O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

OBESIDADE E QUEDA DA IMUNIDADE OU RESISTÊNCIA

172 visualizações

Publicada em

NO ENTANTO, DESCOBERTAS RECENTES DESTACARAM O IMPACTO SUBSTANCIAL QUE OS PARÂMETROS DE OBESIDADE E SM – SINDROME METABÓLICA APRESENTAM NA IMUNIDADE E NA DEFESA DE PATÓGENOS (VEICULOS DA DOENÇA, COMO NESSE CASO É O COVID 19, INCLUINDO A INTERRUPÇÃO DA INTEGRIDADE DO TECIDO LINFÓIDE; ALTERAÇÕES NO DESENVOLVIMENTO DE LEUCÓCITOS, FENÓTIPOS (PROPENSÃO GENÉTICA E MEIO AMBIENTE) E ATIVIDADE; E A COORDENAÇÃO DE RESPOSTAS IMUNES INATAS E ADAPTATIVAS. ESSAS ALTERAÇÕES ESTÃO ASSOCIADAS A UM IMPACTO NEGATIVO GERAL NA PROGRESSÃO DA DOENÇA CRÔNICA, IMUNIDADE A INFECÇÕES E EFICÁCIA DA VACINA

Publicada em: Saúde e medicina
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

OBESIDADE E QUEDA DA IMUNIDADE OU RESISTÊNCIA

  1. 1. OBESIDADE E QUEDA DA IMUNIDADE OU RESISTÊNCIA OBESIDADE E QUEDA DA IMUNIDADE OU RESISTÊNCIA: APÓS A OMS DECLARAR QUE O CORONA VIRUS (COVID 19) SER UMA PANDEMIA MUNDIAL 100 % DOS PAISES ACOMETIDOS POR VIROSE DESCONHECIDA E PROTOCOLOS OMS E NESSE MOMENTO NÃO APRESENTA VACINAS COMO SEUS PARES ANTERIORES, A MAIORIA DOS PESQUISADORES DA ÁREA VOLTARAM SEUS OLHOS COM O OBJETIVO DE RESOLVER O GRAVE PROBLEMA, PARA NÃO REPETIRMOS O OCORRIDO NO COMEÇO DO SECULO 20, ONDE A “GRIPE ESPANHOLA” COMPROMETEU APROXIMADAMENTE, EM UMA EPIDEMIA DE GRIPE OU PANDEMIA ESPANHOLA DE 1918, QUE MATOU PELO MENOS 50 MILHÕES DE PESSOAS EM TODO O MUNDO, TEM SIDO A REFERÊNCIA PARA PANDEMIAS DESDE ENTÃO, EMBORA NÃO EXISTIA AINDA UM SETOR ARTICULADO COMO A OMS, EMBORA NO BRASIL O MINISTÉRIO DA SAÚDE MESMO ENQUANTO NÃO OCORRIA A INFESTAÇÃO DO VIRUS COVID 19, JÁ COMEÇOU A TOMAR UMA SÉRIE PREVENTIVA, O QUE NÃO OCORREU COM ALGUNS PAISES DA EUROPA, PRINCIPALMENTE PORQUE NO EMISFÉRIO SUL O INVERNO COMEÇA DEPOIS DE JUNHO ONDE OCORRE AS MAIORES INFESTAÇÕES, MAS ALGUNS VIRUS NÃO APRESENTAM A MESMA SAZONALIDADE.
