Lições Adultos Reavivamento e Reforma
Lição 10 - Reforma: vontade de crescer e mudar 31 de agosto a 7 de setembro
Sábado à...
O confiante amor e a desinteressada devoção manifestados na vida e caráter de João, apresentam lições de indiscutível
valo...
significado da entrega do eu. Precisa estudar a Palavra de Deus, aprendendo seu significado e obedecendo a seus
preceitos....
E o filho havendo gastado tudo, houve naquela terra uma grande fome, e começou a padecer necessidades. E foi e chegou-
se ...
“Se você crê na promessa – crê que está perdoado e purificado – Deus supre o fato: você é curado, exatamente como
Cristo c...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Reforma: vontade de crescer e mudar_Resumo_1032013

150 visualizações

Publicada em

O Objetivo do resumo da lição não é substituí-la, pelo contrário e dar mais amplitude ao estudo do tema.

A ideia e colocar os textos bíblicos diretos que respondam as questões da lição, somados aos escritos de Ellen White que dão luz sobre o assunto, eu procuro comentar o mínimo possível, só detalhes referentes as questões e algumas definições todas neste tom de azul, pois se os textos forem realmente claros, que é intenção, não há necessidade de ficar comentando, e a aplicação, como e mais extensa, procuro fazer na nossa classe.

“Sempre darei a fonte, para que o conteúdo não seja anônimo, e todos tenham a oportunidade de achar, pesquisar e questionar”.

Que... “Deus tenha misericórdia de nós e nos abençoe; e faça resplandecer o seu rosto sobre nós. Para que se conheça na terra o teu caminho, e em todas as nações a tua salvação”. Sal. 67:1-2. 

Bom Estudo!

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
150
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Reforma: vontade de crescer e mudar_Resumo_1032013

  1. 1. Lições Adultos Reavivamento e Reforma Lição 10 - Reforma: vontade de crescer e mudar 31 de agosto a 7 de setembro Sábado à tarde - “Antes, Ele dá maior graça; pelo que diz: Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes. Sujeitai- vos, portanto, a Deus; mas resisti ao diabo, e ele fugirá de vós”. Tg 4:6, 7. A vitória de Cristo fora tão completa, como o tinha sido o fracasso de Adão. Assim podemos resistir à tentação, e forçar Satanás a retirar-se de nós. Jesus obteve a vitória por meio da submissão e fé em Deus, e diz-nos mediante o apóstolo: "Sujeitai-vos pois a Deus, resisti ao diabo, e ele fugirá de vós. Chegai-vos a Deus, e Ele Se chegará a vós". Tia. 4:7 e 8. Não nos podemos salvar do poder do tentador; ele venceu a humanidade, e quando tentamos resistir em nossa própria força, tornamo-nos presa de seus ardis; mas "torre forte é o nome do Senhor; para ela correrá o justo, e estará em alto retiro". Prov. 18:10. Satanás treme e foge diante da mais débil alma que se refugia nesse nome poderoso. O Desejado de Todas as Nações, 132-133. Objetivo: Estudar exemplos de personagens que tiveram um reavivamento (despertamento espiritual) e uma reforma (mudança de procedimentos), e os passos que deram em seu crescimento na graça, para termos um resultado eficaz. Domingo - Graça para crescer Ano Bíblico: Ez 14–17 1. Leia Lucas 9:51-56 e Mateus 20:20-28. Como essas passagens revelam o pensamento de Tiago e João? Tiago e João tinham um espírito de indignação e vingança; isso foi demonstrado em sua intenção de destruir os samaritanos por não terem sido hospitaleiros com seu mestre; “Senhor, queres que digamos que desça fogo do céu e os consuma, como Elias também fez? ” Lc 9:51-56. Eram orgulhosos e ambiciosos, desejavam ser os primeiros no reino de Deus "Declara que no teu Reino estes meus dois filhos se assentarão um à tua direita e o outro à tua esquerda". Disse-lhes Jesus: "Vocês não sabem o que estão pedindo. Podem vocês beber o cálice que eu vou beber? " "Podemos", responderam eles.” Mt 20:20-28. Todos os discípulos tinham