A criação

522 visualizações

Publicada em

A Criação do Mundo.

Publicada em: Espiritual
1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Olá meu nome é Ricardo, sou Promotor Digital Ativo da FR Promotora desde outubro de 2013. A FR Promotora tem mais de 15 anos no mercado, atuando em soluções financeiras, disponibilizando plano de saúde, empréstimo, hospedagem de site, lojas virtuais entre outros. E além disso existe o sistema de renda extra, o qual nos dá a possibilidade real de ganhos na internet, conheça e cadastre-se na FR PROMOTORA!
    Entre no sistema de renda extra, cadastre-se e ative o seu cadastro:
    https://www.frpromotora.com/44943033
    Se quiser conhecer mais sobre os serviços da FR Promotora, acesse o link:
    https://www.frpromotora.com/servicos.php?id=44943033
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
522
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
28
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A criação

  1. 1. A CriAçãoGn 1.1 “No principio, criou Deus os céus e a terra”.O Deus da Criação. Deus se revela na Bíblia como um ser infinito, eterno, auto-existente ecomo a causa Primária de tudo o que existe. Nunca houve um momento em queDeus não existisse. Conforme afirma Moisés: “Antes que os montes nascessem,ou que tu formasses a terra e o mundo, sim, de eternidade a eternidade, tu ésDeus” (Sl 90.2). Noutras palavras, Deus existiu eterna e infinitamente antes decriar o universo finito. Ele é anterior a toda criação, no céu e na terra, estáacima e independe dela, veja algumas notas: 1 Tm 6.16 Aquele que tem, ele só, a imortalidade, e habita na luzinacessível; a quem nenhum dos homens viu nem pode ver, ao qual seja honra epoder sempiterno. Amém. AQUELE QUE TEM, ELE SÓ, A IMORTALIDADE. Estas palavrasexpressam a transcendência da Deus; que Deus é diferente e independente dasua criação – homem, anjos, espíritos ou coisas físicas ou materiais (Ex 24.9-18;Is 6.1-3; 40.12-26; 55.8,9; Ez 1).
  2. 2. Deus não deve jamais ser nivelado aos seres humanos, ou qualquer outroser que Ele criou. Seu ser e sua existência pertencem a uma dimensãototalmente diferente. Ele habita numa esfera de vida perfeita e pura, em tudoacima da sua criação. Ele não é parte da sua criação, nem sua criação é partedEle. Além disso, os crentes não são Deus e nunca serão “deuses” como afirma aNova Era. Sempre seremos seres limitados e dependentes de Deus, mesmo naera do porvir. Embora exista uma distinção extrema entre Deus e toda criação, Deustambém está presente e ativo em todo o mundo. Ele vive e se manifesta entreseus fiéis, que se arrependem dos seus pecados e que vivem pela fé em Cristo(Ex 33.17-23; Is 57.15). Cl 1.16. Porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e naterra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados,sejam potestades. Tudo foi criado por ele e para ele. Deus se revela como um ser pessoal que crio Adão e Eva “à sua imagem”(Gn 1.27). Porque Adão e Eva foram criados à imagem de Deus, podiamcomunicar-se com Ele, e também com Ele ter comunhão de modo amoroso epessoal. Deus também se revela como um ser moral que criou tudo bom e, portanto,sem pecado. Ao terminar Deus a obra da criação, contemplou tudo o que fizera eobservou que era “muito bom” (Gn 1.31). Posto que Adão e Eva foram criados àimagem e semelhança de Deus, eles também não tinham pecado. O pecado entrouna existência humana quando Eva foi tentada pela serpente, ou Satanás (Gn 3;Rm 5.12; Ap 12.9).A atividade da Criação.