  2. 2. NO ENTANTO, DESCOBERTAS RECENTES DESTACARAM O IMPACTO SUBSTANCIAL QUE OS PARÂMETROS DE OBESIDADE E SM – SINDROME METABÓLICA APRESENTAM NA IMUNIDADE E NA DEFESA DE PATÓGENOS (VEICULOS DA DOENÇA, COMO NESSE CASO É O COVID 19, INCLUINDO A INTERRUPÇÃO DA INTEGRIDADE DO TECIDO LINFÓIDE; ALTERAÇÕES NO DESENVOLVIMENTO DE LEUCÓCITOS, FENÓTIPOS (PROPENSÃO GENÉTICA E MEIO AMBIENTE) E ATIVIDADE; E A COORDENAÇÃO DE RESPOSTAS IMUNES INATAS E ADAPTATIVAS. ESSAS ALTERAÇÕES ESTÃO ASSOCIADAS A UM IMPACTO NEGATIVO GERAL NA PROGRESSÃO DA DOENÇA CRÔNICA, IMUNIDADE A INFECÇÕES E EFICÁCIA DA VACINA. ESTA REVISÃO PROSPECTIVA, APRESENTAM UMA VISÃO GERAL DO IMPACTO QUE OS PARÂMETROS DE OBESIDADE E SM – SINDROME METABÓLICA (COLESTEROL E FRAÇÕES, HIPERTENSÃO, PROBLEMAS RESPIRATÓRIOS, CARDIOVASCULAR, E SE CONSIDERARMOS O ENFISEMA PUMONAR E O PIOR QUE É O USO DE TABACO (FUMAR) APRESENTAM NA FUNÇÃO DO SISTEMA IMUNOLÓGICO. EXISTE UMA DOENÇA MUITO COMUM DENOMINADA TAMBÉM QUE É A TIREOIDITE LINFOCÍTICA AUTOIMUNE CRÔNICA OU MOLÉSTIA DE HASHIMOTO QUE DEBILITA O SISTEMA IMUNOLOGICA CONFORME PESQUISADORES, ENTRE OUTRAS DOENÇAS. COVID-19: WHAT IT MEANS FOR DIABETICS, THE OBESE, AND THOSE WITH OTHER IMMUNE DISEASES.
  3. 3. A OBESIDADE É UMA DOENÇA EPIDÊMICA CARACTERIZADA POR INFLAMAÇÃO CRÔNICA DE BAIXO GRAU ASSOCIADA A UMA MASSA DE GORDURA DISFUNCIONAL. O TECIDO ADIPOSO (GORDURA) É AGORA CONSIDERADO UM ÓRGÃO ENDÓCRINO EXTREMAMENTE ATIVO QUE SECRETA HORMÔNIOS SEMELHANTES A CITOCINAS, CHAMADOS ADIPOCINAS, FATORES PRÓ OU ANTI-INFLAMATÓRIOS QUE LIGAM O METABOLISMO AO SISTEMA IMUNOLÓGICO. A LEPTINA É HISTORICAMENTE UMA DAS ADIPOCINAS MAIS RELEVANTES, COM IMPORTANTES PAPÉIS FISIOLÓGICOS NO CONTROLE CENTRAL DO METABOLISMO ENERGÉTICO E NA REGULAÇÃO DA INTERAÇÃO METABOLISMO-SISTEMA IMUNOLÓGICO, SENDO UMA PEDRA ANGULAR DO CAMPO EMERGENTE DO IMUNOMETABOLISMO. DE FATO, O RECEPTOR DE LEPTINA É EXPRESSO EM TODO O SISTEMA IMUNOLÓGICO E DEMONSTROU-SE QUE A LEPTINA REGULA AS RESPOSTAS IMUNES INATAS E ADAPTATIVAS. NINGUÉM SABE SE A CORONA VÍRUS (COVID – 19) SERÁ " POR GRANDE TEMPO SUA CIRCULAÇÃO", POIS AINDA PODE FRACASSAR, SE NÃO EQUACIONADA DE ALGUMA FORMA COM MEDIDAS PREVENTIVAS, CONSIDERANDO QUE ESTAMOS NO SÉCULO 