sérias falhas de caráter quando Jesus os chamou ao Seu serviço. O próprio João, que chegou a ter mais íntimo convívio com o Manso e Humilde, não era de si mesmo dócil e submisso. Ele e seu irmão foram chamados "filhos do trovão". Mar. 3:17. Durante o tempo em que viveram com Jesus, todo menosprezo a Ele mostrado lhes despertava a indignação e a combatividade. Mau gênio, vingança, espírito de crítica, tudo se encontrava no discípulo amado. Era orgulhoso e ambicioso de ser o primeiro no reino de Deus. Mas dia a dia, em contraste com seu próprio espírito violento, contemplava a ternura e longanimidade de Jesus, e aprendia-Lhe as lições de humildade e paciência. Abriu o coração à divina influência, e tornou-se, não somente ouvinte, mas cumpridor das palavras do Mestre. O próprio eu escondeu-se em Cristo. Aprendeu a levar o jugo de Jesus, a suportar-Lhe o fardo. Jesus reprovava Seus discípulos, advertia-os e avisava-os; mas João e seus irmãos não O deixavam; preferiam a Jesus, apesar das reprovações. O Salvador não Se afastava deles por causa de suas fraquezas e erros. Continuaram até ao fim a partilhar-Lhe as provações e aprender as lições de Sua vida. Contemplando a Cristo, transformaram-se no caráter. O Desejado de Todas as Nações, 295-297. 2. Leia 1 João 2:1-9. O que esses versos revelam sobre as grandes mudanças que ocorreram com João depois da morte de Jesus? O que eles nos ensinam sobre o que significa seguir a Jesus? Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o Justo. (2) E ele é a propiciação pelos nossos pecados e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo o mundo. (3) E nisto sabemos que o conhecemos: se guardarmos os seus mandamentos. (4) Aquele que diz: Eu conheço-o e não guarda os seus mandamentos é mentiroso, e nele não está a verdade. (5) Mas qualquer que guarda a sua palavra, o amor de Deus está nele verdadeiramente aperfeiçoado; nisto conhecemos que estamos nele. (6) Aquele que diz que está nele também deve andar como ele andou. (7) Irmãos, não vos escrevo mandamento novo, mas o mandamento antigo, que desde o princípio tivestes. Este mandamento antigo é a palavra que desde o princípio ouvistes. (8) Outra vez vos escrevo um mandamento novo, que é verdadeiro nele e em vós; porque vão passando as trevas, e já a verdadeira luz alumia. (9) Aquele que diz que está na luz e aborrece a seu irmão até agora está em trevas. 1Jo 2:1-9. RC João não somente era ouvinte, mas cumpridor das palavras de cristo, e assim se tornou manso, humilde e amoroso por estar intimamente unido a Jesus “Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada. Quem não me ama não guarda as minhas palavras...”. Jo 14:23-24. “E nisto sabemos que o conhecemos: se guardarmos os seus mandamentos. Aquele que diz: Eu conheço-o e não guarda os seus mandamentos é mentiroso, e nele não está a verdade. [Jo 14:15; Jo 15:10; 1Jo 3:24]; Mas qualquer que guarda a sua palavra, o amor de Deus está nele verdadeiramente aperfeiçoado; nisto conhecemos que estamos nele. Aquele que diz que está nele também deve andar como ele andou. … Aquele que diz que está na luz e aborrece a seu irmão até agora está em trevas. 1Jo 2:1-9. ramos@advir.comramos@advir.com
  2. 2. O confiante amor e a desinteressada devoção manifestados na vida e caráter de João, apresentam lições de indiscutível valor para a igreja cristã. Alguns podem representá-lo como possuindo esse amor independentemente da graça divina; mas João tinha, por natureza, sérios defeitos de caráter: era orgulhoso, ambicioso e se ressentia facilmente de críticas e ofensas. … João desejava tornar-se semelhante a Jesus e, sob a transformadora influência de Seu poder, tornou-se manso e humilde de coração. O eu foi escondido em Jesus. Ele estava intimamente unido à Videira Viva e assim se tornou participante da natureza divina. Tal será sempre o resultado da comunhão com