Dicionario comunicacao

1.666 visualizações

Publicada em

verbetes na área jornalística

Publicada em: Turismo
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.666
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
35
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Dicionario comunicacao

  1. 1. Verbetes jornalísticos Profª Daniele Gross Fonte: Dicionário de Comunicação Editora Campus Carlos Alberto Rabaça / Gustavo Guimarães Barbosa 3ª edição 1 Abertura o mesmo que cabeça o mesmo que lide primeira matéria de uma publicação ou de uma série de matérias texto de introdução ou apresentação de um artigo geralmente composto em tipo diferente do restante da matéria Antetítulo palavra ou frase em corpo menor do que o utilizado no título e colocada antes (geralmente acima) dele, para introduzi-lo, indicar o assunto ou a pessoa nele focalizada, ou localizar a posição geográfica e temporal diz-se também sobretítulo / chapéu / sutiã Artigo texto jornalístico interpretativo e opinativo, mais ou menos extenso, que desenvolve uma idéia ou comenta um assunto a partir de determinada fundamentação geralmente assinado, o artigo difere do editorial por não apresentar enfaticamente, como este, uma “receita para a questão em pauta, nem representar necessariamente a opinião da empresa jornalística “O tom dogmático do editorial dá lugar a uma composição analítica, que deve-se pautar pela naturalidade, densidade e concisão. (...) O projeto de todo artigo é a explicação de um fato, segundo propósitos variados (informativos, interpretativos, persuasivos ou indutivos)” (Muniz Sodré e Maria Helena Ferrari). Cabeça o mesmo que lide conjunto formado pelo título (inclusive antetítulo e subtítulo, se houver), lide, quando composto em medida diferente do corpo do texto, e outros elementos introdutórios, na parte superior de uma notícia, reportagem, artigo etc. diz-se também abertura informação estampada na parte superior de uma página de jornal ou revista, designando a editoria (política, geral, economia, esportes etc.) Cabeça-de-Clichê pequeno título, utilizado em alguns jornais, para fotografias, desenhos, fac- símiles etc. Cabeçalho título de jornal, revista ou outra publicação periódica, com apresentação visual permanente que permita rápida identificação do periódico pelos leitores compreende, além do nome, data, número da edição, preço e outras informações essenciais título destacado em um artigo, notícia, seção, coluna ou anúncio
  2. 2. Verbetes jornalísticos Profª Daniele Gross Fonte: Dicionário de Comunicação Editora Campus Carlos Alberto Rabaça / Gustavo Guimarães Barbosa 3ª edição 2 Calhau notícia, artigo ou qualquer matéria de importância relativa (como anúncios a serem publicados por permuta) que, na falta de coisa melhor, serve para encher os buracos originados pela falta de material editorial ou por erro de cálculo de diagramação. Chamada pequeno título e/ou resumo de uma matéria, publicado geralmente na primeira página de jornal ou na capa de revista, com o objetivo de atrair o leitor e remetê- lo para a matéria completa, apresentada nas páginas internas Chapéu antetítulo curto, sustentado por um fio diz-se também sutiã Coluna seção especializada de jornal ou revista, publicada com regularidade e geralmente assinada, redigida em estilo mais livre e pessoal do que o noticiário comum compõe-se de notas, sueltos, crônicas, artigos ou textos-legendas, podendo adotar, lado a lado, várias dessas formas as colunas mantêm um título ou cabeçalho constante e são diagramadas costumeiramente em posição fixa e sempre na mesma página, o que facilita sua localização imediata pelos leitores habituais Colunão em alguns jornais e revistas, seção que reúne notícias curtas e/ou notas, com maior ou menor relevância de acordo com a linha editorial Copidesque em sua acepção original (do inglês copy desk), designa “a mesa ao redor da qual sentam-se os reescrevedores (rewriters), os reledores (copyreaders) de matérias, preparando-as para publicação” (N. Norberto) redação final, melhorada, de uma matéria jornalística ou de qualquer texto escrito redator (ou corpo de redatores) que faz esse trabalho setor (de uma redação, agência etc.) onde se realizam esses trabalhos Coordenada diz-se de matéria vinculada a outra, sem ser subordinada a ela Corpo de texto parte mais desenvolvida do texto de uma notícia tudo o que vem abaixo da cabeça ou do lide