  3. 3. Deus criou todas as coisas em “os céus e a terra” (Gn 1.1; Is 40.28; 42.5;45.18; Mc 13.19; Ef 3.9; Cl 1.16; Hb 1.2; Ap 10.6). O verbo “criar” (hb. “bara”) éusado exclusivamente em referência a uma atividade que somente Deus poderealizar. Significa que, num momento específico, Deus criou a matéria e asubstância, que antes nunca existiram. Gn 1.3 E disse Deus: Haja luz; e houve luz. HAJA LUZ. A palavra hebraica para “luz” é `or, e refere-se às ondasiniciais de energia luminosa atuando sobre a terra. Posteriormente, Deus colocou“luminares” (hb. ma`or, literalmente “luzeiros”. Gn 1.14) nos céus comogeradores e refletores permanentes das ondas de sinais demarcadores dasestações, dias e anos (Gn 1.5,14). A Bíblia diz que no princípio da criação a terra estava informe, vazia ecoberta de trevas (Gn 1.2). Naquele tempo o universo não tinha a formaordenada que tem agora. O mundo estava vazio, sem nenhum ser vivente edestituído do mínimo vestígio de luz. Passada essa etapa inicial, Deus criou a luzpara dissipar as trevas (Gn 1.3-5), deu forma ao universo (Gn 1.6-13) e encheu aterra de seres viventes (Gn 1.20-28). O método que Deus usou na criação foi o poder da sua palavra. Repetidasvezes está declarado: “E disse Deus...” (Gn 1.3,6,9,11,14,20,24,26). Noutraspalavras, Deus falou e os céus e a terra passaram a existir. Antes da palavracriadora de Deus, eles não existiam (Sl 33.6,9; 148.5; Is 48.13; Rm 4.17; Hb11.3). Toda a Trindade, e não apenas o Pai, desempenhou sua parte na criação. A) O próprio Filho é a Palavra (“Verbo”) poderosa, através de quem Deus criou todas as coisas. No prólogo do Evangelho segundo João, Cristo é revelado como a eterna Palavra de Deus (Jo 1.1). “Todas as coisas foram feitas por Ele, e sem Ele nada do que foi feito se fez” (Jo 1.3).
  4. 4. Semelhantemente, o apóstolo Paulo afirma que por Cristo “foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis... tudo foi criado por Ele e para Ele” (Cl 1.16). Finalmente, o autor do Livro de Hebreus afirma enfaticamente que Deus fez o universo por meio do seu Filho (Hb 1.2). B) Semelhantemente, o Espírito Santo desempenhou um papel ativo na obra da criação. Ele é descrito como “pairando” (“se movia”) sobre a criação, preservando-a e preparando-a para as atividades criadoras adicionais de Deus. A palavra hebraica traduzida por “Espírito” ( ruah) também pode ser traduzida por “vento” e “fôlego”. Por isso, o salmista testifica do papel do Espírito, ao declarar: “Pela palavra do Senhor foram feitos os céus; e todo o exército deles, pelo espírito ( ruah) da sua boca” (Sl 33.6). Além disso, o Espírito Santo continua a manter e sustentar a criação (Jó 33.4; Sl 104.30).O Propósito e o Alvo da Criação. Deus tinha razões específicas para criar o mundo. Deus criou os céus e aterra como manifestação da sua glória, majestade e poder. Davi diz: “Os céusmanifestam a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos” (Sl19.1; cf. 8.1). Ao olharmos a totalidade dos cosmos criado – desde a imensaexpansão do universo, à beleza e à ordem da natureza – ficamos tomados detemor reverente ante a majestade do Senhor Deus, nosso Criador. Deus criou os céus e a terra para receber a glória e a honra que lhe sãodevidas. Todos os elementos da natureza – o sol e a lua, as árvores da floresta, achuva e a neve, os rios e os córregos, as colinas e as montanhas, os animais e asaves – rendem louvores ao Deus que os criou (Sl 98.7,8; 148.1-10; Is 55.12).Quanto mais Deus deseja e espera receber glória e louvor dos seres humanos!
  5. 5. Deus criou a terra para prover um lugar onde o seu propósito e alvos paraa humanidade fossem cumpridos. A) Deus criou Adão e Eva à sua própria imagem, para comunhão amorável e pessoa com o ser humano por toda a eternidade. Deus projetou o ser humano como um ser trino e uno (corpo, alma e espírito), que possui mente, emoção e vontade, para que possa comunicar-se espontaneamente com Ele como Senhor, adora-o e servi-lo com fé, lealdade e gratidão. B) Deus desejou de tal maneira esse relacionamento com a raça humana que, quando Satanás conseguiu tentar Adão e Eva a ponto de se rebelarem contra Deus e desobedecer ao ser mandamento, Ele prometeu enviar um Salvador para redimir a humanidade das conseqüências do pecado. Gn 3.15 