Educação para o consumo

497 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
497
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Educação para o consumo

  1. 1. EDUCAÇAO PARA O CONSUMOTrabalho realizado por:André nº16 8ºENuno nº15 8ºE
  2. 2. Escola eb 2, 3 Egas MonizEducação para o ConsumoFast FoodFast-food ("comida rápida" em inglês), (EmPortugal, se diz comida pronta) é o nome genéricodado ao consumo de refeições que podem serpreparadas e servidas em um intervalo pequenode tempo. São comercializados desta maneira ossanduíches, pizzas e pastéis (no Brasil), entreoutros. Aplica-se comummente à comida vendidaem lojas pertencentes às grandes redes dealimentação. O mesmo alimento, que por vezes évendido como refeição rápida, pode também ser consumido em restaurantes. O fast-food virou sinónimo de um estilo de vida stressante que vem sendo criticado desde ofinal do século XX. O principal movimento organizado de contraposição é chamado deslow food ("comida lenta"), e teve sua origem na Itália, no ano de 1986. Alimentosservidos nas ruas, por vendedores ambulantes, conhecida também como street food("comida de rua") é uma prática que remonta à Antiguidade e tem presença empraticamente todas as regiões do mundo moderno e que pode ser considerada umaforma de fast-food.Fast Food – HistóriaOs restaurantes estiveram presentes, de algum modo, na maior parte da história dacivilização humana, mas normalmente atendiam os viajantes. Desde a Grécia antiga eRoma, hospedarias e tavernas geralmente serviam comida às pessoas que tinham umarazão para estar longe de casa. Esta tendência continuou até recentemente. Embora astavernas e cafés tenham sido locais populares para se reunir e beber no século 17, aideia de comer fora por diversão era desconhecida na sociedade ocidental até finais do
  3. 3. Escola eb 2, 3 Egas Monizséculo 18. Embora o McDonalds tenha sido o primeiro restaurante a usar o sistema delinha de montagem, algumas pessoas pensam que o White Castle foi a primeira cadeiade fast food. White Castle foi criado em 1921, em Wichita, Kansas. Naquele tempo, amaioria das pessoas achavam que os hambúrgueres vendidos em feiras, circos, e porvendedores ambulantes eram de baixa qualidade. Muitas pessoas pensavam que ohambúrguer vinha de sobras de matadouros e carne deteriorada.Fast Food – RestaurantesA alimentação de baixo custo está a ganhar”terreno” no mercado. As vendas demarcas como Burger King, Pans, KFC e Companhia das Sandes estão em crescimento,ao passo que os restaurantes convencionais registam quebras.Em Portugal há mais de 10 restaurantes de fast-food por distrito e isso faz com queesses restaurantes tenham mais lucros e mais clientes fazendo com que osrestaurantes tradicionais de comida saudável fiquem com mais prejuízos, menosclientes, e isso faz com que alguns deles cheguem mesmo a fechar por falta declientes.A população vai mais vezes aos restaurantes de fast-food porque é a comida de lá,apesar de não ser saudável é saborosa e é mais barata. Fast Food – Perigos
  4. 4. Escola eb 2, 3 Egas MonizNum mundo acelerado como o nosso, qualquer coisa que nos ofereça comodidade econveniência a baixo custo, tem futuro garantido.É por ir ao encontro destas nossas «necessidades», que a indústria “fast food” se temconseguido enraizar nas nossas vidas.Dada a situação de termos estas necessidadesde não perder tempo e de comodidade, e deexistir alguém que as satisfaça, levar-nos-ia acrer que não temos nada a perder, certo?À primeira vista sim. Infelizmente apenas parte está correcto.Peritos em Saúde Pública denunciaram há já algum tempo, a existência de problemasassociados à chamada “comida de conveniência”, devido à sua composição à base deingredientes pouco saudáveis.No documentário "Super Size Me", Morgan Spurlock, o realizador, vai numa cruzadapara apurar a veracidade destes argumentos. A viagem levou-o a atravessar os EUA, àprocura dos factos, colocando também o seu próprio corpo à prova, alimentando-seapenas no McDonalds, durante um mês, com apenas três regras:  1- Sem opções: tinha que comer o que estava disponível,  2- Não podia comer o menu grande, excepto se oferecido,  3- Tinha que comer todos os itens do menu pelo menos uma vez.Antes de iniciar a viagem, fez inúmeros exames médicos, que o declararam em perfeitasaúde.No entanto, durante a sua cruzada, o seu estado de saúde foi-se alterando,drasticamente, e Spurlock começou a sentir dores no peito e dificuldades em respirar.Começou também a entrar em depressão, sofrer de insónias e com tremores. O seufígado deixou de funcionar e o médico implorou-lhe que parasse. Estava no dia 20.Mas ele persistiu e acabou com 12 quilos a mais e bem mais pobre.
  5. 5. Escola eb 2, 3 Egas MonizO que se passou com a comida para provocar este efeito?A fast food é chamada de conveniente, porque, para nós, é exactamente isso:conveniente para nós. Mas também o é para o fabricante, e esta conveniência provémda produção em massa e barata dos ingredientes.O valor nutricional do produto é sacrificado em detrimento desta conveniência. Paradevolver todos os sabores perdidos durante o processamento dos ingredientes, sãoadicionadas grandes quantidades de açúcares, gorduras e sal, para que nosproporcionem as sensações adequadas.Contudo, sabe-se que, quando em excesso,estes ingredientes provocam consequências,como:As gorduras usadas neste tipo de produtos, aschamadas gorduras saturadas, aumentam osníveis de colesterol, provocando coágulos nas artérias e aumentando o risco dedoenças coronárias.O excesso de açúcares na “comida de plástico” é motivo de grande preocupação. Nãosó pelo reconhecido impacto na saúde dentária, mas também pela sua ligação directaà obesidade, às doenças cardíacas e até ao cancro.O sal em excesso é responsável em grande parte pelo aumento da pressão arterial eaumenta o risco de ataques cardíacos.A experiência de Morgan Spurlock levou-o a uma exposição constante a grandesquantidades destas comidas de alto risco.E o facto das consequências potencialmente perigosas, num período tão curto detempo, serem tão graves e óbvias, é um problema, ao qual devemos estar alerta.
  6. 6. Escola eb 2, 3 Egas MonizNão é que não haja espaço nas nossas vidas para esta conveniência. Temos é dediminuir ao máximo a nossa dependência dela e passar a ver este tipo de comidascomo uma alternativa a uma dieta normal e saudável.Fast Food – A nossa opiniãoNos achamos que a comida fast food, apesar de ser muito boa, faz muito mal secomer-mos em excesso.A comida fast food é uma comida preparada e servida rapidamente a baixo custo quefaz as pessoas a frequentarem estes estabelecimentos.A comida fast food é servida nos estabelecimentos mas, recentemente, osestabelecimentos de comida fast food têm promovido outros tipos de serviços decomida como o drive-in, take-away e take-out.

×