  3. 3. Verbetes jornalísticos Profª Daniele Gross Fonte: Dicionário de Comunicação Editora Campus Carlos Alberto Rabaça / Gustavo Guimarães Barbosa 3ª edição 3 Crônica texto jornalístico desenvolvido de forma livre e pessoal, a partir de fatos e acontecimentos da atualidade, com teor literário, político, esportivo, artístico etc. Segundo Muniz Sodré e Maria Helena Ferrari, a crônica é um meio-termo entre o jornalismo e a literatura; “do primeiro, aproveita o interesse pela atualidade informativa, da segunda imita o projeto de ultrapassar os simples fatos”. o ponto comum entre a crônica e a notícia ou a reportagem é que cronista, assim como o repórter, não prescinde do acontecimento. Mas, ao contrário deste, ele “paira” sobre os fatos, “fazendo com que se destaque no texto o enfoque pessoal (onde entram juízos implícitos e explícitos) do autor”. Na crônica, porém, o juízo de valor confunde-se com os próprios fatos expostos, sem o dogmatismo do editorial, no qual a opinião do autor (representando a opinião da empresa jornalística) constitui o eixo do texto. Deadline prazo limite para conclusão de uma tarefa ou cumprimento de um compromisso Destacar dar ênfase a palavra ou frase de um texto de acordo com as normas de redação do Jornal do Brasil, por exemplo, o destaque JAMAIS deve ser feito com aspas e sim apenas com grifo, negrito, versal, redondo, conforme o tipo em que estiver composta a matéria, de forma que a letra, palavra ou frase que se queira destacar se saliente do todo. Dupla leitura recurso editorial que consiste em oferecer um texto sintético numa primeira idéia do conteúdo da matéria, de modo que o leitor, através da leitura de algumas frases, tenha o seu interesse despertado para uma segunda leitura, mais demorada e profunda (na forma de textos mais extensos, compostos em corpo menor e diagramados abaixo do primeiro texto, ou à sua volta). Segundo Alberto Dines, esse recurso origina-se no estilo tipográfico dos velhos tratados religiosos, notadamente israelitas, e foi revivido pela revista Planéte, sendo adotado hoje, com variações, em grande número de publicações (jornais, revistas e livros, principalmente didáticos) nos jornais, o emprego de boxes e de textos complementares (que além de movimentar e embelezar uma página, tornam as matérias mais atraentes) destina-se a propiciar dupla leitura Editoria cada uma das seções de uma empresa editorial, de um órgão de imprensa, de uma obra de referência etc., sob a responsabilidade de um editor especializado exemplos: editoria econômica, editoria política, editoria de artes, editoria de esportes etc.
  4. 4. Verbetes jornalísticos Profª Daniele Gross Fonte: Dicionário de Comunicação Editora Campus Carlos Alberto Rabaça / Gustavo Guimarães Barbosa 3ª edição 4 Editorial texto jornalístico opinativo, escrito de maneira impessoal e publicado sem assinatura, referente a assuntos ou acontecimentos locais, nacionais ou internacionais de maior relevância define e expressa o ponto de vista do veículo ou da empresa responsável pela publicação (jornal, revista etc.) ou emissão (programa de televisão ou de rádio) o editorial apresenta, principalmente em sua forma impressa para jornal, traços estilísticos peculiares na definição clássica de Fraser Bond, é “um ensaio curto, embebido do senso de oportunidade” “Seu primo literário mais próximo é o ensaio”, do qual se difere, em sua brevidade, por tratar “de um assunto pertinente só ao momento imediato” no jornalismo moderno, a opinião expressa no editorial é “alguma coisa mais do que a simples opinião do proprietário”, observa Juarez Bahia “Salvo exceções de que ainda padece o jornalismo, a página editorial dos principais órgãos brasileiros consubstancia, por exemplo, o conjunto de opiniões de diretores e editorialistas – estes profissionais, identificados com a linha do jornal, escrevem e atuam com autonomia e independência, critério e responsabilidade, garantindo um conceito de opinião que busca dignificar o veículo” o editorial pode aparecer em casos especiais, na primeira página do jornal (e alguns jornais têm isso como norma), mas na maioria dos casos aparece ao lado de