SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 2
Risco Causa Efeito Frequência Severidade Categoria do
Risco
Medidas de Controle
 Colisão de durante
a manobra de
atracação.
 Falta de defensas na plataforma do píer;
 Condições desfavoráveis de vento e
maré;
 Falha de sinalização.
 Danos materiais e
ao meio ambiente.
 Prever a instalação de defensas nos dolfins do
píer;
 Manter observador qualificado durante a
execução do trabalho com recurso de comunicação
com o rebocador;
 Inspecionar cabos de amarração e utilizar cabos
de amarração apropriados;
 Monitorar estado dos cabeços de amarração das
barcaças e rebocador;
 Colisão entre
embarcações ou bóia
de sinalização
 Imperícia na execução de manobras;
 Falta de visibilidade
 Sinalização inadequada
 Lesões pessoais
(múltiplas)
 Danos materiais
 Danos ambientais
 Não realizar manobras com embarcações em
condições desfavoráveis de maré, luminosidade,
visibilidade ou condições climáticas severas;
 Sinalizar adequadamente as embarcações
(aplicação da sinalização náutica)
 Comunicação constante via rádio;
 Encalhe da
embarcação
 Imperícia na condução da embarcação
 Falta de visibilidade
 Sinalização inadequada
 Lesões pessoais
(múltiplas)
 Danos materiais
 Danos ambientais
 Não movimentar as embarcações em condições
desfavoráveis de luminosidade, visibilidade ou
condições climáticas severas;
 Queda de homem
ao mar
 Trabalho em posição desfavorável;
 Acesso inseguro a embarcações
 Lesões pessoais
(Afogamento)
 Utilizar obrigatoriamente o colete salva-vidas
durante trabalhos que representem riscos de queda
ao mar;
 Utilizar prancha adequada para acesso ao píer;
 Utilizar somente escadas regulamentadas para
acesso ao navio (Escada de prático/Escada de
Porta-ló)
 Queda de materiais
ou equipamentos
 Falha no equipamento de guindar durante
movimentação de mangotes ou cargas
 Lesões pessoais
(Múltiplas)
 Danos materiais
 Inspecionar lingadas e estropos a serem
utilizados nas movimentações de carga;
 Impedir a presença de pessoas sob cargas em
movimento;
 Utilizar recursos de sinalizador para orientar o
operador do guindaste nas manobras;
 Contato acidental
com ferramentas ou
partes de equipamentos
 Não utilização de EPI;
 Desorganização no ambiente de trabalho
 Lesões pessoais
(Cortes e Lacerações)
 Desenvolver cultura de utilização de EPI´s
obrigatórios. (Capacete, óculos de segurança, luvas
de vaqueta e botina de segurança)
 Riscos ergonômicos  Realização de trabalhos em posição ou
posturas inadequadas
 Lesões pessoais
(Distensões e/ou
luxações)
 Orientar a equipe para os riscos inerentes as
atividades desenvolvidas;
 Realizar exercícios de alongamento antes dos
início das tarefas;
 Evitar permanecer por muito tempo em uma
determinada posição.
 Derrame de
hidrocarboneto no
convés, no píer ou no
mar
 Falha no procedimento de conexão ou
desconexão;
 Rompimento de mangotes;
 Extravasamento de tanque do navio ou da
barcaça;
 Contra pressão provocada por erro de
alinhamento a bordo;
 Aumento indevido de vazão de
carregamento
 Lesões pessoais
(intoxicação /
contaminação);
 Danos ao meio
ambiente.
 Utilizar juntas novas, reduções padronizadas e
conexões aparafusadas (não utilizar grampos);
 Monitorar utilização dos mangotes, registrando
dados (hora, produto, volume, pressão, vazão);
 Testar mangotes de acordo com plano de testes;
 Confirmar com navio espaço disponível e volume
a ser entregue antes do início da operação;
 Trocar periodicamente informações operacionais
entre as partes (vazão, previsão, acumulado).
 Utilizar EPI obrigatórios na conexão e
desconexão dos mangotes.
 Incêndio e/ou
explosões
 Presença de vapores de hidrocarbonetos +
fonte de ignição
 Lesões pessoais
 Danos materiais
 Danos ao meio
ambiente
 Utilizar cabo terra com pinça, disjuntor de
proteção e lâmpada indicadora de contato;
 Instalar placa de advertência proibindo: fumo,
produção de calor, centelhas, fagulhas, uso de
celular, máquina fotográfica, filmadora;
 Aterrar equipamentos que tenham contato com o
produto (de medição, de coleta de amostras, de
tomada de temperatura).
 Afundamento  Perfuração do casco em local abaixo da linha
d´água
 Danos materiais
 Danos ao meio
ambiente
 Realizar inspeções periódicas dos peak-tank's,
confirmando a estanqueidade;
 Substituir borrachas de vedação das bocas de
visita dos peak-tank's quando apresentarem
deformações;
 Realizar as docagens a seco dentro do previsto
pela sociedade classificadora ou autoridades,
reparando conforme necessário.
 Exposição a
intempéries
 Exposição a condições climáticas
(chuva/frio/calor)
 Lesões pessoais  Utilizar EPI's obrigatório (capa de chuva,
agasalho no inverno, protetor solar)
 Dotar de abrigo no convés para a área de
operação
 Exposição a ruído  Não utilização de protetor auricular  Lesões pessoais
(danos auditivos)
 Utilizar protetor auricular durante trabalhos na
praça de máquinas
 Exposição e contato
com hidrocarbonetos
 Não utilização de EPI's
 Utilizar uniforme irregularmente
 Lesões pessoais;
(dermatite por
contato,
contaminação
respiratória)
 Utilizar os EPI's obrigatório (Luvas de PVC de
cano longo com forro, Máscaras com filtro)
 Utilizar uniforme em boas condições
 Não permanecer em locais contaminados com
gases de hidrocarbonetos sem proteção adequada.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apr 003 rev 09 carga descarga de materiais -içamento de cargas e meio ambiente
Apr 003  rev 09 carga descarga de materiais -içamento de cargas e meio ambienteApr 003  rev 09 carga descarga de materiais -içamento de cargas e meio ambiente
Apr 003 rev 09 carga descarga de materiais -içamento de cargas e meio ambiente
Orlando Junior Binda
 