Cristo. Esta é a verdadeira santificação. Pode haver notáveis defeitos no caráter de um indivíduo; contudo, quando ele se torna um verdadeiro discípulo de Cristo, o poder da graça divina faz dele uma nova criatura. O amor de Cristo o transforma e santifica. Mas quando as pessoas professam ser cristãs e sua religião na faz que sejam melhores homens e mulheres em todas as relações da vida - representações vivas de Cristo no temperamento e no caráter - não são dEle. … João desfrutou a bênção da verdadeira santificação. Mas notai: o apóstolo não proclama ser sem pecado; está em busca da perfeição, andando à luz da presença de Deus. Testifica que o homem que professa conhecer a Deus e, contudo, quebra a lei divina, nega sua profissão. ... Conquanto tenhamos de amar as pessoas por quem Cristo morreu e trabalhar por sua salvação, não devemos condescender com o pecado. Não nos unamos com os rebeldes chamando a isso amor. Deus exige de Seu povo atual que permaneça, como o fez João em seu tempo, inflexivelmente pelo direito, em oposição aos erros destruidores das pessoas. Santificação, págs. 54, 55 e 65. Segunda - Poder de escolha Ano Bíblico: Ez 18–20 3. Leia Filipenses 2:12-14. Como essa passagem mostra a necessidade de cooperar com Deus em nosso crescimento na graça? O que Paulo quis dizer com as expressões “desenvolvei a vossa salvação” e “Deus é quem efetua em vós?” De sorte que, meus amados, assim como sempre obedecestes, não só na minha presença, mas muito mais agora na minha ausência, assim também operai a vossa salvação com temor e tremor; (13) porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade. (14) Fazei todas as coisas sem murmurações nem contendas; (15) para que sejais irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis no meio duma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo; Fp 2:12-15. RC “Operai a vossa salvação” significa aceitar, obedecer e cooperar voluntariamente com o plano divino. “assim como sempre obedecestes, não só na minha presença, mas muito mais agora na minha ausência”. Fp 2:12. “com temor” é com respeito diante do Senhor, sem arrogância, altivez, “Ele te declarou, ó homem, o que é bom; e que é o que o SENHOR pede de ti, senão que pratiques a justiça, e ames a beneficência, e andes humildemente com o teu Deus? ” Mq 6:8. “e tremor” significa reconhecer a nossa limitação; “E é por Cristo que temos tal confiança em Deus; não que sejamos capazes, por nós, de pensar alguma coisa, como de nós mesmos; mas a nossa capacidade vem de Deus.” 2 Co 3:4-5; e a dependência que temos de Jesus; “Estai em mim, e eu, em vós; como a vara de si mesma não pode dar fruto, se não estiver na videira, assim também vós, se não estiverdes em mim. Eu sou a videira, vós, as varas; quem está em mim, e eu nele, este dá muito fruto, porque sem mim nada podereis fazer.” Jo 15:4-5. “Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar”. Devemos reconhecer que “Toda boa dádiva e todo dom perfeito vêm do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança, nem sombra de variação.” Tg 1:17. Se tivermos intimidade com Cristo teremos o Seu Espírito, “Também vos darei um coração novo, e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei da vossa carne o coração de pedra, e vos darei um coração de carne. Ainda porei dentro de vós o meu Espírito, e farei que andeis nos meus estatutos, e guardeis as minhas ordenanças, e as observeis.” Ez 36:26-27; e compartilharemos de Seu caráter; “Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio”. Gl 5:22-23. Essas palavras foram relatadas para auxílio de toda alma que luta. Paulo ergue a norma de perfeição, e mostra como pode ser alcançada. "Operai a vossa salvação", diz ele, "porque Deus é o que opera em vós." A obra de ganhar a salvação é de co-participação e cooperação. Deve haver cooperação entre Deus e o pecador arrependido. Isto é necessário