outras matérias, em uma página interna predeterminada e habitual a página editorial é uma página nobre do jornal, onde figuram, geralmente, além dos editoriais, colunas de notas e sueltos, cartas dos leitores, charges, artigos importantes e o expediente do jornal “A página editorial tem um ‘estilo’ que acompanha as tendências do jornal, o próprio estilo do jornal. Este ‘estilo’ é equilibrado, denso ou leve, conforme a linha do veículo” (Juarez Bahia) Entretítulo cada um dos títulos que subdividem um texto extenso (notícia, artigo, entrevista etc.) a divisão da matéria em vários trechos destacados por entretítulos é um recurso gráfico-visual destinado a tomar o texto mais atraente, menos cansativo e mais fácil de se ler trecho curto, composto em corpo menor e colocado geralmente entre parênteses, no meio do título de uma matéria jornalística intertítulo Extrato diz-se de trecho de uma matéria, geralmente assinada, que é editado na primeira página como chamada para o texto completo em página interna
  5. 5. Verbetes jornalísticos Profª Daniele Gross Fonte: Dicionário de Comunicação Editora Campus Carlos Alberto Rabaça / Gustavo Guimarães Barbosa 3ª edição 5 Fait-divers em francês, fatos diversos diz-se de notícia que desperta interesse do leitor por implicar rompimento insólito ou extraordinário do curso cotidiano dos acontecimentos. Assim, o crime passional, a briga de rua, o atropelamento, o assalto são fait-divers, narrativas típicas do jornalismo sensacionalista e popularesco Feature qualquer matéria sobre assuntos variados, cujo o valor jornalístico não está necessariamente ligado ao dia de sua ocorrência o feature, geralmente uma matéria de entretenimento, é menos perecível que a notícia comum pode ser guardado por vários dias, sem perder o interesse, para ser publicado de acordo com o espaço disponível e a programação do veículo são classificados como features notícias, notas, crônicas ou artigos de variedades que normalmente as páginas do segundo caderno dos jornais, tiras de história em quadrinhos, colunas de passatempo, conselhos médicos, decoração, receitas culinárias, xadrez, bridge, curiosidades etc. existem empresas especializadas no fornecimento desse tipo de matéria a jornais e revistas, em escala nacional ou internacional, mediante contratos fixos ou por encomendas específicas palavra inglesa que significa “feição fisionômica” Fio-data em cabeçalhos, cabeças de página ou rodapés, traço que acompanha ou segura informações como: data da edição, título da publicação, seção (editoria) e número da página Foto-legenda fotografia acompanhada de um texto-legenda, para publicação em jornal ou revista Fotomanchete manchete cujo texto é conjugado a uma fotografia ou a qualquer outra ilustração, constituindo um só elemento visual recurso de programação visual mais comum em jornais vespertinos Fotorreportagem reportagem que tem nas fotografias o seu principal elemento informativo resulta numa matéria jornalística em que as fotos são acompanhadas somente de legendas ou de breve texto explicativo Fria diz-se da matéria jornalística sem compromisso exato com atualidade, e que por isso não precisa necessariamente ser publicada imediatamente
  6. 6. Verbetes jornalísticos Profª Daniele Gross Fonte: Dicionário de Comunicação Editora Campus Carlos Alberto Rabaça / Gustavo Guimarães Barbosa 3ª edição 6 Galeria conjunto de fotos de pessoas, diagramadas em tamanho semelhante, geralmente acompanhadas de legendas que identificam e situam cada personagem em relação ao fato noticiado Gancho início de uma matéria jornalística, escrito de maneira a prender a atenção do leitor e a interessá-lo pelo restante do texto o lide é a técnica de gancho mais usada na redação de notícias Gaveta diz-se de matéria jornalística atemporal, que pode ser guardada para publicação quando conveniente (“matéria de gaveta”) matéria fria Gilete-press expressão que indica pejorativamente o hábito de produzir notícias à base de releases ou de matérias prontas, extraídas de outras publicações, recortando-se e colando-se na nova matéria o texto original (aproveitando in totum ou com algumas supressões e modificações superficiais) sistema de tesoura-e-cola diz-se também cola-press ou recortagem Grifo texto de jornal ou revista composto