Estou tão dedicado aos lucros que já não tenho nenhuma solicitude pela Palavra de DEUS nem pela promoção do seu reino?" Segundo o próprio JESUS, não podemos servir a DEUS e ao dinheiro ao mesmo tempo (ver Mt 6.24). BEP - CPAD • SÁBADO. O sábado semanal (gr. sabbaton, que significa repouso , cessação ) era o sétimo dia da semana, separado pela lei de Moisés como dia de descanso do trabalho normal, para repouso pessoal e adoração ao Senhor (Êx 20.10; Dt 5.14; ver Êx 20.8). Para o cristão, o sábado judaico já não é obrigatório. As exigências cerimoniais da lei foram canceladas na morte de CRISTO (Cl 2.14, 16; Rm 14.5,6; Gl 4.9-11). Além disso, o sábado como dia fixo semanal de descanso foi parte do pacto entre DEUS e Isaque, somente (Êx 31.13,17; Ez 20.12,20). Domingo foi o dia em que JESUS ressurgiu dentre os mortos, sendo chamado no NT de o dia do Senhor . O propósito espiritual de um dia de descanso em sete é benéfico ao cristão. No AT esse dia era visto como uma cessação do labor e ao mesmo tempo um dia dedicado a DEUS; um período para se conhecer melhor a DEUS e adorá-lo; uma oportunidade para dedicar-se em casa e em público às coisas de DEUS (Nm 28.9; Lv 24.8). JESUS nunca ab-rogou o princípio de um dia de descanso para o homem. O que Ele reprovou foi o abuso dos líderes judaicos quanto à guarda do sábado (vv. 1-8; Lc 13.10-17; 14.1-6). JESUS indica que o dia de descanso semanal foi dado por DEUS para o bem-estar espiritual e físico do homem (Mc 2.27). BEP - CPAD
  19. 19. Em Defesa da Observação do Sábado 1. DEUS santificou o dia (Gên. 2.2).2. O dia tornou-se um sinal do Pacto Mosaico e o quarto mandamento (Êxo. 19; 20.11).3. JESUS e a igreja inicial praticavam a celebração, como demonstram várias referências das Escrituras em Atos. Ver Atos 2.46; 5.42; 9.20; 13.14; 14.1; 17.1,2,10; 18.44. A mudança do dia sagrado para o domingo fez parle da apostasia inicial da igreja, particularmente da Igreja Católica Romana.5. A celebração do dia não é legalista, pois foi estabelecida antes da lei, por ato do próprio DEUS, que foi o primeiro a observar o sábado. A Crítica à Celebração do Sábado A. O simples fato de que o sábado era o sinal do Pacto Mosaico mostra que ele não pertence ao Novo Pacto. A celebração do sábado é uma forma de legalização que Paulo refutou, pois os crentes não estão sob a lei (Rom. 6.14; Gál. 3.10-23). B. Naturalmente, a igreja inicial, especialmente na Palestina, celebrava o sábado, pois essa prática descendia das raizes judaicas. Houve um período de transição da antiga à nova ordem das coisas. À medida que a igreja se espalhava aos paises gentios, a celebração do sábado perdeu força e praticamente desapareceu. Apo. 1.10 mostra que, mesmo na época dos apóstolos, o domingo, dia do Senhor, substituía o sábado antigo. Ver sob Dia do Senhor, C. Se uma mudança do sábado para o domingo como um dia especial (seja ou não este considerado o “sábado cristão (se guardado por alguém)”) foi um ato de apostasia, isso ocorreu muito antes da formação da Igreja Catóica Romana. O Didache (150 d. C.), uma espécie de manual de ética e doutrina do cristianismo inicial, fala sobre o domingo como o dia no qual os cristãos se reuniam para o louvor e a oração. O mesmo é real sobre os escritos de Hipólito (160 d. C.) e Clemente de Alexandria (200 d. C.).
  20. 20. • INVERTENDO AS PERGUNTAS • Invertemos as perguntas que nos fazem os sabatistas quando lêem mandamento por mandamento do decálogo, com a pergunta repetida se cada um deles pode ou não ser violado. Podemos então indagar ao sabatista: • “Podiam os sacerdotes no templo ter outros deuses diante de DEUS (Ex 20.3) e ficar sem culpa? A resposta óbvia dos adventistas é:“não!”. • “Podiam os sacerdotes no templo fazer imagem de escultura…“ e se encurvar a elas “? (Ex 20.4,5) e ficar sem culpa? A resposta deles é: não! “Podiam os sacerdotes no templo tomar o nome do SENHOR em vão e ficar sem culpa? A resposta dos sabatistas é: não. • “Podiam os sacerdotes no templo desonrar pai e mãe e ficar sem culpa? A resposta dos sabatistas é: não.