SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 24
Baixar para ler offline
SEMIOLOGIA
FARMACÊUTICA
Profª Msc. Andréa Pecce
DOENÇA
• O que é doença ?
• Doença é um conjunto de
sinais e sintomas
específicos que afetam um
ser vivo, alterando o seu
estado normal de saúde
RELAÇÃO
PROFISSIONAL
– PACIENTE
IMPORTÂNCIA
• A semiologia é muito importante
para o diagnóstico e
acompanhamento das diversas
enfermidades.
Quando nos referimos a sintomas,
estamos nos referindo a toda
informação subjetiva descrita pelo
paciente, pois não é passível de
confirmação pelo examinador, uma vez
que é uma sensação individual, como
por exemplo, uma cefaleia.
Diferentemente, os
sinais são alterações
apresentadas pelos
pacientes que podem
ser observadas pelo
examinador, seja a olho
nu ou mesmo com o
auxílio de algum
equipamento, como um
rash cutâneo ou mesmo
um sopro cardíaco.
Para uma semiologia de qualidade
ser desenvolvida é de extrema
necessidade o conhecimento, por
parte do farmacêutico, da
fisiologia de órgãos e dos
sistemas, pois a partir desse
entendimento a avaliação
semiológica poderá ser realizada
com maior segurança.
FÍGADO
Dentre os órgãos, é de
extrema necessidade o
entendimento detalhado,
pelo farmacêutico, da
fisiologia hepática, pois
o fígado, um dos mais
complexos órgãos, é
responsável por
metabolizar todas as
drogas utilizadas pelos
pacientes,
principalmente quando
ocorre o metabolismo de
primeira passagem.
FUNÇÃO
Ainda é função desse órgão, o envolvimento
com o metabolismo de:
• carboidratos,
• lipídios,
• proteínas e
• hormônios.
Ele exerce papel indispensável na filtração e
armazenamento de sangue, degradando
xenobióticos (compostos estranhos ao
organismo, por exemplo medicamentos e
drogas tóxicas), além de sintetizar a bile.
FUNÇÃO
• Armazenar vitamina D, A e
B12 (por 4, 10 e 12 meses,
respectivamente) e ferro
(ligado à proteína ferritina),
• Atuar na síntese das
proteínas (albumina,
ceruloplasmina, ferritina,
transferrina e lipoproteínas)
• Assim como seu
envolvimento na síntese de
colesterol e triglicerídeos.
RINS
• Além do fígado, outro órgão de extrema necessidade
de conhecimento é o rim e a glândula suprarrenal.
• Para o primeiro salientamos sua importância:
• na regulação da composição iônica do sangue,
• manutenção da osmolaridade do sangue,
• regulação do volume sanguíneo,
• regulação da pressão arterial,
• liberação de hormônios,
• regulação do nível de glicose no sangue,
• além de excreção de resíduos e substâncias estranhas.
SUPRARENAL
Uma das principais funções é a
secreção de dois hormônios:
epinefrina (adrenalina) e
norepinefrina
SEMIOTÉCNICA
Uma vez sabendo o que vem a ser a
semiologia, um novo termo seria a
semiotécnica, que nada mais é do que a
ação a ser tomada após a realização do
exame, ou seja: realização do exame
(semiologia) e ação a ser tomada
(semiotécnica).
Por exemplo: o exame físico – detectar
alteração pressórica após auscultar o
paciente
TÉCNICA
ELEMENTOS
DE UMA
CONSULTA
PROCEDIMENTOS
• Para tais procedimentos
serem realizados,
deveremos sempre
respeitar o paciente, tratá-
lo da forma como você
gostaria de ser tratado e
apresentar-se a seu
paciente antes de qualquer
procedimento
Dentre os possíveis procedimentos a serem
realizados, quando se trabalha a semiologia,
pode-se citar:
• exame físico de diversos segmentos
do corpo,
• estado geral do paciente,
• medidas antropométricas (peso,
altura, circunferência abdominal),
avaliação da mucosa e pele,
• estado de hidratação etc.
Importante ressaltar que a prática da
semiologia para o farmacêutico está
contemplada na resolução 586, do
Conselho Federal de Farmácia (CFF),
de 29 de agosto de 2013, em seu
Artigo 6º, parágrafo1º, tornando
assim, legal a atividade do
profissional farmacêutico para
exercer atividade que necessitam da
prática semiológica.
Além da necessidade de
conhecimento prático, alguns
equipamentos auxiliam o
profissional em suas avaliações,
como o estetoscópio,
esfigmomanômetro, fita métrica,
balança, glicosímetros, dentre
outros.
Ao sermos procurados por um
paciente com alguma queixa, ele
espera pela resolução de seu
problema, ou pelo menos
atenção por parte do
farmacêutico que presta tal
atendimento.
É de extrema relevância, quando necessário,
utilizarmos equipamentos que fortaleçam o
vínculo paciente-profissional, como por
exemplo: utilizar esfigmomanômetro
aneroide (aparelho de pressão manual), e se
caso utilizar os semiautomáticos ou mesmo
automáticos, não se deve abandonar o
paciente durante a verificação de pressão
arterial
O QUE O
PACIENTE
ESPERA ?
andrea@falog.edu.br