Procedimento para utilização e inspeção de cintas e cabos
Procedimento para utilização e inspeção de cintas e cabosProcedimento para utilização e inspeção de cintas e cabos
Procedimento para utilização e inspeção de cintas e cabos
Universidade Federal Fluminense
 

Mais procurados (20)

Apr 003 rev 09 carga descarga de materiais -içamento de cargas e meio ambiente
Apr 003  rev 09 carga descarga de materiais -içamento de cargas e meio ambienteApr 003  rev 09 carga descarga de materiais -içamento de cargas e meio ambiente
Apr 003 rev 09 carga descarga de materiais -içamento de cargas e meio ambiente
 
Treinamento nr34 trabalho a quente novo
Treinamento nr34 trabalho a quente novoTreinamento nr34 trabalho a quente novo
Treinamento nr34 trabalho a quente novo
 
APR
APRAPR
APR
 
Apr 01 - plantio de grama
Apr   01 - plantio de gramaApr   01 - plantio de grama
Apr 01 - plantio de grama
 
O.s para padeiros
O.s para padeirosO.s para padeiros
O.s para padeiros
 
Analise preliminar de riscos 22
Analise preliminar de riscos 22Analise preliminar de riscos 22
Analise preliminar de riscos 22
 
Check list andaimes
Check   list andaimesCheck   list andaimes
Check list andaimes
 
14671479-APR-ANALISE-PRELIMINAR-DE-RISCO.doc
14671479-APR-ANALISE-PRELIMINAR-DE-RISCO.doc14671479-APR-ANALISE-PRELIMINAR-DE-RISCO.doc
14671479-APR-ANALISE-PRELIMINAR-DE-RISCO.doc
 
CERTIFICADO NR 06
CERTIFICADO NR 06 CERTIFICADO NR 06
CERTIFICADO NR 06
 
Check List Escadas
Check List EscadasCheck List Escadas
Check List Escadas
 
Apr trabalho em altura
Apr trabalho em alturaApr trabalho em altura
Apr trabalho em altura
 