“Podiam os sacerdotes no templo matar no templo e ficar sem culpa? A resposta dos sabatistas é: não. • “Podiam os sacerdotes no templo adulterar e ficar sem culpa? A resposta dos sabatistas é: não. • “Podiam os sacerdotes no templo furtar e ficar sem culpa? A resposta dos sabatistas é: não.“Podiam os sacerdotes no templo dizer falso testemunho e ficar sem culpa? A resposta dos sabatistas é: não. • “Podiam os sacerdotes no templo cobiçar a mulher do próximo e ficar sem culpa? A resposta dos sabatistas é: não. E VIOLAR O SÁBADO? - SIM. OS SACERDOTES PODIAM VIOLAR O SÁBADO NO TEMPLO E FICAR SEM CULPA. • Com isto não concordam, naturalmente, os adventistas que se curvam à autoridade de sua profetisa Ellen Gould White. Ela escreveu: “Santificar o sábado ao Senhor importa em salvação eterna” (Testemunhos Seletos, vol. III, p. 22 – 2a edição, 1956).http://www.cacp.org.br/podemos-violar-o-sabado/ • Os sacerdotes no templo realizavam uma grande quantidade de trabalhos servis no sábado judaico; matando, esfolando e queimando os animais sacrificados, o que, em uma situação normal, seria profanar o sábado judaico; ainda assim, isto nunca foi reconhecido como transgressão ao quarto mandamento, porque o serviço do templo o exigia e justificava. Isso dá a entender que no sábado judaico são lícitos os trabalhos que são necessários, não apenas para o sustento da vida, mas para a adoração; como tocar um sino para convocar a congregação, ir até ao templo e coisas semelhantes. O descanso do sábado deve promover, e não impedir, a adoração no sábado.HENRY. Matthew. Comentário Matthew Henry Novo Testamento MATEUS A JOÃO Edição completa. Editora CPAD. pag. 148.
  21. 21. A CIRCUNCISÃO NO SÁBADO. • João – 7.21-24 • Ora, se um homem recebe a circuncisão no sábado, para que a lei de Moisés não seja violada, como vos indignais contra mim, porque no sábado tornei um homem inteiramente são? Frequentemente JESUS enfrentava polêmica com os judeus por causa do sábado. Os judeus eram ferrenhos guardadores do sábado e sempre estavam discutindo com JESUS sobre o assunto.O que é admirável no texto é JESUS afirmar que a guarda do sábado fica subordinada à circuncisão. Uma criança que devesse ser circuncidada no oitavo dia do seu nascimento (Gn 17.10; Lv 12.3; Jo. 7:21-24) para que a Lei não ficasse invalidada, colocava a guarda do dia em posição inferior à circuncisão. Se a circuncisão é de valor secundário, inexpressivo, e nenhum cristão hoje a pratica, como terá a guarda do sábado como preceito? Os adventistas e sua profetiza ensinavam que a guarda do sábado implicava em salvação. O ensino de JESUS sobre o sábado é diferente, Ele é Senhor do Sábado.
  22. 22. JESUS É O SENHOR DO SÁBADO (MC 2.28). • A frase "Assim, o Filho do Homem até do sábado é senhor" (Mc 2.28) e as passagens paralelas (Mt 12.8; Lc 6.5) são disputadas pelos expositores do Novo Testamento. Há duas linhas principais de interpretação: • a) a autoridade sobre o sábado foi conferida aos seres humanos, e • b) trata-se do próprio Senhor JESUS. A primeira nos parece menos aceitável porque DEUS nunca delegou autoridade sem limites aos humanos e, também, porque a expressão grega ho huios tou anthrõpos, "o Filho do Homem", no singular, é título messiânico e não relativo a humanos. Está claro que JESUS se referia a si mesmo. Esta é a melhor interpretação.Ele revelou seu poder e sua autoridade sobre as enfermidades, sobre a natureza, sobre todos os poderes das trevas, sobre a morte e o inferno; assim, nada mais natural ser mesmo o Senhor do sábado. O sábado veio de Javé e somente ele tem autoridade sobre a instituição. Então, não há outro no universo investido de tamanha autoridade, senão o Filho de DEUS.Mais uma vez, o Senhor JESUS CRISTO apresenta o profeta Oseias como autoridade para