21, TEREMOS GRANDES PROBLEMAS EM TODAS AS ÁREAS DE ATIVIDADE HUMANA POR ESTAR INTERLIGADAS, DE RAPIDA TRANSMIÇÃO E NÃO SERA EM DIAS QUE SERÁ EQUACIONADA, ALÉM DE COMPROMETER TODO O MUNDO (GLOBALMENTE), POIS OS CONTATOS FISICOS DESDE AVIÕES, TREM, NAVIOS, DESLOCAMENTO POR CARROS E TRANSPORTES PUBLICOS E ONDE SE CONSENTRAM MAIS DE 2 PESSOAS É QUESTÃO DE HORAS O COMPROMETIMENTO DA CONTAMINAÇÃO, EMBORA A INCUBAÇÃO PODE VARIAR DE UM NOVO CORONAVÍRUS (2019-COV 2) ESTÁ CAUSANDO UM SURTO DE PNEUMONIA VIRAL QUE COMEÇOU EM WUHAN, CHINA. USANDO O HISTÓRICO DE VIAGENS E O INÍCIO DOS SINTOMAS DE 88 CASOS CONFIRMADOS QUE FORAM DETECTADOS EM WUHAN NA FASE INICIAL DO SURTO, ESTIMAMOS O PERÍODO MÉDIO DE INCUBAÇÃO EM 6,4 DIAS (INTERVALO CREDÍVEL DE 95%: 5,6 A 7,7), VARIANDO DE 2,1 A 11,1 DIAS
  4. 4. (PERCENTIL 2,5 A 97,5). ESSES VALORES DEVEM AJUDAR A INFORMAR AS DEFINIÇÕES DO CASO 2019-COV 2 E AS REDUÇÕES DE QUARENTENA APROPRIADAS. ... ATÉ O MOMENTO EM QUE PESQUISAMOS DE FORMA PROSPECTIVA, SABE-SE QUE APENAS PESSOAS MORREM NOS ESTADOS UNIDOS, CHINA, FRANÇA, ALEMANHA, BRASIL E A MAIORIA DOS PAISES, ENQUANTO MILHARES MORREM ROTINEIRAMENTE ANUALMENTE DEVIDO À GRIPE SAZONAL E OUTRAS DOENÇAS INTERLIGADAS, POIS OS SINTOMAS SÃO OS MESMOS A PRINCÍPIO. MAS, CADA VEZ MAIS, ESPECIALISTAS ESTÃO DIZENDO QUE DEVEMOS NOS PREPARAR PARA O CASO EM EVOLUÇÃO. MAS NÃO SE ESQUEÇA QUE A GRANDE MAIORIA DE TODAS AS DOENÇAS CORRELACIONADAS TEM ORIGEM EM PAISES ASIATICOS DEVIDO SEUS HABITOS ALIMENTARES E DEPOIS SE DISSEMINAM PARA TODO O MUNDO, E NÃO ESCOLHE RAÇA, COR, GENERO, POBRE OU RICO, EMBORA OS MENOS FAVORECIDOS CORREM MAIS RISCOS, PORTANTO NÃO EXISTE PRECONCEITO. SIGNS OF LOW IMMUNITY - TIMES OF INDIA COMO ESSE VIRUS CAUSA GRANDE MORTALIDADE DEVIDO SUA FACIL DESCRIMINAÇÃO COMO PODEMOS VER, ELA É PREJUDICIAL AO COMERCIO INTERNACIONAL, NACIONAL E LOCAL, PANICO, QUE DEVE SER EVITADO A QUALQUER CUSTO E PESQUISAS DE VACINA ENTRE OUTROS DETALHES. NÃO SE TEM NENHUMA DÚVIDA QUE EM PRIMEIRO LUGAR VEM A VIDA. ESSA PATOLOGIA ESTA ENVOLVIDA (MULTIFATORIAL) COM MULTIESPECIALIDADES E NECESSITA DE PROFISSIONAIS, INCLUIDO O FISIOLOGISTA, INFECTOLOGISTA, UM ENDOCRINOLOGISTA EXPERIÊNTE E DE SUA CONFIANÇA, DEVIDO A ABRANGENCIA DESTA CONDIÇÃO HUMANA, ASSIM COMO DOENÇAS QUE PODEM APARECER CONCOMITANTEMENTE ALÉM DE HÁBITOS INADEQUADOS, INCLUIDO O SONO NOTURNO E SUBSTANCIAS INADEQUADAS, PODERÁ AVALIAR DE FORMA CRITERIOSA E LHE ORIENTAR NO QUE SE SABE. MAS TODOS DA ÁREA DE SAÚDE DEVEM SE