Modelo apr perfuratriz
Modelo apr perfuratrizModelo apr perfuratriz
Modelo apr perfuratriz
 
O.S Ordem de Serviço - NR1
O.S   Ordem de Serviço - NR1O.S   Ordem de Serviço - NR1
O.S Ordem de Serviço - NR1
 
Apr hr
Apr hrApr hr
Apr hr
 
St apr análise preliminar de risco 04 12-2009 rev1
St apr análise preliminar de risco 04 12-2009 rev1St apr análise preliminar de risco 04 12-2009 rev1
St apr análise preliminar de risco 04 12-2009 rev1
 
Treinamento para operador de empilhadeira
Treinamento para operador de empilhadeiraTreinamento para operador de empilhadeira
Treinamento para operador de empilhadeira
 
NR 11
NR 11 NR 11
NR 11
 
Procedimento para utilização e inspeção de cintas e cabos
Procedimento para utilização e inspeção de cintas e cabosProcedimento para utilização e inspeção de cintas e cabos
Procedimento para utilização e inspeção de cintas e cabos
 
232107594 treinamento-serra-policorte
232107594 treinamento-serra-policorte232107594 treinamento-serra-policorte
232107594 treinamento-serra-policorte
 
Avaliação nr33
Avaliação nr33Avaliação nr33
Avaliação nr33
 

Destaque

(Modelo de apr análise preliminar de risco - 2)
(Modelo de apr   análise preliminar de risco - 2)(Modelo de apr   análise preliminar de risco - 2)
(Modelo de apr análise preliminar de risco - 2)
Luis Araujo
 
Art analise-de-risco-do-trabalho - cópia
Art analise-de-risco-do-trabalho - cópiaArt analise-de-risco-do-trabalho - cópia
Art analise-de-risco-do-trabalho - cópia
Veras Reis Reis
 
Procedimento de montagem elétrica
Procedimento de  montagem elétricaProcedimento de  montagem elétrica
Procedimento de montagem elétrica
Ramos Bahya
 
Apr acabamento obra
Apr   acabamento obraApr   acabamento obra
Apr acabamento obra
Leicy Rosa
 
Segurança do trabalho nwn
Segurança do trabalho nwn  Segurança do trabalho nwn
Segurança do trabalho nwn
Nestor Neto
 

Destaque (17)

(Modelo de apr análise preliminar de risco - 2)
(Modelo de apr   análise preliminar de risco - 2)(Modelo de apr   análise preliminar de risco - 2)
(Modelo de apr análise preliminar de risco - 2)
 
Analise de risco em branco[1]
Analise de risco em branco[1]Analise de risco em branco[1]
Analise de risco em branco[1]
 
Ficha de análise de risco
Ficha de análise de riscoFicha de análise de risco
Ficha de análise de risco
 
Art analise-de-risco-do-trabalho - cópia
Art analise-de-risco-do-trabalho - cópiaArt analise-de-risco-do-trabalho - cópia
Art analise-de-risco-do-trabalho - cópia
 
Formulario hemocomponentes
Formulario hemocomponentesFormulario hemocomponentes
Formulario hemocomponentes
 
(Modelo de apr análise preliminar de risco - 2)
(Modelo de apr   análise preliminar de risco - 2)(Modelo de apr   análise preliminar de risco - 2)
(Modelo de apr análise preliminar de risco - 2)
 
Nbr iso-12100-sm-principios-gerais-de-projeto-apreciacao-e-reducao-de-riscos
Nbr iso-12100-sm-principios-gerais-de-projeto-apreciacao-e-reducao-de-riscosNbr iso-12100-sm-principios-gerais-de-projeto-apreciacao-e-reducao-de-riscos
Nbr iso-12100-sm-principios-gerais-de-projeto-apreciacao-e-reducao-de-riscos
 
APR - Extintor
APR - ExtintorAPR - Extintor
APR - Extintor
 
Apr nivel 1
Apr nivel 1Apr nivel 1
Apr nivel 1
 
Analise-de-seguranca-da-tarefa
Analise-de-seguranca-da-tarefaAnalise-de-seguranca-da-tarefa
Analise-de-seguranca-da-tarefa
 