fundamentar seu ensino (Mt 12.7; Os 6,6). Ele acrescentou ainda que é "lícito fazer bem nos sábados" (Mt 12.12). Isso o próprio JESUS o fez (Mc 3.1-5; Lc 13.10- 13; 14.1-6; Jo 5.8-18; 9.6, 7, 16), e nós também devemos fazer o bem, não importa qual seja o dia da semana. • Como o sábado do relato da criação, não é regra legal opressiva; é chamado de sábado institucional. Assim, como nada há no Novo Testamento que indique a sua observância, isso por si só mostra que o quarto mandamento não é um preceito moral. Esta interpretação é corroborada pelo fato de nem JESUS nem os apóstolos ensinarem a guarda do sábado. O sábado não foi mencionado quando JESUS citou os mandamentos para o moço rico (Mt 19.17-19). Toda a lei se resume no amor a DEUS e ao próximo (Mt 7.12; 22.40; Mc 12.31; Rm 13.10).O apóstolo Paulo omitiu o quarto mandamento (Rm 13.9). Ele considerava retrocesso espiritual guardar dias, meses e anos (G1 4.10, 11). Os primeiros cristãos eram judeus de origem e era natural para eles observar os serviços da sinagoga; ainda hoje, muitos judeus que são convertidos à fé cristã preferem não abrir mão de sua identidade judaica, principalmente aqueles que residem em Israel. É mais uma questão cultural. Paulo via o sábado e os preceitos dietéticos, o kashrut, como mera opção pessoal. E, mesmo não havendo prova de que o apóstolo distinguisse preceitos morais e cerimoniais, aqui ele coloca o sábado e o kashrut na mesma categoria (Rm 14.1- 6). Segundo Paulo, o antigo concerto foi abolido (2 Co 3.7-14) , incluindo o sábado (Os 2.11). De fato, isso já era anunciado desde o Antigo Testamento (Jr 31.31-34). • Paulo disse que JESUS riscou na cruz "a cédula que era contra nós nas suas ordenanças" (Cl 2.14). O substantivo grego para "cédula" é cheirgraphon, um hapax legomenon, literalmente, "escrito à mão”. É um documento escrito à mão usado aqui metaforicamente. O termo aparece na literatura grega extrabíblica com vários significados: "lei mosaica, obrigação escrita, contrato (ROBINSON, 2012, p. 984); "registro de uma conta financeira, conta, registro de dívida" (LOUW & NIDA, 2013, pp. 352, 353). É um certificado de dívida, uma nota promissória. A ordenança, ou dogma, significa "decreto, ordenança, edito", um termo usado também em referencia à lei de Moisés (Ef 2.15). É esse o sentido aqui, pois JESUS disse que a lei nos acusa (Jo 5.45). O pensamento paulino revela o aspecto condenatório da lei mosaica (Dt 27.26; 1 Co 15.56; Gl 3.10) e também o padrão divino para a vida humana (Rm 7.13, 14). A acusação da lei contra nós foi cancelada na cruz do Calvário, e aí o apóstolo inclui o sábado. O apóstolo emprega os dois termos "cédula" e "ordenança" metaforicamente para dizer que fomos perdoados e estamos livres de legalismo: "Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa dos dias de festa, ou da lua nova, ou dos sábados, que são sombras das coisas futuras, mas o corpo é de CRISTO" (Cl 2.16, 17).O sábado cerimonial é um termo para designar os festivais de Israel que englobam as festas anuais, mensais e semanais (1 Cr 23.31; 2 Cr 2.4; 8.13; 31.3; Ez 45.17). • O sábado cerimonial já está incluído na expressão "dias de festa". Assim, a "lua nova", refere-se à festa mensal e a expressão "dos sábados" diz respeito aos sábados semanais. O novo concerto nos isenta de todas essas coisas. Paulo parece empregar uma linguagem platônica no tocante ao mundo real e ao mundo das ideias no v. 17. A sombra é temporária e identifica com imperfeição o objeto que a projetou, sendo portanto inferior a ele. O apóstolo afirma nesta metáfora que a lei é uma projeção, uma sombra da realidade, que é o corpo de CRISTO. Esequias Soares. Os Dez Mandamentos. Valores Divinos para uma Sociedade em Constante Mudança. Editora CPAD. pag. 71-74.