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a AULA 1 DE SEMIOLOGIA - CONCEITOS.pdf

Semiologia 06 neurologia - semiologia neurológica pdf
Semiologia 06   neurologia - semiologia neurológica pdfSemiologia 06   neurologia - semiologia neurológica pdf
Semiologia 06 neurologia - semiologia neurológica pdfJucie Vasconcelos
 
A importância do enfermeiro no perioperatório
A importância do enfermeiro no perioperatórioA importância do enfermeiro no perioperatório
A importância do enfermeiro no perioperatórioAline Ferreira
 
SEMIOLOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGIA AULA 01.pdf
SEMIOLOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGIA AULA 01.pdfSEMIOLOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGIA AULA 01.pdf
SEMIOLOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGIA AULA 01.pdfJooHenriqueCarvallho
 
SEMIOLOGIA AULA 0iiiiiiiiiiiiiiiiii1.pdf
SEMIOLOGIA AULA 0iiiiiiiiiiiiiiiiii1.pdfSEMIOLOGIA AULA 0iiiiiiiiiiiiiiiiii1.pdf
SEMIOLOGIA AULA 0iiiiiiiiiiiiiiiiii1.pdfJooHenriqueCarvallho
 
Aula Teórica - Semiologia (1).pptx
Aula Teórica - Semiologia (1).pptxAula Teórica - Semiologia (1).pptx
Aula Teórica - Semiologia (1).pptxCleitonSoares23
 
Apresentação de Marketing Redator Freelancer Delicado Orgânico Marrom e Cr...
Apresentação de Marketing Redator Freelancer Delicado Orgânico Marrom e Cr...Apresentação de Marketing Redator Freelancer Delicado Orgânico Marrom e Cr...
Apresentação de Marketing Redator Freelancer Delicado Orgânico Marrom e Cr...sarasmfranca
 
Semio - aula 1.pptx
Semio - aula 1.pptxSemio - aula 1.pptx
Semio - aula 1.pptxSindiElo
 
LINHA_DE_CUIDADO_doencas_respiratoriasmarco_2016.pptx
LINHA_DE_CUIDADO_doencas_respiratoriasmarco_2016.pptxLINHA_DE_CUIDADO_doencas_respiratoriasmarco_2016.pptx
LINHA_DE_CUIDADO_doencas_respiratoriasmarco_2016.pptxCarineRodrigues22
 
Cuidados de Enfermagem pre e pos operatorios
Cuidados de Enfermagem pre e pos operatoriosCuidados de Enfermagem pre e pos operatorios
Cuidados de Enfermagem pre e pos operatoriosEduardo Bernardino
 
Aula 01 Semiologia.pptx
Aula 01 Semiologia.pptxAula 01 Semiologia.pptx
Aula 01 Semiologia.pptxlvaroCosta22
 
AULA 07 -SRPA.pdf SALA DE RECUPERAÇÃO POS ANESTESICA
AULA 07 -SRPA.pdf SALA DE RECUPERAÇÃO POS ANESTESICAAULA 07 -SRPA.pdf SALA DE RECUPERAÇÃO POS ANESTESICA
AULA 07 -SRPA.pdf SALA DE RECUPERAÇÃO POS ANESTESICATHIALYMARIASILVADACU
 
aula recuperação pos anestesica.pdf
aula recuperação pos anestesica.pdfaula recuperação pos anestesica.pdf
aula recuperação pos anestesica.pdfluciaitsp
 
Semiologia anamnese e ectoscopia
Semiologia   anamnese e ectoscopiaSemiologia   anamnese e ectoscopia
Semiologia anamnese e ectoscopialeandrosdpsi
 
Semiologia 01 anamnese e ectoscopia
Semiologia 01   anamnese e ectoscopiaSemiologia 01   anamnese e ectoscopia
Semiologia 01 anamnese e ectoscopiaJucie Vasconcelos
 