E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a suasemente; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar. Este versículo contém a primeira promessa implícita do plano de Deus para aredenção do mundo. Prediz a vitória final da raça humana e de Deus contraSatanás e o mal. É uma profecia do conflito espiritual entre a “semente” damulher (i.e., o Senhor Jesus Cristo) e a “semente” da serpente (i.e., Satanás e osseus seguidores). Deus promete aqui, que Cristo nasceria de uma mulher (cf. Is7.14), e que Ele seria “ferido” ao ser crucificado, porém, ressuscitaria dentre osmortos para destruir completamente (i.e.,”ferir”) Satanás, o pecado e a morte,para salvar a humanidade (Is 53.5; Mt 1.20-23; Jo 12.31; At 26.18; Rm 5.18,19;16.20; 1 Jo 3.8; Ap 20.10). Daí Deus teria um povo para sua própria possessão, cujo prazer estarianEle , que o glorificaria, e que viveria em retidão e santidade diante dEle (Is60.21; 61.1-3; Ef 1.11,12; 1 Pe 2.9) C) A culminação do propósito de Deus na criação está no livro do Apocalipse, onde João descreve o fim da história com estas palavras: “...com eles
  6. 6. habitará, e eles serão o seu povo, e o mesmo Deus estará com eles e será o seu Deus” (Ap 21.3).Criação e Evolução. A evolução é o ponto de vista predominante, proposto pela comunidadecientífica e educacional do mundo atual, em se tratando da origem da vida e douniverso. Quem crê, de fato, na Bíblia deve atenta para estas quatroobservações a respeito da evolução. 1) A evolução é uma tentativa naturalista para explicar a origem e odesenvolvimento do universo. Tal intento começa com a pressuposição de que nãoexiste nenhum Criador pessoal e divino que criou e formou o mundo; pelocontrário, tudo veio a existir mediante uma série de acontecimentos quedecorreram por acaso, ao longo de bilhões de anos. Os postulantes da evoluçãoalegam possuir dados científicos que apóiam a sua hipótese. 2) O ensino evolucionista não é realmente científico. Segundo o métodocientífico, toda conclusão deve basear-se em evidências incontestáveis, oriundasde experiências que podem ser reproduzidas em qualquer laboratório. Noentanto, nenhuma experiência foi idealizada, nem poderá sê-lo, para testa ecomprovar teorias em torno da origem da matéria a partir de um hipotético“grande estrondo”, ou do desenvolvimento gradual dos seres vivos, a partir dasformas mais simples às mais complexas. Por conseguinte, a evolução é umahipótese sem “evidência” científica, e somente quem crê em teorias humanas éque pode aceitá-la. A fé do povo de Deus, pelo contrário, firma-se no Senhor ena sua revelação inspirada, a qual declara que Ele é quem criou do nado todas ascoisas (Hb 11.3). 3) É inegável que alterações e melhoramentos ocorrem em várias espéciesde seres viventes. Por exemplo: algumas variedades dentro de várias espécies
  7. 7. estão se extinguindo; por outro lado, ocasionalmente vemos novas raças surgindodentre algumas das espécies. Não há, porém, nenhuma evidência, nem sequer noregistro geológico, a apoiar a teoria de quem um tipo de ser vivente já evoluiudoutro tipo. Pelo contrário, as evidências existente apóiam a declaração daBíblia, que Deus criou cada criatura vivente “conforme a sua espécie” (Gn1.21,24,25), 4) Os crentes na Bíblia devem, também, rejeitar a teoria da chamadaevolução teísta. Essa teoria aceita a maioria das conclusões da evoluçãonaturalista; apenas acrescenta que Deus deu início ao processo evolutivo. Essateoria nega a revelação bíblica que atribui a Deus um papel ativo em todos osaspectos da criação. Por exemplo, todos os verbos principais em Gênesis 1 têmDeus como seu sujeito, a não ser em 1.12 (que cumpre o mandamento de Deus nov. 11) e a frase repedida “E foi a tarde e a manhã”. Deus não é um supervisorindiferente, de um processo evolutivo; pelo contrário, é o Criador ativo de todasas coisas (Cl 1.16).Por: Pr. Rodrigo MendonçaFonte: Bíblia de Estudo Pentecostal (CPAD)

×