para a formação de corretos princípios de caráter. Deve o homem fazer veementes esforços para vencer o que o impede de alcançar a perfeição. Mas, para alcançar êxito, ele depende inteiramente de Deus. Por si mesmos os esforços humanos não são suficientes. Sem a ajuda do poder divino ele de nada vale. Deus age e o homem também. A resistência à tentação deve partir do homem, que por sua vez deve obter de Deus o poder. De um lado se acham sabedoria infinita, compaixão e poder; do outro debilidade, pecaminosidade e incapacidade absoluta. Deus quer que governemos nosso ser, mas não nos pode ajudar sem nosso consentimento e cooperação. O Espírito divino age por meio dos poderes e faculdades concedidos ao homem. Não podemos pôr por nós mesmos nossos propósitos, desejos e inclinações em harmonia com a vontade divina; mas se estamos dispostos, o Salvador fará isso por nós, "destruindo os conselhos, e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo". II Cor. 10:5. Aquele que deseja construir um caráter forte e simétrico, e que deseja ser um cristão bem equilibrado, deve dar tudo a Cristo e fazer tudo por Cristo; pois o Redentor não aceitará serviço dividido. Precisa aprender diariamente o ramos@advir.comramos@advir.com
  3. 3. significado da entrega do eu. Precisa estudar a Palavra de Deus, aprendendo seu significado e obedecendo a seus preceitos. Assim pode ele alcançar o padrão da excelência cristã. Dia a dia Deus trabalha com ele, aperfeiçoando o caráter que deve resistir no tempo da prova final. E dia a dia o crente está manifestando diante dos homens e dos anjos um experimento sublime, mostrando o que o evangelho pode fazer por caídos seres humanos. Atos dos Apóstolos, 481-483. “Toda verdadeira obediência vem do coração. Deste procedia também a de Cristo. E se consentirmos, Ele de tal maneira Se identificará com nossos pensamentos e ideais, dirigirá nosso coração e espírito em tanta conformidade com Seu querer, que, obedecendo-Lhe, não estaremos senão seguindo nossos próprios impulsos. [...] Mediante o apreço do caráter de Cristo, por meio da comunhão com Deus, o pecado se nos tornará aborrecível”. O Desejado de Todas as Nações, 668. Terça - Confiança e dúvida Ano Bíblico: Ez 21–23 4. O que estava errado com a atitude de Pedro antes da crucifixão de Cristo? Mt 26:31-35 Pedro foi precipitado e arrogante por duas vezes nesses versos declarou diante de todos que Jesus estava equivocado. Mt 26:31-35. A primeira quando Cristo revelou a aplicação da profecia predita por Zacarias no capítulo 13:7. “Todos vós esta noite vos escandalizareis em mim, porque está escrito: Ferirei o pastor, e as ovelhas do rebanho se dispersarão.”; “Mas Pedro, respondendo, disse-lhe: Ainda que todos se escandalizem em ti, eu nunca me escandalizarei.” E a segunda quando Jesus afirmou sobre ele “Em verdade te digo que, nesta mesma noite, antes que o galo cante, três vezes me negarás.” mas “Respondeu-lhe Pedro: Ainda que me seja necessário morrer contigo, de modo algum te negarei.” Agindo desta forma Pedro estava desacreditando de Cristo, contrariando a palavra de Deus, “E o mesmo disseram todos os discípulos”. Pedro não conhecia a si mesmo e nem podia sonhar com sua futura reação de espanto e covardia; por isso a bíblia nos ensina a desconfiarmos de nos mesmos Jr 17:9, e ficarmos firmes na palavra de Deus que é a verdade Jo 17:17, ela é viva, eficaz e permanece para sempre 1 Pd 1:23-25. Ocultos em seu coração havia elementos de mal que as circunstâncias fariam germinar. A menos que ele fosse levado à consciência de seu perigo, esses elementos se demonstrariam sua eterna ruína. O Salvador viu nele um amor-próprio e segurança que sobrepujariam mesmo o amor de Cristo. Em sua vida se revelara muito de enfermidade, pecado não mortificado, descuido de espírito, gênio não santificado e temeridade para entrar em tentação. A solene