TV: Mulher e a Comunicação Comunitária Inês Pereira da Luz
TV Mulher: 1980 - 1986 <ul><li>- Rede Globo, Matutino, de Segunda à Sexta-Feira </li></ul><ul><li>Marília Gabriela, Martha...
Questão Político-Social <ul><li>O programa vai ao ar no governo Figueiredo, no começo da abertura democrática. </li></ul><...
Ideologia e Contra-Ideologia <ul><li>O TV Mulher pode ser dividido entre: quadros para dona de casa, sobre questões gerais...
Conclusão da Análise <ul><li>O programa surgiu da iniciativa de um homem (Nilton Travesso), com visão comercial. A mulher ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

TV Mulher e a Comunicação Comunitária

623 visualizações

Publicada em

Apresentação do texto de Inês Pereira da Luz, sobre uma análise do programa TV Mulher (1980 - 1986), e seu contexto histórico, político e social.

Publicada em: Educação, Tecnologia, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
623
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

TV Mulher e a Comunicação Comunitária

  1. 1. TV: Mulher e a Comunicação Comunitária Inês Pereira da Luz
  2. 2. TV Mulher: 1980 - 1986 <ul><li>- Rede Globo, Matutino, de Segunda à Sexta-Feira </li></ul><ul><li>Marília Gabriela, Martha Suplicy, Clodovil, Xenia Bier... </li></ul><ul><li>120 minutos de programa. </li></ul><ul><li>Quadros: Horóscopo, Bolsa de Mercadorias, SPT, Comportamento Sexual, Flash Back, Claquete, Direito da Mulher, TV Homem, Novela, Casa e Mulher, Gente e Notícias, Xênia e Você, Dicas de Hoje, Destaque do Dia, Ponto de Encontro, Clodovil e Encerramento. </li></ul><ul><li>Analisar a influência do programa nas mulheres de baixo pode aquisitivo, moradoras da periferia de Santo André. </li></ul><ul><li>Perceber sua contribuição para o avanço da consciência crítica da população duplamente oprimida. </li></ul>Objetivo da pesquisa
  3. 3. Questão Político-Social <ul><li>O programa vai ao ar no governo Figueiredo, no começo da abertura democrática. </li></ul><ul><li>Manutenção da ideologia dominante: comenta as ações do governo com neutralidade. Critica a oposição com ironia. </li></ul><ul><li>Notícias fragmentadas, análises simplistas, pouco senso crítico. </li></ul><ul><li>Entrevistas limitadas a vida pessoal do entrevistado. Comentários políticos em caráter de curiosidade. </li></ul><ul><li>Pelas manhãs, a maioria das mulheres operárias (que o programa queria atingir) estavam trabalhando. </li></ul><ul><li>* Grande preocupação em informar a dona de casa. Falam de política, economia e principalmente de movimentos sociais. Também divulgam bastante os eventos e lançamentos culturais. </li></ul>
  4. 4. Ideologia e Contra-Ideologia <ul><li>O TV Mulher pode ser dividido entre: quadros para dona de casa, sobre questões gerais e essencialmente femininos. </li></ul><ul><li>O para dona de casa reforça a ideologia de bondade, dignidade e honestidade. Divulga pensamentos conformistas (“entregar tudo pra Deus”) e não aborda causas reais de opressão feminina. </li></ul><ul><li>O de assuntos gerais são apresentados por mulheres, mas comentado por um homem. É contraditório pela proposta inicial. </li></ul><ul><li>O de assuntos femininos se destaca pelo quadro da sexualidade, o único a trabalhar em contra-ideologia e, por causa disso, o mais censurado e criticado do programa. </li></ul>
  5. 5. Conclusão da Análise <ul><li>O programa surgiu da iniciativa de um homem (Nilton Travesso), com visão comercial. A mulher equivale a 50% da população brasileira da época e a tentativa de ser revolucionário só aumentaria a audiência e a publicidade. </li></ul><ul><li>No entanto, no campo ideológico, o programa pouco faz para modificar a realidade do pensamento hegemônico da época, mantendo a mulher em seu papel de oprimida. </li></ul><ul><li>Deste modo, “o TV Mulher jamais poderá ser caracterizado enquanto comunicação comunitária”; pois o sentido de uma comunidade ciente de seus direitos e com consciência das injustiças de que são vítimas não é transportado pelo programa. </li></ul>

×