por letras itálicas Hard news expressão inglesa que designa o noticiário de fatos relevantes, densos e complexos oposto a soft news, que se refere a informações mais leves e amenas como os features Iceberg diz-se de texto, geralmente assinado, que começa na primeira página do jornal (ou de um de seus cadernos) e prossegue em página interna Indifoto palavra criada pela Folha de São Paulo, para designar ilustração que integra informações numéricas (por exemplo, indicadores econômicos ou dados estatísticos) a uma imagem fotográfica Infográfico criação gráfica que utiliza recursos visuais (desenho, fotografias, tabelas etc.), conjugados a textos curtos, para apresentar informações jornalísticas de forma sucinta e atraente, em jornalismo impresso, telejornalismo ou webjornalismo. Intertítulo o mesmo que entretítulo
  7. 7. Verbetes jornalísticos Profª Daniele Gross Fonte: Dicionário de Comunicação Editora Campus Carlos Alberto Rabaça / Gustavo Guimarães Barbosa 3ª edição 7 Janela espaço aberto dentro de qualquer matéria ou elemento da página (texto, foto, desenho, gráfico etc.), emoldurado ou não por fios, para colocação de quadro, side, sub-retranca, infográfico, olho, ilustração, letra capitular, selo, feature, anúncio etc. Lauda folha padronizada, própria para redação de matérias para qualquer veículo impresso ou audiovisual a lauda padronizada surgiu como decorrência das necessidades de agilizar e racionalizar o processamento industrial da informação escrita é impressa com informações básicas e com traçados de referência para o texto, normalmente constituída de duas áreas o cabeça onde figuram o nome do veículo e alguns espaços reservados à indicação do nome do autor, título da matéria, retranca, seção e assunto, número de ordem e marcações gráficas o área para o texto com indicações precisas do início, do término e do número de toques em cada linha, do espaço entre linhas e do número de linhas do texto em função dessas características, a lauda padronizada proporciona facilidades em todas as fases da produção editorial Legenda texto breve que acompanha uma ilustração vem geralmente debaixo da foto ou desenho, mas pode igualmente estar colocada ao seu lado, acima, ou mesmo dentro do seu espaço a legenda jornalística é uma frase curta, enxuta, destinada a indicar ou a ampliar a significação daquilo que acompanha a boa legenda nunca deve ser redundante, óbvia “A legenda tem que ser complemente efetivo da notícia e da fotografia, não uma simples duplicação dos fatos descritos na informação, nem uma etiqueta de identificação. Não deve dizer coisas que aparecem claramente na fotografia. Deve sim, ajudar o leitor a compreender e apreciar a foto, esclarecendo as dúvidas e chamando sua atenção para pequenos detalhes interessantes que lhe podem ter escapado. Sua finalidade é interessar o leitor o suficiente para que volte a olhar a fotografia com maior atenção” (Tom Fepersman) mesmo curta, a legenda deve ser criativa pode ser informativa, explicativa, interpretativa (na medida em que chame a atenção para este ou aquele detalhe da foto), irônica, instigadora etc. Lidão lide geral, que abrange um conjunto de matérias com ou sem títulos e lides específicos subtítulo ou antetítulo composto por frase ou período geralmente com duas ou três linhas e sem ponto final costuma ser diagramado com destaque, em corpo maior do que o do texto e menor do que o do título
  8. 8. Verbetes jornalísticos Profª Daniele Gross Fonte: Dicionário de Comunicação Editora Campus Carlos Alberto Rabaça / Gustavo Guimarães Barbosa 3ª edição 8 Lide do inglês lead (comando, primeiro lugar, liderar, guiar, introduzir, encabeçar) abertura de texto jornalístico, na qual se apresenta sucintamente o assunto ou se destaca o fato essencial, o clímax da história resumo inicial, constituído pelos elementos fundamentais do relato a ser desenvolvido no corpo do texto o lide torna possível, ao leitor que dispõe de pouco tempo, tomar conhecimento do fundamental de uma notícia em rapidíssima e condensada leitura do primeiro parágrafo deve ser redigido de modo a “fisgar” o interesse do leitor para a leitura de toda a matéria na construção do lide o redator deve responder às questões básicas da informação: o quê, quem, quando, onde, como e por quê [3Q-CO-PQ] (embora não necessariamente a todas elas em conjunto) para Fraser Bond, o redator deve observar cinco exigências do lide o apresente um resumo do fato o identifique as pessoas e os lugares envolvidos o destaque o toque peculiar da história o dê as mais recentes notícias do acontecido o e, se possível, estimule o leitor a continuar lendo o resto da reportagem podemos ainda acrescentar outra função desempenhada pelo lide: situar a notícia dentro de um contexto mais amplo, esclarecendo o leitor a respeito de fatos passados ou interligados Linha fina subtítulo composto por frase ou período, geralmente com uma só linha e sem ponto final Manchete título principal, composto em letras garrafais e publicado com grande destaque, geralmente no alto da primeira página de um jornal ou revista indica o fato jornalístico de maior importância entre as notícias contidas na edição por extensão, título de maior destaque (em tamanho e importância jornalística) no alto de cada página de notícias do francês manchette Manchetinha o segundo título, em tamanho e importância jornalística, na primeira página ou nas páginas internas de um jornal Manual de Normas conjunto de determinações, instruções e recomendações elaboradas pela chefia de redação de um jornal ou revista e destinadas aos repórteres e redatores seus principais objetivos são promover estilo próprio e unificado para a publicação, padronizar o texto publicado em suas diversas seções, assegurar a qualidade da publicação e sistematizar a preparação do material redacional para facilitar o trabalho da produção editorial e gráfica
  9. 9. Verbetes jornalísticos Profª Daniele Gross Fonte: Dicionário de Comunicação Editora Campus Carlos Alberto Rabaça / Gustavo Guimarães Barbosa 3ª edição 9 Nariz de cera forma tradicional de introduzir uma notícia, reportagem etc. o nariz de cera vigorava na linguagem jornalística antes do surgimento do lide consistia num preâmbulo muitas vezes desnecessário, longo e vago, composto em medida menor do que a medida normal da coluna ou da página Nota pequena notícia destinada à informação rápida caracteriza-se por extrema brevidade e concisão Notícia relato de fatos ou acontecimentos atuais, de interesse e importância para a comunidade, e capaz de ser compreendido pelo público “O que é matéria-prima do jornalista não é palavra, é notícia: esta é a matéria- prima com que se constrói o jornal” (Celso Kelly) é em busca da notícia que se desenvolve toda a atividade jornalística segundo Fraser Bond, “a notícia não é um acontecimento, ainda que assombroso, mas a narração desse acontecimento”. para Charles Dana, “é algo que interessa a uma grande parte da comunidade e nunca tenha sido levado à sua atenção” os editores da revista Colliers Weekly definem notícia como “tudo o que o público necessita saber; tudo aquilo que o público deseja falar; quanto mais comentário suscite, maior é o seu valor; é a informação exata e oportuna dos acontecimentos, descobrimentos, opiniões e assuntos de todas as categorias que interessam aos leitores; são os fatos essenciais de tudo o que aconteceu, acontecimento ou idéia que têm interesse humano. A notícia se funda, pois, no público, e deve-se avaliar seu interesse apreciando nela o que interessa ao público. A essência, pois, da notícia, está determinada pelo interesse público”. os manuais de jornalismo propõem diversas classificações para as notícias: o previstas ou imprevistas (um fato anteriormente anunciado ou um fato inesperado) o espontâneas ou provocadas (um fato que ocorre independentemente do esforço jornalístico ou o resultado de um levantamento, de uma reportagem, como por exemplo uma enquete, reunindo opiniões de várias pessoas) o locais, estaduais, nacionais ou internacionais (quanto à procedência); etc. como fenômeno essencialmente jornalístico, a notícia requer tratamento apropriado – que envolve apuração, pesquisa, comparação, interpretação, seleção – e redação adequada, de acordo com as peculiaridades do veículo para que, com toda a técnica jornalística, se produza uma boa notícia, é essencial que o fato reúna determinados atributos como: atualidade, veracidade, oportunidade, interesse humano, raridade, curiosidade, importância e consequências para a comunidade, proximidade etc.