advertência de Cristo era um chamado a exame de coração. Pedro necessitava desconfiar de si mesmo, e ter maior fé em Cristo. Houvesse ele recebido com humildade a advertência, teria recorrido ao Pastor do rebanho para que guardasse Sua ovelha. O Desejado de Todas as Nações, 673. Pedro era naturalmente ousado e impulsivo, e Satanás se aproveitara dessas características para o derrotar. Mesmo antes da queda de Pedro, Jesus lhe dissera: "Satanás vos pediu para vos cirandar como trigo; mas Eu roguei por ti, para que a tua fé não desfaleça; e tu, quando te converteres, confirma teus irmãos." Luc. 22:31 e 32. Chegara então esse tempo, e era evidente a transformação de Pedro. As incisivas, penetrantes perguntas do Senhor não provocaram réplica ousada, presunçosa; e, em virtude de sua humilhação e arrependimento, Pedro estava mais bem preparado do que nunca para agir como pastor junto ao rebanho. O Desejado de Todas as Nações, 812. 5. Leia João 20:24-29. O que essa passagem revela sobre Tomé? Que lições podemos tirar desse texto? Tomé foi incrédulo, ciumento e presunçoso, não confiando no testemunho de seus irmãos de fé. “Disseram-lhe, pois, os outros discípulos: Vimos o Senhor. Mas ele disse-lhes: Se eu não vir o sinal dos cravos em suas mãos, e não puser o dedo no lugar dos cravos, e não puser a minha mão no seu lado, de maneira nenhuma o crerei.” Jo 20:24-29. Jesus aparece entre eles e repreende a Tomé "Chegou Jesus, estando as portas fechadas, e apresentou-se no meio, e disse: Paz seja convosco! Depois, disse a Tomé: Põe aqui o teu dedo e vê as minhas mãos; chega a tua mão e põe-na no meu lado; não sejas incrédulo, mas crente. Tomé respondeu e disse-lhe: Senhor meu, e Deus meu! Disse-lhe Jesus: Porque me viste, Tomé, creste; bem-aventurados os que não viram e creram! Jo 20:24-29. Nessa ocasião Tomé não estava presente. Ele não quis aceitar humildemente o relato dos discípulos, mas firmemente, e com confiança em si próprio, afirmou que não creria, a menos que pusesse os dedos nos sinais dos cravos, e a mão no lado em que a lança cruel fora arremessada. Nisso mostrou falta de confiança em seus irmãos. Se todos exigissem a mesma prova, ninguém hoje receberia a Jesus, nem creria em Sua ressurreição. Mas foi a vontade de Deus que a notícia dos discípulos fosse recebida por aqueles mesmos que não podiam ver e ouvir o Salvador ressuscitado. História da Redenção, 236. (Tomé) Reconheceu como seu Senhor Aquele que Se achava diante dele. Não desejou mais provas. O coração saltou-lhe de alegria, e lançou-se aos pés de Jesus, exclamando: "Senhor meu, e Deus meu!" João 20:28. Jesus lhe aceitou o reconhecimento, mas reprovou brandamente sua incredulidade: "Porque Me viste, Tomé, creste; bem-aventurados os que não viram e creram." João 20:29. A fé de Tomé teria sido mais agradável a Cristo, se ele tivesse sido pronto a crer pelo testemunho de seus irmãos. Seguisse hoje o mundo o exemplo de Tomé, e ninguém haveria de crer para salvação; pois todos quantos recebem a Cristo devem fazê-lo mediante o testemunho de outros. O Desejado de Todas as Nações, 807. Quarta - A decisão de voltar Ano Bíblico: Ez 24–26 6. Leia Lucas 15:11-21. O que impeliu o filho pródigo a voltar para casa? Que princípios de reavivamento e reforma descobrimos nessa passagem? ramos@advir.comramos@advir.com