  23. 23. D I A D O C U LT O C R I S TÃ O . O S Á B A D O C R I S TÃ O • O sábado legal do Decálogo foi estabelecido para Israel se lembrar da escravidão no Egito (Dt 5.15). Há certa analogia com o sábado cristão (se guardado por alguém), o domingo (se guardado por alguém), que, sem precisar de imposição legal, passou a ser o dia de adoração cristã coletiva em memória à ressurreição de CRISTO que ocorreu num domingo (Mc 16.1-6; Lc24.1-6). • É o sábado institucional. Isso está claro em três passagens do Novo Testamento: "No primeiro dia da semana, ajuntando os discípulos para o partir do pão" (At 20.7). Era um domingo, "talvez 24 de abril de 57 d.C.", segundo F. F. Bruce (apud STOTT, 1994, p. 360). O "partir do pão" é um termo usado para a Ceia do Senhor (At 2.42; 1 Co 10.16; 11.20-26). Segundo o autor citado, essa passagem "é a evidência inequívoca mais primitiva que temos da prática cristã de reunir-se para a adoração nesse dia". Isso se confirma mais adiante no Novo Testamento: "No primeiro dia da semana, cada um de vós ponha de parte o que puder ajuntar, conforme a sua prosperidade, para que se não façam as coletas quando eu chegar" (1 Co 16.2). Temos aqui outra prova de que o primeiro dia da semana era o dia de culto regular. O apóstolo recomendou que nessas reuniões se levantasse uma coleta para socorrer os irmãos pobres de Jerusalém. • O apóstolo João foi arrebatado no dia do Senhor: Eu fui arrebatado em espírito, no dia do Senhor, e ouvi detrás de mim uma grande voz, como de trombeta" (Ap 1.10). A expressão dia do Senhor" não é escatológica, pois a construção grega aqui, en tê kyriakê hêmera, se refere ao domingo. Versões católicas como Figueiredo, Matos Soares e a Bíblia do Peregrino empregam "num dia de domingo" para traduzir a referida frase. Esta tradução é aceitável porque está de acordo com o contexto bíblico e histórico. • A palavra kyriakê significa "domingo" ainda hoje na Grécia. O termo "domingo", literalmente quer dizer, "dia do senhor , do latim, dominus, "senhor", e dies, "dia". Inácio de Antioquia usa a mesma frase grega do apóstolo João em Apocalipse, para indicar o primeiro dia da semana: "Aqueles que viviam na antiga ordem de coisas chegaram à nova esperança, e não observam mais o sábado, mas o dia do Senhor em que a nossa vida se levantou por meio dele e da sua morte" (Magnésios 9-1, Coleção Patrística 1, Padres Apostólicos). Inácio foi o terceiro bispo de Antioquia e conheceu os apóstolos Paulo e João. Preso em 110 no reinado de Trajano, foi levado a Roma e atirado às feras. Trata-se de alguém da segunda geração dos apóstolos. • Outra razão que confirma essa interpretação é o fato de a Septuaginta usar uma forma diferente para o "dia do Senhor escatológico, hêmera tou kyriou ou hêmera kyriou. E o mesmo acontece nas cinco vezes que a frase aparece no Novo Testamento grego (At 2.20; 1 Co 5.5; 2 Co 1.14; 1 Ts 5.2; 2 Pe 3.10). • Os primeiros pais da Igreja mostram que nos três primeiros séculos da história da Igreja o domingo continuava sendo o dia de reunião dos cristãos. Além de Inácio de Antioquia, isso pode ser ainda visto na Epístola de Barnabé (que não era o Barnabé citado do Novo Testamento). Trata-se de um documento da primeira metade do século 2, que declara: "Eis por que celebramos como festa alegre o oitavo dia, no qual JESUS ressuscitou dos mortos e, depois de se manifestar, subiu aos céus" (Epístola de Barnabé, 15.9). • Herdamos dos dias apostólicos essa prática que foi perpetuada pelo tempo. Os preceitos cerimoniais não desobrigam os seres humanos de cultuarem a DEUS, mas estes não precisam de rituais e nem lhes é exigido irem a Jerusalém. Da mesma forma, o sábado não precisa ser o sétimo dia da semana. Os adventistas do sétimo dia estão equivocados quando afirmam que o imperador Constantino substituiu o sábado pelo domingo, e sua doutrina não tem sustentação bíblica. É um erro teológico e histórico. • Esequias Soares. Os Dez Mandamentos. Valores Divinos para uma Sociedade em Constante Mudança. Editora CPAD. pag. 74-76.