  10. 10. Verbetes jornalísticos Profª Daniele Gross Fonte: Dicionário de Comunicação Editora Campus Carlos Alberto Rabaça / Gustavo Guimarães Barbosa 3ª edição 10 Op-ed acrônimo de opposite-editorial-page, página frontal aos editoriais “Inovação introduzida pelo The New York Times em 21/9/70, exatamente para ventilar o setor opinativo do jornal. Seu primeiro editor foi Harrison Salisbury convidando-se colaboradores especiais – jornalistas ou não – e ampliando a participação dos leitores através da seção de ‘cartas’, dinamizou-se o quadro de articulistas com o elemento surpresa e arejou-se a posição do jornal com matérias de outras tendências que não aquela da instituição” (Alberto Dines) atualmente, a maioria dos jornais brasileiros adota (ou tende a adotar) este modelo Olho o mesmo que antetítulo intertítulo ou pequeno trecho destacado da matéria, diagramado em corpo maior e colocado em janelas da composição corrida pequeno texto de chamada para a matéria principal Pauta agenda ou roteiro dos principais assuntos a serem noticiados em uma edição de jornal ou revista, programa de rádio ou TV súmula das matérias a serem feitas em uma determinada edição planejamento esquematizado dos ângulos a serem focalizados numa reportagem, com um resumo dos assuntos (no caso de suíte) e a indicação ou sugestão de como o tema deve ser tratado a pauta não é normativa, não estipula uma linha de ação a ser seguida: é uma tentativa de orientar e dirigir metodicamente o trabalho do repórter, dentro dos parâmetros que possam ser previstos caso ocorra algum detalhe importante como notícia e não previsto na pauta, esta não impede, obviamente, que a reportagem seja desviada para outros ângulos podem estar contidos numa pauta, além do resumo do assunto, o tratamento que deve ser dado à matéria, uma sugestão do lide, perguntas para o entrevistado, nomes, endereços e telefones de possíveis fontes, etc. anotação de temas que poderão ser desenvolvidos oportunamente para aproveitamento em futuras edições fonte de criação de assuntos programação de coberturas, pesquisas serem realizadas pela equipe de reportagem e redação
  11. 11. Verbetes jornalísticos Profª Daniele Gross Fonte: Dicionário de Comunicação Editora Campus Carlos Alberto Rabaça / Gustavo Guimarães Barbosa 3ª edição 11 Quadro espaço geralmente delimitado por fios, que traz informações adicionais ao corpo de uma matéria jornalística, anúncio publicitário ou capítulo de um livro o texto contido nesse espaço é quase sempre composto em tipo ou corpo diferente do restante da matéria no noticiário de jornais ou revistas, por exemplo, é comum publicar em quadros, abaixo de determinadas notícias historicamente marcantes, um relato retrospectivo sobre o fato, localização geográfica, condições sociais, reprodução integral de um documento, perfil bibliográfico da pessoa noticiada, destaque de trecho de diálogo, detalhe pitoresco, comentário, etc. diz-se também boxe, do inglês box, caixa Quente diz-se da matéria jornalística com informações inéditas, que justificam publicação imediata opõe-se à matéria fria Reportagem conjunto de providências necessárias à confecção de uma notícia jornalística: cobertura, apuração, seleção dos dados, interpretação e tratamento, dentro de determinadas técnicas e requisitos de articulação do texto jornalístico informativo o processo de reportagem, que vai “desde a captação dos dados à redação”, segundo Juvenal Portella, envolve os trabalhos físico e mental necessários à sua existência considera-se incorreto designar reportagem como um tipo de notícia descritiva, mais apurada e ampla, acompanhada com documentação e testemunhos. Na verdade, esse tipo de notícia é resultado de uma reportagem, e não a reportagem em si equipe de repórteres de um jornal, revista, cinejornal, emissoras de televisão e rádio etc. Retranca marcação feita nos originais (texto, fotografias, etc.) componentes de uma mesma matéria, para orientar a paginação a retranca funciona como uma