  4. 4. E o filho havendo gastado tudo, houve naquela terra uma grande fome, e começou a padecer necessidades. E foi e chegou- se a um dos cidadãos daquela terra, o qual o mandou para os seus campos a apascentar porcos. E desejava encher o seu estômago com as bolotas que os porcos comiam, e ninguém lhe dava nada. (Reavivamento) “E, caindo em si”, viu que estava sofrendo à consequência de suas más escolhas, e lembrou-se do amor e da benignidade do pai e “disse: Quantos trabalhadores de meu pai têm abundância de pão, e eu aqui pereço de fome!” (Reforma) “Levantar-me-ei, e irei ter com meu pai, e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e perante ti. Já não sou digno de ser chamado teu filho; faze-me como um dos teus trabalhadores. E, levantando-se, foi para seu pai”; e, quando ainda estava longe, viu-o seu pai, e se moveu de íntima compaixão, e, correndo, lançou-se-lhe ao pescoço, e o beijou. E o filho lhe disse: Pai, pequei contra o céu e perante ti e já não sou digno de ser chamado teu filho. Lc 15:11-21. O amor de Deus anela sempre aquele que dEle se afastou, e põe em operação influências para fazê-lo tornar à casa paterna. O filho pródigo, em sua miséria, voltou a si. O poder ilusório que Satanás sobre ele exercia, foi quebrado. Viu que o sofrimento era consequência de sua própria loucura, e disse: "Quantos trabalhadores de meu pai têm abundância de pão, e eu aqui pereço de fome! Levantar-me-ei, e irei ter com meu pai." Luc. 15:17 e 18. Miserável como era, o pródigo achou esperança na convicção do amor do pai. Era aquele amor que o estava impelindo para o lar. Assim, a certeza do amor de Deus é que move o pecador a voltar para Ele. "A benignidade de Deus te leva ao arrependimento." Rom. 2:4. Uma cadeia dourada, a graça e compaixão do amor divino, é atada ao redor de toda pessoa em perigo. O Senhor declara: "Com amor eterno te amei; também com amorável benignidade te atraí." Jer. 31:3. Parábolas de Jesus, 202. 7. Leia o discurso do filho em Lucas 15:18, 19 e a interrupção feita pelo pai nos versos 20-24. O que essa interrupção revela sobre a atitude do pai para com o filho e sobre a atitude de Deus para conosco? O pai teve íntima compaixão do filho "E se moveu de íntima compaixão, e, correndo, lançou-se-lhe ao pescoço, e o beijou.” Luc. 15:20. E o pai disse aos servos "Trazei depressa a melhor roupa, e vesti-lho, e ponde-lhe um anel na mão e sandálias nos pés, e trazei o bezerro cevado, e matai-o; e comamos e alegremo-nos, porque este meu filho estava morto e reviveu; tinha-se perdido e foi achado. E começaram a alegrar-se." Luc. 15:22-24. Este é o caráter divino “Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor”. 1 Jo 4:8. "quando ainda estava longe" o pai distingue o vulto. O amor tem bons olhos. Nem o definhamento causado pelos anos de pecados pode ocultar o filho aos olhos do pai. "E se moveu de íntima compaixão, e, correndo, lançou-se-lhe ao pescoço" num abraço terno e amoroso. Luc. 15:20. O pai não permite que olhos desdenhosos vejam a miséria e as vestes esfarrapadas do filho. Toma de seus próprios ombros o manto amplo e valioso, e lança-o em volta do corpo combalido do filho, e o jovem soluça seu arrependimento, dizendo: "Pai, pequei contra o Céu e perante ti e já não sou digno de ser chamado teu filho." Luc. 15:21. O pai toma-o consigo e leva-o para casa. Não lhe é dada a oportunidade de pedir a posição do trabalhador. É um filho que deve ser honrado com o melhor que a casa pode oferecer, e ser servido e respeitado pelos criados e criadas. O pai diz aos servos: "Trazei depressa a melhor roupa, e vesti-lho, e ponde-lhe um anel na mão e sandálias nos pés, e trazei o bezerro cevado, e matai-o; e comamos e alegremo-nos, porque este meu filho estava morto e reviveu; tinha-se perdido e foi achado. E começaram a alegrar-se." Luc. 15:22-24. Em sua irrequieta juventude, o filho pródigo considerava o pai inflexível e austero. Que diferente é sua concepção dele agora! Assim também os engodados por Satanás consideram Deus áspero e severo. Vêem-nO esperando para os denunciar e condenar, como se não tivesse vontade de receber o pecador enquanto houver uma desculpa legítima para não o auxiliar. Consideram Sua lei uma restrição à felicidade humana, jugo opressor de que se alegram em escapar. Todavia o homem cujos olhos foram abertos por Cristo, reconhecerá a Deus como cheio de compaixão. Não lhe parece um tirano inexorável, mas um