  24. 24. • SOBRE A CONCLUSÃO DA OBRA CRIATIVA • ACERCA DO SENHORIO DE CRISTO SOBRE O SABADO • SOBRE A QUESTÃO DA GUARDA DO SABADO PARA SALVAÇÃO
  25. 25. • O V E R D A D E I R O D E S C A N S O : • Visto que nos foi deixada a promessa de entrarmos no descanso de Deus, temamos que algum de vocês pense que tenha falhado. Pois as boas novas foram pregadas também a nós, tanto quanto a eles; mas a mensagem que eles ouviram de nada lhes valeu, pois não foi acompanhada de fé por aqueles que a ouviram. Pois nós, os que cremos, é que entramos naquele descanso, conforme Deus disse: "Assim jurei na minha ira: Jamais entrarão no meu descanso" — embora as suas obras estivessem concluídas desde a criação do mundo. Pois em certo lugar ele falou sobre o sétimo dia, nestas palavras: "No sétimo dia Deus descansou de toda obra que realizara". E de novo, na passagem citada há pouco, diz: "Jamais entrarão no meu descanso". Entretanto, resta entrarem alguns naquele descanso, e aqueles a quem anteriormente as boas novas foram pregadas não entraram, por causa da desobediência. Por isso Deus estabelece outra vez um determinado dia, chamando-o "hoje", ao declarar muito tempo depois, por meio de Davi, de acordo com o que fora dito antes: "Se hoje vocês ouvirem a sua voz, não endureçam o coração". Porque, se Josué lhes tivesse dado descanso, Deus não teria falado posteriormente a respeito de outro dia. Assim, ainda resta um descanso sabático para o povo de Deus; pois todo aquele que entra no descanso de Deus, também descansa das suas obras, como Deus descansou das suas. Portanto, esforcemo-nos por entrar nesse descanso, para que ninguém venha a cair, seguindo aquele exemplo de desobediência. Pois a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais afiada que qualquer espada de dois gumes; ela penetra ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e julga os pensamentos e intenções do coração. Nada, em toda a criação, está oculto aos olhos de Deus. Tudo está descoberto e exposto diante dos olhos daquele a quem havemos de prestar contas. Portanto, visto que temos um grande sumo sacerdote que adentrou os céus, Jesus, o Filho de Deus, apeguemo-nos com toda a firmeza à fé que professamos, pois não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas, mas sim alguém que, como nós, passou por todo tipo de tentação, porém, sem pecado. Assim sendo, aproximemo-nos do trono da graça com toda a confiança, a fim de recebermos misericórdia e encontrarmos graça que nos ajude no momento da necessidade. Hebreus 4:1-16
  26. 26. • JESUS CRISTO É O NOSSO SABADO; NOSSO DESCANSO; N’ELE ESTA CUMPRIDA A LEI. • Antes que viesse esta fé, estávamos sob a custódia da lei, nela encerrados, até que a fé que haveria de vir fosse revelada. Assim, a lei foi o nosso tutor até Cristo, para que fôssemos justificados pela fé. Agora, porém, tendo chegado a fé, já não estamos mais sob o controle do tutor. Todos vocês são filhos de Deus mediante a fé em Cristo Jesus, pois os que em Cristo foram batizados, de Cristo se revestiram. Não há judeu nem grego, escravo nem livre, homem nem mulher; pois todos são um em Cristo Jesus. E, se vocês são de Cristo, são descendência de Abraão e herdeiros segundo a promessa. Gálatas 3:23-29
  27. 27. https://www.youtube.com/channel/UCDRf2osU4HmPmcBp-aTeKIw/videos

    Seja o primeiro a comentar

    Entre para ver os comentários

  • EdwagnerFreitas

    Oct. 14, 2019
  • AdilsonAlvesAlves

    Jan. 5, 2020
  • MagnliaLima1

    Feb. 6, 2020
  • DonizeteCorrea1

    Jun. 10, 2020
  • AROJESUS

    Jun. 25, 2020
  • OzielCostaDosAnjos

    Sep. 8, 2020
  • ReciadoSilvano

    Oct. 29, 2020
  • MarceloFerreira505

    Nov. 20, 2020

ESTUDO SOBRE O CONCEITO BÍBLICO DO SÁBADO, NO QUAL TODA NOSSA AÇÃO PRECISA ESTAR CONSAGRADA À GLÓRIA DE DEUS!

Vistos

Vistos totais

285

No Slideshare

0

De incorporações

0

Número de incorporações

0

Ações

Baixados

6

Compartilhados

0

Comentários

0

Curtir

8

×