Semelhante a AULA 1 DE SEMIOLOGIA - CONCEITOS.pdf (20)

Semiologia 06 neurologia - semiologia neurológica pdf
Semiologia 06   neurologia - semiologia neurológica pdfSemiologia 06   neurologia - semiologia neurológica pdf
Semiologia 06 neurologia - semiologia neurológica pdf
 
Documento 24lkjlkjkl
Documento 24lkjlkjklDocumento 24lkjlkjkl
Documento 24lkjlkjkl
 
A importância do enfermeiro no perioperatório
A importância do enfermeiro no perioperatórioA importância do enfermeiro no perioperatório
A importância do enfermeiro no perioperatório
 
SEMIOLOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGIA AULA 01.pdf
SEMIOLOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGIA AULA 01.pdfSEMIOLOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGIA AULA 01.pdf
SEMIOLOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGIA AULA 01.pdf
 
SEMIOLOGIA AULA 0iiiiiiiiiiiiiiiiii1.pdf
SEMIOLOGIA AULA 0iiiiiiiiiiiiiiiiii1.pdfSEMIOLOGIA AULA 0iiiiiiiiiiiiiiiiii1.pdf
SEMIOLOGIA AULA 0iiiiiiiiiiiiiiiiii1.pdf
 
Aula Teórica - Semiologia (1).pptx
Aula Teórica - Semiologia (1).pptxAula Teórica - Semiologia (1).pptx
Aula Teórica - Semiologia (1).pptx
 
Anestesia em RMN
Anestesia em RMNAnestesia em RMN
Anestesia em RMN
 
Semiologia e patologia aplicada
Semiologia e patologia aplicadaSemiologia e patologia aplicada
Semiologia e patologia aplicada
 
Apresentação de Marketing Redator Freelancer Delicado Orgânico Marrom e Cr...
Apresentação de Marketing Redator Freelancer Delicado Orgânico Marrom e Cr...Apresentação de Marketing Redator Freelancer Delicado Orgânico Marrom e Cr...
Apresentação de Marketing Redator Freelancer Delicado Orgânico Marrom e Cr...
 
Semio - aula 1.pptx
Semio - aula 1.pptxSemio - aula 1.pptx
Semio - aula 1.pptx
 
LINHA_DE_CUIDADO_doencas_respiratoriasmarco_2016.pptx
LINHA_DE_CUIDADO_doencas_respiratoriasmarco_2016.pptxLINHA_DE_CUIDADO_doencas_respiratoriasmarco_2016.pptx
LINHA_DE_CUIDADO_doencas_respiratoriasmarco_2016.pptx
 
Cuidados de Enfermagem pre e pos operatorios
Cuidados de Enfermagem pre e pos operatoriosCuidados de Enfermagem pre e pos operatorios
Cuidados de Enfermagem pre e pos operatorios
 
Ciclo iii 04
Ciclo iii 04Ciclo iii 04
Ciclo iii 04
 
Aula 01 Semiologia.pptx
Aula 01 Semiologia.pptxAula 01 Semiologia.pptx
Aula 01 Semiologia.pptx
 
Espirometria
EspirometriaEspirometria
Espirometria
 
AULA 07 -SRPA.pdf SALA DE RECUPERAÇÃO POS ANESTESICA
AULA 07 -SRPA.pdf SALA DE RECUPERAÇÃO POS ANESTESICAAULA 07 -SRPA.pdf SALA DE RECUPERAÇÃO POS ANESTESICA
AULA 07 -SRPA.pdf SALA DE RECUPERAÇÃO POS ANESTESICA
 
aula recuperação pos anestesica.pdf
aula recuperação pos anestesica.pdfaula recuperação pos anestesica.pdf
aula recuperação pos anestesica.pdf
 
Semiologia completa
Semiologia completaSemiologia completa
Semiologia completa
 
Semiologia anamnese e ectoscopia
Semiologia   anamnese e ectoscopiaSemiologia   anamnese e ectoscopia
Semiologia anamnese e ectoscopia
 
Semiologia 01 anamnese e ectoscopia
Semiologia 01   anamnese e ectoscopiaSemiologia 01   anamnese e ectoscopia
Semiologia 01 anamnese e ectoscopia
 