  5. 5. INSTADO A SE ENVOLVEREM APESAR DOS RISCOS. QUAIS AS PERGUNTAS MAIS FREQUENTES QUE PACIENTES FAZEM AO ENDOCRINOLOGISTA DE CONFIANÇA? DICAS DE SAÚDE E FUNÇÕES ORGÂNICAS. FISIOLOGIA– ENDOCRINOLOGIA–NEUROCIÊNCIA ENDÓCRINA (NEUROENDOCRINOLOGIA) – GENÉTICA–ENDÓCRINOPEDIATRIA (DIVISÃO DA ENDOCRINOLOGIA) E AUXOLOGIA = CRESCER (SUBDIVISÕES DA ENDOCRINOLOGIA) DR. CAIO JR., JOÃO SANTOS ET DRA. CAIO, HENRIQUETA VERLANGIERI. SÃO PAULO. A obesidade, o maior problema de saúde pública no mundo ocidental, está associada a patologias autoimunes e inflamatórias crônicas de alto incidente, como T2DM, NAFLD, OA e AR, tendo, portanto, um enorme impacto social e econômico ( Zhang et al., 2014 ) O tecido adiposo, inicialmente considerado como um simples tecido de armazenamento de energia, agora é reconhecido como um órgão endócrino ativo e um órgão imune de boa-fé , constituído não apenas por adipócitos, mas também por fibroblastos, células endoteliais e uma ampla variedade de células imunes (macrófagos do tecido adiposo) , neutrófilos, mastócitos, eosinófilos, células T e B que mantêm a homeostase tecidual em indivíduos magros ( Huh et al., 2014 ; Vieira-Potter, 2014) A expansão dos adipócitos causada pelo balanço energético positivo leva à hipóxia, apoptose e estresse celular, resultando na expressão de moléculas quimio atraentes e na infiltração de células inflamatórias ( Vieira-Potter, 2014 ). O tecido adiposo obeso também é caracterizado por uma produção acentuadamente desregulada de fatores derivados do tecido adiposo, ou seja, adipocinas, uma família crescente de baixo peso molecular, proteínas biologicamente ativas com funções pleiotrópicas (Al-Suhaimi e Shehzad, 2013). As adipocinas são atores cruciais não apenas no metabolismo energético, mas também na inflamação e imunidade, sendo a maioria delas aumentada na obesidade e contribuindo para o 'estado inflamatório de baixo grau' associado (Tilg e Moschen, 2006).