Procedimento de montagem elétrica
Procedimento de  montagem elétricaProcedimento de  montagem elétrica
Procedimento de montagem elétrica
 
Modelo de Cronograma de Treinamento Continuado da Brigada
Modelo de Cronograma de Treinamento Continuado da BrigadaModelo de Cronograma de Treinamento Continuado da Brigada
Modelo de Cronograma de Treinamento Continuado da Brigada
 
Apr acabamento obra
Apr   acabamento obraApr   acabamento obra
Apr acabamento obra
 
SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO PORTUÁRIO - Manual Técnico da NR 29
SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO PORTUÁRIO - Manual Técnico da NR 29SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO PORTUÁRIO - Manual Técnico da NR 29
SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO PORTUÁRIO - Manual Técnico da NR 29
 
Permissão de Trabalho - PT 0001
Permissão de Trabalho - PT 0001Permissão de Trabalho - PT 0001
Permissão de Trabalho - PT 0001
 
Apr modelo
Apr modeloApr modelo
Apr modelo
 
Segurança do trabalho nwn
Segurança do trabalho nwn  Segurança do trabalho nwn
Segurança do trabalho nwn
 

Semelhante a Modelo analise de risco

APR - ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCOS Revisão_ 00 29_08_2014 Atividade Perigo Ca...
APR - ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCOS Revisão_ 00 29_08_2014 Atividade Perigo Ca...APR - ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCOS Revisão_ 00 29_08_2014 Atividade Perigo Ca...
APR - ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCOS Revisão_ 00 29_08_2014 Atividade Perigo Ca...
AndrSantos687125
 
PRO 015_PROCEDIMENTO DE OPERAÇÃO DE MOTOPODA Rev.03
PRO 015_PROCEDIMENTO DE OPERAÇÃO DE MOTOPODA Rev.03PRO 015_PROCEDIMENTO DE OPERAÇÃO DE MOTOPODA Rev.03
PRO 015_PROCEDIMENTO DE OPERAÇÃO DE MOTOPODA Rev.03
Jussiê Pereira da Silva
 
024.apr.16.09 -montagem_de_tubulações_envelopes_02
024.apr.16.09  -montagem_de_tubulações_envelopes_02024.apr.16.09  -montagem_de_tubulações_envelopes_02
024.apr.16.09 -montagem_de_tubulações_envelopes_02
Jupira Silva
 
PRO 011_PROCEDIMENTO DE IRRIGAÇÃO DE GRAMAS E JARDINS COM CAMINHÃO PIPA_REV 04
PRO 011_PROCEDIMENTO DE IRRIGAÇÃO DE GRAMAS E JARDINS COM CAMINHÃO PIPA_REV 04PRO 011_PROCEDIMENTO DE IRRIGAÇÃO DE GRAMAS E JARDINS COM CAMINHÃO PIPA_REV 04
PRO 011_PROCEDIMENTO DE IRRIGAÇÃO DE GRAMAS E JARDINS COM CAMINHÃO PIPA_REV 04
Jussiê Pereira da Silva
 
O.S PERISVALDO SOUZA PIRES.doc
O.S PERISVALDO SOUZA PIRES.docO.S PERISVALDO SOUZA PIRES.doc
O.S PERISVALDO SOUZA PIRES.doc
IgoCruz2
 
JHA04_Temporary Construction Facilities Assembly_Rev00 PT.pdf
JHA04_Temporary Construction Facilities Assembly_Rev00 PT.pdfJHA04_Temporary Construction Facilities Assembly_Rev00 PT.pdf
JHA04_Temporary Construction Facilities Assembly_Rev00 PT.pdf
JESUSBASILIOANTONIO
 
APR N 006 - APLICAÇÃO DE HERBICIDAS.docx
APR N 006 - APLICAÇÃO DE HERBICIDAS.docxAPR N 006 - APLICAÇÃO DE HERBICIDAS.docx
APR N 006 - APLICAÇÃO DE HERBICIDAS.docx
ThiagoFigueiredo37
 