AULA 1 DE SEMIOLOGIA - CONCEITOS.pdf

  • 2. DOENÇA • O que é doença ? • Doença é um conjunto de sinais e sintomas específicos que afetam um ser vivo, alterando o seu estado normal de saúde
  • 4.
  • 5.
  • 6. IMPORTÂNCIA • A semiologia é muito importante para o diagnóstico e acompanhamento das diversas enfermidades. Quando nos referimos a sintomas, estamos nos referindo a toda informação subjetiva descrita pelo paciente, pois não é passível de confirmação pelo examinador, uma vez que é uma sensação individual, como por exemplo, uma cefaleia.
  • 7. Diferentemente, os sinais são alterações apresentadas pelos pacientes que podem ser observadas pelo examinador, seja a olho nu ou mesmo com o auxílio de algum equipamento, como um rash cutâneo ou mesmo um sopro cardíaco.
  • 8. Para uma semiologia de qualidade ser desenvolvida é de extrema necessidade o conhecimento, por parte do farmacêutico, da fisiologia de órgãos e dos sistemas, pois a partir desse entendimento a avaliação semiológica poderá ser realizada com maior segurança.
  • 9. FÍGADO Dentre os órgãos, é de extrema necessidade o entendimento detalhado, pelo farmacêutico, da fisiologia hepática, pois o fígado, um dos mais complexos órgãos, é responsável por metabolizar todas as drogas utilizadas pelos pacientes, principalmente quando ocorre o metabolismo de primeira passagem.
  • 10. FUNÇÃO Ainda é função desse órgão, o envolvimento com o metabolismo de: • carboidratos, • lipídios, • proteínas e • hormônios. Ele exerce papel indispensável na filtração e armazenamento de sangue, degradando xenobióticos (compostos estranhos ao organismo, por exemplo medicamentos e drogas tóxicas), além de sintetizar a bile.
  • 11. FUNÇÃO • Armazenar vitamina D, A e B12 (por 4, 10 e 12 meses, respectivamente) e ferro (ligado à proteína ferritina), • Atuar na síntese das proteínas (albumina, ceruloplasmina, ferritina, transferrina e lipoproteínas) • Assim como seu envolvimento na síntese de colesterol e triglicerídeos.
  • 12. RINS • Além do fígado, outro órgão de extrema necessidade de conhecimento é o rim e a glândula suprarrenal. • Para o primeiro salientamos sua importância: • na regulação da composição iônica do sangue, • manutenção da osmolaridade do sangue, • regulação do volume sanguíneo, • regulação da pressão arterial, • liberação de hormônios, • regulação do nível de glicose no sangue, • além de excreção de resíduos e substâncias estranhas.
  • 13. SUPRARENAL Uma das principais funções é a secreção de dois hormônios: epinefrina (adrenalina) e norepinefrina
  • 14. SEMIOTÉCNICA Uma vez sabendo o que vem a ser a semiologia, um novo termo seria a semiotécnica, que nada mais é do que a ação a ser tomada após a realização do exame, ou seja: realização do exame (semiologia) e ação a ser tomada (semiotécnica). Por exemplo: o exame físico – detectar alteração pressórica após auscultar o paciente
  • 17. PROCEDIMENTOS • Para tais procedimentos serem realizados, deveremos sempre respeitar o paciente, tratá- lo da forma como você gostaria de ser tratado e apresentar-se a seu paciente antes de qualquer procedimento
  • 18. Dentre os possíveis procedimentos a serem realizados, quando se trabalha a semiologia, pode-se citar: • exame físico de diversos segmentos do corpo, • estado geral do paciente, • medidas antropométricas (peso, altura, circunferência abdominal), avaliação da mucosa e pele, • estado de hidratação etc.
  • 19. Importante ressaltar que a prática da semiologia para o farmacêutico está contemplada na resolução 586, do Conselho Federal de Farmácia (CFF), de 29 de agosto de 2013, em seu Artigo 6º, parágrafo1º, tornando assim, legal a atividade do profissional farmacêutico para exercer atividade que necessitam da prática semiológica.
  • 20. Além da necessidade de conhecimento prático, alguns equipamentos auxiliam o profissional em suas avaliações, como o estetoscópio, esfigmomanômetro, fita métrica, balança, glicosímetros, dentre outros.
  • 21. Ao sermos procurados por um paciente com alguma queixa, ele espera pela resolução de seu problema, ou pelo menos atenção por parte do farmacêutico que presta tal atendimento.
  • 22. É de extrema relevância, quando necessário, utilizarmos equipamentos que fortaleçam o vínculo paciente-profissional, como por exemplo: utilizar esfigmomanômetro aneroide (aparelho de pressão manual), e se caso utilizar os semiautomáticos ou mesmo automáticos, não se deve abandonar o paciente durante a verificação de pressão arterial