  6. 6. A maioria dos casos de Covid-19 é leve - mas viaja rapidamente. Felizmente, a melhor maneira de evitar a propagação é bem simples: mantenha uma boa higiene. Esfregue as mãos por pelo menos 20 segundos com frequência, cubra o nariz e a boca quando tossir e tente evitar o contato com outras pessoas, um detalhe importante as máscaras umedecem a cada duas horas e pedem a eficiência, se for necessário usa-las, NESTA ÉPOCA E UMA ATITUDE DE PESSOAS DE BOM SENSO E O MINIMO DE CONHECIMENTO O QUE REPRESENTA UMA PANDEMIA TÃO VIOLENTA OU VIRULENTA. ALEM DISSO, PORQUE USAR O ALCOOL 70 COMPOSTO COM OUTRAS SUBSTÂNCIAS, não viagem para áreas endêmicas. Essas técnicas funcionam porque pequenas gotas de tosse e espirro E ATÉ A COMUNICAÇÃO, podem transportar a nova corona vírus (COVID – 19) até três a seis pés (ou um a dois metros). Se eles entrarem nas vias aéreas de outra pessoa, poderão ser infectados, (gotículas de Flueger OU PERDIGOTOS). A qualidade ou o estado de ser imune, especialmente: uma condição de poder resistir a uma doença específica, especialmente impedindo o desenvolvimento de um microrganismo patogênico ou neutralizando os efeitos de seus produtos - veja imunidade adquirida, imunidade ativa, imunidade natural, imunidade passiva
  7. 7. Mas o vírus também pode provavelmente viver na superfície em que essas gotículas tocam, às vezes por vários dias, diz Rudra Channappanavar, imunologista que estudou corona vírus no Centro de Ciências da Saúde da Universidade do Tennessee. O vidro em particular, como o tipo de tela do smartphone em que você provavelmente está lendo isso, pode abrigar os vírus da covid 19 vivos por até 96 horas ou quatro dias em temperatura ambiente. Essas estimativas são provenientes de dados coletados durante o surto de SARS de 2003 e relatados à Organização Mundial da Saúde. Os dois vírus são primos genéticos: ambos infectam nossas vias aéreas, possuem um único filamento de material genético, chamado RNA, e possuem proteínas que se projetam de suas conchas. O vírus por trás do surto de SARS é tecnicamente denominado SARS-CoV; o novo vírus é o SARS-CoV-2. Aí vamos entender por que o 2. Toda e qualquer doença debilitante compromete a imunidade de humanos, o que facilita a instalação de doenças no estado agudo ou crônicas em atividade e as patologias oportunistas se aproveitam dessa condição de fragilidade humana, embora apenas grupos específicos são mais susceptíveis como idade e principalmente idades mais avançadas são mais sensíveis de as contrai-las. As doenças que facilitam como síndrome metabólicas (SM) ou seja; obesidade, hipertensão arterial, colesterol total, mal colesterol (LDL), bom colesterol desproporcional e diminuído (HDL), diabetes mellitus, cardiopatia, doenças respiratória, doenças autoimunes
  8. 8. como A síndrome de Guillain Barré (que é um distúrbio autoimune, ou seja, o sistema imunológico do próprio corpo ataca parte do sistema nervoso, que são os nervos que conectam o cérebro com outras partes do corpo) doença muito rara. A associação entre Síndrome de Guillain-Barré (SGB) e Zika vírus, entretanto, foi descrita durante surto na Polinésia Francesa em 2013 por Oehler et al em 2014... Deve ser considerada dengue, chicungunha e H1N1 E OUTROS TIPOS DE VIRUS, O QUAL NO BRASIL E OUTROS PAISES APRESENTA UMA EPIDEMIA SÉRIA. É amplamente aceito que a inflamação crônica contribui para a patogênese da obesidade. Pesquisadores descobriram recentemente que o aumento de citocinas inflamatórias e a infiltração e ativação de células de macrófagos no tecido adiposo estão relacionadas à obesidade crônica. Essa desregulação imunológica levou ao desenvolvimento do paradigma pró- inflamatório clássico. No entanto, como a inflamação crônica associada à obesidade é mais do que apenas a superprodução de citocinas pró- inflamatórias, a dissecção precisa exigir além das citocinas pró- inflamatórias clássicas. Esta revisão enfatiza que os efeitos líquidos da interação de uma complexa rede de citocinas pró-inflamatórias e anti- inflamatórias determinam a natureza de uma resposta imune no hospedeiro. As alterações entre essa rede de citocinas e adipocinas podem levar à inflamação em um hospedeiro vulnerável. O perfil imunológico da inflamação crônica de baixo grau associada à obesidade revela a importância do desequilíbrio na rede de citocinas e adipocinas, não é diferente para diversas outras situações como a síndrome metabólica. Além disso, essa revisão pode ampliar nosso conhecimento sobre a importância da rede Th1 / Th2 e a importância do perfil de citocinas no tratamento de doenças inflamatórias.
  9. 9. CORONAVIRUS AND HASHIMOTO'S DISEASE | Portanto na vigência de qualquer doença crônica e mesmo em estado agudo incluindo a obesidade que reduz a imunologia, é uma situação médica que pode se tornar grave como infere a OMS – organização mundial de saúde, principalmente em pacientes em evolução de idade onde seu organismo pode apresentar uma menor eficiência imunológica e eventualmente ainda carregue a obesidade que parece inofensiva. Não pense que indivíduos com IMC – índice de massa corporal dentro dos padrões normal (da OMS) não está sujeito aos mesmos riscos. As citocinas desempenham um papel central na patogênese de doenças autoimunes. Os gatilhos precisos para a quebra do auto tolerância e os eventos subsequentes que levam à indução de respostas autoimunes patogênicas ainda precisam ser definidos para a maioria das doenças autoimunes que ocorrem naturalmente. Estudos realizados em modelos experimentais de doenças autoimunes humanas e observações em pacientes revelaram um esquema geral em que citocinas pró-inflamatórias contribuem para o início e a propagação da inflamação autoimune, enquanto citocinas anti-inflamatórias facilitam a regressão da inflamação e a recuperação da fase aguda da doença. Essa ideia está incorporada no paradigma T helper (Th) 1 / Th2, que nas últimas duas décadas teve uma grande influência em nosso pensamento sobre o papel das citocinas na autoimunidade. Curiosamente, na última década, o eixo da interleucina (IL) -17 / IL-23 emergiu rapidamente como o novo paradigma que nos levou a reexaminar criticamente os eventos imunes acionados por citocinas na patogênese e no tratamento da autoimunidade.