NR18 - Modelo de Ordem de Servico - Pedreiro - 2023.docx
NR18 - Modelo de Ordem de Servico - Pedreiro - 2023.docxNR18 - Modelo de Ordem de Servico - Pedreiro - 2023.docx
NR18 - Modelo de Ordem de Servico - Pedreiro - 2023.docx
renan273663
 

Semelhante a Modelo analise de risco (20)

APR LIMPEZA DE TANQUE.docx
APR LIMPEZA DE TANQUE.docxAPR LIMPEZA DE TANQUE.docx
APR LIMPEZA DE TANQUE.docx
 
APR - ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCOS Revisão_ 00 29_08_2014 Atividade Perigo Ca...
APR - ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCOS Revisão_ 00 29_08_2014 Atividade Perigo Ca...APR - ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCOS Revisão_ 00 29_08_2014 Atividade Perigo Ca...
APR - ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCOS Revisão_ 00 29_08_2014 Atividade Perigo Ca...
 
PRO 015_PROCEDIMENTO DE OPERAÇÃO DE MOTOPODA Rev.03
PRO 015_PROCEDIMENTO DE OPERAÇÃO DE MOTOPODA Rev.03PRO 015_PROCEDIMENTO DE OPERAÇÃO DE MOTOPODA Rev.03
PRO 015_PROCEDIMENTO DE OPERAÇÃO DE MOTOPODA Rev.03
 
APRIA - Atividade instalação linha de vida1.pdf
APRIA -  Atividade instalação linha de vida1.pdfAPRIA -  Atividade instalação linha de vida1.pdf
APRIA - Atividade instalação linha de vida1.pdf
 
024.apr.16.09 -montagem_de_tubulações_envelopes_02
024.apr.16.09  -montagem_de_tubulações_envelopes_02024.apr.16.09  -montagem_de_tubulações_envelopes_02
024.apr.16.09 -montagem_de_tubulações_envelopes_02
 
PRO 011_PROCEDIMENTO DE IRRIGAÇÃO DE GRAMAS E JARDINS COM CAMINHÃO PIPA_REV 04
PRO 011_PROCEDIMENTO DE IRRIGAÇÃO DE GRAMAS E JARDINS COM CAMINHÃO PIPA_REV 04PRO 011_PROCEDIMENTO DE IRRIGAÇÃO DE GRAMAS E JARDINS COM CAMINHÃO PIPA_REV 04
PRO 011_PROCEDIMENTO DE IRRIGAÇÃO DE GRAMAS E JARDINS COM CAMINHÃO PIPA_REV 04
 
APR_MONTAEM_E_DESMONTAGEM_DE_EQUIPAMENTOS_DE_MOVIMENTAÇÃO_DE_CARGAS.doc
APR_MONTAEM_E_DESMONTAGEM_DE_EQUIPAMENTOS_DE_MOVIMENTAÇÃO_DE_CARGAS.docAPR_MONTAEM_E_DESMONTAGEM_DE_EQUIPAMENTOS_DE_MOVIMENTAÇÃO_DE_CARGAS.doc
APR_MONTAEM_E_DESMONTAGEM_DE_EQUIPAMENTOS_DE_MOVIMENTAÇÃO_DE_CARGAS.doc
 
Npg man-305 apr
Npg man-305 aprNpg man-305 apr
Npg man-305 apr
 
Apresentação Integração.pptx
Apresentação Integração.pptxApresentação Integração.pptx
Apresentação Integração.pptx
 
O.S PERISVALDO SOUZA PIRES.doc
O.S PERISVALDO SOUZA PIRES.docO.S PERISVALDO SOUZA PIRES.doc
O.S PERISVALDO SOUZA PIRES.doc
 
SERVIÇOS DE PERFURAÇÃO, ENSAIO DE PERCA D’ÁGUA E INJEÇÃO DE CONCRETO
SERVIÇOS DE PERFURAÇÃO, ENSAIO DE PERCA D’ÁGUA E INJEÇÃO DE CONCRETOSERVIÇOS DE PERFURAÇÃO, ENSAIO DE PERCA D’ÁGUA E INJEÇÃO DE CONCRETO
SERVIÇOS DE PERFURAÇÃO, ENSAIO DE PERCA D’ÁGUA E INJEÇÃO DE CONCRETO
 