indicação feita em código de letras e algarismos, tanto nos originais como nas provas tipográficas, para identificá-los, visando facilitar o seu posterior reagrupamento e o trabalho da paginação cada unidade de texto em jornal a matéria propriamente dita, designada por um código de letras e números nome em código que designa uma fôrma, na diagramação de um jornal ou revista por extensão, seção de um jornal ou revista, correspondente a uma determinada editoria o essa acepção ampla da palavra retranca, atualmente mais usada do que a acepção original, deve-se ao fato de que o título abreviado de cada seção costuma integrar os códigos das respectivas matérias
  12. 12. Verbetes jornalísticos Profª Daniele Gross Fonte: Dicionário de Comunicação Editora Campus Carlos Alberto Rabaça / Gustavo Guimarães Barbosa 3ª edição 12 Rodapé artigo de jornal ou revista inserido na parte inferior da mancha gráfica Rubrica título ou entrada que constitui indicação geral do assunto, da categoria, de um conjunto determinado de elementos em jornalismo, chama-se rubrica, nessa acepção, um título constante em determinada seção ou coluna, ou mesmo uma posição fixa em determinada página, reservada para colaboração frequente de alguém Seção parte de uma publicação (jornal, revista), de um programa televisivo ou radiofônico, CD-ROM, site, etc., onde se agrupam informações do mesmo gênero, ou sobre um mesmo tema. exemplos: esportes, notícias internacionais, economia, política, cidade, polícia, artes etc. parte da redação de um veículo informativo onde trabalham os profissionais responsáveis pelo mesmo tipo de matérias Schinitt pequena chamada na primeira página de um jornal Série conjunto de matérias, geralmente do mesmo gênero (reportagens, artigos, histórias etc.), publicadas em jornal ou revista, geralmente numeradas e em edições consecutivas Side em português, lado texto complementar, relacionado ao tema abordado em uma matéria ou a um detalhe desta, geralmente diagramado ao lado, em medida diferente, separado ou não por fios Sobretítulo o mesmo que antetítulo Stand-by diz-se da matéria jornalística fria, que fica pendente para publicação no momento oportuno
  13. 13. Verbetes jornalísticos Profª Daniele Gross Fonte: Dicionário de Comunicação Editora Campus Carlos Alberto Rabaça / Gustavo Guimarães Barbosa 3ª edição 13 Sublide segundo parágrafo do texto jornalístico, resultante de um desmembramento do lide o sublide é criação do jornalismo brasileiro, e inexistia na imprensa norte- americana, de onde importamos a técnica do lide, na década de 50 existem posições discordantes sobre a sua importância e sua função no texto de jornal o sublide é considerado por alguns, apenas como recurso de diagramação (“uma ficção tipicamente regionalista, uma contrafração puramente estética”, segundo Lago Burnett), destinado a situar melhor a notícia, visualmente, dentro da página outros o consideram recurso de grande valor para a articulação do texto (um parágrafo imediato ao lide “onde se agrupam os fatos cuja ordem de importância é inferior aos do lead ou onde se desenvolvem aqueles fatos mencionados anteriormente” – Juvenal Portela) nesta acepção, o sublide tem a função de disciplinar o desenvolvimento da narrativa, como um “pescoço” equilibra a cabeça (o lide) em relação ao corpo da notícia Sub-retranca texto complementar, editado logo abaixo de uma matéria, ou diagramado no meio das colunas do texto principal seu título geralmente em corpo menor do que o corpo do título principal, costuma ligar-se com este por uma nítida relação de conteúdo Subtítulo título secundário colocado imediatamente após o título principal de uma matéria jornalística é composto, usualmente, em letras grandes, mas sempre de corpo menor que o dos caracteres usados no título serve para destacar algum detalhe que completa o sentido do título e segue, geralmente, as mesmas normas de redação deste linha fina / entretítulo Suelto breve texto jornalístico, composto por uma nota (informação