  10. 10. ENDOCRINOLOGY AND METABOLIC DISORDERS, DECEMBER 07-08, 2020 AUCKLAND, NEWZEALAND As moléstias metabólicas, juntamente mutacionais e fisiológicos são um desastre maior que qualquer para essa patologia devastadora, não é para entrar em PANICO, MAS PARA SE PREVINIR EM QUALQUER SITUAÇÃO. Por que começar com a obesidade? Pelo simples motivo da mesma junta- mente com a síndrome metabólica promover de forma significativa a diminuição da imunidade e resistência humana. Todos enfrentarão pressões crescentes no trabalho, bem como potencialmente suas próprias doenças pessoais ou responsabilidades de cuidar. Apoiar o bem-estar da equipe será fundamental para apoiar uma resposta estendida. Tribunais de Justiça do Ministério da Justiça estabeleceu planos bem estabelecidos para fornecer serviços essenciais para proteger o público e manter a confiança no sistema judiciário. Planos similares estão em vigor nas administrações desconcentradas. Não se esqueça de exercícios e dietas orientadas quando possível. A causa exata de como a obesidade afeta o sistema imunológico é desconhecida. Uma teoria é o tipo de gordura que você possui, pois nem toda gordura é criada da mesma forma. O tecido adiposo branco (WAT) é geralmente
  11. 11. encontrado em níveis mais altos em pessoas afetadas pela obesidade. Vários estudos mostram que o WAT tem muitas funções, incluindo a regulação de processos inflamatórios. Quando o corpo tem excesso de WAT, a inflamação crônica dificulta o combate a infecções. Existem ligações bem conhecidas entre dieta, exercício e função imunológica. Comer de maneira mais saudável e incorporar exercícios moderados pode ajudar a aumentar sua função imunológica; no entanto, agora se sabe que a própria obesidade (induzida por dieta ou genética) diminui a imunidade, levando ao aumento do risco de infecção bacteriana e viral, bem como à diminuição da capacidade de resposta a algumas vacinas. Caso você tenha interesse de saber mais sobre esse assunto deve levar em consideração que cada tópico é um detalhe de um trabalho prospectivo mais abrangente especificado pelo blog, assim sendo deveria verificar todos os tópicos referentes a matéria principalmente nas mídias sociais que são apenas flashs, ou no título original que é; GORDURA (EXCESSO DE ADIPOSIDADE EM OBESOS; O TERMO LATINO ADIPOSIDADE SIGNIFICA EXCESSO DE PESO GRAVE OU MÓRBIDO. EM INGLÊS, GERALMENTE O TERMO OBESIDADE ESTÁ SENDO USADO. Por Caio Jr, João Santos et Caio, Henriqueta Verlangieri. Se ainda ficar detalhes que não foram contemplados nesta pesquisa prospectiva, deve consultar seu endocrinologista e demais especialistas envolvidos, experiente de sua confiança, que pode lhe dar mais detalhes sobre o tema que lhe interessa. Este blog terá diversos tópicos não repetidos e sequenciais sobre esse assunto, pela complexidade abrangente ao qual se refere e as novidades que mudam a cada dia com estudos profundos pelos pesquisadores no mundo inteiro, pois essa condição pode interferir em todas áreas de nossas vidas. A boa notícia é que vários estudos mostraram um aumento na capacidade de resposta imune e melhorias após perda de peso ou após restrição alimentar ocorre de forma significativa.
  12. 12. Autores Dr. João Santos Caio Jr. Endocrinologista – Neuroendocrinologista CRM 20611 Dra. Henriqueta Verlangieri Caio Endocrinologista – Medicina Interna CRM 28930 AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA. REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA: Caio Jr, João Santos et.... -. Caio, Henriqueta Verlangieri Obesidade controlada; o equilíbrio fantástico e balanceado de um ... Caio Junior, João Santos, Caio, Henriqueta Verlangieri, Van Der Häägen ... de frequência cardíaca, respiratória e perda de fezes, urina sem perceber… Caio Jr, João Santos et. Caio, Henriqueta Verlangieri - Clinica van der häägen | 2018, Academy edu. Anderson F, Game BA, Atchley D, Xu M, Lopes-Virella MF, Huang Y. O pré-tratamento com IFN- gama aumenta a expressão da metaloproteinase-1 da matriz induzida pelo complexo imune nos histiócitos U937. Clin Immunol. 