pai ansioso por abraçar o filho arrependido. O pecador, com o salmista, exclamará: "Como um pai se compadece de seus filhos, assim o Senhor Se compadece daqueles que O temem." Sal. 103:13. Parábolas de Jesus, 203-204. Quinta - Fé para agir Ano Bíblico: Ez 27–29 8. Leia João 5:1-14. Por que Jesus perguntou: “queres ser curado?” (Jo 5:6). Não é bastante óbvio que qualquer enfermo por tanto tempo gostaria de ser curado? Qual foi a motivação de Jesus? Qual foi a resposta do homem? Jo 5:7 Jesus queria que o homem materializasse à fé na Sua palavra. “Levanta-te, toma o teu leito e anda”, e fosse restaurado. A pergunta “queres ser curado?” foi para lhe restaurar a esperança, inúmeras vezes frustradas ao longo dos anos, mas agora confiando em Jesus “Imediatamente o homem ficou são; e, tomando o seu leito, começou a andar”. Ele creu, obedeceu e foi curado. Jo 5:1-14. Houve o paralítico, e, falando Cristo com ele, esse indivíduo contou-Lhe a lamentável história de como, assim que ele descia à água para ser curado, alguma outra pessoa entrava antes dele. Cristo perguntou-lhe: "Queres ser curado?" João 5:6. Que pergunta! Era por isso que ele estava ali, mas Cristo queria suscitar a expressão do desejo de ser curado no coração desse homem. E quando Cristo ordenou que ele se levantasse, tomasse o seu leito e andasse, o homem fez exatamente o que Cristo determinou. Ele não disse: "Ora essa! Estou aqui há trinta anos, e não dei um só passo durante esse tempo." Não se deteve para argumentar, mas fez exatamente o que lhe foi ordenado. Tomou o seu leito e saiu andando, e ficou curado desse momento em diante. Fé e Obras, 68. ramos@advir.comramos@advir.com
  5. 5. “Se você crê na promessa – crê que está perdoado e purificado – Deus supre o fato: você é curado, exatamente como Cristo conferiu ao paralítico poder para caminhar quando o homem acreditou que estava curado. Assim é se você crer. Caminho a Cristo, 51. ❉ Sexta - Conclusão: Ano Bíblico: Ez 30–32 ✰ Domingo - Graça para crescer: Tiago e João tinham um espírito de indignação e vingança; isso foi demonstrado em sua intenção de destruir os samaritanos por não terem sido hospitaleiros com seu mestre; “Senhor, queres que digamos que desça fogo do céu e os consuma, como Elias também fez? ” Lc 9:51-56. Eram orgulhosos e ambiciosos, desejavam ser os primeiros no reino de Deus Mt 20:20-28. João não somente era ouvinte, mas cumpridor das palavras de cristo, e assim se tornou manso, humilde e amoroso por estar intimamente unido a Jesus Jo 14:23-24. “E nisto sabemos que o conhecemos: se guardarmos os seus mandamentos. Aquele que diz: Eu conheço-o e não guarda os seus mandamentos é mentiroso, e nele não está a verdade. (Jo 14:15; Jo 15:10; 1Jo 3:24) Mas qualquer que guarda a sua palavra, o amor de Deus está nele verdadeiramente aperfeiçoado; nisto conhecemos que estamos nele. Aquele que diz que está nele também deve andar como ele andou. … Aquele que diz que está na luz e aborrece a seu irmão até agora está em trevas. 1Jo 2:1-9. ✰ Segunda - Poder de escolha: “Operai a vossa salvação” significa aceitar, obedecer e cooperar voluntariamente com o plano divino. Fp 2:12. “com temor” é com respeito diante do Senhor, sem arrogância, altivez. Mq 6:8. “e tremor” significa reconhecer a nossa limitação; “E é por Cristo que temos tal confiança em Deus; não que sejamos capazes, por nós, de pensar alguma coisa, como de nós mesmos; mas a nossa capacidade vem de Deus.” 2 Co 3:4-5; e a dependência que temos de Jesus Jo 15:4-5. “Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar”. Devemos reconhecer que “Toda boa dádiva e todo dom perfeito vêm do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança, nem sombra de variação.” Tg 1:17. Se tivermos intimidade com Cristo teremos o Seu Espírito Ez 36:26-27; e compartilharemos de Seu caráter; “Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio”. Gl 