APR-de-Abertura-de-Vala-RV-6.pdf
APR-de-Abertura-de-Vala-RV-6.pdfAPR-de-Abertura-de-Vala-RV-6.pdf
APR-de-Abertura-de-Vala-RV-6.pdf
 
-Apr-Guindaste.pdf
-Apr-Guindaste.pdf-Apr-Guindaste.pdf
-Apr-Guindaste.pdf
 
APR Altura.doc
APR Altura.docAPR Altura.doc
APR Altura.doc
 
JHA04_Temporary Construction Facilities Assembly_Rev00 PT.pdf
JHA04_Temporary Construction Facilities Assembly_Rev00 PT.pdfJHA04_Temporary Construction Facilities Assembly_Rev00 PT.pdf
JHA04_Temporary Construction Facilities Assembly_Rev00 PT.pdf
 
MONTAGEM E DESMONTAGEM DE ANDAIME NA TORRE DE REFRIGERAÇÃO.doc
MONTAGEM E DESMONTAGEM DE ANDAIME NA TORRE DE REFRIGERAÇÃO.docMONTAGEM E DESMONTAGEM DE ANDAIME NA TORRE DE REFRIGERAÇÃO.doc
MONTAGEM E DESMONTAGEM DE ANDAIME NA TORRE DE REFRIGERAÇÃO.doc
 
armaz-estocagem-manu-transp-prod-quim.ppt
armaz-estocagem-manu-transp-prod-quim.pptarmaz-estocagem-manu-transp-prod-quim.ppt
armaz-estocagem-manu-transp-prod-quim.ppt
 
armaz-estocagem-manu-transp-prod-quim.ppt
armaz-estocagem-manu-transp-prod-quim.pptarmaz-estocagem-manu-transp-prod-quim.ppt
armaz-estocagem-manu-transp-prod-quim.ppt
 
APR N 006 - APLICAÇÃO DE HERBICIDAS.docx
APR N 006 - APLICAÇÃO DE HERBICIDAS.docxAPR N 006 - APLICAÇÃO DE HERBICIDAS.docx
APR N 006 - APLICAÇÃO DE HERBICIDAS.docx
 
NR18 - Modelo de Ordem de Servico - Pedreiro - 2023.docx
NR18 - Modelo de Ordem de Servico - Pedreiro - 2023.docxNR18 - Modelo de Ordem de Servico - Pedreiro - 2023.docx
NR18 - Modelo de Ordem de Servico - Pedreiro - 2023.docx
 

Último

atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
WelitaDiaz1
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
GisellySobral
 

Último (20)

Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdfApostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
 