rápida) seguida de comentários de juízos de valor, de modo a se obter uma glosa do fato “A palavra suelto (de origem espanhola) já desapareceu do vocabulário jornalístico no Brasil, deixando a abrangente nota em seu lugar. Mas, do ponto de vista estilístico, a nota-suelto se caracteriza por parágrafos curtos, frase breve e por um tom que oscila entre a ironia e o chiste. O suelto breve e penetrante equivale, na poesia, ao epigrama. Às vezes, porém, ele aceita o tom lírico, como se fosse o esboço de uma crônica” (M. Sodré e M. H. Ferrari) colunas diárias de grande penetração, como o “Informe JB”, do Jornal do Brasil, o “Painel”, da Folha de S. Paulo, e outras, baseiam-se principalmente na fórmula do suelto diz-se também tópico ou vária
  14. 14. Verbetes jornalísticos Profª Daniele Gross Fonte: Dicionário de Comunicação Editora Campus Carlos Alberto Rabaça / Gustavo Guimarães Barbosa 3ª edição 14 Suíte do francês, continuação, sequência ato ou efeito de dedobrar uma notícia já publicada anteriormente pelo próprio veículo ou por outro órgão de imprensa técnica de dar continuidade à apuração de um fato (já noticiado) que continue sendo de interesse jornalístico, mediante acréscimo de novos elementos para a publicação de notícias atualizadas Texto-Legenda legenda mais ampla, que escreve, explica ou comenta a ilustração (foto ou desenho) com mais detalhes do que a legenda comum permite ao redator maior liberdade de estilo, tratamento mais próximo do gênero da revista em alguns casos, contém o resumo da notícia, de modo que o leitor compreenda o assunto apenas vendo a imagem, o título e o texto-legenda geralmente sem divisões em parágrafos pode ser também utilizada como chamada de primeira página, para atrair a atenção do leitor e remetê-lo à leitura da notícia, publicada em página interna usa-se também a abreviação TL Tijolo cada uma das notas ou anúncios de pequeno formato, em jornais, publicadas geralmente em seções de serviço e de lazer, noticiando a programação de cinemas, teatros etc. diz-se também tijolinho bloco de texto em composição compacta e pesada, sem claros nem ilustrações nesta acepção, diz-se também tijolaço e catatau Titulação conjunto de caracteres ou de linhas tipográficas que compõem um título conjunto de títulos e subtítulos e entretítulos de uma publicação maneira de redigir títulos para jornal ou revista cada tipo de matéria jornalística requer uma titulação própria existem normas específicas, dependendo da linha seguida pelo veículo, para a redação de títulos em jornais ou revistas além disso, de acordo com a programação visual, costuma-se convencionar um número exato ou aproximado de caracteres e de linhas para cada título, de acordo com a página ou o teor da matéria “A personalidade do periódico se revela em seu modo característico de titular. A titulação correta serve, em essência, para que o leitor, com um simples passar de olhos pela publicação, se inteire dos seus assuntos fundamentais. Um periódico bem titulado capta facilmente a atenção do leitor; não obriga a ler todo o texto impresso e, ao mesmo tempo, convida a ler” (Martin Vivaldi)
  15. 15. Verbetes jornalísticos Profª Daniele Gross Fonte: Dicionário de Comunicação Editora Campus Carlos Alberto Rabaça / Gustavo Guimarães Barbosa 3ª edição 15 Título nome de um determinado livro, filme, revista, anúncio publicitário, peça teatral, programa de rádio ou TV, ou de qualquer texto literário, jornalístico ou científico, poema, música, desenho etc. define, geralmente, o assunto ou o teor da obra, e a distingue das demais palavra ou frase, geralmente composta em corpo maior do que o utilizado no texto, e situada com destaque no alto de notícia, artigo, seção, quadro etc., para indicar resumidamente o assunto da matéria e chamar a atenção do leitor para o texto X., x. indicação de final de texto, colocada na última lauda, ou na última parte de textos extensos que ocupam mais de um arquivo no computador ou em dispositivo de memória auxiliar

×