2002; 102: 200–7.] Chan JF-W, Yuan S, Kok KH, et al. Um cluster familiar de pneumonia associado ao novo coronavírus de 2019, indicando transmissão de pessoa para pessoa: um estudo de um cluster familiar. Lancet 2020; 395: 514–23 As características epidemiológicas de um surto de 2019 do novo COVID-19 - China 2020 (China CDC Weekly Vol 2 No. x) Xu XW, Wu XX, Jiang XG, Xu KJ, Ying LJ, Ma CL, et al. Achados clínicos em um grupo de pacientes infectados com o novo coronavírus de 2019 (SARS-Cov-2) fora de Wuhan, China: série de casos retrospectivos. BMJ. 2020 19 de fevereiro; 368 Sun K, Chen J, Viboud C. Análise epidemiológica precoce do surto de doença de coronavírus 2019 com base em dados de crowdsourcing: um estudo observacional em nível populacional. Lancet Digital Health 2020; publicado online em 20 de fevereiro. Liu Y, Yang Y, Zhang C, Huang F, Wang F, Yuan J, et al. Índices clínicos e bioquímicos de pacientes infectados com 2019-nCoV ligados a cargas virais e lesão pulmonar. Ciência China Ciências da Vida. 2020 9 de fevereiro: 1-1 Chen N, Zhou M, Dong X, Qu J, Gong F, Han Y, et al. Características epidemiológicas e clínicas de 99 casos de 2019 nova pneumonia por coronavírus em Wuhan, China: um estudo descritivo. The Lancet. 2020 30 de janeiro Huang C, Wang Y, Li X, Ren L, Zhao J, Hu Y, Zhang L, Fan G, Xu J, Gu X, Cheng Z. Características clínicas de pacientes infectados com 2019 novo coronavírus em Wuhan, China. The Lancet. 2020 24 de janeiro Características clínicas e epidemiológicas de 17 pacientes hospitalizados com novas infecções por coronavírus em 2019 fora de Wuhan, China. medRxiv. 2020 01 de janeiro Li, Q., et al. Dinâmica de transmissão precoce em Wuhan, China, da nova pneumonia infectada por coronavírus. NEJM. 2020 Jan 29 DOI: 10.1056 / NEJMoa2001316
  13. 13. Wang X, Yuan J, Zheng Y, Chen J, Bao Y, Wang Y, et al. Características clínicas e epidemiológicas de 34 crianças com nova infecção por coronavírus em 2019 em Shenzhen. Zhonghua Er Ke Za Zhi. 2020; 58 (0): E008-E008 Chen H, Guo J, Wang C, Luo F, Yu X, Zhang W, Li J, Zhao D, Xu D, Gong Q, Liao J. Características clínicas e potencial de transmissão vertical intrauterina da infecção por COVID-19 em 9 gestantes: uma revisão retrospectiva dos prontuários médicos. The Lancet. 2020 12 de fevereiro. Qiao J. Quais são os riscos da infecção por COVID-19 em mulheres grávidas?. The Lancet. 2020 12 de fev. Famulare, M. 2019-nCoV: estimativas preliminares da taxa de mortalidade confirmada e da taxa de mortalidade por infecção e avaliação inicial do risco de pandemia. Instituto de Modelagem de Doenças, 19 de fevereiro de 2020. Organização Mundial da Saúde [Internet]. Projeto de P&D: Doença de coronavírus (COVID- 2019) P&D ; acessado em 23 de fevereiro de 2020. Coalizão para inovações em preparação para epidemias [Internet]. CEPI lança novo convite à apresentação de propostas para desenvolver vacinas contra o novo coronavírus, 2019-nCoV; acessado em 23 de fevereiro de 2020. Lee IS, Shin G, Choue R. Mudanças na dieta de alto teor de gordura para alto carboidrato aumentaram os níveis de adipocinas e citocinas pró-inflamatórias em camundongos alimentados com uma dieta rica em gorduras. Endocr J. 2010; 57: 39–50. Wellen KE, Hotamisligil GS. Alterações inflamatórias induzidas pela obesidade no tecido adiposo. J Clin Invest. 2003; 112: 1785–8. Park KG, Park KS, Kim MJ, Kim HS, Suh YS, Ahn JD, Park KK, Chang YC, Lee IK. Relação entre concentrações séricas de adiponectina e leptina e distribuição de gordura corporal. Diabetes Res Clin Pract. 2004; 63: 135–42. Matsuzawa Y, Funahashi T, Nakamura T. Mecanismo molecular da síndrome metabólica X: contribuição de substâncias bioativas derivadas de adipocitoquinas. Ann NY Acad Sci. 1999; 892: 146-54. Funahashi T, Nakamura T, Shimomura I, Maeda K, Kuriyama H, Takahashi M, Arita Y, Kihara S, Matsuzawa Y. Papel das adipocitoquinas na patogênese da aterosclerose na obesidade visceral. Intern Med. 1999; 38: 202–6. Ozata M, Ozdemir IC, Licinio J. Deficiência de leptina humana causada por uma mutação missense: múltiplos defeitos endócrinos, diminuição do tônus simpático e disfunção do sistema imunológico indicam novos alvos para a ação da leptina, maior resistência central do que periférica aos efeitos da leptina, e correção espontânea de defeitos mediados por leptina. J Clin Endocrinol Metab. 1999; 84: 3686–95. Shimomura I, Funahashi T, Takahashi M, Maeda K, Kotani K, Nakamura T, Yamashita S, Miura M, Fukuda Y, Takemura K, Tokunaga K, Matsuzawa Y. Expressão aprimorada do PAI-1 na gordura visceral: possível colaborador à doença vascular na obesidade. Nat Med. 1996; 2: 800- 3. Lumeng CN, Saltiel AR. Ligações inflamatórias entre obesidade e doença metabólica. J Clin Invest. 2011; 121: 2111–7. Spencer M, Yao-Borengasser A, Unal R, Rasouli N, Gurley CM, Zhu B, Peterson CA, Kern PA. Os macrófagos do tecido adiposo em indivíduos resistentes à insulina estão associados ao colágeno VI e à fibrose e demonstram ativação alternativa. Am J Physiol Endocrinol Metab. 2010; 299 : E1016–27.