5:22-23. ✰ Terça - Confiança e dúvida: Pedro foi precipitado e arrogante por duas vezes nesses versos declarou diante de todos que Jesus estava equivocado. Mt 26:31-35. A primeira quando Cristo revelou a aplicação da profecia predita por Zacarias no capítulo 13:7. “Todos vós esta noite vos escandalizareis em mim, porque está escrito: Ferirei o pastor, e as ovelhas do rebanho se dispersarão.”; “Mas Pedro, respondendo, disse-lhe: Ainda que todos se escandalizem em ti, eu nunca me escandalizarei.” E a segunda quando Jesus afirmou sobre ele “Em verdade te digo que, nesta mesma noite, antes que o galo cante, três vezes me negarás.” mas “Respondeu-lhe Pedro: Ainda que me seja necessário morrer contigo, de modo algum te negarei.” Agindo desta forma Pedro estava desacreditando de Cristo, contrariando a palavra de Deus, “E o mesmo disseram todos os discípulos”. Pedro não conhecia a si mesmo e nem podia sonhar com sua futura reação de espanto e covardia; por isso a bíblia nos ensina a desconfiarmos de nos mesmos Jr 17:9, e ficarmos firmes na palavra de Deus que é a verdade Jo 17:17, ela é viva, eficaz e permanece para sempre 1 Pd 1:23-25. Tomé foi incrédulo, ciumento e presunçoso, não confiando no testemunho de seus irmãos de fé. “Disseram-lhe, pois, os outros discípulos: Vimos o Senhor. Mas ele disse-lhes: Se eu não vir o sinal dos cravos em suas mãos, e não puser o dedo no lugar dos cravos, e não puser a minha mão no seu lado, de maneira nenhuma o crerei.” Jo 20:24-29. Jesus aparece entre eles e repreende a Tomé "Chegou Jesus, estando as portas fechadas, e apresentou-se no meio, e disse: Paz seja convosco! Depois, disse a Tomé: Põe aqui o teu dedo e vê as minhas mãos; chega a tua mão e põe-na no meu lado; não sejas incrédulo, mas crente. Tomé respondeu e disse-lhe: Senhor meu, e Deus meu! Disse-lhe Jesus: Porque me viste, Tomé, creste; bem-aventurados os que não viram e creram! Jo 20:24-29. ✰ Quarta - A decisão de voltar: E o filho havendo gastado tudo, houve naquela terra uma grande fome, e começou a padecer necessidades. E foi e chegou-se a um dos cidadãos daquela terra, o qual o mandou para os seus campos a apascentar porcos. E desejava encher o seu estômago com as bolotas que os porcos comiam, e ninguém lhe dava nada. (Reavivamento) “E, caindo em si”, viu que estava sofrendo à consequência de suas más escolhas, e lembrou-se do amor e da benignidade do pai e “disse: Quantos trabalhadores de meu pai têm abundância de pão, e eu aqui pereço de fome!” (Reforma) “Levantar-me-ei, e irei ter com meu pai, e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e perante ti. Já não sou digno de ser chamado teu filho; faze-me como um dos teus trabalhadores. E, levantando-se, foi para seu pai”; e, quando ainda estava longe, viu-o seu pai, e se moveu de íntima compaixão, e, correndo, lançou-se-lhe ao pescoço, e o beijou. E o filho lhe disse: Pai, pequei contra o céu e perante ti e já não sou digno de ser chamado teu filho. Lc 15:11-21. O pai teve íntima compaixão do filho. Luc. 15:20. E o pai disse aos servos "Trazei depressa a melhor roupa, e vesti-lho, e ponde-lhe um anel na mão e sandálias nos pés, e trazei o bezerro cevado, e matai-o; e comamos e alegremo-nos, porque este meu filho estava morto e reviveu; tinha-se perdido e foi achado. E começaram a alegrar-se." Luc. 15:22-24. Este é o caráter divino “Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor”. 1 Jo 4:8. ✰ Quinta - Fé para agir: Jesus queria que o homem materializasse à fé na Sua palavra. “Levanta-te, toma o teu leito e anda”, e fosse restaurado. A pergunta “queres ser curado?” foi para lhe restaurar a esperança, inúmeras vezes frustradas ao longo dos anos, mas agora confiando em Jesus “Imediatamente o homem ficou são; e, tomando o seu leito, começou a andar”. Ele creu, obedeceu e foi curado. Jo 5:1-14. ramos@advir.comramos@advir.com

×