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
 

Modelo analise de risco

  • 1. Risco Causa Efeito Frequência Severidade Categoria do Risco Medidas de Controle  Colisão de durante a manobra de atracação.  Falta de defensas na plataforma do píer;  Condições desfavoráveis de vento e maré;  Falha de sinalização.  Danos materiais e ao meio ambiente.  Prever a instalação de defensas nos dolfins do píer;  Manter observador qualificado durante a execução do trabalho com recurso de comunicação com o rebocador;  Inspecionar cabos de amarração e utilizar cabos de amarração apropriados;  Monitorar estado dos cabeços de amarração das barcaças e rebocador;  Colisão entre embarcações ou bóia de sinalização  Imperícia na execução de manobras;  Falta de visibilidade  Sinalização inadequada  Lesões pessoais (múltiplas)  Danos materiais  Danos ambientais  Não realizar manobras com embarcações em condições desfavoráveis de maré, luminosidade, visibilidade ou condições climáticas severas;  Sinalizar adequadamente as embarcações (aplicação da sinalização náutica)  Comunicação constante via rádio;  Encalhe da embarcação  Imperícia na condução da embarcação  Falta de visibilidade  Sinalização inadequada  Lesões pessoais (múltiplas)  Danos materiais  Danos ambientais  Não movimentar as embarcações em condições desfavoráveis de luminosidade, visibilidade ou condições climáticas severas;  Queda de homem ao mar  Trabalho em posição desfavorável;  Acesso inseguro a embarcações  Lesões pessoais (Afogamento)  Utilizar obrigatoriamente o colete salva-vidas durante trabalhos que representem riscos de queda ao mar;  Utilizar prancha adequada para acesso ao píer;  Utilizar somente escadas regulamentadas para acesso ao navio (Escada de prático/Escada de Porta-ló)  Queda de materiais ou equipamentos  Falha no equipamento de guindar durante movimentação de mangotes ou cargas  Lesões pessoais (Múltiplas)  Danos materiais  Inspecionar lingadas e estropos a serem utilizados nas movimentações de carga;  Impedir a presença de pessoas sob cargas em movimento;  Utilizar recursos de sinalizador para orientar o operador do guindaste nas manobras;  Contato acidental com ferramentas ou partes de equipamentos  Não utilização de EPI;  Desorganização no ambiente de trabalho  Lesões pessoais (Cortes e Lacerações)  Desenvolver cultura de utilização de EPI´s obrigatórios. (Capacete, óculos de segurança, luvas de vaqueta e botina de segurança)  Riscos ergonômicos  Realização de trabalhos em posição ou posturas inadequadas  Lesões pessoais (Distensões e/ou luxações)  Orientar a equipe para os riscos inerentes as atividades desenvolvidas;  Realizar exercícios de alongamento antes dos início das tarefas;  Evitar permanecer por muito tempo em uma determinada posição.
  • 2.  Derrame de hidrocarboneto no convés, no píer ou no mar  Falha no procedimento de conexão ou desconexão;  Rompimento de mangotes;  Extravasamento de tanque do navio ou da barcaça;  Contra pressão provocada por erro de alinhamento a bordo;  Aumento indevido de vazão de carregamento  Lesões pessoais (intoxicação / contaminação);  Danos ao meio ambiente.  Utilizar juntas novas, reduções padronizadas e conexões aparafusadas (não utilizar grampos);  Monitorar utilização dos mangotes, registrando dados (hora, produto, volume, pressão, vazão);  Testar mangotes de acordo com plano de testes;  Confirmar com navio espaço disponível e volume a ser entregue antes do início da operação;  Trocar periodicamente informações operacionais entre as partes (vazão, previsão, acumulado).  Utilizar EPI obrigatórios na conexão e desconexão dos mangotes.  Incêndio e/ou explosões  Presença de vapores de hidrocarbonetos + fonte de ignição  Lesões pessoais  Danos materiais  Danos ao meio ambiente  Utilizar cabo terra com pinça, disjuntor de proteção e lâmpada indicadora de contato;  Instalar placa de advertência proibindo: fumo, produção de calor, centelhas, fagulhas, uso de celular, máquina fotográfica, filmadora;  Aterrar equipamentos que tenham contato com o produto (de medição, de coleta de amostras, de tomada de temperatura).  Afundamento  Perfuração do casco em local abaixo da linha d´água  Danos materiais  Danos ao meio ambiente  Realizar inspeções periódicas dos peak-tank's, confirmando a estanqueidade;  Substituir borrachas de vedação das bocas de visita dos peak-tank's quando apresentarem deformações;  Realizar as docagens a seco dentro do previsto pela sociedade classificadora ou autoridades, reparando conforme necessário.  Exposição a intempéries  Exposição a condições climáticas (chuva/frio/calor)  Lesões pessoais  Utilizar EPI's obrigatório (capa de chuva, agasalho no inverno, protetor solar)  Dotar de abrigo no convés para a área de operação  Exposição a ruído  Não utilização de protetor auricular  Lesões pessoais (danos auditivos)  Utilizar protetor auricular durante trabalhos na praça de máquinas  Exposição e contato com hidrocarbonetos  Não utilização de EPI's  Utilizar uniforme irregularmente  Lesões pessoais; (dermatite por contato, contaminação respiratória)  Utilizar os EPI's obrigatório (Luvas de PVC de cano longo com forro, Máscaras com filtro)  Utilizar uniforme em boas condições  Não permanecer em locais contaminados com gases de hidrocarbonetos sem proteção adequada.