  14. 14. Berg AH, Scherer PE. Tecido adiposo, inflamação e doença cardiovascular. Circ Res. 2005; 96: 939-49. Hughes RA, Swan AV, van Doorn PA. Intravenous immunoglobulin for Guillain-Barré syndrome. Cochrane Database Syst Rev. 2014;9:CD002063 Mlakar J, Korva M, Tul N, Popović M, Poljšak-Prijatelj M, Mraz J, Kolenc M, Resman Rus K, Vesnaver Vipotnik T, Fabjan Vodušek V, Vizjak A, Pižem J, Petrovec M, Avšič Županc T. Zika Virus Associated with Microcephaly. N Engl J Med. 2016 Feb 10. Brasil P, Pereira JP Jr, Raja Gabaglia C, Damasceno L, Wakimoto M, Ribeiro Nogueira RM, Carvalho de Sequeira P, Machado Siqueira A, Abreu de Carvalho LM, Cotrim da Cunha D, Calvet GA, Neves ES, Moreira ME, Rodrigues Baião AE, Nassar de Carvalho PR, Janzen C, Valderramos SG, Cherry JD, Bispo de Filippis AM, Nielsen-Saines K. Zika Virus Infection in Pregnant Women in Rio de Janeiro - Preliminary Report. N Engl J Med. 2016 Mar 4. Diagne CT, Diallo D, Faye O, Ba Y, Faye O, Gaye A, Dia I, Faye O, Weaver SC, Sall AA, Diallo M. Potential of selected Senegalese Aedes spp. mosquitoes (Diptera: Culicidae) to transmit Zika vírus. BMC Infect Dis. 2015; 15:492. Marano G, Pupella S, Vaglio S, Liumbruno GM, Grazzini G. Zika virus and the never-ending story of emerging pathogens and transfusion medicine. Blood Transfus. 2015 5:1-6. Cunha MS, Esposito DL, Rocco IM, Maeda AY, Vasami FG, Nogueira JS, de Souza RP, Suzuki A, Addas-Carvalho M, Barjas-Castro Mde L, Resende MR, Stucchi RS, Boin Ide F, Katz G, Angerami RN, da Fonseca BA. First Complete Genome Sequence of Zika Virus (Flaviviridae, Flavivirus) from an Autochthonous Transmission in Brazil. Genome Announc. 2016 Mar 3;4(2). pii: e00032-16. CONTATO: Fones: 55(11) 2371-3337 / (11) 5572-4848 Rua Estela, 515 – Bloco D – 12º andar – Conj. 121 Paraiso – São Paulo – SP – Cep 04011-002 e-mail: vanderhaagenbrasil@gmail.com Site Van Der Häägen Brazil www.vanderhaagenbrazil.com.br http://drcaiojr.site.med.br http://dracaio.site.med.br Joao Santos Caio Jr http://google.com/+JoaoSantosCaioJr google.com/+JoãoSantosCaioJrvdh google.com/+VANDERHAAGENBRAZILvdh Redes Sociais https://www.tumblr.com/blog/myjoaosantoscaiojr https://br.pinterest.com/joaocaiojr/
  15. 15. https://www.slideshare.net/CLINICACAIO https://independent.academia.edu/JoaoSantosCaioJr https://vanderhaagenclinic.wordpress.com/ https://instagram.com/clinicascaio/ https://visitsite.pro/clinicascaio Acesse nosso canal deixe seu like! https://www.youtube.com/user/vanderhaagenbrazil1/videos Google Maps: http://maps.google.com.br/maps/place?cid=5099901339000351730&q= Van+Der+Haagen+Brasil&hl=pt&sll=- 23.578256,46.645653&sspn=0.005074,0.009645&ie=UTF8&ll=- 23.575591,-46.650481&spn=0,0&t = h&z=17

×